Deslembrança

Cat Patrick



Resenhas - Deslembrança


131 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lygia 22/04/2012

Deslembrança - Cat Patrick
Rabiscos e bilhetes: tão importantes para London Lane como ar para viver. Todos os dias, às 04:33 da manhã, o cérebro da menina entra em reboot (se reinicia), e todas as lembranças do dia anterior são apagadas da sua mente. Alguém se lembrou do plot do filme Como se fosse a primeira vez? Apesar dessa vaga lembrança do filme -perdoem-me pelo trocadilho, rs na verdade, depois das 20 primeiras páginas do livro percebemos que não é o caso.

Diferente da protagonista do filme, London consegue viver através das anotações de seus bilhetes, que deixa próximo à sua cama para ler logo assim que acorda, e está totalmente ciente desse seu pequeno problema. Parece confuso? Eu explico. Nesses bilhetes a garota pode saber o que vestiu no dia anterior, fatos importantes que ocorreram e o que conversou com as pessoas. Mas como ela sabe disso se ela não se recorda? A garota consegue ver o que vai acontecer no futuro, ou seja, suas lembranças são de coisas que ainda não aconteceram, e dessa forma, ela consegue saber com quem interagiu, quem são seus amigos, e quais cidades ela vai visitar em uns 20 anos, por exemplo.

O livro é pequeno, a leitura flui de forma agradável. No começo, confesso que me senti meio perdida na narrativa, e não conseguia entender como London e sua mãe lidavam com o problema. Mas garanto que, assim que as 50 primeiras páginas passam, só paramos a leitura após finalizá-la. Além de acompanhar o dia a dia nada convencional de London, a garota começa a ter sonhos sombrios, relacionados a um funeral e acorda antes que sua mente fique zerada para anotar os detalhes desses sonhos. Ele acontece no futuro? Quem irá morrer?

Achei os personagens muito bem construídos e é particularmente lindo o relacionamento desenvolvido entre Luke e London. A garota se força a lembrar do garoto meio esquisito, mas com olhos mais lindos que ela já viu (todos os dias!) e, mesmo tendo fotos e bilhetes relacionados ao garoto espalhados por seu quarto, todos os dias ela se surpreende. A parte do romance é fofa, não tem outra palavra para definir.

Deslembrança, apesar de ser um YA, é diferente do que estamos acostumados a ler, e pra mim, o motivo é a particularidade acerca do problema da protagonista e como já dito, da vida nada convencional que ela tem ao lidar com seus relacionamentos, sua própria vida. Apenas gostaria de saber se o livro terá uma continuação, pois a narrativa deixa espaço para isso. O livro tem um final, a meu ver, mas para algumas pessoas, talvez ele não seja tão satisfatório. Pesquisei sobre a autora e sobre o livro, e não vi nenhuma notícia de alguma continuação. Se alguém souber de algo, se manifeste por favor, rs.
Jacqueline 24/04/2012minha estante
Gosto muito das suas resenhas, sempre objetivas e nos passam exatamente o que o livro transmite.
Esse é um livro que estou ansiosa para ler, e fiquei curiosa com esse final!! Tomara que tenha continuação né.


Lygia 29/04/2012minha estante
Meninas, muito obrigada pelo feedback de vocês! Fiquei muito contente em saber que curtiram a resenha. Indico muito o livro, acho que vão gostar!
Beijos!


Vanessa 03/05/2012minha estante
Fiquei com vontade de ler!!
Parabéns pela resenha, muito bem feita.
Bjs


Amanda 08/05/2012minha estante
Adorei sua resenha! Já estava com vontade de ler o livro, agora vou correr pra livraria pra comprar! kkk


Bia 08/05/2012minha estante
Que resenha maravilhosa, fiquei com mais vontade ainda de ler. =)


Ju Sobreira 15/05/2012minha estante
Também fiquei na dúvida se vai ter uma continuação ou não. O livro deixa brechas pra isso no fim. Mas amei e recomendo de mais!


Júlia da Mata 06/10/2012minha estante
Gostei da tua resenha, mas eu propria não curti tanto assim o livro... Acho que a autora pecou muito ao escrever o livro =/


Raquel 13/01/2013minha estante
apesar da história ter tido um final meio vago, eu adorei o livro, super recomendo.


Amanda Reis 16/10/2013minha estante
Olha, eu nunca tinha ouvido alguém falar desse livro, mas em uma promoção a capa me interessou. Quando pesquisei ele aqui para ver as resenhas, li a sua e me encantei. Parabéns pela resenha, fiquei com muita vontade de ler, até comprei. :)




Andhromeda 27/05/2012

Mas Nem Tanto
“Eu me lembro do que ainda vai acontecer.
Lembro o futuro, mas esqueço o que já passou.
Todas as minhas lembranças, boas, ruins ou tanto faz, um dia vão se concretizar.
Então, goste ou não – e eu não gosto -, vou me lembrar de estar de pé num gramado recém-aparado, rodeada por pedras e pessoas vestidas de preto, até que isso se torne realidade. Vou me lembrar desse funeral... até que alguém morra.
E, depois disso, ele será esquecido.” Pág. 34

Vamos começar com as quatro frases que me vieram à cabeça quando terminei a leitura de pouco mais de 2h desse livro:

London é confusa, mas nem tanto.
Luke é maravilhoso, mas nem tanto.
A vidência de London é explorada, mas nem tanto.
Deslembrança é bom, mas nem tanto.

Vi várias resenhas falando que Deslembrança é um livro bom, mas que falta alguma coisa. Essa coisa é tempero, desenvolvimento, trabalho. Não estou desmerecendo a autora. MUITO longe disso, a ideia é incrível, fazia tempo que eu não ficava tão animada para ler um stand alone (sou rata de séries, fazer o que?!) e Forgotten despertou meu interesse bem antes de ser lançado aqui. Só senti que a Patrick podia ter tirado mais tempo para refinar as coisas, explorar melhor o dom de London.

Sério, o cérebro dela reinicia às 04:33 da manhã, todo dia. Ok, ela deixa bilhetes resumindo sua vida e dando instruções sobre como se comportar nos próximos dias. É desnorteador? Muito! London leva isso numa boa? Com um pé nas costas! Mas a parte principal, o diferencial do enredo, a coisa mais legal que acontece com a menina... fica de fora! Ela lembra do que vai acontecer amanhã e essa é a menor as preocupações dela!

De repente estou exagerando, mas a London levou dez anos para perceber que poderia usar seu dom insanamente fora do comum em benefício daqueles que ama e nós nem vemos isso acontecer de fato porque o livro acaba! Ele simplesmente acaba e você fica: não! Não pode ser! Agora que as coisas iam acontecer de verdade, acaba? Faça-me o favor!!

Não me levem a mal, eu gostei do livro. Exatamente por ter gostado demais e estar completamente imersa na estória de London foi que me frustrei tanto com a ‘inconclusão’ das coisas! O relacionamento entre ela é Luke é do tipo que te faz suspirar pela delicadeza e bizarrice: ela não se lembra dele no futuro, portanto só tem os bilhetes para se situar sobre aquele carinha que ela não faz ideia de quem é. London se apaixona por Luke dia após dia, sempre do começo. Ok, ajuda ele ser lindo de morrer.

Posso estar me precipitando, mas estou ansiosa pelo próximo livro de Patrick, Revived, que também tem uma premissa impressionante. Vou me arriscar a sair frustrada mais uma vez, mas tenho fé em que uma pessoa tão maravilhosamente criativa quanto a Cat vá fazer um trabalho melhor. Enfim, recomendo Deslembrança se você não se frustra facilmente, ou se entendeu meu ponto e se sente mais preparado para aproveitar esse livro incrível, mas nem tanto.

Para conferir essa e outras resenhas na íntegra, acesse:
desigusson.wordpress.com
Lucas 07/08/2012minha estante
Acho que não foi isso que falaste, mas só a nível de informação: Revived não é sequência de Forgotten, caso não saibas (:
Gostei da resenha


Júlia da Mata 06/10/2012minha estante
Concordo plenamente contigo. A ideia do livro é maravilhosa, mas Cat não soube trabalhar muito bem nele.


Lane 19/04/2013minha estante
Adorei o livro.
Deixou coisas em aberto, mas sabe que isso me cativou? Deixa um espaço para você pensar sobre o acontece depois. Gostei bastante!




Camila 02/12/2012

A leitura é fácil e tudo mais. A história da protagonista, à primeira vista, parece interessante... mas bom, acho que a autora não desenvolveu os personagens e seus dramas o suficiente. Ficou tudo na superfície.
comentários(0)comente



Amanda. 06/07/2012

Deslembrança - Cat Patrick

Quanto suas lembranças são importantes pra você? Quanto o seu passado diz sobre você? Sei que existem fatos de sua vida que você ficaria imensamente feliz se pudesse simplesmente apagar da memória, assim como existem aqueles que você sente um prazer enorme quando se recorda. Nossas lembranças são a nossa vida, elas representam quem nós somos, quem nós fomos. E se você não tivesse nada disso? Se o dia que se passou fosse uma enorme página em branco? Se você não fosse capaz de lembrar-se das coisas que já viveu? A vida da London é assim. Seu passado não existe — não em sua memória —, pois, todos os dias às 04h33min seu cérebro apaga e ela não consegue se lembrar de seu dia.

London não é capaz de se lembrar do que já aconteceu, mas em compensação ela se “recorda” de fatos que ainda acontecerão. Não que ela tenha a capacidade de prever o futuro, ela não escolhe o que quer saber, algumas coisas simplesmente aparecem em sua mente sem que ela saiba por quê. Para levar sua vida tão normalmente quanto possível, ela escreve bilhetes para si mesma, nesses bilhetes ela anota partes importantes do seu dia e seus compromissos futuros. E é assim que ela vai levando a vida: com o auxílio de seus bilhetes, lembretes no celular, com o apoio da mãe — Bridgett — e da melhor amiga — Jamie.

Não nego que London é uma boa protagonista. Conhecer a história sob sua perspectiva foi algo interessante. A narrativa fluía bem. Mas como toda boa adolescente, ela teve seus momentos de crise, no entanto, não foi nada que tornasse a leitura chata ou cansativa. Aliás, os personagens, de um modo geral, são bem carismáticos. É possível criar um vínculo com eles, realmente nos importamos com o futuro que terão.

A proposta da história é, sem dúvidas, interessante. Mas a forma como ela foi desenvolvida deixou a desejar. A autora teve a ideia, mas não soube incrementá-la. Algumas coisas não foram explicadas e as que foram receberam explicações óbvias, previsíveis, convenientes... O que foi frustrante. O ponto alto do livro — pra mim — foi o romance. O envolvimento de London e Luke (♥) foi algo que valeu a pena ser lido, mas a história em si não foi muito rica em detalhes, fatos que poderiam ter sido explorados foram deixados de lado o que deixou o livro sem emoção.


PS: Segundo o jornal O Globo já tem uma roteirista trabalhando na adaptação do livro para as telonas. Já temos, inclusive, o nome da atriz que interpretará a London — Hailee Steinfeld.
comentários(0)comente



gleicepcouto 15/05/2012

[ resenha ] Um romance bacana por fora, mas ligeiramente oco por dentro
www.murmuriospessoais.com


***


Deslembrança (Intrínseca) é o primeiro romance da norte-americana Cat Patrick, que teve o insight para escrever esse livro quando esqueceu de algo que teria que fazer. Refez os passos em sua mente e voilá: nasceu a sua primeira obra.

London Lane é uma jovem que não consegue se lembrar de seu passado, somente visualiza fatos do futuro. Todo dia, às 4h33m seu cérebro 'reseta' e volta à estaca zero, ou seja, ela esquece das coisas do dia anterior. Para lidar com isso, escreve todos os dias bilhetes para não ficar muito perdida.

Lane também convive com um sonho recorrente, que não entende mas que, aos poucos, vai ganhando uma grande importância em sua vida. Assim como o belo e atencioso Luke Henry. A partir do relacionamento dos dois, London tenta dia após dia lembrar de seu carinho pelo garota, mas também de firmar quem ela realmente é - tentando desvendar seu passado, para conseguir viver bem o seu presente.

Deslembrança é narrado em primeira pessoa, pela protagonista, que é uma menina bacana. Nada demais, como milhares que tem por aí. Isso poderia fazer com que o livro ficasse um pouco entediante, mas como Cat soube trabalhar a narrativa, a leitura do livro é rápida e sem grandes traumas.

Os personagens são bem construídos, mas na medida do possível. Novamente, nada de muito extraordinário. Lana até que convive bem com o seu problema, Luke é o mocinho gato e simpático, cheio de amor pra dar, Bridgette é a mãe amiga e legal, Jamie é a melhor amiga meio maluca... Acho que já vi essa fórmula em outro lugar. Você não?

O que sustenta a primeira metade do livro é o casal Lane e Luke, que, sinceramente, são muito fofos juntos. Não são melosos, mas bonitinhos. Já do meio pro final a história sofre uma reviravolta significativa, focada nos sonhos de Lane. Assim, alguns mistérios são desvendados - como a ausência de seu pai e também o motivo dessa sua "falta de memória".

Olha, eu até achei algumas explicações bem plausíveis, sabe? Mas não sei... Não me convenceram muito. Foi tudo tão previsível, que em certo momento estava torcendo pro Luke morrer, porque aí teria algum drama verdadeiro ali.

Na verdade, acho que a questão toda foi essa: faltou drama. Lane, como já mencionado, convivia bem demais com a sua situação. Ela tinha até alguns questionamentos, mas não os achei profundos o suficiente - e a situação exigia isso. Imagina, gente. Todo dia você esquece que tem um namorado e tem que se lembrar dele por meio de bilhetes. Todo dia você tem que escrever o que aconteceu no dia anterior, para não correr o risco de falar com alguém que nem tá te olhando na cara. E a questão do futuro? Perturbador demais namorar um cara que você não enxerga no seu futuro. Claro que London parou para pensar sobre isso. Tipo: 5 minutos.

Enfim, senti falta de uma reflexão mais intensa e de explicações mais razoáveis - não achei o thriller psicológico que esperava encontrar. Mas, como eu disse, a narrativa esperta de Cat e o romance do casal principal evitam de fazer deste livro uma perda total de tempo.


Deslembrança (Forgotten)
Autora: Cat Patrick
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Páginas: 256
Valor médio: $20 a $30
Avaliação: Prefiro o passado de London, pois o presente é um pouco boring.
Leticia 15/05/2012minha estante
Só consegui acreditar na sua resenha aqui, o resto é resto...


Ju Sobreira 15/05/2012minha estante
Eu gostei do livro por inteiro, e entendi as partes sobre as lembranças. Ela explica isso quando a London estuda a parte das memorias em biologia. Amei o livro, mas cada um tem sua opnião (:


Anelise 17/05/2012minha estante
Não poderia concordar mais! Falou tudo. O livro não é ruim, é de uma narrativa rápida, só que a gente termina e fica com aquela sensação de que faltou algo. Como você disse, falta drama, reflexões mais intensas. Acho que falta veracidade na personagem, ela não convence...


Bacil 01/12/2012minha estante
quando entrei pra ver a nota do livro e vi que tava em 4,0 fiquei "MEUDEUS. OU EU SOU UM LIXO OU ESSAS PESSOAS SÃO LOUCAS" não é possível ter tanta nota boa pra ele assim. Eu não gostei dele, não sei se por causa do romance que vai ao longo do livro, ou por essa "falta" que deixa depois que você lê o livro, mas realmente não gostei dele também.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bia 22/03/2013

Lembrar do que não deveria saber.
Quantas vezes você já desejou saber o que iria acontecer no seu futuro? Para Landon Lane isso é a pior coisa do mundo. Exatamente às 04h33, sua mente se reinicia e ela esquece o que já passou, mas se
lembra do que está por vir.

“Todas as minhas lembranças, boas, ruins ou tanto faz, um dia vão se concretizar.”

Landon, ao que parece, vive normalmente aos olhos de todos. Sabendo de seu segredos, só tem ao seu lado sua mãe, que ela julga não ser tão verdadeira e confiável assim, e sua amiga, Jamie, linda e as vezes “malvada”.

Além de tudo, vive atormentada com a falta de seu pai em sua vida. Não sabe onde ele vive e como, não tem nenhuma notícia de alguém que sente muitíssima falta no seu dia-a-dia.

Para se lembrar do que aconteceu no seu passado, Landon escreve bilhetes para si mesma com o que aconteceu no seu ontem, pois ela não se lembra nem do que mesmo vestiu ou quem viu, caminho que percorreu, etc. Com isso, ela passa por um tempo antes mesmo de se levantar lembrando de tudo que se esqueceu. São sessões dolorosas, por tem que lembrar sentimentos que ela têm e nem mesmo sabe.

No início do livro, Landon conhece o gatinho que tem em toda história: Luke Henry. Eles almoçam juntos, saem e acontecem coisas fofas, até que eles começam a namorar. Por um lado, isso é maravilhoso, por outro, uma tortura. No presente momento, Landon não se lembra dele, obviamente, em seu passado e por incrível que pareça, nem em seu futuro.

Entre esse tempo, Landon está passando por uma fase difícil: Ajudar as pessoas a desviar de caminhos indevidos que ela vê acontecer, lembrar de Luke, encontrar sua avó e seu pai e descobrir o mistério do cemitério.

Landon vê alguém, mais especificamente uma criança, sendo enterrada em um certo cemitério com pessoas de sua família ao redor. E ela precisa descobrir quem.

O livro é pequeno e com a leitura bem fácil. Os capítulos são mínimos, e alguns erros não passaram na revisão. Mas o livro é bastante legal e prende o leitor.
comentários(0)comente



Ju 22/01/2013

Deslembrança
Sempre gostei da capa desse livro, é linda. Com certeza agora a amo ainda mais. As características da personagem foram respeitadas na foto. Sei que deveria ser o básico, mas não acontece sempre.

London Lane é uma garota que está no ensino médio. Ela é um pouquinho diferente do resto do mundo (eu sei, todos somos, mas no caso dela há uma característica mais marcante).

"Eu me lembro do que ainda vai acontecer.
Lembro o futuro, mas esqueço o que já passou.
Todas as minhas lembranças, boas, ruins ou tanto faz,
um dia vão se concretizar."

London aprendeu a lidar com seu cérebro. Como todos os dias, exatamente às 4:33, sua memória é apagada, ela escreve bilhetes para si mesma contando sua vida. (Fiquei pensando o que aconteceria se ela dormisse a tarde toda para conseguir passar a madrugada acordada. Eu com certeza faria essa experiência se fosse comigo! rs)

Imaginem o quanto o problema dela deve ser doloroso. Mas ela realmente lida com o fato muito bem. Tão bem que apenas sua mãe e sua melhor amiga sabem que ele existe.

London consegue ter uma vida normal, frequenta a escola como qualquer pessoa de sua idade, e consegue seguir com a sua formação, mesmo que seja necessária uma dedicação fora do normal.

Só que ela não apenas esquece o passado. Ela tem lembranças do futuro e precisa se esforçar muito para lidar com elas, pois nem sempre são agradáveis.

O livro tem um pouco de suspense, e aos poucos descobrimos quando o problema de London começou e as possíveis causas. Claro que tem romance também.

"Primeiro, vejo o sorriso. Há uma inconfundível doçura em meio à provocação. Minha armadura começa a desmoronar antes mesmo que eu chegue aos olhos; o que sobrou dela se derrete quando os vejo. Cintilantes, um tom claro de azul com pontinhos mais escuros, rodeados por cílios que qualquer garota invejaria."

E antes que digam que a história se parece com a daquele filme, "Como se fosse a primeira vez", já adianto que adoro o filme e adorei o livro, e posso dizer com certeza que um não tem nada a ver com o outro.

São muitas diferenças, mas vou falar de uma só. No filme, o cara tem que fazer a garota se apaixonar a cada dia (sim, todo mundo deveria fazer isso, mesmo que as namoradas/ noivas/ esposas não se esqueçam da sua existência ao dormir). No livro, não. A London parece reter melhor os sentimentos, e isso com relação a todas as pessoas.

A história dá forças pra gente seguir em frente. A London tem uma vida mais que complicada, e consegue ser feliz. Então, acredito que todos nós podemos fazer isso também.

Postada originalmente em: http://entrepalcoselivros.blogspot.com.br/2012/10/resenha-deslembranca.html
Jhê 17/02/2013minha estante
Também gostei da capa, acho ela tão doce...
Gostei da sua resenha, o livro me passava um medo, já que um tema como esse tem muitos detalhes a ser tratados com atenção.Mas ainda sim,quero muito ler o livro!


Lua 19/03/2013minha estante
Realmente o tema do livro é bem parecido com o filme "Como se fosse a primeira vez" que por sinal eu amo! Mas deve ser bem angustiante passar por isso todos os dias. Me chamou muito atenção pela capa e claro pela história, quero lê-lo haha


Adriane Rod 29/03/2013minha estante
Pra começar: que capa linda - adorei a combinação das cores.
Parece mesmo uma história muito boa, fiquei com vontade saber o final.

http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/


Thaís 07/04/2013minha estante
Eu amei essa capa, é simplesmente perfeita! A resenha entao... Posso dizer que ele me conquistou completamente, e acho que se eu fosse a London faria a mesma coisa que vc Ju kkkk Mais um para a lista de maaaaiiss desejados kkk


Baah 14/04/2013minha estante
esse livro é incrivel gostei muito da narrativa e a tematica me surpreendeu .. gostei muito da capa e da sua resenha


Dani 15/04/2013minha estante
Isso é bem louco!!! Eu fiquei curiosa pra saber como termina, porque se o livro quiser ser realista não dá pra sumir com o problema e puf!!! Mas como você disse a história é bem otimista, quero ler :D


Camila 06/08/2013minha estante
Esse livro parece ser lindo...
Já estava na minha lista de desejos, agora mais ainda!




Kimberlly 17/06/2012

Deslembrança | http://www.ultimoromance.com/
Deslembrança é o livro de estreia de Cat Patrick e, ainda que não por muito tempo, também o único. Originalmente publicado em 2011 e recebendo muitos elogios da crítica, está sendo traduzido para 21 línguas e teve os direitos para uma adaptação cinematográfica comprados pela Paramont.

Em um mundo normal, com pessoas normais, vidinhas comuns e rotinas normais, vive London Lane, uma garota que não salva o mundo, não tem superpoderes e, infelizmente, não é normal. Aos 16 anos, sempre às 4h33min, sua memória é apagada e tudo que ela tem são as memórias... do futuro. Memórias essas que estarão com ela apenas até que o dia em que se realizarão chegue. Mas, ah, claro, ela tem algumas anotações dos dias anteriores que são de grande ajuda na hora de saber quem ela conheceu, quem morreu, que roupa vestir, quem é aquele novo garoto na escola... Espere, ela não sabe quem é o novo garoto. Como é o nome dele mesmo? Lucas? Ah, sim, Luke. Como London poderia esquecer Luke Henry? Luke, que não aparece em suas memórias e, portanto, não deve estar em seu futuro. Luke, Luke Henry, o garoto que pode mudar tudo.

Apesar de sua situação, London não enfrenta grandes problemas. Mesmo incapaz de lembrar-se do que aconteceu no dia anterior, reconhece coisas básicas como a si mesma com o passar do tempo, a escola, os professores, Jamie, sua melhor amiga, e a mãe, uma vez que fazem parte de seu futuro. Muita coisa é perdida, sendo importante ou não, mas ela consegue saber o que está acontecendo no presente com a ajuda de Jamie e de sua mãe, que são as únicas que sabem do seu “probleminha”, além de usar as lembranças do futuro para se localizar. Ela não tem crises, está acostumada a viver com o que tem, mas ainda tem que tentar entender a estranha lembrança do enterro de alguém que ainda não consegue saber quem é.

Ainda acho que escrever sobre perda de memória, ainda mais desta forma, requer muito cuidado. Em Deslembrança, pelo menos inicialmente, pode ser que nem tudo seja muito convincente. Por mais que a autora tenha tentado explicar a rotina da personagem, sempre fica uma pergunta a ser respondida, sempre resta uma ponta solta. É estranho ver, através dos olhos dela, coisas importantes sumirem e, principalmente, sentimentos e relacionamentos se manterem e evoluírem. Apenas quando tinha avançado com a leitura foi que percebi que London simplesmente confiava em si mesma ao ponto de acreditar piamente em suas palavras. A vida segue normalmente se ela deixa de anotar algo como o fato de estar apaixonada ou ter brigado com alguém, mas, por outro lado, se coisas assim constam nos bilhetes, é como se estivessem apenas continuando e não começando novamente. Por mais que eu tenha tido a impressão de que seus sentimentos estão lá, em algum lugar, mesmo que ela os tenha esquecido, não diminui o fato de que, tendo que recomeçar todos os dias, continuei achando que nada novo poderia ser muito profundo, a não ser que ela tivesse lembranças do futuro.

O livro é pequeno e a autora não fica dando muitas voltas, o que, para mim, só o tornou melhor. Ele é simples e tem capítulos curtos e objetivos, que nunca perdem o toque de doçura. Aliás, doçura essa que pode ser atribuída em grande parte ao relacionamento entre London e Luke, a quem ela conhece de seus bilhetes e por quem se apaixona novamente (e talvez até mais) todos os dias. Tem ainda pequenas doses de mistério e de drama, mas em nenhum momento fica pesado, muito pelo contrário. Começa num instante e, pronto,já acabou antes que tenha chance de notar. É bonito sem ser lindo, é diferente sem ser inovador, é bom sem ser maravilhoso.
comentários(0)comente



Liz 01/09/2012

Na surpresa de uma lembrança
Confesso que tenho um certo preconceito com livros com capa com fotos de gente. Não sei porque, mas tenho. Então quando fiquei sabendo sobre a história de Deslembrança, fui correndo ver que livro era esse afinal. Toda a ideia de só lembrar do futuro e nunca do passado fazia minha cabeça ficar tão curiosa quanto confusa. Mas daí me deparei com a capa. Gente. Fiquei na dúvida, enrolei, enrolei, li uns três livros até que ( felizmente ! ) minha curiosidade venceu.

No começo não fiquei muito animada. Não sei se foi meu ensino médio chato e o fato de ter acabado de me livrar dele, mas voltar ao high school foi bem chatinho. Todo aquele negoço de garotinhas populares não me convenciam mais. Apesar de na faculdade não ser tão diferente assim XD. Pulado isso, continuei o livro mesmo assim. E ainda bem.

Do nada o livro começa a te prender. As dinâmicas do colégio ficam de lado e London e seu '' talento'' ganham o plano principal. Do nada você se apaixona por Luke. Do nada você começa a pensar nas visões de London enquanto toma café. Do nada você se surpreende sendo surpreendida por aquele livro que era tão menininha no início.

Cat Patrick trabalha bem o dom de London, sem deixar bordas mal feitas ou contradições. O que é impressionante porque toda a coisa é bem confusa. Me peguei várias vezes me perguntando coisas como '' Como ela faz as provas do colégio? '' ou '' Como ela sabe aonde é a escola? '' . Mas depois de um tempo, sempre a resposta vinha na minha cabeça. Só acho que o final poderia ter sido mais incrementado. Talvez uma diminuída no colégio feliz e uma alargada no final seria bem legal. Queria muito ver a ultima visão de London no livro se tornando verdade. Mas enfim, o livro é ótimo, recomendo a todos que gostam de um mistério e um romance fofo :D
comentários(0)comente



Bru 23/12/2012

Deslembrança
Cada bilhete é importante para London, cada palavra que ela escreve ou deixa de escrever pode mudar seu dia. A vida de London pode mudar de acordo com cada escolha que ela faz na noite anterior. Sua mente se apaga todos os dias às 04h33min, e isso, tem um motivo, que descobrimos perto do final do livro, mas não vou estragar isso pra vocês. A história de amor entre a London e o Luke me encantou, porque mostra que muitas escolhas podem ser feitas e isso muda tudo.

O livro, em si, é muito legal com uma leitura fácil e eu o indico. No final, há dupla interpretação, pois há um final razoável, mas ainda há chances de uma continuação.

Se você perdesse a memória todos os dias e dependesse de bilhetes o que faria com isso?
Renata CCS 16/01/2013minha estante
Gostei da sua resenha! Livro interessante.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Kamila 29/09/2013

Ruim.
Achei o livro um tanto quanto chato. Os personagens não me prenderam nem um pouco, o livro não me causou nenhuma emoção, nem mesmo com toda a fofura do Luke em relação a London e olha que fico boba com qualquer romance. A história me confundiu em certas partes com ela não lembrar de nada e de certas coisas ela se lembrar(?). O livro tinha tudo pra ser O livro, mas a autora não soube aproveitar os recursos da história ao seu favor, sem contar que o final deixou muita coisa ao vento.
comentários(0)comente



Nath 08/06/2012

Acho que o fato de muitas pessoas terminarem a leitura com uma sensação de vazio na cabeça é que o livro é muito curto. Ele é pequeno, poucas páginas, tem uma fonte enorme, o que só deixa a leitura rápida. Li ele em menos de três horas e uma frase que não saía da minha cabeça era: Perdi alguma coisa?

Não se enganem, Deslembrança é um livro muito bom. A proposta da autora foi incrível, mas acho que ela não desenvolveu muito a história. Ela deu um destaque muito acentuado ao romance de London e Luke, extremamente meloso e levemente desnecessário, e esqueceu a grande premissa do livro: uma menina que não se lembra da vida e que prevê o futuro.

Assim como o pai de Cat sugeriu, o nome do livro bem que poderia ser Ovos Mexidos com Presunto. A história é confusa a princípio, você não consegue entender direito como esse dom (se é que você pode chamar assim)funciona e nem no que ele pode ajudar London.

London não se lembra de nada do seu passado, mas tem espécie de visões do futuro. Sim, confuso até demais. Afinal, como uma pessoa assim tem uma vida minimamente normal? A autora simplesmente esqueceu que, a partir do momento que London tem a mente reiniciada, ela não deveria se lembrar de NADA, ou seja, ter uma mente infantil, que foi quando começou essa anomalia no cérebro dela.

Tudo bem, esse pequeno furo a parte, eu ficava imaginando como seria ela, por exemplo (isso não acontece no livro) acordar de manhã, virar pro lado e ler num bilhete: "O homem do seu lado é seu marido. Você está grávida de quatro meses. Vá dar comida ao Joseph (nome fictício), seu cachorro. Ele foi atropelado ontem. O velório de sua mãe é às 7h30min, não se atrase. Ah, sim, você foi atacada por um tubarão ano passado e não tem mais a perna direita!".

Bom, mesmo que London esteja convivendo com sua falta de memória há anos, ELA NÃO SE LEMBRA DISSO! Então como capetildos ela sabe por cima o que fazer da vida? Como sabe que há um bilhete esperando por ela? Como se lembra de matérias escolares, como faz prova? Como sabe o caminho de casa, senha em redes sociais, como???

E, mesmo que ela não saiba nada disso, ela tem uma vida normal, como se isso não a atingisse de forma alguma. Acho que faltou um pouco de drama em London.

Os fatos importantes foram pouco explorados, deixando pequenos dramas bobos como grandes protagonistas da história, como por exemplo a agima de London que não quer mais falar com ela ou sua mãe estar mentindo sobre seu pai.

A pior parte do livro é o final. Tudo bem, não é ruim, calma!! Mas o livro não tem final. Nas últimas 20 páginas a autora revela o grande drama da história, tudo é resolvido (por cima, por que nós não vemos a resolução!) e o livro acaba bem. Este foi um dos pouquíssimos livros que eu não invejei a protagonista por ter um poder legal. Realmente, sempre quis morar na Morada da Noite, ter a super inteligencia do Artemis, ter uma casa em Hogwarts, ser uma Caçadora de Sombras, mas eu JAMAIS iria querer ter o dom da London. Jamais mesmo.

Tanto que eu torcia para que, depois que o drama do livro fosse resolvido, London entendesse o por que desse problema na memória e ela conseguisse consertar tudo de alguma maneira. Mas não, o livro terminou do mesmo jeito que começou, sem nos dar detalhes do Grande Drama da Vida Esquecida de London Lane.

Acho que faltou a autora desenvolver a história mas, fora isso, o livro é divertido de ler, engraçado e até te emociona em certas partes. O final completamente resolvido fica na imaginação do leitor, o que é um ponto forte e fraco ao mesmo tempo. Cabe a você ler e tirar suas próprias conclusões!

Pra finalizar a resenha: DEUS ME BELISCA QUE CAPA LINDA!

"Apesar do aperto no peito, que me faz odiar os passarinhos cantando e tudo o mais, sei que precisava ler isso hoje, e que vou precisar ler de novo amanhã. Para mim, ler é lembrar" - Pág. 194
Aline Ramos 05/05/2013minha estante
Adorei sua resenha. Fiquei com as mesmas perguntas na mente. E quando a coisa ficou realmente boa, o livro acaba.




a.y.s 19/03/2013

Leia pelo romance não pelo mistério
Rotina

Essa é uma história sem grandes altos e baixos, a maior parte do livro se constituí em London tentando levar uma vida normal, e na realidade, apesar da sua condição, dela ser incapaz de lembrar de qualquer coisa do passado, e para todos os efeitos ser uma vidente: ela é normal. Ela vai à escola, namora, e mesmo sabendo o que vai acontecer no futuro, tudo continua sendo bem rotineiro, o que pode parecer parado, mas é bem interessante ver os esquemas dela para tentar manter a normalidade. No final, o que impulsiona a história é o romance.



O Primeiro amor nunca se esquece

Mas por algum motivo London não consegue se lembrar do namorado Luke. E esse é na realidade um dos poucos mistérios desse livro (junto com a cena do cemitério com que ela sonha). Claro, London não consegue se lembrar de nada do passado, mas no lugar da memória estão coisas sobre o seu futuro, e mesmo que Luke faça parte do seu futuro, ela não consegue vê-lo lá. Apesar de todos esses problemas ela resolve apostar na relação, e na realidade eles são um casal que eu amei. E é pela parte do romance que esse livro vale a pena, porque o mistério...



A cena do cemitério



Todas as minhas lembranças, boas, ruins ou tanto faz, um dia vão se concretizar. Então, goste ou não — e eu não gosto —, vou me lembrar de estar em pé num gramado recém-aparado, rodeada por pedras e pessoas vestidas de preto, até que isso se torne realidade. Vou me lembrar desse funeral... até que alguém morra.



E, depois disso, ele será esquecido.



Por algum tempo o mistério que ronda essa cena foi muito interessante, inclusive a explicação foi boa, apesar de que o modo como ele foi resolvido não me agradou. Eu gosto muito de mistérios, e por isso eu digo, o ponto forte desse livro é o romance.



O final

O livro termina justamente com a conclusão do mistério que ronda a cena do cemitério, apesar de que conclusão não define bem a situação, porque apesar de o leitor entender o que se passa, o final fica tão em aberto que eu fiquei imaginado se a autora não iria fazer uma continuação. E ela não vai, então o livro termina desse jeito mesmo.

Mas, apesar de não ter uma continuação, a Paramount já tem os direitos de adaptação e a atriz para viver London já foi escolhida: Hailee Steinfeld, que participou do filme Bravura Indômita, e concorreu ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 2011 por esse trabalho.



http://ideiasegarranchos.blogspot.com.br

comentários(0)comente



131 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"o site é uma ótima ferramenta para estimular a leitura nas escolas e universidades."

Conexão Professor