Britt-Marie Esteve Aqui

Britt-Marie Esteve Aqui Fredrik Backman




Resenhas - Britt: Marie esteve aqui


24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Diane 27/03/2021

No final fica bom
No início estava achando a leitura bem chata. Inclusive, pensei várias vezes em desistir. Mas da metade para o fim foi melhorando e acabei concluindo o livro.
comentários(0)comente



Aninha.Fillinger 18/03/2021

Arrebatador
Uma das histórias com maior desenvolvimento que já li, inicia de uma forma parada e completamente confusa, até te situar dentro da história e te fazer torcer (e sofrer) junto com os personagens.
Uma história triste, emocionante, e de auto descoberta incrível demais, vale muito a pena a leitura.
comentários(0)comente



Kananda 04/03/2021

Britt-Marie esteve aqui é o tipo de livro que devia ser indicado em todos os lugares.
Uma personagem tão humana quanto os leitores, lidando com obstáculos que ela jamais imaginou e passando por cada um deles sem nunca perder a própria essência. É uma história que é, ao mesmo tempo, delicada e de uma profundidade imensa.
comentários(0)comente



Diogo Matos 27/02/2021

Boa leitura
Ao começar o livro não simpatizamos com a protagonista, mas ao decorrer da história passamos a entender os motivos que a fazem ser da maneira que ela é.

É uma história que nos mostra que nunca é tarde para nos conhecermos, e que sempre somos capazes de melhorar e evoluir.
comentários(0)comente



Daniana.Bittencourt 26/01/2021

Uma deliciosa reflexão sobre o que estamos fazendo com nossas vidas
Britti-Marie é uma senhora de 63 anos que precisou abandonar o marido após uma traição. Depois de 40 anos servindo-o e esquecendo-se de si mesma, se vê empregada pela primeira vez, com um emprego que ninguém quer, numa comunidade desconhecida, cheia de pessoas que desistiram, onde a crise chegou e não foi mais embora. Agora ela é a nova zeladora do centro recreativo de Borg.
Britt-Marie não tem muito tato para lidar com as pessoas, é cheia de manias (principalmente de limpeza) e é considerada uma pessoa chata (assim como sua vida era). Contudo, sua presença ali vai interferindo na vida das pessoas e principalmente na vida das crianças. Assim como tudo isso também vai interferindo na sua própria vida e ela começa a perceber que nem todo Faxin e bicarbonato de sódio do mundo são capazes de resolver todos os problemas; que não ter uma gaveta de talheres meticulosamente ordenada te faz ser uma pessoa ruim...
O autor tem um jeito peculiar de contar as histórias, sempre com uma pitada de humor e sarcasmo, nos apresentando as adversidades que muitas famílias vivem, além de nos mostrar que aquelas pessoas consideradas chatas e ranzinzas (assim como no livro “Um homem chamado Ove”) tem coração e sentimentos, às vezes elas só não tiveram a oportunidade de mostrar seu lado bom.
Mais uma vez Fredrik Backman nos traz um universo tocante e cheio de reflexões que nos emocionam. Vale muito a pena a leitura.

“Até que numa determinada manhã você acorda com mais vida às suas costas do que o que tem pela frente, sem conseguir entender como isso aconteceu”.

“Se uma pessoa fecha os olhos com força e por um longo tempo, pode se lembrar de todas as vezes em que tomou uma decisão na vida só para o seu próprio bem. E percebe, talvez, que isto nunca aconteceu”.

“Chega uma certa idade em que quase todas as perguntas que uma pessoa faz a si mesma giram em torno de uma só coisa: como se deve viver a vida?”


site: @livromeulivroseu
comentários(0)comente



Rafa Gonçalves 21/12/2020

Britt-Marie esteve aqui
Britt-Marie consegue conquistar a todos com sua história e sua obsessão por bicarbonato de sódio. Como um dos melhores livros que já li na minha vida, posso afirmar que Britt-Marie esteve aqui e deixou uma marca inesquecível.
comentários(0)comente



Gabi 16/11/2020

Ahhhhhhh, Britt-Marie!!!!
Caramba! Termino agora esse livro, secando às lágrimas no rosto e de coração quentinho. Mais uma obra de Fredrik Backman que não decepciona. Assim como em O homem chamando Ove, esse livro traz um personagem chave, Britt-Marie, que depois de 40 anos sem trabalhar, procura um emprego e ela é totalmente metódica, não consegue filtrar o que fala, louca por limpeza... Depois de muito insistir, consegue um emprego como zeladora de um centro recreacional em Borg, um vilarejo onde a crise econômica fez com que tudo fechasse e assim as pessoas desistissem... Lá ela chega e com seu jeito sem jeito, conhece algumas pessoas e muda a vida delas e tem sua vida mudada.
Eu sofri nessa parte final, porque a meu ver ela tinha que escolher entre Sven maravilhoso e o marido dela Kent... Mas a escolha dela vai muito além disso. Tem uma terceira opção. As crianças Vega e Omar são muito mais sábios que qualquer um de nós...

"Porque se não perdoamos aqueles que amamos, então o que resta? O que é o amor se não amar quem amamos mesmo quando não merecem?"

Leiam! Leiam! Leiam!
Britt-marie merece ser lida e amada!

Amei! Super indico e estou ansiosa para ler o terceiro que esse autor tem publicado no Brasil: Minha avó pede desculpas
comentários(0)comente



Marcela @ler_sim_ler_sempre 07/10/2020

Dica de leitura : Britt-Marie Esteve Aqui? @editorarocco @fredrikbackmanofficial
?
?
Britt-Marie e? uma senhora de 63 anos, sem filhos. Que sempre se dedicou ao marido e a casa, mas que agora ao ser abandonada por ele e com receio de ?morrer? e ningue?m sentir sua falta. Ela vai atra?s de um emprego. ?
?
?_Voce? ama seu marido ?
_Sim
_Enta?o, porque ele na?o esta? aqui ?
_Porque a?s vezes amar na?o basta ?

Pore?m na sua idade e sem experie?ncia, u?nica vaga que ela encontra e? ser Zeladora de um centro recreativo, na cidade de Borg. Uma cidade que esta? praticamente apagada do mapa.?
?
??? u?????? ?????? ?????? ?????? ?? ???? ?? ???? ?a?? ? ??????? ? ? ????????, ?????? ??????? ? ???????? ???????? ??? ?? u??????? ?????? ? ????????? ? ?????????? ? ?
?
??Britt Marie e? uma mulher que a princi?pio voce? se choca com suas palavras, com seu jeito meto?dico e mania de limpeza. Mas aos poucos ela vai se revelando uma pessoa que sempre se fechou, pra na?o aborrecer os outros. Deixando seus sonhos guardados so? pra si. Primeiro a ma?e e depois o marido e os filhos dele. Mas que em Borg e longe de todas essas refere?ncias, sua personalidade u?nica, passa a ter chance de se revelar. E ela passara? a ve? algue?m rindo com ela e na?o dela.?

Pore?m na?o e? nada fa?cil se reinventar depois de toda uma vida. ?
?
Uma histo?ria contada de uma forma sensi?vel, quase poe?tica. Mas com uma pitada de bom humor. Que retrata o luto, o abandono, a traic?a?o, a falta de perspectiva de futuro e de sonhos. ?Com personagens secunda?rios ta?o incri?veis e quebrados quanto a protagonista.
?
Uma leitura indicada pra quem ama histo?rias mais profundas, mas sem muitas reviravoltas. Tenho certeza que terminara? com um quentinho no corac?a?o e uma nova personagem pra chamar de favorita. E algumas la?grimas derramadas. ?
?
????? ????a?? e? ????????. E? ????? ? ???e????. ?a?? e? ???? ??? ?? ???????; e? ??????????, ? ??? ??? ????? ??? ??????, ??? ???????, ??? ??????? ?? ??? ????????. ????? ?? ?????? ???c?o??? ????????? a? ?????, ??? ? ????a?? ?????? ? ???????? ? ?
?
?
Obrigada pela indicac?a?o amiga @sandrapchaves Ja? quero outros.

??Agora e? com voce?s. Ja? leram algo do autor ?!


https://www.instagram.com/p/CF9-eKXDq_u/
comentários(0)comente



Isa 24/09/2020

Britt-Marie (Não) Esteve Aqui
Com uma narrativa leve e agradável, peculiar ao autor,  mas que não  convence, Britt-Marie (não) esteve aqui. 

 O relato descreve a trajetória de um senhora de sessenta e três anos, que ao ser traída pelo marido se ver obrigada a tomar decisões e consciência da sua vida. E diante  dessa nova  realidade, nem um pouco almejada, levada por circunstâncias Britt-Marie chega a Borg.Um cidadezinha a beira de estrada, para um emprego de zeladora no centro  recreativo.

Me surpreende no autor  a perspectiva em dar voz a personagens inusitados, maduros, idosos que com raras exceções  são  retratados como  protagonistas.
Sem o vies comercial característico  do mercado editorial . Motivo que me deu estímulo a leitura de obras de sua autoria. 

Mas "Britt-Marie Esteve Aqui" não satisfaz, não  se define, não se conclui. E é desse jeito que termina....puff, não esteve aqui. 
comentários(0)comente



Dri 09/07/2020

emocionante
Resenha para o Desafio Skoob 2020

Comecei esse livro porque procurava uma leitura leve e tranquila. Ledo engano!

Às vezes você percebe que boa parte da sua vida passou e você nem sentiu. Britt-Marie se vê nessa situação e além de tudo, completamente sozinha. Dificilmente você não vai se identificar com a personagem, seja na teimosia, na determinação, na paixão, nas manias ou na preocupação sobre o que vão pensar das suas ações. Uma história de superação emocionante que fará você refletir sobre vários aspectos da vida. A leitura é muito fluída, fácil e gostosa, vale a recomendação.
comentários(0)comente



Paulinha 23/06/2020

Lindinho!
Não gosto de romances, mas amei esse livro.
Britt- Marie é um daqueles personagens que a gente torce para ser feliz, sabe?
No começo achei muitooo enjoada, chata mesmo,mas no decorrer da leitura consegui compreende-la.
comentários(0)comente



Dêla 17/05/2020

Britt-Marie me conquistou
Fredrik Backman me conquistou com Minha avó pede desculpas e, agora, com Britt-Marie esteve aqui. A personagem já apareceu no outro livro e de alguma forma, esse livro relata a continuação da vida dela. Britt-Marie é detalhista, cheia de manias, inocente e chatinha, como sua vida. Depois de se separar do marido, busca por emprego e acaba num vilarejo decadente e praticamente abandonado, num trabalho que, a princípio, não tem necessidade. Pessoas diferentes daquelas às que ela está acostumada a conviver aparecem em sua vida com hábitos estranhos à realidade monótona da personagem e, quando ela percebe, já se envolveu com o lugar e seus habitantes. A mudança pela qual Britt-Marie passa é muito interessante, divertida às vezes e envolvente. Gostei do livro e agora sou fã de verdade de Fredrik Backman. Recomendo.
comentários(0)comente



Allycia 30/04/2020

Amei!
Livro extremamente sensível, mas nada dramático, tem uns toques de comicidade. O tipo do livro que nos faz refletir. Personagens incríveis e peculiares.
comentários(0)comente



smarcony 09/04/2020

O autor consegue manter seu jeito peculiar de contar histórias, como acontece nos 2 livros anteriores que li, Minha avó pede desculpas e Um homem chamado Ove. Aos poucos vamos descobrindo sobre a personalidade, história de vida do personagem principal e, pelo menos no meu caso, acabo gostando dos personagens por mais que, num primeiro momento, eles tem características que são "antipáticas" mas que, aos poucos, faz com que repensemos nossos preconceitos. Muito boa a leitura.
comentários(0)comente



Ana Paula Avila 02/04/2020

Cativante
Quando você lê um livro e sente que gostaria de ter como melhor amiga a personagem principal, é porque o livro deixou marcas. Assim é Britt-Marie, uma senhora cheia de manias de limpeza que vai morar numa cidadezinha descrita como ?o lugar aonde Judas perdeu as botas?. Com uma narrativa em terceira pessoa, o narrador nos diverte e nos encanta, mostrando que coisas simples como futebol e bicarbonato de sódio podem sim fazer uma bela história valer a pena ser lida.
Fatima 02/04/2020minha estante
Adoro os livros so Backman. Um homen chamado Ove é um dos melhores livros que li nos últimos tempos, mas Britt-Marie chega muito perto!!


Ana Paula Avila 02/04/2020minha estante
Vou começar agora Um homem chamado Ove... viciei nesse autor ?


Fatima 02/04/2020minha estante
Ana Paula, leia também Minha avó pede desculpas. É nesse livro que a Britt-Marie aparece pela primeira vez.


Ana Paula Avila 02/04/2020minha estante
Ah que legal. Obrigada pela dica, vou comprar agora pra ler ?




24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2