As Filhas da Noiva

As Filhas da Noiva Susan Mallery




Resenhas - As Filhas da Noiva


28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Feh 18/06/2020

Um dos melhores livros que eu li em 2020, como existe um pouco de comédia dentro dele, é ótimo para escapar da realidade e esquecer a realidade que nos cerca, principalmente no fato de estamos em quarentena.

Mas mais do que um romance pastelão, a história é centrada na família da noiva, que não poderia ser outra coisa se não perfeitas, eu amo essa dinâmica famíliar em livros e foi uma grata surpresa, os acertos e erros das filhas é muito bem explicado e detalhado.

A escrita da autora é em terceira pessoa, o que pode ser estranho para quem não é acostumado (eu sempre vou preferir em primeira), mas não me senti incomodada, muito pelo contrário, serviu para eu conhecer todos os personagens e saber o que eles estão sentindo. Sem falar a escrita foi perfeita, a autora usou de detalhes e umas cenas de comédia foram muito bem narradas.

Meu livro favorita de 2020 sem dúvida
comentários(0)comente



Luana Dorneles 30/06/2020

Gostei muito dessa leitura principalmente do desenrolar da história das irmãs leitura leve que te prende até o final.
Geovanya 30/06/2020minha estante
Olá! Sou nova nesse App, poderia me dizer como faço para realizar a leitura?




Queria Estar Lendo 24/06/2018

Resenha: As Filhas da Noiva
As filhas da noiva é o lançamento do mês da editora Harlequin, e que nos foi cedido para resenha. O livro de Susan Mallary conta a histórias de três irmãs no pouco tempo que antecede o casamento da mãe delas. Com humor e leveza a trama que tem seu foco nos romances não perde sua característica mais própria, o drama e as relações familiares.

Maggie está prestes a se casar, vinte e quatro anos depois de ter perdido seu marido e ficado sozinha com três filhas para criar. Agora as três mulheres se encontram cada uma em uma fase da sua vida, com seus próprios problemas e cicatrizes do que a perda do pai deixou. Courtney é a mais nova e o patinho feio da família, desajeitada e tendo sido aquela que "ficou para trás", tem uma relação complicada com a mãe e a irmã do meio. Sienna, a mais bonita e inteligente das três, tem um emprego que ama e onde pode ajudar outras pessoas, mas acaba de ficar noiva pela terceira vez e não faz a mínima ideia se ama o noivo ou não. E por último Rachel, a irmã mais velha, que apesar de estar divorciada a dois anos após a traição do marido ainda se encontra total e completamente apaixonada por ele.

"- Você me rejeitou. - A mãe suspirou. - Talvez dê para dizer que eu rejeitei você primeiro."

O que parecia apenas mais um livro bobinho de romance acabou se mostrando uma história que tem em seu cerne os dramas familiares, que mostra como essa relação afeta a todos das mais diversas formas, que todo mundo tem suas cicatrizes e que, no final, mesmo aqueles que nos amam podem nos machucar. Ainda que não intencionalmente.

Uma das coisas que eu mais gostei é que você pode ficar buscando culpados e apontando dedos, mas a verdade é que no fim todas tem sua culpa e também suas cicatrizes. Sim, podemos nos identificar e apoiar mais uma do que outra, mas é inegável que todas ali exercem influência sobre a vida de todas. Exatamente como acontece na vida real e nas famílias reais.

Courtney foi minha personagem preferida e aquela com quem mais me identifiquei. Talvez seja o fator da idade, ou por seu momento de vida ser mais parecido com o meu do que as demais, ou por eu também ser caçula, quem sabe. Mas o fato é que a garota alta e desajeita a quem todos julgam e esperam algo melhor acabou conquistando meu coração.

"Courtney conhecia o perigo. O amor doía. Sempre. Todos os tipos de amor. Se você ama alguém, vai se machucar. Era assim. E não queria isso. Nunca."

O fato sobre ela é que Courtney teve problemas de aprendizagem quando criança e demorou muito para perceber, por isso acabou perdendo dois anos da escola e adquirindo um complexo relacionado a sua capacidade. Agora, aos vinte e quatro anos e com o cargo oficial de camareira do hotel, ela sente que precisa provar aos outros e a si mesma que é muito melhor do que eles pensam. É parte deste complexo de inferioridade que faz com que ela não acredite que Quinn, um produtor musical muito famoso e também neto da dona do hotel em que trabalha, possa ter algum interesse real nela além de sexo sem compromisso.

"Ele tem razão, pensou ela, sentindo-se zonza. Estava deixando seus medos tomarem conta. David a amava. Deveria confiar nisso. Confiar nele. Talvez, ao fazer isso, aprendesse a confiar em si mesma."

Sienna por outro lado é a garota de sucesso da família. Além de linda e confiante, ela é a melhor em seu trabalho em uma ONG que ajuda mulheres que sofreram agressão domiciliar. O drama de Sienna está em sua vida amorosa, agora que seu então namorado acaba de lhe pedir em noivado em pleno jantar de noivado da sua mãe. Porque Sienna não sabe se ama ou não David, e esta já é a terceira vez em que ela fica noiva. Será que o problema está nos noivos, que não eram certos, ou nela?

Rachel, por fim, vive uma situação muito diferente da das irmãs. Divorciada há dois anos e com um filho de 11 pronto para entrar na adolescência, ela precisa se multiplicar para dar conta do salão, cuidar da casa e ainda participar de todas as atividades extras que envolvem Josh, como por exemplo ser a mãe responsável por levar os lanches nos jogos de beisebol. Para completar, adicione na lista um ex-marido lindo - e que ela ainda ama! - que nunca se faz ausente e que, diferente dela, não parece ter sofrido nada com a separação. É claro que com tudo isso no seu prato, Rachel acabou deixando algumas coisas de lado, sendo uma delas a si própria.

A relação entre os personagens foi muito interessante, principalmente entre as irmãs e a mãe. Gostei principalmente de Courtney e Quinn, que poderiam ter dado errado de inúmeras formas, mas que se mostraram como um casal saudável e shippável. Vou ressaltar, porém, que não acredito que a diferença de idade fosse necessária e que esse ponto, na verdade, apenas serviu para ressaltar a questão de autoridade, o que me incomodou um pouco. Não aprecio histórias onde seja necessária uma presença masculina para que uma mulher perceba todo o seu poder, e ainda que de forma leve acredito que isso possa ter ocorrido um pouco aqui sim. Courtney é muito mais do que um projeto, e talvez se a autora tivesse manerado nas características autoritárias e de poder dadas ao Quinn isso teria ficado muito mais claro.

"- Vai fazer alguma coisa a respeito?
- Ainda não decidi.
- Por que é você quem tem que decidir?
- Porque você não o fará.
- Ah, isso é verdade. Vai me contar quando decidir?
- Você vai ser a primeira a saber."

A trama da Sienna é a que menos empolga, assim como a personagem, e em parte pode ser por causa da sua prepotência e porque ela é "a mais bonita e inteligente", e nós somos condicionados a torcer pelos em pior situação. O ponto alto do plot da Sienna, pra mim, é a sutileza que a autora usou para mostrar como não estamos salvas, que não importa o quanto a gente saiba e enxergue situações abusivas, todas somos suscetíveis a vivenciar ou chegar perto de vivenciar uma nós mesmas. O abuso também vem por forma de carinho, de manipulação, de um jeito que faz com que você olhe para seu parceiro e se questione o quê há de errado em você, porque obviamente o problema nunca é ele. A mensagem foi bem sutil e infelizmente não acredito que todas vão perceber, mas está lá e é muito importante. Muito mais do que o final, um tanto tosco e corrido - embora totalmente esperado -, dado a personagem.

"Isso era amor? Não parecia nenhuma das definições que já tinha ouvido, mas talvez fosse diferente para cada pessoa. Talvez aquela fosse a sua versão do amor."

O mais complicado pra mim, afora a relação das meninas com a mãe, foi o relacionamento da Rachel com o ex-marido, Greg. O casamento acabou após uma traição, do qual ele prontamente se arrependeu, mas a verdade é que os problemas já eram muitos e existiam muito antes do fato em si. Rachel e Greg eram o casal perfeito a quem todos queriam ser, casaram tão logo ela completou o ensino médio e logo tiveram Josh. O problema é que Greg nunca deixou de ser o garotão atleta da escola e Rachel teve de tomar todas as responsabilidades pra si, algo que ela já estava acostumada já que fez o mesmo com as irmãs mais novas. E agora vem o que me incomoda na relação entre eles: eu entendo que eles se amam, eu sei que ele se arrepende e que a traição não significou nada, mas eu não consigo lidar com a presença constante dele na vida da Rachel e do filho ou em como ele simplesmente decide ser agora o homem que nunca foi antes.

Porque esta é a trama da Rachel no livro, seu ex-marido tendo descoberto suas falhas no casamento, assim como as dela, e ter decidido tentar ser um homem melhor. Isso é ótimo, realmente é, principalmente porque eles ainda se amam, mas a imposição da presença constante me dá nos nervos, assim como todo o papinho de auto ajuda pra cima dela. Ele está certo, eu sei, mas não rola pra mim. Eu já teria mandado a merda há muito tempo. Ou seja, minhas críticas nessa questão são muito mais pessoais e dizendo respeito a minha personalidade do que ao livro ou o personagem em si.

As filhas da noiva é um livro muito bom e que eu li rapidamente, dá pra perceber as nuances que a autora colocou e, se quiser, muitos pontos da história podem ser analisados mais a fundo. Para evitar qualquer possibilidade de spoilers, não vou fazer isso, mas estou aqui caso alguém queira discutir sobre. Quanto a parte gráfica a capa é linda e eu amei o trabalho com os tons das cores, mas preciso dizer que encontrei erros de revisão no texto: nomes trocados, palavras erradas e até uma ou outra frase com pequenos erros de tradução.

Perfeito para uma leitura de final de semana, leve, divertido e com uma boa trama familiar para contar. As filhas da noiva é o livro indicado para quem gosta de um bom romance com uma história sólida de fundo.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2018/06/resenha-as-filhas-da-noiva.html
Carol 04/07/2018minha estante
Excelente resenha.




Boo 04/07/2020

Tudo sobre se curar
Eis um livro doce, divertido e tocante. A medida é perfeita em doses sutis de comédia e drama, tudo narrado como a vida. Como ela acontece e nos vemos em meios aos acontecimentos que nos atropelam... As três irmãs do livro tem suas histórias independentes contadas de forma a te prender em todas. Courtney para mim foi amor instantâneo. Todas as complicações super expostas a todos, faz com que nós como leitores fiquemos torcendo por ela de imediato. Rachel como a irmã mais velha e responsável vai ganhando seu espaço ao longo do livro e despercebidamente vai caindo nas graças de quem lê. Sienna talvez seja a maior virada... Começando com um temperamento que parecia distante, mas que aos poucos mostrou todos os "porquês" que nossas mentes escondem. Os pares não fazem por menos... Seus interesses amorosos são ricamente construídos e várias vezes é fácil ver neles os esteriótipos masculinos que encontramos na vida. O livro todo é muito fácil de se identificar e é tocante ver os personagens seguindo com suas vidas mesmo com todos os problemas. Terminei de ler com um sorriso no rosto e o coração quentinho.
comentários(0)comente



Vivendo de Romances 02/06/2020

No geral o livro é bom, mas tem algumas coisas que me incomodaram durante a leitura. A escrita é leve, o enredo é divertido e os personagens são o cativantes, mas me incomodou muito a autora querer trazer três histórias principais dentro de um único livro, isso fez com que alguns problemas surgissem como:

- A mudança a de foco é muito rápida, de um parágrafo para o outro. Isso deixou a narrativa um pouco confusa e o leitor precisa de um tempo para se acostumar

- Por ter 3 histórias acontecendo juntas nenhuma delas aprofundou muito e fiquei bem chateada com isso pois todas eram incríveis e poderiam ser muito melhor aproveitadas se contadas separadamente

Como disse anteriormente o livro não é ruim, ele é relativamente bom. Só acho que não é tão bom quanto os outros trabalhos de Susan Mallery, com certeza de todos os que li esse é o mais fraquinho. O livro é divertido e cheio de amor, confusões e segredos mas mesmo assim não consegui me conectar com a história.
comentários(0)comente



Beta Oliveira 19/06/2018

O mais importante deste livro não passa pela realização emocional vinculada a um homem (sim, haverá a parte relacionamentos amorosos das três), mas o pulo do gato está nas garotas – e na mãe delas - finalmente lidarem com os próprios fantasmas e sentimentos. Muitas pessoas tendem a ser as suas piores inimigas, por se cobrarem excessivamente e por não serem generosas e saberem perdoar a si mesmas. Rachel, Sienna e Courtney precisavam encontrar as verdadeiras bases de sua autoconfiança. Assim se tornariam disponível para o melhor que a vida poderia lhes oferecer.

O texto completo está no Literatura de Mulherzinha.

site: http://livroaguacomacucar.blogspot.com/2018/06/cap-1481-as-filhas-da-noiva-susan.html
comentários(0)comente



Sarah.Raphaele 09/07/2018

Quando dominar os saltos, terá dominado seus medos.
“As Filhas da Noiva” foi a primeira obra de Susan Mallery que li e já correrei atrás de mais! Como o título sugere, o foco está nas três filhas: Rachel, Siena e Courtney. O casamento da mãe delas (Maggie) é um plano de fundo encantador que você vai adorar acompanhar e as três protagonistas tem histórias bem impactantes. Vale ressaltar que a maior parte das histórias envolve Courtney (inclusive as partes mais quentes do livro). Apesar de todas terem algum envolvimento amoroso, o livro não foca em casaizinhos. É uma história sobre família.

A obra é recheada de temas que te levam a refletir e a ter insights o tempo todo: traição, rejeição, perdão, superação, autoconhecimento, autoconfiança, convivência familiar, entre outros. A autora ainda abordou, mesmo que de forma leve, a violência doméstica contra a mulher (para não nos deixar esquecer a seriedade do assunto).

O que falar dessa noiva, gente? Maggie é surpreendentemente criativa! Dei altas risadas com tanta originalidade. Rachel é a mais velha das irmãs e uma segunda mãe pras outras. Siena é a irmã do meio que é praticamente uma miss simpatia com síndrome de “dona flor e seus três maridos” (ou quase maridos né?). Courtney é a caçula, a protagonista entre as protagonistas e o personagem mais surpreendente. Sério, adoraria ver uma adaptação desse livro nas telinhas (não custa sonhar né? Rs).

A narrativa é em terceira pessoa na maior parte do tempo, mas os diálogos são bem alternados. Tudo isso faz com que ler seja uma delícia. Nesta edição há alguns erros de digitação que não fazem diferença na leitura, mas em algum momento o filho de Rachel recebe outro nome e fica por isso mesmo (afinal é Josh ou John?). No mais, é uma leitura apaixonante e divertidíssima! A autora soube manter vários mistérios para as páginas finais de forma não maçante e sem atropelar ou forçar nada. Recomendo muito!

Se a autora quis passar alguma mensagem, acredito que seja:

É difícil ser mais quando as pessoas que deveriam te dar amor insistem em te ver como menos, mas não devemos exigir nada de ninguém além de nós mesmos. Perdoar nos faz mais fortes. É muito bom conseguir fazer as coisas sozinho, mas devemos aceitar a ajuda dos outros. Aceitar ajuda é um ato de nobreza. Fique com alguém que seja uma força positiva em sua vida. Alguém que te ajude a alcançar seu potencial. Mais que estar disposto a casar, devemos estar dispostos a ser um bom cônjuge. Relacionamentos só são complicados se você deixar que sejam. O amor não machuca, a perda dele o faz. Todo mundo tem medo de vez em quando, o truque é não deixar isso te controlar. Precisamos acreditar em nós mesmos. Saber que seremos fortes o bastante para sobreviver ao que acontecer. Mais que reconhecer os erros, devemos aprender com eles e mudar. Atitude faz toda a diferença. Simplesmente tome as rédeas e faça o que precisa ser feito.
comentários(0)comente



Livia Barini 24/09/2018

Razoável
Estava procurando um romance água com açúcar para passar o tempo. E este livro é levinho e bem escrito.
O que me incomodou, e muito, foi a personagem Rachel. Ela se casou nova e ficou grávida na lua-de-mel, o marido não estava preparado para ser marido ou pai e a responsabilidade caiu toda nas costas dela. Anos depois ele dorme com outra e eles se divorciam.
O casamento acabou por que? Porque ela não sabia pedir ajuda. Claro ela ia ligar para ele lá na balada, pedir ajuda com a roupa acumulada e ele ia voltar para casa feliz e saltitante. Fala sério ... Vamos colocar as coisas na perspectiva correta: o casamento acabou porque o cara era imaturo ! Se ele fosse maduro, ela não precisaria pedir ajuda; ele não estaria vivendo vida de solteiro, sendo casado.
E o pior: isso foi escrito por uma mulher.
Lamentável ...
Júlia 30/09/2018minha estante
Exatamente o que me incomodou no livro! Achei isso péssimo


Manu 01/10/2018minha estante
Nem vou ler esse livro


Leticia 15/11/2018minha estante
Vem cá, amiga, me abraça, porque olha... cada vez que ele culpabilizava a Rachel pelo fim do casamento eu tinha vontade de socar a cara do homem. Mano do céu, é sério, a parte deles me fez ter vontade de largar o livro várias vezes. Das três filhas só a Courtney salvou das filhas, a Sienna também me deixou bem morna. Enfim, é um livro ok, não recomendaria.




Manu - @LivrosUai 19/06/2018

Que livro, meus amigos!!
❝ [...] Porque amar alguém significa entregar seu coração completamente, e, quando você faz isso, não tem defesas. Está à mercê da outra pessoa. ❞

Sabe aquele livro que você pega para ler mas não espera muito dele e acaba se surpreendendo? As filhas da noiva foi esse livro. Nesse livro conhecemos Maggie, mãe de tres filhas completamente diferentes. Depois de anos viúva, Maggie finalmente encontrou Neil para ser seu ponto de equilíbrio e o que ela mais deseja é casar-se e realizar seu grande sonho.

Courtney é a filha mais nova e a mais desastrada, trabalha como camareira no hotel da melhor amiga da mãe, Joyce. Quando descobre que o neto de Joyce está prestes a se mudar para o hotel, não acredita que será capaz de ser amada por alguém, mas Quinn vem para mudar isso.

Sienna é a irmã do meio e trabalha como arrecadadora de fundos, para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica, e apesar de ser considerada a mais bonita das três, é a mais difícil de lidar. Prestes a ser noiva pela terceira vez, ela se pergunta se David é o cara certo para casar.

Rachel é cabeleireira e a mais velha das irmãs, tem um filho de 11 anos, fruto de um relacionamento com seu ex marido, Greg. Diante de seu intenso trabalho, Greg ressurge e começa a provar que mudou e Rachel terá que escolher entre seu próprio orgulho e a tão desejada felicidade.

As filhas da noiva é um livro para te tirar de uma ressaca, é um livro família e acima de tudo um livro que trata de assuntos importantes como violência doméstica, aceitação, segredos de família e sobre temas que muitas vezes não sabemos como lidar. Diante das três irmãs eu pude escolher minha preferida e no final fiquei desejando um livro somente para ela. Rachel e Greg é a definição de casalzão da porra. Então se você gosta de ler um romance, aqui podemos encontrar 4.

site: https://www.instagram.com/p/BkL3U7sHBOi/?taken-by=livrosuai
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bela Lima 09/07/2018

Foram pequenas coisas que me encantaram, o que eu achei surpreendente.
O casamento de Maggy e Neal aproxima-se e, no meio disso, o que Rachel, Siena e Courtney - as filhas da noiva - não esperavam era que isso tivesse um impacto na vida delas, pois já estão muito bem crescidas e bem com o casamento, a mãe delas merece ser feliz, mas o casamento acaba sendo o ponto de ruptura que coloca o trem nos trilhos e as faz questionar sobre suas escolhas e sobre o amor.

"O amor doía. Sempre. Todos os tipos de amor. Se você ama alguém, vai se machucar. Era assim. E não queria isso. Nunca."

O livro, narrado em terceira pessoa, muda diversas vezes o ponto de vista, não se concentrando apenas nas filhas da noiva, contando diversos pontos de vista, que se complementam e se opõem, sem ser, contudo, mentiras. Há tantas verdades quanto o número de pessoas que as contam. Principalmente dentro de uma família. A percepção de um acontecimento muda facilmente e de maneira drástica, que foi o que eu mais gostei nessa história e deu o tom real ao livro.

Eu adorei todos os personagens. Todos. Principais e secundários e aqueles que aparecem somente de passagem. Eu quero um livro para todos eles, porque todos tem histórias de fundo interessantes e eu adoraria ler mais sobre, porque pode ter sido somente uma passagem, todavia a autora soube deixar claro suas qualidades e seus defeitos, mesclando perfeitamente essas duas coisas sem parecer forçado, e me fazendo querer mais.

"-Sienna é bonita. Você deveria olhar para ela.
-Não estou interessado.
Courtney o olhou espantada.
-Você está interessado em mim?
Mentir seria fácil e provavelmente era o certo a se fazer, mas como sempre, Quinn escolheu o caminho difícil.
-Estou."



Não tenho muito o que dizer sobre as protagonistas do livro além do que está na sinopse, o resto é a história. A autora pegou os clichês da vida e tornou-os reais, bem como os remodelou, dando sentido e propósito a eles. Ela me fez conectar com os personagens através disso. Depois de um divórcio, de uma traição, quem não se sentiria mal e deixaria de se cuidar (Rachel)? Quem não acharia que tem algo de errado com você depois de dois noivados fracassados e de mais um à vista (Siena)? Quem não guardaria rancor de uma família que sempre a considerou incapaz (Courtney)?

Particularmente, eu quero mais um livro sobre dinâmica familiar, porque esse é tema que a autora sabe trabalhar, não acho que eu já tenha lido um livro que soubesse mostrar melhor a dificuldade que é ser uma família e sobre amá-la apesar disso, conciliando tudo sem fazer de uma parte culpada e da outra vítima.

Ser mãe não significa não errar, dizer algumas palavras de brincadeira e sem malícia com uma irmã não quer dizer que não estar machucando-a, e você pode estar lá, ao lado de quem ama, e não ver algo acontecendo, e não vai ser sua culpa, não vai ter nada que você possa fazer. E, algumas coisas, só quem passa pode fazer algo para mudar.

"A verdade, apesar de ser dita com carinho, ainda doía para caramba."

Eu adorei a leitura de As filhas da noiva. Confesso que eu esperava um chick-lit de sempre, cheio de clichês e acontecimentos previsíveis, nada muito surpreendente, mas o livro acabou sendo muito mais do que isso e eu quero mais livros dessa autora. Foram pequenas coisas que me encantaram, o que eu achei surpreendente. A leitura foi ótima. Eu estava lendo aquilo sorrindo. Sabe quando você lê uma parte e é tão fofa e perfeita, que você tem que ler de novo, para ver se é mesmo real e apenas aproveitar, porque nunca é demais? Prazer, essa fui eu durante todo o livro.

site: http://conjuntodaobra.blogspot.com/2018/07/as-filhas-da-noiva-susan-mallery.html
comentários(0)comente



Liachristo 11/07/2018

Muito bom!
As Filhas da Noiva, foi uma das boas surpresas que tive este ano. Uma leitura leve, despretensiosa, gostosa, mas que também me trouxe muitos questionamentos e me fez enxergar algumas coisas sobre um outro prisma. Susan Mallery já é uma velha conhecida. Já li outros livros da autora e gosto muito da sua escrita e da maneira que ela tende a lidar com os dramas e sentimentos de seus personagens. Susan sempre faz com que tenhamos empatia por eles e por seus problemas, e dessa forma eles vão aos poucos nos conquistando e isso é algo que me agrada muito! Acho que uma das principais razões de gostar de suas histórias, é que elas costumam lidar com os dramas cotidianos que todos nós temos em algum momento de nossas vidas. De falar sobre assuntos que parecem bobos, sem importância, mas que na verdade fazem toda a diferença em nossas vidas e são intrínsecos a nossa personalidade.

Três irmãs as voltas com os preparativos do casamento de sua mãe. Três mulheres que estão em uma fase da vida complicada, no limite e a caminho de uma encruzilhada. Uma mãe que apesar de amar suas filhas, não soube bem lidar com alguns de seus traumas e de suas dificuldades. Três filhas, que apesar de amarem a mãe, se sentem de alguma forma ressentidas quanto a ela. Quatro vidas interligadas e entrelaçadas por sangue, amor, dores e a busca pela felicidade!

A sinopse já mostra muito do que esperar da história, mas ao mesmo tempo não é nem um terço de tudo que iremos encontrar no decorrer da leitura. De todas os desdoramentos que acontecem na vida destas mulheres e de como elas irão lidar com eles. De que maneira a morte do pai e o fato de crescerem em meio a dificuldades financeiras e emocionais afeta suas vidas adultas. A forma que a mãe encontra para criar suas filhas, tentando dar o seu melhor, mas ao mesmo tempo cometendo muitas falhas pelo caminho.

Rachel, Sienna e Courtney, são mulheres lindas por dentro e por fora. Têm em suas vidas pessoas adoráveis que as cercam, ajudam, e de alguma forma as fez manter um certo equilíbrio. Maggie, a mãe, passou por muita coisa difícil com a morte do marido e 24 anos depois tem a chance de recomeçar e ter o quinhão de felicidade. Mas sabe que precisa reorganizar sua vida em relação às suas filhas. As quatro precisam deixar o passado para trás, se ajustar ao presente e tirarem seus fantasmas do armário. Porque é desse jeito que elas finalmente vão encontrar os seus felizes para sempre.

Gostei de todos os personagens, são exceção. Todos são bem estruturados, trabalhados, e críveis. Todos passíveis de erros, acertos, enfim gente como a gente. A dona do hotel Los Lobos, onde ocorrem a maioria das cenas, é uma figura maravilhosa! Em muitos sentidos lembrou a minha avó, de quem tenho imensa saudade. Uma senhora de quase 80 anos, mas que ainda se mantém firme e que na maioria das vezes é mais lúcida do que todos os outros personagens juntos.

Leia a resenha completa no Doces Letras

site: https://www.docesletras.com.br
comentários(0)comente



Notas.Literarias 19/07/2018

E viva o amor
Olhem a capa aí acima. Não é linda? Não faz com que você tenha vontade de parar tudo e começar a ler este livro? Mas, atenção: se você fizer isso, certifique-se de que terá muito tempo para lê-lo, porque você não vai querer fazer outra coisa até conhecer o final da história.

Maggie vai casar com Neil. Ela é viúva há muitos anos, e criou suas três filhas com muita dificuldade. Precisou deixar a companhia das meninas de lado para dar a volta por cima, porque o falecido marido não as deixou em segurança e ela perdeu a casa. Anos depois, quando todas são adultas, Maggie deu a si uma chance e ela está radiante. O casamento acontecerá no hotel e Courtney, sua filha, aparentemente apenas uma camareira, ajudará na preparação do casamento.


Porém, Courtney é muito mais do que uma camareira. Ela faz de tudo no hotel, mas também ocupa suas noites com um segredo. Em um ano ela poderá revelá-lo, e espera que sua família confie mais em sua capacidade, já que ela sempre foi uma coitada, alguém sem ambição, uma desastrada, sempre "dando uma de Courtney". Ela não quer saber de namorar, porque cumprir o que falta para seu segredo ser relevado é a sua prioridade no momento. Mas ela não contava com o neto de sua chefe, Quinn, um produtor musical que se mudou para a pacata Los Lobos.

Rachel trabalha em seu salão de beleza, e é a filha mais velha. Por ser um pouco maior do que suas irmãs quando o pai faleceu, Maggie contou com Rachel para muita coisa, enquanto corria atrás do prejuízo. Sendo assim, está acostumada a fazer tudo sem pedir ajuda.

Contudo, quando seu ex-marido Greg, por quem ainda é apaixonada, mesmo após dois anos do divórcio (ele a traiu, em uma caso de apenas uma noite), se reaproxima, Rachel precisa saber que pedir ajuda pode ser algo bom, e que não há nada de errado nisso.

Sienna é a filha do meio, a mais bonita das três, e ela tem quase trinta anos. Apesar disso, ainda não é casada. Tem namorado, de quem gosta, mas não ama, e já teve dois noivados desfeitos. Tudo muda quando David, seu namorado de quem ela gosta, mas não ama, a pede em casamento na festa de noivado de Maggie. Ela é obrigada a dizer sim, pela ocasião, mas não sabe como irá fugir dessa enrascada.

Em meio a todos esses problemas com as filhas, temos uma noiva. Courtney é a organizadora oficial, mas é claro que Sienna e Rachel também a ajudam e participam do casamento como damas de honra e filhas que amam a mãe. São dias intensos para as Watson.

Eu sou a noiva. Talvez até uma neurótica. Mas, quero tudo do meu jeito. Neil e eu fazemos questão de ter o casamento dos nossos sonhos.

É claro que quanto mais o dia se aproxima, mas intensas serão as rotinas da noiva e das filhas. Ainda mais surpresas acontecerão em suas vidas, e imprevistos surgirão quando tudo deveria estar pronto.

Como as vidas de Rachel, Courtney e Sienna vão se resolver? Não direi como, porque quero muito que você leia este livro, mas digo apenas que se resolverão da melhor forma possível para todas. Ao mesmo tempo!

Eu nunca tinha lido algo de Susan Mallery, confesso que não conhecia a autora, mas o enredo é tão bom quanto a capa. Se você tiver a oportunidade, leia este romance, por favor! Não irá se arrepender!

Vou ser boazinha e colocar mais uma citação, e uma lá do casamento, das palavras do celebrante da cerimônia. É uma linda mensagem, e com ela encerro a minha resenha:

Amor e compromisso significam abertura. Compartilhar as esperanças e os sonhos, mas também os medos e lugares obscuros em seu interior. Amar significa aceitar o outro, reconhecer que existirão momentos bons e ruins, e acreditar que ambos são melhores quando estão juntos.

E viva o amor!

site: http://www.notasliterarias.com/2018/06/resenha-as-filhas-da-noiva.html
Cintia Baltar 15/08/2018minha estante
undefined




Lari 24/11/2018

As Filhas da Noiva
Em As Filhas da Noiva, conhecemos a história de três irmãs, cada uma tão diferente uma da outra que não tem como confundir. Uma é desastrada, a outra desapegada e a última é super cínica — o que eu vi como uma coisa até meio engraçada, bem como um alívio cômico mesmo. Os pontos de vistas da narrativa são divididos entre as irmãs durante os capítulos do livro.

Courtney é a irmã que todos reclamam que não tem uma carreira, já que ela ajuda em tudo no hotel da sua amiga, que ajudou sua mãe e suas irmãs quando elas perderam seu pai. A família e todos os conhecidos pensam que Courtney fará isso pelo resto da vida, mas o que eles não sabem é que a moça guarda um segredo há anos e que ninguém sabe, até a chegada do adorável Quinn.

Quinn veio para abalar corações, um renomado produtor musical conhecido em toda Hollywood e muito requisitado, que tem uma paixão pela cidadezinha onde nasceu, principalmente pela mulher que cuidou dele desde criança, Joyce. Depois de passar anos na cidade grande, ele resolveu mudar de ares e escolheu voltar para casa. Nesse meio tempo, conhece Courtney, a mulher que teve o poder de deixá-lo inquieto. É claro que os dois acabam se relacionando, mas como nem tudo são flores, algumas coisas irão atrapalhar o "relacionamento" que eles vêm mantendo por um tempo.

Rachel, a irmã mais velha, acabou se casando com o namorado do ensino médio, que era capitão do time de futebol, e viveram alguns anos felizes juntos — até tiveram um filhinho. Após descobrir uma traição de Greg, ela põe fim no relacionamento. Contudo, após alguns anos e por coincidência, na mesma época em que está planejando o casamento de sua mãe, ele reaparece em sua vida, entrando devagarinho, como se nada tivesse acontecido, tudo para tentar ter sua família de volta.

Fiquei muito indignada com a conversa que Greg e Rachel tiveram, entendi perfeitamente a parte dela, mas a do Greg fiquei com um pé atrás. O cara tinha uma mulher maravilhosa, que estava ao lado dele dia e noite, aí ele começa a notar que a esposa está mais quieta e distante e ao invés de tentar entender o que está acontecendo, acha que a melhor "solução" é trair porque "não sabia o que estava acontecendo". Faça-me o favor né, tem que ser muito cara de pau mesmo.

Sienna é a irmã do meio. Ela já esteve em dois noivados diferentes que fracassaram e acabou aceitando o pedido de casamento de outro homem, o David. Tudo dá a entender que será mais um noivado que não dará certo, porque parece que a personagem sente que aquele ainda não é o cara certo para ela. Quando estava lendo, me vi no meu primeiro relacionamento. Eu era uma adolescente com 15 anos e acabei aceitando um pedido de namoro apenas por aceitar, para entender e saber como seria estar dentro de um relacionamento. Me forcei a viver quatro meses de um relacionamento que não me agregou nada e simplesmente me dava dor de cabeça, e é exatamente isso que acontece com Sienna.

David foi o único personagem que me desagradou, não sei explicar bem o motivo, mas percebi que dos três rapazes, ele foi o que menos adentrou realmente dentro da família. Acho que foi porque se o namoro entre ele e Sienna não estava indo tão bem, um casamento que não daria certo mesmo, aí a tendência era se afastar cada vez mais. Ele se mostrou um homem ignorante e "dono da razão", principalmente quando a moça discordava de alguma opinião dele. Graças a Deus Sienna percebeu a tempo o tipo de homem com quem ela estava se envolvendo.

Como o próprio título já diz, As Filhas da Noiva mantém seu foco em Sienna, Rachel e Courtney, o que significa que o casamento da mãe das meninas, Maggie, é apenas um plano de fundo para o enredo. O mais interessante é que, apesar de cada uma viver sua vida, ter sua personalidade, as três possuem algo em comum: a vida amorosa conturbada. O livro é narrado em terceira pessoa, então é como se a gente estivesse escutando a história sob o ponto de vista de uma vizinha que dá notícia de tudo, o que foi bem interessante.

As Filhas da Noiva foi uma leitura que, de início, demorou um pouco para fluir. Os primeiros capítulos são muito arrastados, mas a medida que vamos conhecendo os personagens e suas histórias, a narrativa dá uma guinada positiva e se torna fácil de acompanhar. Os personagens foram bem trabalhados e a autora soube dividir bem os momentos de cada um, sem deixar tudo uma bagunça, como acontece em alguns livros. Não foi um livro que marcou a minha vida, mas é com certeza uma boa distração, principalmente para quem estiver procurando algo mais leve.

site: http://www.roendolivros.com.br/2018/09/resenha-as-filhas-da-noiva.html
comentários(0)comente



Céu 03/09/2018

As Filhas da Noiva | Resenha do Cores
Existe um cenário melhor que um casamento para um romance leve? Provavelmente não. E é nesse cenário que Susan Mallery conta a história das três filhas da noiva. Cada uma com sua personalidade e seus segredos, e faltando dias para o casamento da mãe, as três irmãs precisaram enfrentar todos os seus medos e se juntar de vez para que ocorra tudo como o planejado.

Falando em planejamento, quem está organizando o casamento é Courtney Watson, a irmã mais nova. Courtney é a irmã desajustada da família. Ela sempre foi a mais excluída por ser muito alta, e como não soube lidar com isso, ela acabou ficando muito atrapalhada, ganhando a frase "dar uma de Courtney" toda vez que algo desse errado. Além disso, aos 10 anos descobriu que seu atraso e notas baixas na escola não se davam por falta de vontade, mas sim por um nível de dislexia, que a atrapalhava em alguns momentos. Courtney precisou viver com seus problemas sozinha, porque sua mãe estava correndo atrás do prejuízo que seu pai deixou antes de morrer. Acabou repetindo um ano e só saiu da escola quando atingiu a maioridade. Largou tudo, saiu de casa, e foi trabalhar em uma lanchonete depois de brigar com a mãe. Agora, tempos depois, ela está prestes a se formar na faculdade de hotelaria e é mais do que a camareira no hotel em que a cerimônia de casamento ocorrerá, entretanto, sua mãe não faz ideia disso. Para Maggie, a mãe, Courtney é apenas uma menina que não pensa grande e prefere viver sua vida como camareira. Enquanto ela pensa nisso, Courtney conhece Quinn, um grande empresário, que promete abalar seu coração e ainda questionar seus segredos. Porém, ela quer manter tudo em segredo para depois jogar na cara das pessoas seu diploma, principalmente se essa pessoa for a irmã do meio, Sienna.

Sienna é a irmã mais bonita da família, a metida, a que teve tudo o que sempre quis e a que menos sofreu com a perda do pai, já que foi acolhida pelo hotel da cidade (mesmo hotel da cerimônia de casamento) vivendo uma vida de princesa. Entretanto, quem olha Sienna por fora não faz ideia de como ela está por dentro. Ela está vivendo o terceiro noivado e não se vê apaixonada pelo seu noivo, o que é um grande problema. Além disso, Sienna trabalha ajudando mulheres a se livrar da violência doméstica, mas seu noivo não consegue entender a importância de seu trabalho, e isso faz com que Sienna se sinta cada vez pior. Todavia, em sua cabeça, ela precisa continuar mantendo a sua pose, principalmente para as irmãs, que a vê como perfeita, principalmente Rachel, a irmã mais velha.

Rachel está vendo seu mundo cair. Ela é mãe e solteira. Há dois anos se separou por causa de uma traição, mas o problema era muito maior do que esse. Ela fora mãe muito nova e Greg não conseguia lidar com a responsabilidade tão novo, por isso, o casamento entrou em crise. Mas mesmo depois da separação e do filho já ter 11 anos, Rachel percebe que ainda está apaixonada por Greg. Porém, as coisas são muito mais complicadas, pois a irmã mais velha percebe que ela não pode simplesmente perdoar Greg, ela precisa se entender, se concertar e achar seu amor-próprio.

Faltando dias para o casamento, Courtney vai entrar uma jornada de amor com Quinn enquanto tenta esconder sua "vida secreta"; Sienna vai perceber que sua vida não precisa ser tão perfeita assim; E Rachel vai a procura de seu amor-próprio para finalmente perdoar Greg.

"Todos nos temos segredos. Eles fazem com que nos sintamos seguros. E nos ajudam a passar pelas coisas."

Leia o resto da resenha no blog | 365 Cores do Universo

site: http://www.365coresdouniverso.com.br/2018/08/as-filhas-da-noiva-resenha.html
comentários(0)comente



28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2