O Coração do Cão Negro

O Coração do Cão Negro




Resenhas - O Coração do Cão Negro


24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Aline.Sacramento 29/08/2021

Como eu não sabia o que esperar achei bem interessante, só que por ser bem curta eu fiquei um pouco perdida em alguns momentos, mas é bem legal.
comentários(0)comente



Antonio.Augusto 03/07/2021

Excelente HQ
Achei essa HQ na internet e resolvi ler por acaso. Acabou que me cativou muito, logo eu que nem sou de ler HQs.
A história é quase que uma ilustração dos contos Saxônicos de Cornwell.
Cativante, ilustrações excelentes, enredo eletrizante. Uma ótima HQ feita pro brasileiros.
comentários(0)comente



Daniel Moraes (Irmãos Livreiros) 27/05/2021

O coração do Cão Negro, de Cesar Alcázar e Fred Rubim
O coração do Cão Negro, graphic novel publicada pela Editora Avec, é um quadrinho que traz a história de Anrath, um guerreiro irlandês que, após a brutal morte de sua família, foi criado por vikings e seguindo sua vida com os costumes e hábitos, se apaixonou pela filha de seu grande líder e, acidentalmente, se culpa pela morte dela, o que o faz um mercenário.

Vagando pelo mundo tal qual um mercenário, sendo perseguido por irlandeses como também pelos vikings, uma vez que é um despatriado em ambos os lados, justamente em uma Irlanda dividida em guerra com seus governantes e, em constante batalha com os vikings.

Inegavelmente, o arco da narrativa se passa através de um período histórico onde a luta por terras e espaço entre Irlandeses e vikings, representada através dos traços duros bem desenhados por Fred Rubim, enfatizam o período que a história se passa e toda sua construção, muito bem roteirizada no qual Cezar Alcázar amarra a fantasia medieval e a política de construção irish.

O coração do Cão Negro, escrito por Cezar Alcázar e ilustrado por Fred Rubim, é uma excelente graphic novel encanta com sua narrativa e traz um novo formato de quadrinho para suprir a necessidade que o Brasil necessita no segmento de HQs. Altamente recomendado!

site: http://bit.ly/iLpost2304
comentários(0)comente



Rodrigo Leão 26/09/2020

Ótimo
História muito boa , o nosso herói eh muito legal , e n e cheio de clichês
comentários(0)comente



Rodrigo.Calza 11/08/2020

Anrath, o mercenário irlandês conhecido como o "Cão Negro de Clontarf", é um homem atormentado. Nascido gaélico, foi criado entre os Vikings. O destino fez dele um renegado, um guerreiro condenado a vagar entre duas culturas sem pertencer a nenhuma.

Com uma leitura fluída e bem legal, um dos meus gêneros de leitura favorito!
comentários(0)comente



Thalles.Haydan 17/07/2020

O coração do cão negro
Eu achei a história bem legal, mas achei que ele poderia ter algumas páginas a mais. Acho que muitas coisas se resolveram muito rapidamente nessa história, e poderia ter um desenvolvimento melhor. Acho também que o desenvolvimento do mundo ficou muito jogado e algumas coisas o leitor vai ter que preencher as lacunas sozinho. Algumas pessoas também podem ter dificuldades em se encontrar na questão dos personagens por eles terem nomes complicados e, por a história não ter um aprofundamento, acaba ficando complicado entender como os personagens estão sendo distribuídos na história. Enfim, no mais, achei a história bem legal.
comentários(0)comente



LimViera 01/07/2020

CÃO NEGRO
Não tem um primeiro livro muito viciante, são muitas informações ao mesmo tempo por isso é um pouco confuso
comentários(0)comente



Felipe.Protti 12/06/2020

O desenho é muito agradável, a história é interessante mas fiquei um pouco perdido em relação aos personagens.
comentários(0)comente



Ivo 21/04/2020

Ok!
sem enredo forte, sem personagens cativantes, uma leitura razoável!
comentários(0)comente



Estevão 19/04/2020

arte execelente
a arte é muito bonita, porém a história inicial é regular, vamos aguardar a continuação da saga.
comentários(0)comente



Paula.Lemos 25/03/2020

Leia sem grandes espectativas
A obra é curtinha, sem enredo forte ou personagens cativantes.
Conta a estória do cão negro que é contratado para resgatar um amuleto antigo, um medalhão, que na realidade seria uma mapa para um tesouro antigo. Entretanto, ele é traido pela pessoa q o contrata, um inglês... A história é curtinha sem adentrar de verdade na cultura escandinava, dos Vikings, nem na própria trama relacionada ao amuleto ou lenda e a cultura que o envolve.
vale a leitura se vc não tem nada para ler, mas não se estiver esperando algo interessante de verdade.
comentários(0)comente



Gárgula 11/03/2020

O Coração do Cão Negro – Volume 1
Finalmente matei minha curiosidade!
Há muito tempo venho querendo ler O Coração do Cão Negro – Volume 1, da dupla Cesar Alcázar (roteiro) e Fred Rubim (arte) e publicado pela AVEC Editora.

Aproveitei que estava na Feira Pop & Arts 2020 e comprei com minha amiga Lígia Colares esse primeiro volume. No dia seguinte já tinha lido e logo comecei a escrever minhas impressões de tão boa que é essa leitura.

Nada como um bom personagem e um bom roteiro
Bastardos e mestiços sempre dão personagens excelentes. Suas vidas envoltas em segregação, dureza e martírio conseguem fisgar a maioria dos leitores. Assim é a história de Anrath, um mercenário irlandês conhecido pela alcunha de Cão Negro de Clontarf.

O protagonista nasceu gaélico mas foi criado pelos vikings. Renegado por ambos, ele vive entre dois mundos sem pertencer a nenhum deles. Vivendo como um mercenário ele acaba sendo contratado para um serviço que o levará ao encontro e confronto de forças sobrenaturais e por que não, cthulescas.

Impossível não traçar um paralelo de inspiração com Conan, de Robert E. Howard, seja pelo comportamento do personagem, seja pelas aventuras sobrenaturais as quais enfrenta. Assim como Howard era influenciado por H. P. Lovecraft, vemos Alcázar seguir semelhante estrada na construção de sua dark fantasy.

Ficou excelente mesmo!

Como a arte ajuda a construir o imaginário do leitor
Quem nos acompanha aqui no blog sabe que sou fã de carteirinha da arte de Fred Rubim (falamos sobre a arte dele aqui). Seus traços riquíssimos permitem que o leitor facilmente viaje pelos mundos apresentados pelos roteiristas com quem ele trabalha. Em O Coração do Cão Negro não é diferente.

Neste quadrinho entretanto temos uma arte mais direcionada ao real. Os traços são menos exagerados e essa diferença fica nítida se comparamos aos seus trabalhos em Le Chevalier, que permite um traço mais solto e até mesmo cartunesco.

Muito bom perceber a plasticidade do talento de Rubim e a capacidade de adaptação da arte diante do enredo.

Conclusões finais
É nítido que estamos tendo a possibilidade ímpar de ver excelentes duplas nacionais se reunindo e nos entregando material em quadrinhos da melhor qualidade!

A AVEC Editora está de parabéns em ter um título de tal grandeza em seu catálogo. Que seus títulos só melhorem pois quem ganha somos nós, os leitores!

Quero ler mais aventuras do Cão Negro e indico demais a compra para quem curte dark fantasy em quadrinhos! Fica a dica para meu amigo Aurélio Costa, que gosta do gênero.

Boa leitura!

Resenha publicada no site Canto do Gárgula.

site: https://cantodogargula.com.br/2020/02/27/o-coracao-do-cao-negro-volume-1/
comentários(0)comente



Paulo 10/03/2019

Histórias de aventureiros em busca de tesouros ancestrais ou combates mortais. Esta é uma boa e velha proposta de aventura que sempre rende coisas memoráveis. Cesar Alcazar nos presenteia um personagem com um passado complicado buscando entender qual o seu sentido no mundo presente. Isso ao lado de uma boa arte do Fred Rubim que acaba precisando mostrar sua habilidade em construir espaços abertos para a narrativa.

"Não estou procurando confusão! Deixem as coisas do passado para os bardos e menestréis. Mas, se ainda quiserem a minha pele, juro que matarei muitos antes de tombar."

Uma das qualidades desta HQ é conseguir te apresentar rapidamente o personagem. Em pouco menos de quinze páginas, sabemos como o personagem funciona, quais as suas motivações e um possível mistério que o autor deixa para ser resolvido mais tarde. Não estamos diante de nenhum Conan da Ciméria que derrota cem inimigos em um piscar de olhos. Desde o começo, o autor deixa isso bem claro ao nos mostrar um homem poderoso ao mesmo tempo em que é apenas um bom guerreiro. É responsável pelo sucesso em um incrível combate (algo que deverá ser contado em futuras histórias), mas que deixou rivalidades para trás. Ao mesmo tempo existe um momento de tristeza quando ele perde seu grande amor por conta dos ciúmes de alguém que deveria ser seu aliado. Só por aí você, leitor, já consegue perceber quantas histórias estão escondidas nesta trama.

Eu já resenhei uma HQ com arte do Fred Rubim (Le Chevalier nas Montanhas da Loucura) e sei do que o artista é capaz. Muito detalhista e preciso na composição de cenas, ele sabe fazer o leitor prestar atenção em tudo o que está presente na cena. Porém, aqui nesta HQ, eu não curti tanto a arte dele. Os espaços abertos ficaram estranhos, uma presença muito forte do branco e daquele azul claro para indicar o céu fizeram com que o fundo não ficasse tão legal como é de costume na arte dele. Isso fez a gente prestar atenção mais na composição de personagens que não é exatamente o elemento forte do autor. Isso porque a arte do Rubim é mais estilizada e isso pode incomodar os leitores. A presença de tantos espaços abertos prejudicou sensivelmente a arte dele que brilha, por exemplo, quando Anrath está na caverna com Grainne ou mais tarde na taverna onde até as bebidas possuem detalhes. ​

A história é bem simples, porém muito bem executada. Temos Anrath sendo levado para ser sacrificado e a vingança de um velho conhecido do personagem. Logo vemos as influências lovecraftianas nas aventuras do personagem. Talvez muito desse link com Conan, dessas comparações inevitáveis que sempre aparecem. Porém, eu gostei que o Cesar conseguiu dar muita individualidade ao personagem, inserindo uma forma de pensar, uma série de objetivos que não são necessariamente matar vilões e um dilema moral que vemos surgindo aqui e vai se estender pelo próximo volume. O desenvolvimento da narrativa é muito bom e ficamos com aquela noção de aventura e mistério que antecipa este tipo de histórias.

Só fiquei um pouco preocupado no final. A batalha final é muito confusa. Em vários momentos o roteiro não batia bem com a cena que estava sendo apresentada e a gente via uma verdadeira bagunça nas páginas. Não sei se houve uma falha de comunicação entre autor e artista ou se foi simplesmente um prazo pequeno para terminar a HQ provocando esta confusão, mas esse final acabou me tirando um pouco da história. Mas, no geral, a HQ é muito boa e o problema é tão pontual que a primeira cena de ação que se passa em uma tumba é muito bem realizada. E achei legal o autor deixar alguns ganchos a serem aproveitados posteriormente.

O Coração do Cão Negro é um bom volume de estreia, apresentando rapidamente um personagem que tem tudo para se tornar memorável. O roteiro é simples, porém eficiente, e consegue entregar boas doses de ação e aventura. Além disso, o autor ainda consegue deixar mistérios no ar. A arte do Fred Rubim aparece bem aqui, apesar de que a quantidade de espaços abertos não favoreceram a arte mais detalhista do artista. Senti que no final houve uma falha de comunicação entre autor e artista, provocando uma batalha final com momentos estranhos e confusos.

site: www.ficcoeshumanas.com
comentários(0)comente



Taverneiro 11/04/2017

Ótima HQ de aventura no estilo de Robert E. Howard
Anrath é o protagonista dessa historia. Um guerreiro gaélico que, após a morte de sua família, foi criado pelos vikings. Passou sua vida lutando em guerras, até que se apaixona pela filha de um grande líder viking, e por acidente, acaba sendo culpado pela morte dela. Depois disso, ele começa a vagar pelo mundo como um mercenário, sendo perseguido tanto por irlandeses pelas inúmeras mortes que ele já causou quanto pelos vikings pela “traição” dele. Essa foi uma descrição absurdamente simplificada XD, vocês podem achar uma historia mais detalhada aqui. O cão negro é um baita personagem. Ele é um guerreiro muito habilidoso, mas “pé no chão” o suficiente para continuar sendo carismático e tendo problemas XD.

O mundo onde tudo se passa é o mundo real no inicio do século XI, em uma Irlanda dividida em guerra entre vários pequenos governantes, e em batalha constante com saqueadores vikings. O autor situa sua historia em um período real do nosso mundo, mas utiliza personagens fictícios em sua maioria, assim como Cornwell nos seus livros, que por sinal é uma influência também na maneira de escrita do autor. A intensidade do uso de fantasia varia do livro para a HQ.

Eu fiquei impressionado a qualidade do que Cezar Alcázar faz aqui, com sua pesquisa histórica, o carisma dos personagens e um texto de qualidade, me fez pensar o quanto não seria bom um romance gigante ou um quadrinho mensal desse cara.
...
Essa HQ cronologicamente se passa antes do livro A Fúria do Cão Negro e é a primeira edição dos Contos do Cão Negro. Ela começa com Anrath em um dos seus serviços como mercenário indo atrás de um estranho artefato na tumba de um druida, mas isso tudo se desenrola em uma trama com traição e antigos fantasmas do passado voltando para atormentar o Cão Negro.

O roteiro é bom, e explora mais da historia pessoal de Anrath do que o livro. E aqui também vemos uma mão de fantasia muito maior, o que sinceramente me surpreendeu. Depois de ler o livro, eu não esperava encontrar nada de muito incomum em outras historias do cão negro.

Uma historia também bem curtinha (menos de setenta paginas) é bem contada e indo direto ao ponto. Uma das grandes referencias aqui é Conan, o que eu considero uma coisa ótima.

A Arte de Fred Rubim é um atrativo a parte. Com traços mais duros e frios ele da um tom rude que a historia precisa.
...
Então se você curte fantasia medieval e ficção histórica visceral, leia esse material. Cezar Alcázar é um grande escritor e criou um grande personagem para a literatura! ^^

site: https://tavernablog.com/2017/01/22/contos_do_cao_negro_resenha/
comentários(0)comente



24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR