O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo

O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo Bento de Luca




Resenhas - O Príncipe Gato


57 encontrados | exibindo 46 a 57
1 | 2 | 3 | 4


Fabiane Ribeiro 03/02/2012

Resenha - O Príncipe Gato
Com muita alegria, hoje trago para vocês mais um livro nacional, de dois autores estreantes e super talentosos! Através do pseudônimo Bento de Luca, os primos Marcelo Siqueira e Gustavo Almeida, criaram uma obra memorável. E o melhor de tudo é que se trata apenas do primeiro volume de uma trilogia! Ou seja, ainda teremos mais dois volumes para curtir essa super narrativa.
Criativo, fantástico e engraçado: assim é O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo.
A história começa quando um rapaz, de nome Hugo, caminha pela Avenida Paulista e decide entrar em uma livraria. No local, ele acaba encontrando um gato lendo um livro sobre catedrais. Mas, após um rápido e misterioso sumiço do felino, ele pensa que foi apenas uma alucinação.
Nessa primeira passagem já temos um ponto super positivo da história: tendo a capital paulista como palco dos acontecimentos, o livro fez com que eu me sentisse em casa. Foi um barato ler as aventuras acontecendo em locais que eu conhecia, como a Catedral da Sé, a estação Jabaquara e o Parque Trianon. E, mesmo os brasileiros dos diversos cantos, que não conhecem muito da cidade, ficarão felizes por ver uma obra ambientada no próprio país.
O gato, na verdade, é vindo de outras terras. Ao longo dos capítulos, vamos descobrir que ele é o atual príncipe do reino de Marshmallow e chegou a São Paulo através de um buraco de minhoca.
Com tentativas inusitadas de se aproximar de Hugo, após o rápido encontro na livraria, O Príncipe Gato acaba chantageando o humano a ajudá-lo em sua missão: encontrar a ampulheta do tempo, escondida em terras paulistanas, para salvar Marshmallow da destruição.
Quando, enfim, Hugo cede e acaba por ajudar o felino, a narrativa nos leva a linhas de muita aventura. Caçados pelos Feiticeiros e seu terrível exército de bonecos de pano e besouros, o humano e o felino, que nunca se deram bem realmente, acabam tendo que trabalhar em equipe. Falando em equipe, ela ganha um novo membro que, confesso, é o meu preferido: o ratinho Eleanor! Ele é demais! Super esperto, sempre tem uma surpresa no decorrer das aventuras. Quando necessário, ele acaba demonstrado que tem tendências médicas, culinárias e até de artes marciais, além de falar vários idiomas. Trata-se de um rato com conhecimentos de décadas, visto que ele foi enfeitiçado para viver muito e esperar que o Príncipe de Marshmallow viesse em busca da ampulheta. Ou seja, ele é fundamental para o sucesso da empreitada de Hugo e do Príncipe Gato.
Foi muito interessante descobrir que tudo tinha uma explicação e que até o fato de a ampulheta estar em São Paulo tinha uma ligação com o passado.
O final é pura ação, em túneis e passagens subterrâneas, que podem levar ao propósito inicial da jornada dos três companheiros. E fica o gancho para o próximo volume. Então, peço aqui aos autores para escreverem logo a continuação (como se fosse fácil, eu sei) e para me darem de presente o Eleanor! Eu já tive ratos, hamsters, esquilos e, como boa escritora e veterinária, adoro personagens que são animais falantes, ainda mais poliglotas! Bem, já sabem o que quero de presente...rs.
O livro é recomendadíssimo, sou suspeita pra falar, mas é hora de valorizarmos nossos autores nacionais e, aqui, temos uma obra de qualidade, garanto! Quem gosta de ação, aventura, humor (o livro é repleto de passagens engraçadas, principalmente devido ao fato de os 3 companheiros não se tolerarem por completo) e fantasia! A narrativa é feita de forma que varia entre os capítulos, sendo narrada em partes pelo Gato, outras pelo Hugo e até pelo Eleanor ( S2 ).

Trecho: “O Príncipe, em um ímpeto de fúria, sacou sua arma e pulou na direção do Feiticeiro provocador (...). Marcou-lhe a face com uma cicatriz. Imediatamente, notei Eleanor saltar em direção a um segundo oponente, em uma espécie de voadora muito bem aplicada. Espantoso! Aquele rato me surpreendia até nos momentos de maior tensão – afinal, ele conhecia artes marciais? Em seguida, os Feiticeiros desataram a disparar golpes mágicos contra nós. A guerra estava iniciada.” (pág. 211)

Informações:
Título: O Príncipe Gato
Subtítulo: A ampulheta do tempo – Livro 1
Autor: Bento de Luca
Gênero: Fantasia, Ficção
Editora: Novos Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 304
comentários(0)comente



Fabio Brust 01/02/2012

"O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo", de Bento de Luca
Bento de Luca, pseudônimo dos primos Marcelo e Gustavo Siqueira (entre outros sobrenomes que acabei não decorando), oferece uma história de fantasia que se passa, surpreendentemente, no Brasil. Mais especificamente, na cidade de São Paulo, conhecida pela correria, pelo estresse e por ser um centro econômico forte - um local onde quase ninguém poderia imaginar situar uma história deste tipo. Os primos, no entanto, imaginaram e conseguiram criar uma história de força e plausível (no âmbito da mesma, obviamente), capaz de tragar o leitor para seu interior e fazer com que realmente se veja que, mesmo em uma cidade cinzenta como São Paulo pode existir magia.

A história possui três personagens principais: Hugo, um jovem morador de São Paulo que se mete na aventura por acaso ao encontrar o que dá nome ao título em uma livraria na Avenida Paulista; o Príncipe Gato, habitante de Marshmallow e o escolhido para tentar salvar seu mundo da perdição; e Eleanor, um determinado e esperto rato com diversas habilidades inesperadas.

Como acontece com as primeiras histórias de escritores iniciantes, a história não começa com o mesmo ritmo que tem mais adiante. Ela avança em acontecimentos e, também, em narrativa: é notável o progresso da escrita dos autores conforme as páginas são viradas, sendo que o final é escrito com primazia, as batalhas descritas de maneira ágil e empolgante, fazendo com que se sinta alguma excitação com os movimentos ágeis do príncipe ou dos feitiços de seus oponentes. Seria interessante se todo o livro fosse escrito da mesma maneira como é terminado, o que faria com que a inusitada história fosse ainda melhor.

Um dos melhores pontos do exemplar é o final contando com "Extras - Relatos removidos", que foram capazes de tapar muitos dos furos da história com algumas explicações rápidas de diferentes pontos de vista de situações que já lemos durante o livro. O fato de essas explicações terem sido apresentadas em extras, e não no decorrer da história, foi uma bela sacada. É interessante perceber as pontas soltas serem cuidadosamente reunidas e postas no lugar, tentando fazer a história fechar. Apesar de alguns furos continuarem e muitos deus ex machina (a respeito dos quais tratei no meu blog há pouco tempo), a história é forte e muito legal.

O maior trunfo do livro, no entanto, acaba por ser, também, seu maior defeito. Cada um dos capítulos é iniciado com o nome de quem o conta, permitindo que a história possa ser contada em pontos de vista diferentes, o que poderia dar uma dinâmica muito boa à mesma. Isso, no entanto, não acontece por um simples detalhe: as narrativas são exatamente iguais. As mesmas interjeições, expressões, palavras são usadas pelos três personagens-narradores, fazendo com que fiquem exatamente iguais e exterminando toda a personalidade criada para eles na trama em si. Simplesmente não faz sentido que o Príncipe Gato e Hugo, por exemplo, pensem exatamente da mesma maneira, principalmente sendo tão diferentes um do outro. Era de se esperar que o Gato utilizasse expressões que fossem de Marshmallow, e não as da Terra. Afinal de contas, ele é um forasteiro e, apesar da explicação dada nos extras, é impossível que, apenas examinando São Paulo por alguns dias, tenha incorporado a seu vocabulário expressões tipicamente paulistanas e brasileiras.

O mesmo acontece com Eleanor, embora seus capítulos sejam menos frequentes e sua estranha mania de misturar idiomas apareça de quando em quando. Apesar disso, os fragmentos da história deveriam, talvez, em uma reedição, serem repensados para melhorar-se esse quesito. Outra questão que incomodou - pelo menos a mim - foi o excesso de vícios de escrita. O principal: "Confesso", "Admito", "Não vou mentir" e variados. Os três personagens pensam da mesma maneira e insistem em repetir essas palavras a cada duas páginas, tornando as expressões chavões e fazendo com que cada uso de uma delas pareça gritante e completamente errado.

Apesar disso, entre prós e contras, a história dos primos Marcelo e Gustavo merece ser lida principalmente por tornar São Paulo capaz de hospedar uma história de fantasia, e, também, pelo trabalho primoroso ao encaixar seus estilos de escrita. Sinceramente, duvido que eu adivinharia ter sido escrito por duas pessoas, caso o fato de serem duas pessoas estar explícito na segunda orelha.
---
Mais resenhas (e algumas outras besteiras) em www.fabiobrust.blogspot.com
comentários(0)comente



Linny 30/01/2012

Diferente e Criativo.
O livro O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo conta a história de um felino falante que precisou viajar através de um túnel dimensional que interliga dois mundos a fim de encontrar um objeto importantíssimo; uma lendária ampulheta que é a única relíquia capaz de salvar Marshmallow a sua terra natal. Porém o gato não foi o único ser que passou pelo portal, seres malignos poderosos chamados de Feiticeiros também estão em busca do objeto precioso e farão tudo o que puderem para concluírem os seus objetivos.
Além de seus inimigos o Príncipe Gato tem pouco tempo para encontrar a ampulheta, mas possui algo em seu favor; fez amizades e estes o ajudarão a desvendar os enigmas de onde se encontra o local secreto do objeto e a lidar com os desafios de sua jornada.

Esse livro é diferente de tudo que já li! Os autores realmente foram bem inovadores em criar uma história onde o personagem principal é um gato que vive em outro mundo e possui uma personalidade marcante; ele me lembrou a todo momento o Gato de Botas de Shrek, pois os dois possuem aquela mesma auto confiança e bravura.
Como eu já havia dito antes, adoro livros nacionais que se passam no Brasil e esse além disso, trás lugares que são bem conhecidos para mim, como o local do túnel por exemplo, que está localizado na Avenida Paulista, mas especificamente no Parque do Trianon em São Paulo. Acho interessante quando a história acontece em lugares que já visitamos pessoalmente, ouvimos falar ou temos conhecimento de sua localização, porque ao meu ver mostra uma coisa mais real ao leitor, pois pode-se imaginar as cenas com mais clareza.
Além da criatividade da história os personagens foram bem criados, o Príncipe Gato é hilário, ele se mostra rabugento mas na realidade é um gato dócil e gentil. O Hugo, humano que faz amizade com o felino é um rapaz determinado, mas que enfrenta um fase difícil de sua vida, o rato Eleanor foi o que mais gostei, imaginem só ele é super inteligente, ágil, poliglota e acima de tudo é destemido! Os vilões são bem diferentes eles possuem uma magia de transformar qualquer ser vivo em bonecos de pano e estes passam a servi-los para os seus objetivos sombrios. Por esse motivo não pude deixar de me divertir, ao imaginar uma cena que acontece na história; várias pessoas acabam sendo transformadas em pleno agito da Avenida Paulista na época do Ano Novo, que confusão! Rs.
Para finalizar recomendo esse livro para todos aqueles que adoram uma história de aventura, mistério, com cenas engraçadas e magia.
comentários(0)comente



Paty 18/01/2012


Se eu encontrasse um gato falante,de quase um metro de altura, com olhos de duas cores, que andasse sobre duas patas e ainda falasse, com certeza eu me assustaria, e foi o que aconteceu com Hugo.


Hugo um rapaz , de poucos amigos , solitário que evita lembrar os acontecimentos do passado, não acredita no que vê quando se depara com um gato lendo numa sala reservada de uma livraria, espantado ele decide ir embora sem comentar o que viu. Mas em seu apartamento ele encontra um bilhete que tirou a tranquilidade de sua vida...o gato falante(nesse parte ele não teve mais dúvidas da existência do gato) vindo de um mundo chamado Marshmallow pelo burado da minhoca, precisava de sua ajuda para recuperar um objeto perdido ‘A Ampulheta do Tempo’ e evitar que seu mundo fosse destruído . Apartir daí eles vivem grandes aventuras. E pelo caminho conhecem Eleanor , um ratinho muito sábio, que será essencial pra desvendar os segredos que cercam a ampulheta.





"Se todos os jovens tivessem o caráter que você me demonstrou, eu poderia ficar mais sossegado com o futuro do mundo." p.53



A diagramação é bacana,achei fofa as patinhas que separam algumas passagens, há desenhos de patinhas também nos números da página.


A leitura é daquelas que vão de vento em polpa, a gente não cansa, não tem vontade de parar, e a expectativa do que está por vir anseia pela leitura da próxima página.


O livro mescla um pouco de humor com suspense e aventura que só tem a prender a gente mais ainda.


O gato tem um desenvolvimento bárbaro na trama, o ser arrogante do princípio se mostra totalmente humilde no final, e isso graças ao reconhecimento do valor da amizade.


"E ninguém entra em uma briga achando que está errado. Alguém sempre precisará ceder. Fato." p.61



O quesito criatividade merece destaque: um gato fora do normal é príncipe de um reino chamado Marshmallow, um rato falante e muito inteligente, cachorros feiticeiros e besouros espiões fazem parte dessa jornada.






Os capítulos são contados a partir do ponto de vista de cada personagem, isso vai sendo mesclado durante toda a história e nos dá uma visão do pensamento de cada um, achei isso ótimo.

Outra coisa legal é que no final do livro tem uns capítulos onde são esclarecidos alguns pontos, dando assim um fechamento na trama. Mas ainda deixando uma pontinha solta pra dar corda pra curiosidade e para o que está por vir no próximo livro, já que esse é o primeiro de uma trilogia.





" E saibam que todos aqueles que por nossos caminhos passaram jamais nos deixrão sozinho; guardamos suas memórias, e de certa forma seremos parte delas. Sempre haverá um fulgor eternos de lembranças, aconteça o que acontecer." p.153



Altamente recomendado. Estou doido pelo próximo livro.











comentários(0)comente



Aline Prates 30/12/2011

Certo dia enquanto estava na biblioteca,Hugo decidiu ir à sessão de “Livros Raros”, e ao abrir a porta viu algo surpreendente: um gato gigante de pelos brancos com uma pochete na cintura estava deitado lendo um livro sobre antigas catedrais. Hugo rapidamente fechou a porta. Isso era impossível, deveria estar tendo alucinações. Ao abrir a porta novamente o gato não estava lá, mas o livro continuava no chão. Que coisa estranha! Talvez estivesse mesmo enlouquecendo...
Ninguém acreditaria nele, provavelmente era o calor, ou estava realmente maluco...

Naquele mesmo dia ao chegar em casa Hugo encontra um bilhete preso com uma faca em seu criado-mudo, onde o misterioso remetente diz estar com algo seu muito valioso e marca lugar para se encontrarem, e lhe devolver o objeto. Ao verificar que realmente haviam levado algo que para ele era de grande valor sentimental, Hugo decide de se encontrar com o ladrão.
Porém ao chegar no local marcado Hugo leva um susto ao descobir que o misterioso ladrão era justamente o gato que vira na biblioteca.
O Gato, então se apresenta como o Príncipe Gato de Marshmallow, um mundo além do nosso e dizer que chegou até ali através de um portal, conhecido como Buraco da Minhoca e que estava ali em busca da Ampulheta do Tempo, um artefato mágico que poderia salvar Marshmallow, que estava em grande pergio. Mas para isso ele precisaria da ajuda de Hugo. Aliás ele chantageia Hugo dizendo que só devolveria seu pertence se ele o ajudasse nessa empreitada.

Apesar de achar toda a história impossível e absurda, Hugo decide ajudá-lo, principalmente após presenciar uma cena provocada pelos feiticeiros de Marshmallow, que haviam adentrado a Terra pelo Buraco da Minhoca e que também procuram pela Ampulheta.


Então juntamente com Hugo e Eleonor (um rato extramante sábio e falante) o Príncipe Gato parte em busca da ampluheta para salvar seu povo, em uma jornada cheia de aventura.

Esse é um daqueles livros, extremante agradáveis de ler, com personagens maravilhos, vilões cruéis e um mundo encantado.
Os autores foram muito capriochosos ao criar essa aventura e eu realmente recomendo a todos que que gostam de literatura infanto-juvenil.
Vale lembrar que é obra brazuca, o que me deixa ainda mais contente!
Eu só posso dizer que me diverti muito lendo esse livro, que adorei o roedor falante e fiquei encantada com Marshmallow. Esse é um daqueles livros que marca , que nos fez pensar na nossa infancia, daqueles tipos de livros que nos dão nostalgia..
Se você ainda não deu seu presente de Natal O Principe Gato vai agradar a qualquer um, fica a dica!
comentários(0)comente



RUDY 08/12/2011

RESUMO SINÓPTICO:
CITAÇÃO: ” [...] E naquela hora percebi que valia a pena amar,mesmo que houvesse uma perda posterior; era bom guardar aquele magnífico sentimento que não podia explicar.” (pág. 38)

CITAÇÃO: ”Sentia-me bem por ajudar. Poderia simplesmente ficar com a carteira, embolsar o dinheiro, mas eu não era esse tipo de pessoa. Pequenas atitudes como essa fazem toda a diferença em nossas vidas. Se mais pessoas agissem dessa forma, o mundo certamente seria melhor.” (págs 51/52)

RESUMO SINÓPTICO: O Buraco de Minhoca — túnel dimensional que interliga dois mundos — localizado no Parque do Trianon, São Paulo, trouxe um viajante felino, O Príncipe Gato, movido por uma única e importantíssima missão: a busca por uma lendária ampulheta do tempo. Escondida em algum local inóspito da cidade, a relíquia é a única capaz de salvar Marshmallow, terra do Príncipe, que está à beira da destruição. Ele não foi o único a atravessar o portal. Seres malignos, os feiticeiros e besouros espiões, irromperam das barreiras e logo declararam uma caçada voraz, com objetivos mais sombrios… Além de seus perseguidores, o Gato luta contra seu maior inimigo: o Tempo. É preciso encontrar este objeto antes que seja tarde e seu mundo esteja para sempre perdido. Contudo, ele não estará sozinho nesta empreitada e poderá contar com a ajuda de seus fiéis companheiros. O humano Hugo no auge dos seus 18 anos e com uma doença grave e sem retorno, vê o Príncipe Gato na parte de livros raros de uma biblioteca e após superar a resistência em acreditar nas palavras do Gato, torna-se um aliado fiel. O rato Eleanor, súdito de Adir Wosky, ex-morador de Marshmallow e combatente das forças malignas, alia-se a Hugo e o Príncipe Gato e utiliza-se de seus conhecimentos nas diversas áreas para irem em busca da tal Ampulheta do Tempo...

CITAÇÃO: ”-Não seja fútil ao tentar compreender seu próprio desígnio. Até mesmo o mais simples fungo em uma casca de árvore, embora se sinta pequeno ante a magnitude das formas complexas da vida, tem um propósito na manutenção da Essência. Sua existência é mais importante do que jamais pode supor.” (págs. 126/127)

CITAÇÃO: “ [...] Não dou a mínima para quem pensa que isso seria infantil demais, sério; mal-resolvidos são aqueles que tendem a manter uma postura rígida o tempo todo, e ainda por cima guardam no fundo um desejo de ter aproveitado melhor a infância, e sem coragem de tentar recuperar o tempo perdido depois de mais velhos. [...](pág. 147)

Para ler a resenha completa, visite os blogs:
MEU BLOG: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/2011/12/resenha-34-o-principe-gato-e-ampulheta.html

BLOG CRL: http://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com/2011/12/o-principe-gato-e-ampulheta-do-tempo.html

comentários(0)comente



Beatriz Gosmin 02/12/2011

Resenha por Beatriz Gosmin - www.livroseatitudes.blogspot.com :)
Hugo é um jovem rapaz que mora com seu tio-avô em um apartamento no 14º andar. Mas como seu tio-avô precisara se ausentar por certo tempo e por motivos desconhecidos, no momento estava sozinho.

Notei que Hugo é um rapaz um tanto irritadiço, mas acho que isso seja devido aos pequenos ‘azares’ que ele tem em sua vida (como o fato de o elevador de seu prédio ter quebrado e ele ter que subir vários andares pela escada por conta da localização de seu andar). Uma característica bastante marcante em Hugo são seus olhos, uma vez que um deles é verde o outro castanho.

Certo dia quando estava em uma biblioteca e foi à sessão de “Livros Raros”, viu uma coisa que o deixou paralisado e chocado por um tempo: um gato gigante de pelos brancos usando uma pochete na cintura estava deitado folheando um livro sobre catedrais antigas. Hugo rapidamente fechou a porta e refletiu. Não poderia ter visto uma coisa dessas. Abriu a porta novamente para confirmar sua ilusão, mas o gato já não estava lá. Estaria ficando maluco? Não, o livro que ele estava lendo continuava no chão. Mas quem acreditaria nele? Resolveu deixar quieto. Talvez estivesse mesmo um tantinho amalucado. Talvez.

Após chegar em casa e tomar um delicioso banho, Hugo encontra um bilhete preso com uma faca em seu criado-mudo, onde o remetente marcava um lugar para se encontrarem, uma vez que afirmava ter levado algo muito precioso de Hugo. Hugo olha suas coisas e (infelizmente) percebe que seu valioso - e de grande valor sentimental - pingente havia sido levado, e então toma a decisão de se encontrar com o ladrão desconhecido.

A grande surpresa foi descobrir que o suposto ladrão era justamente o gato que vira na biblioteca. Notara que ele possuía os olhos das mesmas cores que os seus, - um verde e outro castanho – mas de lados opostos, falava (coisa absurda) e ainda se dizia príncipe de um lugar chamado Marshmallow. Hugo achou aquilo absurdo, principalmente quando ele afirmava ter vindo por um portal conhecido como “Buraco de Minhoca”. Mas após ser ameaçado pela arma do gato (que aparentava ser uma arma de brinquedo), ele resolve ouvir a história toda.

O príncipe contara que Marshmallow estava no fim dos tempos, e para que não fosse destruída, ele precisava encontrar a Ampulheta do Tempo, pois só ela poderia salvar seu reino. E como ele fora visto por Hugo, ele agora teria de lhe ajudar, pois só assim devolveria seu precioso pingente.(chantagista)

Hugo, mesmo não querendo aceitar toda aquela história maluca, resolve de uma vez por todas ajuda-lo após presenciar cenas nada bonitas provocadas pelos Feiticeiros (cachorros humanóides e malvados), que, para a tristeza do Príncipe Gato, haviam adentrado na Terra pelo Buraco de Minhoca e também estavam interessados na lendária Ampulheta perdida. (claro que para outros fins).

Então, com a ajuda de Hugo e Eleanor (um rato falante que se tornara aliado), o Príncipe Gato luta contra o tempo enquanto busca cumprir sua missão e salvar seu povo.

- Se sentiu no direito de vir aqui? Você está louco? Comeu cocô? E larga o meu controle-remoto!
- Ah, isto aqui? Nem sei como funciona mesmo. A propósito, se eu fosse você tomaria mais cuidado com a forma que fala comigo, já lhe avisei: sou o Príncipe Gato de Marshmallow.
- Ok, senhor Príncipe Gato de "Algodão-Doce", tira essa sua buzanfa gorda do meu sofá.
Só sei que, assim que pronunciei essas palavras, vi uma pistola apontada para mim. A face do gato mudara completamente, os pelos de sua nuca estavam eriçados.
- Repete se tirver coragem - disse o Príncipe entre os dentes.


O que posso dizer sobre o livro? INCRÍVEL. Simples assim.
O trabalho que o Marcelo e o Gustavo desenvolveram neste livro foi único, eles criaram uma história cheia de reviravoltas, mistérios e surpresas. Conseguiram criar sabiamente um mundo novo, com personagens e coisas diferentes do que estamos habituados (tipo vampiros, lobos, etc), coisas como bonecos de pano malévolos, besouros espiões, entre outros.

A personalidade de cada personagem foi cuidadosamente bem elaborada, e eu simplesmente não consigo decidir qual é o meu favorito na história.

Hugo, com todos os seus problemas pessoais e sentimentais (não conto o que é. Ruum.), se mostrou bastante autêntico e decidido, esperto e companheiro. Simpatizei-me muito com ele.

Eleanor se mostrou um rato extremamente sábio, tirando conclusões dos fatos e sempre tendo uma resposta. (sem falar que ele era um tipo “faz-tudo” desde médico a lavador de pratos. É.) Mesmo pequenino, é muito corajoso e astuto, rápido e valente. Adorei este rato!

O Príncipe Gato, bem, ele é único. Arrogante, corajoso, extremamente metido e adora usar sarcasmo e tons irônicos ao falar. Aparenta ser bem durão, mas tem um bom coração.

Desde o início pude notar o conflito que surgiu entre Hugo e o Príncipe, e em todo o livro é exatamente assim: desentendimentos, deboche e uma certa “falta de simpatia” entre os dois. Acredito que isso se deva ao fato de que os dois são bem parecidos, essencialmente.

O bom foi que algumas partes onde um dos personagens se ausentava na história para fazer algo, foram relatadas por eles mesmo no final do livro como "partes retiradas", assim, pude deixar de ficar curiosa sobre o que eles haviam feito naquele momento.

Bom, não tenho mais o que dizer, só sei que o livro entrou para os meus favoritos e agora desejo sua continuação urgentemente. Se eu indico? Acho que não preciso responder. (:

P.S. Cuidado com os besouros, eles podem estar te vigiando. O.o
Túlio 02/05/2014minha estante
Resenha perfeita!




Fernanda 30/11/2011

Resenha: O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo (Bento de Luca)
Bom dia, Caçadores!
Tudo bem com vocês?
Hoje a resenha é nacional!
Sobre um gatinho gato muito esperto.
Vamos começar?


Ed. Novo Século
Selo Novos Talentos da Literatura Brasileira
ISBN: 978-85-7679-601-5
280 Páginas
Skoob

Classificação:
Capa: 8.0
Conteúdo: 8.0
Diagramação: 7.0

Sinopse: Através de um Buraco de Minhoca — túnel dimensional que interliga dois mundos — localizado no Parque do Trianon, São Paulo, surge um viajante felino movido por uma única e importantíssima missão: a busca por uma lendária ampulheta. Escondida em algum local inóspito da cidade, a relíquia é a única capaz de salvar Marshmallow, terra do Príncipe Gato, que está à beira da destruição. No entanto, parece que ele não foi o único a atravessar o portal. Seres malignos irromperam das barreiras e logo declararam uma caçada voraz, com objetivos mais sombrios... Além de seus perseguidores, o Gato luta contra seu maior inimigo: o Tempo. É preciso encontrar este objeto antes que seja tarde e seu mundo esteja para sempre perdido. Contudo, ele não estará sozinho nesta empreitada e poderá contar com a ajuda de seus fiéis companheiros. Fascinante, angustiante e até mesmo engraçada, a história retrata os mistérios jamais desvendados da cidade paulistana, com um toque de magia e esperança.


O que fazer, se você encontra um gato, maior do que o normal, que fala, anda em duas patas e se acha muito astuto?
Pois é, isso aconteceu com o Hugo, um homem que apesar de um pouco rabugento, possui um grande coração, músculo que sofreu e sofre bastante, por um amor que talvez nunca mais retorne.

Para conhecer a resenha completa, visite:
http://www.cacadoradelivros.com/2011/11/resenha-o-principe-gato-e-ampulheta-do.html
comentários(0)comente



Swan 18/11/2011

http://bempramente.blogspot.com/2011/11/resenha-o-principe-gato-bento-de-luca.html?spref=tw
Vindo do reino de Marshmallow, através de um Buraco de Minhoca – túnel interdimensional-, o Príncipe Gato está a procura da Ampulheta do Tempo, um poderoso artefato que lhe permitirá salvar o seu munda da destruição.
Num dia aparentemente normal em São Paulo, Hugo, na tentativa de distrair-se de seus conflitos interiores, acaba entrando em uma livraria. Após tomar um café, ele vagueia pelas seções até que a de livros raros desperta a sua curiosidade. Ao abrir a porta da seção, o que Hugo vê o faz questionar sua sanidade mental. Havia um enorme gato falante sentado no chão da livraria, resmungando enquanto lia um livro!
Atônito, Hugo tenta esquecer a cena absurda e seguir sua vida, mas o Príncipe Gato, que não queria te sido visto por nenhum humano, resolve usar a situação a seu favor e força o rapaz a ajudá-lo em sua busca. Mas tudo se complica quando os Feiticeiros – perigosas criaturas dotadas de grande pode maligno – aparecem. Eles também estão procurando pela ampulheta e estão dispostos a qualquer coisa para consegui-la.

Minha opinião? Uma das coisas que mais gosto sobre esse novo quadro da literatura nacional é que os autores costumam surpreender no quesito criatividade, e este livro é mais uma prova disso. Uma trama envolvente, com personagens divertidos e cativantes.
Outro ponto que merece ser ressaltado é a ambientação da estória, que se passa na cidade de São Paulo. Os autores utilizaram-se de vários pontos de referência da cidade o que, a meu ver, torna a estória muito mais próxima da realidade do leitor.
A narrativa é feita em terceira pessoa tendo como foco ora o Príncipe Gato, ora Hugo. A leitura é fluida e proporciona bons momentos de puro deleite. Devo dizer que adorei tanto a estória quanto os personagens, principalmente Hugo e o Gato, pois ambos têm uma característica que me fascina, a ironia, que torna a trama muito mais divertida. Enfim, altamente recomendado!
comentários(0)comente



Valery 18/11/2011

O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo – Bento de Luca
Resenha

Príncipe Gato: Ele veio para o nosso mundo para recuperar a Ampulheta do Tempo; que é o único objeto que irá salvar o seu mundo da destruição.

Hugo: Foi por acaso que ele foi parar nesta luta por um mundo, que apesar de não conhecer, ele também luta para salvar! Ele é um rapaz adorável e corajoso, apesar do Gato achar que não! É o meu personagem preferido!

Eleanor: Um pequeno roedor cheio de coragem e inteligência que luta ao lado do Príncipe Gato para salvar Marshmallow.

Estes heróis se conhecem de forma totalmente inusitada. Apesar do Príncipe Gato usar de má fé pra carregar Hugo nesta batalha, levando com ele um objeto que para Hugo é muito importante e prometendo a ele algo que não tem certeza de que pode cumprir, ele é um felino carismático e adorável. Ele vem ao nosso mundo, na cidade de São Paulo, para recuperar um objeto que nunca viu, mas que tem fé de que possa salvar seu mundo da destruição. No começo ele não se importa no que terá de fazer para alcançar seu objetivo e salvar Marshmallow, mas no decorrer da estória ele aprende que a amizade é um sentimento poderoso e que pode encontrar amigos mesmo num mundo em que de fato não conhece. Esse trio, Príncipe Gato, Hugo e Eleanor iniciam então uma aventura emocionante em busca da ampulheta. Eles lutam contra feiticeiros poderosos e contra o tempo, que está acabando para todos eles, num sentido diferente para cada um.

Quem curte aventura e fantasia não pode deixar de ler este livro, pois ele é riquíssimo em detalhes. Os mistérios nos levam para um mundo mágico, onde os personagens vão crescendo e se tornando uma peça fundamental no desenrolar da estória e levando o leitor a torcer, se emocionar e esperar ansioso pelo final ¾ que é surpreendente e diferente do esperado. Um livro que deixou uma grande margem para o próximo; que eu espero que seja lançado em breve!

"Você acredita no Príncipe Gato"?
Agora eu posso dizer que sim!

comentários(0)comente



57 encontrados | exibindo 46 a 57
1 | 2 | 3 | 4