Belo Desastre

Jamie McGuire



Resenhas - Belo Desastre


657 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


The Cat 02/09/2012

"Sou completamente capaz de dar alguns passos sozinha, Travis. Qual é o seu problema?" p. 207
"BELO DESASTRE"
?? 2 abraços de consolação dados pelo Finch (melhor personagem do livro, disparado)

Então esse é o tão falado "irmão caçula" de Cinquenta Tons de Cinza.
Em primeiro lugar, recomendo que ninguém leia por causa da sinopse. Ela está bastante errada, a começar pelo "Abby Abernathy não bebe" (gente, ela vira QUINZE doses de tequila em uma das cenas).
Com base na quantidade de resenhas estarrecidas espalhadas pelos blogs, não preciso nem falar do quanto o relacionamento desenvolvido ao longo desse livro é ridículo, doentio e forçado. A Abby é uma Mary Sue¹ relativamente suportável (ela têm alguns poucos momentos de lucidez e umas tiradas bacanas), mas ela se engana o tempo inteiro, seja fingindo que as apostas são obrigações irrevogáveis, seja agindo como se sentisse/não sentisse algo em determinadas situações.
E não adianta tentar me convencer com aquele papo de que os personagens são extremamente reais, psicologicamente desenvolvidos de um jeito muito intrincado, etc. Achei o comportamento deles justificado por um passado raso demais, tipo "ele é assim porque x aconteceu, só". As pessoas não são assim, são necessários muitos eventos para que comecemos a agir tão radicalmente. Um bom exemplo dessa construção crua foi o motivo de o pai da Abby tratá-la daquele modo, uma desculpa totalmente infantil que pareceu tirada de um filme da Disney². Vi muita gente falando da verossimilhança do tal Travis Maddox também, mas para mim simplesmente não rolou. O tempo todo, senti uma autora orquestrando as ações do personagem, pensando "ah, o que posso fazer para as leitoras caírem por ele agora?". Primeiramente, ele é apresentado fazendo o tipo misterioso-sexy-e-insensível, depois DO NADA se torna um príncipe de conto de fadas, meloso até... Só que, claro, ainda têm uns ataques de loucura e ciúme obsessivo salpicados ao longo do enredo (não vamos esquecer a "profundidade emocional" do moço!). E uma observação: Os que odiaram o livro criticam o Sr. Maddox (que, na minha cabeça, é o Trey de The OC) ininterruptamente, mas poxa, e a Abby? E quando ela diz "Totalmente. Ensine bons modos pra esse babaca"?!
Já os conflitos do livro pareceram muito facilmente resolvidos, só para render polêmica ao longo da história com base no passado da Abby e na forma como ela nunca fala o que realmente pensa, nunca faz o que realmente quer e sempre foge com uma despedida dramática/cinematográfica. Na boa, não dá nem para listar todos os elementos escritos com a finalidade de justificar o "nós não somos bons um para o outro". Isso sem falar naquela coisa típica, a mocinha é sempre salva na hora H pelo galã, porque a) ela entrou em uma situação totalmente estúpida e arriscada por conta própria, e/ou b) ela é simplesmente gata demais e todo personagem masculino que aparece no livro quer dar uns beijos nela.

Aí vocês devem estar se perguntando o porquê de, apesar de tudo isso, eu ainda ter dado duas estrelas para Belo Desastre. Simples: Tirando todos os problemas anteriormente citados, a Jamie sabe construir muito bem a tensão romântica/sexual entre os personagens e a narrativa dela flui. Se não fosse por isso, eu nem teria terminado o livro. Acho que se ela tivesse ido por um caminho BEM diferente e estruturado os personagens com base em outro tipo de relacionamento (além de ter apagado aquela cena péssima estilo High School Musical no refeitório), poderia ter criado um Anna e o Beijo Francês menos fofo e mais maduro. Ou talvez eu só seja otimista demais.
Conclusão: Meu Maddox preferido continua sendo esse aqui bit.ly/NHNTmk

P.S. Tradução, pelo amor de Deus, vamos deletar todos aqueles "minas"???
P.P.S. Ainda tenho boas expectativas quanto a "Walking Disaster", que é a mesma história, só que contada sob a perspectiva do Travis.


¹ http://www.urbandictionary.com/define.php?term=Mary-Sue
² SPOILER PEQUENO:
("Você roubou minha sorte", É SÉRIO ISSO?!)



Recomendo:
Quem gostou de Sussurro E Cinquenta Tons de Cinza
Jei 01/09/2012minha estante
Você descreveu exatamente a minha opinião quando terminei de ler o livro. Ótima resenha.


Aisla 03/09/2012minha estante
Voce disse tudo o que eu queria ter dito! Concordo totalmente!! Eu estava com uma boa expectativa com a relação a esse livro de tanto ler as pessoas dando 5 estrelas, mas me decepcionei muito! Que relação é essa???


Elena P. 03/09/2012minha estante
Muito boa a resenha! Concordo em gênero, número e grau!


Rai Lira 04/09/2012minha estante
Fala serio que ainda tem outro???

ai... ai... vou pesar se vou ler!

Concordo com tudo que você disse! Aqueles "minas" estão me incomodando muitoooo (estou lendo o livro).

:)


Thatyane 04/09/2012minha estante
Gostei da sua resenha... também achei isso, achei a Abby muito infantil, foge de tudo e não sabe se comunicar. A escrito quis encher linguiça com brigas muito infantis... nada de amadurecimento no livro... Travis passa de um cara que não quer se envolver com uma mulher para um cara totalmento obcecado de até acabar se humilhando na frente dos outros (isso é patetico). A Abby passa de uma menina recatada para uma mulher sexy que todos os homens querem.E tem varias outras coisas ridiculas.


Letícia 09/09/2012minha estante
Estava pensando em ler, mas depois da sua resenha acho melhor não. É exatamente o tipo de livro que eu desprezo.


The Cat 21/09/2012minha estante
Jei e Elena, obrigada!!

Aisla, que ótimo :) É como eu disse, a tensão entre os personagens é bem desenvolvida, mas o tipo de relacionamento é estarrecedor, principalmente se considerarmos que é um livro que tem sido lido por muitas adolescentes!!

Rai, tem sim! A Jamie McGuire até liberou uns trechos no site oficial e no Facebook, dá uma olhada: http://www.jamiemcguire.com/happy-1500/ e http://www.facebook.com/note.php?note_id=255986537836044


The Cat 21/09/2012minha estante
Thatyane, obrigada. Bem isso mesmo, principalmente a descrição da Abby :) Lendo o primeiro capítulo, ela parece uma pessoa, já lendo os dela na escola com o Parker, o Travis e o resto da população masculina, ela parece outra, e não tem suavidade alguma nessa mudança... parece que são personagens distintas!!

Letícia, se resolver ler, me conta a sua opinião!! Realmente, tem muito lançamento melhor por aí...


Gabi 28/09/2012minha estante
Aêêê! Achei que eu devia ter algum problema por não ter gostado tanto do tão falado/elogiado/viciante Belo Desastre. Hahaha. Confesso que por mais clichê que o início seja, eu até tava gostando. Mas lá pela metade o livro fica muito mimimi, muito meloso. Não sei se contribui também a minha total descrença nesses romances do tipo "Te conheci ontem e hoje você é o amor da minha vida, te amo pra sempre, não sei viver sem voê!"... Uauhushau. Enfim. Não curti muito, não.

Ah! E super concordo com vc: o Finch é o melhor personagem do livro!


Camilla 28/09/2012minha estante
caramba, uma resenha muito boa, e a amiga Gabi aqui que disse que foi meloso no meio tem toda razão! mesmo nao gostando continuei lendo... haha


Silvia 30/09/2012minha estante
As tuas resenhas são ótimas, amei parabéns. Como diz um ditado "vc escreve com o útero"


Naty 01/11/2012minha estante
nossa, assino embaixo!
exatamente tudo que eu pensei do livro.


Maria Fernanda 08/01/2013minha estante
Tenho que concordar contigo em cada palavra. Admito que o início do livro é ate legalzinho (apesar de partes altamente irritantes, como vc disse, o cara passa de um bad boy pra um principe encantado absolutamente do nada!)...
mesmo assim, ainda achei o livro agradável até aquela parte que ele vai de madrugada na casa dela e pede ela em namoro. Pronto, o livro deveria ter acabado alí. Mas não, a autora vai e começa a inventar coisas sem pé nem cabeça, um romance altamente doentio e possessivo, cuja unica coisa que salvou pra mim é quando ela vai pra casa do pai com ele no dia de ação de graças. Sinceramente, nem tenho vontade de ler Walking Disaster...


Janes 27/01/2013minha estante
Decepcionante mesmo, até que tive uma esperança nas primeiras páginas..mas o livro é horrivelmente previsível .... =/ chateada


26/02/2013minha estante
Que bom ler essa resenha,porque eu não gostei nem um pouco do livro,chato,tedioso,estava me sentindo de outro planeta porque a maioria absoluta das pessoas idolatra o livro e eu torci para o fim chegar logo!


Vivian 23/05/2013minha estante
Nossa é isso tudo q vc escrevel e mas um pouco, livro bobo de mas, não tem nem história direito, pq eles escrevem essas histórias com essas mulheres chatinhas? fico me perguntando isso, a única q é "normal" e a Eva de toda sua.


Cris 12/06/2013minha estante
ESCREVEU TUDO!! e põe beberrona nisso! hahahahh


Marcelle 20/06/2013minha estante
kkkk adorei o seu Maddox
e sua resenha também :)


Camila F 25/07/2013minha estante
"Quem gostou de Sussurro E Cinquenta Tons de Cinza"? Sério isso? Irmão Caçula de Cinquenta Tons de Cinza? O livro não tem NADA a ver com a história dele, pelo amor de DEUS! Só porque o livro contém algumas cenas de sexo não gira em torno disso! Pra quem quiser ler, queria deixar claro que diferente dessas opiniões, a autora procurou construir uma história relacionada a mudança de Travis e criou mil e um problemas pra não ser a mesma história chata e maçante que é Cinquenta Tons de Cinza e PRINCIPALMENTE Sussurro. PS: graças a Deus pela existência de opiniões diferentes.


Carol 28/07/2013minha estante
Quando eu peguei esse livro e li a sinopse pensei: "OMG! Isso vai ser interessante" Mas aí comecei a ler e... puff. A história tinha TUDO para ser boa, mas o jeito que a autora desenvolveu estragou. Não digo que é um livro ruim, mas do jeito que as coisas foram acontecendo, ficou algo forçado, rápido demais, e isso acabou com quase toda a expectativa que tive ao ler a sinopse.


Traduções PG 29/07/2013minha estante
Nossa, to lendo esse livro porque comparam muito ele com Thoughtless da S.C Stephens, mas na verdade prefiro mil vezes o livro da Stephens, mesmo ele sendo exagerado pelo número de páginas. Achei que a autora de Belo Desastre não consegue formar aquela tensão sexual e o desejo que a Stephens conseguia e MUITO. Eu nunca sei o que se passa da cabeça da Abs, ela não parece sentir atração sexual por ninguém e é muito murchinha. Ainda não terminei o livro, mas de cara prefiro Thoughtless, que apesar se ter mais páginas que o suficiente me fez ter uma montanha russa de emoções e isso poucos livros conheguem fazer.


Paula 13/08/2013minha estante
Concordo com cada palavra, exceto na suas boas expectativas quanto ao segundo livro. Não consigo imaginar tortura maior do que ler outra versão dessa baboseira toda...


Lanna 12/09/2013minha estante
Ah se eu tivesse lido sua resenha antes de comprar esse livro! Todo mundo me falou maravilhas desse livro, aí eu comprei. Agora, não estou conseguindo nem terminar de ler... Personagens mal construídos que só se encaixam na vida real se o casal tiver problemas psicológicos, porque os personagens mudam de opinião e têm atitudes muito infantis. Só digo duas coisas: é realmente um belo desastre e eu gastei dinheiro à toa.


Danielle 23/09/2013minha estante
Adorei a sua resenha!!! Eu dei 4 estrelas para o livro por pura generosidade. Achei o Travis realmente sexy, mas só até ele virar capacho da Abby. Depois virou apenas um gostoso cordeirinho... E a Abby gente! Totalmente diferente da sinopse! O casal Mare e Shepley: fofos, mas parece que só viviam em função do casal principal do livro. Mas o pior de tudo pra mim foi o final do livro. Spoiler a partir daqui. Que maneira mais ridícula de terminar um livro até então super leve com um incêndio no qual morrem diversas pessoas e a Abby e o Travis simplesmente saem disso e vão casar em Vegas felizes da vida!!! Pra que dar esse tom trágico matando tantos universitários se isso não seria um dos pilares do livro???!!! Horrível...


Fer 01/10/2013minha estante
Concordo com o comentário sobre Finch, ele é o melhor. Eu acho duas estrelas um pouco radical demais, o livro não é ruim.
O Travis começa ficar insuportável, vc se apaixona por um personagem e no final do livro ele se tornou outro. E o passado da Abby me decepcionou, eu esperava algo muito 'wow' e no fim não era nada demais. Mesmo assim o livro não fica chato. Todo livro tem seus pontos fracos.
E não sei onde esse livro pode ser comparado a 50 Tons, muito menos pra quem gostou de Sussurro.


gab 04/10/2013minha estante
Nossa, que resenha! voce tirou tudo o que eu estava pensando do livro e colocou aqui.


Lee Cavalcante 17/10/2013minha estante
Cara, amei sua resenha. Disse tudo que eu acho, só que eu acrescentaria o machismo explicito e o Travis possessivo (ODEIO). Só acho esse livro suportável até por volta da página 180.


Denise 01/11/2013minha estante
Vi a sinopse e fiquei super ansiosa pra ler. Daí vi sua resenha... Desisti. Rsrsrs mas é bom vc ter alertado, assim não perco tempo


Bianca 28/11/2013minha estante
Meu Deus, eu AMEI O LIVRO, li em dois dias e meio, e fiquei ate tarde da noite pra terminar de ler porque eu simplesmente não conseguia parar! Sim, fiquei com raiva da Abby e fiquei com raiva do Travis, mas mesmo assim me apaixonei por ele(s) logo depois kkk
Sinceramente, não entendi o porquê de tanta gente criticando um dos meus livros favoritos. Enfim, opiniões e mais opiniões...


Thay 28/11/2013minha estante
Tanta gente comentando sobre o livro e me dizendo " Leia imediatamente" li a sinopse e fiquei até com vontadede ler, graças aos céus li sua resenha antes porque né ahsuiasio


Giovanna 21/12/2013minha estante
Concordo plenamente! Li e terminei só porque tinha começado mesmo, enfim, não recomendo. Fiquei com raiva dos personagens e das justificativas idiotas para o que faziam aff..


Blair Boo 29/12/2013minha estante
Eu to lendo o livro e de repente fiquei me achando estranha porque, apesar de todo mundo amar, to achando a historia forçada, estranha e sem nexo nenhum. Sinto como se a autora tivesse juntado todos os personagens masculinos num só, mexido e tirado um tipo meio psicotico sem personalidade definida. Tua resenha me tirou o peso dos ombros, porque então não tô tão errada assim hahaha


Gabbs 02/01/2014minha estante
Eu li Belo Desastre exatamente pela sinopse. No inicio achei lindo, fiquei achando uma graça. Mas, é como você disse, Travis realmente assusta com esse ciúme doentio, e o mais estranho é a Abby deixar isso rolar. Sobre a coisa típica letra b, eu achei que era única que tinha achado isso, por que será que a Abby tem que ser tão perfeita? Por que diabos todos os caras querem pegar ela? E a cena High School Musical me deixou ainda mais complexada, como é que um cara todo "badboy"começa a cantar no refeitório e ninguém, NINGUÉM, acha estranho? Quanto ao Finch, um fofo!


Géssica 10/01/2014minha estante
Só descordo da parte em que você recomenda pra quem gostou de Sussurro.


The Cat 27/01/2014minha estante
Géssica, Sussuro E 50 Tons (os dois, não um ou outro) =)


Leila 20/02/2014minha estante
Eu odiei que vc falou mal do livro porque eu gostei dele mas tenho que concordar com vc em tudo. Parabéns pela resenha!


Ana Claudia Car 06/03/2014minha estante
Eu amei o livro, e confesso que dei uma enrolada para ter o prazer de lê lo mais um pouquinho...
a história divertida, os personagens bem descritos, o secundários também são bem interessantes.
a abby, é uma mocinhas as avessas , já que se demonstrou bem complicadinha... e o travis..ah o travis... eu me apaixonei por ele, e os dois juntos são realmente um belo de um desastre.


Bruna 08/05/2014minha estante
Não é ruim, porém esperava mais do livro.


Aline 08/05/2014minha estante
Alguem lúcida! kkkkkk
Realmente, livro tosco. As meninas tem que parar de quererem para si este tipo de "romance". Cruuuzes


Karla Cunha 05/07/2014minha estante
Esse livro é realmente terrível, e Finch é o único personagem bom. Ela é uma personagem tão estúpida... não consigo nem falar o quanto esse livro é ruim.


Lily205 08/07/2014minha estante
Esse livro é muito fraquinho, sua resenha diz tudo, concordo plenamente. Ah! Se eu pudesse pegar meu dinheiro devolta...


Darleny Tavares 23/07/2014minha estante
Falou tudo! Achei o livro uma merda. kk


Lu_sJesus 05/08/2014minha estante
droga!por que não vi essa resenha antes de gastar meu dinheiro e tempo?!?
concordo com tudo que você pontuou na sua resenha, ou seja, o livro eh um belo desastre mesmo rsrrss
a vontade que tive de matar alguém (a autora, a chata da abby - só pelo fato dela ser muito chata mesmo - e o insano do travis) a cada "beija-flor" e "mina" lido ¬¬'
eu ateh tentei dar uma chance para ela, a autora, se redimir no outro "desastre" versão maddox, mas não consegui ler mais que dois ou três capítulos: ele eh mais chato ainda, o cara eh mais "psicótico" ainda rsrrs
e, nossa, você foi mesmo bem otimista quando disse que essa horrorosidade poderia virar um "anna e o beijo francês". rsrs
só discordo da recomendação para quem gostou de "sussurro", pq eu gostei muito de "sussurro" e não achei jeito de comparar e/ou gostar desse livro.


Mely 30/10/2014minha estante
O Livro é bom para distrair. Também dei duas estrelas e um lamento quando vi que tinha continuação :|


Mari 26/11/2014minha estante
Ainda bem que li a sua resenha. E eu achando que era a única que estava achando esse livro uma porcaria.
Confesso que no começo (bem no começo mesmo), estava achando o livro legal, mas conforme fui lendo comecei a me decepcionar. Mas especificamente depois que eles começaram a se envolver de verdade que o livro caiu totalmente no meu conceito.
Ainda não terminei de ler, no momento estou no capítulo 14, mas confesso que não aguento mais. Estou lendo mais para terminar, pois não gosto de abandonar (A não ser que odeie mesmo o livro).
E concordo com você, o Finch é o melhor personagem do livro! Gosto da America e do Shepley, mas não ao ponto de dizer que eles "salvam" o livro.

* É um saco ele chamando ela de "beija-flor" toda hora.
* Claro, o maior pegador da faculdade, do nada, se apaixona por um garota que aparentemente não tem nada de mais. E se mostra um completo ciumento, e doido ao ponto de fazer um tatuagem com o nome dela.
* Confesso que estava gostando do "affair" entre o Parker e a Abby. Mas não, ela tinha que deixá-lo para ficar com o Travis. O cara que pega geral na faculdade, que as demais garotas babam. E a Abby, claro, acaba virando a exceção dele (GENTE, ISSO NÃO EXISTE NA VIDA REAL!)
* E Parker tem toda a razão quando falou que os dois se merecem.




spoiler visualizar
Jei 07/08/2012minha estante
Adorei a resenha! Parabéns.


Gabriela Garcia 08/08/2012minha estante
O_O vou passar esse livro... ótima resenha.


Drica 16/09/2012minha estante
Era fic de qual?e realmente,surgiu uma onde de fanfic virar livro,nada contra,leio até muito kkkkk,e boa resenha,até achei meio engraçada algumas partes


Vivian Pitança 18/03/2013minha estante
Não sei se você é mal compreendida, mas sua interpretação do livro foi em alguns pontos. Preste atenção e se informe antes de falar. Belo Desastre nunca foi fanfic.
Grata.


Leticia 22/03/2013minha estante
Foi fic sim! Pesquise mais Vivan! De Crepusculo ainda!


Thais 03/04/2013minha estante
A-D-O-R-E-I sua resenha, simplesmente exemplifica tudo que senti lendo o livro.


Emily 31/05/2013minha estante
Exato! Achei muito forçadas as situações e o livro é longo demais pra pouca coisa, dava pra ter descrito tudo em metade de páginas.


Marcelle 20/06/2013minha estante
adorei kkkk
o que você disse sobre a aposta deles é o que eu penso desde sempre, por isso que nem quis ler esse livro. Não parece que ela tá se prostituindo? tipo "Se você não conseguir passar um mês sem sexo pode passar um mês comigo" rs

5) Travis Maddox é o mais novo crush literário e todas querem o seu corpo nu. Bom, se vocês aceitarem um namorado que pega qualquer uma que vê pela frente, que na primeira briga se acaba numa garrafa de wisky, violento e que não se importa com os outros, OK! vocês acharam o seu par perfeito.
isso faz eu perder a fé na humanidade. Como ainda tem mulheres que gostam desse tipo de homem, um homem que ainda persegue e bate nela? como vc disse depois
agora sim que não quero ler meeeesmo esse livro


Dana. 08/07/2013minha estante
É um livro legal pra ler se você não tem nada pra fazer e tal mas parece que não acaba nunca! A história fica sempre um mesmo clichê que cansa, até a metade do livro eu tava amando mas depois fica muito forçado!


Drica 27/07/2013minha estante
Sinceramente,não vi esse desastre todo que era a relação deles,"aaaah,ela é santa,ele é bad boy",o casal em sim não é tudo isso e a Abby é muitoooo chata,acredito que por causa dessa "santidade" forçada.Bom,só li a metade e não posso falar do livro todo,mas que não vi tudo isso que falam,eu não.


Rebeca 08/09/2013minha estante
apenas uma coisa: melhor resenha de todas, ri demais aqui, você falou tudo que eu estava querendo falar. Mas o que mais me irritou foi o tal do "beija-flor" cara que droga de beija flor a cada frase tinha isso, meu deus do céu me irritou muito! Ah, e o Travis é um doido, tipo, literalmente na minha opinião.
Sua resenha falou tudo!


Danielle 23/09/2013minha estante
Hahahhahahahahahahahahahahahahaha! Morri rindo quando vc compara o Travis a um jumper! kkkkkkkkk Ótima resenha!!!


Dri 02/01/2014minha estante
A sinopse não está errada, é apenas para quem ainda não leu o livro, pensar que a Abby é uma santa.


Leila 20/02/2014minha estante
kkkkkkkkkkk ri muito com sua resenha


O que tem na no 08/07/2014minha estante
O mundo não está perdido, ainda existem pessoas que pensam sobre as histórias!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Deh 10/09/2014minha estante
Adorei a resenha! rsrsrs
Só faltou citar a America, mui amiga da Abby, que deu um belo tapa na cara do Travis aaff... Tanta coisa sem sentido gente!




Blog MVL - Nina 04/08/2012

Se você está cansado de romances água com açúcar entre vampiros e humanos, mocinhas boazinhas que vão para o céu, e heróis que nunca parecem reais o suficiente, Belo Desastre é a leitura indicada para você.

New Adult. Essa faixa-etária literária já existe há bastante tempo, mas vem sendo cada vez mais popularizada nos EUA no último ano. Muitos leitores serão surpreendidos pela linguagem explícita da narrativa de Belo Desastre. Cenas de sexo descritivas, jovens ingerindo álcool, palavrões e personagens mais adultos que nos afamados YA (jovens adultos). Jamie Mcguire não escreve YA em Belo Desastre e sim New Adult, onde os leitores são introduzidos a uma trama climatizada na universidade, com conflitos que se aproximam mais dos jovens que já terminaram o ensino médio. O gênero ainda é recente por aqui, e a Verus está dando o pontapé inicial ao trazer o livro para o Brasil. O enredo apresenta a protagonista de dezenove anos Abby e o seu romance conturbado com o bad boy do campus, Travis Maddox. A princípio ela parece ser a garota certinha, que faz seus deveres, usa roupas sóbrias, mas logo nas primeiras dez páginas é evidente que Abby tem mais em comum com Travis do que podemos imaginar ao ler a sinopse do livro.

Como diria Nora Roberts, a rainha do romance, pelo menos uma vez na vida uma mulher deve ter uma experiência com um lobo mau. Mais conhecido em Belo Desastre como Travis Maddox. Ok, eu não vou tentar transformar essa resenha em um desabafo dos meus hormônios femininos em reação ao protagonista do livro. Só achei que seria interessante começar dizendo que o Travis não é o seu herói convencional, na verdade, ele não é nem o anti-herói convencional. O romance entre Abby e Travis é disfuncional, ele é possessivo, protetor e controlador ao extremo. Travis não teve uma infância fácil, ele cresceu em um lar lotado de irmãos e um pai agressivo. Não existia um equilíbrio feminino para suavizar os instintos dos garotos Maddox.

Travis e Abby dançam em volta um do outro. E nem preciso dizer que os movimentos da dança são altamente divertidos para o leitor. As guerrinhas de poder, os flertes e as provocações típicas de quando encontramos alguém que está à altura dessas pré-eliminares. Não é amor juvenil, é intenso, é erótico...é coisa de gente adulta. Tanto que ambos os personagens estão na universidade, nada de High School por aqui. As bebidas alcoólicas e as violentas lutas de Travis também ajudam a formar o aspecto maduro do enredo. New adult, lembra?

Seria lindo e utópico se as pessoas chegassem uma às outras sem bagagens emocionais e vícios de comportamento. Seria lindo também que o socialismo fosse uma realidade viável, que o oriente médio estabelecesse a paz e que os políticos não fossem canalhas mentirosos...Mas de fato, nada disso é verdade. Então nós aceitamos que o universo funciona de certa forma e fazemos o melhor que podemos. O Travis é um personagem complexo porque suas peculiaridades são tridimensionais, ele afeta profundamente os leitores, essa é maldição e benção do protagonista. Seu temperamento pode ser assustador, sua possessividade é sufocante, mas seu caráter leal, seu comprometimento com a felicidade e o bem-estar de Abby é o que faz milhares de leitoras suspirarem. No fim, ambos os protagonistas se tornam pessoas melhores por causa do amor que compartilham. Abby para de fugir de seu passado e abre o coração para novos sentimentos, e Tavis compreende o valor de conhecer alguém que é mais do que apenas algumas horas de prazer no sofá.

Muitas obras, até mesmo clássicos, foram julgadas pela natureza violenta de seus personagens. Incluindo O Morro dos Ventos Uivantes que possui uma das histórias de amor mais conturbadas de toda a literatura, e assim como Cathy e Heathcliff, Abby e Travis não são problemáticos por influencias exteriores. Sozinhos eles são pessoas comuns, clichês da sociedade, o problema é quando há a soma dessas duas individualidades. A essência de ambos é complexa e juntos eles beiram a insanidade. Os leitores do blog sabem que O Morro dos Ventos Uivantes é o meu livro favorito, e que o amor sem limites de Heathcliff é o que no meu mundo faz todo sentido.Por isso, para mim, Travis e Abby também fazem todo sentido. O que isso diz sobre a minha personalidade, ou sobre o livro, fica a cargo dos psicólogos julgarem. Mas vale a pena dizer que o livro é um sucesso mundial, então acho que não sou a única louca nesse mundo. E quer saber de uma coisa? Já tive o suficiente do aceitável...vamos conhecer o politicamente incorreto agora.

Angústia, paixão, violência e ciúme. Já que é para contar uma história de amor, que ela seja poderosa, que leve o leitor em uma viagem tumultuada e intensa, que nos tire da zona de conforto e é claro, que cause muitos arrepios e tremedeiras.

"Pertenço à minha amada, e minha amada pertence a mim." - Travis Maddox

Marina Moura | www.minhavidaporumlivro.com.br/
Marina 03/10/2013minha estante
Concordo com vc! É uma história de amor conturbada e acho que por isso mais realista. Me identifiquei com os personagens e com o relacionamento dos dois, pois o meu tb é um pouco conturbado. Como vc disse: "Sozinhos eles são pessoas comuns, clichês da sociedade, o problema é quando há a soma dessas duas individualidades." Exatamente o que acontece nos meu caso... Então adorei o livro! rs




Rafael Palone 28/12/2012

Antes de desenvolver minha resenha, eu quero deixar algo bem claro, e vai ser isso que provavelmente vai fazer minha resenha ter vários unlikes: Eu não gostei desse livro. Mas, de maneira alguma, o meu desgosto por esse livro, significa que esse livro seja ruim, apenas não se enquadra com o estilo que eu gosto, tanto em gênero, como em escrita e na estilização do livro. Por favor, essa é uma rede social de leitores e pessoas cultas, tenham cabeça aberta para ouvir a opinião alheia e não arranjem briga por motivos tão tontos.

Eu sinceramente não sei o que me levou a ler esse livro, acho que foi a capa que me atraiu e acabei trazendo ele para a minha casa. Quando comecei a ler esse livro, eu até que achei legalzinho, mas conforme a história foi se desenvolvendo, eu não conseguia acreditar no tanto de pessoas que gostaram desse livro, então fiquei procurando por uma explicação convincente para definir o porque esse livro me desagradou tanto e a mais provável que eu achei foi: Sou um menino. Os outros meninos que leem esse livro que me desculpem, mas temos que concordar que é um livro completamente feminino. Esse universo de problemas amorosos, abdomens definidos e dramas descontrolados em que a protagonista, Abby Abernathy (que, por sinal, é uma das personagens mais chatas que eu já conheci!) está inserida, definitivamente não combina com o estilo de livro que eu estou acostumado e que eu gosto.

Enquanto eu lia o livro, eu tive a impressão de que estava lendo uma fanfic. A estória não tem começo, meio e fim. Ela simplesmente vai acontecendo, foi como se a escritora tivesse escrito a la Zeca Pagodinho. Falou assim "deixo a vida me levar" e foi escrevendo, conforme tinha uma ideia, ela já colocava na história (inclusive o final que, para mim, foi ridículo!), isso sem contar aquela parte High School Musical que eu me recuso a fazer qualquer comentário a respeito. Muita coisa acontece de repente, muita coisa muda de repente e muitos acontecimentos são extremamente previsíveis. Isso sem contar os milhares de momentos em que eu pensava "NOSSA, SE ACONTECER ISSO A HISTÓRIA VAI FICAR MUITO FODA" e acontecia exatamente o contrário, deixando o momento previsível, chato e broxante.

Os personagens não foram bem apresentados, e acho que essa falta de caracterização para cada personagem fez com que eles parecessem tão "bipolares" com as mudanças de atitudes repentinas. Ainda não consigo definir a Abby, deve ser por isso que eu achei ela tão chata. Os personagens são inconstantes e as situações são tão monótomas que me irritou demais. O Travis é extremamente esquisito, é compreensível que ele esteja apaixonado, mas essa paixão que surge da noite para o dia é tão mal criada. Ele se apaixona em um dia e logo já manda embora toda a auto-confiança e seu estilo bad boy, se a autora tivesse persistido um pouco nesse estilo do Travis, talvez a história tivesse sido um pouco mais divertida. Mas, algo eu tenho que elogiar, gostei de como o Travis foi enlouquecendo com a história e, não lembro em que parte que é, que ele diz assim "Eu não dou uma dentro!", eu entrei em desespero junto com ele. Talvez as únicas duas estrelas que consegui oferecer para esse livro, tenham sido pela maneira como a autora desenvolveu o comportamento do Travis. Os outros personagens, America e Shepley, foram completamente inconstantes e irritantes também. E alguns outros personagens surgiam no meio da história, sem nenhuma apresentação, eu ficava completamente perdido, e depois desapareciam.

Eu falei muito mal desse livro na resenha, pois ao não gostar, eu tenho que justificar o que, ao meu ver, não me agradou. Mas, como eu disse no começo, isso de maneira alguma afeta o que o livro É. Apenas afeta o que EU ACHO. E, pelo que eu vi, do ponto de vista, de várias pessoas, é um livro excelente e que vale a pena ser lido. Sei que serão poucos os que concordarão com minha opinião a respeito desse livro, mas só peço que respeitem.

OBS. O livro faz referência e trata o sexo sem camisinha como se fosse algo completamente aceitável. Isso é completamente perigoso, principalmente em uma leitura voltada para adolescentes.
Tamires 29/12/2012minha estante
Concordo com cada palavra. Os meus principais problemas foram:
1º - Não me identifiquei com NENHUM personagem, apenas achei Finch um fofo.
2º - A condução da história que, como vc disse, não tem inicio, meio e fim...ela apenas vai indo, vai indo, vai indo e quando vc vê, acabou!
3º - Os vários momentos "wtf" no livro. Eu cheguei a voltar e a ler alguns trechos surreais de novo para ver se eu tinha lido direito...



Gabriel 30/12/2012minha estante
Valeu pela resenha. Um livro a menos a ter que me decepcionar.


Rafael Palone 31/12/2012minha estante
Nossa Gabriel HAUAHUA Também não é assim cara, tenta ler, quem sabe você gosta!


Dany 04/01/2013minha estante
Eu tenho um pé atrás com esse livro desde que o erótico entrou na moda. Estive com ele em mãos, mas já vi tantas resenhas negativas (bem como positivas) que desisti de lê-lo. Sério, nem eu que sou garota me encanto por um "universo de problemas amorosos, abdomens definidos e dramas descontrolados", sinceramente, como vivo dizendo a minhas amigas atualmente, não tenho mais quinze anos.
Ri muito com a sua resenha, e o último resquíscio de vontade que tenho de fazer a leitura de Belo Desastre é o Travis. Ele cativou até quem não gostou do enredo, mesmo depois de matar de vergonha o Mick Jagger (e os leitores) no refeitório. ;)




Fracky 30/07/2012

Aviso, este livro pode causar sério risco de dependência e lhe deixar sem sono e com olheiras!
Sério, eu virei uma madrugada lendo porque não conseguia desgrudar do livro, eu precisa saber como toda aquela confusão iria desenrolar. Logo, no dia seguinte eu tinha olheiras maiores que as do Drácula – que aliás, não combinam comigo.
Eu me apaixonei por Belo Desastre logo nos primeiros capítulos, mas devo dizer, tem muuuuito drama. Mas não é um drama nhenhenhe, é um drama WOW. Com diálogos verdadeiros, palavras fortes, brigas e sexo. O tipo de livro que você sente as emoções dos personagens, e eu me rendi viciada nessa trama.

Travis é possessivo, briguento, ciumento e temperamental, e eu sei, eu deveria odiar o fato dele ser tão controlador, mas não pude evitar me apaixonar por ele. Ele é tão sexy com aquelas tatuagens pilotando uma Harley.

Abby está tentando esquecer os problemas do passado, e por isso ela muda de cidade para fazer faculdade em um lugar que é totalmente desconhecida. Travis era exatamente o tipo de problema que ela deveria evitar, mas a atração é inevitável.

Houve momentos que eu queria dar um soco no Travis por não dizer logo o que estava pensando e em outros eu queria socar a Abby por ficar sempre em cima do muro. Eu nunca li sobre um casal tão confuso e instável.

Leia a resenha completa: http://www.fracky.com.br/2012/30/07/belo-desastre-de-jamie-mcguire/
Georgia 31/07/2012minha estante
Fracky, quando li a sua resenha me identifiquei logo, pois aconteceu comigo exatamente a mesma coisa. rsrs
O livro é viciante e eu não conseguia parar de ler. No final, fiquei com vários sentimentos como: alegria, surpresa, odio, amor e tristeza. Pq.? Porque tinha terminado o livro. Vai ser difícil eu ter esses sentimentos por outro livro. Para mim, foi o melhor livro que li até agora.


sandy 14/09/2012minha estante
Adorei mesmo, viciante é pouco ,esse livro conseguiu me prender na sua historia completamente;...e daí que que os personagens são estéorotipados ,A HISTORIA É MUITO BOA MESMO....essa gente reclama de tudo quando uma historia é fantasiosa demais ,quando uma historia mostra sentimentos complexos do ser humano ... não sei viu esse povo fica feliz quando em posso saber? Fuck@$##$RFR# EU AMEI O LIVRO!!!!!!


Andressa 27/07/2013minha estante
Eu tbm me apaixonei por esse livro! No segundo capítulo eu já estava entregue. Li ele em 3 dias! E o Maddox...nossa!!!! Sem comentários!


Marina 03/10/2013minha estante
Nossa, virei a noite tb! rs




spoiler visualizar
Fernanda 20/03/2013minha estante
Concordo TOTALMENTE com você. Travis Maddox é um louco-psicopata-possessivo e que, ao meu ver, bate em mulheres. Fugiria de homens como ele. E a Abby é submissa, vamos combinar, ne?! To pensando seriamente se continuo a leitura desse livro tão angustiante. AFF.


Thais 20/03/2013minha estante
Eu ainda li até o final Nanda, pra evitar que me dissessem que eu estou julgando sem conhecer... Mas realmente não me acrescentou em nada, poderia ter gasto meu tempo de maneira melhor :s


Ray 25/03/2013minha estante
Ufa, enfim uma resenha que expressa o que senti ao ler. Sei que gosto é gosto, mas não entendo como esse livro tem tantas estrelas.


Drica 26/03/2013minha estante
Você disse exatamente tudo o que eu senti lendo esse livro. Travis é um louco e um doente e a autora não poderia ter errado mais com esse livro. Sério, fiquei chocada! Como assim as pessoas acham normal esse tipo de comportamento do Travis? Está mais do que na hora das mulheres (eu já enxergo isso claramente) enxergarem que esse tipo de ciúme doentio não é romântico, e, sim, algo perigosíssimo. Senti vergonha alheia por essa autora. Sem comentários.


Karen Alvares 31/03/2013minha estante
Resenha perfeita, concordo com tudo o que disse. Finalmente alguém dizendo o que é esse livro de verdade. Não entendo como ele tem tantas resenhas positivas e tantas estrelas. É um livro muito ruim que trata de uma relação obsessiva entre dois personagens babacas e sem nenhuma profundidade. Detestei essa porcaria. Parabéns pela resenha!


Thais 04/04/2013minha estante
Obrigada meninas, que bom que gostaram :) Também me sentia super deslocada por não ter curtido o livro, mas percebi que não sou a única :D


Samara 28/05/2014minha estante
Concordo com seu ponto de vista, mas acredito que belo desastre possa servir de alerta sobre esse tipo de relacionamento perigoso. Travis me fez lembrar o caso de várias mulheres vítimas de violência doméstica, tudo começa com o ciúme...




Tícia 22/09/2012

Parece contraditório dar 4 estrelas em um livro e impiedosamente meter a ripa como eu vou fazer, mas o fato é que, confirmando minha natureza paradoxal, eu gostei da história.

Em Belo desastre temos Abby (candidata a distúrbio de personalidade múltipla) e Travis (com todos os sinais de transtorno bipolar). Os dois são os protagonistas/antagonistas dessa trama que, segundo me disseram, vem de uma fanfiction de Crepúsculo. Ou seja, qualquer semelhança não é mera coincidência.

Abby iniciou a história como “a” garota sensível com intenções de deixar seu passado turbulento para trás e começar uma nova e tranquila vida na universidade; Travis, por sua vez, iniciou como “o” bad boy pegador que luta em um aspirante a Mortal Kombat, versão universitária.

Não vou entrar em detalhe de sinopse, pelo contrário vou fazer um resumo bem piquininim: Abby a princípio se recusou a se envolver com Travis. Ele viu que ela era diferente e decidiu bancar o amigo. Nesse meio surge Parker, um cara super legal que queria levar Abby a sério.
Ela começa a sair com ele, mas acaba ficando com Travis, termina com Parker, volta pra Travis, termina com Travis, volta pra Parker, termina com Parker, fica com Travis, dança ulahulah, reata com Parvis, termina com America, volta pra Traker e a coisa segue esse ritmo.
Exagerei só um pouco.

Claro que o enredo não é só isso porque deixei de fora muita coisa e, de verdade, gostei da ideia. Mas o problema é que alguns detalhezinhos me incomodaram ou me deixaram com cara de “como me meti nessa?”. Foi exatamente por isso que fiquei oscilando o livro inteiro entre 3 e 4 estrelas e até duas.

Mas o que é que me deixou tão aperreada?
1º: o ambiente.
Tanta festa, bebida, fofoca, tanto vício e tanta irresponsabilidade cansa. No final das contas, eu ficava me perguntando se alguém por ali via algum sentido na vida que não fosse se embebedar e pegar geral.

2º: Abby e Travis.
Embora os dois tenham lados interessantes e até sejam carismáticos, algumas de suas características e ações foram totalmente descabidas e injustificadas.

Travis: fofíssimo. Ama com intensidade e muita coisa que ele faz ou diz, qualquer mulher em sã consciência adoraria ser o seu alvo.
Porém, é um descontrolado que tem seu humor associado à Abby. Se está tudo bem no namoro, ele está ótimo; se acontece alguma coisa ruim, ele berra, quebra tudo, sova algum desavisado e por aí vai.
Parei de contar quantos garotos ele ameaçou, intimidou ou bateu. Se isso foi pra mostrar o quanto ele é bad boy, sinto muito, mas não colou pra mim. Poderia ter sido feito de outra forma.

Já Abby... muito contraditória. Ignorando o velho “não fico com Travis porque ele lembra meu pai” (um argumento válido, mas superficial e extremista nesse caso), vou levar em conta apenas suas atitudes incompreensíveis e estúpidas. Sinta-se à vontade para assinalar a pior (não leia as alternativas se não quiser saber alguns spoilerzinhos):

a) foi insensivelmente sacana com Parker várias vezes, sem que ele merecesse tal tratamento;
b) incitou Travis a bater ou intimidar alguns caras;
c) em público, por diversas vezes, foi leviana, estando muito próxima – me desculpem o termo – a uma puta. Agora, por que ela chamava as outras de vadia, eu não faço ideia já que foi uma em vários momentos;
d) ETC;
e) Todas as alternativas acima.

E olha que deixei de fora vários comportamentos infantis dos personagens, inclusive de América, amiga de Abby, que precisa urgentemente de uma terapia cavalar e de entender que não é a mãe da mocinha.

Certamente o livro seria ótimo se os personagens fossem mais equilibrados. Não que eles sejam ruins, não é isso, tanto é que gostei da história. Eu só acho que a autora exagerou. Tentou mostrar um romance conturbado, mas o que conseguiu foi uma coisa meio louca e imatura.

Mas, ainda assim, contraditoriamente, eu gostei. Está muito longe de entrar na lista dos meus preferidos, mas gostei.
E eu só queria entender o porquê de algumas pessoas terem “surtado” ao ler esse livro. Bem... Mas aí já é questão de gosto, né? E isso, definitivamente, não se discute.

Até que recomendo.

; )

NathaliaGarrido 23/09/2012minha estante
"Parei de contar quantos garotos ele ameaçou, intimidou ou bateu. Se isso foi pra mostrar o quanto ele é bad boy, sinto muito, mas não colou pra mim. Poderia ter sido feito de outra forma." exatamente como eu pensei, chegou uma hora que ele tinha deixado de ser bad boy e começou a ser louco do manicômio hahaa


Tícia 24/09/2012minha estante
POis é, Nathália. Em alguns momentos ele estava mais pra maluco ou bandido do que pra bad boy. A autora errou a mão nesses momentos.


NathaliaGarrido 27/09/2012minha estante
exato, e é impressionante todo mundo achar isso normal, isso não existe no meu mundo não HAHHAHA não aceitaria uma coisa assim, nada bad boy, nada romântico, nada normal haha mirou no bad boy e aceitou no psicopata hahahahaa


Tícia 27/09/2012minha estante
Nathália, no meu mundo tb não existe. kkkk

A autora deveria ter lido Química perfeita da Simone Elkeles e aprendido com Alex Fuentes o que é um bad boy no ponto!


Niely 13/12/2012minha estante
Haha tbm concordo!O Travis está mais para psicopata do que para bad boy. Alias bad boy perfeito é o Alex Fuentes, pois as ações dele até que são justificáveis...


Tícia 13/12/2012minha estante
Niely,
com certeza o Alex Fuentes é o autêntico bad boy. Tuuuuudo de bom! ; )


Rafa 24/12/2012minha estante
Bom como prometido ia só comentar aqui quando terminasse de ler e escrever minha resenha, confesso que quase não consegui escrever uma resenha pro livro, de tão chato que eu achei e depois de quase duas semanas, dois livros lidos finalmente escrevi a resenha (pensando ainda se mando para minha irmã tentar postar no blog ou se jogo direto aqui no skoob) mas o fato é que eu não gostei do livro e acho que a minha e a sua opinião quase batem , só muda o jeito de cada um escrever, mas eu esperava que você tinha escrito muita coisa boa do livro, mas aí que eu me enganei...
agora curto e grosso:
História e fatos corridos, Romance adolescente meia boca, trauma/drama da mocinha chatos e a aposta e bendita aposta que me fez querer ler o livro e que me decepcionou tanto :(
enfim, depois vc Lê minha resenha e me diz o que achou ... beijo
Ah acho que vou postar aqui já ;)


Tícia 24/12/2012minha estante
OI Rafa,
vc esperou que eu tivesse escrito coisas boas? Mas eu escrevi! Eu aconselhei America a ir a um psicólogo! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

"trauma/drama da mocinha chatos e a aposta e bendita aposta que me fez querer ler o livro e que me decepcionou tanto :("
CONCORDO!!!!!!!!!!!!! Foi frustrante, né? A gente esperava uma coisa, mas tudo desandou. Principalmente o caráter da Abby. Ela foi muito inconstante e o Travis meio doido, embora cut cut em muitas partes. Aliás, acho que ele foi o melhor ali.

Vc sabia que tem a continuação, a mesma história só que contada pelo Travis? Acho que será publicado ano que vem.
Vamos ver se terei paciência pra ler. kkkk

bjoooooooooo




spoiler visualizar
CarlaC 23/08/2012minha estante
kkkkkkkkk

Eu fiquei empolgadíssima com a sinopse, mas tem algo que me preocupa nesse livro. É que já ouvi falar que é tipo um "irmão" mais novo de 50 Tons de Cinza. Eu só espero que seja melhor que o dito cujo porque eu achei 50 tons um horror de tão mal escrito. rsrsrs Mesmo assim pretende encarar este.


Rai Lira 04/09/2012minha estante
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... cadê seu espirito romântico Neli??? O Travis detonou? kkkkk

Mocinho lega-lega... e pensar que ainda tem outro livro escrito sob o ponto de vista dele...rsrsrrs

:)


Tha Silva 19/03/2013minha estante
Cada pessoa tem um gosto mesmo . Eu amei esse livro !


Carol 28/04/2014minha estante
tbem não gostei.Achei Travis muito possessivo,encrenqueiro.




Tamires 29/12/2012

Promete muito e cumpre pouco, pouquíssimo.
Confesso que fiquei animada lendo algumas resenhas sobre o livro em questão, a grande maioria estava falando maravilhas sobre ele e então resolvi lê-lo. Decepção.
O que eu encontrei foi uma históra superficial, repetitiva, com personagens superficiais e, em muitos momentos, chatos. Eu tive a sensação de que a autora escreveu com pressa, não se preocupando com detalhes e desenvolvimentos de novas histórias. Os personagens são jogados no livro sem nenhuma apresentação, de repente, do nada, aparece um personagem que some tão repentinamente quanto...depois aparece de novo, fala uma coisa sem sentido, e some. Senti falta de uma apresentação, algo que me fizesse criar uma conexão com os personagens, se não com todos pelo menos com Abby e Travis, o que não aconteceu. Por incrível que pareça o único personagem pelo qual senti alguma empatia foi Finch, ele fez em poucas páginas o que os personagens principais não fizeram na sua maioria.

Sério mesmo que Abby fugiu do pai, não queria nem falar no seu passado, para, no final das contas, o tal dito cujo aparecer, falar meia dúzia de palavras rasas e sumir do nada? A vinda do pai ao seu encontro e a viagem dela para Vegas foi, no final das contas, um artifício para ser criada uma historinha para que os dois pudessem "terminar sem volta", faça o favor! Essa parte da história poderia ter sido tão melhor desenvolvida.

Travis é apresentado como um "bad boy" mas não sei que "bad" que ele é...só porque ele luta em um clube de luta clandestino, tem problemas de temperamento e um apetite sexual acima da média não o faz ser tão má influência como o livro tenta vendê-lo!! De bad boy ele não tem NADA! Ele passa 1/4 do livro se declarando, faz favor! E outra coisa, a sinopse do livro fala que Abby, "não bebe, nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa". Não sei qual livro a pessoa responsável pela sinopse leu, mas com certeza não foi o mesmo que eu. E aquelas doses de tequila e uísque? E as cervejas? E os vertidos curtérrimos? Parece que sabiam que o livro era uma bomba e resolveram "aumentar" um pouco as coisas...vai saber.

A autora corre o tempo todo para tentar "solucionar" o relacionamento de Abby e Travis mas se deu ao trabalho de escrever boa parte de "Satisfaction" no livro desperdiçando um tempo que poderia ser gasto para escrever algo realmente interessante, senti vergonha alheia nessa parte!

E Parker? Que pseudo namorado aceita de boa que sua pseudo namorada viva na mesma casa de seu pseudo amigo com o qual ela tem uma relação pseudo doentia? Tufão made in USA?

No final das contas o livro foi mesmo um belo de um desastre! Dei duas estrelas apenas pelo apelido fofo que Travis deu pra Abby (beija-flor *--*) e por Finch ser tão fofo a ponto de eu querer tê-lo como amigo.
Rafael Palone 27/12/2012minha estante
Eu estou lendo esse livro e estou odiando demais, não consigo acreditar no alto número de avaliações positivas que esse livro está tendo! Ainda bem que tenho alguém que concorda comigo, foi bom ler sua legenda e acho que não merece esse número de unlikes ;)


Tamires 29/12/2012minha estante
Obrigada, Rafa.
As avaliações negativas não me incomodam...cada um tem uma opinião, né?! Mas fico aliviada de ver que tem pessoas que concordam comigo. A ideia do livro é até boa, mas para mim a autora conduziu a história muito, muito mal!
Obrigada pelo comentário! ;)


Maria... 08/01/2013minha estante
Eu também me decepcionei com o livro, no começo, até achei o Travis interessante, mas depois ele foi ficando tão chato, tão ciumento e possessivo que me pareceu meio doentio, e a Abby não gostei dela desde o começo, uma chata que sempre achava uma desculpa para as loucuras do Travis, nem do apelido gostei, o cara repetia tantas vezes "flor" que me irritou


Tamires 08/01/2013minha estante
Pois é, Maria...pois é!


Thais 19/03/2013minha estante
SEm contar que no original, em inglês o apelido da Abby é PIGEON, não beija-flor kkk




Raphaela 04/01/2013

[RESENHA] BELO DESASTRE
RESENHA ESCRITA PARA O BLOG http://equalizedaleitura.blogspot.com.br PROIBIDA COPIA TOTAL OU PARCIAL

Quando eu recebi o kit, fiquei surpresa por que eu não sabia nada a respeito do livro. Veio bem lindo, a capa do livro é intrigante, li a sinopse e pensei: 'pode ser uma boa leitura.' ENGANO. Vi algumas pessoas comentando, dizendo o quanto era bom, que estavam apaixonada por um Travis e pensei: 'Aaaah, esse livro vai ter que que passado na frente na lista dos livros que precisam desesperadamente serem lidos.' Nada do que foi vendido foi aceito por mim. Nada.

Abby chega um pouco como não quer nada. Com America, sua melhor amiga, tenta passar despercibida na universidade. Já Travis é o carinha que pega todas, que primeiramente passa uma aura de maldade friamente calculada e silenciosa e que vê em Abby um desafio, já que a mesma se recusou a sair com ele. Com o intuito de conquista - la e viverem um romance pertubado, ele faz uma proposta: uma aposta. Se Abby perder a aposta tem que ficar um mês vivendo com Travis em seu apartamento. Se Travis perder, terá que ficar um mês sem sexo. Quem ganha?

Eu sei que a minha opinão aqui será marcada pela minoria, mas sinceramente, que pessoa seria eu se não falasse realmente tudo que eu senti lendo esse livro? Belo Desastre tem uma premissa interessante, num primeiro olhar, mas que é totalmente distorcida quando você começa a ler. O caso é que mesmo com todos os problemas que eu encontrei, foi uma leitura rápida e muito simples. Quando eu comecei queria terminar logo para saber como a história se desenvolveria; e depois foi para terminar o mais rápido possível. O comportamente de ambos os personagens é justificado por 'traumas' que não tem fundamento para a atitude posterior fraca e sem noção. São criados vários conflitos superficiais como 'aaaah, não somos bons um para o outro, temos que nos manter afastados', 'somos um desastre juntos' apenas com o intuito de justificar a falta de criatividade da autora de criar algo realmente bem elaborado e aprofundar nos personagens.

Não gostei de nenhum dos personagens do livro, a começar pelo Travis. A autora não conseguiu definir bem a personalidade desse cara, que vai de arrogante e brigão à um romântico incorrigível. As escritoras precisam entender que colocar um cara marrento, tatuado, com o cabelo cortado rente a cabeça não o torna um bado boy! Pelo amor, é tão difícil entender isso?! É necessário muito, muito mais do que isso. E nem venham me dizer que os problemas com a morte da mãe dele são suficientes. Não me convence. É infantil, é estúpido. Outra coisa: ficar entupindo a cara de cachaça, fazendo sexo com qualquer mulher que aparece na sua frente e depois falar pra Beija - Flor (não comentarei também esse apelido ridículo) que é pra esquecê - la/culpa dela, DESCULPA, mas como gostar de um personagem desses? Isso não é ser bad boy. Eu tenho outros nomes para descrever o caráter (ou falta dele, no caso) desse homem.

Já Abby é uma das personagens mais irritáveis que eu encontrei nas minhas leituras. Começa o livro ela sendo uma santinha. No meio do livro ela já está virando 15 doses de tequila - e foi nessa cena que eu finalmente percebi que eu não estava mais compreendendo nada - e no final do livro já é outra pessoa. Não quer sexo - e até me passou uma imagem de virgem -, mas de repente já está agarrada ao Travis, fazendo sexo loucamente pelo apartamento. Como entender uma personalidade dessa?

E aquele final? Eu me recuso a tecer mais comentários a respeito! O mais frívolo final de todos! Eu pensei que fosse algo realmente importante e impactante, mas geeeeeente! Aquelas justificativa para os problemas da Abby é banal! Sem contar que em um momento A Abby e o Travis brigam e se separam e no momento seguinte eles estão muito bem, obrigada em Las Vegas. Reflitam.

Eu consigo compreender a algazarra ao redor do livro. O que me surpreende é a quantidade de resenhas e de pessoas que se apaixonaram pelo Travis. Li muitas garotas dizendo que gostaram tanto do Travis por que já viveram algo parecido (provavelmente choraram, se machucaram, etc, etc. A pergunta que ficou: por quê então, criatura, você está querendo reviver isso novamente, mesmo que em livros?). E a outra metade foi por que queria um cara assim na própria vida (o que me fez perguntar: por quais motivos?) Sinceramente, eu não quero um pseudo bad boy na minha vida (literária ou não). E caso aconteça de um deles se interessarem por mim, que seja muito mais esse superficial Travis Madox, que diz é que muito, mas que eu só vi uma possessividade sem razão, atitudes desenfreadamente estúpidas e um cara sem personalidade.

Belo Desastre foi um desastre realmente. Com uma trama infantil, personagens distorcidos, cenas retiradas do High School Musical, muitos conflitos desnecessários e vazios ficou a sensação que poderia ter sido muito (muito, muito, muito, muito!!) melhor, mas a autora não soube fazer com que isso acontecesse.
Victória 04/01/2013minha estante
"Belo Desastre foi um desastre realmente."
Tudo que eu também acho. Com tanta gente falando bem desse livro, esperava mais dele.


paa m 05/01/2013minha estante
Vou ter que concordar.. esperava muito mais..
E é como vce disse no incio da resenha: "Quando eu comecei queria terminar logo para saber como a história se desenvolveria; e depois foi para terminar o mais rápido possível". Não gostei do livro.


Diana 06/01/2013minha estante
Nossa concordei com tudo que vc falou! Acho que o mérito da escritora, e não sei como ela conseguiu com aquela trama infantil e previsivel, é prender o leitor. Eu li em duas noites, e todo mundo que vejo comentando tbm queria chegar até o final. Não sei se é o desejo de alguma coisa finalmente acontecer. Aquele Parker não existe gente, pulseira de brilhantes, pedidos de desculpas enquanto ela era escrota, um cara rico, bem encaminhado, pq cismou com a Abby gente? E essa coisa do Travis bater nas pessoas como se isso fosse natural, deixando poças de sangue (fora das lutas oficiais mesmo), gente por que as mulheres se excitam com algo assim? Teve uma cena que eu tinha ctz que ele acabaria matando alguém. Fiquei pensando em Crepúsculo, e no quanto não vou chegar perto de 50 tons de cinza, porque pelos comentários que ando lendo deve ser a mesma coisa. Adoro romances água com açúcar, principes másculos, n sei mais o que, mas guardo pras series de banca de jornal, Sabrina, Julia, Bianca.

Enfim amei sua resenha! Compartilho! ;-)


Vinícius 09/01/2013minha estante
"Belo Desastre foi um desastre realmente. Com uma trama infantil, personagens distorcidos, cenas retiradas do High School Musical, muitos conflitos desnecessários e vazios ficou a sensação que poderia ter sido muito (muito, muito, muito, muito!!) melhor, mas a autora não soube fazer com que isso acontecesse."

Concordo plenamente. A melhor resenha para este livro. Não saberia expressar de melhor forma. Parabéns ;)




Cakew 29/01/2013

Um Belo Desastre
A única explicação viável que encontrei para tantas críticas positivas acerca deste livro foi: Travis Maddox. Mas isto não foi um elogio a este personagem, muito pelo contrário. Travis é um cara tão excessivamente fictício que simplesmente não consegui me apaixonar por ele. Ele é o típico caso do bad boy que subitamente tenta se transformar em uma pessoa melhor por causa da mocinha, e esta é o típico caso da garota sem muitos atrativos (tanto físicos quanto intelectuais) mas que por algum motivo chama a atenção e transforma a mente e o coração do cara mais cobiçado e errado da faculdade. Até o final do livro esperei pelo engate da estória, porém, obviamente, o ritmo preguiçoso do início se prolongou por todo o enredo.

Eu realmente gostaria de poder dizer que a ideia era boa mas Jamie Mcguire não soube elaborá-la no papel, porém nem isso. Belo Desastre é um pesado clichê com um enredo extremamente superficial. Abby não é uma protagonista cativante e o relacionamento criado com Travis é ridículo. Fiquei animada para ler ao criar a crença a partir da sinopse e do título do livro de que os problemas enfrentados pelos dois seriam dos mais dramáticos e relevantes, uma vez que ambos são jovens adultos que acabaram de entrar na faculdade; porém a realidade foi contrária. Os personagens centrais discutem pelos mais estúpidos motivos e dão proporções assustadoras e desnecessárias aos mesmos (e, honestamente, muitos dos obstáculos da relação poderiam nem existir, mas a sensação que fica é a de que Jamie Mcguire procurou qualquer mínima e ignorável razão para mostrar como a relação de Travis e Abby é desastrosa), e eu não seria capaz de pensar em algo mais aleatório do que certos elementos que Jamie adicionou ao enredo (o clímax, por exemplo). Abby e Travis são universitários, porém pensam e agem como adolescentes na flor da idade. A relação de America (melhor amiga de Abby) e Shep (melhor amigo de Travis) me foi muito mais interessante e plausível do que a do casal principal.

A minha humilde opinião final é de que Belo Desastre não merece nem metade da repercussão positiva que teve, e realmente espero que este tipo de livro (o clichê-mais-do-que-óbvio) não vire moda. Mas se você ainda possui esperanças sobre este livro, leia-o, pois este é um daqueles famosos "Ame ou Deteste".



gleicepcouto 04/02/2013minha estante
Disse TUDO! Principalmente nesses dois pontos:

"Travis é um cara tão excessivamente fictício que simplesmente não consegui me apaixonar por ele."

"A relação de America (melhor amiga de Abby) e Shep (melhor amigo de Travis) me foi muito mais interessante e plausível do que a do casal principal."

Parabéns pela resenha!




Sandi 15/09/2012

Belo Desastre- Jamie McGuire
Contém spoilers!

Antes de começar essa resenha, gostaria de compartilhar com vocês alguns sintomas e aspectos relacionados ao quadro de amor patológico encontrados em um artigo (1):

* nos estágios iniciais propicia alívio da angústia. O sujeito com a doença acredita que o parceiro é o significado a sua vida.
*comportamento de prestar atenção e cuidados ao parceiro repetidamente e sem controle;
* falta de interesse por outras atividades que antes eram valorizadas;
* ciúme obsessivo e possessividade
* intromissão na vida do parceiro, incluindo horários de atividades particulares (tomar banho, se vestir etc)
* quando o parceiro está distante ocorre taquicardia, insônia e outros sintomas de abstinência.
* atitudes são mantidas mesmo após evidências concretas de que prejudicam o indivíduo

Mantendo em mente o exposto acima, finalmente inicio minha resenha.

Belo Desastre conta a história de Abby, uma universitária "comum", que, em uma luta clandestina nos porões da faculdade, conhece Travis, um típico cara machão e mulherengo. Contra todas as probabilidades, os dois se tornam amigos e, em função de uma aposta, Abby é "obrigada" a passar um mês na casa de Travis. Surge aí uma tensão sexual que sabemos muito bem onde vai dar...

É com uma tristeza enorme que vejo um talento grande de escrita sendo desperdiçado com uma história absurda. Jamie McGuire consegue expressar ritmo e facilidade de escrita, de modo que a leitura é fácil e dinâmica. Porém, não consigo entender a intenção da autora a nos apresentar essa história. Digo isso porque Jamie escreveu algo totalmente doentio, que está sendo tratada por muitos como história de amor.

Ao descrever o relacionamento de Travis e Abby, vemos sintomas claros de um caso de amor patológico, como os expostos no ínicio dessa resenha. Travis é extremamente possessivo e descontrolado, e suas atitudes denotam problemas psicológicos graves. Vejamos alguns exemplos:
- Travis invade o banheiro enquanto Abby está lá dentro; mexe em suas coisas sem consentimento; faz a garota trocar de roupa quando acha que ela está inapropriada; bate ou ameaça outros homens que se aproximam dela; persegue a garota em festas e outros lugares.

Caso simples de ciúme? Acho que não.

Travis chega ao absurdo de destruir sua casa quando a garota vai embora depois deles ficarem juntos. Foi, com certeza, uma das cenas mais absurdas que já li em um livro. Todas essas atitudes são recebidas como normais por Abby. Enquanto ela "finge" se incomodar com os defeitos de Travis, está sempre abandonando seus amigos normais para ficar com ele; ignorando quando ele a trai descaradamente em uma cena nojenta e justificando suas ações, com frases do tipo: "Não se aproxime de Travis hoje, ele está nervoso." Me pergunto: Travis é um cachorro por acaso? Não sabe se controlar? Do tipo, não se aproxime do Rex hoje porque ele está bravo.

Como vi em diversas resenhas, não acredito que esse livro marque apenas um retrocesso em relação aos direitos femininos, conquistados após anos de luta. O que esse livro apresenta de mais grave, é o fato de tratar como normal comportamentos não-saudáveis. Quantas pessoas, atualmente, estão em relacionamentos doentios? Qual é o sofrimento daqueles que são perseguidos e não podem se libertar? E até mesmo, qual a carga emocional e como isso oprime aqueles que estão doentes? Porque o amor patológico, como o nome diz, é uma doença, e assim deve ser tratado corretamente. Jamie McGuire tocou em pontos absurdos nesse livro, mas a reflexão que promoveu é válida.

Outro ponto a se considerar: Jamie McGuire faz apologia ao sexo sem proteção, inclusive com uso do método contraceptivo da tabelinha. Nem preciso comentar sobre isso, não é?

Por fim, realmente não indico esse livro é ninguém. Termino a resenha com uma frase da única pessoa lúcida do livro, que é tratada como idiota pelos protagonistas:

"Você sabe o que é codependência, Abby? Seu namorado é um excelente exemplo disso, o que é bizarro, considerando que ele passou de não ter respeito algum pelas mulheres a achar que precisa de você até para respirar."

(1) SOPHIA, E. C. Amor patológico: aspectos clínicos e de personalidade. São Paulo, 2008.
Rafael Palone 28/12/2012minha estante
Preciso dizer isso e vou ligar até o caps lock: A SUA RESENHA FOI A MELHOR RESENHA QUE EU LI NA MINHA VIDA! Muito boa, muito boa mesmo. Amei! Nunca concordei tanto com alguém antes, eu tinha pensado exatamente a mesma coisa.


Sandi 04/01/2013minha estante
Muito obrigada Rafa ;)


Aline 09/05/2014minha estante
Ótima resenha!sério mesmo.

Me escangalhei de rir no trecho: "Do tipo, não se aproxime do Rex hoje porque ele está bravo"
kkkkkkkkk

também achei isso.


Sandi 14/05/2014minha estante
Obrigada, meninas!




Ju Oliveira 03/08/2012

Irresistível!
Intenso, provocante e sexy! Uma trama viciante, daquelas que te faz perder o sono, literalmente. Não consigo ler muito antes de dormir, logo me bate aquele sono e eu largo o livro. Mas o contrário disso aconteceu quando "Belo desastre" caiu em minhas mãos. Eu perdi o sono, e varei a madrugada lendo cada vez mais empolgada com a história.

Quando Abby mudou-se para uma nova cidade com sua melhor amiga America, tudo o que ela queria era esquecer seu passado obscuro. Mas o desejo de uma vida tranquila, cursando a faculdade onde ninguém a conhecesse, logo foi ameaçado. Abby conhece Travis Maddox, o bad boy da faculdade, todo tatuado e muito briguento. Travis faz parte de um clube de luta clandestino que acontece sob os porões da faculdade. Ele é o melhor e ganha algum dinheiro com suas lutas.

Quando Travis conhece Abby, logo fica encantado por ela. Exatamente pelo fato de ela não cair de amores por ele, como acontece com todas as outras garotas que ele conhece. Abby lhe é totalmente indiferente e Travis é exatamente aquilo o que ela tenta evitar. Ciumento, possessivo e marrento, Travis então lhe propõe uma aposta: Se ele perder, ficará um mês sem sexo, mas se ele ganhar, Abby terá que morar em seu apartamento durante um mês.

Abby aceita a aposta e perde. Então se muda para o seu apartamento. Apesar de Travis ser muito sexy e sedutor, Abby está decidica a não ceder jamais aos seus encantos. Eles se tornam melhores amigos. Mas Travis que jura nunca ter se apaixonado por nenhuma garota está caindo de amores por Abby. E isso o torna ainda mais possessivo e ciumento. Como ele é o cara mais temido da faculdade, acaba espanto os possiveis pretendentes de Abbey.

Todos na faculdade estão perplexos com a mudança do temido Travis Maddox. Ele agora parece um cachorrinho ao lado de Abby. Mas um cachorrinho fofo, daqueles que dá vontade de apertar sabe?

"¬Sabe por que eu te quero? Eu não sabia que estava perdido, até que você me encontrou. Não sabia que estava sozinho até a primeira noite em que passei na minha cama sem você. Você é a única coisa certa na minha vida. Você é o que eu sempre esperei, Beija-flor."

Abby luta dia após dia para controlar seu desejo por Travis. Eles dormem na mesma cama e está cada dia mais difícil resistir a tentação. Sua amiga America, namora o primo de Travis, Shepley. Isso ajuda um pouco na convivência pois os primos moram juntos.

Belo desastre fala de amor, sexo, ciúmes, redenção. A relação de Abby e Travis é tão intensa, com tantos altos e baixos, como nunca antes tinha encontrado na literatura. É tão controversa a atitude de Travis, espancando algum garoto por ter dado em cima de Abby, mas ao mesmo tempo secando as lágrimas de seu rosto com os lábios. Um bad boy romântico, dá pra imaginar?

Apesar de todo o temperamento difícil de Travis, é impossivel não se apaixonar por ele . E apesar de toda a meiguice e delicadeza de Abby (Beija-flor, apelido carinhoso dado por Travis) impossivel não ficar irada com o drama todo que ela faz. Mas é por essas diferenças de personalidades que Abby e Travis são um "Belo desastre" juntos.

Impossível não se apaixonar por esse livro. Indo direto pra lista de Favoritos Recomendadíssimo!
Mais resenhas em: http://juoliveira.com/cantinho
Andrea 03/08/2012minha estante
Tava super curiosa pra saber como traduziram o PIDGE. XD


Gabis 30/08/2012minha estante
Nossa, ótima resenha.
Vi o esse título em uma livraria esses dias e quase fiz uma loucura para compra-lo só de ler a sinopse atrás.
;D


sandy 14/09/2012minha estante
pois é amei esse livro tava precisando ler um livro de meros mortais assim como a gente ...sentimentos complexos príncipe encantado? ...Travis Maddox.... o que dizer irresistível... como não amá-lo ?


Suellen Sanches 18/09/2012minha estante
Simplesmente perfeito, valeu cada segundo de leitura


Renata 18/10/2012minha estante
Eu também adorei o livro!




Carol 15/10/2012

Impossível deixar de ler
Belo Desastre
Jamie Mcguire- Verus
392 Páginas
Belo Desastre é um livro fascinante,realmente Jamie McGuire fez um ótimo trabalho.
Abby é uma boa garota,não fala palavrões,não bebe e tem muuuitos cardigãs em seu armário,sai de sua cidade com sua amiga América querendo fugir e esquecer seu passado sombrio,o que após conhecer em uma luta Travis Maddox um bad- boy muito bad- boy mesmo,tatuado, musculoso e que consegue seu dinheiro lutas em um clube- Que a propósito, sempre vence- sendo apelidado até de Travis "Cachorro- Louco Maddox", primo de Shep namorado de América torna-se impossível...
Estando intrigado com a resistência de Abby, Trav percebe que finalmente encontrou seu verdadeiro amor.
Um enredo que te prende do início ao fim, sem dúvida nenhuma,um dos meu preferidos se não o meu preferido nesse gênero.
Impossível não se apaixonar pela história e o sentimento dos dois, que se mostram "Durões" de mais para assumi-lo até um certo ponto, sendo até orgulhosos- muuuito orgulhosos- Travis se mostra suuuper romântico e completamente apaixonado por Abby... Com muitos obstáculos -muitos mesmos-, Ex,pai,admiradores,inúmeras diferenças...

Enfim em Belo Desastre,Abby e Trav mostram como o amor verdadeiro de ambos pode resistir á tudo isso, mesmo com muitos acontecimentos indo contra. Por culpa da, hiper, mega, super e fofa performance de (I Can't Get No) Satisfaction, de Rolling Stones, pelo Trav no intervalo claro, viciei ainda mais na música, e como todos que gostam de uma boa música, acrescentamos como um ponto positivo o, ótimo gosto musical da autora, não é? haha

E o filme, BD, ao que tudo indica teve seus direitos para as telonas comprados pela Warner, e claro ficamos naquele suspense de, quem vai fazer o Travis?

Belo Desastre vai sim, ter uma continuação, chamada "Walking Disaster", onde a trama será narrada por Travis, tá, você deve estar se perguntando, se é a mesma história qual a diferença? Epa, o Travis vai narrar o livro, está ai a grande diferença! Será lançado em 2013.

A D O R E I toda a família Maddox,os gêmeos,o Trent, Shep... Realmente a Jamie podia fazer uma espécie de conto falando sobre eles, eu particularmente iria adorar.

''- É perigoso precisar tanto assim de alguém. Você está tentando salvar o Travis, e ele espera que você consiga. Vocês dois são um desastre.
Sorrio para o teto.
- Não me importa o que seja ou o porquê. Quando é bom, Kara... é lindo."
comentários(0)comente



Fernanda 25/05/2014

Acho que não sou normal
Fico olhando as leitoras elogiarem esse livro, e eu me pego questionando? EU SOU NORMAL?
Poxa!Dizer que eu odiei,seria um eufemismo da minha parte.mas a mocinha a Abby é um pé no saco, e o cara tipo ruim Travis é um bad boy encrenqueiro,chave de cadeia.Serio, personagem descontrolado,desequilibrado.A historia por trás pode até ser legal.mas o casal principal não ajudou
Lily205 09/06/2014minha estante
Você é normal sim, tb achei o história muito fraca e os personagens nada criativos, um pé no saco mesmo!


Fernanda 10/06/2014minha estante
kkkkkkkkkkkkkkk
bom ouvir isso de alguém.Estava começando a me considerar uma louca Lily.
E vou te contar, eu ganhei o livro BELO CASAMENTO, e esse consegue ser ainda pior que os anteriores, cansativo e repetitivo


Pri Evans 19/09/2014minha estante
Pois é, parece que as mulheres estão procurando serem manchetes do cidade alerta. Pelo amor de deus! Desde quando um relacionamento possessivo e doentio desse é normal?


Fernanda 22/09/2014minha estante
Verdade Pri.
E parece qua quanto mais possessivo é o personagem,mais querido ele se torna.
Gennnnnte pelo amor de Deus,isso é perigoso e doentio.
No momento estamos falando de um personagem,mas na vida real existe muito disso por ai, e na sua maioria.As mulheres são as vitimas, e acabam num caixão




657 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"Quem dedica boa parte de seu tempo livre às ferramentas de rede social, como Orkut e MySpace, tem agora um novo passatempo."

A Notícia