Os Três Mosqueteiros

Os Três Mosqueteiros Alexandre Dumas




Resenhas - Os Três Mosqueteiros


252 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jefe 13/02/2021

Esperava mais
Não foi um livro que me prendeu atenção. Achei algumas partes confusas. Outras sem muito detalhes. Não curti muito.
comentários(0)comente



carina 11/02/2021

Confesso que abandonei esse livro no meio a uns anos atrás mas quando voltei a ler não queria mais parar.
comentários(0)comente



omrlns 09/02/2021

"Um por todos e todos por um"
Sempre gostei do livro, é muito cativante. Uma história curta, mas cheia de emoções. Recomendo!
comentários(0)comente



Gui 04/02/2021

As aventuras de um heterotop escravoceta
Justamente quando estava me encaminhando para o final da obra e tirando conclusões acerca dela, descubro uma inconveniência, esse livro não é o romance original de Alexandre Dumas e sim uma adaptação, que corta boa parte da narração do autor, por conta disso, essa versão de Os Três Mosqueteiros é, algumas vezes, confusa, e também bastante simples, principalmente no que tange aos personagens, já que não possuem muito desenvolvimento sem contar suas mudanças emocionais bizarras fazendo com que uma simples trombadinha resulte em uma briga (padrão heterotop). Por outro lado, as aventuras são incríveis e muito legais, Dumas caprichou nas conspirações, tramas, reviravoltas e jogos políticos, tornando a história sensacional. Os protagonistas, apesar de simples, não deixam de ser cativantes, muito pelo contrário, são bastante carismáticos e divertidos, D'Artagnan, o principal, é muito semelhante a Romeu, de Shakespeare, um adolescente (que parece que entrou na puberdade ontem) muito emocionado, que se apaixona por qualquer rabo-de-saia que aparece, fazendo tudo o que lhe pedem, o que acaba resultando nas suas grandes aventuras. Em suma, por ser simples e divertido, é um livro muito cativante para quem está começando a ler, e por aflorar a vontade de se conhecer o romance original, é interessante para leitores mais experientes.
comentários(0)comente



TeiXeira 30/01/2021

Tudo vai bem e é bem desenvolvido até o meio/fim, a história começa a ter uma rapidez que não gostei.
comentários(0)comente



Max 29/01/2021

Que livro, senhoras e senhores!
Publicado originalmente em 1844, ?Os três mosqueteiros? narra a história de quatro amigos, D?Artagnan, Athos, Aramis e Porthus, na França de 1600. Cercados por duelos, intrigas e romances, os amigos se envolvem em grandes aventuras, das quais prova-se o real valor da amizade.
Apesar de ter quase duzentos anos desde que foi escrito e contando com mais de 600 páginas, Dumas conseguiu criar um texto dinâmico e rápido, que faz com que o leitor devore página após página, sem querer se desprender da história.
comentários(0)comente



Ther 26/01/2021

Uma trama envolvente!!!
Durante a leitura conhecemos os famosos três mosqueteiros, que na verdade são quatro, Athos, Porthos, Aramis e d'Artgnan.
Toda a intriga política descrita por Dumas é emocionante, acompanhar todos os personagens envolvidos no que parece ser núcleos totalmente diferentes da história mas que ao fim todos as decisões, brigas, desconfianças, perseguições e traições levam a um único e conciso final. Quando você pensa que está tudo decidido a favor de um personagem o autor apresenta um novo caminho para a narrativa. Personagens apaixonantes, Athos de longe meu favorito, porém seus outros três companheiros não deixam a desejar, cada um com suas peculiaridades e trejeitos.
comentários(0)comente



GRossati 23/01/2021

Deveras um Clássico!
Deveras, um Clássico! Merece a sua posição no cânone universal. O livro que se instalou no coração da França e exalou tamanha energia, que se espalhou por toda a Europa. Recomendo para quem quer ler um calhamaço, flw!
comentários(0)comente



Mamá 22/01/2021

Devorei o pequeno calhamaço (788 pgs em letras miúdas) de Alexandre Dumas. Para você que é um alienígena e nunca ouviu falar dos três mosqueteiros (ou pulou os filmes da Sessão da Tarde), a obra conta a história desses três aventureiros, que na verdade eram quatro: o nobre Athos, o barulhento Porthos e o religioso Aramis. O jovem impetuoso D'Artagnan se uniu ao grupo depois, vindo de uma aldeia no interior. Eles faziam parte da guarda do Rei Luís XIII, opondo-se a todo momento às forças do terrível cardeal Richelieu - o "segundo rei da França". Os quatro inseparáveis amigos se veem envoltos em intrigas de deixar a corte toda de cabelos em pé: eles devem proteger a rainha, Ana de Áustria, cuja honra, e cabeça, podem cair caso Richelieu descubra seu caso com o Duque de Buckingham - o eterno inimigo inglês.

D'Artagnan deve arriscar sua pele para proteger o casamento de Suas Reais Majestades e impedir que àqueles ao seu redor sejam descobertos. Trágica, romântica e aventuresca, a trama contextualiza tão bem nossos personagens, que chegamos a crer que foram todos mesmo reais - os mosqueteiros em questão, tais como Dumas os nomeia no romance, não o são.

E apesar de envolver a estória em muitas lutas sangrentas e mistério, Dumas aqui e ali divaga sobre alguns temas menos relevantes, ou dá demasiada importância à cenas que ficariam melhor resumidas (como os infinitos diálogos dos companheiros para descobrir coisas banais ou a parte de Milady na Inglaterra). Ainda assim, embora se torne enfadonho durante alguns breves capítulos, Os Três Mosqueteiros é uma aventura clássica, de heróis e bandidos, de valentes e covardes, que nos deixa na ponta da poltrona para saber qual será a próxima aventura desses grandes personagens.

site: https://www.instagram.com/livrosdamaira/
comentários(0)comente



Leite 21/01/2021

Um por todos e todos por um...
Esse livro me apresentou meus novos quatro amigos que eu sei que poderei contar para sempre (Athos, Porthos, Aramis e d'Artagnan). É uma história que apresenta amizade, lealdade na sua mais perfeita forma, além de romance e inimigos poderosos (poderosos de diferentes formas).

Com certeza é um livro que vou levar sempre no coração, ele conseguiu me deixar feliz e triste no virar da última página.
comentários(0)comente



Laura 21/01/2021

Um por todos, e todos por um !
Após deixar sua família, D'Artagnan segue viagem para se tornar um mosqueteiro e servir o Rei. Após conhecer três cavalheiros, Porthos, Athos e Aramis, as aventuras do caminho, os desafios e as e batalhas tornam-se mais atraentes e interessantes, pois D'Artagnan encontra neles aliados dispostos a defender juntos os interesses do rei Luís XIII da França e da rainha Ana de Austria.

Infelizmente essa edição está incompleta, o que me impediu de ter uma boa experiência com o livro.
comentários(0)comente



Rai 20/01/2021

Surpreendente a leitura!
Como se não fosse o esperado, afinal o livro tem 690 páginas de pura surpresas. Apesar da quantidade, o livro conta com um enredo maravilhoso, durante a a leitura imaginava-me em uma cena de filme, e conseguia gravar cada momento da história na minha mente, levando-me a França e até pegar certas falas dos personagens! Haha
O clímax da trama acontece aproximadamente na metade do livro, o que faz o começo ser um pouco recluso, mas cada vez mais criando uma relação com os personagens.
Super indico para que leiam, por que com certeza será uma leitura que irá gravar em sua vida. :)
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Julio.Argibay 13/01/2021

Um p todos
D'Artagnan é um jovem que sonha em ser mosqueteiro igual ao seu pai a algum tempo atrás. Ele quer pertencer a guarda do rei Luis XIII, rei da França. O Sr Treville é um amigo fiel de seu pai e foram mosqueteiros na mesma época, atualmente o senhor é comandante geral dos mosqueteiros a quem o jovem deverá procurar em Paris. Então, chegou a hora, o rapaz, com o apoio de seu pai, segue para a capital. Porém, um incidente acontece no caminho, mas passado o primeiro obstáculo, ele acaba chegando a cidade. O jovem é recebido pelo comandante e tem o seu primeiro contanto com Athos, Porthos e Aramis. O encontro não foi muito amistoso, mas, vida que segue. O jovem teve muitos desentendimentos com os mosqueteiros, registradas em passagens infantis e cômicas, tipo vergonha alheia. Depois de vários incidentes, o jovem cabeça quente, torna-se mosqueteiro e os quatro agora são amigos. Os mosqueteiros, de modo geral, tretam com a guarda do Cardeal Richelieu, o poderoso ministro do rei, vilão da estória. Há uma conspiração do Cardeal contra a rainha Ana D?Áustria. Os amigos se comprometeram a ajudar a dita e sofrem um pouco, porém as coisas acabam tomando um rumo bem satisfatório. Algum tempo depois D'Artagnan percebe um movimento suspeito de uma dama, que depois ele descobre que a senhora trama para desgraçar a rainha e segue na espreita dela. O rapaz consegue descobrir as artimanhas da leide inglesa. Logo depois, começa a guerra contra a Inglaterra. O cardeal tenta ter o jovem sob seu controle, mas ele se recusa, já eh esperto, mas agora sua vida corre risco. Mais uma vez o mosqueteiro com muita astúcia consegue lidar com os seus inimigos e todos os mosqueteiros seguem seu rumo, de boa. E assim, finalizamos essa obra. Na minha opinião: se trata de um romance bem infantil, mas é legal, divertido, tipo seção da tarde.
comentários(0)comente



252 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |