P.S. de Paris

P.S. de Paris Marc Levy




Resenhas - P.S. de Paris


17 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Mariana 20/03/2020

Gostei!
Um bom retorno aos livros do autor! Recomendo!
comentários(0)comente



Kah [@corujandooslivros] 19/03/2020

Se descobrindo em Paris
Essa é a minha primeira experiência coma escrita do autor e estava muito animada por saber que ele é o mesmo autor de E se fosse verdade, não li o livro, mas vi a adaptação e é um filme que adoro.
Em P.S de Paris teremos duas pessoas com vidas completamente diferentes e formas de se relacionar diferentes, a amizade que eles constroem é presente na maior parte do livro deixando o romance em segundo plano. É visivel que existe um sentimento maior entre os dois, mas a autor preferiu deixar esse envolvimento romântico de modo sutil.
Talvez não encante quem gosta de um romance mais emotivo ou mais dramático, mas foi para mim, uma experiência tranquila, um romance leve, com amizades sinceras, além disso, os personagens secundários trazem mais humor a obra e complementam a história.
comentários(0)comente



Olgashion 04/03/2020

Amei a história pq me fez lembrar um pouco do meu próprio romance haha e a volta de personagens tão queridos também ajudou ??
comentários(0)comente



Vanessa Sueroz 25/02/2020

um livro que tinha tudo para dar certo, mas a historia demora para acontecer e parece que as paginas vao passando e nada acontece. Gostei por ser um romance fofo, mas a escrita nao me agradou muito
comentários(0)comente



Ju 14/02/2020

romance leve e descontraído
Romance leve e descontraído.
Ótima leitura para os que buscam uma boa história de amor.
comentários(0)comente



keury_Lima 14/02/2020

Fez tao bem pro meu coração
Amo romances mais romantizados. Aqueles que quase chegam a ser melosos.
Mas amo também esse tipo de romance - mais sóbrio. Você vê que a estória tem outros pontos.
Aqui nossa querida Mia, vai aprender a se retirar. Se retirar de situações que a fazem sofrer ou que a diminuem de alguma forma.
Nosso mocinho vai aprender que precisa se esforçar em viver de verdade, sem se esconder do que pode realmente o fazer feliz.
Os dois juntos criam um cenário tão maravilhoso de amizade, respeito e carinho mútuo que fica difícil não se render a eles. Sem contar que juntos eles te fazem rir de maneira excepcional. São tão... tão espirituosos. Ahhh, queria ser amiga deles, de verdade.
Eles não vão ser perfeitinhos. Vão vacilar um bocado. Mas os personagens aqui não são de mimimi (Graças a mon Dieu kkkkk)
Todos os personagens são maravilhosos. Amei cada um.

Outra coisa muito legal é que o livro aborda outras tramas além do romance. Uma em especial que é crucial que as pessoas comecem a discutir e a agir.

Aqui não vai ter frufru. Vai ser um amor construído, e real. Algo que poderíamos ter esperança de que acontecesse conosco sem estarmos nos iludindo. É por isso que é tão lindo.
Marc Levy é uma verdadeira serendipidade (palavrinha nova que aprendi. Pq livro bom é aquele que te agrega alguma coisa. E esse agregou muitos sorrisos).
Indico pacas.
comentários(0)comente



Riva 12/02/2020

Autor que faz rir e refletir!
Mais um livro deste autor até me fez dar boas risadas e refletir sobre a vida.
Não são todos os títulos desse autor que eu gosto, mas todos os até eu li, eu amei.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Isabelle @leiture.se 04/02/2020

P.S. de Paris
Eu gostei bastante da história, mesmo não sendo um gênero que eu leio muito. Alguns pontos são bem previsíveis, por ser um romance meio clichê, mas teve um mini plot-twist quase no fim que me pegou de surpresa e me fez gostar mais ainda do livro.
É um romance bem fofo e divertido, a leitura fluiu MUITO rápido e quando me dei conta faltavam 20 páginas pra terminar. Quem gosta de romance pode ler sem medo, e quem quer se aventurar também vai ter uma agradável surpresa com a escrita desse autor.
comentários(0)comente



Terê 18/01/2020

Adorável e realista !
Verdadeira, divertida, original, sensível e delicada descrevem bem esta obra.
A narrativa transcorre em Paris, e conta a história de uma fugaz amizade que se transforma em amor, entre dois desconhecidos Mia e Paul, tão diferentes em inúmeros aspectos, mas que por obra do destino têm suas vidas entrelaçadas.
E ainda, que esta improvável relação aos seus olhos não “conte” eles descobrem o quanto precisam um do outro e o quanto ela poderá vir a “contar” ...
Em meio a segredos e revelações vocês irão se apaixonar .
Boa leitura,
Terê.



comentários(0)comente



Ale 14/12/2019

"P.S. de Paris" no blog Estante da Ale
Recentemente, comprei o livro "P.S. de Paris" do autor Marc Levy (já conhecido por aqui como autor de "E Se Fosse Verdade") e publicado pela Editora Planeta e hoje trouxe para vocês minha opinião sincera sobre a obra, preparados?

Aqui conheceremos Mia, uma atriz que busca refúgio na casa da melhor amiga em Paris após desconfiar de traições do marido. E também, Paul, um escritor que só fez sucesso com o primeiro livro e busca inspirações para escrever novos grandes sucessos. Ambos se tornam amigos e aos poucos, vão conhecendo um novo mundo de cumplicidade e parceria.

Sinceramente? Não sei se eu estava com altas expectativas por amar o filme "E Se Fosse Verdade" ou se é algum problema mais específico, porém o que posso dizer é que o livro não chegou lá, sabe? Ele fica sempre no 'quase', eu não consegui me conectar totalmente com os personagens e só por isso não dou 5 estrelinhas, porque se for para falar do livro como um todo, não consigo achar algo realmente negativo.

Com muitos diálogos, a leitura é rápida, sem enrolações. O auto de início nos dá um romance bem água com açúcar e evolui ao colocar uma questão cultural e política coreana relevante na história para deixar uma mensagem positiva. Porém, é só. Eu não consegui me envolver, me emocionar. Infelizmente.

E eu que só fiquei sabendo que os amigos de Paul, o Arthur e a Lauren eram os protagonistas de "E Se Fosse Verdade" depois que terminei o livro? É... Eu sou lesada, rs. Porém, digo que se você quer ler este sem o livro 1, pode sim, porque são apenas menções de quanto Paul ajudou o casal a ficar junto.

Pois é... Para resumir é isso, o livro deixa a desejar, mas também não é o tipo que eu não indicaria. Talvez, se vocês arriscarem a leitura aproveitem bem mais que eu.

site: http://estante-da-ale.blogspot.com/2019/12/livro-ps-de-paris.html
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 09/12/2019

Xodó de 2019!
Olá, leitores!
A resenha de é hoje é para as apaixonadas por Paris e quem adora um bom romance. É o meu primeiro contato com o autor e gostei demais dessa história. Você que é Maluca por Romances não pode deixar de conferir essa resenha.




P.s de Paris é o lançamento da editora Planeta de Livros Brasil, do autor Marc Levy. Só depois que li esse livro que fui descobrir que na verdade o livro é o segundo e que o primeiro livro se chama E Se fosse Verdade, que aliás tem até filme e que já assisti mais de mil vezes. Os amigos do mocinho que são os protagonistas do primeiro, pode ler fora de ordem que não vai pegar spoilers.


O livro vai contar a história de Mia que é uma grande atriz de cinema, ela vai para Paris para ficar longe de seu marido traidor e dos holofotes. Ela pinta o cabelo, muda de visual e vai ajudar no restaurante da sua melhor amiga. Querendo se distrair ela encontra o perfil de Paul num site de relacionamentos, ela só não sabia que foi os amigos de Paul que fizeram esse perfil. Os dois estão em momentos complicados da vida e decidem serem amigos, mas será que dai pode nascer um grande amor?




Gostei tanto desse livro que se tornou um dos meus xodós de 2019. Confesso que nas primeiras páginas pensei que não iria gostar por vários personagens narrar a história, mas que nada, logo Paul e Mia te conquista e você vai querer saber como vai ser o final.

Paul é escritor e vive recluso no seu apartamento em Paris. Paul foi um personagem super fofo, e se não fosse casada com certeza iria atras de saber como casar com um personagem literário. Foi lindo ver a amizade entre eles e o amor nascendo aos poucos.

RESENHA COMPLETA NO BLOG

site: http://malucaspor-romances.blogspot.com/2019/12/resenha-ps-de-paris-marc-levy.html#axzz67dgB0sBR
comentários(0)comente



Renata Kinjo 21/11/2019

não era exatamente o que eu esperava
não sei se estou dando essa nota porque o livro é mesmo mediano ou se é porque ele não é o que eu esperava.

bom, eu comecei esse livro certa de que era uma boa comédia romântica. na ocasião, eu tinha acabado de ler um livro sangrento, cheio de torturas, e tava com uma ressaca literária daquelas. sei lá, né, esse livro aqui sendo do mesmo autor de 'e se fosse verdade' (só vi o filme, não li o livro rs), era pra ser aquele tipo de romance gostosinho que enche o coração de quentinho. e ainda li nas outras resenhas daqui que o casal de amigos do paul (personagem principal), arthur e lauren, eram os mesmos personagens interpretados pelo mark ruffalo e pela reese witherspoon! daí eu fiquei logo animada pra saber como eles apareciam na história.

porém... o livro não me empolgou. não tem muito romance, não tem muita emoção, não tem muito de nada. é tudo muito meio morno, meio insípido, meio sem graça. assim, fazendo jus ao que é bom, o arthur e a lauren são maravilhosos! as cenas em que eles apareciam eu podia claramente visualizar como se eles estivesse interagindo iguaizinhos como no filme. a daisy (amiga da mia) também teve seu destaque positivo. e aquela reviravolta que tem no final do livro?? ok, essa parte me pegou totalmente de surpresa! e trouxe uma camada bem mais interessante pra história. mas o paul e a mia... ai, gente, que personagens mais sem graça.

achei os diálogos entre os dois meio forçados, sem aquele tcham especial que faz torcer por eles. assim, não é que a escrita seja ruim... ela até que é legal; o ritmo flui. e as descrições dos cenários de paris foram encantadoras. acho que o problema maior pra mim foi o livro parecer ser uma coisa e não entregar tudo aquilo que promete. no caso, o que ele parecia ser pra mim (quando li a sinopse) é que era um livro de comédia romântica. mas não é. e também não é um livro de suspense, ou de aventura... no final, ele meio que acaba misturando vários desses elementos, mas fica um mexidão tão grande que não me convenceu em nenhuma das categorias separadamente.

talvez se você já começar o livro tendo isso em mente, a sua experiência seja melhor do que a a minha. sem grandes expectativas, sem esperar muito dele. pra mim foi só mediano mesmo.
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 28/08/2019

Resenha da Mylena Suarez
Eu peguei este livro só por saber que era o escritor de E se fosse verdade, um romance doce e de mensagem forte que faz muito sucesso até hoje e virou filme na mãos de Steven Spielberg estrelado por Reese Witherspoon e Mark Ruffalo e lançado em 2005, foi também sucesso de público e crítica. O que eu não sabia era que tinha o livro 2 (já procurei horrores e vou comprar em espanhol, foi o único volume que encontrei) com a continuação da história de amor entre Lauren e Arthur e que Paul, protagonista de P.S. from Paris, é o amigo que ajuda a unir o casal famoso.

Paul é um homem tímido e reservado que teve seu livro publicado com a ajuda de Lauren e, diante do sucesso da obra, se viu obrigado a fugir do assédio de todos e foi parar na cidade do amor: Paris. Lá suas obras não obtiveram o mesmo sucesso porém, de uns tempos para cá, ele começou a ser destaque na Coréia e também a focar na sua tradutora Kyong, mulher misteriosa que prefere um relacionamento sem amarras até que ele conhece Mia.

“Kyong é como... o oceano em minha vida. E eu sou o cara que tem medo de nadar. Ridículo, né?”
Mia é uma jovem atriz desiludida amorosamente que também veio se refugiar em Paris para pensar em que rumo daria a sua vida depois da traição do marido. Ela conta com a ajuda da divertida chef Daisy que a acolhe em seu lar. Mia passa os dias passeando em Paris sem coragem para encarar sua vida real, até que conhece Paul.

Eles sabem que não devem se envolver amorosamente já que a vida de ambos está complicada, mas nós sabemos que o amor sempre dá um jeito de unir duas almas solitárias e amigas. Aos poucos, os dois se tornam grandes amigos e confidentes. Unindo passeios na Cidade Luz a jantares, eles começam a se envolver e a nos envolver nesta trama romântica e cheia de mensagens fortes.

A principal delas para mim veio do caricaturista que se torna amigo de Mia e que tem uma história de amor comovente:

“ Todo dia conta.”

E como cada dia conta para que consigamos aproveitar a presença das pessoas em nossa vida, Mia e Paul vão descobrir como cada dia que eles passam juntos conta para a felicidade deles.

Amei a força de Mia para fazer tudo que ela precisava fazer e toda a coragem que teve para lutar pelo que queria, e amei a forma como Paul percebe o que está bem a sua frente.

Com referências a Breakfast at Tiffany’s, Murakami e Jane Austen, me apaixonei pela escrita leve e fluida de Marc Levy que traz uma mensagem de resiliência, recomeços, amor e, principalmente, de luta e ética. O livro vai num crescendo até chegar no pico do ponto de conflito e tudo começa a parecer mais complicado ainda, resta saber se eles perceberão o que realmente importa para eles ou não.

Estou torcendo para ter um livro para Daisy e que tenha mais destes casais apaixonantes criados por Marc Levy.

Amei a capa, suave e romântica como o livro e que consegue transmitir como é o relacionamento entre os dois e achei maravilhosa a ideia de onde surgiu o título, pois nunca iria imaginar que tinha a ver com este detalhe .

Mais-que-perfeito!!!

Beijos, Myl

site: https://www.minhavelhaestante.com.br/2019/07/ps-de-paris-marc-levy.html
comentários(0)comente



Aione 27/08/2019

O romance de estreia de Marc Levy, E Se Fosse Verdade, foi responsável por torná-lo best-seller. Nele e em sua continuação não publicada no Brasil, Vous Revoir no original e Finding You em inglês, o leitor conhece o romance entre Lauren e Arthur, cujo enlace recebe a ajuda de Paul, melhor amigo do protagonista. Agora, em P.S. de Paris, é a vez do personagem secundário ganhar sua própria história.

Mia é uma famosa atriz que precisa de um tempo de seu casamento arruinado. Assim, ela se refugia em Paris, buscando passar algumas semanas como uma mulher comum, longe dos holofotes. Em uma tentativa de experimentar um site de relacionamentos, ela acaba conhecendo Paul em uma situação totalmente inusitada, já que ele, um escritor americano que mora há sete anos em Paris, foi forçado por seu amigo, Arthur, a comparecer ao encontro sem saber que aquela seria uma situação romântica. A partir de então, ambos passam a explorar a cidade e a buscar apoio na amizade do outro, sem jamais assumirem que podem estar se envolvendo mais do que gostariam.

A narrativa de Marc Levy é ágil e divertida, de maneira que li P.S. de Paris em poucas horas, sem sentir vontade de interromper a leitura. O livro traz muitos diálogos e não se demora em muitas descrições ou reflexões, o que, aliado à alternância de perspectiva da narrativa — sempre em terceira pessoa, mas ora mais próxima de Paul, ora mais próxima de Mia — confere agilidade à leitura.

Talvez por já existir no universo criativo de Marc Levy há muitos anos — considerando-se que E Se Fosse Verdade foi publicado no final dos anos 1990 — Paul me pareceu um personagem mais sólido do que Mia, com conflitos e nuances mais palpáveis. Ainda, o fato do protagonista exercer a profissão de seu criador nos faz pensar no quanto de um há no outro, além de ser possível observar características metalinguísticas em P.S. de Paris: muito do que Paul defende em sua arte de escrever pode ser observado na própria narrativa da obra.

A leitura acabou me surpreendendo bastante pelos rumos que tomou: se sua primeira metade me cativou pela atmosfera de divertimento e pelo gostoso romance que pouco a pouco se desenvolve entre as personagens, a segunda metade trouxe uma reviravolta que eu não só não esperava como também ampliou os temas discutidos no livro. Sem se aprofundar e mantendo sua característica de leveza, P.S. de Paris acabou por enveredar uma perspectiva histórico-política, que me fez pensar em Tudo Aquilo Que Nunca Foi Dito, no qual algo similar também ocorre.

No resumo, a leitura de P.S. de Paris me proporcionou gostosos momentos de entretenimento e me fez relembrar os motivos por ter gostado dos outros dois trabalhos do autor com que tive contato. Vale dizer que só fui perceber que o casal de amigos de Paul, Arthur e Lauren, eram os protagonistas de E Se Fosse Verdade depois de finalizar a leitura, o que me ajudou a compreender o porquê de haver tantas referências a uma ajuda de Paul sobre o passado do casal que não são elucidadas ao longo da narrativa. Não é necessário de modo algum ler o romance de estreia do autor para ler esse outro livro; contudo, os que conheceram a obra que originou o filme estrelado por Reese Whiterspoon e Mark Ruffalo certamente terão um gostinho extra de satisfação ao reencontrar o casal nessa leitura.

site: https://www.minhavidaliteraria.com.br/2019/08/27/resenha-p-s-de-paris-marc-levy/


17 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2