Outlander

Outlander
4.63514 1417



Resenhas - A Viajante do Tempo


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Ariane 03/05/2016

Venha para o lado Sassenach da força - O clube da Meia-noite
Claire Randall está calma em sua segunda lua de mel. Apaixonada por seu marido, está matando as saudades após tanto tempo afastados trabalhando na guerra: Ela como uma competente enfermeira e ele em uma função importante e desconhecida. Frank Randall, seu marido, está igualmente animado por este tempo antes de começar a dar aulas de História em Oxford; Além disso, ambos estão ansiosos por começar uma família.


"Havia um zumbido profundo vindo de algum lugar bem próximo. Imaginei que deveria haver uma colmeia alojada em algum nicho da rocha e coloquei a mão sobre a pedra, a fim de inclinar-me para dentro da fenda.

A pedra soltou um grito.

Recuei o mais depressa que pude, tão depressa que tropecei na relva curta e caí sentada com toda força. Fitei a pedra, espantada, suando.

Nunca ouvira um som semelhante de nenhum ser vivo. Não é possível descrevê-lo, exceto dizer que era o tipo de grito que se poderia esperar de uma pedra. Era horrível.

As outras pedras começaram a gritar. Ouvi sons de batalha, os gritos de homens morrendo e cavalos feridos.

Tudo indo perfeitamente bem para ambos, em uma ótima lua de mel até Claire desaparecer repentinamente. Para ele? Apenas preocupações e incógnitas. Para ela? Um mundo, um tempo e uma situação completamente desconhecidas em que ela deveria fazer o possível para sobreviver e o impossível para retornar a seu marido.

Para opor-se a uma multidão era preciso mais do que a coragem comum; algo que fosse além do instinto humano. E eu temia não ter esta força e, ao temer sentia vergonha.

Claire se encontra na Escócia de 1743, às vésperas da segunda revolução jacobita, onde uma mulher é apenas uma procriadora e uma inglesa nada mais é que uma hostil estrangeira, uma Sassenach. Seu primeiro contato é o antepassado de seu marido: Jonathan Randall, ou Black Jack Randall, um homem terrível e tosco. Ela é salva pelo característico escocês Murtagh, padrinho de Jamie e um homem honrado e leal, é levada ao esconderijo de um grupo de escoceses. Lá é logo surpreendida pelo terrível tratamento à mulheres e apresentada a ele: James Alexander Fraser, um doce homem, perseguido pela justiça e vítima das mãos do Black Jack.

A dura verdade é que um ato simples pode ter consequências muito sérias em lugares e tempos como estes, especialmente para um homem como eu.

Forçada a conviver nesse ambiente até encontrar um jeito de voltar, Claire logo é levada a colocar suas habilidades de enfermeira em prática como Curandeira, e aos poucos vai conquistando o apreço dos seus companheiros, um pouco mais tarde conquista a confiança e faz amizades com pessoas peculiares: Ned, advogado inglês que é apaixonado pela Escócia e Geillis Duncan, uma mulher de personalidade forte, bruxa e sarcástica; Uma mulher apaixonante e intrigante. Claire também faz amizade com o Ruivo, Jamie, com quem é mais tarde forçada a se casar para garantir sua segurança.

"Meus braços o envolviam, acariciando as cicatrizes enrijecidas de suas costas. - Eu mesmo posso suportar a dor - disse ele suavemente -, mas não aguentaria vê-la sofrer. Está acima das minhas forças. "

Claire é posta em um terrível triângulo amoroso. Enquanto ainda deseja voltar para seu amado Frank, vai se deixando cativar pelo maravilhoso-perfeito-tesudo íntegro Jamie. Somos levados às mais diversas e difíceis aventuras de ambos, as quais envolvem desde perseguição, insiquisições, desavenças, brigas com o mundo a um amor forte e maravilhoso. Companheiros, marido e mulher que se amam e se respeitam, uma característica incomum entre casais estão preparados para enfrentar o que for.

-Você está a salvo disse ele com firmeza. Tem meu nome e minha família,meu clã, e se necessário, a proteção do meu corpo também. O sujeito não vai colocar as mãos em você de novo enquanto eu viver.

Com oito livros publicados e um nono a caminho, Diana Gabaldon, grande amiga de George R. Martin(autor da Guerra dos tronos), constrói uma história entrelaçada e firme, com temáticas diferentes a cada livro e personagens diferentes, apaixonantes ou odiosos. Esta é a saga que envolve romance, ação, aventura, violência, um grande toque da realidade, enormes lições de história. Te leva a muitos risos e muitas lágrimas simultaneamente. Prepare-se para ser arrancado de sua estabilidade emocional para um turbilhão de emoções. De um capítulo por dia que você leia, nesta saga, você acabará com o livro em poucos dias. Sim, ela é tudo isso.

Onde todo o amor existe, não há necessidade de palavras. É tudo. É imortal. E se basta.

Gosta de ação? Leia
Gosta de romance? Leia
Gosta de aventura e mistérios? Leia
A Viajante do tempo é a maravilhosa introdução a este maravilhoso universo criado por Diana Gabaldon. Leiam, chorem, riam, se emocionem, vivam este maravilhoso livro junto comigo e então, volte aqui para me contar o que achou e reservar sua passagem à Inverness junto a mim e mais 20 milhões de amantes deste universo.


Permita então que beijos apaixonados permaneçam em nossos lábios. Comece a contagem até mil e cem. E mais cem e mais mil.




site: http://www.oclubedameianoite.com/2016/04/resenha-viajante-do-tempo-diana-gabaldon.htmlhttp://www.oclubedameianoite.com/2016/04/resenha-viajante-do-tempo-diana-gabaldon.html
comentários(0)comente



Gabriela 28/04/2016

Romance na medida certa
Eu não costumo gostar de livros que contenham romance, mas esse me surpreendeu. Comecei a ler por curiosidade e adorei a narrativa, a forma como a história é contada. É incrível pensar como seria nossa reação se estivéssemos no lugar de Claire. Imagine-se voltando no tempo, para 200 anos atrás, em meio à guerra de clãs escoceses e ingleses e, ainda "pior", sendo mulher.

É uma história incrível, não há como não se envolver. Os personagens marcam, são bem trabalhados e conseguimos ter aquela sensação de conhecê-los, de que eles fazem parte da nossa vida. Claire é uma mulher forte e determinada, com um único intuito: sobreviver. A sinopse acima não condiz exatamente com a história. Com Jamie, há sim, o desejo, mas o livro é muito mais do que uma escolha entre voltar ao presente e resistir a uma paixão. É uma história de guerra, traição, envolvimento, desejo sim, mas também descobertas, evolução pessoal.

Para os que ouviram falar que é parecido com "50 Tons de Cinza", acredito que não. Eu não li 50 Tons, mas pelo sei, ele é bem hot e polêmico. Diferente de Outlander, que tem sim suas cenas picantes, mas também é um livro que coloca muito em tela o empoderamento feminino, diante de um cenário tipicamente machista, como o da época.

Indico esse livro a todos que gostam de história e de romance. Mas também àqueles que, como eu, querem arriscar um gênero diferente e, cuidado, vocês podem se surpreender!

site: http://arquivoliterariogb.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Pietra.Bretch 19/04/2016

Meu romance histórico favorito
Não tem jeito. Esse é o meu romance histórico favorito. Uma história bem construída, super bem fundamentada historicamente, daquelas que você não consegue parar de ler. Foi o que aconteceu comigo: quanto mais eu conhecia da história do Jamie e da Claire, mais eu queria ler e saber e viver junto com eles essa aventura. Recomendo o livro a todos que gostam de leituras de alto padrão.
comentários(0)comente



Estante da Rai 18/04/2016

Maravilhoso. Intenso. Incrível
Em "A Viajante do Tempo", nós somos apresentados a Claire, que viaja em lua-de-mel com seu marido Frank para as highlands Escocesas depois de anos separada dele pela Segunda Guerra Mundial, onde trabalhou como enfermeira da Cruz Vermelha.

Num passeio à uma formação rochosa que funcionava como um templo celta, Claire testemunha uma cerimônia celta e passa por uma espécie de portal do tempo, atravessa séculos de história e chega no meio de uma violenta batalha entre escoceses e ingleses no século XVIII, mais precisamente em 1743.

É quando ela conhece um guerreiro escocês, Jamie Fraser ~ pausa para suspirar ~, com quem será obrigada a se casar para fugir da presença do capitão Black Jack Randall, antepassado direto e sósia de seu marido.

Resenha completa em:

site: http://ilustrese.blogspot.com.br/2016/03/outlander-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



Patty Pizarro 14/04/2016

Perfeito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Eu não sei o que dizer sobre esse livro! Diana Gabaldon abalou meu mundo!!!!
A forma como ela escreve não é difícil, mas é muito detalhista, apesar de muitas pessoas não gostarem, eu gosto (mesmo tendo certos momentos que a gente fica tão instigada a saber o que vai acontecer que dá vontade de pular alguns parágrafos rsrsrs), ela me deixou com uma imensa vontade de conhecer a Escócia do século XVIII e toda a cultura do local.

Claire é uma enfermeira que acaba de voltar para casa depois de ter ficado 5 anos longe de seu marido Frank devido a 2° Guerra Mundial. O casal se reencontra e decide curtir uma Lua de Mel na Escócia. Devido a curiosidade de Frank, em uma madrugada eles partem para um local no alto de uma colina conhecido com Craigh na Dun, onde segundo Frank, aconteceria um ritual pagão. Eles assistem maravilhados o ritual e retornam para o local onde estão hospedados. Claire tendo muito conhecimento e curiosidade em relação a plantas se vê obrigada a voltar para o local para descobrir uma planta que lhe chamou a atenção. Ela acaba voltando sem Frank e sem qualquer explicação, ao tocar uma das pedras da Colina se vê no mesmo local, porém no ano de 1743. A Escócia passa por momentos difíceis tendo os ingleses no seu encalço e logo ela se vê no meio de uma batalha entre soldados ingleses e guerreiros escoceses. Tentando fugir dos tiros de mosquete, ela encontra Jack Randall, alguém que além de ter o sobrenome de seu marido, tem também a aparência dele. Confusa com o ocorrido e se deixando enganar pelo rosto que ela conhecia tão bem acaba sendo atacada por Randall, mas é resgata por um escocês que faz parte de um grande clã nas Terras Altas. Como prisioneira desse clã ela conhece Jamie MacTavish, um belo jovem escocês por quem começa a sentir forte atração e se vê dividida entre o desejo por Jamie e a fidelidade ao marido.

Estou com raiva de mim por ter demorado tanto para ler esse livro.
A força da protagonista é tão grande que em certos momentos a gente sente vontade de entrar na história e oferecer um colo para ela, ninguém deveria passar pelo que ela passou e o mesmo vale para Jamie, ele é simplesmente encantador. Estou completamente apaixonada por esse livro e ansiosa para saber quais serão os próximos desafios de Claire.
comentários(0)comente



Lili 11/04/2016

Um pouco decepcionante
"Um livro decepcionante e você dá nota 4?"

Bom, eu daria alguma nota entre 3 e 4, mas resolvi arredondar pra cima porque o livro tem seu apelo, a leitura flui e o casal principal acaba por nos conquistar em muitos momentos.

Na minha opinião, o que tornou o livro decepcionante foi principalmente o fato de ele praticamente não tratar do tema que me atraiu: viagem no tempo. Acho que a autora até pretende se aprofundar mais no assunto nos próximos volumes, mas nesse a viagem foi meramente um detalhe. Isso foi bem frustrante para mim, pois acho esse tema fascinante e adoro livros que tratam dele.

Outro ponto é que o livro se estende mais do que o razoável em detalhes absolutamente aleatórios, que não acrescentam nada à história. Vários parágrafos descrevendo a pesca de uma truta, por exemplo, foram bastante enfadonhos e, na minha opinião, desnecessários.

Por fim, digo que a autora deixou alguns ganchos para que tenhamos vontade de ler os outros livros da série. Comigo não funcionou. Parei por aqui.

Até recomendo o livro. Mas leia com expectativas baixas. E esqueça da viagem no tempo.
comentários(0)comente



Blog Cinco Garotas Exemplares 11/04/2016

A primeira vez que li sobre Outlander A Viajante do Tempo foi sobre uma reportagem a respeito de um novo canal que traria esta história para série de tv este ano. Inicialmente, pensei que seria uma ficção científica.

Perdoe-me a ingenuidade. (risos) Porém, ao ler mais a sinopse e alguns comentários, tratava-se de um drama épico, do jeitinho que eu iria amar.

Logo, Outlander se tornou meu livro de desejo. E por sorte, acabei ganhando no amigo secreto do ano passado de uma amiga que também se encantou pela história (mas que ainda não leu!!!!!!!!! O.o). Mirela, mais uma vez meu obrigada. E no início deste ano, ele tinha que está na lista.

Então do que se trata o livro? A história se passa na Escócia, quando Claire Randall e seu marido Frank se reencontram depois do fim da II Guerra Mundial, com o intuito de reavivar o casamento depois de anos separados pela guerra. Assim, ambos embarcam numa segunda lua de mel. Contudo, o que deveria ser simples momentos de amor e intimidade, acaba se tornando surpresa e desalento.

O nome da colina é Craign Na Duh; a Colina das Fadas. Alguns dizem que a colina é encantada, outros que é amaldiçoada. Todos têm razão. Mas ninguém sabe a função ou o propósito das pedras. Exceto eu. (Claire)

Em uma manhã ensolarada, Claire resolver visitar Craigh Na Dun, um tipo de círculo mágico formado por pedras que dizem ter sido cultuado por bruxas no passado. O que ela não sabia é que estava prestes a entrar num portal para uma nova vida.

A partir daí, nossa mocinha se vê em um lugar hostil, onde ingleses e escoceses brigam por poder no séc. XVIII. Assustada com sua viagem no tempo e sem a menor ideia de como voltar, Claire terá que usar sua sabedoria em esconder sua origem e sobreviver em um lugar onde não é benquista. Mesmo assim, ela não vai encontrar só adversidades, mas também um grande amor com o nome de Jamie MacKenzie Fraser (aiai!!!!).

Diana Gabaldon soube muito bem como explorar sua trama, com elementos fortes e uma narrativa impecável. Repleta de ação e momentos de suspense, a autora soube dosar um pouco de tudo na história. Trouxe não só elementos históricos, mas também curiosidades sobre os Escoceses e o modo de vida do século XVIII. E ainda, desencadeou um romance muito forte e o estigma do que acontecerá ao futuro com as mudanças feitas por Claire ao interferir.

Nós não temos nada entre nós no momento, a não ser, talvez, respeito. E acho que o respeito pode ter espaço para segredos, mas nãopara mentiras. (Jamie)

Pois é, 799 páginas de drama, amor, dor, superação, crueldade, vilania, surpresa, medo e tantos sentimentos em um único livro. Uma única história. Em uma teia do tempo maravilhosamente bem feita. Sem esquecer personagens maravilhosos. ah, Jamie!. e situações vívidas.

site: https://cincogarotasexemplares.com.br/2015/12/28/resenha-outlander-1-diana-gabaldon/
comentários(0)comente



Tainara 09/04/2016

Sassenach!
"O papel era novo e limpo e a tinta vivamente preta. Legível ou não, a data no alto da folha saltou aos meus olhos como se escrita a fogo: 20 de Abril de 1743."

Claire e Frank Randall vão passar suas desejadas férias, ou melhor falando sua Lua de Mel na Escócia, pois os dois não tiveram tempo para isso, já que foram para a II Guerra. Ele como historiador, ela como enfermeira. Nessa viagem, durante um passeio sozinha Claire se depara com um circulo de pedras mágicas, a Craig na Dun e sem querer acaba viajando 200 anos no tempo, para a Escócia dos grandes e corajosos highlanders.
É onde a jornada começa.. haha A coitada chega numa batalha, onde conhece nada menos que o odioso Black Jack ou Jonathas Randall, capitão da Infantaria, que é nada menos que a cara do seu marido Frank, mas as coincidências param ai, porque Black Jack é o diabo vestido de homem.
Ela é resgatada das mãos de Black Jack pelos guerreiros do clã Mackenzie, onde conhece Jamie Fraser, que por sinal se encontra machucado e onde ela coloca seus conhecimentos em prática e é acolhida pelo grupo, mas fica em suspeita ( aparece em trapos, sabe curar e ainda sabe de coisas que virão acontecer,muito suspeito,não? ). Ela é levada para o Clã Mackenzie, onde fica de visitante à espera de ajuda para voltar para casa e seu tempo. Mas as coisas começam a se complicar cada vez mais, chegando a um ponto em que se ver obrigada a se casar com Jamie, para que não possa ser presa e ai sim, começa sua luta.. Escolher seu futuro com Frank ou seu passado, presente com Jamie? As aventuras e perigos são muitos,as dores são profundas e as batalhas constantes, mas tudo isso vale ser enfrentado por seu amor verdadeiro.

"Você é sangue do meu sangue e ossos dos meus ossos. Dou-lhe meu corpo, para que nós sejamos um só. Dou-lhe meu espirito, até o fim de nossas vidas."
Outlander é uma das séries mais sensacionais que já li. A Diana criou uma história tão rica de detalhes e de personagens impactantes, que por mais cansativa que possa ser a leitura, a magia do enredo nos envolve a ponto de nos apaixonarmos completamente e absolutamente por essa jornada tão árdua e perigosa que é a busca da felicidade de Jamie e Claire.
É quase inverno e as noites são longas, mo duinne.-Inclinou-se por cima da cerca,abrindo os braços, eu entrei neles, sentindo o calor do seu corpo e as batidas de seu coração.
- Eu amo você.


site: https://www.instagram.com/aperreioliterario/
comentários(0)comente



Nanda 08/04/2016

Assim que acabaram minhas aulas e toda a correria, eu resolvi dedicar meu tempo para terminar a história. Eu juro que tentei com todas as minhas forças gostar do livro tanto quanto a maioria das pessoas gostou. Infelizmente, não foi assim.

O meu susto inicial e gerador de muitas dúvidas antes de solicitar A Viajante do Tempo para resenha foi seu tamanho: 800 páginas. Mas respirei fundo e fui em frente. No primeiro volume da série, Claire, depois de presenciar um ritual misterioso, volta no tempo, na Escócia de 1743. Até aí tudo bem, plot legal e conseguiu prender minha atenção. O problema foram os acontecimentos depois de tudo isso.

Uma coisa extremamente maçante na narrativa é a necessidade da autora de explicar detalhadamente até a cor da fita de cabelo que a personagem principal usa. E isso cansa, muito. Aos poucos a minha empolgação foi diminuindo e eu cheguei ao ponto do ATL. Muitas pessoas falaram: continua, é legal. Eu tentava, lia um parágrafo e: ou dormia, ou ia fazer outra coisa. Simplesmente não deu. Atribuí parte da culpa ao estressa da faculdade.

Retomei a leitura no dia 06/01, quando finalmente tive coragem para mergulhar na história. Como li pelo Kindle (porque gente, não dá pra segurar um livro de 800 páginas, eu não consigo, por favor), me dava uma angústia enorme ver que a barrinha de progresso não mexia. Eu lia, lia, lia e lia e parecia que não saía do lugar. E o livro não estava ajudando, porque, sério, parecia que estava andando em círculos.

Inicialmente eu fui shipper de Claire e Jamie, mas aí até isso me cansou. Como a narrativa é em primeira pessoa (na visão de Claire), mostrava bem as suas dúvidas entre ficar ou ir e aiminhanossasenhora, ela não resolvia. E ficava aquele mimimi eterno sobre conhecer os ancestrais do marido do futuro, amar o marido atual e ouch, I cant.

Quando cheguei ao fim da leitura foi um alívio, mas minha cabeça estava explodindo. A escrita no geral é boa, porém o excesso de descrições, a inserção de plots estranhos e, bom, algumas coisas não fazem o menor sentido (e eu não posso falar porque é spoiler), tudo isso minha animação minar. É um romance beeeeeeeeeeeeeeeeem histórico, se você, caro leitor, gosta do estilo, vá em frente que você vai ser feliz. Já eu cheguei à conclusão que Outlander definitivamente não é para mim.

site: http://www.entrelinhascasuais.com/2015/01/resenha-viajante-do-tempo-outlander-1.html
comentários(0)comente



Rogéria 04/04/2016

Outlander Vol 01
Li "Outlander" para o desafio "Viagem no Tempo" do Clube dos Seis, o clube de leitura do qual participo. Era um livro que há tempos queria ler e foi uma ótima oportunidade de finalmente conhecer essa obra tão comentada que virou uma série também muito elogiada.

O livro conta a história de Claire, uma enfermeira inglesa de 1945 que subitamente se vê lançada no ano de 1700, na Escócia, e precisa lutar para se adaptar sozinha àquela realidade bárbara, no meio de um conflito político envolvendo Inglaterra e Escócia com uma guerra prestes a estourar.

Gostei do livro, embora ele não fosse exatamente o que eu esperava. Fui influenciada por leituras passadas que abordavam viagem no tempo de forma diferente, e esperava algo no mesmo sentido, com um aprofundamento maior nesse tema, mais dúvidas, mais comparações entre os tempos passado e futuro, mais luta e sofrimento para retornar ao tempo atual ou, pelo menos, mais desespero perante a realidade de ter ido parar 200 anos antes de seu tempo, longe do seu marido e nas mãos de desconhecidos que a todo momento querem te estuprar e te matar. Então precisei me adaptar à abordagem de Outlander e recalibrar minhas expectativas.

É, essencialmente, um livro de romance. A viagem no tempo é um mero detalhe que tornou possível que Claire conhecesse e se apaixonasse por Jamie, um personagem cativante que possui algumas falhas que me incomodaram bastante, mas que são inerentes a um homem de seu tempo. Mais do que as falhas do Jamie, na verdade o que me incomodou mesmo foi a Claire e seu comportamento perante algumas situações. Mas nada que me fizesse antipatizar com a personagem, felizmente, ou não conseguiria continuar a leitura de um livro tão grande. Aliás, essa foi uma das desvantagens desse livro: foram 800 páginas e muitas delas continham detalhes desnecessários que poderiam ter sido resumidos para que a história fluísse mais rapidamente. É o estilo da leitora, mas poderia ser bem mais enxuto. Dá até uma desanimada pensar em continuar a série quando vejo que os próximos livros são ainda maiores!

É um bom livro e recomendo para quem gosta muito de romances calientes, aventuras de vida e morte, personagens heroicos, sofrimento e redenção. ;)
comentários(0)comente



Amanda 01/04/2016

Que livro pesado (em muitos sentidos), não foi só uma vez que ele escorregou da minha mão e caiu em cima de mim, mas enfim, cada queda valeu a pena por que o livro é lindo. Então gente, leiam o livro!

Confesso que assisti o seriado primeiro, e inteiramente culpa dele que hoje eu estou lendo a saga, a série de TV é de uma fidelidade com a história que até me espantei, já que muito das adaptações que vemos hoje em dia faz o que quer. Por outro lado, como eu já sabia de tudo e percebei que não teria grandes novas surpresas com o livro eu demorei muito tempo pra ler, mas gente leiam!

Eu preciso falar do Jamie, que homem maravilhoso, tá que ele se desvia um pouco do padrão (de caráter) atual, mas convenhamos, ele vive no século XVIII com uma cultura social totalmente diferente da nossa e vemos ele amadurecendo tanto como personagem, lidando com problemas e conflitos surreais pro seu contexto de forma tão inteligente que ele merece todos os elogios aqui. O tanto que ele cresceu na história, como ele é leal ao seus princípios e como ele devota sua vida pela claire são tocantes *-*

E para concluir, leiam o livro!!!!!
comentários(0)comente



Aline Marques 20/03/2016

A opinião de uma sobrevivente
Minha meta de leitura e eu estávamos apreciando um descanso quando, de repente, a @laylafromthebooks começa a falar apaixonadamente sobre Outlander.
Depois de tê-la persuadido a ler muitos de meus favoritos, pensei 'que se dane'. E foi aí que a coisa desandou...
--
"A verdade é que nada se movia, nada mudava, nada parecia acontecer e, ainda assim, eu experimentava uma sensação de terror tão grande que perdi completamente a noção de quem ou o quê eu era, de onde me encontrava. Estava no âmago do caos e nenhuma força física ou mental era útil contra isso."
--
Com o término da Segunda Guerra, a enfermeira Claire viaja em lua de mel para a Escócia e, durante um passeio ao círculo de pedras local, é transportada para o século XVIII. Entre se deparar com o ancestral de seu marido; ser acusada de prostituição, espionagem e bruxaria; casar novamente e aprender a lutar; ela só quer permanecer viva.

Nós também, Claire. Nós também.

São tantas reviravoltas que fica difícil não prender a respiração.
A escrita da Gabaldon é deliciosamente meticulosa e equilibra o caos com um humor sagaz (e bem-vindo). Como se não bastasse, a mulher sabe dilacerar um coração!
--
"Não tenha medo - sussurrou ele em meu ouvido. - Agora somos dois."
--
Não é apenas a narrativa que invade os sentidos e intensifica os sentimentos. Os personagens e seus diálogos conquistam até os leitores menos imaginativos e despreocupados.

São oito volumes e uma série televisiva maravilhosa. Impossível não se tornar fã!
--
"É que... talvez você não compreenda o que quero dizer. Mas quando um homem sofreu algum mal, trata-se apenas de uma das coisas que sabe a respeito dele e não faz muita diferença na maneira como você o vê."
--
Nota: 4.5

site: https://www.instagram.com/p/BDLSOrCSFqr/
comentários(0)comente



Angel 19/03/2016

Muito bom!
Claire e seu marido Frank estão em uma nova lua de mel pelas terras altas, ele também está estudando sua árvore genealógica.
A vida está boa, mas quando Claire sai em uma expedição solitária e vai até Craigh na Dun, um círculo de pedras, ela misteriosamente se vê no mesmo lugas, porém em um ambiente diferente, em meio à sons de batalha, soldados começam aparecer e ela pensa ser alguma encenação.
Mas na verdade Claire voltou no tempo, para o ano de 1743, coisa que ela reluta em acreditar, quando finalmente se dá conta do que está acontecendo.

Perdida na floresta, Claire é atacada por um soldado inglês, porém um escocês a salva. Se bem que salvar não seria a palavra correta, pois ela na verdade sai das garras do inglês para ser raptada por um grupo de escoceses.
Claire é levada ao clã Mackenzie, onde a princípio é tratada com desconfiança, pois todos acreditam que ela seja uma espiã inglesa, e acaba atuando como médica do local, por conta de suas habilidades como enfermeira.

Enquanto estava sendo levada ao clã, Claire conheceu o jovem Jamie, e as circunstâncias que vão surgindo e o destino pregarão uma peça nos dois, e ela acaba dividida entre a fidelidade ao marido que nem sabe se um dia voltará a ver e a paixão por Jamie.

Esse livro é enorme, repleto de situações e personagens, mas não irei falar mais sobre o enredo para não me prolongar demais e talvez até soltar spoilers.

Chegará o momento em que Claire terá que tomar difíceis decisões, assim como Jamie, que já sofreu muito na vida, mesmo com sua pouca idade (+- 23/24 anos).
A jornada dos dois é repleta de aventuras, e descobertas, tanto de segredos como de si mesmos.
Claire descobre em si uma forma maior que ela imaginava possuir, se transforma, se torna uma verdadeira guerreira, em todos os sentidos da palavra, capaz de tudo para lutar pelos seus.

Jamie apesar de eu ter tido vontade de matá-lo em mais de um momento, que mesmo entendendo o ponto dele eu não aceito, é um personagem forte, encantador e apaixonante com seus olhos azuis e cabelos ruivos.

A narrativa em primeira pessoa feita pela própria Claire é rica em detalhes e nos transporta para dentro das páginas.
Demorei pouco mais de dois meses para terminar a leitura, pois o livro tem 800 páginas repletas de detalhes, cenários, personagens, então li devagar para não me perder dentro da história. Intercalei a leitura com outros livros também, pois como ele é pesado li apenas em casa e passo pouco tempo aqui.

Não citei os outros personagens não por não serem importantes, mas porque se fosse fazer isso iria deixar a resenha gigante e soltar milhares de spoilers.

O livro é excelente, uma leitura mais que recomendada e mal posso esperar para saber o que vem por aí!


site: http://a-libri.blogspot.com.br/2016/03/resenha-outlander-diana-gabaldon.html
comentários(0)comente



KeylaPontes 16/03/2016

Eu sempre fui apaixonada por histórias de romance envolvendo escoceses, kilts e Highlanders e tudo isso haha. E "Outlander" sempre foi um livro da vibe "nunca te li sempre te amei". Sempre que eu olhava pra e ele olhava pra mim eu sabia que seria amor. E foi!

O livro conta a história de Claire Randall. Uma (ex) enfermeira da segunda guerra mundial, casada com o professor Frank Randall que embarca para uma "segunda lua de mel" (ou tentativa de acender o casamento) para as terras altas. Frank é muito curioso e vive atrás de elementos históricos. Um dia eles assistem a um ritual em um lugar estranho cheio de pedras. Depois, porém, intrigada, Claire volta ao local é algo surpreendente acontece e ela volta 200 anos no tempo.

Acontece que nesse novo lugar eles vivem uma guerra entre ingleses e escoceses. É pega por um capitão inglês que é a cara de seu marido! Porém, as semelhanças acabam aí! Consegue escapar e é pega (de novo) pelo clã escocês e é aí que conhece Jamie *pausa para suspiros apaixonados*.

Aí meu Deus o que falar desse livro maravilhoso? Bem escrito, bem desenvolvido, viciante, criativo... É engraçado! Algo que eu não esperava era o livro ser muito engraçado. Eu alguns momentos eu fiquei igual uma besta rindo sozinha. Os personagens coadjuvantes tem uma importância enorme e são super bem desenvolvidos. E o que falar do amor de Claire e Jamie? A relação deles é construída aos poucos, sabe aquele tipo de livro que você SENTE o amor chegando? Brotando, fazendo a gente se apaixonar junto... Sendo lindo... Aquelas empolgadas.

Porém, nem tudo são flores. O livro tem um romance delicioso. Mas ao mesmo tempo. é bem de acordo com a época. O que PRA MIM foi um pouco difícil lidar como isso de homem ameaçando dar uma surra na mulher como forma de "educa-la". Foi um pouco difícil engolir isso e abstrair como sendo do costume. Pelo menos a cena que o Jamie "esquenta o traseiro" da Claire por pressão dos outros não é descrita. Não estava pronta para nutrir raiva pelo Jamie. Bom que ele se redimiu depois.

Algo que preciso alertar é que as cenas de sexo são bem descritivas (sem ser vulgar) então fiquem alerta com a faixa etária. Porque esse casal pega fogo!!

Se eu tivesse que apontar UM defeito seria que achei os capítulos um pouco longos demais. O que por, algumas poucas vezes, tornou a leitura cansativa. Mas como eu disse isso é um pequeno detalhe em meio a uma maravilha tão grande que é esse livro.

A minha nota só não foi máxima pelo fato de algumas situações que a mocinha passava beiravam o absurdo! Haha desde tentativas frequentes de estupro (aproximadamente QUANTAS tentativas de estupro uma mulher pode sofrer em um livro??) até julgamento por bruxaria (poucas vezes eu vi um povoado DOIDO como esse! Me lembrou um episódio de os padrinhos mágicos)!

Ok, eu me diverti bastante nessas partes, porém não sei até que ponto elas era necessárias. Mas, na medida em que eu via que as páginas estavam acabando eu queria mais alguns capítulos estúpidos para eu não me despedir do livro (aquelas estranhas).

E meu Deus que final! Que autora incrível, que personagens, que história!

Por fim, o primeiro volume da série "Outlander" é recomendadíssimo! E apesar de assustar com as suas 800 páginas (se tem medo de livro grande não aconselho! Afinal ele é o mais "fino" dos que eu vi da série), o livro é incrível e, assim como o nome do subtítulo, é uma verdadeira viagem!

Resenha disponível em:

site: http://keylinhastureads.blogspot.com/2016/03/resenha-outlander-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



Ta Buesa 11/03/2016

Aconselhamento.
Conheci este livro devido a série exibida. Demorei muito tempo para conseguir terminá-lo. É um história apaixonante e devastadora em diversos aspectos, mas aconselho as pessoas a escolherem a sua preferência entre o seriado ou os livros, se não, a leitura se torna maçante, dentre outras comparações que acabamos por fazer. Se deseja ambos então leia primeiro e assista depois. Se apaixone por Fraser ♥ e o vejo nas páginas dos livros e na tela do computador.
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7