Conan: O Bárbaro, Vol. 2

Conan: O Bárbaro, Vol. 2 Robert E. Howard




Resenhas - Conan: O Bárbaro, Volume 2


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Matheus.Felipe 19/06/2020

Os Profetas do Círculo Negro se destaca
O livro 2 de Conan, o Bárbaro segue os mesmos padrões do livro anterior. Artes maravilhosas de Frank Frazetta ilustram essa bela edição e o acabamento gráfico é extremamente bem feito.
Os contos desse livro são mais focados nas épocas de pirata e ladrão do personagem principal. Vale destacar o conto/quase romance Os Profetas do Círculo Negro, que é o melhor e mais surpreendente do livro. A narrativa te deixa instigado a ler mais, assim como subverte todas as suas expectativas criadas ao longo da história. Certamente, um dos melhores contos que já li!
comentários(0)comente



Kaemi7 08/05/2020

Selvagem!
Ler os contos de Robert Howard é aceitar perder o fôlego por memoráveis momentos. Espada e Feitiçaria, que até então me era familiar apenas pelos quadrinhos do Bárbaro, se revelaram muito mais vívidos em sua mídia original.

Perfeito!
comentários(0)comente



Lismar 26/10/2019

Por Crom, que Contos.
E lá vai mais um volume dessa belissima coletanea dos contos do Barbaro da Cimeria nessa bem sucedida empreitada da Pipoca e Nanquim.
Mais historias tendo Conan como personagem central, resgatando princesas e donzelas indefesas possuidores de belas peles de marfins e macias ao toque.
Descrições precisas das diversas batalhas sanguinarias presente na obra, envolvendo monstros cósmicos e feiticaria. Aliás, gosto deceras como a magia é representada por Robert E. Howard, algo bem visceral, ssm show de luzes ou pirotecnia. O escritor é bem competente em justificar o medo e a temeridade do Cimerio em relação a eles. Pidemos muito bem verificar isso no Conto Os Profetas do Circulo Negro, a melhor historia do Livro.
A escrita de Howard é bem dinamica e fluida, gostosa de se ler. Como já dito anteriormente, bastante detalhista na descrição das batalhas.
O trabalho da Pipoca e Nanquim, como nao poderia deixar de ser, é primoroso, capa dura, com desenhos em seu interior, ilustrando momentos chaves da história, vindo ainda um marcador de páginas em forma de espada.
Altamente recomendado a quem gosta de ótimos contos de espada e feitiçaria.
comentários(0)comente



Márcio 16/08/2019

Bom
Um pouco cansativo, talvez em razão do estilo do escritor, mas.com certeza uma grande influência para escritores de fantasia. O mundo que ele criou é incrível e daria um ótimo romance, pena que autor morreu cedo e deixou apenas contos.
comentários(0)comente



Bruno Oliveira 11/05/2019

A PURA AVENTURA CARREGADA DE TESTOSTERONA
Neste segundo volume reunido pelos garotos do PN, deparamo-nos com o Conan de sempre: homem másculo e sagaz em praticamente tudo que faz ou se atreve a fazer. Porém, aqui, há um Conan que se apaixona e se entrega hipnoticamente a sua amada e outro que simplesmente não liga a mínima para os desejos da princesa resgatada da vez. É contraditório? É. É mais do mesmo? Também. Mas é mais daquilo que o torna tão fascinante e querido pelos seus fãs: é o bárbaro de olhos azuis flamejantes que só pensa em pilhagens e que salva mulheres frágeis em perigo pelo caminho sobrenatural e fantástico. É a pura aventura carregada de testosterona.
comentários(0)comente



Alex.Souza 08/05/2019

Mais do espetacular Robert Howard
O segundo volume que compila os contos de Conan na ordem em que foram lançados é tão espetacular quanto o primeiro. Apenas não gostei muito dos extras. Os contos não publicados do Howard realmente tem a qualidade menor do que os contos que foram efetivamente publicados no século passado.

Ainda assim, obrigatória a leitura.
comentários(0)comente



Robson 28/01/2019

Caiu o nível...
Menos inspirada que o volume anterior, confesso que foi mais complicado terminar esse que a primeira parte dos contos do cimério. Não sei se por ter escrito tudo em formato de conto, e em uma revista, a prosa de Howard, embora muito imaginativa, soa meio engessada depois de alguns contos.

Parece que na Era Hiboriana todo mundo é meio conanssexual, restando assim, que não importa se o narrador está na terceira ou primeira pessoa, sempre descrevem os "músculos titânicos" ou de algum metal que aparentam ser os de Conan, além dos seus "gélidos olhos azuis" e cabeleira vasta e blá blá blá... Destaque para as histórias onde Conan é pirata, já que para quem não sabe, o bárbaro é o segundo personagem da cultura pop com mais empregos, só perdendo, claro, para o Seu Madruga.
comentários(0)comente



Acervo do Leitor 18/01/2019

Conan, o Bárbaro – Vol #2 | Resenha | Acervo do Leitor
RESENHA – CONAN, O BÁRBARO

Ele está de volta! Nasceu em uma terra montanhosa, selvagem e macabra. Ciméria é conhecida por produzir bárbaros indomáveis, mortais que só trazem pilhagens e desolação. Destes filhos da perdição nenhum é mais notório quanto Conan! Cabelos negros como breu, pele queimada pelo sol, olhos azuis hipnóticos e com seu corpo musculoso que é um “mapa” de cicatrizes ele é inconfundível. Acostumado a deixar homens de joelhos, mulheres apaixonadas e reinos em chamas ele está de volta para contar mais algumas de suas lendárias histórias.


“Não possuía o medo ou a reverência pelas autoridades que a civilização instila nos homens. Rei ou mendigo, eram todos iguais para ele.“

Essa obra é o segundo volume, de três, que visa compilar os contos originais escritos por Robert E. Howard, o criador do mais icônico personagem da história da literatura fantástica quando se trata do seu ramo conhecido como “Espada e Feitiçaria”. É sempre complicado resenhar um livro de contos. Há sempre o risco de ser extenso demais ou breve a ponto de não citar todos os contos integralmente, mas segue aí, sem spolier, um pouco dos desafios enfrentados por Conan neste volume. “Inimigos em Casa”- O ladrão Conan, que nada teme, é traído por uma amante e se vê preso em uma masmorra. Sua liberdade é negociada pelo homicídio de um sacerdote real. O que parecia ser um simples assassinato se torna uma batalha mortal contra uma criatura milenar em uma sala feita de armadilhas e espelhos. “Sombras de Ferro ao Luar” – Uma princesa vendida como escrava se une ao mercenário desempregado Conan e vão parar em uma inóspita ilha onde estranhas ruínas abrigam estátuas negras feitas de ferro e perigosos piratas.


“Era terrível contemplar a ânsia de sangue do estranho. Suas mandíbulas se contorciam em espasmos, saliva surgia em seus lábios enegrecidos.”



“A rainha da Costa Negra” – Fugindo da justiça Conan acaba encontrando uma das grandes paixões da sua vida e entre saques e beijos acabarão violando uma cripta em busca de outro que irá selar para sempre os seus destinos. “O demônio de Ferro” – Conan, chefe de um exército, é atraído para uma armadilha por ceder aos encantos de uma jovem de cachos dourados e terá que enfrentar serpentes gigantes e uma criatura lendária para se livrar dos laços traiçoeiros do desejo. “Os Profetas do círculo negro” – A Irmã de um jovem rei morto pela magia de profetas negros resolve barganhar com Conan a vingança de seu irmão em troca da liberdade de sete dos seu companheiros. O plano da muito errado quando Conan resolve sequestrar a irmã e leva-la junto da missão por garantia. “A Filha do Gigante do Gelo” – Em meio ao frenesi do massacre em uma batalha no gelo Conan encontra uma mitológica mulher que seria filha do líder dos gigantes do gelo. Mas o encontro foi real ou teria sido apenas uma ilusão. “O Estranho de Preto” – Fugindo de uma perseguição no deserto Conan acaba encontrando uma caverna que abriga um tesouro misterioso e ,enquanto isso, um ex-nobre foge de sua terra natal e vai parar nas mesmas pradarias seguido por piratas. Uma estranha “aliança” é formada entra nobres, bucaneiros e Conan onde tudo pode dar errado.



“Crom é sombrio e desprovido de amor, mas, quando nascemos, sopra o poder de lutar e de matar dentro da alma do homem. O que mais deveríamos pedir dos deuses?”

SENTENÇA
A edição e acabamento continuam impecáveis como no primeiro volume da série. Repleto de ilustrações, essa obra é um tributo ao gênio Robert E. Howard por todo legado que ele deixou. Esse segundo volume pode ser lido de forma independente do primeiro e traz o inesquecível Conan em toda sua glória e raiz. Se você leu o primeiro livro já sabe o que vai encontrar: histórias curtas, objetivas, com uma escrita elegante sem ser rebuscada e muita ação. Simplesmente mais do mesmo, o que para quem amou o primeiro volume é ótimo. “Por CROM!” você precisa conhecer estas histórias!

site: http://acervodoleitor.com.br/conan-o-barbaro-resenha-3/
comentários(0)comente



Maff Cerqueira 02/12/2018

Porque me contentar com um punhado de joias...
Protelei essa leitura com medo que ela acabasse. Todos os contos publicados aqui são excelentes, o conto final foi encerrado com maestria. Mesmo que você não seja fã do gênero, espada e feitiçaria, isso deve se dar por não conhecer a obra de Robert E. Howard. Minha dica é, corra como o vento saindo das montanhas da Ciméria e se junte a Conan em florestas amaldiçoadas, civilizações perdidas, vá a cidades avançadas demais e navegue por águas escuras e sangrentas em busca de saques e tesouros ocultos por magia, demônios e homens traiçoeiros.
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9