A Viajante do Tempo

A Viajante do Tempo
4.83525 1044



Resenhas - A Viajante do Tempo


142 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



May Scruz 13/05/2015

Quero Viajar no tempo.

Oi, queridos!

Foi um desafio para mim ler 800 páginas! Carreguei esse calhamaço no metrô e na bolsa e isso me rendeu boas dores, mas... valeu a pena! Meu livro ficou ligeiramente deformado, mas não havia muito o que fazer devido ao tamanho dele.

PERSONAGENS E NARRATIVA
O livro é narrado em primeira pessoa e conhecemos o mundo através dos olhos da Claire, personagem principal aka( as know as - também conhecida como) viajante do tempo/Outlander ou Sassenach rs
A narrativa da escritora é ótima e as descrições são na medida certa para que você imagine o lugar. Em alguns momentos eu ficava um pouco cansada da leitura, mas fato que um livro de 800 páginas teria passagens cansativas...

A Claire Beauchamp é uma personagem forte, foi enfermeira na segunda guerra mundial e tem a sua viagem de segunda lua de mel atrapalhada por essa viagem no tempo. É uma mulher do século 20, dona do próprio nariz, Gosto da maturidade da personagem, e ela tem aproximadamente a minha idade. Eu me pegava em certos momentos pensando se eu teria a fibra dela em algumas situações bem tensas que ela passa. Essa obstinação faz dela bem cabeça dura também, o que acaba por coloca-la em furadas.

Frank Randall, marido da Claire, também serviu na segunda guerra, longe de sua esposa. Eu achei ele bem cabeça de vento, bastante devotado a esposa, mas muito absorvido em seus próprios assuntos.

Jamie.. ♥ isso define? não né rs Highlander ele tem a vida salva pela Claire. Cabeça dura e bastante sofrido ele tem um prêmio pela sua cabeça por culpa do antepassado de Frank, Capitão Black Jack Randall.

Temos os Mackenzies, família do Jamie, clã escocês. Estou adorando conhecer a cultura deles, mesmo em alguns momentos tendo ficado revoltada - não posso contar, mas meu feminismo me deixou revoltada - tive que me lembrar que algumas práticas eram comuns na época e seguir em frente.,

PROJETO GRÁFICO
Super simples, mas eficiente. A beleza fica por conta das folhas de rosto.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Um livro que vai te deixar com saudade dos personagens.
Eu já estou ansiosa para ler o segundo.
A série é gigantesca e a escritora ainda está escrevendo.. Pense!

Entrei em contato com a Saida de Emergência e o próximo livro sai esse semestre ainda, por agora. Pelo que eu estou vendo eles estão lançando 2/ano. ;) parabéns à Editora que não está deixando as pessoas esperando muito.

Como disse anteriormente em alguns momentos eu fiquei bastante cansada, mas logo algo interessante acontecia e eu ficava desperta. Esse certamente é um livro repleto de ação e a escritora não poupa o sangue das pessoas rs.

O livro vai além do romance, fala sobre lealdade, tradição, escolhas, bondade, abuso de poder, justiça e muitas outras coisas.

Se as 800 páginas e os 8 volumes não te assustam, junte-se a nós! rs
Ahh eu estou assistindo a série também! Eu queria reviver os momentos do livro :D em breve eu conto aqui o que achei.

Se você viajasse no tempo, o que você faria?

site: www.ensaiodemonomania.com.br
comentários(0)comente



Saleitura 09/05/2015

E se o seu futuro fosse o passado?
A Viajante do tempo é o primeiro livro da saga Outlander da autora Diana Gabaldon e está sendo publicada pela nossa parceira a Editora Saída de Emergência aqui no Brasil. Uma leitura fascinante, marcante, viciante e não tenho mais palavras para poder expressar o tanto que sua história me absorveu a cada página, a cada capítulo até concluir as suas 800 páginas. Confesso que é um dos melhores romances históricos que já li que misturam fantasia, magia e tantos ingredientes sendo impossível não se apaixonar por Claire Randall e Jamie Fraser - os personagens principais desta história que se passa na Escócia no século XVIII e XX.

A história é narrada por Claire uma mulher inglesa casada com Frank Randall. Com o estouro da Segunda Guerra Mundial seu marido foi convocado e ela serviu como enfermeira durante praticamente sete anos. A guerra chega ao fim em 1945 e depois desses anos afastados eles partem para uma segunda lua de mel. Seguem para Inverness, nas Highlands ao norte da Escócia. Frank é um professor de história e muito interessado em sua árvore genealógica. Visitam vários pontos turísticos onde ele pesquisa sobre seus antepassados e Claire aproveita para conhecer sobre as plantas e ervas muito utilizada para a cura de doenças. Foi assim que depararam com o ritual do círculo das pedras em um lugar chamado de Craigh na Dun.
Depois de presenciar esses rituais misteriosos Claire resolve voltar lá e ao tocar uma das pedras é transportada para o passado. Vai parar em pleno século XVIII, precisamente no ano de 1743. Uma época onde a Escócia está entregue ao poder de clãs de guerreiros. Claire vai ter que enfrentar todos os tipos de perigos e se vê ameaçada pelos ingleses. Especialmente por Black Jack Randall - capitão do exército britânico - que com certeza é um dos antepassados de seu marido e sua semelhança com Frank a assusta.

Claire custa a perceber o que ocorrera desconhecendo as forças que a levaram ao passado para o qual está despreparada. Quase a ponto de ser sediada pelo capitão Randal ela é sequestrada por Murtagh (padrinho e defensor de Jamie). Ele pertence a um grupo de escoceses e a leva para seu acampamento. É quando conhece Jamie que está ferido. O fato de ser enfermeira e ter enfrentado os feridos de guerra faz com que consiga cuidar de Jamie e mostrar suas habilidades médicas. Desde que conheceu Jamie ela sente uma atração pelo jovem guerreiro escocês e cuidando de seus ferimentos fica chocada com as cicatrizes que tem em suas costas. Ele fora cruelmente açoitado pelo Black Jack Randall ao tentar defender sua irmã Jenny. Para todos ela dá o nome de solteira , Claire Beuchamp, mas os escoceses a chamam de "Sassenach" (Outlander) "a estrangeira de origem misteriosa e com fortes conhecimentos medicinais."

É levada ao castelo Leoch onde é interrogada por Colum - Chefe dos Mackenzie e este sabendo de suas habilidades não a deixa ir embora. Ele a leva até um laboratório que está abandonado desde a morte do curandeiro. Claire então pesquisa as anotações e passa a tratar dos enfermos. Claire fora criada pelo seu tio arqueólogo o que a fez viajar por muitos lugares o que a fez ser uma mulher forte, sincera e sensível precisando constantemente ser salva.

Resenhado por Irene Moreira
http://www.skoob.com.br/atividades/post/user/554d863699d9986f188b4596

Veja a resenha completa no blog Saleta de Leitura


site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2015/05/resenha-do-livro-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



Irene Moreira 09/05/2015

E se o seu futuro fosse o passado?
A Viajante do tempo é o primeiro livro da saga Outlander da autora Diana Gabaldon e está sendo publicada pela nossa parceira a Editora Saída de Emergência aqui no Brasil. Uma leitura fascinante, marcante, viciante e não tenho mais palavras para poder expressar o tanto que sua história me absorveu a cada página, a cada capítulo até concluir as suas 800 páginas. Confesso que é um dos melhores romances históricos que já li que misturam fantasia, magia e tantos ingredientes sendo impossível não se apaixonar por Claire Randall e Jamie Fraser - os personagens principais desta história que se passa na Escócia no século XVIII e XX.

A história é narrada por Claire uma mulher inglesa casada com Frank Randall. Com o estouro da Segunda Guerra Mundial seu marido foi convocado e ela serviu como enfermeira durante praticamente sete anos. A guerra chega ao fim em 1945 e depois desses anos afastados eles partem para uma segunda lua de mel. Seguem para Inverness, nas Highlands ao norte da Escócia. Frank é um professor de história e muito interessado em sua árvore genealógica. Visitam vários pontos turísticos onde ele pesquisa sobre seus antepassados e Claire aproveita para conhecer sobre as plantas e ervas muito utilizada para a cura de doenças. Foi assim que depararam com o ritual do círculo das pedras em um lugar chamado de Craigh na Dun.
Depois de presenciar esses rituais misteriosos Claire resolve voltar lá e ao tocar uma das pedras é transportada para o passado. Vai parar em pleno século XVIII, precisamente no ano de 1743. Uma época onde a Escócia está entregue ao poder de clãs de guerreiros. Claire vai ter que enfrentar todos os tipos de perigos e se vê ameaçada pelos ingleses. Especialmente por Black Jack Randall - capitão do exército britânico - que com certeza é um dos antepassados de seu marido e sua semelhança com Frank a assusta.

Leia a resenha completa no blog Saleta de Leitura
http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2015/05/resenha-do-livro-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



Tracinhas 04/05/2015

por Beatriz Vechiatto
Oi, pessoasss. Bom, eu nunca fiz um vídeo ou resenha antes, principalmente pra internet D: Então né, vocês vão notar (e muito) meu nervosismo, principalmente porque mexo muito as mãos, e corta um pouco da minha cabeça quando eu tento empolgadamente, mas meio desastradamente, mostrar minha camiseta u.u UHAUHAUHAUHA.

E bom, eu tentei falar um pouco da minha nova saga favorita, a qual eu peguei MUITO, MAS MUITO, MAS MUUUUUUUUUITO AMOR MESMO. E tentei não dar spoiler. O spoiler que rolou foi super raso e pouquinho (juro). Me desculpem também algumas pronuncias erradas ou se falei alguma coisa errada durante o vídeo. Eu REALMENTE estava nervosa, rs.

A resenha está dividida em duas partes, a primeira sobre o livro e a segunda sobre a série. Espero que vocês gostem e que, como eu, se apaixonem perdidamente e irrevogavelmente por Outlander e possam ter amor não só pelos livros, mas também pela série, que está sendo INCRÍVEL, com um elenco MARAVILHOSO. Obrigada.

site: http://jatracei.com/post/114722634297/resenha-24-outlander-livro-e-seriado
comentários(0)comente



Victoria Correa 01/05/2015

Outlander
Claire está em uma viagem de "lua-de-mel" com seu marido Frank quando coisas estranhas começam a acontecer na pequena cidade da Escócia em que estão. Isso era tudo o que eu sabia antes de começar esse livro, e para minha surpresa existe tão mais do que isso nessa leitura, temos romance, cenas de ação (combates, furtos...), faros históricos e mitológicos. Outlander é um livro com um pouco de tudo, vale a pena a leitura, (não tem como não amar Jamie Fraser) a autora nos prende em cenas que mesmo lendo queremos virara o rosto e esperar passar.
comentários(0)comente



Acácia 30/04/2015

Cai de amores pela série de tv Outlander. Foi assim que descobri os livros de Diana Gabaldon. Mas gente, se a serie me conquistou, imagine o livro? Sim, me apaixonei pelo mesmo.
Desde pequena, amo histórias que trate de viagem no tempo. Mas Diana foi além. Ela envolve histórias, costumes, amor, brigas, violências, abusos, amizade, família.
Claire sobreviveu a guerra, somente por isso, já se torna uma heroína, mas depois de subira colina Craigh na Dun e tocar nas pedras do pequeno círculo, é que ela de fato seria uma sobrevivente. Mas em meio a todo os infortúnios ela tem o doce Jamie ao seu lado.
Como não se apaixonar por ele? Afastado do seu clã, vivendo sobre o olhar vigilante de Dougal e Colum, um guerreiro nato mas ao mesmo tempo de uma inocência ímpar. Aaaah doce Jamie.
Eles se completam, mesmo que Claire tenha seu coração dividido entre Jamie e Frank. Mas depois de quase ser pego pelo odioso Randall, Jamie tem a atitude mais linda do livro, Leva-la de volta ao circulo de pedras. A despedida me levou as lágrimas de novo. Mas entra a razão e o coração, o amor vence. E como vence. O desenrolar da história se torna penoso. Mas extremamente cativante. Você sente a dor da separação, o desespero de Claire, a brutalidade do odioso Randall, o sacrifício de Jamie. Quando me dei por mim, já estava em um rio de lágrimas. Castigo físico não descreveria tamanha brutalidade.
Enfim, super recomendo esse livro. Um romance que te prende da primeira a última página. E vamos ao próximo: A Libélula no Âmbar!!
comentários(0)comente



SakuraUchiha 18/04/2015

A Viajante me cativou!
Claire Randall e seu marido Frank estão desfrutando da hospitalidade das Terras Altas da Escócia. A Segunda Guerra Mundial acabou, e os dois estão juntos depois de muitos anos separados. No entanto, quando Claire visita umas históricas ruínas de pedras, ela encontra-se transportada de volta 200 anos no tempo das rebeliões jacobitas. Sua experiência como enfermeira de guerra é aplicada imediatamente para salvar a vida de um jovem Highlander teimoso chamado Jamie.
'A Viajante do Tempo' é um dos melhores livros que li em muito tempo. Nunca uma série me cativou tanto. É o tipo de livro que você abre pensando que vai ser como todos os outros, mas se surpreende com cada parágrafo. Ele te consome do começo ao fim.
Se você ainda não teve a oportunidade de ler este livro, no entanto, faça agora! 'A Viajante do Tempo' de Gabaldon, assim como o resto da série Outlander, estão entre os melhores livros da década. Seus personagens são cheios de emoção e "caráter", cada um com sua própria identidade. Ele oferece o romance para os amantes de romance por aí, história para os historiadores (minha parte favorita), ação e guerra, e claro paixão e muito sexo. Um torneiro real. Este livro, na verdade, toda a série, é um tesouro para quem gosta de ficção histórica. Tão bom que você não quer que ele acabe nunca.
comentários(0)comente



Lorena 09/04/2015

Uma jornada extraodinária! Estou ferrada!
O livro tem de tudo: romance, mistério, fatos históricos, magia, guerra, drama, aventura...
Amei, amei, amei! Mas também estou ferrada! Este é o primeiro livro de uma saga enoooorme que ainda nem está finalizada! Se o primeiro já me causou uma avalanche de sentimentos, imagine o que os outros (que eu nem sei quando vou poder ler!? aaaaaaaaahhh desespero!) não me reservam!?
Ai, essa vida de leitora as vezes é puro sofrimento! Mas é um vicio impossível de largar! kkk nem quero...
Enfim, a história de Jamie e Claire, um amor que ultrapassa as barreiras do tempo. Lindo, cativante, apaixonante... é daquelas que marcam sua vida para sempre... e está apenas começando...
Jamie é daqueles personagens que são o príncipe no cavalo branco, mesmo quando é irritante e teimoso, ele é perfeito, o herói que sempre está lá pra salvar o dia e sua amada de todos os perigos e ainda fazer as mais belas declarações e demonstrações de amor.
Claire é forte e destemida, divertida (ah ela fala muito palavrão kkk), enfrenta todas as dificuldades e reviravoltas, todas as estranhas loucuras e extraordinários acontecimentos de sua jornada com coragem e determinação.
E continua...
comentários(0)comente



Virlania 07/04/2015

Foi tudo que esperei e muito mais
Amei e preciso urgentemente do segundo volume. Pela primeira vez li um livro onde o personagem faz uma viagem no tempo e vai parar no passado onde passa a viver como uma cidadã do ano de 1743 sendo que a sua origem do tempo presente é do ano de 1945. Não vou dizer como ela viajou no tempo e foi parar no passado bem distante do que ela estava acostumada com o dia a dia do seu tempo modernizado para a época para não quebrar a magia. Coitada da Claire que depois que percebe que foi arrastada para o passado precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Posso dizer que foi bem complicado para a personagem aprender a viver na Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Agora cá entre nós, ela teve muita sorte de surgir no seu caminho o Jamie. Lindo e jovem guerreiro escocês! (Sim, creio que deu para notar que estou apaixonada por ele e essa é a segunda vez que isso acontece! Sinceramente creio que eu não regressaria para o meu tempo presente).
Quem tem interesse de ler essa saga eu hiper recomendo por ser uma trama bem amarrada que surpreende. A leitura fluiu de uma maneira tão gostosa que perdi a noção de tempo e espaço. Cada linha faz com que você não só fique imaginando e sim se torne como Claire uma (um) viajante do tempo.
comentários(0)comente



Andréia Karoline 28/03/2015

Sem palavras, Extraordinário...10 estrelas!!!
Eu me sinto tão tãão mal em não conseguir fazer uma resenha sobre esse livro.
Li A Viajante do Tempo já a algum tempo, várias vezes tentei fazer uma resenha sobre o livro mas nunca consegui organizar meus pensamentos para saber por onde começar, foi aquela leitura que me deixou tão atordoada que só de lembrar vem aquela avalanche de sentimentos, mas acho que é mais do que minha obrigação pelo menos dizer o quanto o livro é MARAVILHOSO e RECOMENDAR essa série (TV e livro) com louvor.
A viajante do Tempo e meu livro favorito de TODOS os tempos, e aquela leitura que me fez chorar, suspirar, sorrir, suar, me deixou sem dormir...eu fiquei fascinada, consumida com a história e universo que a Daiana Gabaldon criou, eu não a conhecia, e quando ganhei o livro (Obrigada para sempre Lane
Andréia Karoline 29/03/2015minha estante
Cadê o resto da minha resenha?
:O




Jéssica 26/03/2015

E então esse foi o primeiro caso de um livro que foi superado pelo seriado...

Fui levada a ler este livro pois sua história prometia ser daquelas imprevisíveis, afinal, quando se volta ao passado o futuro não é assim tão previsível, não é mesmo?

A autora escreve bem, disso não existe queixa, no entanto o que peca são os personagens.
Claire é incrível, em plena guerra ela era enfermeira em sua época original, ja demonstrando então uma personalidade forte para encarar os horrores da morte todos os dias em sua frente e pior que isso, o sofrimento dos soldados que estavam a beira da morte, mas teimavam em tentar sobreviver. Ela então volta no tempo e tudo esta indo muito bem até que... ela toma uma surra do homem com que se casa... e não um simples tapinha(o que ja é grave) chama-se surra com direito a gritos, marcas e etc... e isso como castigo por desobedecer uma ordem de seu marido que até aquele momento era um príncipe. Pior que isso é no dia seguinte ela ter que enfrentar um grupo de homens que possuem a mesma opinião sobre seu marido, de que aquilo era tratar uma esposa. O absurdo que me tomou no momento da leitura não pode ser descrito, não pode ser justificado por uma simples "na época era assim e a autora apenas quis retratar fielmente" simplesmente não me convence, pois continuando a ler o livro outras cenas de abuso são descritas em excesso, dessa vez não com o marido da Claire, mas com Randall que a tenta violar(ja até perdi a conta de quantas vezes) não satisfeito, ele ainda por cima viola o próprio marido de nossa personagem principal ... em uma cena absurda!
Sobre Jaime, sim ele é um príncipe em diversos aspectos, ele é um bom homem no livro e sabe como viver em seu mundo, não falta atitude dele para demonstrar que ama Claire e foi o que me convenceu a continuar a leitura, porém passando para o terço final do livro o enredo começa a se tornar de uma melosidade grande.
Randall é um vilão daqueles de por medo, esperto, sagaz, forte, imprevisível e seu melhor aspecto: irredutivelmente maligno em seu caráter. Nesse personagem não vemos uma gota de bondade, não existe forma de converte-lo em mocinho não importa o quanto ele lembre o verdadeiro marido de Claire, que ela deixou em seu tempo real antes de se casar com Jamie, nenhuma tentativa de Claire surte o menor sentimento nele, ele não pode ser sensibilizado nem por lágrimas, nem por histórias, nem por nenhum tipo de atitude. A maldade dele não é desvairada, mas premeditada o que o torna ainda mais perigoso e um personagem bem feito.
Além disso, Randall é pervertido e a autora aqui pesa a mão mais uma vez (como tudo o que se dispõe sobre sexualidade). Este traço dele poderia passar, se bem que pesado até mesmo para um vilão, se não fosse tão "demais". Seu ato final com Jamie é assombroso... e até fui pulando as partes de leitura quando nosso herói é resgatado e se mostra profundamente abalado. Em minha opinião é um tipo de assunto que é impossível não mexer com o psicológico de um leitor, soma-se a isso o resto do livro que possui referências sobre sexualidade durante todo o seu percurso e a história começa a decair, perde seu foco histórico para se resumir nesse tema, por vezes pervertido, por vezes entre os casais,mas sempre em torno disso....
Jenny, irmã de Jamie, é infelizmente previsível... com uma personalidade forte e mandona não me agradou e a disputa dela com Claire sobre quem trata melhor Jamie, foi triste de ver. Mais triste ainda quando Jenny, para controlar seu irmão durante uma discussão e mostrar sua força, aperta o homem em local inadequado...Mas para que isso gente? Desnecessário ao extremo!
A autora me parece sempre querer colocar o valor de sua história em cima de apelações sexuais que sinceramente... podia passar sem. Este tipo de apelação que vi por todo o primeiro livro da saga foi me entristecendo de uma forma... afinal, até Claire casar com Jamie e mesmo até um pouco depois disso, estava indo tudo tão bem! Surpresas de outros personagens como Geillis, fugas, lutas, estratégias, enfim o livro estava tão bem escrito a história tão bem pensada então por qual motivo ela resolve apelar tanto para pesar o livro? Será que agora os livros para serem bem sucedidos precisam ter apelação sexual a todo momento como 50 tons de cinza e derivados? Não podemos ter uma história balanceada?
Ainda estou na torcida de que a história se equilibre novamente, pois tinha tudo para ser incrível(e foi até determinado momento) sem as apelações.
comentários(0)comente



CIDA 14/03/2015

Leia esta e outras resenhas no blog Moonlight Books, www.moonlightbooks.net
A história é longa e tem como pano de fundo o iminente levante jacobita, Diana Gabaldon não teve pressa em desenvolver os acontecimentos, o livro é dividido em várias partes e em cada uma a vida de Claire entra em nova fase, ela amadurece a cada capítulo e ao aprender sobre aquele tempo, nos ensina também. Fechei o livro encantada, não vejo a hora de ler sua sequencia, preciso reencontrar Claire e Jamie e saber o que o destino reserva para ambos, espero que menos sofrimento, pois Jamie passou por momentos sofridos aqui. Foi um livro que sempre desejei ler e minhas expectativas foram plenamente atendidas.

site: Leia o restante da resenha em http://www.moonlightbooks.net/2015/03/resenha-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



Camila Márcia 14/03/2015

Há tempos não li algo tão extremamente bom!
Outlander: A Viajante do Tempo é um romance histórico que acontece na Escócia no pós-segunda guerra, 1945, e na Escócia de 1743. Além de romance a série traz muita aventura, mistério, fantasia, pesquisa histórica e cultural, fábulas, misticismo, ficção. É, de fato, uma obra completa.
Essa resenha é uma das mais difíceis que escrevo em minha vida porque não consigo traduzir a multiplicidade de sentimentos que me envolveram durante esta leitura, só digo uma coisa que pode servir de exemplo: Nunca tinha lido um livro tão fantástico, bem escrito, viciante, com uma história original e envolvente como este. Minha resenha estará muito inferior ao potencial de descrição e qualidade deste livro.
Sobre o enredo, é normal já termos lido ou ouvido falar de algum livro com viagens no tempo, mas Outlander tem suas particularidades e são essas particularidades que envolvem TODOS os leitores. Se um livro bom for aquele que faz com que seus leitores sejam incapazes de descrevê-lo através de palavras literais, este livro é exatamente assim e só consigo pensar em metáforas para descrevê-lo: Outlander é como um mergulho histórico, cultural, sensível, cruel, irreverente, impiedoso e devastador de uma época em que a Escócia tinha um brilho e naturalidade exuberantes, mas escondia coisas devastadoras, é impossível não se perder em suas páginas e viajar no tempo com Claire para a Escócia de 1743.
Claire, uma mulher casada, enfermeira, que experiênciou e viveu a Segunda Guerra Mundial de perto, ao desfrutar de sua segunda lua de mel na Escócia com seu marido Frank após a guerra, vê-se numa situação inimaginável e que seu cérebro não conseguiria processar de maneira científica: transporta-se magicamente para uma Escócia inóspita de 1743 e está jogada a própria sorte, aventuras e perigos que jamais supôs que algum dia viveria, até conhecer o Clã Mackenzie e consequentemente Jamie, um foragido sobrinho do representante do Clã e está sob sua proteção.
Os personagens de Galbadon são extremamente reais, quase palpáveis. Numa época em que o “bum” literário está voltado para os romances juvenis, nos depararmos com personagens maduros, capazes de nos cativar, inteligentes, sem mimimis, briguinhas bobas e conflitos psicológicos rasos me faz perceber o quanto a literatura é um mundo incrível e inovador. Os personagens de Oultander surpreendem por sua profundidade e personalidades fortes e isso vale para os personagens principais e secundários – a escritora soube trabalhar perfeitamente bem em todos, uma artesã das palavras e descrições – Claire e Jamie são personagens capazes de cativar todos os tipos de leitores: uma mulher a frente do tempo em que foi mandada, com conhecimentos, mas incapaz de lidar com a forma de viver, por isso Jamie vem ao seu socorro, com delicadeza, dureza, brutalidade, amor, admiração.
Sobre o romance entre Jamie e Claire, que acontece de forma inusitada e, portanto, não tem aqueles fogos de artifícios, mas que nasce de uma profunda admiração e de forma paulatina, de forma em que ambos se descobrem apaixonados desde o primeiro instante, mas as circunstâncias não favoreciam em nada o romance, então, ele vai acontecendo página a página e podemos nos apaixonar pelo casal na medida em que eles se apaixonam. Cá entre nós, os dois tem uma química incrível e o relacionamento deles soltam faíscas capazes de nos queimar. Sim, há muito erotismo – sem vulgaridade – entre o casal e cenas (muitas cenas) de amor e paixão torrenciais.
Diana Galbadon não é apenas uma ótima escritora no sentido de ter escrito uma boa história, mas ela é capaz de prender o leitor e sem sombra de dúvida teve que fazer uma vasta pesquisa histórica e cultural da Escócia para escrever este livro, além de idiomas como o gaélico, o inglês, nomes de lugares, trajes como o kilt, armamento da época, as mudanças entre a Escócia de 1743 e 1945, com tudo isso ela ainda nos presenteou com a proeza de um livro rico em detalhes e cujas informações são ligadas e sem fios soltos desnecessários, a não ser aqueles necessários para dar vazão a continuação. [ainda estou curiosa com relação ao homem que Frank vê espiando a janela enquanto Claire se arruma em 1945].
Sem sombra de dúvidas já estou ansiosa pela leitura de Oultander: A Libélula no Âmbar, embora esteja com aquela dúvida de todo leitor: Será que o segundo livro é páreo ao primeiro? Não obstante, a escrita de Diana Galbadon e seu potencial de criatividade já me cativaram tanto que deposito todas as minhas expectativas em seus livros e tenho certeza que ela não irá me decepcionar. Dou o voto de confiança e a escritora já se tornou uma de minhas favoritas.
Então, tá esperando o quê para ler Oultander e se encantar também por essa história? Vá com tudo e perca o fôlego! Detalhe, se prepare porque a leitura fará você: perder o fôlego, rir, chorar, ficar tensa, arregalar os olhos, falar palavrões, querer quebrar a cara de algum personagens, jogar o livro fora, esculhambar um personagem, se apaixonar e, como todo bom livro, você ainda corre o risco de ficar com um enorme DPL, e ficar com os personagens e a história rondando sua cabeça por dias e meses, mas garanto: Vale a pena!

site: www.delivroemlivro.com.br/
comentários(0)comente



ELB 10/03/2015

Every Little Book
"Era uma daquelas idas normais na livraria do shopping, daquelas que você anda sem rumo olhando as prateleira arrumadas, sentindo o cheiro dos livros e procurando algo que te chame a atenção. Então uma vendedora me parou e comentou sobre esse livro, dizendo que estavam fazendo uma serie de TV baseada nele. Acabei levando, cheguei em casa sem muitas expectativas então comecei a ler."

(...) Leia mais no blog!

Resenha feita pela Gabriela, postada no ELB!

site: http://www.everylittlebook.com.br/2015/02/resenha-viajante-do-tempo-diana-gabaldon.html
comentários(0)comente



142 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"O encontro dos livros com a web"

Ministério da Cultura