O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo Alexandre Dumas




Resenhas - O Conde de Monte Cristo


235 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nicholas.Porto 07/11/2019

A reviravolta em pessoa(ou em palavras).
O livro fala sobre um homem honesto que tinha uma vida boa e confortável, porém a inveja e a cobiça de seus companheiros fizeram com que ele fosse preso por quinze(15) anos e criasse uma vontade inigualável de vingança. É um livro que mostra como a personalidade de alguém pode ser completamente alterada por algum fato chocante, como é o caso de Edmond Dantés(protagonista) que passou quinze anos preso, o que fez com que a personalidade bondosa e amigável dele sumisse e com que ele se tornasse um monstro sem coração e completamente focado no seu único objetivo, a vingança.
comentários(0)comente



Lucas Fernando 05/11/2019

Show!!
O que falar desta obra, sem sobra de dúvida, vale a pena ler cada página deste livro monstruoso.
Nesta obra, temos inúmeras narrativas e historias ocorrendo ao mesmo tempo, e cada ponto foi estrategicamente elaborado pelo Conde de Monte Cristo, um, cara totalmente fora da curva que não medira esforços para alcançar o seu objetivo que é a vingança.

Recomendo a todos que queiram se aventura em um conjunto de história bem elaborada e escrita.
:)
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rodrigo 11/09/2019

O Conde de monte Cristo e Seus Excelentes amigos !
-Parece-me que confiar em alguém é sempre tarefe difícil, e quando se trata de supostos amigos e planos para um futuro brilhante, Edmond Dantes contou com as pessoas erradas e quando menos esperou seu mundo virou de pernas para o ar. Perdeu tudo, antes mesmo de conquistar.
Infelizmente, em seu melhor momento (noivado e posterior casamento) , Dantes foi traído por Ferdnand, Danglars, e Caserrousse; que arquitetaram uma trama que o colocara como traidor. Que aliás, foi interrogado por Villefort, e por sua vez queimou a única evidência para não ser usada contra ele. Uma carta que estava endereçada ao Pai dele (Noirtier Villefort) partidário napoleônico.
-Em seu confinamento no castelo de IF vários anos, Dantés por um acaso do destino percebe um outro prisioneiro (Abade Faria, um senhor de meia idade) que escavando um túnel que chegou à sua cela por providência divina. Então os dois se tornaram muito próximos como um pai de um filho, e para tanto, o velho abade ensinou tudo de sabia ao meramente ignorante Edmond e mostrou toda a verdade dos fatos que levaram ele à prisão. Até que uma doença que acometeu o aade e o levará a morte. Então meio que pelo medo da morte e apreço à Dantés ele mostra o texto que se revela um mapa ao tesouro de Monte Cristo (herança da família Spada), que acabou sendo de direito de Faria (que era secretário do ultimo Cardeal Spada).... Leiam para saber os próximos capítulos!"
Dantes alçou da prisão entrando nú no saco no lugar do defunto. O que Edmond não sabia é que o mar era o cemitério do Castelo de If. Mais agora tornara-se um homem livre e de vasta experiência e cultura graças ao seu amigo e mentor durante os anos reclusão
Em posse de seu tesouro, Edmond recompensa aos que tentaram ajudá-lo como o Sr. Morrel (saldando grande parte de sua dívida) e salvando-o do suicidio. Soube que seu pai havia morrido de fome e desgosto pela sua acusação e posterior prisão. Sua amada agora era esposa de outro... então aí começam os planos para punir seus três inimigos.
O carnaval em Roma e tudo ao seu redor, como o colorido das fantasias e de todas as coisas e bichos possíveis a que os participantes desta festa gloriosa se disfarçavam, inclusive sobre a ação do carrasco que formalizou a sentença de morte em um preso condenado em praça pública matando o mesmo com um golpe na cabeça. Até que Albert foi sequestrado pelo bando de Luigi Vampa pedindo resgate a Franz. Que logo procurou ajuda financeira de Monte cristo
Chegando à Paris a vai ao encontro de Albert Morcef que prometeu ser seu cicerrone perante a sociedade parisiense. E então grandes tramas daqui para frente, pois agora ele está no círculo de amigos de seus traidores.
Traçou seus planos e conheceu seus inimigos, sabe como agiam. Só que ao visitar a casa dos Morrel fica sabendo por Maximillien que o Sr. Morrel faleceu a alguns anos, e em seu leito de morte falou que o anjo salvador dele tinha saído da cova, e era Edmond Dantes, todos pensaram que ele estava delirando.
Tudo nas tramas de Monte Cristo se encaminham ao seu favor, pois todas as articulações perante a comunidade parisiense estavam funcionando de acordo com suas expectativas. Só tem um problema em seu plano e se chama Mercedes Morcef, pois nunca conseguiu esquecer seu amor por ela e isso irá colocar tudo em cheque no momento mais crucial !!

Drasticamente o casamento de D'Apiney com Valentine foi rompido pelas revelações do Sr. Noirtier de Villefort (Avô de Valentine), que disse assassinado o pai de Franz D'Apiney em um duelo. Para a felicidade de Maximillien este matrimônio forçado não aconteceu. O Dr. confirmou sua suspeita de que todos os mortos da casa tinham sido envenenados, ele só não sabia por quem. Já em outro ponto da trama o Sr. Andrea Cavalcanti (Benedetto) e Caderrousse armaram para fazer um assalto a casa de Monte Cristo que Abade Bussone (Monte Cristo) o surpreenderia nesta empreitada e ele pulou o muro da residência, antes de chegar ao chão foi esfaqueado e morreu
Podemos dizer que a vingança de Dantes está por um fio de não se concretizar, pois Mercedes descobriu que de fato Monte Cristo e Dantes são a mesma pessoa, então suplicou-lhe que não duelasse contra seu filho Albert.... Porém quem não resistiu a desgraça foi Fernand (conde Morcerf) que foi acusado de traidor de Ali Paxá e por assim dizer que esta é a origem de sua riqueza. Não aguentou a opinião pública e a perda da esposa e filho que o deixaram, então suicidou-se!!!!
Conde Monte Cristo descobre que Valentine está sendo envenenada e faz uma armadilha para a assassina (sua madrasta) que acha que para todos os efeitos Valentine está morta e seu filho irá herdar tudo... então vamos ter uma revira volta espetacular. Morrel achando que ela morrera também queria se matar, mais foi persuadido por monte cristo a não fazê-lo. Danglars por sua vez está na ruína e provavelmente irá à bancarrota, sua filha fugiu, sua esposa procurou o amante e a Villefort tentando anuência para Andrea noivo de sua filha (Bennedetto o assassino de Caderrouse)
Para todos os efeitos sua vingança estava finalizada.... Fernand Mondego (conde Morcef) suicidara-se, o Sr de Villefort (enlouquecera ao admitir ser o pai de Andrea Cavalcanti (Benedetto) seu filho perdido e toda a culpa perante as mortes em sua casa), pois sua mulher (a assassina envenenadora) matou a si e ao filho Edouard. Por fim enlouqueceu. Já Danglars que tinha se evadido da França depois da bancarrota com todo dinheiro dos clientes, mais logo que chegou a Roma tentando sacar os títulos no banco, foi sequestrado pelo bando de Luigi Vampa a mando de Monte Cristo. Fizeram-no perder todo dinheiro deixando-o na miséria. Edmond Dantes não pode mais ficar com Mercedes e acabou ficando com Haydee ..... Maximillien reencontrou Valentine Villefort que para ele estava morta e enterrada. E a trama acaba com Monte Cristo sumindo aos quatro ventos no Mar.
Rodrigo 11/09/2019minha estante
-Um dos melhores livros que ja li !




Cris.Pimentel 08/09/2019

Resenha?
Vocês acham que eu sou pretensiosa a ponto de resenhar O Conde de Monte Cristo?
Não sou não.
Só estou aqui para declarar meu amor por esta obra que merece ser lida e relida e relida pela eternidade.
comentários(0)comente



Rafaela 01/09/2019

"São justamente os perigos desconhecidos que inspiram os maiores terrores." (P.308)

"[...] Você suporta pacientemente a sua própria miséria, mas tem medo da minha." (P.35)

"Precisamos da desgraça para escavar certas minas misteriosas escondidas na inteligência humana; precisamos da pressão para fazer a pólvora explodir. O cativeiro concentrou num único ponto todas as minhas faculdades que flutuavam aqui e ali; elas se chocaram num espaço apertado; e, como se sabe, do choque das nuvens resulta a eletricidade, da eletricidade o relâmpago, do relâmpago a luz." (P.171)

"Aprender não é saber; há sabidos e sábios: a memória faz os sabidos, a filosofia faz os sábios." (P.179)

"A filosofia não se aprende; a filosofia é a união entre as ciências adquiridas e o gênio que as aplica é a nuvem brilhante em que cristo pousou o pé para subir ao céu." (P.179)

"[...] e neste mundo infelizmente cada um tem o seu ponto de vista pessoal, o que nos impede de ver o ponto de vista dos outros." (P.1123)

"É proprio dos espíritos enfraquecidos ver todas as coisas através do luto... É a alma que cria os seus próprios horizontes: sua alma está sombria, é ela que lhe cria um céu tempestuoso." (P.1243)

"Não existe felicidade nem infelicidade neste mundo, o que existe é a comparação entre esses dois estados, nada mais. Só aquele que passou pelo extremo infortúnio pode sentir a extrema felicidade. É preciso ter querido morrer, para saber como é bom viver." (P.1300)
comentários(0)comente



Erick.Rennan 22/08/2019

O mestre da vingança
Um livro repleto de detalhes, história incrível e final "feliz".
Alguns podem não gostar, porque é um livro que detalha muito, descreve ambientes, personagens, conta histórias paralelas. O final do livro agrada muito, pois o autor traz o desfecho dos personagens que introduz, não deixando muitas pontas além da incerteza do futuro.
comentários(0)comente



Sofs 19/08/2019

O conde de Monte Cristo
Vale a pena cada página, leitura fluida e envolvente, sensacional como Dumas encaixa perfeitamente figuras e acontecimentos históricos com sua narrativa
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marcia @belaspaginas 17/08/2019

Eu sempre quis muito ler esse livro, e com toda certeza vão faltar palavras nessa resenha, Como descrever o quão maravilhoso é O Conde de Monte Cristo? O tanto que ele te prende, o livro tem o poder de sugar pra dentro dele. O protagonista Edmond Dantès, o Senhor maravilhoso deste livro. Um simples Marujo, sonhador, forte, trabalhador, após meses no mar, retorna à sua casa, em Marselha, para rever o pai amado e a noiva, Mercedes, mas Edmond desperta a inveja e a maldade em Danglars e Fernand, e é preso sob a falsa acusação de conspiração que o safado Juiz de Villefort sabe muito bem. Tancafiado nas masmorras do Castelo If vivi com Edmond seus piores momentos, seu sofrimento é de doer o coração, me vi contando as páginas, ansiosa pelo encontro com o Abade Faria, eles se tornam amigos, companheiros, professor e a partir daí esperei com sangue nos olhos a fuga e a vingança de Dantès.
.
A vingança é um prato que se come frio, né? Nesse livro você vai entender bem esse dito popular. O autor trabalha de uma forma magnífica pra volta de Dantès e na forma dele ter sua justiça. Dantès é extremamente inteligente e hábil em manipular todos a sua volta, a fé que ele tem de ser um instrumento da Providência do Deus vingador é inabalável, é a fonte onde ele se prende. Esperei cada segundo da leitura que tudo isso acabasse e que ele seguisse e fosse feliz. Um recomeço merecido. O tamanho da grandeza dessa obra é inexplicável, só lendo para entender, é o ser humano visto pelos seus piores lados, e como é preciso se livrar do lixo que eles deixam dentro da gente. Não vale ter medo do tamanho do livro, porque vale muito a pena, é um banquete clássico da literatura. É um gigante extremamente prazeroso.
comentários(0)comente



Susan 08/08/2019

Obra prima da literatura
Edmond Dantés é um rapaz com um futuro promissor e muitos sonhos. Prestes a conseguir se tornar capitão de um navio e poder se casar com sua amada Mercedes, Edmond se vê vítima da inveja, ciúmes e ódio de Fernand e Danglers, que o incriminam de traição. Dantés é enviado ao castelo de If, onde permanece prisioneiro por 14 anos. Lá ele conhece Faria, um abade que se torna seu único amigo e pai, lhe ensinando ciências, filosofia e o caminho para um tesouro escondido na ilha de Monte Cristo.
Ao sair da prisão seu único pensando é agir como a Providência e se vingar de todos que o fizeram sofrer.

É fascinante e assustador ao mesmo tempo como Monte Cristo arquiteta sua vingança, de modo a criar uma teia sobre seus inimigos.
Cada personagem é tão bem construído ao longo das mais de 1000 páginas.
Há romance também, o que aquece o coração em meio a tantas pessoas ardilosas e interesseiras.

A linguagem clássica e as descrições detalhadas não são empecilhos para a fluidez da leitura.
comentários(0)comente



Cássia 01/08/2019

No começo eu não tinha a menor ideia da grandiosidade desta obra. Vi algumas resenhas e algumas recomendações, mas nenhuma faz juz ao nível de perfeição desse livro!
O conde de monte Cristo é a obra prima de Alexandre Dumas, autor de Hobin Hood e os três mosqueteiros, além de outras obras. Esse livro também é o mais lido de todos os tempos na França. Originalmente foi publicado em folhetim no jornal (a novela da época).
Uma história muito movimentada, conspirações, vinganças, veneno, morte, tesouros magníficos, grandes romances... Mas principalmente a providência e a vingança! Nosso personagem principal: Edmond Dantés, um jovem promissor no auge da mais plena felicidade, prestes a ser promovido e casar com a mulher dos seus sonhos é vítima de um complô por pura inveja! Vítima desses conspiradores, Edmond é encarcerado no castelo de IF, uma fortaleza terrível! E apodrece numa masmorra durante 14 anos, nesse interim, edomnd conhece um parceiro de sela o Abade Faria que se torna mais que seu amigo, seu segundo pai, este que lhe terá muito a lhe ensinar e mais ainda a lhe proporcionar. Ao se libertar dessa terrível prisão, Edmond só tem uma coisa em mente. Agir com providência para com os seus bem feitores e dar aos seus encarceradores a vingança que lhe é devida!
Vingança chocante, tanto pela meticulosidade com que a mesma é arquitetada, quanto pela crueldade da mesma!
Apesar do tamanho esse livro em nenhum momento fica massante, sempre tem coisas acontecendo, muitos diálogos, muito drama e muita ação. A linguagem clássica não é um problema nesse livro, a narrativa é fluida e cativante! Os personagens então... São um show a parte!
comentários(0)comente



235 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |