Uma História Incomum Sobre Livros e Magia

Uma História Incomum Sobre Livros e Magia Lisa Papademetriou




Resenhas - Uma História Incomum Sobre Livros e Magia


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Mari Siqueira 29/03/2016

Mágico, sensível, extraordinário!
Mágico! Com uma história, de fato, incomum, o livro de Lisa Papademetriou é fantástico em todos os sentidos. Sua narrativa sensível, rica em detalhes, apaixona e encanta. Já nas primeiras linhas algo estranho acontece, um sentimento preenche nossos corações e a magia toma a forma de palavras.

Uma História Incomum Sobre Livros e Magia é, como seu próprio título adverte, diferente de qualquer coisa que você já tenha lido. Peculiar e único, este é um conto mágico sobre pessoas absolutamente ordinárias. Pessoas que como nós, leitores, buscam um pouco de aventura para suas realidades e vivem nas páginas de um livro mil vidas diferentes.

Entrelaçando a vida de duas garotas que estão separadas por oceanos de distância, esta história mostra como nossas escolhas podem afetar pessoas que nem sequer conhecemos. Lisa Papademetriou mistura mitologia e ciência com absoluta perfeição, duas teses distintas e complementares fundamentam sua obra. O destino, como na lenda de Akai-Ito, nos une por fios invisíveis e as nossas escolhas, como na Teoria do Efeito Borboleta, podem gerar efeitos grandiosos.

Kai e Leila não se conhecem, mas as duas têm muito em comum. Ambas estão passando um tempo com parentes distantes. Solitárias, elas tentam se adaptar às suas novas realidades. Kai em uma cidade pequena no interior dos Estados Unidos e Leila no Paquistão. A sede por aventuras as motiva a explorar os ambientes que serão seu lar pelos próximos meses e nessas explorações elas encontram, cada uma à sua maneira, um exemplar de O Cadáver Excêntrico.

O misterioso livro está em branco e pede que uma história seja escrita por aquele que o encontrar. Porém, não uma história qualquer. Cada um deve escrever a partir do ponto de onde o último escritor parou, complementando o trecho com suas próprias palavras. Simultaneamente, as duas garotas percebem que a história se conta, mas que elas precisam continuar escrevendo para descobrir o final. Afinal, o que somos além de um apanhado de experiências, de conhecimentos construídos em conjunto?

O Cadáver Excêntrico conta sua própria história de forma mágica, mas precisa da fé dessas duas garotinhas para existir, assim como precisa da nossa fé para fazer sentido. Lendo o livro dentro do livro, conhecemos a história de Ralph Flabbergast e sua jornada em busca da mágica, aquele momento especial em que algo extraordinário se torna realidade.

Repleto de metáforas é um livro que fala, sobretudo, de amor. Amor pelas mariposas, pela mágica, pela música e pelos livros. Cada um de nós é apaixonado por alguma coisa e é nesse amor que reside nossa própria magia. Vivemos tão presos em caixas, caixotes e caixões, esperando pelo final que esquecemos o quanto a vida é bonita, especial e imprevisível. Devemos escrever o futuro com sonhos e abrir nossas asas para encontrá-lo, como mariposas, sem medo da luz.

"- É uma história maravilhosa. Quase como música. Uma combinação de melodias diferentes.
- Ou como um passe de mágica.
- É verdade." (p. 112)

site: http://sobreamorelivros.blogspot.com
comentários(0)comente



Juliana Garcez 01/04/2016

Um pouco de cultura <3
Uma História Incomum Sobre Livros e Magia foi escrito por Lisa Papademetriou, traduzido por Carolina Alfaro e publicado no Brasil em 2016 pela Editora Arqueiro.

A obra possui 192 páginas divididas em 17 capítulos. A obra é narrada em terceira pessoa, por um(a) narrador(a) muito engraçado(a)!

No livro, conhecemos Kai e Leila, duas garotas que encontram O cadáver excêntrico - um livro mágico que possui todas as páginas brancas.

A história se passa tanto nos Estados Unidos como no Paquistão, o que torna tudo muito mais interessante.

Kai chega ao Texas para visitar sua tia-avó Lavinia uma senhora extravagante, durona e fã de hip-hop. Enquanto Leila, no Paquistão, visita a família do pai e deseja ser tratada como uma princesa e viver fortes emoções.

O destino das duas meninas se cruza graças ao livro mágico que encontraram. Basta apenas escrever uma frase que o livro conta toda uma história sozinho!

Quando Kai escreve no livro, suas palavras magicamente aparecem no exemplar de Leila. As meninas então percebem que O cadáver excêntrico reage a cada frase acrescentada.

Como supracitado, a história se passa tanto nos Estados Unidos quanto no Paquistão. Isso torna as coisas muito interessantes, pois o tempo todo somos introduzidos a hábitos dessas culturas e acabamos aprendendo muito sem nem nos dar conta!

A narrativa desse livro é bem diferenciada. Confesso que é algo inusitado para mim, mas que acabei gostando muito! Achei muito divertida a forma direta e espontânea que a autora encontrou de se comunicar com o leitor.

Os capítulos são intercalados entre o que se passa com Kai e Leila. Dessa maneira, vemo-nos diante de uma rede de histórias que se conectam pouco a pouco.

A edição está impecável! Essa capa é maravilhosa e os detalhes que compõem a obra também. Muito amor!

site: http://www.livroseflores.com/2016/04/resenha-uma-historia-incomum-sobre.html
comentários(0)comente



CuraLeitura 31/01/2017

Kai e Leila são duas adolescentes que desejam fazer grandes coisas. Kai, diferente das pessoas da sua idade, a esquisitona da escola, ama tocar violino e quer realizar o sonho de seu falecido pai: entrar para uma orquestra e ser uma violinista "de verdade". Já Leila, sempre à sombra da irmã, Nádia, deseja ter suas próprias aventuras e o orgulho e reconhecimento dos seus pais. Kai e Leila não se conhecem.
Tanto no Texas quanto no Paquistão, onde Kai e Leila estão, respectivamente, existe um livro que chama a atenção das duas meninas: O cadáver excêntrico. De letras douradas e páginas em branco, o livro é um mistério.
Quando Kai, frustrada, escreve nele, a história começa a se desenvolver. Tanto no livro quanto na vida de ambas as garotas. O cadáver excêntrico, usando das frases deixadas pelas meninas (só as que interessam ao livro, claro, pois ele é inteligente) começa a narrar a história de Ralph Flabbergast e, futuramente, de seu romance com Edwina Pickle.
Violino, música, mariposas, Caixão Americano. Tudo vai se encaixando ao longo do livro em uma história surpreendente. O final é i-n-c-r-í-v-e-l!

Inaceitável. Quero um final feliz.

E nós temos um final feliz. Não posso dizer qual é, mas quem quiser saber se Ralph e Edwina ficaram juntos, o que aconteceu com Kai e Leila e a revelação bombástica é só ler o livro. Ele é pequeno (só 190 páginas) e muito gostoso de ler. É mágico, é lindo, é fantástico! Dá para ler em um dia ou dois.
O que eu posso falar é que é um livro tão bom que devia ser lido por todos, independente da idade. Afinal, não existe idade para a magia, não é?
E eu tenho um livro mágico!

site: www.curaleitura.com.br
comentários(0)comente



Thunder Wave 06/04/2016

Uma História Incomum Sobre Livros e Magia pode parecer um longo título para um livro, mas diz exatamente qual seu conteúdo, é incomum e com muita magia!

A obra mostra a história de duas meninas, Kai, que está no Texas e Leila, que se encontra no Paquistão. As duas estão temporariamente na casa de parentes e encontram uma edição do livro O Cadáver Excêntrico, que se diz mágico e tem como proposta um jogo, onde uma primeira pessoa começa a escrever uma história, a segunda continua, volta para a primeira e assim por diante.

Enquanto acompanhamos os acontecimentos na vida das garotas, temos os ganchos em pequenos momentos para mostrar a história que está sendo revelada aos pouco no O Cadáver Excêntrico.

Uma História Incomum Sobre Livros e Magia é um livro pequeno, tem 192 páginas, porém cativante. É daquele tipo de leitura que se termina em um dia, não só por ser curto, mas por ter um enredo envolvente e uma narrativa fluida e divertida. Lisa Papademetriou usa a famosa quebra da quarta parede, que é quando o narrador conversa com o leitor, e isso funciona muito aqui, deixa a leitura ainda mais gostosa.

Como nem tudo na vida é perfeito, tenho uma ressalva sobre Uma História Incomum Sobre Livros e Magia. Não tenho problemas com livros onde tudo acontece muito rápido, na realidade eu prefiro, pois assim não tem enrolação ou se torna cansativo. Porém, aqui fiquei com a impressão de que algumas coisas ficaram no ar, alguns detalhes, principalmente sobre a Leila, foram exibidos e ignorados a partir de certo momento. Não consegui descobrir se esse livro tem alguma continuação futura, se tiver, os detalhes foram muito bem colocados, mas se não, algumas coisas ficaram sem serem resolvidas. Além disso, as cenas ficam mais corridas quando passa da metade.

Veja mais no link

site: http://thunderwave.com.br/resenha-uma-historia-incomum-sobre-livros-e-magia-lisa-papademetriou/
comentários(0)comente



C. Aguiar 23/05/2016

Kai acaba de chegar no estado do Texas para visitar sua tia-avó Lavinia, uma mulher muito extravagante e bem diferente do que a garota está acostumada. Mas, nada disso importa porque a viagem mágica de Kai acabou de começar no momento que ela resolveu explorar a casa e acabou deparando-se com um livro, O Cadáver Excêntrico.

Do outro lado do mundo está Leila. Uma garota comum que sonha em viver uma aventura parecia com as que ela lê nos livros das Irmãs Amadas, mas o destino reserva para ela algo muito diferente, pois enquanto observa a biblioteca particular na casa do tio ela depara-se com um exemplar do livro O Cadáver Excêntrico.

O livro O Cadáver Excêntrico reage a cada frase acrescentada por Leila ou Kai, e as garotas começam a descobrir que a história vai surgindo aos poucos nas páginas que antes estavam em branco. A história que surge envolve Ralph e Edwina, mas isso vai muito mais além do que magia, pois a história de amor do casal aconteceu a mais de cinquenta anos atrás e não trata-se apenas de uma história nas páginas de um livro, e sim de algo muito real.

O livro tem uma premissa interessante e envolvente. A leitura foi prazerosa e apesar de ser uma história curta fiquei demorando na leitura para viajar um pouco no mistério que envolvia o livro e as duas garotas.
Apesar de ter gostado muito de como tudo está interligado com a vida de Kai e Leila, eu achei o final muito rápido e pouco trabalhado. Você imagina tanta coisa acontecendo e acaba acontecendo bem mais do que você imagina, mas é tudo de forma tão rápida que não pude nem assimilar direito o que aconteceu.

Os personagens são bem trabalhados na medida do possível, pois por ser um livro curto não dá para aprofundar-se muito nas coisas, mas isso não atrapalha em nada a leitura. É aquele tipo de livro para ler sem qualquer "compromisso" e apenas aproveitar a magia que envolve a história.
Apesar do final não ser tão trabalhado, não estraga a magia que o livro proporciona no decorrer da leitura.

A diagramação está muito linda, os capítulos intercalam entre as duas personagens principais e não achei qualquer erro de português. Inclusive a editora está de parabéns pelo trabalho feito no exemplar.

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/
comentários(0)comente



Gio 30/04/2016

Lindo!
História linda e deliciosa de ler! Vale a pena!
comentários(0)comente



Nicole 03/02/2017

Kai e Leila não se conhecem, mas partilham algo em comum: ambas estão fora visitando seus parentes. Enquanto Kai está no Texas, Leila está do outro lado do mundo, no Paquistão. Exceto por isso elas não têm mais nada em comum, certo? Errado.

"Ela nem sempre precisava compreender o que estava acontecendo para continuar avançar."

Ambas encontram um exemplar de um livro misterioso chamado O Cadáver Excêntrico, que parece ter vida própria ao escrever sozinho a história de um jovem casal, Ralph e Edwina.

Enquanto cada uma dessas duas meninas vão vivendo suas próprias aventuras, elas vão descobrindo mais sobre a mágica história que reage a cada frase que elas adicionam no livro, que apesar de não parecer, envolve a vida de cada uma.

" - Tudo é mágico - disse - O céu, as estrelas, o mundo inteiro. É uma milagre, se a gente pensar bem."

Em primeiro lugar, eu gostaria de compartilhar com vocês que eu simplesmente amei a capa e a diagramação do livro! É simples e tão linda ao mesmo tempo que é impossível não ficar admirando cada detalhe por um bom tempo.

Outra coisa que me encantou, foi o fato da narradora falar com o leitor. Isso faz com que nos aproximemo-nos mais da história, que já é cativante por si só. Os capítulos são alternados entre a Leila e a Kai, e no final deles, há a continuação da história de Ralph e Edwina.

" - Algumas coisas são mais mágicas do que outras."

No começo, eu me perguntei várias vezes qual o sentido da Leila na trama, pois para mim só havia conexão com a história da Kai. Mas eu estava muitoooo enganada rs. Tudo tem seu tempo certo e consequentemente tudo se amarra no final.

Enfim, o livro todo é muito encantador; a história flui de uma maneira bem rápida e simples e recomendo a todos que gostam de uma pitada de magia ;)

Até mais e Foca na Leitura!

site: http://choqueliterario.blogspot.com.br/2016/04/falando-sobre-uma-historia-incomum.html
comentários(0)comente



Michele B. 14/02/2017

Kai e Leila são duas garotas que não se conhecem, mas que têm mais em comum do que se poderia pensar à primeira vista. Enquanto Kai passa o verão no Texas com sua tia-avó, Leila se encontra no Paquistão visitando a família do seu pai. Ambas estão distantes de casa e de seus costumes, visitando parentes e sentindo-se um tanto quanto inseguras e deslocadas, afinal tudo é novo e fora do contexto que ambas estavam acostumadas a seguir.

Kai fica completamente sem jeito pela autonomia e possibilidades que sua tia-avó fornece, tendo em vista que sua mãe autoritária jamais iria permitir tanta liberdade de escolhas, bem como a capacidade de transitar livremente. Enquanto isso, Leila aflige-se com os costumes locais no Paquistão ou em fazer algo que esteja fora das regras culturais daquele país.

E o que as histórias possuem em comum? Ambas descobrem um livro incomum nas casas que estão hospedadas, chamado de O cadáver Excêntrico. O que o livro tinha de especial? Ele era repleto de páginas em branco. Assim, motivadas pela curiosidade, Kai e Leila começam a escrever no livro, é então moçada que a história realmente começa... As palavras de Kai aparecem no livro de Leila e pasmem vocês, as palavras de Leila aparecem no livro de Kai. Para mais espanto, frases começam a brotar por vontade própria, revelando uma história intrigante que relaciona a vida de Keila e Leila de maneira extraordinária.

[...] Kai passou a mão pelas letras douradas da capa. Sentiu uma onda de tristeza, embora não soubesse por quê. Não sabia que, às vezes, encontrar um amigo de verdade pode nos fazer perceber melhor a solidão que há na nossa vida até aquele momento [...].

Leia o restante no Blog:

site: http://www.lostgirlygirl.com/2016/06/resenha-922-uma-historia-incomum-sobre.html
comentários(0)comente



Helana O'hara 30/04/2016

Um livro bem juvenil
A capa desse livro já chama o leitor para a história. Um título curioso, uma capa alaranjada divertida com uma mariposa na frente.
O livro é fino com 190 páginas, 17 capítulos divididos entre Kai e Leila, cada uma contando sua perspectiva da história.

Inicialmente conhecemos Kai, que está no Texas, e sua tia-avó Lavinia. Kai vai passar uma temporada na casa dela depois de alguns acontecimentos. E para ela pode ser bom. Lavinia é uma mulher já idosa, mas não aparenta ter a idade que tem, mora em uma casa bem diferente do que pode-se dizer normal. Ao chegar na casa e ter uma breve conversa com sua tia, Kai foi explorando a casa e acabou esbarrando em um livro misterioso O Cadáver Excêntrico, ela sentiu algo diferente dele. De bobeira escreveu algumas palavras nele e jogou o livro num canto.
No outro lado do Mundo, no Paquistão esta Leila. A garota esta observando uma biblioteca, onde os livros e suas lombadas, até que se deparou com um exemplar de O Cadáver Excêntrico e o levou consigo.
O que essas meninas não sabem é que tudo que uma escreve no livro aparece no outro.Aparentemente criando uma história, ou o livro escreve sozinho?
Junto com Ralph, o protagonista do livro, Kai e Leila vão descobrir coisas bem curiosas e misteriosamente vão se comunicar por palavras. Um livro incomum e cheio de magia.

Bom, pelo pequeno resumo do livro, percebe-se que ele é meio confuso, certo? Certíssimo. Ele não funcionou muito bem para mim porque eu o achei bem confuso.
Quem é leitor do blog a muito tempo já sabe que sou disléxica e livros confusos são uma complicação pra mim. Mas acreditem, a cada capítulo que eu lia, compreendia um pouco mais da história de Kai e Leila, que no final foi até bem surpreendente pra mim.

Uma história Incomum Sobre Livros e Magia, é um livro com narrativa simples, leitura começa começa um pouco lenta, mas vai se tornando um pouco interessante.
Autora soube segurar o mistério do livro muito bem, confesso que lia tentando entender o que aquele livro queria dizer as meninas.
Por outro lado, autora deixou a desejar em muitas coisas, além de achar ele confuso, a história poderia ter sido melhor aproveitada, melhor explorada.
Kai foi uma personagem bem escrita, a história dela no livro era curiosa e divertida. Já Leila, no meu ponto de vista poderia ter sido mais elaborada, assim como Lavinia, que acredito poderia ter uma história só dela. Acredito que ambas poderiam ser melhor trabalhadas.

Digo que Kai foi melhor trabalhada, talvez por ela ser de fato a protagonista do livro. A história dela tem muito mais a ver com a mariposa da capa também #ficadica. É um ponto positivo que temos no livro, outro, é todo o mistério do Cadáver Excêntrico e alguns acontecimentos que rondam nas partes da Kai.

Criei bastante expectativa num livro que não me trouxe muita coisa. Infelizmente.
Por fim, Uma História Incomum Sobre Livros e Magia, seja um livro para outro tipo de público, mais jovem talvez. Um livro com narrativa leve, curioso até certo ponto. Mas não crie expectativas.
comentários(0)comente



Giu 22/02/2017

Leila e Kai são duas adolescentes que vivem em locais bem distantes uma da outra, já que uma está no Texas e a outra se encontra no Paquistão. Mesmo não se conhecendo e aparentemente não tendo nada em comum, seus caminhos estão ligados de alguma forma.

Kai tem doze anos e viaja para o Texas para visitar sua avó e, em uma busca pela biblioteca da avó, a garota encontra um livro antigo que logo lhe chama atenção por causa de seu título, O Cadáver Excêntrico. O livro não tem nenhuma informação ou história, o que deixa Kai frustrada. Ela apenas escreve uma frase e guarda-o novamente na prateleira.

Já Leila está passando férias com os tios paternos no Paquistão e seu sonho é ser tratada como um princesa e acredita que nessa viajem, irá viver diversas aventuras, assim como em seu livro favorito. Mas como ela não conhece muito os hábitos e a cultura de seus familiares, a garota prefere visitar a biblioteca dos tios e,e por isso, prefere ler e assim como Kai, ela também encontra um exemplar de O Cadáver Excêntrico.

E surpreendentemente, o livro passa a interagir com as duas garotas e reage a cada frase que elas escrevem em suas páginas, criando uma história de amor inesperada. Em lugares diferentes do mundo, Kai e Leila se interessam pela história de Ralph e Edwina e torcem para um final feliz dos dois. Elas apenas escrevem pequenas frases e o livro se encarrega de preencher o resto da história.

Porém, junto com a história, começam a aparecer algumas notas no livro, deixando as garotas intrigadas e curiosas para saber as respostas e o mistério por trás do livro que se escrever sozinho.

A cada detalhe que é contado sobre a vida do casal, as respostas vão sendo respondidas e, apesar de toda a magia que o livro contém, a história pode parecer bem mais real do que elas imaginam, já que indiretamente, a história começa a entrelaçar as vidas de Kai e Leila.

Os capítulos são intercalados entre as duas garotas e, apesar de viverem mundos completamente opostos, o modo de pensar e agir de Kai e Leila são muito semelhantes. As duas são sonhadoras e querem explorar o mundo, mas também têm medo de decepcionar alguém, já que são bem ligadas à família. E eu devo comentar que adorei o Ralph!

Fazia bastante tempo que eu não lia uma história clichê, e acabei gostando bastante de Uma história incomum sobre livros e magia, apesar de ter demorado bastante para entrar no ritmo da história, já que o começo do livro não me agradou muito. Mas eu continuei a ler e achei que a autora fez um ótimo trabalho. Como as histórias alternam entre as personagens, o livro flui bem mais rápido do que eu imaginava e foi uma leitura agradável e leve. Achei que alguns pontos poderiam ser melhores desenvolvidos, mas mesmo assim, a história não deixa de ser ótima.

site: http://meucontodefada.blogspot.com.br/2017/02/resenha-uma-historia-incomum-sobre.html
comentários(0)comente



Ana - @chalecult 12/04/2016

Pura magia...
Uma História Incomum Sobre Livros e Magia é daquelas histórias encantadoras e viciante que você começa a ler e não vê a hora passar, quando se espanta o livro já terminou. Nesta trama teremos a história de duas adolescentes em torno dos 12/13 anos que encontram um livro diferente, livro este que está com suas páginas em branco, mas quando Kai escreve uma frase, percebe que o livro ganha vida e continua a história. Kai está nos Estados Unidos, passando um tempo com sua avó. Enquanto Leila está no Paquistão visitando parentes também. Elas não se conhecem, mas terão seu destino ligado por este livro. Leila também irá encontrar um exemplar do livro, e também acabará interagindo, escrevendo nele, assim dando continuidade na história, mesmo sem saber o que exatamente está acontecendo.

Enquanto elas tentam entender que livro mágico é este, as duas tentam se encaixar na nova rotina, com novos amigos e aventuras. Assim vamos acompanhando estas duas meninas nesta fase. Escrevendo uma história e vivendo outra que talvez possa acabar se interligando, vida real e ficção.
Kai é quieta, gosta de música, e sossego. E ao chegar à casa da avó faz amizade com Doodle, uma menina muito legal e que ama borboletas e mariposas. Juntas irão atrás de uma mariposa muito especial. Mas como nada são flores, tem um garoto chato que quer atrapalhar seus planos. Mas nesta hora Kai mostra que sabe ser bem inquieta quando necessário.

Leila é um doce, e é apaixonada por livros e finais felizes, tanto, que vive dando cada passo pensando em que sua personagem favorita faria. É uma graça vê-la citando sua personagem nos momentos mais complicados.

Uma fantasia infantojuvenil de escrita fácil, gostosa e rápida, podendo ser apreciada por qualquer idade. Personagens cativantes e inteligentes. Narrado em terceira pessoa por um narrador muito divertido. Adorei a autora ter colocado duas culturas diferentes, pois vamos conhecer duas adolescentes de lugares, costumes diferentes, mas com algo em comum. A magia de um livro. Como o livro tem poder de alcançar diferentes pessoas e mudar suas vidas. Maravilhoso né.

A edição está linda, capa com textura aveludada e muito bonita, a cada capítulo temos ilustração remetendo ao lugar que cada personagem permanece. Livro com orelhas, páginas amarelas e letras no tamanho agradável.

Então fica a dica de um livro curto, divertido e cheio de magia.

Imagens do livro no blog.

site: http://chalecult.blogspot.com.br/2016/04/resenha-uma-historia-incomum-sobre.html#more
comentários(0)comente



Maiara Lima 13/04/2017

"Mas o livro era como a luz. Ela era como a mariposa".
‘Uma história incomum de livros e magia’, da americana Lisa Papademetriou, é uma aqueles livros Sessão da Tarde: queridinho, fofo, tranquilo, leve. É daqueles livros que te ajudam a relaxar ou passar o tempo.

A história é contada através de três perspectivas que vão se interligando e nos contando os acontecimentos aos poucos. Kai é uma adolescente que ama tocar violino, é considerada a esquisita da escola, tem pouca liberdade e deseja se tornar uma violinista profissional e entrar para a orquestra, realizando o grande sonho de seu falecido pai. Leila, também adolescente, é alguém que busca se encontrar, vive na sombra da irmã mais nova, deseja viver uma grande aventura e também ser motivo de orgulho para os pais. Por fim conhecemos Ralph Flabbergast, protagonista de um livro e fio condutor entre as duas garotas.

Enquanto Kai vai ao Texas visitar sua tia-avó Lavínia, uma senhora forte e fã de hip-hop, Leila viaja para o Paquistão em busca da sua grande aventura durante as férias escolares. Mesmo geograficamente distantes e sem conhecer uma a outra, ambas precisam lidar com costumes diferentes e acabam sentindo-se deslocadas e inseguras diante as novas situações.

A história das duas começa a mudar quando encontram um estranho e mágico livro chamado O Cadáver Excêntrico, com letras douradas e páginas em branco. Quando Kai, cansada e frustrada, escreve nele por impulso é que a história realmente se desenrola. As garotas percebem então que o livro reage as frases que elas ali deixam registradas, mas somente aquelas importantes para o desenrolar de sua própria história, narrando a vida de Ralph Flabbergat e seu romance com Edwina Pickle. Enquanto vivem suas próprias aventuras, Kai e Leila vão conhecendo mais sobre a trama do livro, descobrindo sobre sua própria história e vida e desvendando como aquele misterioso livro está ligado a cada uma.

Os capítulos são intercalados entre Kai e Leila e ao final de cada um acompanhamos a narrativa sobre Ralph e Edwina. A escrita é bem tranquila e a leitura flui super bem, podendo ser lido bem rápido e em qualquer idade.
comentários(0)comente



Thaisa 03/05/2016

Uma história para quem acredita em magia...
Depois de passar por um período bem complicado em minha vida, tudo o que estava precisando era de uma leitura leve, divertida e envolvente. Uma História Incomum Sobre Livros é Magia é exatamente assim. Sabe aqueles livros que te surpreendem de maneira bem positiva? Pois é, foi o que aconteceu com esse livro. Um juvenil que trás uma história bobinha mas que ao mesmo tempo é tão linda e tão rica. Ótimo para pessoas cheias de imaginação, que acreditam em magia e adoram finais felizes.

A história nos apresenta três protagonistas diferentes: Kai, Leila e Ralph. Três personagens completamente distintos, com histórias separadas que em determinado momento tem suas vidas entrelaçadas como num passe de mágica. Kai e Leila não se conhecem, moram em cidades diferentes e ambas são apresentadas à história de Ralph através do livro O Cadáver Excêntrico. Calma, as coisas não são tão simples assim.

Os capítulos são alternados entre Kai e Leila e assim podemos acompanhar suas aventuras. Kai vai visitar sua tia-avó Lavinia e lá conhece Doodle, uma texana que adora mariposas e a apresenta ao universo da lepidopterologia. Já Leila viaja para Lahore, no Paquistão, para conhecer sua cultura passando um tempo com o tio. As duas acabam esbarrando de uma maneira inesperada em um exemplar do livro O Cadáver Excêntrico e não fazem ideia de que esse é um livro completamente mágico. O livro possui todas as páginas em branco, aparece do nada nos locais mais inusitados e conforme elas vão escrevendo frases nele, partes da história de Ralph vão aparecendo gradativamente.

Bom, o livro é um juvenil e a princípio parece ser uma história bem infantil e boba. Na verdade sim, ele é bem infantil, mas a autora escreveu tão bem o livro que ele é recomendado para qualquer idade, desde que o leitor tenha um mínimo de imaginação possível. Fiquei encantada com a escrita de Papademetriou e me vi tão envolvida com a história que terminei minha leitura com o coração batendo forte e com aquela sensação boa de finais felizes. Quem me conhece sabe o quanto amo livros que mexem com meus sentimentos e com toda certeza esse é um deles.

Os personagens, tanto os principais quanto os secundários, são bem construídos. Confesso que achei o desenrolar de Kai bem mais interessante e no meu ponto de vista ela realmente é a peça principal da trama. Leila ficou como coadjuvante e só lá pro final que ela se destacou mais e ganhou meu coração.

A narrativa é leve, simples e possui um mistério tão gostoso que leva o leitor a devorar as páginas. O livro é narrado em terceira pessoa e a magia começa a acontecer aqui, pois o narrador conversa com o leitor de uma maneira espontânea e bem divertida. A autora foi muito inteligente ao escrever essa história e se você quer despertar a imaginação de seu filho, recomendo dar esse livro de presente pra ele. Quem sabe até, brincar de Cadáver Excêntrico se você for corajoso!

Estou apaixonada por esse livro. Super recomendo para adolescentes, jovens e adultos também. Adultos que acreditam em magia e adora deixar a imaginação correr solta. Se prepare para mergulhar numa história simples, porém encantadora!

Resenha publicada no blog Minha Contracapa:

site: http://minhacontracapa.com.br/2016/05/resenha-uma-historia-incomum-sobre-livros-e-magia-de-lisa-papademetriou/
comentários(0)comente



Aione 06/04/2016

Quando uma história se assume como altamente incomum desde seu título, já criamos expectativas sobre o que podemos encontrar em suas páginas. Em Uma história incomum sobre livros e magia, Lisa Papademetriou cumpre o prometido através de uma trama inusitada e repleta de magia.

Kia e Leila são garotas que não se conhecem e que estão em lados opostos do mundo: enquanto Kia visita sua tia avó no Texas, Leila visita a família de seu pai no Paquistão. Além de compartilharem uma baixa autoestima, as garotas também acabam por ter em comum um estranho livro denominado O cadáver excêntrico, o qual misteriosamente reage a cada frase por elas escritas: quando uma escreve no livro, a frase aparece no da outra, e um diferente trecho da história de Ralph Flabbergas e Edwina Pickle é acrescentado às misteriosas páginas.

A característica incomum da obra de Lisa Papademetriou se faz desde sua narrativa: em terceira pessoa, as perspectivas de Kia e Leila são apresentadas ao leitor, bem como se vale dessa visão a narrativa encontrada na história contada em O cadáver excêntrico. Contudo, o narrador ou narradora não apenas dá voz aos fatos, uma vez que assume uma voz própria e intercala a narrativa com seus próprios comentários, em primeira pessoa, de forma a dar um ar descontraído e envolvente à leitura.

Inicialmente, por mais que estivesse curiosa tanto pela magia presente nos livros das garotas quanto para compreender como as três histórias se entrelaçariam, demorei um pouco para me envolver com a leitura, mesmo que a narrativa seja leve, fluida e descontraída. O motivo para isso foi que senti falta de um background sobre as personagens: nos é dito que elas estão em férias na casa de parentes, mas não sabemos de onde vieram ou porque ali se encontram, ainda que indícios de suas histórias estejam sutilmente presentes em meio à narrativa. Porém, pouco a pouco os indícios se intensificam, até que as histórias sejam abertamente relatadas, possibilitando compreendermos melhor as garotas e conhecermos mais de seus passados e anseios, além de entendermos o porquê delas estarem onde estão.

Tirado esse ponto, adorei a leitura e a trama criada pela autora. Lisa Papademetriou foi muito feliz em seu quebra cabeça, entregando, aos poucos, as peças ao leitor. Não apenas a história é recheada de aventuras e fantasia, Uma história incomum sobre livros e magia também traz suas pitadas de amor, amizade e mensagens positivas, entregues por meio de uma leitura leve e adorável. Recomendo, sem dúvidas, às crianças de todas as idades!

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2016/04/06/resenha-uma-historia-incomum-sobre-livros-e-magia/
comentários(0)comente



04/01/2017

Sabe aqueles livros fofos que gostamos de ler em uma tarde chuvosa ou quando estamos à procura de uma leitura relaxante e sem compromisso? Uma História Incomum sobre Livros e Magia, UHILM, como vou chamá-lo daqui para frente, cumpre muito o bem o seu papel de história delicinha!
Kai e Leila são duas jovens que estão praticamente em lados opostos do globo. Elas nunca se conheceram. A única coisa que as une, mesmo que indiretamente, é um misterioso e mágico livro que começa a lhes contar uma história que já aconteceu há algum tempo.
Kai está passando um tempo com a tia-avó, uma mulher bastante peculiar, mas com a qual pode descansar um pouco de sua mãe e da perda de seu pai. Já Leila está no Paquistão com os tios, mas sente-se deslocada por não saber a língua nativa e, muitas vezes, boiar na conversa dos familiares.
Ambas as garotas tem suas vidas completamente diferentes, mas algo nelas começa a mudar quando se deparam com O Cadáver Excêntrico. Não bastasse o título estranho do livro, ele está completamente em branco.
Kai é a primeira a interagir com o exemplar, quando ele começa a lhe contar a história de Ralph Flabbergast e como ele conheceu Ewina Pickle, há muitos anos, no mesmo lugar onde Kai agora vive. Ansiosa para conhecer mais detalhes sobre a vida destes personagens, ela se arrisca a "continuar" a história, embora o livro não a obedeça e continue no seu próprio ritmo.
Leila, por outro lado, primeiro tenta se livrar do livro, mas, ao perceber que ele reaparece a todo momento perto de si, fica quase impossível ignorá-lo. Ela começa a acompanhar a história dos mesmos personagens e as intervenções de Kai, sem que ela nem faça ideia de que outra menina também está lendo o mesmo livro.
Cada uma tem suas próprias aventuras e descobertas, mas senti durante todo o livro que Kai ganhou muito mais destaque e desenvoltura do que Leila. Para mim, ela não passou de mera expectadora da história. Kai foi quem realmente cresceu.
Agora, você deve estar pensando: "Ok, na capa temos a silhueta da cidade de Kai, a silhueta da cidade de Leila, arabescos que lembram a cultura paquistanesa, dois braços de meninas sobre um mesmo livro...mas o que aquela borboleta tem a ver com a história?". Eu digo: muita coisa! A mariposa-celestial é um dos pontos mais abordados no livro, principalmente porque trata-se de um inseto que teria desaparecido da região de Kai, mas que é muito citado n'O Cadáver Excêntrico. Por quê? Ora, se eu contar muito, a surpresa estraga!
Toda a história tem um quê de mágica, mas sem grandes surpresas. O ponto alto de UHILM é a descoberta de como essas duas meninas, aparentemente, sem nada em comum, na verdade tem um papel importante diretamente relacionado a O Cadáver Excêntrico.
Como mencionei antes, Kai, notoriamente, tem um destaque e evolução muito maiores do livro do que Leila, o que eu achei um pouco injusto, já que a menina também tinha grande potencial de se desenvolver. Algumas cenas com ela, inclusive, acabaram ficando um pouco exageradas, como se a autora quisesse dar emoção à personagem, mas eu acho que ela pedia um pouco mais de destaque e não de emoção.
O final é uma fofura, ele não deixa aberto para continuações, mas, ao mesmo tempo, convida o leitor a imaginar o que viria dali para frente. Todas as pontas soltas são amarradas e O Cadáver Excêntrico acaba tornando-se uma ótima ideia de jogo para fazer com os amigos. Afinal, que história criada por tantas cabeças não poderia ser divertida?
Embora em certos momentos você sinta raiva da família de Leila, ao perceber que a irmã mais nova sempre a ofusca e, como se não bastasse, a própria história de Papademetriou também a ofusca, é impossível não torcer para que ela também tenha seu próprio final feliz.
A edição da Arqueiro está linda, a capa tem um toque aveludado que eu simplesmente amo nos livros! A diagramação está confortável e o trabalho artístico nas páginas dá todo um toque delicado à leitura.
Realmente é um livro para ler a qualquer momento e guardar sempre perto do coração. Talvez você não o ache a história mais revolucionária de todas, pode até achar um pouco bobinha. Mas é aquele bobinho que nós procuramos sempre que precisamos de alguma história aconchegante. E Uma História Incomum sobre Livros e Magia é uma história super aconchegante!

site: http://www.onlythestrong-survive.com.br/2016/08/resenha-uma-historia-incomum-sobre.html
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3