Nada Escapa a Lady Whistledown

Nada Escapa a Lady Whistledown Suzanne Enoch
Julia Quinn
Mia Ryan
Karen Hawkins


Compartilhe


Resenhas - Nada Escapa a Lady Whistledown


34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Saleitura 08/06/2018

LINDO E EMOCIONANTE
A colunista de fofocas Lady Whistledown, que fez parte dos quatro primeiros livros da serie Os Bridgertons, retorna nesta duologia como a "narradora" de uma antologia. Julia Quinn com mais três autoras consagradas nos encanta logo no primeiro livro "Lady Whistledown Contra-ataca" dando aos contos uma ligação perfeita.

Julia Quinn com Suzanne Enock, Karen Hawkins e Mia Ryan retornam em Nada Escapa a Lady Whistledown tendo como cenário uma Londres congelada como nunca tinha sido vista em sua história onde até o majestoso "Tâmisa congelou." Em meio a esse inverno intenso os personagens de quatro histórias vão se encontrar em eventos, no "Theatre Royal" para assistir a "O mercador de Veneza", em festa de patinação no gelo desfrutando dos trenós, da Feira de Inverno e finalizando com o baile do dia de São Valentim.

"Os quatro contos aqui apresentados têm uma pequena ligação entre si: a heroína de Suzanne Enock derruba a minha em uma festa de patinação no gelo, e, quando o herói e a heroína de Mia Ryan discutem em público, o fazem em um baile oferecido pelos personagens de Karen Hawkins." (Julia Quinn)

No primeiro conto - Um amor verdadeiro - Suzanne Enock nos apresenta o casal Lady Anne Bishop e Maximilian Trent, marquês de Halfurst que foram prometidos desde pequenos pelos seus pais. Anne tinha dezenove anos e passa a maior parte do ano em Londres em virtude do cargo que seu pai ocupa no gabinete. Prometida em casamento desde que nasceu considerava ter uma vida perfeita. Tinha os melhores amigos do mundo e recebia convites para todos os eventos". Seu noivo nunca lhe escrevera uma carta , mas foi só surgir na coluna de Lady Whistledown uma fofoca sobre seu comportamento nada apropriado, fazendo "anjinhos na neve" com alguém que não é seu prometido, para fazer lorde Halfurst vir para Londres reivindicar os seus direitos. Ele vai ter que se esforçar para conquistar seu coração e convencê-la a trocar Londres por Yorkshire onde tem suas propriedades além de sua fazenda de ovelhas".
"Já esperava que fosse bela, mas não contara com o calor que o percorria quando olhava para ela, ainda mais intenso agora do que pela manhã. Ele a decifraria e a faria desejá-lo da mesma maneira que a desejava... porque não sairia de Londres sem ela."

O segundo conto - Dois corações - de Karen Hawkins vamos conhecer a história de Elizabeth Pritchard e Royce Pemperley amigos de longa data. Liza era uma mulher de 31 anos que após ser citada na coluna de Lady Whistledown permitiu-se ser cortejada por lorde Durham. Perdera os pais ainda menina ficando aos cuidados de um tutor até assumir o total controle de sua fortuna. Apesar de ser considerada uma solteirona aos olhos da sociedade estava satisfeita com sua vida livre de obrigações do matrimônio, sendo um tanto extravagante na maneira de se vestir, mas nada que abalasse a sua figura notável. Tudo isso a colocava como alvo de caça dotes o que sempre pode contar com o apoio e ajuda dos irmãos Margaret Shelbourne e Royce Pemperley que eram sua família e evitavam essas possíveis ameaças.

Royce é o melhor amigo de Lisa e além de ser um galanteador incorrigível tinha o cuidado de não colocar em risco a sua liberdade. Estava satisfeito em passar a vida flertando e casamento estava longe de seus objetivos. Com isso Liza procurava se manter imune ao toque de Royce. Por outro lado Royce ao saber da noticia de que sua melhor amiga e confidente estava querendo se casar o deixou meio confuso em relação aos seus sentimentos por Liza.

"Mas que inferno, eu quero Liza. Uma forte onda de desejo o invadiu e ele teve que se forçar a respirar. Desejava Liza, sua melhor amiga, a única mulher que sabia realmente quem ele era. A ideia era assombrosa. Perturbadora. E absolutamente impossível. Que diabo ele deveria fazer agora?"

O terceiro conto - Uma dúzia de beijos - de Mia Ryan nos emociona com a história apaixonante de lady Caroline Starling e Terrance Greyson ,marquês de Darington. Caroline estava muito triste com sua vida desde a morte do seu pai cujo título marquês de Darington como também as propriedades passaram para Terrance, seu primo em quarto grau. Guardava uma mágoa maior pelo fato de que ela e sua mãe tiveram apenas dois dias para desocuparem Ivy Park, o " lar da família por muitas décadas." Estava no Theatre Royal em companhia de seu pretendente lorde Pellegring, e não sabia se ria ou chorava só de pensar em se casar com ele. Escondeu-se em um canto caindo em prantos e de repente diante dela surgiu o homem "mais espetacular que já vira em sua vida" que lhe ofereceu um lenço de linho.

Este homem espetacular é Terrance, o marquês de Darington que dera dois dias para que ela e sua mãe saíssem de Ivy Park. Lenny procura se manter distante, mas não pode evitar o quanto a impressionou assim como seu coração dispara ao vê-lo.
Terrance sofreu um acidente quando soldado que o deixou com alguns problemas e um deles era a dificuldade de se comunicar. Como poderia Lenny entender tudo isso e mais ainda expressar seus sentimentos e abrir seu coração? Terrance ficou encantado com Linney que despertou nele um sentimento único.

"Linney deu um leve sorriso quando seu cérebro nebuloso a guiou rumo a um sonho fascinante. Curiosamente, lorde Darington era o protagonista do sonho. E foi, de fato, um sonho muito bom.” "Gostaria de beijá-lo pelo menos uma dúzia de vezes - murmurou ela.

Julia Quinn encerra com o quarto conto - Trinta e seis cartões de amor - trazendo a linda história de amor de Susannah Ballister e David Mann-Formsby, conde de Renminster. Susannah fora cortejada na última temporada por Clive, irmão David, que no final acaba pedindo em casamento outra moça. Susannah vai se refugiar em sua casa no campo e agora depois de um ano ela retorna a Londres para uma nova temporada só que fica isolada tomando chá de cadeira. David a encontra no evento e fica encantado com sua beleza , franqueza e coragem vendo que ela na verdade não era a mulher certa para seu irmão e sim para ele. David vai fazer de tudo para conquistar o coração de Susannah.

"E enquanto estava ali sentado, no Theatre Royal, ignorando os atores no palco em favor de uma mulher sentada no camarote ao lado do seu, tomou uma decisçao muito importante. Ele se casaria com Susannah Ballister."

Quatro contos com quatro histórias maravilhosas de arrancar suspiros dos leitores. Histórias que levam os apaixonados por esses romances a viverem esse contos de fadas aguardando as fofocas de Lady Whistledown que, com certeza, vai nos revelar os encontros e desencontros até o tão esperado '"felizes para sempre." Mais uma vez somos surpreendidos pela forma perfeita como as autoras conseguem fazer seus personagens se encontrarem nos eventos desse inverno intenso.
Como sempre a edição está perfeita desde a capa, sua diagramação e acabamento. Tudo que nos leva a uma leitura maravilhosa e mais do que recomendada

Resenha by Irene Moreira
https://www.skoob.com.br/atividades/post/user/5b19e40899d998db348b629b


site: https://saletadeleitura.blogspot.com/2018/06/resenha-nada-escapa-lady-whistledown.html
comentários(0)comente



Jaque - Blog Livros e Laços de Fita 04/06/2018

Para tudo porque a maravilhosa lady Whistledown veio com tudo!
Quem teve a ideia de juntar as quatro autoras que escreveram Nada Escapa a Lady Whistledown merece um premio! Vou beijar ela até o dia em que o rio Tâmisa congelar! Ops… e não é que ele congelou aqui!?

Então pessoas lindas, em Nada Escapa a Lady Whistledown, vamos ter um repeteco da lindeza que foi o primeiro livro. Pra quem não conhece, aqui vamos ter quatro contos escritos pelas autoras Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan.

As histórias acontecem no mesmo espaço de tempo e muitas vezes, os diferentes personagens das autoras se esbarram (ou se derrubam em montes de neve…) e as histórias vão se entrelaçando e se misturando de uma forma deliciosa para os leitores. Porém, aqui nem todos os contos me agradaram. São todos uma delicia de ler, mas um em especial foi bem parado pra mim e o outro pareceu incompleto.
Vamos começar com “Um Amor Verdadeiro”, de Suzane Enoch, que foi (pasmem!) o meu preferido. Os personagens são todos mais do que apaixonantes e eu não resisto a um mocinho apaixonado e decidido, como vocês bem sabem. Morri de amores pelo marques de Halfurst, acho que ele foi o personagem que mais amei em todo o livro, depois da nossa querida Lady Whistledown, claro.
Depois temos “Dois Corações”, de Karen Hawkins, e esse não me agradou. Não gostei dos personagens, achei eles meio forçados. A história em si também não me agradou, achei arrastada e meio parada. Infelizmente demorei um século para terminar de ler esse… quase pulei, mas não seria uma ideia muito auspiciosa, já que as histórias são entrelaçadas.
Aí, depois dessa “lenha” toda, temos “Uma Dúzia de Beijos”, de Mia Ryan, e esse é uma fofura. Aqui me apaixonei pela mocinha, uma personagem tímida e negligenciada pela família. Adorei a narrativa e a história em si deixa uma sensação boa no coração durante a leitura. Pena que termina na melhor parte… Aff! Nem tudo pode ser perfeito, né?!
E encerrando com chave de ouro, temos “Trinta e Seis Cartões de Amor”, da nossa diva mor Julia Quinn. Amores, esse conto é lindo demais da conta, parece um sonho de amor. Suspirei por ele a cada capitulo. Temos amizade entre irmãos, uma mocinha rejeitada e um amor que surge do nada e se torna mais forte que tudo.
Como não amar um conto desses? Só esse e o primeiro já valem pelo livro todo! Os dois do meio estão meramente fazendo figuração. E, para tudo ficar ainda mais divertido, nossa amada Lady Whistledown faz uma participação como seu alter ego. Sim, a personagem por trás da colunista mais intrometida de Londres aparece aqui.
Amores, se vocês gostaram de Lady Whistedow Contra-ataca, vão amar esse aqui. Achei o contexto das histórias muito mais divertido, já que temos até o rio Tâmisa congelado!

site: www.livroselacosdefita.com
comentários(0)comente



Quel @queliivro 01/07/2018

#ResenhaQueliivro
Assim como o primeiro volume, esse tem a união de quatro contos que se cruzam em meios aos acontecimentos da temporada de inverno em Londres.
🌹Um Amor Verdadeiro - Após um comportamento nada decoroso, uma jovem vai parar na coluna de Lady Whistledown, ao ler seu prometido noivo volta correndo para ocupar o seu posto tanto na vida quanto no coração da jovem. Será que existe amor em um casamento arranjado?
🌹Dois Corações - Podem uma amizade antiga entre uma adorável dama e um libertino é colocada em prova quando da dama em questão, se encanta por outro cavalheiro, seria apenas amizade entre ambos ou tem algo mais?
🌹Uma dúzia de Beijos - Após ser despejada da sua casa por um Marquês. Uma jovem acaba caindo nas graças do cavalheiro em questão, mas teria lugar para o amor em meio ao início tão conturbado?
🌹Trinta e seis Cartões de Amor - A debutante mais querida da temporada foi rejeitada pelo seu pretendente. Mas parece que mais alguém na família se encanta por ela, o irmão mais velho do homem que a rejeitou. Seria isso mesmo?
.
Ah como amo essa junção de romances de época que aquecem o nosso coração e nos fazem suspirar!
Mais uma vez venho declarar o meu amor pelo gênero e por como esse universo é mágico e gosto de se ler. Esse livro não fica atrás, pois nos traz quatro histórias lindas e apaixonantes, do jeito que amamos.
Uma leitura rápida, já que são quatro contos, faz com que a leitura flua mais e a leitura seja mais rápida. As histórias têm pontos marcantes entre si e que se interligam. O que faz com que a mocinha de um, apareça na história do outro.
Eu realmente gostaria que tivesse um livro para cada história, pois por ser conto, achei um pouco corrido as histórias. Mas isso não faz o livro perder sua beleza.
Esse livro me fez querer conhecer outros livros das autoras, pois todas tem sua forma de escrever que encanta.
É isso pessoal, um livro com muito romance para aquecer o coração do leitor!

Beijos e até a próxima! 😘

site: https://www.instagram.com/p/BkjEOIKhXXV/?tagged=resenhaqueliivro
comentários(0)comente



@mamaetalendo 25/06/2018

Post duplo para o dia de hoje. Em comemoração à #semanadosnamorados ?
#nadaescapaaladywhistledown é mais um livro com contos, e os quatro foram escritos por Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch, mestres em romance de época. ?
Não sou muito fã de contos, mas me apaixonei em ?Contra Ataca?. E Lady Whistledown, personagem icônico da série os Bridgertons - não, não vou revelar sua identidade - está mais afiada que nunca! ?
Ahhhh e sua personagem, na sua identidade verdadeira aparece nos contos. - Não. Não vou soltar spoiler! Rsrs!
?
As quatro histórias acontecem ao mesmo tempo, e muitas vezes, como no livro anterior, se cruzam, se entrelaçam, se misturam e se completam. ?
Não sei dizer qual dos dois gostei mais, a verdade é que indico os dois, é uma deliciosa leitura. #literaturaestrangeira #mulherbacanale #romancedeepoca #indico #igreads #instabook #instalivro #book #bookaholic #bookstagram #livro #libros #leitor #leitura #leiamais #leitores #leiasempre #literatura @juliaquinnauthor #mamaetalendo
comentários(0)comente



Leilane 29/05/2018

A ONIPRESENTE LADY WHISTLEDOWN COMO SEMPRE ALTERANDO O DESTINO DE MUITOS CASAIS NESTE NOVO LIVRO DE CONTOS
A onipresente Lady Whistledown mais uma vez se envolve com o destino de quatro casais ao narrar certos acontecimentos e indiscrições em sua coluna, e neste livro de contos, a criadora da personagem, Julia Quinn, junto com Mia Ryan, Suzanne Enoch e Karen Hawkins nos contam a história de amor de cada um.

Um Amor Verdadeiro – Suzanne Enoch: É um conto bem legal, os personagens são prometidos desde a infância e ao finalmente se conhecerem é atração instantânea. Mas algumas coisas me incomodaram na história, ainda mais por um referência totalmente desnecessária a zoofilia que um dos personagens faz e a personagem – que estava pensando que tinha já se entregado para o principal -, apesar de horrorizada, pensa “ovelhas, hum”, ficou muito estranho, talvez tenha sido a tradução, mas este hum me passou uma impressão super errada e fica difícil saber o que realmente a personagem quis dizer com isso. O restante também ficou um tanto acelerado, mesmo para um conto e a insistência da Anne de fugir do cara e sempre aceitar os convites do cara que claramente estava querendo o dote dela – só ela que não percebia – e ainda falava trocentas asneiras, tipo essa de sugerir que o noivo dela aprendeu suas habilidades com ovelhas, me fez perder a paciência com a personagem para ser bem sincera, então gostei da premissa, mas o conto me decepcionou um pouco, o personagem do Max é quem deixa o conto mais interessante mesmo.

Dois Corações – Karen Hawkins: Basicamente é um conto sobre friendzone, no passado devia ser mais difícil, talvez seja algo que aconteça mais hoje em dia, mas você conhece uma pessoa, sente todas aquelas afinidades, e você aprecia tanto a amizade que você encontrou ali que não consegue ver além até que algo o chacoalha da situação e você é obrigado a avaliar os sentimentos reais. Gostei, achei interessante por ela ser bem independente e peculiar ao mesmo tempo, mas ao mesmo tempo senti que a pressão social caiu sobre ela e mesmo feliz, não ter o que a sociedade dita – casamento e filhos – pesou nesta mulher de 31 anos, e como isso é uma história romântica, lá foi ela encontrar seu amor no melhor amigo e finalmente saíram da friendzone. A história dela estava mais interessante antes de bater essa bad nela, então o conto não me conquistou como um todo, acho que quis me identificar com a personagem por ter a mesma idade que eu, mas acabou contrastando nesse aspecto de a bad vir e ela quase aceitar qualquer coisa só para preencher o vazio, mas ainda assim gostei bastante do conto.

Uma dúzia de beijos – Mia Ryan: Resumidamente, achei o conto bem fofinho, o meu favorito do livro, apesar de ter sido meio acelerado, encanto-me com personagens que sabem reconhecer no outro seu complemento para um companheirismo verdadeiro, não os que simplesmente se encantam e tudo magicamente se resolve. Além disso, os personagens tem consciência de suas limitações e inaptidões para lidar como determinadas pessoas e contextos, por isso foi fácil de simpatizar com eles.

Trinta e Seis Cartões de Amor – Julia Quinn: O conto é bem para mostrar como a mulher se ferra na sociedade que coloca o homem acima de todos os erros, entretanto, a personagem é forte, só ficou bem constrangida e com orgulho ferido, mas isso é algo que ela só realmente enxerga depois de já ter encontrado o amor da sua vida, o que é uma pena, acho que ela teria conseguido por conta própria. Mas de maneira geral, um conto que vale a pena ser lido e muito, assim como os outros.

site: http://lerimaginar.com.br/2018/05/a-onipresente-lady-whistledown-como-sempre-alterando-o-destino-de-muitos-casais-neste-novo-livro-de-contos/
comentários(0)comente



Maria Bárbara Menezes 23/07/2018

Meu coração quase não aguenta??
Ai meu Deus... não tenho como espressar o quão perfeito esse livro é! Por ser contos, as histórias são mais diretas e sem enrolação, mas não deixaram de ser intensas e apaixonates! Senhor! Só leiam e morram de amores??????????
comentários(0)comente



Dryh 16/05/2018

<3
O Tâmisa ter congelado no que foi o inverno mais frio de toda a Londres não era a maior novidade. Muita coisa aconteceu, algumas delas, escandalosas! A debutante mais promissora da temporada foi deixada de lado por seu pretendente, um noivo volta a Londres soltando fogo pelas ventas ao saber que sua noiva está andando com outros cavalheiros, um libertino ameaça sossegar ao perceber que ama sua melhor amiga, e uma jovem é despejada da própria casa por um parente distante e arrogante. Quatro contos de quatro autoras que prometem nos arrancar suspiros e, quem sabe, até algumas lágrimas...

*

Era aristocrático e belo, tão diferente do que imaginara que ela poderia considera-lo um impostor. Quando sorria, porém, os olhos se iluminavam e, em resposta, seu tolo coração se acelerava. – página 30

O primeiro conto é de Suzanne Enoch, e traz a história de Anne Bishop, uma jovem que, ao nascer, fora prometida ao filho de um amigo de seus pais. Mas até agora, já debutando, ela nunca recebeu uma carta sequer de seu provável noivo, de maneira que sonhava em escapar do casamento arranjado. Só que seu nome aparece em uma das colunas de Lady Whistledown, o que faz com lorde Halfurst volte para Londres para “reivindicar” sua noiva, ou como ele parecia achar que ela era, sua propriedade.

Eu já não tinha gostado muito do conto de Suzanne na antologia anterior, mas decidi esquecer isso por ora e mergulhar de cabeça em seu conto aqui. Acontece que eu não gostei. Ver que Anne não aceitou se casar com Halfurst de primeira me deixou um pouco aliviada, mas eu odiei ver que ele a tratava como uma encomenda a ser levada embora, ou até mesmo como uma propriedade que mais ninguém podia ver ou tocar. Como romance de época, obviamente a história seria um pouco machista, mas aqui, a autora exagerou. Não consegui gostar dos personagens e nem da história em si; felizmente, o conto é curto.

No momento, lorde Howard podia estar levando uma ligeira vantagem, mas Anne Bishop pertencia a ele. – página 43

*
Royce gostaria de saber o que tornava Liza única. Não era apenas seu jeito de se vestir, embora fosse bastante incomum. Era algo mais. Talvez a inteligência em seus olhos verdes ou a forma com que seu rosto se iluminava quando ela ria, mas, o que quer que fosse, despertava nele o desejo de rir e nunca mais parar. – página 121

O segundo conto é de Karen Hawkins, e traz a história de Elizabeth Pritchard – ou Liza -, uma solteirona que passara dos 30 anos, mas que era muito respeitada na alta sociedade, mesmo usando roupas feias e combinações horríveis. Liza já tivera pretendentes, mas sua melhor amiga, Meg, e o irmão mais velho dela (também conhecido como melhor amigo de Liza), Royce, afastaram os caça dotes e todos aqueles que não a mereciam. Sendo dona da própria fortuna, Liza era um alvo e tanto para cavalheiros desesperados por dinheiro.

Mas quando ela parece interessada num cavalheiro em especifico, e as coisas vão se encaminhando para uma corte e, futuramente, talvez, um noivado, Royce entra em pânico. Ele percebe que iria perder sua melhor amiga, e não apenas isso... A mulher que ele amava. Mas claro que ele demora um pouco para perceber o que realmente estava acontecendo em seu coração, eles sempre demoram, não é mesmo?

Este conto me encantou! Adorei as personagens; Liza é dona de uma personalidade e um carisma que eu ainda não havia encontrado em nenhuma outra mocinha de romance de época, e Royce é um encanto! A história também é linda, e apesar de a gente saber o que possivelmente acontecerá no final, não perde a magia. Um dos melhores contos do livro, sem dúvidas.

Tudo o que sabia ao certo era que a amava e não saberia viver sem ela. – página 169

*
Mia Ryan nos presenteia com a história de lady Caroline Starling, que junto com sua mãe, fora expulsa da própria casa por um parente distante que reivindicara para si sua herança. Agora ela precisa casar-se tanto para ter um lugar só seu quanto para fugir dos dramas da mãe, e é certo que o fará com Ernest Wareing, conde de Pellering. Só que o tal parente distante retornou a Londres e, apesar do que muitos diziam – e também do que ele deixava aparentar – Terrance Greyson, lorde Darington, não era tão ruim.

Este conto também me deixou suspirando pelos cantos da casa! Que história mais apaixonante e divertida! Caroline é uma personagem incrível, e sua personalidade me fez amar a história todinha, apesar dos momentos arrogantes de Terrance (há uma justificativa boa por trás de seu comportamento), e das investidas de sua mãe. E o mais legal do livro, é que os personagens de todos os contos se conhecem, e suas ações impactam diretamente nos acontecimentos dos outros contos! Isso é MUITO legal! E claro, não podia faltar as crônicas de L. Whistledown, não é mesmo? Esse conto é muito apaixonante, um dos meus favoritos não só deste livro, mas também unindo as histórias deste com os do primeiro.

Quem diria que alguém poderia se sentir tão aquecida quando o mundo ao redor congelava? – página 201

*
E por último, com Julia Quinn, temos a história de Susannah Ballister, aquela que era a dama mais promissora da temporada e que estava prestes a noivar.... Até que o rapaz em questão se casou com outra. Humilhada, Susannah foi com a família para o campo, e só voltou porque, bem... O Tâmisa congelou.

Ela, obviamente, não queria voltar. Afinal, quem gostaria de encarar uma sociedade que a culpava por uma corte deprimente quando, na verdade, ela não tinha culpa nenhuma? Mas sua família insistira, então ela voltara, ainda que tentasse fugir do ex-quase-noivo e sua nova esposa... E do irmão mais velho dele, que de repente parecia muito interessado nela!
Aah, fui reconquistada por Julia Quinn! Que conto maravilhoso! Ri muito com as personagens e as situações pelas quais passaram – algumas delas desencadeadas por personagens dos outros contos – e me apaixonei por Susannah e David Mann-Formsby, conde de Renmister.

Fiquei feliz ao perceber que, dos quatro contos, apenas um não me agradou. Se me lembro bem, a coisa foi pior com o primeiro livro. As histórias são leves, divertidas e até rápidas; o que chega a ser um pouco triste, mas se fossem mais longas, acredito que perderiam a magia. Sendo assim, foram leituras maravilhosas e que me deixaram suspirando alto! Recomendo muito aos fãs de romances de época, e principalmente para quem, assim como eu, sente muitas saudades de Lady Whistledown.

Ele a beijou até ela achar que desmaiaria de desejo. Ele a beijou até ela achar que desmaiaria de falta de ar. Ele a beijou até que ela não conseguisse pensar em nada além dele, não conseguisse ver nada além do rosto dele em sua mente, e até que não quisesse mais nada além do sabor dele em seus lábios...para sempre. – página 271


site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Carol 04/06/2018

Uma história num inverno gélido que irá aquecer os corações
"Ele a beijou até que ela não conseguisse pensar em nada além dele, não conseguisse ver nada além do rosto dele em sua mente e até que não quisesse mais nada além do sabor dele em seus lábios... para sempre"
- Julia Quinn

Um noivo precisa correr atrás de sua noiva em Londres, que está deixando bem claro para toda a sociedade que não irá se casar com ele.
Uma solteirona se interessa por alguém e seu melhor amigo, um dos maiores libertinos de Londres, descobre que o que sente por ela é muito mais do que amizade.
Uma jovem e sua mãe são expulsas de casa por um parente distante que reivindica a sua parte na herança. Mas ela descobrirá que ele não é tão ruim assim.
Uma dama tem seu coração partido quando achava que seria a nova noiva da temporada, alguém quer ajudá-la a reconstruir seu coração, mas ele é justamente irmão de seu quase ex-noivo.
São tantos acontecimentos em Londres... E é claro que a Lady Whistledown, a cronista da sociedade, irá nos contar tudo que acontece nesse gélido inverno.

A obra é composta por quatro contos que estão ligados por um grande evento, o baile que serviu para aquecer o inverno e também irá aquecer o coração dos leitores.
"Um amor verdadeiro" escrito por Suzanne Enoch foi o conto que menos gostei. Achei a protagonista mimada e chata, aquele típico romance em que quanto mais ela pisa, mais ele vai atrás e mais ranço eu pego. "Dois corações" escrito por Karen Hawkins, me conquistou e me fez desejar que tivesse mais páginas. Já "Uma dúzia de beijos" da autora Mia Ryan foi um conto que achei fraco, mas não ruim. Julia Quinn aparece no último conto "Trinta e seis cartões de amor" e conquista o leitor, um conto maravilhoso, com tudo o que um bom romance de época precisa e uma história de amor capaz de aquecer corações até no inverno mais gélido de Londres.
Conhecer esses contos que contam com a participação da Lady Whistledown foi delicioso na primeira experiência e nessa também, recomendo para quem quer uma leitura rápida e capaz de arrancar os maiores suspiros do leitor.

site: www.instagram.com/nossaressacaliteraria/
comentários(0)comente



Liachristo 22/06/2018

Uma delícia!
Nada Escapa a Lady Whistledown é uma coletânea com quatro lindos contos escritos pelas autoras Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan, onde o mote principal são as tiradas nem sempre espirituosas de Lady Whistledown e onde as situações e os personagens se entrelaçam e dividem o mesmo tempo e em algumas situações até se encontram nas mesmas festividades.

Desde que li Os Bridgertons, onde tive meu primeiro contato com esta ardilosa senhora, ou será senhorita?, que me sinto fascinada por ela. Quando descobri quem era, foi pra mim uma imensa surpresa, pois juro a vocês que não tinha conseguido adivinhar. Julia Quinn me enganou direitinho. rsrsrsr
Lady Whistledown é aquela personagem que mesmo não sendo a principal, faz com que a história ganhe um outro significado. Astuta, de mente sagaz e cheia de ideias que na maioria das vezes se tornam verdades, ela conduz com maestria sua coluna, deixando a alta sociedade londrina em polvorosa!

Em Nada Escapa a Lady Whistledown, estaremos novamente a mercê de sua língua ferina e mente mais que antenada em tudo que acontece em meio aos seus pares.

Eu já li e resenhei o primeiro livro desta duologia, e para saber mais sobre Lady Whistledown Contra-ataca, só clicar aqui. Eu gostei muito deste primeiro, mas achei que a dita senhora tinha pegado meio pesado com alguns personagens e até mesmo estranhei um pouco o seu jeito. Já neste livro a lady estava de volta ao seu normal e gostei ainda mais das histórias que são fofas e divertidas. Vou falar um pouco do que senti com cada conto e tentar mostrar para vocês, porque vale a pena conferir esta nova aventura por Londres!

Um Amor Verdadeiro de Suzanne Enoch - Um certo marquês recluso, que não gosta de frequentar Londres na temporada e que já faz muito tempo não aparece. Uma mocinha animada, que gosta muito de usufruir de todas as comodidades londrinas, que gosta muito de reuniões e festas e que está sempre cercada de muitos pretendentes! Uma notícia meio que escandalosa, noticiando que esta tal mocinha, a senhorita Anne Bishop, está fazendo anjinhos na neve com um cavaleiro que não é o seu noivo, o marquês Halfurst, a quem é prometida desde a infância, faz com que o lorde recluso, resolva finalmente abandonar seus afazeres e parta para Londres para reivindicar sua noiva. Só que nada será fácil para este lorde, pois a tal mocinha tem opiniões próprias e não pretende se enterrar no interior e abandonar sua vida por um noivo que mal conhece!
Finalmente, ela levantou o rosto para encontrar o olhos de Maxmiliam. Expirando profundamente, como se a estátua que ele se tornara ganhasse vida, ele baixou o rosto e tomou os lábios dela em um beijo ardente.
Eu adorei essa mocinha! Não se deixa influenciar pelos outros e mesmo sendo inocente e até mesmo um pouco ingênua, sabe bem o que quer e não cede ao mocinho logo de cara. Ela dá uma canseira nele e o faz ter bastante trabalho para conquistá-la e fazê-la se apaixonar. Por outro lado Max, para os íntimos, me surpreendeu com sua tenacidade e sua determinação em conquistar a sua noiva.

Dois Corações de Karen Hawkins - Um conhecido libertino, Royce Pemberley, tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama, senhorita Elizabeth Pritchard se encanta por outro cavalheiro.
Meg o acusara de não enxergar a verdadeira Lisa, mas estava errada. Royce enxergava Liza. Conhecia a curva de suas maças do rosto, a cor exata de seus olhos, a maneira na qual o lábio inferior se alargava um pouco mais do que o superior quando sorria. Ao fixar os olhos naqueles lábios, sentiu um calor que lhe causou arrepios.
Nem preciso dizer que esta história é muito linda! Um homem que nunca se deu conta que a mulher da sua vida vivia por perto há muitos anos, e uma mocinha que por mais que estivesse encantada por ele, há muitos anos, não tinha coragem de demonstrar seu interesse com medo de macular a amizade perfeita que tinham. Os dois juntos são maravilhosos! Se complementam de todas as formas importantes para que um casal viva bem e seja feliz. A senhorita Elizabeth é uma figura! Não está nem aí para a moda, para o que pensam sobre ela, é totalmente independente, inclusive financeiramente, e muito divertida. Minha única reclamação é que acaba rápido demais e eu adoraria ter mais tempo com eles.

Para ler a resenha completa, vá ao Doces Letras

site: http://www.docesletras.com.br/2018/06/resenha-nada-escapa-lady-whistledown.html
comentários(0)comente



Débora - @imperiodoleitor 05/07/2018

Super divertido e apaixonante!
Em Nada escapa a Lady W. teremos mais colunas engraçadas da fofoqueira misteriosa de Londres, narrando acontecimentos de quatro contos pra lá de apaixonantes.
-
Um amor verdadeiro - Suzanne Enock
Lady Anne Bishop teve sua mão prometida ao Marquês da Halfurst (Maximilian) quando ainda era criança. Mas 19 anos se passaram e ele nunca apareceu, porém depois de ter lido uma coluna sobre o comportamento de Anne com outro homem, o Marquês volta para Londres com o intuito de finalmente ganhar o coração da moça. Sera que Anne vai facilitar as coisas pra ele?
-
Dois Corações - Karen Hawkins
Sir Royce Pemberley sempre foi um libertino assumido que não quer ter compromissos, mas tudo muda quando sua melhor amiga Srta. Elizabeth Pritchard demostra interrese por outro homem, e dessa amizade um amor lindo irar surgir. Vale a pena dar uma chance ao amor?
-
Uma dúzia de Beijos - Mia Ryan
Após a morte do pai de Lady Caroline Starling (um Marquês) ela e sua mãe foram despejadas da casa que viviam para que o novo Marquê de Darington tomasse posse. Anos depois esse novo Marquês (Terrance Greyson) retorna a Londres e se encanta com a bela Caroline, mas mal sabe ele que ela é a mesma jovem que ele despejou. E agora ele está disposto a conquistar a antiga moradora. Boa sorte para ele, porque não vai ser fácil!
-
Trinta e seis cartões de amor - Julia Quinn
Lady Susannah Ballister foi cortejada por Clive Mann o irmão do conde de Renminister, mas na hora de fazer o pedido de casamento Clive escolheu outra moça, e se sentindo rejeitada decidi ir morar no campo. Meses depois, de volta a Londres ela acaba encontrando com o próprio Conde (David) e uma forte atração surge entre eles. E agora? Sera que Susannah se permitira se envolver com o irmão do canalha que a largou?
-
*Minha Opinião*
-
Encantadores e apaixonantes! E assim defino todos os contos escrito por essas autoras maravilhosas. Me diverti muito lendo as colunas de fofoca da Lady W., e a cada casal que foi se formando ao longo do livro me arrancava suspiros e aqueceu meu coração com um sentimento bom.
-
Esse segundo volume da Duologia sem dúvida é o meu preferido. Super recomendo!
-
Resenha por: Débora Barboza
Instagram Literário: Império do Leitor

site: https://www.instagram.com/p/BkN-ovDlw5J/?taken-by=imperiodoleitor
comentários(0)comente



Dé... 14/06/2018

O livro tem em destaque o nome da autora Julia Quinn na capa porque ela criou, digamos, que a ambientação dessa série e coordenou todas as histórias, mas outras autoras que são maravilhosas escrevendo livros de época, contribuíram cada uma com uma história, são elas: Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan.

Não vou me estender falando individualmente de cada conto, mas vou falar do livro como um todo, e ele até pode ser considerado mesmo uma obra só...

Eu paguei minha língua com esse livro, porque sempre disse que não gostava de livro com vários contos, que preferia um livro com apenas uma história, que em poucas páginas era impossível escrever uma história sólida e mais um monte de bobagens, agora eu vejo... tanto que li fora de ordem porque quando o primeiro livro da série saiu, eu nem dei bola... aí assim que terminei de ler esse, estava tão encantada que saí que nem uma louca atrás do primeiro... então eu garanto, por experiência própria, que não é necessário você ler os livros em ordem... mas... será mais gostoso se você tiver lido a série Os Bridgertons até o livro do Colin pelo menos...

Primeiro de tudo a ideia de explorar as crônicas da maior fofoqueira de Londres é sensacional, confesso que achei que a série Os Bridgertons perdeu muito do seu brilho quando a fofoqueira anônima foi desmascarada e encerrou suas colunas, isso deveria ter acontecido só no último livro da série... então ressuscitar a coluna dessa forma é genial...

Em segundo lugar as tramas das quatro histórias estão perfeitamente amarradas pois elas convergem para um evento em particular, os personagens dos contos se encontram, falam uns dos outros, então é como se você lesse cada história em uma perspectiva diferente, mas que todas fazem parte de um todo...

Sinceramente não consigo apontar qual dos contos eu amei mais... talvez o segundo conto tenha uma leve vantagem pois tem personagens mais maduros e com personalidades mais exóticas, mas a escrita das autoras é tão semelhante que eu teria dificuldade em apontar quem escreveu o que, e até mesmo apontar que não foram escritas pela mesma pessoa se já não soubesse...

Já havia visto vários livros onde autores se juntam para formar uma só obra com vários contos, geralmente com temas semelhantes, mas como esse, sinceramente nunca vi igual e juro juradinho que não vou mais torcer o nariz pra esse tipo de livro, pelo menos não antes de lê-lo...

Mesmo para quem nunca leu um livro de época, esse é um bom início... as histórias são curtas, dinâmicas e tão envolventes que eu queria mais, um livro inteiro pra cada casal pelo menos... para quem gosta de livros de época, esse é um daqueles que nos enchem de suspiros...

site: http://www.leituranossa.com.br/2018/06/nada-escapa-lady-whistledown-lady.html
Ray 15/06/2018minha estante
undefined




Beta Oliveira 19/06/2018

A direta, mordaz e observadora Lady Whistledown está de volta. E junto com ela vamos acompanhar os desencontros durante uma temporada muito surpreendente na Inglaterra. Afinal de contas, se o Tâmisa congelou, tudo pode acontecer!
Foi uma delícia poder relaxar aprendendo e lendo mais sobre os personagens. E torcer por mais livros assim, leves e que me fazem rir!

O texto completo está no Literatura de Mulherzinha.

site: http://livroaguacomacucar.blogspot.com.br/2018/05/cap-1475-nada-escapa-lady-whistledown.html
comentários(0)comente



Ana @thelastfewpages 28/07/2018

Ah, querida leitora...
Lady Whistledown está de volta para comentar sobre os assuntos mais badalados dos salões de Londres. Dessa vez, porém, não teremos um misterioso roubo. Os contos ficaram por conta apenas do romance, ainda que os diferentes protagonistas se cruzem aqui e acolá, como aconteceu no livro anterior.

🌿Um amor verdadeiro
— Suzanne Enoch
⠀para o primeiro conto livro, eu esperava bem mais. Aqui temos uma breve história de "amor" com uma protagonista extremamente preconceituosa e um romance pouco desenvolvido e cheio de obstáculos. Não me conquistou, nem me convenceu. | nota: 2,5

🌿Dois corações
— Karen Howkins
⠀nesse conto temos uma história de amor entre dois grandes amigos, que poderia até ter sido meu conto favorito se eu não tivesse demorado tanto a me conectar com os personagens. Foi uma história bem delicada e fofo. | nota: 3,5.

🌿Uma dúzia de beijos
— Mia Ryan
⠀esse conto foi um daqueles casos em que a gente queria que tivesse mais. É o mais curtinho do livro e por isso acontece tudo muito rapidamente. Ainda assim, foi um dos contos mais fofos e com personagens mais adoráveis do livro. Queria mais da história de Linney e Terrance. | nota: 4,0.

🌿Trinta e seis cartões de amor
— Julia Quinn
⠀esse foi o conto que mais me convenceu, embora tenha tido momentos em que eu seriamente duvidei do casal. No entanto, o romance foi bem desenvolvido e me deixou com um gostinho de quero mais. Foi o meu favorito dos quatro. | nota: 4,5.

Nada Escapa a Lady Whistledown foi um livro rápido de ler, com personagens irreverentes e vários momentos cômicos. Mas quanto ao romance, algum deles não me convenceram totalmente. Faltou algo para que me fizesse acreditar no felizes para sempre de alguns casais, por isso minha nota final foi 3,5.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Jeh 13/07/2018minha estante
Por favor, poderia me explicar melhor isso de ser 4 autoras?




Rose 06/05/2018

Um Amor Verdadeiro - Suzanne Enoch
Anne Bishop e o marquês Halfurst foram prometidos em casamento ainda crianças, por conta da amizade entre suas famílias. Fora isso, eles nunca tiveram muito contato, ainda mais depois que Maximilian perdeu o pai cedo e teve que assumir os negócios da família que não iam muito bem.
Ele que nunca gostou da falsidade e futilidade que impera na nobreza, não teve dificuldades em se refugiar e se concentrar em sua fazenda em Yorkshire para não só colocar, como também para reerguer tudo que envolvia seu título.
Durante todo este período, ele ficou bem afastado de Londres e por conseguinte de sua noiva, que cresceu e tornou-se uma bela e atraente jovem.
Anne cresceu em meio aos bailes e ditames de Londres, e como nunca teve notícias de seu noivo, não levava muito a série este futuro casamento. Mas Anne não era nenhuma burra, e se aproveitava do fato de ser noiva para não se ver obrigada pela mãe a arranjar um marido de fato, como todas as outras jovens de sua idade.
Sua vida ia muito bem, do jeito que ela queria, até que uma coluna de Lady Whistledown contou para quem quisesse saber que ela e Sir Royce foram vistos em uma situação um tanto quanto escandalosa para uma moça que estava comprometida com outro homem.
A coluna em questão chegou aos ouvidos, ou melhor, aos olhos do marquês de Halfurst, que percebeu que já havia negligenciado por tempo demais esta parte de sua vida.
Antecipando sua ida a Londres, Halfurst só tinha um propósito, reafirmar seu compromisso com sua prometida e realizar de uma vez este casamento. Ele só não esperava encontrar em sua chegada, uma moça decidida, que não estava nenhum pouco afim de se enfiar no meio do mato, e muito menos esperava se interessar de verdade pela moça, que era uma bela combinação de beleza e inteligência.
Anne, estava cheia de pretendentes, e para onde Halfurst olhava, algum nobre fazia a corte para sua noiva. Decidido a voltar casado para sua fazenda, ele tinha não só a missão de conquistar de uma vez o coração de sua noiva, como principalmente vencer sua resistência em relação a sua pequena Yorkshire.

Dois Corações - Karen Hawkins
Elizabeth Pritchard teve que aprender cedo a se virar e cuidar de si mesma. Dona de uma inteligência nata e de um humor mordaz, aprendeu a não se intimidar com opiniões alheias, e a fazer o que quer, dando sua opinião mesmo a quem não estava querendo ouvir.
Liza fez seu próprio dinheiro crescer, e sendo totalmente independente, marido era um quesito que estava longe de suas preocupações, até que percebeu que algo faltava em sua vida. E foi assim que Lady Whistledown contou em sua coluna um possível casamento entre Liza e lorde Durham.
Esta notícia caiu como uma bomba no colo de lady Margaret Shelbourne, amiga mais próxima de Liza, que a tinha como uma irmã. Sem conhecer muito bem quem era lorde Durham e suas verdadeiras intenções em relação a Liza, ela pede ajuda a seu irmão, sir Royce Pemberley, para saber se a notícia era verdadeira e se ambos tinham motivos para se preocuparem com Liza.
A notícia não assustou apenas Margaret, mas também a Royce que estava mais do que acostumado a ter Liza sempre a seu lado, sendo não só sua melhor amiga, como sua confidente. Era para Liza que ele sempre recorria quando precisava de ajuda ou conselho. Era Liza quem tão bem entendia seu humor e suas atitudes. Era Liza quem não poupava seus ouvidos seja em relação a broncas, seja em relação a qualquer coisa que lhe dizia respeito.
Royce estava acostumado a ter as mulheres a seus pés. Além de dono de um título que chamava atenção, era também dono de uma beleza sem igual e de um carisma que conquistava sem muito esforço. Ele sabia como agradar as mulheres, e não tinha muitos problemas em conquistá-las. O problema era que ele perdia o interesse muito rápido, e não via motivo nenhum a prender-se em um casamento quando podia se divertir por muito tempo ainda.
Por isso, este libertino assumido, não estava conseguindo entender muito bem sua reação em relação a notícia de casamento de sua amiga Liza. Ele não ia deixar que um homem qualquer tirasse Liza de sua vida. Por conta disso, ele estava disposto a cavar bem fundo e descobrir todos os podres deste propenso pretendente, e no meio deste caminho, a colocar um pouco de juízo na cabeça dura de Liza.
O problema era que Durham não era nenhum aproveitador, em compensação, ele e Liza não tinham nada em comum, e Liza iria sofrer se viesse a se casar com ele. Liza precisava de um homem que a aceitasse como ela era, única. E foi neste momento que Royce percebeu que Liza realmente era a única, a única mulher capaz de fazê-lo feliz. E isso era o suficiente para que ele lutasse pelo amor da mulher que morava em seu coração há tantos anos.

Uma Dúzia de Beijos - Mia Ryan
Havia muitos rumores a cerca do Marquês de Darington, mas de concreto mesmo, era seu jeito arrogante, e o fato de ter expulsado a viúva do então Marquês de Darington e sua filha de Ivy Park, o lugar que sempre moraram.
Na época em que herdou o título, Terrance era um soldado que fora gravemente ferido, e usou Ivy Park para se recuperar de seus ferimentos. Esta decisão acabou custando a saída de lady Caroline Starling (Linney) e sua mãe, fato que nenhuma das duas digeriu ou aceitou muito bem, mesmo já tendo se passado 3 anos.
Agora Darington estava em Londres, e pelo visto, a procura de uma esposa, justamente na mesmo época em que Linney estava para ser pedida em casamento por Ernest Wareing, o conde de Pellering, o que não estava deixando a moça muito feliz.
Terrance e Linney nunca se encontraram e nem tinham ideia do que acontecia na vida um do outro. Mas este fato mudou quando de forma inesperada eles se conheceram no teatro. O contato foi rápido e eles nem sabiam quem de fato eram, mas foi o suficiente para que ambos ficassem com a imagem um do outro em suas cabeças.
Então já podem imaginar a surpresa que Linney teve quando soube que o dono da covinha charmosa que lhe ajudou era o mesmo que friamente havia lhe expulsado de sua própria casa.
Se de um lado Linney tinha muitos motivos para odiar Terrance, era verdade também que ela estava atraída por ele, sem falar que a simples ideia de casar com Ernest a fazia ter vontade de sentar e chorar.
Mas como poderia pensar em algo de concreto com um homem tão arrogante como Terrance, que sabia apenas dar ordem e que ao mesmo tempo que lhe falava algo doce, também lhe jogava um balde de água fria?
Sem saber dos problemas que Terrance enfrentava por conta das sequelas de seus ferimentos, Linney não estava disposta a ser um joguete nas mãos deste arrogante marquês. Agora Terrance precisava usar sua inteligência para que Linney entendesse que não era arrogância que tinha, mas problemas reais. Ele tinha apenas uma chance, e usaria da forma correta. Só esperava que fosse suficiente para Lenny entendê-lo.

Trinta e Seis Cartões de Amor - Julia Quinn
Susannah Ballister sabia muito bem o que era ir do céu para o inferno em apenas uma temporada. Ela, que fora vista como a joia da temporada londrina de 1813, terminou a temporada se auto-exilando na casa de campo da família, quando seu pretendente, o Sr. Clive Mann-Formsby, o mesmo que a cortejou e esteve a seu lado por praticamente toda a temporada, pediu a mão da Srta. Harriet Snowe em casamento!
Sim, foi o escândalo da temporada e a humilhação pública de Susannah, que pelas línguas ferinas, foi posta em seu devido lugar, pois para eles, ela achava que seria possível conquistar um casamento de ponta, mesmo não tendo um sobrenome de peso.
Agora que o inverno de 1814 estava a todo vapor, e a sociedade estava aproveitando, Susannah percebeu que precisaria de cada gota de seu orgulho para continuar de cabeça erguida diante dos sussurros que aconteciam ao seu redor.
E foi por isso que ela viu com surpresa e desconfiança o convite de David, o conde de Renminster, irmão mais velho de Clive, para uma dança. Justamente o homem que não via com bons olhos um casamento entre ela e o irmão que a preteriu.
David realmente não achava que Susannah e Clive deveriam se casar, mas seus motivos eram bem diferentes do que Susannah imaginava. Para David, seu irmão precisava de uma mulher que precisasse dele, que o fizesse crescer como pessoa, e não uma tão decidida como Susannah.
Por conta disso, e principalmente da atitude irresponsável do irmão em relação aos sentimentos de Susannah, David sentia-se em débito com a jovem. Mas a verdade é que a dança que tiveram fez o conde notar que a jovem tinha muito que lhe interessasse.
Susannah já tivera seu quinhão de sofrimento e humilhação, e não estava disposta a se deixar levar pelo charme de um conde que nunca viria a se casar com ela, mesmo que ambos estivessem se dando tão bem. Ser abandonada por um Mann-Formsby já custara muito caro, ser abandonada por dois, seria o seu fim. Ainda mais quando ela desconfiava que tudo não passava de um jogo de poder entre dois irmãos.
David sempre fez tudo o que pode para proteger Clive, e talvez este tenha sido o seu erro. Mas Clive não era uma má pessoa, apenas precisava crescer mais como homem. Mas ele não estava disposto a tolerar que o irmão voltasse a se aproximar de Susannah, principalmente agora que estava casado com Harriet, e que ele mesmo estava com o coração nas mãos da jovem Susannah. Mas como lutar contra o poder de atração de Clive parecia exercer sobre todos e até mesmo sobre a mulher que tanto magoara?
David estava disposto a casar com Susannah, mas seria ele capaz de superar o amor que ela tinha pelo irmão? E justamente de onde ele menos esperava, é que surgiu a direção que deveria tomar para ganhar de vez o coração da jovem. Mas isso não seria fácil, mesmo para o conde, que não estava acostumado a ações tão grandiosas e românticas que o momento pedia. Será mesmo?


Mais uma vez as autoras conseguiram amarrar os quatro contos de forma harmoniosa e concreta. Me encantei com todas as histórias de forma diferente, assim como os personagens. É verdade que Anne Bishop do conto Um Amor Verdadeiro, o primeiro do livro, foi uma personagem que me deixou em cima do muro. Ela não é uma personagem chata ou coisa parecida, mas a sua firme decisão de não aceitar Halfurst apenas pelas aparências e pelo fato dele ser um então criador de ovelhas na pequena e inóspita Yorkside, me fazia vê-la como uma preconceituosa em muitos momentos. O pior é que ela nem conhecia o local, ou a vida dele para pensar assim, o que me deixava com mais raiva. Na outra ponta, desenvolvi um enorme carinho por David e Terrance. Terrance pelos problemas de comunicação que precisava enfrentar e que se a sociedade descobrisse, faria dele a piada da vez, e David pelos atos que demonstrou e pela seriedade e cuidados com o destino de Linney. Todos os contos são deliciosas histórias que saem das colunas de fofoca e ganham vida. Leiam e comprovem!

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3