Cilada Para Um Marquês

Cilada Para Um Marquês Sarah MacLean




Resenhas - Cilada para um Marquês


99 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Isabela.Lopes 15/04/2018

Várias lições a serem aprendidas
Fazia tempo que uma história não me prendia tanto. A autora nos faz refletir sobre o que é mais importante, o que os outros esperam de nós ou o que nós esperamos de nós mesmos? Além disso, nos mostra que o que os outros pensam de nós não é o que realmente somos.
comentários(0)comente



Pandora 04/04/2018

Que romance DIVERTIDO!!! "Cilada pada um marquês" foi risada do começo ao fim com umas lágrimas de ternura e afeto no meio. Simplesmente encantador.

Sophie Talbot é uma protagonista inteligente, sagaz, com uma língua afiada, uma capacidade de se meter em confusão fabulosa e uma lealdade sem fim a sua família. Impossível não sentir uma ternura por ela imediatamente.

Rei, Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, gosta de da uma de bonzão, sabichão, tudão. No começo achei que ele seria um embuste, porém, as respostas de Sophia, os diálogos dos dois me fizeram gargalhar tanto que continuei e fui recompensada pela descoberta de um protagonista terno, carente, atencioso, com senso de responsabilidade e nada canalha. Mesmo quando Rei faz besteira não é difícil perdoa, ele sabe se redimir.

Sarah MacLean é uma autora MARAVILHOSA demais. Uma escrita fluida, um humor, diálogos impagáveis, protagonistas autênticas. Mesmo quando ela usa de imaginação para recriar o XIX tenta manter vínculos com os conhecimentos colecionados pelos Historiadores sobre aquele momento. Ela é do tipo que vai no arquivo público conferir os jornais da época para se inspirar, como não amar essa mulher?!?!

Enfim, agora quero ir ali pegar o próximo da série.
comentários(0)comente



Dessa_csn 30/03/2018

Sophie faz parte das irmãs que são denominadas "irmãs perigosas", uma vez que uma delas aparentemente armou uma cilada para se casar com um duque. Apesar de suas irmãs e de sua mãe amarem o mundo da aristocracia, Sophie não se sente assim tão a vontade. Elas são filhas de um trabalhador e que adquiriu o titulo de conde em uma mesa de apostas. Isso faz com que elas sejam tratadas da mesma forma como um americano era recebido no meio deles.

Em um evento Sophie flagra o marido da irmã grávida com outra mulher e não se contém já que sua irmã não se defende. Num ataque de fúria ela joga o duque em um tanque com os peixes estimados da anfitriã. Imediatamente é ignorada pela sociedade e ela resolve fugir, por não aguentar mais essa vida. Enquanto pensa numa solução para seus problemas o Marquês de Eversley cruza seu caminho e ela imediatamente acha que ele é a solução para seus prolemas.  Sophie é uma mulher obstinada em seus objetivos apesar de se sentir insegura em relação a ela mesmo. Ela não desiste fácil de suas ideias.

Rei é o famoso libertino que não está nem ai para o que pensam sobre ele, na verdade ele faz questão de arruinar noivados por Londres. Quando foge de um encontro amoroso por uma treliça, Rei da de cara com com Sophie, que faz uma proposta para ele. Se ele a tirar do evento, ela devolve sua bota. Como ele não liga mesmo, da as costas a Sophie mesmo sem um par de botas. Rei não é um brutamontes, mas também não é um cavalheiro.

Depois que Sophie resolve se vestir de criado para fugir na carruagem de Rei, é uma confusão atrás da outra. Achei original a forma como eles se aproximam, mas como sempre eles possuem seus segredos. Mas não segredos que são exatamente escondidos da gente, então, prefiro assim. rs Eu gosto bastante dos livros da Sarah, apesar que tiveram dois que não foram tão legais assim de ler, mas o que são bons, são realmente bons! Esse é um deles e não tenho nada para reclamar.

Conheça o meu blog, e encontre outras resenhas! https://nadafutil.net/
comentários(0)comente



Tinha que ser romance 16/03/2018

Adorei...
Não dá vontade de parar de ler, e quando está acabando da vontade de diminuir o ritmo só pra demorar um pouco mais para acabar...
comentários(0)comente



Lia 06/03/2018

Cilada! Se envolva.
Eu particularmente me considero boba quando se trata de romances de época, mas sempre consigo me surpreender com as histórias e não foi diferente no caso deste livro, que pra mim foi sensacional.

Já havia lido o segundo da série e amei. A autora tem uma forma peculiar de nos cativar e nos envolver nas loucuras de seus personagens. É exatamente assim que me sinto mais uma vez nesta série maravilhosa.

Eu estava curiosa a respeito do livro desde a sinopse, mas fui pega de surpresa em muitos momentos desde o começo da história. Foi muito diferente do que minha imaginação previa para esta viagem dos personagens e eu não poderia estar mais satisfeita.

Embora já soubesse do desfecho dos dois não pude deixar de vibrar e sofrer também em determinadas situações. Estive quase aos prantos, porque Sophie e Rei realmente me ganharam.

Por esses e mais n fatores que não comigo lembrar a história ganha um lugar nos meus favoritos do gênero. É uma cilada não apenas para o marquês, mas principalmente para o leitor.
comentários(0)comente



L 28/02/2018

absolutamente, encantador!
Que livro absolutamente, encantador! Muitos suspiros, agonia, riso e alegria ao ler "Cilada para um marquês". MacLean cria personagens tão bem que é como se você vivesse a vida deles ou fosse a melhor amiga, daquele tipo confidente.

A heroína é daquelas personagens que o leitor facilmente se simpatizará : leal, romântica e apaixonada por livros:


"[...] Ela jamais iria querer aquele mundo e suas aparências.[...] " - Página 20

"[...] Os livros eram aventuras encadernadas em couro, com páginas e mais páginas de mundos distantes, pessoas e ensinamentos notáveis; felicidade simples e honesta.[...]" -Página 67

" [...] Cada livro que você leu fez de você uma pessoa melhor." - Página 217

O herói é aquele que se faz de difícil, irritante as vezes e ao mesmo tempo, apaixonante:

" Se você está tentando apelar para minha bondade, não tente.Não possuo muito disso." - Página 47

" [...] Ela podia ser uma princesa, mas ele não era um príncipe." - Página 96

Leitura que a cada página lida já paira aquele ar de saudosismo. Trama elaborada cuidadosamente em que cada passo dado pelos personagens consegue captar atenção do leitor.

O título de cada capítulo refere-se a uma suposta manchete do jornal de fofocas " Escândalos & Canalhas". É extremante, interessante ler na última página, a chamada "Edição Especial" que contêm notas da autora explicando que realmente existiam inúmeros jornais dedicados a fofoca da Sociedade e que um livro que a heroína lê existe.

Narrado em terceira pessoa, com uma boa diagramação principalmente quanto a fonte de letra utilizada no título de cada capítulo no estilo "Jornalístico". Não há travessão nos diálogos, optou-se por aspas. E capa linda para se ter na estante.

"Cilada para um marquês" é um romance de época que ,sem dúvidas, merece ser lido.

site: https://eternamente-princesa.blogspot.com.br/2018/02/livro-cilada-para-um-marques-sarah.html
comentários(0)comente



Ana Lídia 23/02/2018

Maravilhoso!
Sabe aquele livro que você não consegue parar de ler e acaba entrando de cabeça e coração na história? Estamos falando de Cilada para um Marquês, não pense duas vezes e leia esse romance maravilhoso.
comentários(0)comente



Bruna 19/02/2018

Cilada Para um Marquês
Resenha
Cilada Para Um Marquês | Sarah MacLean

Sophie Talbot e suas irmãs são conhecidas como as Irmãs Perigosas, jovens que fazem e fariam de tudo para conseguir um marido aristocrata e de boas posses. Suas irmãs sempre estiveram em meio aos escândalos, e sempre gostaram, mas Sophie, diferentemente, não apenas abomina o título que seu pai conseguiu, como toda a sociedade londrina, sejam elas damas hipócritas ou rapazes libertinos.
Inesperadamente, Sophie se vê no centro das atenções de Londres ao causar um escândalo tentando proteger a honra de sua irmã. Cansada de tanta hipocrisia, Sophie então forma planos para voltar ao interior onde nasceu e largar a sociedade para trás. Lá, ela não apenas sonha em abrir sua própria livraria, como também reencontrar um amor de infância, filho do padeiro, que ela estava certa de que estaria esperando por ela após todo esses anos.
Para sua desgraça, em meio aos seus planos de fuga, Sophie se vê emaranhada em uma confusão junto com o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, Rei que, como a maioria dos homens aristocratas, não queriam ter nada a ver com uma Irmã Perigosa. Rei, convicto de que Sophie está apenas planejando um jeito de ser comprometida e conseguir se casar com ele, virando futura duquesa, tenta ao máximo ficar longe de Sophie e deixá-la à sua própria sorte. Sophie, igualmente, não quer ter nada a ver com um libertino de tanto tamanho como Rei, que possui uma fama descomunal no quesito de arruinar noivados e casamentos.
Entretanto os dois acabam não conseguindo se manter tão longe um do outro quanto queriam e, apesar do tremendo esforço e desgosto, acabam tendo que seguir viagem juntos, apesar de terem destinos diferentes.

Rei pode até ser um libertino, mas é um personagem muito engraçado de acompanhar! As interações entre ele e Sophie são ótimas, pois ambos os personagens são muito bem construídos e possuem seus próprios preconceitos um com o outro. O primeiro encontro dos dois é hilário e já nos faz adorar a protagonista e admirar sua força e língua afiada.
Sophie, apesar de ser a caçula das Irmãs Perigosas e, ao contrário das outras, ser considerada desinteressante, é incrivelmente divertida e destemida. Sua ideia principal de deixar a aristocracia para trás e voltar ao interior, onde viveria uma vida simples após se acostumar com tantos confortos, já é um sinal de como ela é determinada e sonhadora, seja isso bom ou ruim. Sophie ao longo do livro apronta cada coisa e os dois se veem interligados de um jeito tão engraçado que é impossível não se apaixonar pelo livro. Os dois aprendem a superar os preconceitos iniciais e essa trajetória deles, se odiando e se gostando, é muito gostosa de acompanhar.
Sarah MacLean novamente conseguiu escrever mais um romance de época envolvente, apaixonante e único. É uma leitura gostosa e muito rápida de se fazer.
4,5 / 5
Frase favorita: “Ela era obstinada como o capeta e problemática demais. E se havia uma coisa de que ele não gostava, era de mulheres problemáticas”


site: https://www.instagram.com/osuwariliterario/
comentários(0)comente



Day Duque 15/02/2018

Que palpitação é essa??
Não recomendo este livro para quem tem problemas cardíacos ou gastrite aguda! Durante a leitura senti inúmeros sintomas de risco: palpitações, angústia, borboletas no estômago e nó na garganta! Um verdadeiro turbilhão de emoções que vale cada página. Recomendo muito para quem gosta de se aventurar nos livros ♥
comentários(0)comente



Gabi 04/02/2018

Muito bom
Eu adorei ler esse livro,foi bem rapidinho,achei engraçado e bem escrito.O que me incomodou foi as páginas físicas,algo com a letra ou a cor da página me fez ter dificuldade em ler.Mas a história em si é muito boa,eu recomendo.
comentários(0)comente



Glenda.Strelow 30/01/2018

Bom masss
Nossa não pretendo ler nada mais dessa autora,a estoria é otima mais muito cansativa ela enrola de mais...
comentários(0)comente



@bibliotecadaana 30/01/2018

Apaixonante e encantador.
"" Você não entende nada de liberdade", ele a encarou, de repente ficando muito sério, mas ela na recuou.
" Eu entendo mais sobre isso do que você jamais vai ter permissão de entender.""
_
Sophie não era alguém que gostasse de seguir as regras. Mas também não era como suas irmãs, "Irmãs Perigosas" como eram conhecidas. Pois faziam de tudo para se casar com aristocratas. Sophie não, tudo o que ela queria era ser livre!
Mas justamente por não seguir as tais regras, e defender sua irmã mais velha do próprio marido (canalha,diga -se de passagem) Sophie se envolveu em um escândalo. Escândalo esse que fez com que ela decidisse fugir. E assim ela o fez, "fantasiada" de escravo e escondida em uma carruagem. Mas como o destino lhe reservava uma grande surpresa, mesmo sem querer e sem seu conhecimento, Sophie começou uma aventura que a levou diretamente para onde ela precisava ir, mas ainda não sabia.
_
Essa é uma história de amor, divertida e encantadora. Mas além disso, é uma historia de sobrevivência, e de luta por aquilo que tanto se quer.
Adorei a escrita da autora e a forma como ela criou uma personagem tão obstinada, forte e determinada. Com um parceiro, divertido, irreverente, mas ainda assim, muito ferido por seu passado.
Fiquei apaixonada por essa história, recomendo muito.
comentários(0)comente



Jordana Zatta 30/01/2018

Um dos melhores romances de época que já li! Com certeza vai entrar pros favoritos.
comentários(0)comente



Nati 24/01/2018

"Theseus fought for his life, He shook his head. But the minotaur, he fought for Ariadne."
Quem diria que eu me renderia aos romances de época, pra pagar minha língua! Ou pelo menos, aos romances dessa autora. Desde que li Nove Regras a Ignorar (aquele título imenso), fiquei interessada em ler outros livros da autora e acabei pegando esse. Uma das razões pelas quais gostei MUITO dos livros da Sarah, ignorando os clichés óbvios e a trama previsível (alguns dos motivos que sempre me fizeram evitar esse gênero), é a forma como ela constrói as heroínas dela - não moças arredias e de cabeça baixa, que diz amém a tudo que a sociedade machista da época dita (o que inclusive a autora faz questão de mostrar e criticar pesadamente, outra coisa que ADOREI, principalmente nesse livro), mas garotas fortes, independentes, que não estão nem aí pras convenções da época e tem aspirações e sonhos maiores. É impossível não gostar e se identificar com Sophie, se deliciar com as Irmãs Perigosas e não morrer de raiva da cena na Mansão Liverpool, querer empurrar Haven no oceano ao invés do laguinho de peixes você mesmo.

E os mocinhos são sempre bad boys super sedutores, mas sempre com algo a mais, e que também não é muito chegado á convenções e aparentemente mais decente que metade de Londres. Ou seja, não tem como você não querer estar no lugar da heroína, nem que seja um pouquinho. E King é um personagem muito divertido de acompanhar, além de ter uma trama própria, mesmo que pouco original, bem feita e que confere empatia à ele.

A única coisa que me fez tirar uma estrela, e que eu não gostei, foi a enrolação pras coisas acontecerem - quando você achava que o romance ia se desenrolar, voltava tudo de novo. Ficava aquele vai, não vai, aquela enrolação, que no início foi empolgante, mas depois de muita repetição, acabou cansativo. Não acho que o livro precise de suas quase 330 páginas. E por conta disso, acho, a Sophie meio que perdeu um pouco da intrepidez e do fogo dela lá pelas últimas 50 páginas, e isso meio que fez o final ficar caído (mesmo que fofo). Mas no geral, gostei mesmo da leitura, que foi rapidinha, envolvente e super fluída. Já quero ler mais dessa saga e terminar a outra trilogia da autora!
comentários(0)comente



Bárbara Alice 08/01/2018

Nesse romance temos Sophie, uma mocinha que quer a todo custo fugir de Londres e todas as regras que cercam a sociedade. Sophie é acusada equivocadamente de afrontar um duque. Como na época, a sociedade dava mais razão aos homens, principalmente os poderosos com títulos, Sophie é criticada por todos e se torna um escândalo.

Em sua fuga pela liberdade, ela "esbarra" com o Marquês de Eversley , conhecido como "Rei" (de Reider), famoso por ser um canalha e arruinar as mocinhas decentes.

Rei está numa jornada para enfrentar seu pai. O pai que ele não vê a 15 anos devido a um acontecimento do passado. O objetivo da jornada em questão, é a vingança, Rei irá confrontar seu progenitor para avisa-lo que sua linhagem não irá proceder. Rei não tem intenção alguma de se casar.

Mas antes de chegar a seu destino, Rei se vê obrigado a cuidar de Sophie, que só se mete em problemas. De inicio, Rei tem um pé atrás com Sophie, acha que ela faz parte da população feminina que arma situações para se casar com homens de grandes títulos, mas ao longo da trama, Rei vai enxergando que Sophie não é uma moça fútil e interesseira. E ele passa a ver que ela quer apenas viver uma vida agradável longe das regras absurdas da alta sociedade, e com isso ele passa a querer ajudar ela a realizar seu sonho.

Como em todo bom e velho romance, o casal começa com aquela implicância, vai se tornando amizade e dai se aprofunda pra um sentimento muito mais forte: amor.

O que mais me agradou como um todo foi que apesar dessa "fórmula" já muito usada em outros livros, nessa obra a autora criou uma história fantástica e bem diferente de outras que já li. Eu não conseguia largar o livro pois a cada capítulo, era um acontecimento novo e mais intrigante ainda.

Adorei a escrita da Sarah e agora entendo totalmente o porque ela é tão bem falada. O que mais gostei na Sophie além dela não aceitar as regras imposta às mulheres, é seu amor por livros, ela tem sonhos de leitora como muitos de nós aqui no ig, um amorzinho ela e Rei também é um ótimo mocinho, canalha assumido mas que se entrega ao amor. Adorei o livro!

site: https://www.instagram.com/p/Bbf0H_DHHS3/?taken-by=conflito_literario
comentários(0)comente



99 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7