Um Certo Verão na Sicília

Um Certo Verão na Sicília Marlena de Blasi


Compartilhe


Um Certo Verão na Sicília


Uma história de amor




No verão de 1995, a jornalista americana Marlena de Blasi estava casada há apenas nove meses com um veneziano, quando uma revista acadêmica a encomendou um artigo sobre as regiões do interior da Sicília. Na época, ela já havia escrito longamente sobre as cidades e os vilarejos costeiros.

No entanto, ela desconfiava de que não fora a primeira escolha do editor entre os jornalistas qualificados que escreviam em inglês. Ainda antes de partir, teve suas suspeitas confirmadas: 'Diversas pessoas já tinham recusado o trabalho, incluindo o redator da equipe, que vivia na Sicília havia mais de uma década. O motivo? O mesmo que outros colegas já tinham utilizado para me alertar: o centro da ilha é um lugar remoto e intransitável, o silêncio colossal da região se reflete em seus habitantes. Eu lhes respondera que o silêncio é o reconhecimento do mistério. E o mistério é bom. As advertências serviram apenas para despertar minha curiosidade, revela.

E como já esperava, encontrou também o silêncio entre os venezianos com quem tentou conversar. Até mesmo importantes entrevistas agendadas pelo editor da revista foram ignoradas ou esquecidas. O roteiro meticulosamente traçado foi marcado apenas por silêncios, portas fechadas e um épico calor: 'Me rendi. Telefonei ao editor para lhe dizer isso. Até mesmo da parte dele houve silêncio. Deixando de lado a obrigação do trabalho, meu marido e eu decidimos sair das montanhas e ir para o sudoeste, na direção de Agrigento.'

Em Um Certo Verão na Sicília, o casal descobre a misteriosa Villa Donnafugata, onde passam um mês aprendendo a história dos habitantes do vilarejo: lavradores locais que se tornaram solitários, viúvas, viúvos, que trabalham, cantam, rezam e brincam numa ensolarada paisagem de torres, sacadas, hortas, campos e colinas. Com serviço de saúde com enfermeiras e médicos que fazem visitas, lá as mulheres são como irmãs. Em grande parte, eram vizinhas no vilarejo ou trabalharam nos campos, lado a lado, durante a vida toda. 'Somos todas parentes por afeição. Somos parte das histórias umas das outras. Nós somos sicilianas', afirma uma das moradas locais à autora.

Ao longo do livro, Marlena de Blasi revela os hábitos encantadores dos moradores da Villa Donnafugata e os segredos de sua bela e misteriosa proprietária, a signora Tosca Brozzi, que vive no lugar há mais de trinta anos, desde que seu pai a trocou por um dos cavalos do príncipe Leo, quando ela tinha 9 anos. Sua raiva inicial deu lugar a carinho e, depois, amor pelo príncipe. Juntos, depois da Segunda Guerra Mundial, Tosca e o príncipe levaram educação, bem-estar e um novo conceito de propriedade ao vilarejo que dependia das terras do nobre. No entanto, Leo acabou sendo punido pela Máfia por afrontar a hierarquia secular que mantinha os ricos no conforto e os pobres na miséria.

Edições (2)

ver mais
Um Certo Verão na Sicília
Um Certo Verão na Sicília

Similares

(10) ver mais
Mil dias em Veneza
A Doce Vida Na Úmbria
Amandine
Antonia e suas Filhas

Resenhas para Um Certo Verão na Sicília (16)

ver mais
on 1/2/10


Um romance leve, gostoso, com as delícias culinárias Sicilianas e uma bela história de amor. Embora, o que tenha me chamado atenção, foi a capa do livro. A história da vida de Tosca, contada por ela, achei um pouco cansativa em algumas partes e em outras devorei. Recomendo a leitura. Mas não o releria.... leia mais

Vídeos Um Certo Verão na Sicília (1)

ver mais
Sicily

Sicily


Estatísticas

Desejam127
Trocam21
Avaliações 3.7 / 395
5
ranking 28
28%
4
ranking 29
29%
3
ranking 31
31%
2
ranking 8
8%
1
ranking 4
4%

7%

93%

Camila
cadastrou em:
22/08/2013 14:05:43