A Viajante do Tempo

A Viajante do Tempo
4.85083 1086



Resenhas - A Viajante do Tempo


160 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Marina.Rocha 25/08/2015

Uma história apaixonante!
O livro conta a história de Claire Randall, uma enfermeira do exercito britânico que durante sua lua-de-mel em Inverness, na Escócia, passa por uma experiência inusitada/inexplicável: viaja no tempo através do circulo de pedras de Craig Na Dun, alvo de várias lendas místicas ao longo dos séculos. Ao viajar no tempo, Claire se vê longe de seu marido Frank, um professor de história obcecado em descobrir fatos sobre sua árvore genealógica, e em um mundo completamente diferente do que está acostumada, ela se vale do que aprendeu ouvindo os estudos de seu marido para enfrentar a nova realidade enquanto busca uma forma de voltar para o seu próprio tempo.
Nessa nova jornada Claire conhece os Mackenzie, que compõem um dos clãs extintos na batalha que ficou conhecida como “Batalha de Culloden”. Com suas habilidades de enfermeira, passa a integrar a rotina desse clã e se aproxima de Jamie, com quem começa um nova história de amor. Diante disso Claire se vê em um paradoxo: se entregar a esse novo sentimento e tentar salvar o clã que passou a integrar (de certa forma) ou voltar para Frank.
De 1945 para 1743. Mais de 200 anos separando-a de sua realidade. Ou seria o passado a realidade de fato de Claire?
A história é bastante intensa, cheia de personagens misteriosos e apaixonantes, muitas aventuras e surpresas durante todas as 800 páginas. É um livro nada monótono. A linguagem é bastante simples. O mais interessante, em minha opinião, é a mescla da história real com a ficção, tudo se encaixa perfeitamente. A leitura é bastante agradável e o final deixa aquela ansiedade para descobrir o que vem depois.
A editora Saída de Emergência está lançando novas edições de toda a série e. diga-se de passagem, as novas capas estão lindas (baseadas na série de TV inspirada nos livros).
Enfim, para quem gosta de romance de época, eu super recomendo!
comentários(0)comente



Thunder Wave 24/08/2015

Quem já assistiu a série, que recentemente finalizou a primeira temporada, com certeza já sabe a maravilha que é essa obra. Fielmente representada, a adaptação inicia e termina sua primeira temporada nos acontecimentos do primeiro volume.

A obra te conquista logo nas primeiras páginas. A Viajante do Tempo, assim como os outros livros da saga Outlander, pode assustar no inicio por ser grande (esse primeiro volume tem 800 páginas), mas ao chegar à página 50 você já está convencido de que não irá largar a leitura e nem nota mais o grande volume de páginas. Outlander pode ser considerado um romance de época, mas é muito mais do que isso, tem ficção, mistério, aventura e muito desespero! A grande quantidade de informações e descrições sobre a Escócia no século XVIII dá ao leitor uma viagem maravilhosa. Somada aos dilemas de Claire, dividida entre ajudar com seu conhecimento histórico e ser manter fiel ao marido que ainda nem é nascido, e à ousadia de Diana em colocar situações realmente pesadas, a saga se revela surpreendente, se tornando rapidamente minha preferida.

A Viajante do Tempo é uma leitura praticamente obrigatória. Se prepare para rir, se apaixonar e sofrer com essa maravilhosa obra!

Veja mais no link

site: http://thunderwave.com.br/resenha-outlander-a-viajante-do-tempo-diana-galbadon/
comentários(0)comente



Biazinha 22/08/2015

Otlander - Apaixonadas por Livros
Claire Beauchamp Randall esta na escócia em uma segunda lua mel com seu marido Frank Randall, eles precisam se reaproximar depois de anos separados por causa da guerra. Ela foi atrás do amor, mas o encontrará bem longe de Jack.

Jamie Mackenzie Fraser é um escocês típico, grande, forte e muito inteligente, gentil, amável e lindo, age como cavalheiro, mas tem a força de um guerreiro, mas vive com um bando de criminosos por ter sua cabeça a prêmio e estar sendo procurado pelos Dragões da Inglaterra, duas vidas que convergem apesar das impossibilidades.
Claire e Frank estão conhecendo Inverness e acabam presenciando um ritual druida e ficam encantados, no dia seguinte Claire segue até lá sozinha e ouve um zumbido entre as pedras,ao tocá-las seu mundo vira de cabeça para baixo,pois ela acorda em Inverness,mas só que viajou 200 anos no passado. Ela fica completamente desorientada e a partir daí se envolve em perseguições, é capturada por soldados ingleses, libertada por escoceses só para se vir capturada de novo, só que agora por eles. Ela não consegue acreditar que viajou no tempo, mas tudo a sua volta prova que é a realidade, ela precisa voltar ao círculo de pedras para poder voltar ao seu tempo e para Frank, mas muitas reviravolta acontecem, entre tentativas de fuga, se ver trancada em um porão e ainda ser obrigada a trabalhar como curandeira do Castelo de Leoch,Claire vai se adaptando ao lugar e as pessoas,mas sente que precisa voltar a Frank,até que para não ser pega pelo Ingleses precisa tomar uma decisão que mudará tudo.

Uma trama intrincada e incrível, que vai envolvendo o leitor aos poucos, seja pelo desenrolar da trama,seja pelas belíssimas descrições das Terras Altas. Diana nos conta uma história cheia de fantasia, e ao mesmo tempo cheia de fatos históricos, uma mulher do futuro, acostumada a algumas mordomias do século XX se adaptando a quase selvageria da Escócia do século XVIII.

Os personagens são perfeitos, profundos, cheios de controvérsias e me apaixonei por vários deles, claro que Jamie Fraser é o que mais me encantou, um homem enorme, lindo, honrado, guerreiro e que apesar de toda a boa educação sabe viver como fora da lei e faz de tudo para sobreviver e a proteger aqueles a quem é fiel, durante o primeiro livro da série somos presenteados por inúmeros personagens e às vezes fica até difícil acompanhar, mas nada que a atrapalhe a leitura e a autora sabe como viajar entre o presente e as recordações, e mais ainda sabe como introduzir os personagens e nos ajudar a nos ambientar nisso tudo.

Você primeiro
Não,você
Porque
Tenho medo
De que minha sassenach?
Tenho medo de que, se eu começar,não pararei mais.
É quase inverno e as noites são longas mo duinne.
Eu amo você.”




O romance entre Claire e Jamie é perfeito, apesar de improvável, ele o forte e rude, porém bastante machucado escocês, e ela a forasteira forte e determinada, eles primeiro são amigos e o sentimento vai evoluindo de uma forma linda, o leitor aposta nesse casal logo no início e não se decepciona, os dois são responsáveis pelas melhores partes do livro, Jaime mesmo inexperiente sabe como conquistar uma mulher e nos faz suspirar em diversas partes da trama, Claire é mais firme,mas não consegue resistir ao ruivo que se mostra tão gentil e honrado,o amor cresce entre eles de forma avassalaradora,mas eles não são um casal meloso,muito pelo contrário,são realistas e inteligentes e sabem como levar esse relacionamento adiante apesar de todas as intempéries.
Eu poderia passar horas falando desse livro, que é enorme, com 799 páginas, mas não se assuste ele guarda uma história impactante e que te deixará em uma super-ressaca literária, pois quando terminei o livro, só queria voltar ao mundo desses personagens, e nada me preparou para o efeito que ele causou em mim.

site: http://www.apaixonadasporlivros.com.br/resenha-outlander-de-diana-gabaldon/
comentários(0)comente



Stephany 18/08/2015

"E SE O SEU FUTURO FOSSE O PASSADO?"
Outlander, a viajante do tempo da autora Diana Gabaldon.

É um daqueles livros que já começam intrigantes. Começando com a frase " pessoas desaparecem o tempo todo..."
1945, depois da segunda guerra mundial. Claire Beauchamp, uma enfermeira inglesa se vê livre do ambiente cheio de homens mutilados e bombas por todos os lados e finalmente volta para o seu amado marido Frank Randall. Eles partem numa "segunda lua de mel" para a Escócia, uma terra cheia de mitos, superstições e rituais. convenientemente Frank Randall, um historiador, aproveita a viagem para vasculhar o passado de seus antepassados das terras altas. numa dessas buscas Frank e Claire presenciam um ritual num monumento de pedras. Claire decide voltar para o local no dia seguinte e se depara com um estranho acontecimento. Ela é transportada pelas pedras por uma fenda no tempo que a leva para a Escócia de 1743, onde tudo é muito primitivo. Logo ao chegar esbarra no marmanjo mais odioso de toda a Escócia de seu tempo, Capitão Jonathan Randall, um antepassado de seu marido Frank, que em nada negava a ligação genética, pois por um momento achou que era o seu próprio Randall ali parado junto ao lago. como logo percebeu o capitão, mais conhecido como black Jack Randall( Black Jack, era um apelido para os soldados ingleses mais pavorosos), era o total contrario do seu amado Frank. Atordoada pela confusão e pela falta de senso de realidade acaba capturada por escoceses em seus kilts xadrezes esvoaçantes. A partir daí começa uma historia de aventura, amor e medo. Claire conhece o Jovem Jamie Fraser, fugitivo, com sua cabeça a prêmio, sem terras, sem bens. Nada garantia que O tal Fraser seria um bom partido para qualquer mulher, mas se almas gêmeas existem, era isso que Jamie era para Claire, sua alma gêmea. O amor. companheirismo, generosidade, e desejo entre os dois era implacável. Jamie como o bom e velho " príncipe encantado" sempre chegando em seu cavalo e salvando a sua donzela de toda sorte de perigos. Claire que sempre se metia em apuros, aguardava o seu príncipe ruivo chegar a galope em seu socorro. Outlander é livro pra ser devorado, tem o romance de sempre, a aventura pra fazer o coração bater forte e claro o erotismo que é sempre bem vindo( e muito bem escrito, diga-se de passagem). Os personagens são tão completos que você tem a sensação de que eles podem sair do papel a qualquer momento e sair andando por aí. Jamie Fraser, tem um grande potencial, já acho que desbanca o nosso querido Mr. Darcy, deixando léguas de distância. enfim vale cada página DE TODOS OS LIVROS!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Carol 01/08/2015

Fantástico! Apaixonante!
Claire Beauchamp é uma enfermeira que vive em uma época difícil, em meio a Segunda Guerra Mundial. Casada com Frank Randall, Claire após alguns anos de separação devido ao serviço se encontra com o marido para uma segunda lua de mel em Inverness, nas Terras Altas Escocesas.

Durante um passeio, Claire encontra um circulo de pedras como Stonehenge mas menor, então uma coisa super esquisita acontece, ela tem uma sensação indescritível, e quando acorda está no mesmo local, mas diferente, e ela descobre que ainda está no mesmo lugar porém no ano de 1743, em meio aos conflitos dos clãs escoceses e o exército inglês.

Numa tentativa de encontrar um lugar seguro ela se encontra com Jonathan Randall, capitão dos Dragões Ingleses e antepassado de seu marido Frank, mas o famoso Black Jack não ficou conhecido por esse apelido a toa, diferentemente de seu descendente, Jack Randall é um homem cruel e temido.

Salva por um estranho escocês, Claire é levada até um grupo de escoceses fugitivos e conhece Dougal Mackenzie, líder do grupo e irmão do chefe do Clã Mackenzie, Colum. Além de ajudar a salvar a vida do jovem Jamie, sobrinho de Dougal, que foi ferido na embate com os ingleses. Claire é arrastada com eles para uma viagem até Leoch, sede do clã Mackenzie, para poderem descobrir se ela é ou não uma espiã inglesa.

Tratada com cortesia, entretanto, Claire tem noção de que é uma prisioneira e esconde sua real identidade e o lugar de onde veio para não ser declarada louca ou até mesmo bruxa. Assim, Claire continua utilizando seu nome de solteira, Beauchamp, uma vez que o sobrenome de Frank a ligaria a Jonathan Randall e fica procurando opções de fuga para quando a oportunidade aparecer e tentar chegar as pedras em Craig na dun e quem sabe voltar para sua época.

Em meio a trapaças e esquemas, Claire acaba sendo obrigada a se casar com Jamie para salvar sua própria vida. Mas apesar do casamento de conveniência, Claire que já era amiga de Jamie, não consegue conter a atração que sente pelo rapaz e se sente culpada pelos seus sentimentos uma vez que pensa em Frank a sua procura.

Outlander é um livro que eu desejava ler há muito tempo e sempre lia resenhas lindas sobre ele o que me deixava mais ansiosa ainda, realmente é um livro muito grande, 800 páginas é uma leitura difícil, e acontece tanta coisa nesse livro que é necessário bastante atenção para não se perder nos destalhes. Em relação a narrativa, achei que se compara um pouco com Tolkien, não pela história mas porque é muito descritivo e eu só senti isso quando li Tolkien. Achei os capítulos muito longos também, o que me deixou um pouco frustrada (porque gosto de ler por capítulos e as vezes tinha que parar no meio ou demorar mais até terminar o capítulo, coisas de leitores obsessivos compulsivos kkkk), mas em nada atrapalhou a leitura que diga-se de passagem demorou apenas 6 dias, menos até do que os livros das Crônicas de Gelo e Fogo, e quando comecei a ler imaginava que fosse demorar umas duas semanas.

Fiquei muito satisfeita com a leitura e com o trabalho da editora, já estou morrendo de saudades dos personagens e necessito do segundo livro. É um série bastante extensa e se tornou uma das minhas favoritas, completamente diferente dos romances de época aos quais estou acostumada.

http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

site: http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Caroline 31/07/2015

Eu não estou exagerando quando digo que parei minha vida enquanto lia esse livro. Há uns três anos eu não ficava tão imersa, tão envolvida com um livro. Li em quatro dias e quando acabei senti um vazio existencial. Mas o que mais me impressionou nem foi a capacidade da Diana Gabaldon de me fazer sentir cada emoção que os personagens sentiam, o que deve incluir todas as conhecidas pelo ser humano, já que acontece de tudo nesse livro.

O que me impressionou de verdade foi a responsabilidade histórica dela, a veracidade dos fatos. Apesar de ser um livro de fantasia e ficção, é também um livro histórico. E o fato de ela continuar isso nos próximos livros, contando sobre momentos e lugares diferentes do mundo e fazendo os leitores se sentirem como se tivessem vivido as épocas relatadas é incrível.

Outro ponto que pra mim é importantíssimo é a complexidade dos personagens. Nenhum personagem apresentado pela Diana é simplesmente fraco, romântico ou agressivo e ela contextualiza muito bem cada ação tomada, cada variação nos comportamentos. Compreender as motivações e emoções é muito fácil e natural através da narrativa dela.
comentários(0)comente



Nat 22/07/2015

Uma série ousada, aventureira e imprevisível.

Essa série sem precedentes da Diana Gabaldon mostra como transformar um enredo tão canônico em um livro com personagens complexos e cheio de surpresas.

A autora nos faz apaixonadas por Jamie e você fica torcendo pra Claire fazer o mesmo. Apesar de ter um triângulo amoroso, ele não é o tema principal. Diana te leva para o universo escocês, capitães malvados e bruxas. Eu classificaria Outlander como um romance paranormal? Não, mas os elementos mágicos são o núcleo pra estória funcionar.

Há muita ação e aventura pro meu gosto, prefiro tramas com o foco no romance. Quando tentei ler os próximos livros da série vi muito menos romance neles, ou características que você não encontra em romances, que causa uma mistura nessa narrativa tão complexa.

Não espere outra resenha da série Oulander nesse blog já que pulei muitas páginas pra escrever algo substancial sobre o livro 2...

site: http://lendo-romances.blogspot.com.br/2015/07/resenha-outlander-da-diana-gabaldon.html
comentários(0)comente



Arislane 20/07/2015

Quero ser amiga da Claire
Se você quer descansar e esquecer dos seus próprios problemas, este é o livro certo. Desde o primeiro capítulo, me senti presa à história. Ela possui muitos elementos que satisfazem ao meu gosto pessoal: viagem no tempo, Escócia, século XVIII, anos 40, aventura, intriga, muitas lutas, romance, drama. Aliás, drama é o que não falta. Ô livro sofrido! Coitados dos personagens! O que a autora faz eles passarem não é brincadeira...
Me apaixonei pela Claire, desde as primeiras linhas – apesar de seu passado não ser muito explorado neste volume, sua personalidade é cativante e ela acabou se tornando uma daquelas personagens que dá vontade de ser amiga e sair pra tomar umas juntas.
Não é um livro perfeito, mas é um ótimo entretenimento e, o melhor de tudo – longo! Apesar de ser um calhamaço, li muito rapidamente, fui dormir super tarde em várias noites, chorei de soluçar em algumas passagens e outras realmente me tiraram o sono e tive que fazer uma breve meditação para voltar à calma...
Recomendo!
comentários(0)comente



Thati 16/07/2015

Outlander - A viajante do tempo
Aqui vão alguns conselhos sobre Outlander: não se deixe levar pela primeira metade do livro, pois além de pouca ação e muitos detalhes, depois a história dá uma reviravolta. Acho que os leitores que acompanharam a série de TV, enquanto liam o livro puderam aproveitar melhor os detalhes retratados no livro. E a última dica é que não acho a história muito “apropriada” para os leitores mais jovens, já que muitas cenas de violência e sexo explícitos são narradas por Claire.

Veja a resenha completa no Blog da Thati:

site: http://www.blogdathatis.blogspot.com.br/2015/07/resenha-outlander-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



Café com Texto 11/07/2015

Resenha de A Viajante do Tempo
Título: A Viajante do Tempo

Autora: Diana Gabaldon

Páginas: 800

Editora: Saída de Emergência

Classificação: 5/5 estrelas





Bem,nada mais justo do que a primeira resenha do blog ser de um dos melhores e mais bem escrito livro que já li.

A Viajante do Tempo, primeiro volume da série, é narrado por Claire ,uma enfermeira inglesa, casada com um professor de História, chamado Frank Randall. Após o fim da guerra de 1945, Claire e Frank decidem sair em uma segunda lua de mel para restabelecer o casamento após longos anos separados. Decidem ir para Inverness, nas Ilhas Britânicas, um lugar repleto de misticismo, lendas e bruxaria. Durante uma visita a um ponto turístico da cidade, Claire presencia um ritual estranho acontecendo entre um círculo de pedras. Intrigada, dias depois ela volta ao local onde aconteceu o ritual e de repente, ao simples tocar em uma das rochas, se encontra no ano de 1743, na Escócia.

Sem entender, Claire fica vagando por terrenos desconhecidos e passando por situações periogosas até encontrar Jamie e seus amigos do Clã. E é aí que tudo começa…

“Somente quando já me afastara consideravelmente é que me ocorreu. Para um jovem fugitivo, com inimigos desconhecidos, Jamie confiara demais em uma estranha.”


Claire é uma protagonista forte e teimosa, não se deixa abalar facilmente pelas adversidades dos anos passados. Conquista várias pessoas com suas mãos habilidosas de enfermeira e sua vontade de ajudar os outros; entretanto, acaba conseguindo muitos inimigos por suas boas atitudes também.

A escrita é incrível! A autora é super detalhista e faz você se sentir realmente na Escócia. O leitor consegue imaginar nitidamente toda a estória contada, a emoção dos personagens, a dor, o desespero.. É impressionante. Nos últimos capítulos, eu me perguntava como a autora sairia daquele emaranhado de situações complicadas que ela própria criou, e devo dizer que ela foi nada mais nada menos do que GENIAL. Para os que acham que se trata apenas de um livro de romance, estão enganados! É beeem mais que isso.

Outlander foi publicado inicialmente em 2004 pela editora Rocco. Infelizmente, não fizeram tanta divulgação e o livro não fez muito sucesso aqui no Brasil quanto nos Estados Unidos. Mesmo assim, a editora publicou todos os outros livros da série.

Em 2014, a Saída de Emergência comprou os direitos da série e já começou a republicar todos os livros, principalmente agora que o seriado de TV está fazendo o maior sucesso, os livros estão sendo mais reconhecidos, para a felicidade dos amantes de Outlander. ;D

site: www.cafecomtexto.net
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Flávia 03/07/2015

Eu gostei e não gostei muito do livro, comecei a ler porque meu tio me falou da série e disse que era incrível, aí na semana seguinte fui na livraria e me deparei com o livro, achei que fosse o destino e resolvi lê-lo.

A história tem tudo para ser muito boa e em alguns pontos ela é, mas honestamente, nunca vi um autor enrolar tanto, são 800 páginas que poderiam ter sido 400, e não sou chata com livro grande, li os de Game of Thrones sem sentir que George estava enrolando, tudo do livro parecia ter importância, coisa que em Outlander eu não achei, para mim a autora enrola muito e isso me deixava entediada, aí a história ficava boa e de repente, 40 páginas falando sobre um determinado assunto, aí quando eu achava que esse assunto já havia sido superado, eis que ele volta e dura mais 40 páginas.

Foi uma leitura mto, mto cansativa. Fui ver os episódios da série e achei melhor que ler o livro porque eles cortam essas partes desnecessárias e mostra exatamente como é uma história legal e interessante. Agora estou na dúvida se leio o segundo livro ou paro por aqui e fico só com a série mesmo.
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 01/07/2015

A Viajante do Tempo - Diana Gabaldon
O livro A Viajante do Tempo, primeiro volume da série Outlander, da americana Diana Gabaldon, nos traz uma trama espetacular, que mescla acontecimentos históricos com uma paixão esfuziante e arrebatadora. Contando com personagens fortes, destemidos e testados pelas adversidades da vida ao extremo e por uma narrativa brilhante e quase que mágica, a obra nos desperta inúmeros sentimentos, além de nos encantar com a bela história de amor vivida por Claire e Jamie.

A história se inicia em 1945, no período pós-Segunda Guerra Mundial, onde a enfermeira Claire Randall está vivenciando uma segunda lua-de-mel com o marido em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída quase que de imediato por um antigo círculo de pedras, palco de vários rituais religiosos. Alguns dias depois ela resolve retornar ao local tão mítico e misterioso e acaba vivenciando um fato extremamente sobrenatural: como em um passe de mágica, Claire viaja no tempo e acaba indo parar em 1743, em uma Escócia violenta e permeada por guerras e batalhas.

Assim que percebe que retornou ao passado por forças que desconhece, Claire enfrenta inúmeros perigos e atentados contra sua vida e situações que irão partir o seu coração como nunca antes. Quando é salva pelo jovem guerreiro escocês Jamie e passa a conhecê-lo um pouco mais, ela acaba se sentindo entre a cruz e a espada: de um lado, a fidelidade que deve ao marido; de outro, um implacável desejo que a consome vorazmente. Seu destino se mostra uma verdadeira incógnita e Claire deverá decidir se deve se render a uma paixão arrebatadora ou retornar para o presente...

"Parecia inconcebível, mas todas as evidências indicavam que eu estava em algum lugar onde os costumes e a política do final do século XVIII ainda vigoravam. Eu teria imaginado que tudo não passava de algum tipo de espetáculo à fantasia, se não fosse pelos ferimentos do jovem a quem chamavam de Jamie. Aquele ferimento realmente fora provocado por algo muito semelhante a um tiro de mosquete, a julgar pelos estragos que deixara."

A Viajante do Tempo nos transporta para o século XVIII como em um passe de mágica, tamanho o talento e destreza de Diana Gabaldon. Sua escrita é bastante descritiva e tem um teor histórico surpreendente, mostrando que a autora fez uma pesquisa minuciosa para compor sua obra, a nível quase que de historiadora. Seus personagens são fortes, críveis, valentes e vivem um romance intenso e atemporal, daqueles de tirar o fôlego. Narrado em primeira pessoa por Claire, acompanhamos um pouco da sua vida ainda nas Ilhas Britânicas e todo o estopim vivenciado pela jovem nesta viagem no tempo para a Escócia. Os perigos que ela enfrenta são brutais, ainda mais por ela se ver deslocada a um período tão distante da sua realidade e os relatos contidos na trama são esplêndidos e, em alguns momentos, quase que palpáveis, conduzindo o leitor por uma viagem primorosa.

Claire é uma mulher forte, astuta e guerreira. Mesmo se vendo em uma época de inúmeras barbáries e estando extremamente despreparada para enfrentar a situação, ela não se rende em hipótese alguma e luta com todas as fibras de seu ser. Acusada de bruxaria, espionagem, dentre outras coisas e enfrentando perigos que ameaçam sua vida e sua integridade como mulher, ela não se rende e prova cada dia mais o seu valor. Ela se mostra também dona de um coração extremamente bondoso, utilizando de sua vasta experiência como enfermeira da Segunda Guerra Mundial para cuidar de pessoas feridas e doentes que cruzam o seu caminho, além de se mostrar um verdadeiro porto seguro para Jamie.

"Pensei em lhe dizer que seu próprio toque queimava minha pele e enchia minhas veias de fogo. Mas eu já estava acesa e brilhando como ferro em brasa. Fechei os olhos e senti o toque quente mover-se pela minha face e para a têmpora, orelha e pescoço, e estremeci quando suas mãos desceram para a minha cintura e me puxaram para junto dele."

Jamie é um personagem marcante e que nos mostra uma força e grandeza de caráter surpreendentes. Dotado de uma pureza ímpar, com um senso de humor acentuado e sendo bastante voluntarioso e teimoso, este jovem escocês se mostra um guerreiro extremamente valente e inesquecível. Ele passa por situações terríveis e atrozes, capazes de destruir qualquer ser humano - tanto física, quanto psicologicamente falando - e nos mostra uma nobreza e compostura admiráveis. Seu amor por Claire é tão cândido e intenso que faz com que ele suporte momentos inescrupulosos e busque forças em sua Sassenach, como carinhosamente a chama.

"Você é sangue do meu sangue e ossos dos meus ossos. Dou-lhe meu corpo, para que nós dois sejamos um só. Dou-lhe meu espírito, até o fim de nossas vidas."

Em suma, A Viajante do Tempo nos traz um belo apanhado histórico da Escócia do século XVIII, bem como um romance espetacular e tangível, capaz de romper as barreiras do tempo. Acompanhamos as tiranias vivenciadas nesta época, bem como seus costumes e tradições, sobretudo algumas conotações bem extremistas deste período e com um teor um tanto quanto sexista. Em 2014 foi feita uma série televisiva baseada nos livros de Diana Gabaldon com os atores Caitriona Balfe e Sam Heughan nos papéis principais e que vem angariando bastante elogio dos fãs. O seriado está indo para sua segunda temporada e continua alcançando inúmeras críticas positivas, sendo um enorme sucesso de público. A capa do livro é muito bonita e retrata bem a essência da trama e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

site: http://www.newsnessa.com/2015/06/resenha-viajante-do-tempo-diana-gabaldon.html
comentários(0)comente



160 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"É sem dúvida um sinal de liberdade, uma mostra de que é a própria leitura que está pedindo seu espaço, independentemente de campanhas de incentivo."

JB Online