Faça seu login para ter acesso a todo conteúdo, participe também do sorteio de cortesias diárias. É rápido e gratuito! :) Entrar
Login
Livros | Autores | Editoras | Grupos | Trocas | Cortesias

A Viajante do Tempo

Outlander - Livro 01

Diana Gabaldon
Resenhas
Recentes
68 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14


Miguel 30/08/2014

ótimo livro!
É interessante notar a quantidade de sentimentos diferentes que você pode experimentar durante a leitura deste livro: Há momentos de tristeza profunda, momentos que você teme saber o que vai ocorrer (embora a curiosidade seja maior), momentos brutais de dor e desespero com cenas de batalhas e momentos de amor com grande tensão sexual. Suas emoções são testadas o tempo todo neste livro, o que dá aquela sensação de realidade durante a leitura.

O livro é muito bem escrito, bem editado e traduzido, o texto flui de forma tranquila e com bons momentos cômicos, principalmente quando Claire cita referências de 1945. O enredo é cheio de ação e tensão, com traições e romance, personagens cativantes e um ótimo desenvolvimento de história. Recomendado!

site: http://ovicio.com.br/resenha-outlander-a-viajante-do-tempo/
comentários(0)comente



Francielle 28/08/2014

Você já se imaginou em outra época? Não apenas vivendo com outras pessoas, mas vivendo outros costumes, sob vigilância e total desconfiança, você esta sozinha e não pode contar para ninguém de onde veio, não porque seria acusada de estar em estado de loucura, mas porque onde você está dizer o que tem a dizer pode ser levado como ato de bruxaria e você pode parar em uma fogueira.
Claire pode ter embarcado na maior aventura de sua vida apenas encostando em uma pedra, colocando não apenas sua vida em risco, mas também seu coração. Frank ficou para trás, na verdade ainda nem nasceu, como agir? Fugir? Ficar? Como prosseguir diante disto, todas as escolhas podem acarretar problemas para o futuro. Mas como pensar em um futuro tão distante , tendo Jamie tão perto, protetor, meigo e forte.
Somente o tempo pode dizer como agir, será que ela tem este tempo?

Uma das séries que eu mais amo, VA, IAN estão entre elas, então pensem no peso. É um romance histórico, confesso que já tive um preconceito com isso, mas é apaixonante e você vai ficar preso do começo ao fim.


"— Receio que minha mulher acabou pegando algumas, hã, expressões mais pitorescas dos ianques e de outros - Frank sugeriu com um sorriso nervoso. " (Frank)

"- Meta-se com sua vida - falei entre dentes, o suor escorrendo por trás de minhas orelhas - e São Paulo também. - Limpei a testa com a manga do meu vestido. - Vire-o para a esquerda. E se você - dirigindo-me a meu paciente - mover um músculo sequer enquanto eu estiver amarrando essa atadura, vou esganá-lo.
- Ah, está bem - respondeu docemente." (Jamie)

comentários(0)comente



Paloma 18/08/2014

Ótimo
Primeiro, eu adorei o livro, os personagens são muito bem construídos e o casal convence, porém o livro é muito cheio de detalhes e algumas vezes chega a ser cansativo (confesso que pulei algumas partes).
Achei que o mocinho do livro sofre muito, muito mesmo, muito mais além do que qualquer humano aguentaria, isso me fez ficar com dúvida se eu leio ou não a continuação da série.
comentários(0)comente



Douglas 05/04/2014

Um Guia XY de como ler Diana Gabaldon
Apesar de ser voltado para as moçoilas, é possível que alguém do público masculino aprecie a história – se você souber quais trechos pular!

Passei por cima de capítulos inteiros e, ainda assim, não senti qualquer perda na coesão do enredo. Isso porque dá para encarar “A Viajante do Tempo” de duas maneiras:

1. Como um romance meloso, cheio de frases emotivas e absurdas feitas para pessoas que também gostaram de ler Stephanie Meyer ou Nora Roberts (embora a Diana faça tais coisas com muito mais estilo)

2. Ou como uma aventura histórica inteligente e bem detalhada.

A boa notícia é que os Trechos-Açúcar predominam no meio do livro. É uma pena que, logo após um desfecho brilhante para um dos conflitos do enredo (o casamento "arranjado", e o posterior segredo do Jamie, foram resoluções muito engenhosas e divertidas), ela tenha se aprofundado em “mimimis” erótico-contemplativos (normalmente um escritor teria suprimido essas partes e as deixado a encargo da imaginação do leitor, mas suponho que as meninas se derretam com esse tipo de coisa). A dica é: quando ela começar a descrever demais os cabelos ruivos, o corpo másculo e forte, ou os cílios do mocinho – cílios que começam claros e terminam escuros? Deus, francamente! – pule! Pule tudo até aparecer o nome de alguém que não seja Jamie.

No geral, porém – a estória de uma enfermeira em lua-de-mel nas Highlands escocesas; que, por meio de uma Stonehenge fictícia, vai parar no séc. XVIII; e que, por causa de suas roupas do séc. XX, é tomada por prostituta pelo ancestral do seu marido – tem que ser uma aventura brilhante!

O ponto alto da Gabaldon é que ela tem umas reviravoltas de enredo fabulosas. Tem muita coisa inesperada e engraçada (para uma mente masculina, pelo menos. Eu ria de quase tudo). E, mesmo narrando em primeira pessoa, ela consegue criar um mundo exterior muito vívido - dá pra sentir o cheiro de todos os lugares aonde a Clair vai. Além de que ela tem um estilo textual muito bonito e apropriado pra ambientação da narrativa. Se for possível ler em Inglês, essa característica se acentua.

Embora os momentos de romance sejam incompatíveis com testosterona (risos descontraídos – salte-os! Pule-os! Ignore-os todos!), devo dizer que me impressionei com o livro. A imagem que ficou foi: uma autora extremamente imaginativa e altamente meticulosa com seus detalhes. Não é à toa que já se conte mais que uma década desde que ela começou a escrever a série.

Ana 03/07/2014minha estante
Excelente! Ando meio chega pra lá de livros melosos, pulei algumas partes tb kkk, mas o livro é ótimo! Vale a pena!!! Vou mostrar essa resenha pro meu esposo pra ver se ele dá uma chance ao livro hahaha


Michelle Gimene 12/04/2014minha estante
Hahaha... adorei sua resenha/guia XY para livros femininos. Concordo plenamente com você. Eu detesto livros melosos, então posso imaginar que, para um homem, deve ser ainda mais irritante. Mas nem todas as escritoras apelam para o açúcar, viu? Há muita coisa interessante por aí, basta procurar. ;)




Lu 05/04/2014

Abaixo das expectativas
Eu já tinha me conformado com o fato de que nunca leria a série "Outlander". Não apenas pelo preço salgado, mas porque... sei lá! Nunca parecia ser a hora certa de comprá-lo...até duas semanas atrás. Ao olhar a capa, o tema, imaginei que Gabaldon não apenas curaria minha depressão pós- O Cavaleiro dos Sete Reinos, como me manteria ocupada até o lançamento do próximo volume de "Os Heróis do Olimpo".

Não chegou nem perto, amiga.

Veja bem, o livro da Diana começa muito bem. Sua narrativa é envolvente e Claire é simpática. A autora fez um belo trabalho na construção da atmosfera de Leoch e dos seus personagens. Adorei que ela tenha levado um tempo mostrando o relacionamento de Claire com Frank. "A viajante do tempo" prometia, assim como a capa, como Jaime.... "suspiro"

O grande problema do livro é, creio, sua falta de ritmo. Ele é cheio de altos e baixos, com Diana alternando entre partes interessantes e longas páginas de cenas repetitivas e melosas, que não chegam a lugar nenhum. Isso tornou a leitura, para mim, bastante cansativa. Alguns plots são repetidos e exagerados... E transformaram Claire e Jaime num dos casais mais enjoados que eu já vi.

Creio que, minha antipatia se dirige principalmente a Jaime. Entendo o contexto de suas ações e de sua personalidade. Ele vive em outra época, as pessoas se comportavam e pensavam de outra maneira. Mas é um bruto. E eu odeio a forma como a autora parece glorificar sua violência. Pior, quando eu esqueço o assunto, ela resolve voltar a ele.

Não vou negar que talvez a culpa seja minha: eu criei grandes expectativas lendo as resenhas aqui do skoob. E até pela capa, mesmo. Eu imaginava algo estiloso e elegante como os livros da Marion Zimmer, e não com o tom meio folhetinesco que foi apresentado. Enfim, acho que a Diana Gabaldon é um caso parecido com o da Rachel Gibson: todo mundo gosta, menos eu.

Eu até estou curiosa para ler os outros volumes e até vou dar uma olhada na adaptação da Starz, mas não estou com pressa nenhuma.

Não recomendo.

Márcia 26/08/2014minha estante
Olá, Lu. Voltando a ser um pouco mais ativa por aqui.

Eu gostei muito desse livro. Também esperava uma coisa diferente, mais "estilosa", no entanto, encarando-o como apenas um romance, o considero criativo e emocionante tendo em vista todo o pano de fundo para o casal. Lembro que as cenas relacionadas ao drama político conseguiam me deixar tensa e que as cenas melosas ora quebravam meu barato ora me relaxavam da leitura.

Concordo quando você observa que o Jaime é muito violento. Senti uma pegada "Cinquenta tons de cinza" beem desnecessário. Mas tem gente que gosta, né? Eu, particularmente preferia que certas coisas ficassem a cargo da minha imaginação apenas, ao invés de serem esfregadas na minha cara.

Ótima resenha, amiga. Beijo.


Lu 06/04/2014minha estante
Meu Deus, a sequência é ainda mais melosa? Argh!

Eu fiquei muito dividida em relação ao que pensar do livro. Como vc disse, ele tem qualidades e bons personagens. Mas também tem essas partes meio "over",

Não que eu não goste de cenas românticas....uma das minhas autoras favoritas é Jane Austen. Mas acho que algumas cenas ficaram fora do tom.

Eu estou torcendo pra gostar mais da série de TV do que gostei do livro. De repente, mais pra frente, eu me animo.

Obrigada por comentar!


Douglas 05/04/2014minha estante
Pensei que eu tivesse sido o único a morrer de tédio nessas partes melosas. Mas a maioria das meninas curte.

No entanto, acredito que o realismo da ambientação e as boas cenas valham a pena.

Suponho que você não vá gostar muito da sequência, rs. Eu achei algumas coisa ainda mais exageradas que no 1o volume. Mas vale tentar, rs.




68 encontrados | exibindo 1 a 5
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14



Publicidade


logo skoob beta
"É maravilhoso fazer amigos por meio dos livros, sejam eles Harry Potter, Zibia Gasparetto ou Cortázar."

JB Online