Intruso

Intruso Iain Reid




Resenhas - Intruso


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Jeff.Rodrigues 16/02/2020

Resenha publicada no Leitor Compulsivo
Nem sempre um bom quebra-cabeça literário consegue surpreender os leitores a ponto de se transformar em um livro preferido, entrar para o topo das indicações ou simplesmente arrancar boas exclamações após sua conclusão. A estreia de Iain Reid com Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo foi um desses momentos em que o desfecho se somou a um excelente desenvolvimento para me colocar em sinal de alerta para suas próximas publicações. Mas nem sempre um bom quebra-cabeça dá certo.

Seguindo em parte o estilo que consagrou sua estreia, o canadense buscou embaralhar a percepção dos leitores em Intruso, um romance meio suspense, meio drama e com ares tímidos de ficção científica. A receita não deu muito certo. Talvez porque a história em si não tivesse um bom apelo ou lembrasse, mesmo que de longe, tramas já bem batidas na literatura ou no cinema. O certo é que a agilidade que marcou sua primeira obra perdeu espaço para uma narrativa mais lenta, em alguns pontos confusa, e nem um pouco cativante.

Intruso é um livro que não se preocupa muito com explicações, mesmo que em alguns momentos eu as considerasse fundamentais para angariar um pouco mais de simpatia ou fisgar de vez a curiosidade. A história já começa jogando o mistério na cara dos leitores – um ponto bem positivo.

Em um futuro não muito distante um casal recebe a visita de um sujeito com muito conhecimento sobre a vida deles. Esse cara comunica, vejam bem, que o marido, Junior, foi sorteado para passar um tempo fora do planeta. Não há escolhas. Ele tem que ir. O que nos leva a divagar sobre a possibilidade de um regime autoritário, mas ficamos por isso mesmo. Como disse, certas questões não são exploradas. Mais bizarro que isso, somente o fato de que eles vão colocar uma pessoa para fazer companhia para a esposa, Henrietta, de forma que ela não se sinta sozinha até o retorno do marido. Eles vivem em uma fazenda totalmente isolada, vejam bem. Todas essas bizarrices e situações incomuns prometem uma história da pesada com boas doses de suspense e plot twits, não? Ainda mais pelos antecedentes do autor. Então…

Fato é que Intruso se perdeu pelos caminhos de um personagem, Junior, se preparando para a tal viagem e vivendo ora situações em que se submetia aos comandos do estranho que dava ordens, ora divagando sobre sua vida, seu casamento e sua rotina diária. A promessa de reviravoltas permanece uma promessa. Henrietta é ambígua a ponto de desconfiarmos que virá dela o plot twist. Não vem. Pelo menos não da forma como gostaríamos. E o desfecho traz uma azia ao invés de um soco no estômago. Porque no fim, nós não só esperamos pela conclusão como temos certeza absoluta que será aquilo e que será pra lá de frustrante. Nisso, o livro não decepciona.

Intruso é uma obra que, talvez, tenha sofrido um excesso de expectativas da minha parte tendo em vista que Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo se tornou um dos meus livros favoritos de suspense. Eu esperava muito trama e recebi bem pouco. Por outro lado, faltou sim uma boa consistência na história. Algumas situações se mais exploradas ou com mais explicações poderiam amenizar o desfecho. E a narrativa lenta também não ajudou nem um pouco. Foram vários os capítulos que não acrescentaram nada e soaram como excesso de material para conferir mais páginas a algo que poderia ter sido um conto. É uma boa leitura, mas no conjunto geral, deixa bastante a desejar.

site: http://leitorcompulsivo.com.br/2020/01/13/resenha-intruso-iain-reid/
comentários(0)comente



palavrascruciais 24/04/2020

Aquele clichê, Iain Reid eu leria até sua lista de compras!
Junior e Henrietta vivem uma vida estável em uma fazenda. Suas únicas companhias são as galinhas e os campos de canola, mas, em certa noite, o casal recebe uma visita inusitada do governo. Ao que parece, Junior foi selecionado para um programa excepcional de colonização do espaço. O problema? Ele não se inscreveu para nada. Indeciso sobre o que fazer, tudo piora quando parte da missão envolve nunca, jamais, deixar Hen sozinha. O governo tem um plano impecável, minucioso e bem montado. Tudo está organizado e pronto para eles. Mas, se é tão perfeito, por que Junior não confia em uma palavra do que lhe dizem?

Pra quem acompanha o IG, não é novidade que, no ano passado, me apaixonei pelo Iain Reid. Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo foi um livro que mexeu com todos os meus sentimentos e ganhou em disparado como melhor leitura de 2019. Logo, quando vi que a Rocco lançaria outro livro do autor, mal pude esperar para recebê-lo! A pegada é diferente, mas a essência de Iain está ali e ao terminar de ler, eu mal cabia dentro de mim.

Intruso é um livro intenso da melhor maneira que uma obra poderia ser. Não há diálogos complexos ou descrições confusas, mas em uma única frase, Iain consegue entrar na mente do leitor e fazê-lo, tanto refletir, quanto ansiar para saber o que irá acontecer. Com críticas sobre a maneira como nos relacionamos com as pessoas, ele nos apresenta um casamento fora de sincronia. Dependência e responsabilidade emocional estão presentes na narrativa, levantando questões do que seria um relacionamento saudável.

Junior é um personagem paranóico, enquanto Hen tem ânsia de viver. E acompanhar a trajetória dos dois no meio de toda a incerteza da tal missão foi uma experiência única. O final levou meu queixo ao chão e me fez pensar por horas sobre aqueles personagens. É uma história completa, incrível e visceral. Recomendo muito a leitura.

site: https://www.instagram.com/palavrascruciais/
comentários(0)comente



Gramatura Alta 14/01/2020

http://gramaturaalta.com.br/2020/01/14/resenha-intruso-iain-reid/
A estréia na literatura de ficção do canadiano Iain Reid, aconteceu com seu livro EU ESTOU PENSANDO EM ACABAR COM TUDO (resenha aqui), um thriller psicológico que causou um burburinho entre os leitores, principalmente pela narrativa sufocante, opressora, carregada de inconsistências, até que se chega ao clímax e se descobre que foi tudo proposital, uma consequência do mistério da história.


Neste segundo romance, INTRUSO, a narrativa não é tão densa e confusa, mas Reid mantém as inconsistências, aqueles detalhes que parecem fora do lugar, os indícios de algo não está totalmente correto. Os dois personagens, Junior e Henrietta, ou Hen, moram em uma fazenda afastada do centro urbano. O único local perto é uma pequena cidade, onde os dois trabalham, cada um em sua profissão. Em paralelo, eles cuidam da fazenda da forma que podem.

Tudo corre dentro da normalidade de uma vida sem surpresas, pacata, até a chegada de Terrance, um homem estranho, cheio de segredos, funcionário do governo, que traz a notícia de que Junior foi inserido em uma seleção de pessoas para, talvez, viajar ao espaço em uma missão que pode ser vital para o futuro da humanidade. Terrance ainda não pode dar a certeza de que Junior será um dos escolhidos, por isso precisa retornar nos próximos meses, várias vezes, para realizar diversos testes, acompanhar a vida do casal e informar como anda o avanço da seleção.

Entretanto, Terrance informa que apenas Junior poderá ir, Hen terá que ficar para trás. Como é uma missão que pode levar até dois anos para ser concluída, um tempo demasiado longo para uma pessoa ficar sozinha e ainda mais com a responsabilidade de trabalhar e cuidar de uma fazenda, o governo irá deixar um androide no lugar de Junior, que terá todas as suas características físicas e um comportamento o mais próximo possível do Junior original, com a função de ajudar Hen nas suas tarefas, além de também servir de companhia.

Junior e Hen acham tudo muito estranho, principalmente Junior, que não aceita, de início, a ideia da presença de uma máquina no seu lugar. Entretanto, aos poucos, Hen se mostra mais receptiva, além de criar uma certa relação mais privada com Terrance, conforme este aumenta o número de visitas na fazenda e se aproxima o dia do resultado final, quando Junior será informado se passou em todos os testes e realmente irá participar da missão espacial.

Embora Terrance seja um personagem dúbio, de quem nunca se tem realmente certeza das intenções, e também por seu comportamento sempre equilibrado, cheio de amabilidades excessivas, quem realmente deixa o leitor confuso é Hen. Ela parece ter uma relação bipolar com Junior. Em momentos, principalmente no início da história, ela se comporta de forma fria, distante, chegando a pedir para Junior dormir em outro cômodo da casa, sem qualquer motivo aparente, como se eles tivessem discutido, mas sem realmente acontecer. Em outros momentos, ela demonstra um enorme amor por Junior, é compreensiva, consegue dividir com ele seus receios quanto à presença de Terrance e a missão do governo. E em outros momentos, ela fica de segredos com Terrance, conversas mantidas longe dos ouvidos de Junior, como se ela já conhecesse Terrance.

Junior é o personagem mais constante, que se mantém equilibrado e se iguala ao leitor nas partes de tentar compreender o que está realmente acontecendo. Junior e o leitor sabem que algo está errado. A desconfiança sobre Terrance é a mesma, as dúvidas que Junior vai levantando durante a história, são as mesmas que o leitor consegue levantar. A confusão diante do comportamento de Hen também são as mesmas. Junior é, de certa forma, a visão do leitor diante de tudo o que acontece. E conforme ele descobre pistas que o levam em uma direção de desvendar as reais intenções de Terrance, a surpresa que ele recebe é a mesma que nós recebemos. E isso cria uma enorme identificação e pesa no coração do leitor quando se chega ao clímax.

Claro que existe uma enorme reviravolta ao fim da história, da mesma forma que aconteceu no livro anterior de Reid. Junto com essa reviravolta, vem um sentimento de pena, de tristeza, de que as coisas poderiam ser diferentes, que não é justo. Se a história terminasse nesse ponto, já seria excelente, apesar do sentimento de pesar que deixa. Entretanto, Reid reserva uma segunda surpresa, na última página, que reverte tudo o que o leitor sentiu e faz com que toda a tristeza desapareça, inclusive a sensação de injustiça. Tem que ser muito habilidoso, muito criativo, para conseguir manipular as emoções dos leitores dessa forma.

INTRUSO é uma ficção-científica com uma premissa simples, mas muito bem executada. Com apenas três personagens durante toda a história, o autor brinca com a percepção do leitor, criando uma percepção diferente sobre os três, para ir, aos poucos, alterando o que se pensa sobre cada um deles, e finalizando a história invertendo totalmente o que se pensava sobre eles no início. É um trabalho psicológico parecido com a apresentação de um mágico: o leitor acha que está vendo algo incrível acontecendo, quando na verdade, aquilo que ele não vê, é o mais incrível. Acho que não preciso escrever mais nada para convencer você a ler, não é?

site: http://gramaturaalta.com.br/2020/01/14/resenha-intruso-iain-reid/
comentários(0)comente



Bianca 28/02/2020

Ruinzinho
Angustiante, meio sem pé nem cabeça. Não gostei
comentários(0)comente



Blog Wizard Express 24/07/2020

Este livro possui resenha no blog.

Leia: http://wizardexpress.blogspot.com/2020/03/resenha-intruso-iain-lain.html
comentários(0)comente



Rê Lima 04/02/2020

null
Livro 04/150 - Intruso
Autor: Iain Reid
Páginas: 288
Início: 07/01
Fim: 08/01
Opinião: 4 estrelas. Os livros do Iain Reid vieram pra incomodar, tirar a gente da zona de conforto. Assim foi com o "Eu estou pensando em acabar com tudo" e com esse não foi diferente!
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6