Guardians

Guardians Luciane Rangel
Ana Claudia Coelho




Resenhas - Guardians - Volume 1


62 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Renata 17/01/2011

Surpreendentemente viciante!!!
Nem sempre conseguimos proteger as pessoas que gostamos. Essa é a pior parte de ser um Guardião. Tem horas em que os super-poderes não valem absolutamente nada... Nem sempre podemos proteger a todos... Mas, ao menos, temos a chance de tentar. E sempre há alguém a quem conseguimos proteger. Não a todos, mas a uma boa parte deles.
Guardians, página 221


Para alguns, signos são meros elementos do zodíaco. Para eles, representam suas maiores habilidades e sua força interior, emanada da energia que lhe rege e é capaz de defender o mundo das maiores ameaças que se possa imaginar. Numa aventura de outro plano, descubra o poder de Guardians!

Anne Soares tem 22 anos e é uma menina frágil, delicada e detentora de uma vida de luxos e privilégios. Durante uma das raras ocasiões de convivência social, Anne recebe três convidados que mudarão a sua vida: Shermmie e Mau, dois jovens guardiões, e um monstro youkai. Apavorada com as surpresas da noite e a revelação de que faz parte de um grupo especial de pessoas destinadas a proteger o mundo do plano dimensional youkai, habitado por demônios e seres malignos que buscam destruir a Terra, Anne se vê numa guerra onde símbolos do zodíaco não são meramente parte do horóscopo.

Com o iminente rompimento da fenda que separa os dois mundos, Anne, Shermmie e Mau vão para o Japão, local onde a barreira se encontra, para se juntarem com os outros Guardiões na missão para selar a barreira de uma vez por todas. Doze signos. Doze guardiões. Doze energias unidas pelas forças de seus elementos. Eles estarão prontos para isso? Será Anne capaz de ser uma guardiã ou o destino lhe reservou surpresas? Eles têm uma missão a cumprir, mas Anne poderá cumprir a sua parte? Nas adversidades e diferenças, eles descobrirão que apenas a união poderá salvá-los!


- De quem é isso? De onde veio esse pingente? RESPONDE!
(...)
- Sempre esteve com você. Embora fraco, ele abriu um sorriso sarcástico Apesar de ser um cachorrinho de rua, você tinha a sua colerinha.
Guardians, página 353


Conheci Guardians através do twitter e pela própria autora *uma fofa, que se tornou uma grande amiga* Luciane Rangel. De nossas conversas, surgiu uma parceria e assim, a oportunidade de desvendar Guardians. Não sabia o que esperar do livro, pois não tinha lido nada além da sinopse. Apenas tinha a noção de que seria transportada para um mundo anime e de cultura japonesa em meio à simbologia do zodíaco. Como grande fã de Os Cavaleiros dos Zodíacos *assumindo a idade e a paixão por Seiya e Hyoga esse desenho e filme (é... comprei os filmes também)*, mas pouco conhecedora da cultura japonesa e animes, me aventurei a ler e garanto, me surpreendi muito.

O livro se baseia em guardiões, detentores dos poderes de seus signos e regidos pelos elementos terra, água, fogo e ar. Cada guardião representa um signo e seu poder foi herdado de família. Assim, uma guardiã de Câncer, é filha de um antigo guardião de Câncer, do qual herdou o poder e o colar do seu signo. Os guardiões atuais sabem do seu legado desde o nascimento, pois estão fadados a lacrar a barreira que seus pais não conseguiram. Eles foram treinados durante toda a vida para este momento, mas somente a união e a força dos doze signos pode resultar em sucesso.

É interessante como Luciane consegue construir tantos personagens com personalidades diferentes e relacioná-los, uns com os outros, cada qual passando por momentos específicos. De um lado, há guardiões prontos e preparados para lutar, por outro, há guardiões esperando sua energia despertar. E é esse disparate entre todos que os une no decorrer do livro.

Apesar de o foco do livro ser a história de Anne, a suposta guardiã de Câncer, que nunca soube nada a respeito dessa vida, o livro narra a história de todos os personagens em momentos específicos no desenrolar do enredo. Conforme as atitudes dos personagens são apresentadas, por meio de flashbacks, suas vidas são explicadas e as passagens começam a tomar sentido. A mudança da narração, do foco de um personagem para outro, também abrange o entendimento da história. Conforme o livro transcorre, a verdade sobre é Anne passa a ser uma incógnita, que depende de revelações do passado para ser revelada.

Com o tempo correndo, os guardiões precisam se preparar para selar a barreira, que a cada dia avança mais e permite que os youkais atravessem para o outro lado. Esse deslocamento dos monstros provoca ataques pelo Japão e leva os guardiões a interferir para proteger os humanos. Com isso, ocorrem muitos confrontos entre guardiões e youkais. Para os fãs de ação e lutas, uma ótima pedida.

A narrativa de Luciane ganha fôlego a partir do meio do livro, quando os confrontos se tornam mais freqüentes, e as tramas e intrigas começam a ser desvendadas (ou seriam formadas? Rsrs). É interessante como, apesar do grande número de personagens, Luciane consegue desenvolver tramas para todos eles, interligando-as com a base da história. As relações entre os guardiões são intensas, com direito a paixões, raiva e mágoas do passado. A leitura ganha um up, se torna mais leve e divertida.

Os personagens são um mix de emoções e personalidades. Tem de tudo: o arrogante, o gostosão, o excluído, o deslocado, o certinho, o estourado, o amável... e por aí vai. É aquela relação de amor e ódio, com personagens apaixonantes e personagens odiados. A Anne, personagem principal, é irritante em certos momentos (quase todos, na verdade), mas tive pena dela, pois suas atitudes são o reflexo do que sofreu durante sua vida. Anne é a prova de como a família e o amor fazem a diferença na vida das pessoas. Sofie, a guardiã da velha geração responsável por guiar os novatos, é uma incógnita, e é no seu passado que residem as respostas para as principais questões na história. Destaque para Mau, Shermmie, Hikari, Sniper, Live e Ryan, guardiões para lá de fofos e divertidos.

As dúvidas e questões do livro chegam ao ápice no seu final, mas as mesmas ficam em aberto para o próximo livro da saga. Dá uma apreensão ver que as páginas estão acabando e as dúvidas continuam ali, te rondando. Gosto de finais eletrizantes, com aquele gostinho de quero mais, pensando O que será que vem pela frente? O que vai acontecer agora?, mas que fica um sentimento de frustração (pela espera), isso não resta dúvidas. O bom de tudo, é que Guardians volume 2 terá muitas tramas e muitas revelações, haja coração!!!

A diagramação do livro é linda. Tem diversas ilustrações de cenas e são de ótima qualidade. Adorava estar lendo e ao virar a página, me deparar com os personagens.

Mesmo nunca tendo me aventurada pelas histórias japonesas, animes e mangás, Guardians me surpreendeu. Primeiro, por ter uma linguagem simples e bem voltada ao público jovem, às situações e os diálogos dos personagens podem ser facilmente reconhecidas pelos leitores. Segundo, a sua composição não requer conhecimentos prévios da cultura japonesa e suas histórias, a narrativa de Luciane é muito bem estruturada, sem pecar em excesso de informações para os que não desconhecem este tipo de leitura (até pensou em um vocabulário para expressões utilizadas *que utilizei muito hehe*). E por último, é uma história de fantasia como outra qualquer, apenas com uma ambientação diferenciada. E cá pra nós, histórias novas e universos diferentes são muito bem-vindas.

A intrigante história de Luciane é capaz de nos transportar para dentro do universo japonês, onde monstros se disfarçam de humanos e querem destruir o mundo. Repleto de ação, mistérios e uma fantasia bem peculiar, Guardians é uma pedida certa de leitura. Virei fã e não vejo à hora de ler a continuação desta ótima história!

Guardians é uma trilogia, sendo que o volume dois tem previsão de lançamento em abril de 2011.

Eles devem proteger o mundo, mas será que eles conseguirão proteger a si mesmos?


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

Guria que Lê - http://guriaquele.blogspot.com/
@remallmann
comentários(0)comente



Rafa 17/02/2012

Resenha - Guardians - Luciane Rangel
Primeira coisa que eu senti ao primeiro toque da leitura foi de que o livro já me daria muitas emoções, fui ler na empolgação. Primeiro porque eu adoro livros que contem vários personagens, leia-se cansado, e segundo porque fala sobre signos, coisa que antes não acreditava e passei a acreditar, obrigado Luciane.

Quando me deparei com os mais de 12 personagens da história de Guardians já queria ser um deles, o título propriamente achei bem criativo, assim como me identifiquei com a terrível Shermmie que no caso é do mesmo signo que eu, Leão.

Agora, se eu fosse descrever todos os personagens estaria com os pés na cabeça ou quase louco, mas acho que consigo, cito Sofie como sendo a chata e chefe do grupo Guardians, ela é meio chatinha com alguns dos guerreiros, mas firme em suas lutas, sua filha de Áries, Hikari também de Áries, Mic ou Micaela de Gêmeos, Hayato de Sagitário mais novo que sua namorada Sofie, Maire de Libra, namorada da Mic, isso mesmo namorada, Mau ou Maurício de Touro, Shermmie de Leão, Qiang Li de Capricórnio, Sniper de Escorpião, Anne de Câncer, Ryan de Virgem irmão de Eric de Peixes e por fim Live de Aquário, ufa...

O mais legal dos personagens é que na maioria dos diálogos que eles faziam nunca tinham uma harmonia, ou às vezes chegavam ao um consenso, mas isso era de vez em quando, as intrigas eram partes emocionantes para mim.

Essa não seria a primeira tentativa de fechar de vez o portal/dimensão sei lá o quê, no qual eles devem fechar de qualquer jeito. Já que o grupo anterior fracassou, e se esses youkais voltarem, será o fim do planeta e adeus novas gerações de humanos sadios.

A parte melhor do livro é quando os personagens, saem em busca de youkais para matá-los, detê-los de roubar energia dos humanos para abrir mais rápido o portal, e eles às vezes saiam bem sucedidos. Claro que torcemos para que o grupo consiga fechar a barreira para que a Terra continue sendo ela mesma.

Gostei de saber que o tema não só recorre ao signos, mas também a parte preconceituosa da opção sexual da Mic e da Maire, isso pra mim não era esperado no livro, até que embasou bastante, outra que a autora soube usar com grande maestria foi o tema máfia da prostituição no Japão ou qualquer outro país também poderia ser, já que também a história ocorre em sua maior parte no Japão e destacando vários outros países quando citados por histórias dos personagens de outros signos.

Parabéns à autora pelo superemocionante livro, eu adorei, e espero logo ler o segundo volume. O primeiro volume acabou com gostinho de quero mais, mas no entanto deixou tantas perguntas no vácuo que seria loucura se não tivesse continuação. Recomendo super.

http://www.leiturasvivas.com/2012/02/resenha-guardians-luciane-rangel.html
comentários(0)comente



Lacie 02/04/2011

Resenha - O Mundo de Lacie
Resenha escrita para http://omundodelacie.blogspot.com

Sendo uma das leitoras que acompanhou o então, "livro virtual" desde o início (!). Tá, não. Acredito que, quando comecei a ler, a Lucy ainda estava postando o cap 15, acho. Mas eu tinha visto pela primeira vez quando ela estava postando o capítulo 7. Mas não cheguei a ler. Grande erro.

Depois me recomendaram mais uma vez, e decidi dar uma chance para aquela "monstruosidade" (Era, e ainda é, enorme!). E me cativei.

O que, de início, parece uma história extremamente clichê, torna-se uma desconstrução do gênero: um "tokusatsu" que encontra a realidade e dá de cara com ela. E isso é uma das coisas que torna Guardians tão especial - esse contato com a "nossa" realidade.

Claro, o principal motivo é a caracterização dos personagens, o que é um grande feito de Lucy. Inicialmente, eles são caricaturas de seus signos, cada um com suas manias e trejeitos próprios de seu horóscopo. Mas conforme a história avança, os personagens evoluem e mostram outras facetas, cada uma mais interessante que a outra. E até parece que eu vou contar, esperem os outros livros pra lerem vocês mesmo! Dica: o segundo livro é meu preferido. *-*

A própria Luciane é uma mestra em descrever os cenários. As lutas são reais ao ponto de você sentir o suor dos personagens, e o texto te suga pra dentro dele. É impossível parar uma leitura de Guardians. Você acaba fisgado pela história e precisa saber a verdade sobre o mistério de Anne: será ela a verdadeira Guardiã de Câncer? Hikari conseguirá liberar sua energia? Será que a geração conseguirá lacrar a barreira? E será que a Sofie para de ser tão chata? ... Infelizmente, eu sei a resposta desta última pergunta.

Queria tanto resenhar sobre os personagens, mas receio que seja spoiler demais! Então termino aqui dizendo que meus preferidos são Maire (claro! Sou libriana na veia, claro que a adoro); a Micaela; a adorável Live, o maravilho Maurício; a tagarela Hikari; incrivelmente, a Anne é uma personagem muitíssimo cativante, apesar da primeira impressão que se tem dela; e muitos outros dos seguintes livros.

Minha única reclamação é que este livro deveria ter mais leitores. É uma história muito genial, que trata de assuntos pesados como tráfico de mulheres, homossexualidade e morte. Realmente, nunca julgue um livro pela capa. Quem adivinhar que um livro com uma capa tão colorida podia ser isso tudo?
comentários(0)comente



Danika 03/03/2011

Guardians
Minha primeira experiência com Book Tour e fiquei realmente encantada, não poderia ter começado melhor! Nem mesmo sei por onde começar a falar desse livro… Vou começar do começo, então. Rsrs

A capa com essa ilustração das personagens tão linda e fofa é da Ana Claudia Coelho, assim como todas as ilustrações contidas no livro. Eu adoro capas, e essa já tinha me conquistado logo de cara. O livro Guardians Volume 1 conta com o Brasil e com o Japão como cenários.

Eu nunca me liguei em nada de animes, mangás ou coisas relacionadas a cultura japonesa em geral, mas pelo visto, nunca é tarde para começar a gostar porque Guardians sem dúvida me despertou bastante interesse sobre o assunto. Talvez tenha sido porque a Luciane tenha dado o tempero brasileiro no livro, o que só veio a acrescentar na qualidade do trabalho.
Guardians é um livro tanto para adultos quanto para crianças (eu realmente não entendi porque ele tem uma classificação de 16 anos na contra-capa), acho que as crianças deviam ler mais livros desse tipo, é uma leitura tão gostosa e divertida que com certeza só tende a despertar na gurizada o hábito da leitura, além disso o livro se mostra bastante instrutivo (vocabulário com termos em francês, italiano e japonês!).

A Lucy teve todo um cuidado na criação das personagens, cada Guardião bem fiel em sua personalidade ao seu signo regente… tem a atrapalha e romântica, tem a que é durona, tem a divertida e tagarela, tem a Nerd que é centrada, tem o largado e fofo*_* enfim, tem todos, e tem o Guardião do seu signo, aquele que certamente você vai se identificar.

Bem, mas se isso aqui é uma resenha, eu tenho que ir pra parte crítica, mas gostei tanto, que sério, ta difícil de não ficar caindo só de elogios…rsrs. Tá ok, a Anne as vezes é meio lentinha… fazendo valer o apelido de fraquinha que ganhou da ‘Shermmine’ uhahaudhuah. As vezes a Anne parecia mais pisciana do que canceriana, mas sei que isso com certeza vai mudar em algum ponto de Guardians volume 2. E eu não vejo a hora que isso aconteça!

Guardians é o tipo de livro que deveria ter em toda biblioteca^^

(Já deu pra perceber que eu realmente gostei,né? Acho que nunca tinha sido tão pessoal em uma resenha antes…)

Você encontra a resenha completa no blog Portrasdasletras.net
...
comentários(0)comente



Vivi 13/01/2012

Recebi esse livro pelo book tour da Luciane Rangel e confesso, estava super curiosa por conhecer a história.

Nosso mundo é protegido por uma barreira dimensional, atrás dessa barreira, criaturas malignas tentam a todo custo conseguir penetrar no mundo humano. Doze guardiões são responsáveis por proteger essa barreira e eliminar qualquer youkai (as criaturas malignas) que consiga passar por ela.

Cada guardião é regido por um dos signos do zodíaco, nessa parte lembrei muito dos "Cavaleiros do Zodíaco" que assistia quando criança, mas está longe de ter mais alguma semelhança com eles. O poder de cada signo é passado de geração a geração e cabe aos pais treiná-los desde criança.

Acontece que vinte anos antes os antigos guardiões não conseguiram lacrar a barreira completamente e uma pequena brecha foi deixada, o que ocasionou a perda de alguns guardiões. Agora a geração futura deverá assumir a responsabilidade de lacrar definitivamente e expurgar esses seres para sua dimensão.

A "protagonista" Anne Soares vive no Brasil em uma mansão e nunca teve contato com o mundo fora daquelas paredes, a não ser pelos livros e pela tv, e é encontrada pelos guardiões Mau (Touro) e Shermmie (Leão) e convencida a ir com eles para o Japão juntar-se aos outros guardiões.
Acontece que Anne não sabe nada sobre sua mãe, nem sobre os guardiões e todo o resto, além de não ter tido treinamento algum e ser, digamos, um tanto fraquinha, fresquinha e chorona.

Sob a direção da antiga guardiã de Áries, Sofie Gautier (Carrasca) a nova geração de guardiões terá pouco tempo para aprender a trabalhar em equipe e se preparar para enfrentar os youkais. Mesmo com todo o treinamento, os guardiões terão o desafio de aprender a lidar com suas diferenças de personalidade e algumas questões românticas.

Mas pode haver uma impostora no meio deles? E que mistério cerca a antiga guardiã de Câncer?

O livro tem um texto super leve, engraçado e cheio de dinâmica, fala com suavidade sobre temas atuais como: Exploração Sexual, redes de prostituição e opção sexual.

Só posso dizer que estou ansiosa para ler os próximos volumes!!!


Bjokas!!!
comentários(0)comente



Josy-chan 13/11/2010

Perfeito.
Dificil falar de Guardians. É quase uma historia sobrenatural, de tão bem escrita. A diversidade de personagens, a estrutura do texto, o enredo em si, enfim, tudo é tão bem armado, com tanta desenvoltura que o livro se torna inesquecivel.

O tema pode parecer simples a principio. Um grupo de doze jovens, cada um de um signo, tentando proteger a terra do ataque de demonios. Pareceria um simples enredo de uma historia em quadrinhos, nao é? Bom, NÃO É MESMO. Em Guardians, a autora simplesmente consegue a façanha de dominar cada momento, cada situação. Acabamos nos apaixonando pelas situações, que de tão humanas, acabam por tornar aqueles personagens gente de verdade, capaz de despertar em nós sentimentos de amor e odio.

Um livro para se guardar pra sempre.
comentários(0)comente



Núbia Esther 19/06/2011

“O mundo dos homens é protegido do mundo de malignas criaturas por uma barreira dimensional. Frágil e sob constante ameaça, ela é protegida por doze guerreiros sob os signos das estrelas: os Guardiões.”

Tenho que confessar que a primeira vez que li algo sobre o livro, pensei que não iria gostar, que a história não fazia meu estilo e tinha decidido não lê-lo. Só tenho a agradecer a iniciativa da autora em propor um Book Tour com sua obra, assim pude conferir e acabei conhecendo uma boa história, ao mesmo tempo divertida e tratando de forma clara e consciente assuntos polêmicos como orientação sexual e o tráfico para as redes de prostituição.

Nosso primeiro contato com o mundo de Guardians acontece no Brasil, Anne Soares, uma jovem rica de 22 anos que tem sérios problemas de relacionamento com seu pai, é descoberta como sendo a guardiã de Câncer por Shermmie (guardiã de Leão) e Maurício (guardião de Touro), a garota nunca saiu de casa, nunca foi à escola ou viajou então daí vocês já tiram qual sua personalidade. Shermmie a apelidou de fraquinha, pois com tantas restrições a garota não recebeu o treinamento que todo guardião recebe desde pequeno e é ingênua ao extremo, além de patricinha é claro. O fato é que os dois precisam levá-la para o Japão, lugar onde a falha entre as divisas dos mundos se encontra. Lá, todos os guardiões devem se reunir, entrar em treinamento sobre a supervisão da antiga guardiã de Áries, Sofie, para que juntos consigam fechar a falha entre as duas dimensões. Entre os guardiões vários países estão representados: Brasil, Japão, China, Inglaterra, Itália, Irlanda, Estados Unidos e Índia. Luciane criou um grupo bem diverso, tanto na aparência quanto na personalidade, com personagens bem divertidos, outros um tanto quanto arredios e alguns que conquistam logo de cara. Mas, pensaram que o treino seria fácil? A ameaça dos youkais (os seres maléficos) é cada vez mais preemente e uma guerra contra eles é quase certa. Para piorar a situação dos guardiões, alguns ainda não despertaram seus poderes e não se sabe se Anne é realmente uma guardiã. Quem Anne é realmente? De quem ela é filha? Qual sua relação com Sofie?

O prefácio de Guardians foi escrito pela Petit Ange, lá ela nos narra como teve que voltar atrás em sua opinião sobre a obra e como descobriu-se cativada pelo mundo criado pela Luciane Rangel. Assim como Petit, tenho que dar o braço a torcer e dizer que Guardians me conquistou, a obra que achei que não iria gostar me rendeu boas horas de leitura. Só posso dizer que me tornei mais uma divulgadora do livro, que o recomendarei sem temor e que preciso ler logo o segundo volume de Guardians!

Para saber mais sobre a série:

http://livro-guardians.blogspot.com/

Se interessou? Quer comprar?

http://livro-guardians.blogspot.com/2011/06/prorrogacao-da-promo-de-pre-venda.html

[Blablabla Aleatório] - http://feanari.wordpress.com/2011/06/19/book-tour-guardians-volume-1-luciane-rangel-sorteio-de-marcadores/#more-3971
comentários(0)comente



Rose 30/04/2014

Existe uma barreira dimensional que é guardada por 12 pessoas, 12 guardiões escolhidos pelo signo de cada um. O poder de uma guardião é passado de pai para filho, sempre para o filho mais velho e do mesmo signo do pai (entenda-se pai ou mãe). Os guardians são responsáveis por manter fechada esta barreira dimensional, que vez ou outra começa a rachar por conta dos youkais que invadem nossa dimensão para destruir. Normalmente os guardiões são treinados desde pequenos, mas nesta história, encontramos Anne Soares, a guardiã de Câncer, que vive uma vida de princesa enclausulada em sua mansão e sem saber realmente o que é viver e que é uma guardiã.
Como a barreira está se rompendo novamente, os guardiões precisam se reunir para fechar a barreira e manter os youkais fora de nosso caminho. Mas esta nova geração de guardiões praticamente não se conhecem e terão que aprender a confiar uns nos outros e a resolverem suas diferenças, rivalidades, anseios e temores. Sem falar no problema maior, nem todos os guardiões despertaram sua energia, e para fechar a barreira é necessário que todos os 12 estejam com suas energias despertadas. Fora isso, existe o problema da Anne, que nem sabe se realmente é uma guardiã. A vida de todo o planeta e desta nova geração está nas mãos da antiga guardiã Sofie (Áries) que tem como missão guiar este grupo até o destino final.
Como eu disse, é um livro super envolvente e a história tem um dinamisno que não cai na mesmice, sem falar no final com gostinho de quero mais. Recomendo a todos que gostam de uma história recheada de surpresa e emoção, e claro alguns mistérios a serem descobertos.

site: www.fabricadosconvites.blogspot.com
Clarice.Castanhola 26/07/2015minha estante
Parece uma leitura divertida acredito que irei gostar =D




LilianSinfronio 02/05/2012

Guardians Vol. 1
Postado em http://www.cacadoradelivros.com/2012/04/resenha-guardians-vol-1-luciane-rangel.html

Quero começar falando de preconceito. Sim, devo confessar que antes de conhecer esse livro e ler maravilhas sobre ele nas redes sociais eu sempre nutri um feio preconceito com tudo relacionado ao zodíaco – não que durante a adolescência não tenha buscado sobre o meu signo e qual seria meu par perfeito – e como esse é o ano das mudanças, busquei o livro para mudar isso. E a autora me cativou primeiro com sua simpatia e depois com a estória que conta.

Em vários lugares do mundo – como Inglaterra, Índia, Estados Unidos, Itália e Brasil – existem pessoas que são destinadas e estão sendo preparadas para proteger o mundo de uma grande ameaça. Cada um deles é regido por um signo e herdaram essa missão de seus pais, devendo estar prontos para agirem quando forem chamados. Cada um dos Guardiões é regido pelo seu signo e usam os elementos e magia para proteger a terra.
Tudo isso porque existe uma barreira que precisa ser vigiada e estar sempre lacrada, ela impede que seres de outro mundo – os youkais – invadam o mundo e destruam toda a vida existente. Um ódio e uma luta que já existe há muito tempo.

O livro começa com o encontro dessa nova geração de Guardiões no Japão, onde a barreira está sendo aberta e youkais estão vindo para a terra e causando mortes. Eles são orientados pela antiga guardiã de Áries, que possui muitos segredos no passado e dá mais um toque misterioso para o livro.
Mas ainda não falei da protagonista do livro, a guardiã de Câncer, uma garota mimada, riquinha, frágil, mas de um coração enorme, ela é a única que não conhecia sua missão. A sua história de vida e seus mistérios são o tema do primeiro volume, mesmo assim sinto que conheci muito bem todos os outros signos, cada particularidade e cada defeito deles. E que vergonha de ser de leão e me achar minimamente parecida com a Shermmie, rsrs.

A forma de escrever da autora é bem fluida e gostosa, e achei que ela foi feliz em não deixar a estória cair nos clichês, mas devo comentar que alguma coisa faltou, um detalhe a menos incomodou. Talvez tenha sido a quantidade de pontas que ficaram soltas, o fim do livro que ainda me deixou tantas dúvidas, ou é porque não teve o “feeling” que eu esperava com a obra, refletindo até no tempo excessivo que levei para ler o livro. A sensação que fiquei foi de ter gostado muito do livro, mas que faltou alguma coisa, talvez sejam os outros dois volumes...

O grande ponto positivo para mim foram as lições que a autora passou com a obra, e por ter conseguido imprimir tão bem 12 personalidades tão diferentes. Ao olhar para a capa consigo definir bem cada Guardião e sentir empatia por todos eles, e acho que isso só é possível por achar que os conheço bem.
comentários(0)comente



Pâm Possani 07/12/2012

Quero ser uma guardiã de... Câncer.
Mais uma resenha de autora nacional, e essa mais uma vez me surpreendeu. Eu já era parceira da autora Luciane Rangel e sempre ouvi as pessoas falando super bem dos livros dessa moça, mas euzinha nunca tinha passado pela experiência de ler um de seus livros. Quando ela me mandou o convite para participar do BookTour pensei: "Por que não?"

O livro Guardians conta a história de 12 guardiões e cada um tem um signo diferente, o que faz que cada um tenha mais afinidade com um elemento - água, fogo, terra ou ar. Mas esses guardiões, precisam ficar juntos para que assim possam derrotar e proteger a sociedade dos youkai, seres das trevas da outra dimensão e para isso, eles tem que fechar a barreira, que voltou a ficar aberta, desde os últimos guardiões que lutaram. Lembrou de desenhos ou mangás? Pois eu também. E eu, que nunca fui apaixonada por histórias assim, me vi encantada no modo fluido como Luciane constrói a narrativa, não deixando espaços para caras feias, alternando personagens e momentos, com risos e até lágrimas.

" - Tá brincando que essa pirralha é uma Guardiã!
- Pirralha, não! - Ofendeu-se a menina - Eu já tenho dezesseis anos!
Todos olharam-na e piscaram. Entendendo o que se passava pela cabeça deles, tratou de se corrigir:
- Tá, eu tenho quinze...Parem de me olhar com essas caras, tenho treze, tá legal? Ou melhor, eu vou fazer treze...
Ah, é? - Disse Shermmie - Quando?
- Ano que vem."


Outro ponto, é que grande parte da história acaba se passando no Japão - apesar de se iniciar no Brasil - e isso é uma coisa que a gente não vê muito nos livros de hoje, o que eu achei bem dinâmico e divertido.
O livro também é repleto de ilustrações - que confesso, eu queria mais e mais ilustrações e palavras e quando cheguei na metade do livro, não queria mais que acabasse. No início então, eu achei muito bom ,pois como não estava acostumada com uma narrativa mais "aventura" eu me confundia, e as imagens me auxiliaram em todo processo literário. Outro segredo : durante a leitura, eu ficava fechando o livro e olhando a capa, para poder identificar e observar cada personagem com mais atenção. É muita curiosidade aberta!

" Nem sempre conseguimos proteger as pessoas que gostamos. Essa é a pior parte de ser um Guardião. Tem horas em que os “super-poderes” não valem absolutamente nada... Nem sempre podemos proteger a todos... Mas, ao menos, temos a chance de tentar. E sempre há alguém a quem conseguimos proteger. Não a todos, mas a uma boa parte deles."


O primeiro livro tem um desfecho que te deixa ávida para o próximo (mas eu não tenho, oh God! Preciso muito!) e a diagramação é impecável, pouquíssimos erros ortográficos. Página branca ? Mas nem pense em torcer o nariz - eu também faço isso, HAHA - porque é tão rápido, que você acaba não visualizando de outra forma. Escrito em terceira pessoa, Guardians vai prender você do início ao fim e te fazer querer ser um guardião ,seja pelos meninos lindos, seja pelas garotas super incríveis!
comentários(0)comente



Amanda 17/01/2011

"Há milhares de anos esses seres viviam em nosso planeta, em perfeita harmonia com os humanos". Só que eles decidiram que não queriam mais paz e entraram em guerra com os homens e foram presos em outra dimensão. De tempos em tempos a barreira começa a se abrir e esses seres, os youkais, tentam atravessar e para proteger os humanos deles é que existem os Guardians.

Os guardiões são 12 humanos cada um representante de um signo que tem o poder e o dever de eliminar os youkais e fechar a barreira. Normalmente eles conseguem mantê-la fechada por décadas. Infelizmente da última vez um dos 12 não estava presente e isso gerou graves consequências: dois guardiões mortos, um gravemente ferido e a barreira voltou a abrir após alguns anos.

E é por isso que agora os filhos desses guardiões estão se encontrando para mais uma vez fechar a barreira, treinados plea antiga guardiã de Áries. Ah, eu não contei né, o poder do signo é passado de geração a geração...pois é, são sempre descendentes. Todos os 12 se encontraram no Japão, só que nem todos despertaram a energia necessária para fechar a barreira, o que é um problema. Mais a maior confusão é como existe guardiã de Câncer, afinal o antigo morreu aparentemente sem deixar filhos....

É muito interessante ver o temperamento de cada um influenciado por seu signo, o relacionamento entre eles ou melhor, em alguns casos, a falta de relacionamento uahuah. E ao mesmo tempo em que enfrentam os youkais e tentam proteger os humanos, ainda tem que descobrir como se darem bem ou pelo menos como não matarem uns aos outros.

No meio disso tudo você tenta descobrir qual é o mistério que envolve o antigo guardião de Câncer e porque Anne ( a atual) não poderia ser guardiã. Vai descobrir que a história dessa brasileira, criada quase que presa dentro de casa (é sério!), é ainda mais complicada do que parece. E não para por aí. A vida de Hikari (atual guardiã de Áries) também envolve algum segredo. Afinal porque sua mãe se recusa a todo custo a revelar quem é o pai da japonesa??

Mas pra mim, a melhor é a aquariana (puxando sardinha pro meu lado, claro!). Ela é a mais nova do grupo, tem apenas 12 anos, mas é fofa e corajosa (mais que alguns outros, inclusive) e também tem um temperamento que meio que lembrou eu, sabe como é né uahuahuaha. Eu certamente teria a mesma reação que ela em vários momentos...

" Live se preparava para se defender e contra-atacar...Mesmo sem fazer a menor idéia de como faria isso. Mas iria derrotar aquele youkai, de qualquer maneira..."

"Não tinha residência fixa por mais de dois anos. Dizia-se 'cidadã do mundo'" (A antiga guardiã de aquário)

Eu adorei o livro, e estou me contorcendo de curiosidade pra ler o segundo e o terceiro (esse negócio de série acaba comigo kkkk). É muito fácil de ler Guardians, você começa e não consegue largar o livro. É o tipo de história com personagens que, ok tirando a parte dos poderes, poderiam ser seus amigos, muito reais. Ainda por cima o livro é lindo, cheio de desenhos das cenas :D

http://vicioemlivro.blogspot.com/
Josy-chan 04/02/2011minha estante
Com certeza a Live é a melhor. A personagem mais incrivel da Lucy, e rouba, literalmente TODAS as cenas! *apaixonada pela Live*


Amanda 05/02/2011minha estante
Josy, ela é mesmo maravilhosa!! Estou louca pra ler a continuação e saber mais sobre ela porque a Lu disse que no 2º ela aparece mais :D

Ah, está rolando uma super promoção dos marcadores de Guardian autografados no meu blog
http://vicioemlivro.blogspot.com/2011/01/promocao-guardians.html




Felipe 04/01/2013

Books All Over You - http://booksalloveryou.blogspot.com.br/
Uma aventura fantástica, cheia de ação, romance, drama, e claro, tensão sexual. Guardians, da autora nacional Luciane Rangel é um livro que desperta em nós leitores um misto de emoções, e nas primeiras palavras nos prende a trama que se desenrolará. Isso porque a autora escreve de forma simples e objetiva, mostrando o quanto ela é sincera com sigo mesma e com a própria história.

Em Guardians somos apresentados a um mundo onde uma grande ameaça está prestes a dominá-lo, e destruí-lo, os Youkais, espíritos com formas animais/e ou humanoides que sugam a vida dos seres humanos (quem assiste a animes ou lê mangás devem saber do que estou falando), e quanto mais vidas eles tiram, mais a barreira que protege o nosso mundo do mundo deles é desfeita e mais Youkais, cada vez mais fortes vêem a Terra. E para proteger-nos desse mal existem os Guardiões, jovens guerreiros dotados de poderes horoscópios (leão, touro, aquário, câncer, escorpião, etc.) eles são os únicos capazes de sentir o Youki (força Youkai) e derrotar os Youkais. Seus poderes são hereditários, ou seja, passado de pai para filho, mas a geração atual de guardiões vem enfrentando alguns problemas, pois diferente da anterior, nem todos despertaram os poderes ainda, e para isso exige muito treino e paciência, mas a situação da barreira está muito crítica, e a missão dos Guardiões e juntar os poderes para fechá-la, mas para isso acontecer, todos devem ter os seus poderes despertos para que o lacre seja feito corretamente sem dano algum aos mesmos.

Em Guardians encontramos treze personagens principais, cada um com uma característica diferente e personalidade também. Conhecemos bastante de cada um, tanto que é até difícil de escolher um favorito.

Luciane aborda temas de gente grande, em um livro para jovens. Para mim, é justamente esse fator que torna o livro irresistível. Prostituição, homossexualismo, sexo, violência doméstica, são tratados de forma simples e clara, a autora sabe usar as palavras, e a história por causa desses elementos não se torna pesada, e muito menos forçada.

Outra característica marcante é o estilo mangá que o livro tem mesmo tendo algumas ilustrações no estilo, a autora conseguiu passar para a escrita o mesmo.

Acho que essa foi uma das resenhas mais difíceis que já escrevi, não sei se é pela quantidade de personagens ou pelos temas abordados, só sei que Guardians me envolveu de uma forma enlouquecedora, e no final a única coisa que me veio em mente foi: Bis!
comentários(0)comente



Kel Costa 11/11/2011

Aventura irresistível, viciante e emocionante!
Guardians é simplesmente impossível de largar. Quando comecei a ler, logo no primeiro capítulo, cheguei a pensar que a história talvez pudesse ser um pouco infantil para mim. Erro meu! Logo no final deste mesmo capítulo eu já estava viciada no livro e doida para saber mais. Apesar de nunca ter gostado muito de desenhos japoneses e história do tipo, era assim que eu enxergava Guardians enquanto ia lendo. Dava para imaginar direitinho as cenas que envolviam lutas com os youkais!

Luciane Rangel criou essa história redondinha sobre os Guardiões e não decepcionou. Um livro que poderia ter se tornado complicado por possuir tantos personagens, mas que fluiu perfeitamente comigo. A autora mostra um pouco sobre cada Guardião usando a narrativa em terceira pessoa e, portanto, dá para o leitor conhecer e se apegar a cada um deles. Anne é aquela pessoa que dá vontade de proteger, de tão boba e ingênua que é. Às vezes eu pensava se era possível mesmo alguém ser tão inocente quanto ela. A pobrezinha sofre um bocado na mão do pessoal rs.

Tive minhas quedinhas básicas por alguns personagens, como o Sniper que é fantástico! Nossa, ele é hilário e irresistível com o seu jeitinho “eu me acho o melhor”. Há algo em Sniper que quebra essa imagem de antipático que inicialmente o leitor pode ter dele. O Ryan é outro que ganhou rapidamente minha simpatia, com sua neurose de virginiano. Sério, eles dois garantem sozinhos a parte cômica da história. Já minha antipatia, esteve toda ao lado de Sofie. Não consegui engolir a mulher de jeito nenhum, pelo jeito nojento como ela tratava Anne e a própria filha. Queria ser um mosquitinho para chegar ali no meio deles e falar “ei, se liguem, Sofie é uma vaca!” =D

Não é só de aventura que Guardians é feito. Há um certo segredo no ar que Sofie luta para esconder e que Luciane fez o favor de não revelar – tive vontade de bater na porta dela de madrugada para comprar Guardians volume 2 – e adianto que é um mistério muito, muito grande, que provavelmente vai abalar as estruturas do grupo. Aquela mulher não esconderia nada com tanto afinco, se não fosse algo avassalador. Além disso, é encantador ver e torcer pelos possíveis casais que irão se formar e eu já tenho meus preferidos!

Guardians resgatou minha imaginação de criança, da época em que queria ter poderes e lutar contra o mal, me metendo numa super aventura cheia de perigos. Acho que toda criança teve essa fase, né? Bem, espero que sim. rs. Não pensem, porém, que isso torna o livro infantil. Ele não é! Só resgata esses sentimentos do leitor. Pelo menos comigo foi assim.

A capa é super bacana, com a imagem de todos os personagens e as características deles bem desenvolvidas. No início da história, conforme eles iam sendo apresentados, eu ia olhando a página para gravar a imagem de cada um na mente. Isso sem contar as diversas ilustrações dentro do livro, o que torna a narrativa muito mais interessante. Recomendado!

[Leia a resenha na íntegra]
http://www.itcultura.com/2011/11/resenha-guardians-luciane-rangel/
comentários(0)comente



Suellen-san 14/05/2012

Bem... Fazer uma resenha é difícil, principalmente, quando esse livro é de uma pessoa que conheço virtualmente. Mas vou tentar...

Li o livro em dois dias por conta da dengue, mas lhe digo que por conta da leitura até que esqueci as dores e pude apreciar uma maravilhosa obra.

A capa é bem chamativa, as letras são do tamanho maravilhoso e as ilustrações são perfeitas só o que me deixou triste foi que acabou logo na melhor parte. Puxa! Eu estava gostando da leitura e quando o negocio ia pegar fogo e o babado ia seguir parou tudo e eu fiquei chateada com Lucy. Mas eu a perdoo. Por um único motivo tem continuação.

Bom... A trama é perfeita, eu me senti a própria Anne sem saber onde estava e o que fazer. Creio que essa personagem – Anne Soares – é como você na narrativa. Adorei! Se essa não foi a intenção acabei acreditando nisso. Claro que o que chamou a minha atenção foi a interação, pois os nossos ‘heróis’ não só tinham uma vida ‘normal’ mais tinham que lutar contra um inimigo e contra a própria humanidade. Soa estranho, mas dá para compreender.

Alguns temas foram bem abortados com os relacionamentos amorosos entre uma pessoa mais velha e um jovem rapaz, o homossexualismo e a exploração sexual a qual fiquei de boca aberta.
Sem contar é claro que Lucy – menina malvada – deixou euzinha na expectativa do que realmente vai acontecer. Ai! Que ódio! Cadê o dinheiro quando se precisa para terminar de ler essa danada de trilogia?

Os personagens são incríveis, cada um ao seu modo, eu morri de ri, fiquei furiosa, quase matei um de porrada em pensamento, chorei e posso dizer... Luciane Rangel conseguiu um feito maravilhoso comigo, fazer euzinha usar a minha imaginação de forma que dava para ver e sentir tudo.

O que mais escrever? Sim. O personagem que me identifico... Desculpa Josy, mas Live é uma graça e do nosso signo, mas Micaela se tornou a minha personagem favorita por não só ser míope como pelas confusões hilárias com Mau e a paixão dela... Ai! Simplesmente me vi nela apensar de não ter a mesma opção sexual dela, mas me vejo muito na história dela e adorei!

Ai! Eu nem sei mais o que escrever só posso dizer:

QUANDO FOR ADQUIRIR A PRIMEIRA SAGA COMPRE LOGO O PACOTE PORQUE É MARAVILHOSO! E VOCÊ NÃO FICA COMO EU ANSIOSA PORQUE NÃO TEM DINHEIRO, MAS CASO ALGUÉM QUEIRA ME DÁ DE PRESENTE FIQUEI A VONTADE.

Agradeço a todos e principalmente a sorte por ter ganhado esse livro e ter lido e ter amado e ter tudo. Afe! Nem sei o que dizer acho que a frase acima resume tudo. Recomendo.
comentários(0)comente



Luiz Teodosio 31/03/2012

Simples mas original
Não creio que conseguiria escrever uma resenha sem exprimir algumas passagens de teor pessoal e empírico. Portanto, acabarei, além da crítica, pincelando alguns assuntos pertinentes.

Fic Guardians

O mundo das fanfics é um espaço interessante onde escritores e leitores desdobram alguma paixão em comum. Um fã de Harry Potter, por exemplo, pode ler e escrever histórias no mundo criado por J.K.Rowling, e de maneira alguma isso aflige os direitos autorais da autora, uma vez que a criatividade do fã que escreveu a fanfic não está voltada ao ganho financeiro, mas simplesmente ao retorno de leitores. Embora a maioria das fanfics não contenha uma escrita apreciável do ponto de vista linguístico ou mesmo de coerência de enredo ou ainda careça de fidelidade à obra original, é um meio estimulante à leitura e escrita. Eu próprio já fiz parte desse cenário, escrevendo fanfics de Naruto e... bom, acho que foi só de Naruto, rsrs. Eu era um fã na época, “tebayo” (e ainda sou).
Mas no universo das fanfics também há as fics, que diferente daquelas, são histórias originais não baseadas em qualquer outro universo já criado. Era nessa área que eu mantinha minha escrita e leitura. Até mesmo o livro que estou escrevendo já figurou no âmbito das fics. Guardo lembranças nostálgicas dessa época, e dentre as minhas leituras estava Guardians, de Luciane Rangel.
Guardians provavelmente foi uma das primeiras fics que comecei a ler. Vê-la publicada traz-me um sentimento de admiração. Na ocasião, fez muito sucesso pelos fóruns e sites de fanfics por onde passou, angariando um bom número de leitores. Eu era um deles. Porém, como não gostava (e ainda não gosto) de ficar lendo textos na tela do computador, acabei deixando a leitura em hiato para retomá-la nalgum momento futuro. Para quem não sabe, as fics geralmente são lançadas em intervalos regulares; os autores, antes mesmo de escreverem toda a história, colocam capítulos à disposição do público leitor: é como se esperássemos o capítulo de um mangá ou o episódio de uma série a cada semana(embora o lançamento dos capítulos não cumprisse necessariamente o intervalo de uma semana — aqui encaixava-se Guardians —, dependia muito do autor). Por isso, se tem algo que acho que me arrependo foi de não participar daquele processo de feedback animado de comentar os capítulos após serem lançados.
Mas como remissão, tenho em mãos a primeira parte da fic escrita pela Luciane; então acho que, desta vez, posso compensar um pouco as impressões que deixei de exprimir.

Os desenhos


Independentemente da história, é difícil imaginar Guardians sem os desenhos da Ana Cláudia Coelho, a desenhista responsável por todas as imagens presentes no livro. Embora seja muito natural que o leitor esboce ao seu jeito os personagens de um livro, Guardians oferece uma imagem pronta dos personagens, num estilo que lembra os traços das animações japonesas. Não é por acaso, visto que tanto a autora como a desenhista são apaixonadas pela cultura oriental, fato este que é enaltecido pelo cenário onde a história se desenrola: o Japão.
É uma pena que o livro não contenha todos os desenhos da Ana e sejam em preto e branco. Quando Guardians era uma fic, havia mais figuras e todas coloridas. A opção pelos desenhos ao longo do texto acaba por transformar o livro numa espécie de light novel (veja aqui a resenha de uma Light Novel para saber a que me refiro).
As ilustrações de Guardians não são apenas um adorno para tornar o livro charmoso, mas parte dele, dando uma cara pitoresca e única à história.

Escrita

Como mencionei acima, Guardians aproxima-se muito ao estilo de Light Novel, e provavelmente essa característica deve atrair o interesse dos leitores que curtem mangás e animes. A linguagem é objetiva e coloquial, contribuindo para o ritmo acelerado da leitura de quase trezentos e cinquenta páginas em que muitos eventos acontecem. Para os que gostam desse estilo rápido de escrita, isso é um ponto a favor.
As descrições sucintas, porém, poderiam ter sido deixadas de lado em alguns momentos que careceram de maiores detalhes para imprimir melhor o ambiente onde os personagens estavam inseridos. Algumas peculiaridades de Tóquio ou de outros distritos visitados pelos personagens ganhariam mais vida na mente do leitor se fossem mais descritas.
Infelizmente, o livro não contou com uma revisão apurada capaz de reparar alguns erros de escrita — um deles achei muito grave para estar num livro publicado. A repetição de palavras e a descrição similar dos personagens para descrever determinadas ações também foi um aspecto negativo que pode aborrecer leitores mais exigentes. Erros do tipo são comuns de se ter numa fic, pois os leitores (pelo menos aqueles que têm um bom senso crítico) apontam para o autor um erro aqui e ali a fim de melhorarem o texto. Porém, num livro publicado não se tem essa chance, é preciso revisar o original o máximo possível para que ele tenha o mínimo de erros. Se houve alguma revisão de Guardians na passagem de fic para livro, não foi o suficiente para tapar alguns buracos.

História

Apesar dos pontos negativos que acabei de ressaltar, Guardians tem um ás na manga, e foi isso que o tornou tão bem visto quando era uma fic: a história. Um grupo de guardiões, regidos pelos signos do zodíaco, que precisam se unir para lacrar uma fenda na barreira dimensional através da qual youkais invadem o nosso mundo pode parecer um enredo um tanto clichê e pouco atraente, mas não significa dizer que é uma história ruim. Nunca é bom julgar um livro pela sinopse, pois ela apenas sintetiza o pouco do que você vai encontrar, e não tudo o que você irá encontrar. Algo que sempre gosto de salientar é que o escritor não precisa de um enredo super inovador para contar uma boa história. Ele pode partir do básico, da mais simplória ideia, que nem por isso será necessariamente um história repetitiva e sem graça. O segredo reside em como você vai contar essa história, como se dará o seu desenvolvimento capaz de instigar o leitor através de uma temática simples. É aí que entra a criatividade do escritor. E a autora de Guardians conseguiu demonstrar essa criatividade.
Apesar da sinopse apontar para eventos de fantasia, a história foca-se nas relações entre os personagens, relegando a parte principal da batalha dos guardiões contra os youkais e polvilhando o enredo com tramas mais realistas. Esse foi um ponto bastante chamativo em Guardians, pois no meio de uma história de fantasia, temos, por exemplo, questões de relacionamento homossexual, prostituição de jovens que são enganadas e levadas a outros países, e outros assuntos bem interessantes para se ter num gênero fantástico. Aliás, esse fato corrobora a classificação etária de 16 anos indicada na contra-capa. Mas convenhamos que num país como o Brasil, onde o entretenimento visual (novelas, filmes) está tão saturado de assuntos adultos, essa classificação poderia até mesmo decrescer um pouco.
Não bastasse isso, os personagens são carismáticos. Compõem o ponto forte do livro, divertindo e emocionando os leitores. Cada um deles é dotado de personalidade, e a autora soube como guiá-los muito bem durante a história. É fácil se familiarizar com eles, e em poucas páginas sentimo-nos com um grande desejo de conhecê-los melhor. Não sei se consigo apontar um preferido. Eu gostei muito do jeito certinho do Ryan, mas eu simpatizei mais com o aspecto mais fechado do Qiang, pois pareceu-me um personagem misterioso com uma história dramática velada nas suas ações retraídas e vingativas; personagens assim me instigam.
A única crítica negativa que faço nesse quesito é sobre o final. Acredito que a autora tenha simplesmente dividido em três volumes os capítulos originais da fic. Ou seja, quando chegamos no final do livro, se parece apenas com o término de um capítulo qualquer. A autora poderia ter feito algumas alterações para fechar parcialmente algumas tramas do livro e instigar o leitor para o próximo volume.

Guardians pela internet

Quando eu havia dito no começo do texto que Guardians foi um fenômeno no universo das fics, eu não estava de brincadeira. Por ter conquistado o respeito e a admiração de fãs, várias fanfics de Guardians foram escritas desde a sua criação. E isso não significa pouca coisa, pois é realmente difícil uma história despontar na internet a ponto de maravilhar os leitores. O fato de ver fanfics de sua própria história deve ser o feedback máximo para um “ficwriter”(escritor de fanfics e fics).

comentários(0)comente



62 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5