Esperando por Doggo

Esperando por Doggo Mark B. Mills




Resenhas - Esperando por Doggo


45 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Naty 13/03/2020

Histórias que envolvem animais tem o dom de me fazer ficar encantada só pelo fato de eles existirem no enredo. No entanto, o charme desse livro acaba por aí. Não existe um elemento forte e envolvente na história de Dan e Clara. Dan é abandonado por Clara e o que mais intriga o nosso protagonista é que ela simplesmente partiu sem motivo algum. Quatro anos juntos, uma vida regada de união dentro de casa e ela parte sem dar uma explicação. A única coisa que ela faz é deixar uma carta de despedida e um cachorro. Curioso? No mínimo intrigante.

Essa parte inicial deixa o leitor esperando uma surpresa, uma revolução e coisas diferentes. Eles não aparecem. Dan se entristece, como todo o ser humano que tem um coração dentro de si, e não sabe o que fazer com Doggo, não sabe como cuidá-lo e resolve devolver ao mesmo abrigo que Clara o pegou. Acontece que o sentimento de afeto impede o protagonista de fazer isso. No momento em que ele descobre que é preciso castrar o animal, ele prefere tentar cuidar do pobre coitado que também foi abandonado por sua dona.

Ambos começam uma história juntos, algo estranho no início, sem muita aproximação e, de repente, o sentimento passa a brotar. Quando esse bichano entra em sua vida, tudo começa a mudar. Ele consegue um trabalho e Dan precisa levá-lo junto. O querido cachorro, embora feio (como consta na descrição do livro), é a atração na agência de publicidade. A vida do rapaz parece dar uma guinada, até mesmo no lado amoroso, mas algo acontece e pode mudar toda a sua vida. Ele precisa tomar uma grande decisão.

Na verdade, o cãozinho não é o centro da história e acredito que qualquer um que lê o título conclui o contrário – assim como aconteceu comigo. No entanto, senti que a obra passou uma sensação muito rasa de tudo e não consegui me apegar à obra, tampouco ao sofrimento de Dan. Claro que é notório o momento difícil vivido por ele, mas senti pouca emoção enquanto lia – talvez isso tenha sido por ter esperado coisa melhor.

A diagramação do livro é muito fofa e a capa achei bem neutra. Particularmente, a obra em si é bem neutra, sem muitas surpresas, mistérios ou novidades. É uma história para ler sabendo que não irá te surpreender em nada. Se você mergulhar no livro pensando exatamente isso, pode ser que a leitura seja agradável para você.

Quote:
“– Amor?
– Ela sempre procura o amor no lugar errado.
– E onde é o lugar certo?
– Onde quer que seja que você não está procurando.”

site: http://www.revelandosentimentos.com.br/2016/01/resenha-esperando-por-doggo.html
Angela Gabriel 17/03/2020minha estante
Tao ruim quando coisas assim acontecem. A gente lê uma resenha ou vê uma capa e imagina todo um cenário, ainda mais se tiver um "doguinho" ali. E vai ler e a obra não é nada daquilo.
Pior que isso acontecer com tanta frequência, infelizmente.
Não digo que não lerei, mas se ler, saberei bem o que não irei encontrar!
Beijo


Amanda 16/06/2020minha estante
Já vi muito esse livro por aí, mas nunca parei pra ler nada sobre. Acho muito fofo, mas não curto histórias com animais. Também pensei que o foco do livro fosse o cachorro. Já não estava animada e não havia me interessado em ler o livro, depois de saber que é tão sem graça assim então.. hahaha.


Michelle 18/06/2020minha estante
Também curto muito livros com animais, especialmente cachorros.
Parece ser um livro lindo e emocionate.




Ivo 26/05/2020

Leve e bem humorado!
É um livro calmo e com dialogos bem humorados, uma leitura leve!
comentários(0)comente



camilec.b 23/01/2021

"Esperando por Doggo" é um livro que estava na minha estante há muito tempo. Comprei pela capa, pois aparenta ser um livro sobre um cachorro, como "Marley e Eu". Mas a história tem foco na vida de Daniel, que é deixado por sua namorada. Li várias resenhas que criticavam o livro por aparentar ser sobre um cão e na verdade falar sobre a vida de Daniel, dando menos atenção ao Doggo. Tive receio de que o livro fosse péssimo, mas achei uma história bem leve, de fácil interpretação e que recomendaria a outra pessoa.
comentários(0)comente



Larissa Gomes 21/03/2020

Me apaixonei por Doggo, cachorrinho inteligente e fofo. Foi uma história legal mas não muito envolvente.
comentários(0)comente



Dri 07/05/2020

Uma leitura leve e divertida
Sempre li resenhas que tachavam ?Esperando por Doggo? como um livro mediano, então peguei o livro sem muita expectativa. Estava parado há meses na minha estante - comprei numa promoção muito boa, e o escolhi porque gosto muito de cachorros -, mas resolvi pegá-lo agora, durante a quarentena, e após terminar o livro posso afirmar que estou positivamente surpreendida.

A história não tem foco no cachorro, como muitos imaginam ao analisar a capa e a sinopse, mas sim no Dan, o protagonista que acaba de ser abandonado sem muita explicação por Clara, que foi sua namorada por 4 anos. Ao longo do livro você nota que a narrativa, na verdade, se concentra em mostrar Dan se redescobrindo e reencontrando como pessoa, em diversos âmbitos da vida, desde os relacionamentos pessoais até o ramo profissional. E o cachorro se torna parte fundamental da vida dele, em uma relação que é estranha no início, mas evolui até se transformar numa boa amizade. O baque de Clara, na verdade, é o ponto de virada para que ele comece a acordar para a vida, saia da inércia que estava vivendo, e a partir daí ele começa a trilhar novos caminhos que o fazem evoluir.

A escrita de Mark B. Mills é lotada de referências, um ponto que deixa o livro bem divertido. Ele mantém a narrativa fluida e dinâmica, de forma que é possível ler tudo bem rápido - até porque não é um livro de muitas páginas. Uma característica que ele tem é de soltar informações novas na história de repente, sem grandes explicações, para que o leitor entenda mais conforme for evoluindo na leitura. Normalmente não sou muito fã desse estilo, mas em Esperando por Doggo eu gostei bastante. É uma forma de manter a história cativante do início ao fim, e te instiga para ler o resto.

Esperando por Doggo é um bom livro, e se caracteriza como uma leitura relaxante, leve e simples. É uma boa indicação para espairecer e passar um tempo mais tranquilo ao acompanhar Dan, o que é uma ótima ideia durante tempos tão densos quanto uma quarentena, ou para quem simplesmente quer um livro fácil no momento. É como um filme de comédia romântica mesmo - não é perfeito, mas é um passatempo gostoso.
comentários(0)comente



Lomah 01/03/2021

O livro é bem despretensioso. Mostra que nem sempre um término de relacionamento vai te levar ao fundo do poço, talvez só te faça mudar. O relacionamento do Dan com o Doggo vai sendo construído de forma bem sutil e achei super engraçado. Foi uma boa experiência pra mim.
comentários(0)comente



Sereia.literaria 12/11/2020

Esperando por Doggo
Dan e Clara estavam juntos há 4 anos, as coisas não fluíram como Clara desejava. Então ela terminou tudo, parece de repente mas não é. Daniel após a carta de final de relacionamento, decide devolver Doggo ao abrigo, porém, não foi possível. Daniel consegue um emprego na Indology, uma pequena agência de publicidade, ao ser contratado, Daniel tem uma única exigência, Doggo também precisa ir ao trabalho com ele, como Ralph o quer muito acaba cedendo, lá Dan conhece Edith sua colega de trabalho, todos a conhecem como Edie, os dois começam a trabalhar em uma campanha.
Ralph é o dono da agência, Tristan o segundo em comando. Megan é uma tremenda babaca.
Tem outros personagens como Seth, Josh, Clive e Connor, tem a irmã do Dan Emma, sua sobrinha...
Doggo é descrito como um cachorro feio, mas não consigo ter uma imagem feia dele, só consigo pensar em um cachorro pequeno e lindo. Doggo se torna o mensageiro do escritório, entrega as correspondências de todos, menos Megan. Eu queria muito saber o que acontece naquele final.

Cante como se ninguém estivesse ouvindo, ame como se nunca tivesse sido magoado, dance como se ninguém estivesse olhando, e viva como se o céu fosse na Terra.

Mark Twain (1875) tão antiga, mas tão atual.
Viva a vida como se não houvesse amanhã. (eu)


comentários(0)comente



Juliana 14/12/2015

Esperando por Doggo
"Esperando por Doggo" foi escrito por Mark B. Mills, traduzido por Ana Paula Corradini e publicado no Brasil em 2015 pela Editora Novo Conceito. A obra possui 224 páginas divididas em 27 capítulos. A diagramação está muito boa, com letras de tamanho bom e páginas amareladas, o que faz com a leitura flua bem.

Nesse livro, conhecemos Dan, um rapaz achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro.

A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego.

A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto. Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor.

Eu, particularmente, amo animais. E, por este motivo, não costumo ler livros sobre eles, pois tenho medo de algum animal morrer durante a trama. Meu coração simplesmente não aguenta! Todavia, achei a premissa desse livro tão apaziguador que resolvi realizar a leitura.

Sorte minha ter feito essa escolha! O livro me surpreendeu, pois eu esperava algo superficial, bem água com açúcar. Pelo contrário, encontrei uma obra que é capaz de transportar o leitor a um estado de reflexão sobre amor, amizade e sobre a importância das coisas simples do cotidiano que são capazes de nos deixar felizes.

Achei incrível o desenrolar do relacionamento entre Dan e Doggo. No início, a relação entre os personagens não é das melhores, mas, com o passar do tempo Dan encontra em Doggo o amigo fiel que nunca teve.

A linguagem da obra é bem coloquial, o que torna a leitura bem fluída. Não encontrei erros de ortografia ou digitação, se eles existem, passaram despercebidos por mim. Todavia, a narrativa do autor tem muito o que amadurecer. Senti que alguns diálogos são rígidos demais e que algumas passagens não são tão bem desenvolvidas quanto deveriam ser. Por este único motivo foi que o livro não ganhou cinco estrelas. Porém, a premissa e a fofura da história amenizam esse defeito.

Enfim, recomendo o livro a todos que buscam uma leitura leve e, ao mesmo tempo, reflexiva. Àqueles que amam animais e que curtem histórias sobre amor e amizade.

site: http://www.livroseflores.com/2015/12/resenha-esperando-por-doggo-mark-b-mills.html
comentários(0)comente



Susana A. 06/01/2021

Doggo & Dan
Escolhi a leitura por ter julgado ser um livro leve e despretensioso sobre um pet, o tipo de entretenimento que eu precisava me distrair no momento. A surpresa é que Doggo não é o personagem principal, como a capa e o título sugerem. Quanto à expectativa de ser uma leitura leve, fui satisfatoriamente correspondida!
O título do livro não faz sentido durante quase todo o desenvolvimento da história, que aborda majoritariamente a vida de Dan e seus conflitos pessoais, amorosos e profissionais. Doggo, durante a maior parte do enredo, representa um papel de coadjuvante, exercendo seu papel como "Ponto de paz" na vida do protagonista. Mesmo não tendo grande foco, o cachorrinho está sempre ali de alguma forma tornando as tensões da vida adulta muito menos estressantes. No último terço do livro, o cachorrinho tem uma participação mais ativa e relevante, e se consolida como um verdadeiro anjo na vida de Dan.
Não é uma história profunda nem marcante, mas os anseios, decepções e tramas da vida de Dan prendem bem a atenção, tanto na sua vida pessoal, com seus problemas amorosos e familiares, quanto no ambiente competitivo de trabalho em uma agência publicitária.
Como uma pessoa amante e dependente da companhia de cachorros, reconheço que os vínculos criados entre Dan e Doggo são reais e consistentes, e acompanhar o desenvolvimento desta amizade aqueceu meu coração. Ambos dono e pet estavam passando por um momento delicado e de luto, cada um de sua forma, e serviram de apoio mútuo um ao outro.
comentários(0)comente



Lucas 06/01/2016

"- Amor?
- Ela sempre procura o amor no lugar errado.
- E onde é o lugar certo?
- Onde quer que seja que você não está procurando."

Quem me conhece sabe o receio que eu sinto na hora de escolher um livro ou filme em que o personagem principal é um cachorro. Não é que eu não goste do animal, até pelo contrário, se eu pudesse teria vários. O problema é que em alguns dos casos a história pode te traumatizar de uma forma que você pode nunca superar (Marley e Eu está aí para provar). Quando decidi ler 'Esperando por Doggo' eu estava preparado para um drama que arrancaria meu coração do peito, mas ao invés disso eu encontrei uma história tão gostosa que é difícil esquecer quando a leitura acaba.

Tudo começa quando Daniel chega em casa e encontra uma carta de Clara, sua namorada. Na carta, Clara diz que está indo embora. Não diz para onde, nem o motivo. Leva tudo consigo, deixando para trás apenas o coração de Daniel, e Doggo, o cachorro recém adotado pelo casal.

"Você jamais poderia descrever Doggo como 'esguio'. Ele é um vira-lata baixinho, gordinho, comum, honesto e passado de mão em mão. Mesmo assim, ele parece não ter a menor ideia de que é assim."

Por não ter uma boa convivência com o cachorro, Daniel resolve levar Doggo de volta para o abrigo de cães, da qual ele foi adotado. Chegando lá, após uma rápida, e não tão simpática, conversa que teve com a atendente, Daniel acaba dando mais uma chance para o animal e o leva de volta para casa, afinal ele tinha acabado de ser abandonado, não faria o mesmo com Doggo.


Resenha completa no blog Nunca Desnorteados :)

site: http://nuncadesnorteados.blogspot.com.br/2015/12/resenha-esperando-por-doggo.html
comentários(0)comente



Géssica 06/03/2020

Casual
Achei que seria um Marley e eu porém com toque infantil, se mostrou um livro para adultos com problemas bem adultos e uma namorada complicada, o cachorro é a luz
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 06/12/2015

Daniel está em um relacionamento com Clara a quatro anos e até o dia que encontrou seu apartamento sem nenhum vestígio dela e a carta de despedida, ele achava que estava tudo bem, que os dois estavam felizes juntos. Agora ela foi embora deixando para trás, o cão horroroso que ela adotou a três semanas atrás e que não deixa Daniel nem chegar perto dele. Como ele não tem nem ideia de como cuidar de um cachorro, ainda mais um cachorro que se faz de morto quando Dan fala com ele, sua unica opção é devolver o cachorro para o abrigo. Nem nome eles conseguiram dar a ele, de tão esquisito que ele é, por isso eles chamam ele de Doggo. Mas quando ele leva Doggo para devolver e fica sabendo que eles vão castrar ele. Dan muda de ideia e decide ficar com Doggo.

Daniel está desempregado, mas tem uma entrevista agendada na Indology, uma agência de publicidade. Dan é um redator publicitário e sempre trabalhou em dupla com Trev, diretor de arte. Mas Trev estava muito depressivo. Dan até se aproveitou um pouco disso, já que Trev trabalhava melhor assim. Mas quando Trev tentou se matar e teve que se tratar, ele perdeu seu parceiro de trabalho. Quando chega na agencia para a entrevista, ele gosta muito do lugar e percebe que eles querem trabalhar com ele. Ele fará dupla com Edith, nova no ramo. Mas para aceitar o emprego, ele faz uma exigência, Doggo tem que vir para o trabalho com ele. As pessoas que trabalham lá não gostam muito da idéia, mas como o chefe permitiu, todo mundo tem que aceitar Doggo no local.

Mas mesmo com o emprego novo e com a companhia de Doggo, Dan não consegue esquecer tudo o que viveu com Clara. Seu melhor amigo J, diz que agora que ela foi embora mesmo, ele pode dizer que nunca gostou dela. Mas Dan não consegue enxergar nada de ruim em Clara. Até mesmo Polly, irmã mais nova de Clara, tem um certo rancor da irmã e diz que ela sempre foi egoísta. Polly e Dan acabam ficando juntos. Dan nem tinha repado em Polly até agora, mas quando Clara disse na carta que ele não chegasse perto da irmã dela, que Polly tinha uma queda por ele, ele fez questão de que isso acontecesse. O tempo vai passando e Doggo, o cão feio, que de tão esquisito não dá nem para saber sua raça, vai conquistado todas as pessoas a seu redor e acaba se tornando não só a inspiração de Daniel, mas seu amigo também.

"Mas não revido, porque, quando estou prestes a fazer isso, Doggo muda de posição e sinto a pressão do corpinho quente dele contra a minha perna. Geralmente ele não faz isso - ele não gosta muito de contato físico - e, enquanto fico pensando nisso, o momento passa, e a minha raiva começa a passar também de maneira misteriosa."

Esperando por Doggo foi uma bela supresa. Quando vi, pensei, mais uma história triste de cachorro. Mas não é nada disso. A história é leve, fofa e divertida. Daquelas ideais para ler depois de um livro mais pesado. Fala de como ter um animal, principalmente um cachorro, pode mudar a vida de alguém. Ainda mais se ele for um animal tão especial quanto Doggo. E também fala do famoso ditado quem vê cara não vê coração, porque quando as pessoas olham para Doggo, elas veem um cachorro muito feio e esquisito, mas depois que começam a conviver com ele, elas percebem que Doggo e perfeito por dentro. Ele é leal, engraçado e olha para as pessoas como se fosse uma delas. Ele consegue falar com seu olhar.

Quanto aos personagens, uma coisa que gostei muito foi que o autor criou pessoas que tem defeitos como todos nós. Daniel acaba de levar um fora da namorada, mas ele ainda gosta dela. Ele fica mal por isso, por não conseguir odiar a pessoa que o abandonou. E ele ainda está desempregado e sem seu parceiro, é como se ele tivesse que começar tudo de novo, só que bem mais velho agora. E quem vai ajudar Daniel a recomeçar é Doggo. Mas não é só Daniel que ele ajuda, ele acaba fazendo a diferença na vida de todas as pessoas que convivem com ele. Os personagens secundários são todos interessantes. Como disse acima é uma história leve, que não é indicada somente para quem gosta de cachorros, porque apesar da história girar em torno dele, ele só se faz presente em momentos específicos. A diagramação esta linda e temos um osso para separar os meios dos capítulos. E a capa apesar de simples, eu amei.

site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2015/11/resenha-esperando-por-doggo-mark-b-mills.html
comentários(0)comente



EuVocê&oslivros 08/12/2015

Um livro leve e surpreendente
Haverá dias em que teremos certeza que a vida nos odeia, que tudo só dá errado porque é você o jogador, não passa por nossa cabeça que tudo tem um propósito, um porquê, uma explicação. Dan vive em um desses momentos, sua vida lhe deu um chute na bunda da pior maneira possível, e agora para piorar tudo de vez, sua história envolve um cachorro que se quer gosta dele.
Que grata surpresa esse livro, eu já sou meio que fissurada em livros com cachorro envolvido e Esperando por Doggo mais que me agradou, me surpreendeu de verdade, pela sua leveza e pureza, por me proporcionar uma agradável viagem em que eu me pegava sorrindo para o livro e me divertindo com os erros reais dos personagens.
A história começa quando Dan em um determinado dia chega em casa e não encontra Clara, sua namorada e com quem pretendia se casar, havia apenas uma carta em que ela se despedia sem direcionar seu destino. Mas, o que?! Como assim, do nada?! E de relance lá estava ele lhe observando, Doggo foi uma invenção de Clara, o cachorrinho mais feio que já tinha visto, que nem sequer gostava de Dan... Mas que tinha algo em comum com ele, ambos não estavam nos planos de Clara.
A princípio o plano era muito fácil, Dan estava desempregado mas tinha um futuro promissor na área de Publicidade, e uma entrevista já marcada. Enquanto aguardava o desenrolar de sua vida profissional, Dan levaria Doggo de volta para o abrigo de onde Clara havia decido lhe adotar. Muito fácil, já que não havia sentimento algum envolvido.
O que ele não esperava é que ao chegar lá, lhe dessem uma condição nada agradável para que devolvesse Doggo. Segundo ele, uma atrocidade tamanha, que ele não permitiria. E foi assim que com a promessa de retornar, Dan decide ficar com o cachorrinho estranho.
Para sua sorte, foi aceito e agora faz parte de uma agência que está crescendo aos poucos. Mas havia uma condição para fazer parte daquele time, Doggo teria que ir trabalhar com ele, não havia outra possibilidade já que o cachorrinho não tinha com quem ficar e ele não o deixaria trancado o dia inteiro, entrando em um abismo de uma depressão profunda.
O dia-a-dia na agência proporciona acontecimentos turbulentos em sua vida, as pessoas envolvidas não são nem de longe normais, sua dupla é talentosa e dedicada e também muito bonita, mas a sua raiva pela ex não diminui e uma vingança nada branda acontece. Enquanto esse enredo se transforma, Doggo vai se tornando um amuleto mais que especial.
O cachorrinho feio que foge dos padrões de preferência, se torna cada dia mais encantador e essencial na vida daqueles que estão em sua volta, principalmente na vida de Dan, com quem aos poucos vai fortalecendo o vínculo e transformando sua vida.
Comentários:
Doggo é um cachorrinho muito especial e que tem uma personalidade singular. Ele sabe exatamente o que está fazendo, e eu não estou brincando. Você com certeza irá se apaixonar por ele, e o enredo nos faz abordar um tema bem atual que venho notando pelas redes sociais. A preferência das pessoas por cachorros de raças, gente isso não existe, leiam esse livro e entenderão a grandeza que um cachorrinho pode trazer para sua vida, independentemente da qualidade de seus pelos e seu pedigree.
Os personagens são encantadores, com seus erros e acertos que nos aproximam e nos ajuda a entende-los. A relação de Doggo e Dan foi uma transformação mais que doce, que encantará a todos que lerem esse livro.
A capa é simples mas pura assim como a história, não julguem o livro por ela, tenho certeza que se encantará com a leitura. A diagramação da Novo Conceito como sempre está maravilhosa, mais um super acerto da editora. Esperando por Doggo entrou na minha lista de livros xodós.
Beijos e até a próxima.
www.euvoceeoslivros.com

site: www.euvoceeoslivros.com
comentários(0)comente



Wemerson 24/12/2015

"Ele é apenas um cachorro pequenininho e feio."
Dan acreditava que seu relacionamento com Clara era feliz, mas, de uma hora para outra, ela desaparece deixando apenas uma carta explicando o motivo do seu desaparecimento e um cachorro, onde Dan teria que devolvê-lo já que Clara o adotou numa tentativa de ajudar seu relacionamento. Além disso, Dan também precisa encontrar um novo emprego.

Com o passar dos dias, o cãozinho acaba encantando o Dan que não tem coragem de abandoná-lo, assim começa a desfrutar da companhia de Doggo.

Sim! Mais um livro que aborda algo relacionado a "cachorro", mas esse é um pouco diferente, pois acompanhamos o desenrolar de uma grande e verdadeira amizade, nada superficial.

De uma forma simples o livro te surpreende tornando a leitura bem fluida. Mas, percebi que algumas passagens não são tão bem desenvolvidas e alguns diálogos são rígidos demais. Porém, a premissa e a história amenizam quaisquer defeitos.

Parece que a Novo Conceito gosta de me fazer chorar... A maioria dos livros que foi publicado esse ano pela editora me deixou com o coração na mão e muitas vezes caíram alguns cílios dentro dos meus olhos. rsrs

Recomendo o livro a todos que buscam uma leitura leve e ao mesmo tempo reflexiva, àqueles que assim como eu, amam animas e histórias sobre amor e amizade.

site: www.nerdbooksblog.wordpress.com
comentários(0)comente



Vanessa Sueroz 05/01/2016

Neste livro iremos conhecer Daniel, um jovem que está com a vida dos avessos. Sua namorada de quatro anos, Clara, o abandonou deixado apenas uma carta e o seu cachorro. ,Logo Daniel se vê procurando emprego e tentando cuidar de Doggo. Ele tentou levar o cachorro para um abrigo, ou deixa-lo sozinho, mas logo desistiu e acabou com uma companhia.

“Mas não revido, porque, quando estou prestes a fazer isso, Doggo muda de posição e sinto a pressão do corpinho quente dele contra a minha perna. Geralmente ele não faz isso – ele não gosta muito de contato físico – e, enquanto fico pensando nisso, o momento passa, e a minha raiva começa a passar também de maneira misteriosa.”
Não demora muito para ele encontrar em emprego que aceita Doggo, e logo ele faz alguns bons amigos e começa a esquecer Clara. Doggo é incrivelmente feio, mas fofo e encantador, ele vive fazendo o que é certo e ajudando Daniel. Ele é que proporciona os momentos engraçados do livro.

Resenha completa no blog:

site: http://blog.vanessasueroz.com.br/esperando-por-doggo/
comentários(0)comente



45 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3