Prova de Fogo

James Dashner



Resenhas - Prova de Fogo


75 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


F. Pierantoni 23/05/2012

Maze Runner: Prova de Fogo
A espera foi angustiante, mas acabou. Maze Runner: Prova de Fogo (V&R Editora) está aqui. Um dos principais expoentes da literatura infanto-juvenil survivor, James Dashner enfrentava uma tarefa quase tão árdua quanto escapar do Labirinto: escrever um livro tão bom quanto Correr ou Morrer. Para isso, apostou num novo Experimento.

O Labirinto terminou. O perigo, longe disso. Nessa nova etapa dos planos do CRUEL, Thomas e os Clareanos precisam cruzar o Deserto. Calor, frio, tempestades, fome e sede. Como se não bastasse tudo isso, os garotos ainda terão de lidar com um enxame de Cranks, humanos lunáticos, transformados em bestas selvagens por uma doença voraz. E, é claro, não podemos nos esquecer do Grupo B...

Prova de Fogo segue a fórmula de Correr ou Morrer. E isso é ótimo. O suspense continua poderoso, as reviravoltas constantes. A violência? Ainda maior. Tudo isso já seria o bastante para garantir o sucesso do livro, mas o autor fez questão de evoluir e trabalhar um pouco mais com emoções e sentimentos. Algumas situações ficaram forçadas, outras constatações um tanto repetitivas, mas é positivo ver um autor consagrado se mobilizar a sair de sua zona de conforto.

Tão instigante quanto o livro um, é triste que o segundo volume tenha sido lançado com uma série de problemas de revisão. São erros de digitação, palavras trocadas, espaços duplos, itálicos faltando e até frases sem nenhum sentido. Equívocos tolos, tão fáceis de serem notados que não sei como não foram corrigidos. Talvez tenha sido a pressa de lançar a obra antes da Bienal 2011. Quem sabe essa pressa também tenha prejudicado a tradução do livro. O mesmo tradutor que bolou nomes tão divertidos quanto trolho e tão inquietantes quanto verdugo preferiu não arriscar dessa vez. Deprimia-me cada vez que lia a palavra Crank além de bobo, o fictício termo estrangeiro não instiga qualquer associação ou imaginação em nossos cérebros brasileiros. Além disso, por que trocaram o nome da doença Fulgor por Fúria? Outra bola fora.

Apesar desses danos externos, a série continua arrebatadora. James Dashner usa e abusa de seus ganchos e capítulos curtos, tornando o ato de fechar o livro uma tortura. James Dashner, você é cruel.

Mas tudo bem.

Cruel é bom.
Leandro Braga 12/09/2011minha estante
Cara, vc resenha mt bem. Só aumentou minha expectativa pelo 2º livro. Pena que tenha esse erros na diagramação do livro.


Letícia 14/09/2011minha estante
"Cruel é bom" HAHA (Y). Concordo, você resenha muito bem... preciso ler esse livro!


Andréa Campos 20/09/2011minha estante
Uauuuu, adorei a resenha!
CRUEL é bom.
Isso me causa arrepios.
rsrsrsrsrsr


Ed 17/10/2011minha estante
haha, adorei a resenha :D


Lumine 15/03/2012minha estante
"James Dashner, você é cruel.

Mas tudo bem.

Cruel é bom." haaahahhahh muito espertinho..


Ana 14/05/2012minha estante
Mal vejo a hora de ler, peguei emprestado e quem me emprestou já falou que é o máximo :) A única coisa que me desanima é os erros que você citou. Mas, fazer o que né. HAHA e gostei do final da resenha *-*


Camila 27/07/2012minha estante
hahahahaha Cruel é bom. Ótimo!


Jack Sabino 30/10/2012minha estante
De fato, suas resenhas são ótimas! Concordo em muito com vc... os erros de português e concordância são desanimadores.... certamente tem toda cara de que foi na pressa de lançar o livro. Fúria perdeu o sentido e Crank fez perder o medo, como o aconteceu com Verdugo.

Eu dei 3 estrelas porque achei que o livro perdeu além do ritmo o fator novidade. Achei a narrativa lenta demais, sem muita empolgação.... mas deixou ainda as dúvidas que todos nós queremos saber, que é o que continua instigando a narrativa. Afinal, cruel é bom? Você está afirmando que é? hahahaha....


Ju 14/03/2013minha estante
Concordo plenamente! esses erros de revisão poderiam ter sido evitados, mas o livro não deixou de ser incrível por isso. Terminei Prova de Fogo mais confusa do que o primeiro, com certeza! É tipo, como assim????? PRECISO DO PRÓXIMO VOLUME!



Alexandra 22/09/2013minha estante
Gostei muito de a Prova De Fogo . Leiam vocês vão Ama


Nanda 01/07/2014minha estante
Sabe se suas resenhas são assim tão instigantes e impressionantes a ponto de deixar nós simples leitores curiosos e ansiosos pelos próximos livros eu fico me perguntando, como seria se você escrevesse livros. Eu com certeza correria para compra-los e lê-los.


Júlia 05/07/2014minha estante
Senti a mesma coisa em relação a tradução, achei erros de ortografia, palavras repetidas e frases sem sentido, que dá pra perceber que foram traduzidas ao "pé da letra". São coisas tão fáceis de resolver, corrigir. Parece até que não deram muito importância para o livro, o que é muito triste..


Arii 24/07/2014minha estante
Comprei o box com todos os livros e achei a tradução ótima! Não tiraram o nome "Crank" mas a doença continua sendo "fulgor" e não encontrei nenhum erro de português que me incomodasse. (Na verdade não encontrei nenhum).


Eduardo 25/08/2014minha estante
Arii, como pode ver o post da resenha, ele é de 2012, acho que ainda não tinha o box e bem provavel uma das 1ª edição senão a própria. Comprei o box com 5 livros e agora lendo o segundo livro da saga, percebo estar tudo em ordem (fulgor, crank, etc...), to alucinando nessa saga, terminei o 1º livro em três dias de leitura, não vai ser diferente com o segundo titulo.

como disse o autor da resenha; "James Dashner, você é cruel." põe cruel ai, mais CRUEL é bom.


Caio 23/10/2014minha estante
Realmente, a resenha é antiga porém excelente.
Terminei o primeiro livro em 4 dias, achei sensacional, estou lendo o segundo. Estou na metade, leitura fácil e intrigante!


David 11/11/2014minha estante
Excelente resenha, só uma pequena atualização: comprei o livro em novembro de 2014, a editora já voltou o nome da doença para Fulgor, mas os erros bestas de que você falou continuam presentes.




Tavares 25/09/2011

Catástrofe e Ruína Universal: Experimento Letal.
Sabe aquele livro que rasga, tritura e queima sua mente e vira seus sentimentos de cabeça para baixo? Não? Então: bem-vindo ao segundo livro de Maze Runner - Prova de Fogo.

Confesso que fiquei 12 horas seguidas lendo a obra de James Dashner. Sem parar. E digo mais: o Labirinto não foi nada. Preparem-se para um Mundo onde um pequeno olhar esconde segredos que você preferiria não saber. Segredos ditos que fazem você odiar um personagem. Que fazem você ficar encantado por ele. Que fazem você querer ser ele. E segredos que te elouquecem.

Ira. Compaixão. Coragem. Alegria. Frieza. Covardia. Fracasso. Manipulação. Sufoco. Traição. Morte. Felicidade. Vida. Humor. Superação. Sinceridade. Mentira. Sarcasmo.

Sim. James Dashner consegue incluir tudo isso em 400 páginas. E muito mais. Ele faz com que você viva ao lado de Thomas, Tereza, Minho, Newt, Caçarola e os outros Clareanos. Todos estão mais maduros. Outros personagens surgem: um Grupo B, Cranks, criaturas nojentas e Homens de Branco. Novos desafios são propostos. Piores que o Labirinto. Entretanto, tudo é justificado em nome de uma coisa: a Humanidade.

O defeito da obra está em apenas um lugar: a edição. Palavras erradas. Falta do itálico em certas frases. Mudança do tipo de papel. Mudança de termos. Aba muito grande, atrapalhando o início e término da leitura. Porém, são erros que não atrapalham em nada. Insignificantes comparados à excelência do conteúdo.

Se em Maze Runner - Correr ou morrer - você era aconselhado a correr, correr e muito. Em Prova de Fogo você é aconselhado a mentir, mentir e muito.

No fim das contas:
CRUEL é bom?
Eu não teria tanta certeza disso.

Contudo, CRUEL será esperar pelo 3° livro.
Stella 19/11/2011minha estante
Muito legal a sua resenha,deixa o leitor com uma vontade louca de ler o livro mas sem contar nada do enredo que possa acaba com as surpresas.
:DDDD


Tavares 27/12/2011minha estante
Muito obrigado! O livro é incrível e as surpresas são sensacionais! Seria um pecado revelá-las, estragaria quase tudo, né? :D


Ander 30/03/2012minha estante
Incrível sua resenha, estou terminando e pqp amandando demais esse volume *-*
QUERO O 3° LOGO!!!


Ander 13/04/2012minha estante
Realmente! Terminei o livro e não sei nem como fazer uma resenha, como fazer uma resenha sobre algo tão bom e incrível? kkkkk Vai ficar uma bagunça, vc conseguiu fazer certinho, parabéns hehe'




AndyinhA 08/03/2013

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Talvez o único ponto que tenha me incomodado bastante seja o fato de apesar de ser uma distopia, ainda não sabemos o que levou o fim do mundo ou porque ele se encontra daquele jeito. Ok, a explicação não é de extrema necessidade para o entendimento da história, mas acredito que se tivesse pelo menos mais coisas soltas ou teorias poderia ter sido melhor. Entendo que o livro queira passar a ideia de ‘rato de laboratório’, mas às vezes ficou com a impressão de que isso ficou mais constante do que a história.

Apesar de ser uma continuação e manter a mesma ideia de fuga e de não saber aonde estamos e quem somos de verdade, posso dizer que são outras provações que Thomas e os Clareanos passam e isso tudo se torna ainda mais assustador ao descobrir que a ideia da clareira era apenas a ponta do iceberg, que os testes, mentiras e manipulações continuam. Durante muitas partes do livro via a ideia geral como um grande ‘Jogos Vorazes’, pois sabemos que alguém os controla e quando querem intervêm, mas ao contrario do outro livro onde os participantes tinham certeza, aqui ficamos com aquela sensação, será que vão entrar agora? Será que vão deixar o A ou o B morrer?

Para saber mais, acesse: http://www.monpetitpoison.com/2012/10/poison-books-prova-de-fogo-james-dashner.html
victor lopes 23/04/2013minha estante
na verdade tem bastante explicação pra isso.
O que aconteceu foi uma explosão solar mto forte, que causou o Fulgor! Mta gente morreu e outras pessoas ficaram doentes, se tornaram Cranks, que dominaram tudo!
Basicamente é isso!


Mila 05/08/2014minha estante
O último livro que realmente contém as explicações para o fim do mundo e dizem que o livro extra: Ordem de Extermínio que acontece antes de tudo isso, logo após a (SPOILER) explosão solar.


AndyinhA 05/08/2014minha estante
Mila, ainda não li esse, pq na verdade ele seria um prequel (se passando antes da trilogia), mas chegar no fim e deixar um monte de coisas em aberto não é legal =/




Adriano 25/04/2012

Poderia ter sido excelente
Depois de ler o livro 1 Correr ou Morrer, com todos aqueles verdugos e lutas épicas no final, realmente achei que o Segundo livro seria surpreendente. E foi. Mas merece algumas considerações.
O enredo se mostrou muito bom, com os garotos no salão conhecendo Aris e descobrindo sobre o grupo B, composto exclusivamente de garotas, e que assim como eles também tiveram a experiência de passar pelo Labirinto. Os cadáveres pendurados no teto foram um show a parte.
Os Clareanos descobrem que para sobreviver, precisam atravessar um deserto e chegar a um ponto determinado pelo CRUEL, e que têm duas semanas pra fazer isso. E esse trajeto é o pano de fundo da história.
Eu esperava um amadurecimento dos personagens, o que seria natural, visto tudo o que passaram na Clareira, mas não foi o que aconteceu. Thomas mais parecia uma criancinha mimada de 9 anos. Minho se tornou o líder e mesmo mostrando ser inteligente no Labirinto, o autor achou melhor transformá-lo em burro. E Teresa continuou sendo só chata mesmo.
Os dois aprontam coisas que não tem a menor lógica com tudo o que passaram antes. Não faz sentido Minho ter feito o que fez dentro do prédio. Não vou dar spoilers, quem ler vai entender.
Outra coisa. Pensa comigo, se eu tenho um amigo que fala comigo telepaticamente, e por alguma variável do destino, nós nos separamos, o que eu faço? Bem acho que tentaria contatá-lo com a mente não é? Thomas talvez não chegue a conclusões muito difíceis como essa...
Além de tudo, em alguns momentos eu quase cheguei a pensar que James Dashner era na verdade algum pseudônimo de Cassandra Clare ou Stephanie Mayer, tamanha era a chatice do Thomas e seu amor platônico por Teresa. Em algumas partes até parecia uma novela mexicana, com “explosões de sentimento” e talz. Amar ou não amar Teresa, eis a questão.
Outra coisa que não entendo é por que nas traduções para o português, as pessoas não escrevem a palavra “bunda”, mas sim traseiro. Você conhece alguém que diga traseiro? Nem eu. E também não acho que seja uma palavra “feia” ou “imoral”, como alguns politicamente corretos dizem por ai. E falando em tradução, deveria ter havido uma melhor revisão antes de publicá-lo, pois há trechos que estão sem a pontuação correta e há algumas palavras a mais. Não é nada que estrague a narrativa, mas acho que deve ser considerado, visto o sucesso da obra.
Os pontos positivos ficaram a cargo dos Cranks, com aquela loucura desvairada e aquela vontade de comer os narizes alheios, da tempestade e das lutas com as criaturas. Foi épico. Nisso com certeza o autor acertou.
Apesar dos pontos negativos que citei, não achei o livro ruim. Mas não consigo simplesmente deixar de registrar essas esquisitices. Acho geniais livros de fantasia como esses, mas os autores precisam tomar cuidado com esses detalhes. O que poderia ter sido excelente, ficou apenas muito bom. O terceiro logo vai ser lançado e fica a expectativa para um melhor amadurecimento dos personagens. E descobrir se CRUEL é realmente bom ou não. A ver.
Agnes 23/10/2012minha estante
Thomas tenta contatar sim pela Teresa com a mente, várias vezes. E não acho que tenha "explosões de sentimento", ele simplesmente havia se apaixonado por ela e ficou abatido pelo que ela fez. Também não gosto da atitude de Minho, mas ele é humano. Ninguém é perfeito. Ele amadureceu bastante em algumas coisas, mas outras não. Normal. Thomas não parece uma criança mimada. Em nenhum momento eu pensei nisso. Na verdade, ele é o mais maduro entre todos eles, com certeza.
Esse livro merece 5 estrelas por tudo que ele faz sentir, por todo o enredo e ideia original, então discordo com a sua resenha.
E ah, eu conheço sim gente que fala traseiro.


Adriano 26/10/2012minha estante
Quando eu falei sobre o "traseiro", foi apenas uma forma de criticar as editoras por um puritanismo exagerado. Mas eu continuo sem conhecer ninguem que fale desse jeito.
Não me lembro de ter criticado o fato de os personagens terem errado em algumas situações, apenas que eles não amadureceram o suficiente. Se toda a estória do livro tivesse começado no Prova de Fogo, aí eu poderia até relevar as idiotices do Thomas. Mas se considerarmos todas as experiencias que ele e os amigos passaram no Labirinto, aí fica, sim, difícil de engolir.
Quanto ao número de estrelas...bem, aí é uma questão de gosto.
O Thomas "é o mais maduro entre todos eles"?! KKKKKK.


Jack Sabino 30/10/2012minha estante
Dei uma estrelinha a menos que vc.... Thomas, apesar de ser o protagonista, está de longe de ser "o verdadeiro líder" pra mim. Mas eles passam por tantas coisas que acho normal tantas inconstâncias de sentimentos... estão ali contando apenas uns com outros...

Minho é de longe meu preferido... talvez pelo sarcasmo genuíno de sua personalidade... o incidente no prédio também achei estranho, já que ele era tão maduro como corredor no labirinto, o que me fez "apaixonar" pelo personagem... mas, como senti que o livro teve uma narrativa lenta, tinha que ter algo para encher um pouco as páginas e também não deixar cair o medo e aventuras constantes a que os Clareanos estão acostumados...

Estou ansiosa para ler "A Cura" ...




Lucas 06/10/2014

Maze Runner
Meu deus!!! Por onde começar a falar desse livro incrível. Ai meu forninho!!! Comecei a ler o livro no domingo da semana passada, li 5 capítulos, logo depois parei porque eu precisava andar com a leitura "O CORTIÇO". Eu li até o capítulo 4 do CORTIÇO, depois parei e falei, "Meu deus não dá, preciso terminar de ler "A PROVA DE FOGO", voltei a ler "MAZE RUNNER" e deixei "O CORTIÇO" de lado. E juro por deus, não me arrependo de ter continuado a ler. Que final foi esse?! Retomei a leitura na quinta e terminei neste domingo.

Tudo começa quando Thomas, Minho, Newt, Caçarola, Winston e os outros Clareanos acordam num quarto, ao ouvir gritos vindo da janela. Eles se deparam com criaturas denominadas CRANKS, que são basicamente pessoas consciente dos seus atos que querem porque querem devorar os Clareanos vivos. Logo Thomas percebe a ausência da Teresa, que a partir daí não contarei mais nada por causa dos spoilers. E também tem o desenrolo com o Grupo B, que vão chegar com tudo na fase 2.

Entraram personagens novos no segundo livro da trilogia. Esses personagens são Jorge(Giancarlo Esposito), Brenda(Rosa Salazar), Aris(Jacob Lofland), e o Homem-Rato(Aidan Gillen). Já foram escolhidos atores que interpretaram eles no filme do ano que vem, cujos nomes você encontra entre parênteses acima. Eu gostei demais da Brenda e do Jorge, o que no caso foi diferente em relação ao Aris e ao Homem-rato.

E meu deus, o que dizer dos CRANKS, minha nossa, eu realmente não sei quem é pior, se são os CRANKS ou os VERDUGOS. Só sei que eu morri de medo dos CRANKS na parte do subterrâneo. Quem leu sabe do que eu tô falando.

Eu realmente fiquei na dúvida qual era o melhor, se foi o primeiro livro ou o segundo. Fiquei mesmo, até porque os dois são muito bons. James Dashner conseguiu fazer uma trilogia que fizesse com que eu gostasse dos dois livros, já que as outras trilogias como JOGOS VORAZES E DIVERGENTE eu prefiro o EM CHAMAS e o INSURGENTE.

Muitos que leram ficaram com ódio da Teresa nos dos livros, mas ela é odiado mais na "PROVA DE FOGO" já que ela comete coisas horríveis contra o Thomas. Confesso que fiquei com raiva dela nessa parte, mais depois passou. Não sei porque, mas eu sempre gostei da Teresa e continuo gostando, mas eu ainda tenho as minhas dúvidas. Eu esperava mais a presença dela no segundo livro, já que no primeiro ela quase não aparece. Mas minhas expectativas foram lá em baixo já que ela quase não aparece neste também.

O final é de deixar os forninhos lá em baixo, vou logo avisando.

Ai vai a grande dúvida: CRUEL é bom mesmo?

A CURA MORTAL vem que vem!!!
#mazerunnermylife

Manú 08/10/2014minha estante
Bem, Concordo contigo. E não, hora nenhuma meu odiei minha amada e querida Teresa! Leia o Ultimo livro, terminei ontem e estou lendo A Ordem do Exterminio.
Prepare-se para as coisas que está por ler e enfrentar ;)


Lucas 18/10/2014minha estante
Eu estou louco pra ler A Cura Mortal, mas por enquanto não posso preciso terminar de ler O Cortiço para fazer o trabalho da escola. Mas pelo o que eu ouvi desse livro acho que vai ser o mais enfrentador.




Ander 13/04/2012

Como escrever sobre uma coisa tão incrível!?
Não sei nem por onde começar essa resenha, não sei pq mas eu consigo fazer tão rápido uma resenha sobre um livro que tem muitos defeitos, parece que tudo flui bem, mas ai quando me deparo com um livro impecável como este, fico muito perdido, sem saber oq fazer.
Queria fazer uma resenha perfeita, demonstrando cada coisa que eu senti ao ler esse livro, mas isso não é uma coisa fácil de se fazer, ainda mais para uma pessoa como eu, que não tem o hábito de fazer resenhas de todos livros que lê.

Mas como não escrever algo sobre uma coisa tão boa? Como não querer contar para todo mundo o quando um livro apenas pode mexer contigo em todos os sentidos, pode te deixar agoniado, surpreso, animado, curioso, louco de arrancar os cabelos pra descobrir toda essa mitologia criada pelo James D. Não tem como negar que a cabeça desse autor é genial, com uma inteligência bem notável, parece que antes dele escrever os livros de Maze Runner, tudo já estava planejado, tudo estava nos eixos sem nenhum defeito, quero dizer, deixando só um defeito no ar: A vontade de NÃO parar de ler, a vontade de querer descobrir tudo ao mesmo tempo, mas não podemos negar que James D. sabe prender seu leitor até o fim, e nos matar a cada final do livro, com mais de mil perguntas no ar!(Sim isso não parece uma resenha, está mais para um “desabafo” só meu: confuso e doido.)

Mas voltando ao 2° volume de Maze Runner!
Prova de Fogo, nos mostra a continuação de Thomas, Teresa e os ‘clareanos’, depois de conseguirem finalmente sair do terrível labirinto!Quando pensamos que nada pode ficar pior do que já está, sempre nos enganamos, e é ai que James D. te coloca em outro “mundo” mais louco que o do Labirinto. Outros mistérios surgem, muitas perguntas, algumas traições, será que é realmente uma traição? Hehe.

É como se não tivesse mais motivos para acreditar em mais nada daqui pra frente, nem no nosso querido protagonista, quem arrisca que ele ainda pode nos surpreender no próximo volume? Eu não duvido mais de nada referente à criatividade e doideira do autor. *-*

O ritmo do livro é alucinante, uma coisa imbatível e sensacional! Não dava para acreditar que as coisas só pioravam, e do meio pro final, com alguns outros personagens envolvidos na história só tinha como melhorar ainda mais!

Teresa foi a grande surpresa, eu ainda estou com uma pulga atrás da orelha sobre ela, não sei se acredito em tudo que ela contou, às vezes penso que ela está falando a verdade, mas como escrevi antes, não tem como acreditar em mais nada agora, só lendo o próximo para saber.E o que dizer sobre o ‘romance’ de Teresa e Thomas, poxa é tão bom, eles tem uma ligação tão clara, e quando acontece aquelas coisas tudo fica tão real hehe, é incrível como tudo se completa e tem sentido nesse livro.

Os “Crank”(É isso mesmo ? kkk) foi um dos pontos altos na historia, foi mesmo de se agoniar, loucura total! Mas doideira mesmo foi aquela reta final: I N C R Í L V E L !!!

Ah e como não comentar sobre a grande dúvida de todos: ”A final CRUEL é bom ou não?”...Hmm eu realmente não tenho certeza de nada, não quero nem arriscar, mas não sei se o termo “O Fim justifica os meios” é algo que eu apóie totalmente rs(:

Não vou contar muito, tanto pq se eu contar vou acabar soltando coisas que podem estragar as surpresas das pessoas que vão ler. *-*

Enfim, a conclusão que tenho desse livro é que James Dashnr se tornou um dos meus autores favoritos e Maze Runner tem tudo pra fechar com um final PERFEITO! E não tenho medo de arriscar que vai ser assim, esse volume só confirmou o quando essa trilogia é incrível e me ganhou totalmente! \o/ \o/ \o/




Flavinha 23/02/2013minha estante
Meu to com o pé atras com a Tereza tb, não vejo a hora de ler a Cura. Não em dê spoilers rsrsrs


Ander 25/02/2013minha estante
HAHAHA! Pode deixar que não dou spoilers não, mas espero que você curta mais que eu. =X




Maria Inês 26/09/2014

Continuação da saga correr ou morrer, muito bom.
Maria Inês 26/09/2014minha estante
Ótimo




Lily 22/10/2012

Prova de Fogo, Maze Runner - James Dashner
Eu nunca fiquei tão confusa assim, quero dizer, não há respostas. Depois do fim do primeiro livro, pelo menos passa pela sua cabeça que alguma respostas virão.

Mas não!

Você começa confuso, e sai atordoado.

Claro que há o desenvolver da estória, que é muito boa, muito melhor que o primeiro livro. Thomas mais uma vez nos surpreende, é de se esperar que ele o faça, depois que vimos sua conduta no primeiro livro. Mas, tudo muda no segundo, tudo que poderia piorar, piora. E nenhum deles ainda estão preparados para isso, ainda mais, depois de tudo que passaram.

O segundo desafio ( ou você pode chamar de testes, mesmo que ninguém saiba que tipo de teste, ou para quê esses testes servem ) se passa no deserto no México. Eles, nesse momento, estarão lutando para sobreviver, como sempre. Tudo certo, tudo legal, mas óbvio que não poderia ser fácil. Agora eles têm um inimigo, que nenhum deles tiveram o conhecimento na Clareira: os cranks, aqueles seres que estão no último nível do Fulgor – que seria um tipo bizarro de zumbis.

Parece que tudo, tudo, leva para um caminho mais bizarro, e difícil, e isso não o torna mais esclarecedor. Seja lá o que a CRUEL faça, o que eles ( Teresa e Thomas ) tenham participado, está indo, talvez em alguma direção séria demais.

Esse livro é muito melhor que o primeiro. É muito mais radical e assustador. Thomas e seus amigos têm que passar, além nos testes físicos – sobreviver em um deserto com todos seus desafios -, nos testes de confiança, afinal, todos eles querem sobreviver, mesmo que isso possa colocar a vida de outros em riscos.

“Lais levou o meu nariz, eu acho”

Monique Pillar 06/07/2013minha estante
"Olá, narizes" kkkkkkkk melhor parte




Carissinha 31/08/2013

Escrever qualquer coisa sobre qualquer livro da série Maze Runner (leia a resenha do primeiro livro da série)é muito difícil, então a resenha não vai ser muito explicativa. É uma série que o leitor está sempre perdido, sem saber realmente o que está acontecendo. E o mesmo acontece com o Thomas, o personagem principal. É um daqueles livros que constroem e desconstroem tudo, o tempo inteiro. Nada é o que parece e ninguém é o que parece. Da primeira até a última página não temos certeza de nada.


Depois dos acontecimentos surpreendentes e de tirar o fôlego no primeiro livro da série, imaginei algum tipo de explicação nesta sequência. Não poderia ter me enganado mais. Continuo confusa com tudo. A cada nova informação dada, uma série de perguntas novas é feita.

Mais uma vez os personagens se veem em meio ao caos, à falta de informação, e a mais um dos experimentos inexplicáveis do CRUEL (o que é CRUEL? Bem... Leia o livro para saber). O cenário é completamente novo, só que mais uma vez tudo acontece em meio à diversos mistérios.

Você que lê esta resenha deve estar notando como eu não estou dando muita informação. É assim que o protagonista se sente e acho que perde a graça saber muito sobre o que acontece na série Maze Runner. Saber de algo não vai adiantar, já disse que vão acabar com todas as suas suspeitas durante a leitura.

É um livro de tirar o fôlego, cheio de tensão, que deixa o leitor desesperado para terminar a leitura. E ao final... Eu senti tanta raiva que ri, porque a necessidade do terceiro livro é imensa. James Dashner faz com que o leitor necessite saber o que raios está acontecendo, e só lendo a série inteira para saber. Sem dúvida vale a leitura. Agora esteja preparado para ficar no escuro.

site: www.carissavieira.com
Lorran 28/10/2013minha estante
Acabei de ler e to perturbado até agora! Não vejo a hora de ler o terceiro livro e ter as minhas respostas, por enquanto, até eu comprar o terceiro, vou ser obrigado a viver nesse sufoco :(




Amanda 10/11/2011

Thomas, você é o líder!
Resenhar livro bom é muito difícil.
Difícil por que você quer que a resenha fique a altura do livro, você quer fazer com que as pessoas se interessem e leiam e gostem como você gostou.

Então é melhor resumir: MAZE RUNNER É MUITO BOM minha gente!

(O Skoob fez o favor de deletar todo o resto da resenha que eu tinha feito, então fica aqui a lembrança, com apenas o trecho inicial :ó(
comentários(0)comente



Luan 24/06/2014

Quase tão bom como o primeiro, o mistério segue sem solução.
De antemão, já aviso: sim, há spoiler do primeiro livro. Não teria como ser diferente.

Eu realmente estava ansioso pra ler a sequencia de uma das melhores leituras do ano até o momento. A história original e diferente de James Dashner me deixava inquieto. Depois de finalizado Maze Runner – Correr ou Morrer, a vontade de ler Prova de fogo era grande, até incomodativa. Sim, confesso que demorei a dar sequência à leitura. Alguns fatores contribuíram para isso, porém não vêm ao caso.

Fato é que, depois que os clareanos finalmente saíram da Clareira, tudo parecia que ia melhorar. Mas só na cabecinha de mértila daqueles jovens sofredores, claro. Afinal, obvio que nada fica bem quando há uma trilogia pela frente, nós sabemos. E realmente não iria ser assim. Depois da fuga, uma aparente calmaria. Comida, cama, uma noite de sono e...

Aí tudo começa. A noite de sono não foi completa. Tudo muda quando os Cranks acordam, aos gritos, os clareanos esperançosos. Que criaturas são essas? Certamente, pelo nome, coisa boa não deve vir. Sem entrar em detalhes, para não soltar spoilers, a partir daí tudo muda. Teresa desparece, Aris surge em seu lugar, e um novo desafio, talvez muito pior que o labirinto e os verdugos.

Com muitos novos mistérios – sim, nada ainda parece muito claro, nem para eles, nem para nós, é uma característica que é mantida do primeiro livro –, os protagonistas da história são postos a prova. Mas agora eles sabem que enfrentam testes, desafios, eles sabem que tudo faz parte de algo muito maior. Mas a pergunta é: os fins justificam os meios? Eles não sabem e nem estão mais dispostos a descobrir. Só querem por um fim a tudo isso. E o deserto, seco, escaldante, cenário de tempestades e abrigo dos Cranks, será fundamental para isso.

Tudo isso, realmente, a se valer de resenhas e sinopse, parece render um livro ainda melhor que o anterior. Só parece. Me decepcionei um pouco. Não sei se foi a expectativa alta ou se a história realmente ficou aquém do esperado. Mas em Prova de fogo, Dashner foi muito mais óbvio e recorreu a vários clichês.

A estrutura é muito parecida ao primeiro livro. Não teve alguma grande mudança de narrativa, que conduzisse a história a outra perspectiva – até de ser contada. Muitas coisas eram fáceis de saber como iriam se desenrolar. Soou um pouco como falta de criatividade – talvez toda ela foi utilizada no primeiro volume. Isso talvez justifique alguns clichês. Sim, há vários deles. Fórmulas fáceis e conhecidas utilizadas para prender alguns leitores. É um recurso de roteiro que muitos adotam para salvar algumas histórias.

Há ainda uma queda na qualidade textual. Não sei se for a tradução, mas os diálogos soam mais artificias. A própria história narrada não tem mais reiqueza de estilo. Alguma coisa mudou.

Mas, não. Não é um livro de todo ruim. Nada disso. Ele só está aquém do primeiro, mas segue bem superior outras histórias – muito mais famosas, mas muito mais fracas, muuuuito mesmo.

E sigo ansioso para saber o que vai acontecer, é sinal de que o livro não é ruim. A história é realmente muito boa e prende. O autor, igualmente. Não a toa o livro vem sendo cada vez mais reconhecido, e vira filme em setembro – estou ansioso demais. Apesar de alguns momentos de narrativa lenta e enrolada, o mistério permanece e nos deixa cada vez mais presos ao mundo do Fulgor. E aqui a gente descobre um pouco mais sobre essa doença que está acabando com o mundo. Novos personagens aparecem. Não simpatizei tanto com eles. Mas acrescentam a história. Colaboram para sair da monotonia.

Algumas viradas também surpreendem. Teresa é protagonista neste recurso. Ela vai surpreender. Algumas informações soltas durante a história também revelam alguns segredos, ou deixam outros maiores.

Enfim, é um ótimo livro, apenas não superior ao anterior. Recomendo. Vou de quatro estrelas e desde já ansioso demais por A cura mortal, o desfecho desta saga incrível. E também das edições especiais, os livros extras desta série, com o antes do labirinto e os arquivos secretos.
comentários(0)comente



Beatriz Gosmin 11/07/2013

Resenha por Beatriz Gosmin - www.livroseatitudes.com.br
Confesso que já estava com saudades de meus colegas Clareanos. Comecei a ler o segundo livro da trilogia Maze Runner com a mesma fome em que li o primeiro, e quando vi já o tinha terminado e estava (novamente) sufocada por tanta coisa incrível, bem como desesperada para agarrar o próximo livro da trilogia criada por James Dashner para então poder sanar de vez minha desesperadora vontade da série.


Thomas e seus colegas trolhos imaginavam estarem seguros, após a fuga e o regate do labirinto. Porém, assim que acordam eles tem uma surpresa: estavam trancados e do lado de fora das janelas do dormitório seres humanos em estado decadente devido à ação do Fulgor (doença que atacara o mundo) tentavam entrar, emitindo sons estranhos e com machucados e sangue espalhados pelo corpo. Completamente Insanos.

Porém os Clareanos ainda teriam outra surpresa: não foram resgatados coisíssima nenhuma, e a 2ª parte do experimento do CRUEL estava para começar. Obrigados a partirem para a nova parte do experimento, desta vez no deserto, Thomas além da preocupação com o que viria também tinha de se preocupar com a estranha tatuagem que havia surgido nele e nos outros Clareanos, em especial a dele que dizia “A ser morto pelo grupo B”, bem como o repentino sumiço telepático e físico de Teresa, e o surgimento de um novo garoto em seu lugar: Aris, do grupo B.

Com um novo, misterioso e perigoso cenário, o livro nos cativa a cada página através da maravilhosa descrição e da magnífica narratividade do autor. Novos mistérios vão se somando aos antigos e pequenos flashes de respostas vão aparecendo, fazendo-nos a grudar os olhos no livro até a última página. Novos perigos, amigos e inimigos surgem, e a ação e o suspense são constantes.

São poucos os livros que nos colocam dentro deles, que nos fisgam e nos tragam para quase literalmente, dentro da história. Maze Runner é assim, você se sente parte do grupo e o mais incrível: sente tudo o que o personagem sente. Medo, raiva, companheirismo, sede de respostas e de viver. Em momentos tensos o coração dispara e o jeito é continuar lendo, mesmo estando sufocando. E você percebe o seu desespero e amor por uma série quando pensa nela quase sempre, e quando pensa que a esqueceu, sonha com ela. Foi assim que, após sonhar que estava entre os Clareanos lutando, passando fome e machucada, lutando pela minha sobrevivência, decidi que estava na hora de ler o segundo livro.

Agora o que me resta é aguardar um momento para me restabelecer e então me jogar de vez no terceiro e último livro: A Cura mortal. Estou ansiosa para o desfecho da trama, e também para o filme que está previsto para lançamento lá fora em 2014 (confira alguns atores confirmados). Sem dúvidas este livro é mais uma surpresa digna e à altura da série, com todos os elementos já conhecidos ansiados pelos fãs, e claro, TODOS deveriam simplesmente largar tudo e correr ler esta incrível trilogia.

site: Resenha originalmente publicada em: http://livroseatitudes.com.br/?p=7081
comentários(0)comente



Joao Paulo 10/11/2013

Muito Perfeito , viciante !!!
Por enquanto o melhor livro da trilogia .. ação da primeira te a ultima páginas, revelações e traiçoes , você nao consegue parar de ler , e um vicio total !!1
comentários(0)comente



Vinícius Dias 17/06/2012

Confira a resenha completa em http://www.jovemtolofeliz.com/2012/06/james-dashner-prova-de-fogo-maze-runner.html

Você se vê tão vidrado na história que nem parece que tudo está realmente sendo relatado através de palavras! Você acaba se vendo como um personagem de filme, torcendo por alguns e amaldiçoando outros. A maior parte das qualidades existentes no primeiro livro são importadas para este, criando uma sequência fiel e que não decepciona. Ao menos em alguns pontos... Correr ou Morrer tinha aquele ingrediente especial de instigar o leitor a saber o que rola por trás do Labirinto, descobrir quem colocou os garotos ali, qual o motivo, etc... Em Prova de Fogo, apesar de algumas perguntas ainda ficarem sem respostas, a maior parte dessas dúvidas já foram sanadas, o que faz a trilogia perder um pouco da sua magia inicial. O livro pode ter o dobro de ação e aventura, mas eu ainda prefiro o primeiro.
E infelizmente, os protagonistas Thomas e Teresa continuam não me agradando, mas por outro lado adorei a tal Brenda e a Harriet, e espero que elas tenham uma maior participação no livro final.
comentários(0)comente



Marina 11/12/2013

O Labirinto foi só o começo... o pior está por vir. Depois de superarem os perigos mortais do Labirinto, Thomas e seus amigos acreditam que estão a salvo em uma nova realidade. Mas a aparente tranquilidade é interrompida quando são acordados no meio da noite por gritos lancinantes de criaturas disformes – os Cranks – que ameaçam devorá-los vivos. Atordoados, os Clareanos descobrem que a salvação aparente na verdade pode ser outra armadilha, ainda pior que a Clareira e o Labirinto. E que as coisas não são o que aparentam. Para sobreviver nesse mundo hostil, eles terão de fazer uma travessia repleta de provas cruéis em um meio ambiente devastado, sem água, comida ou abrigo. Calor causticante durante o dia, rajadas de vento gélido à noite, desolação e um ar irrespirável – no Deserto do novo mundo até mesmo a chuva é a promessa de uma morte agonizante. Eles, porém, não estão sozinhos – cada passo é espreitado por criaturas famintas e violentas, que atacam sem avisar. Manipulação, mentiras e traições cercam o caminho dos Clareanos, mas para Thomas a pior prova será ter de escolher em quem acreditar.
comentários(0)comente



75 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5



logo skoob
"É maravilhoso fazer amigos por meio dos livros, sejam eles Harry Potter, Zibia Gasparetto ou Cortázar."

JB Online