A Aprendiz

A Aprendiz Trudi Canavan




Resenhas - A Aprendiz


119 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Bru 16/09/2019

Surpreendente!
Fiquei com medo da história ficar em torno de uma intriguinha ?boba? de adolescentes para preencher a historia do livro mas não foi nasa disso.
A perspectiva do Lorde supremo sobre a situação e o aprendizado da Sonea e o final ?feliz? que me fez literalmente aplaudir o livro.
Incrível como a Sonea conseguiu amadurecer ainda mais.

O que eu mais amei até agora nessa leitura é que não é previsível mesmo quando parece que vai ser. E as coisas que devem ser ditas são simplesmente ditas, sem eu ficar pensando ?ah diga logo isso, para de enrolar?.
Eu sinto como se toda a trama não fosse nada clichê. Super diferente.
História super bem amarrada desde o começo.

Além de tudo isso, embora haja magia, os magos tem limitações mais humanas e a situação em que fez a Sonea ser a personagem principal fez com que o motivo dela ser mais forte que os outros não seja uma mera conveniência.

Ameeeei o Dorrien ter entrado na história. Quem não gosta de um pouco de romance? E mesmo assim, não é o foco do livro. Mas a Sonea se mostra madura até nisso.
Quero com certeza um final feliz nisso também.

A história também aborta intolerância, bullying, homossexualidade, questões sociais...
No mundo real e na fantasia sempre haverá pessoas más, incapazes de respeitar o próximo e as suas diferenças e particularidades.
Sobre homossexualismo, achei demais a abordarem de que não é algo que possa ser ?curado?, nem mesmo por magos e nem mesmo com força de vontade.
Tayend: ?tenho uma convicção própria sobre o que é natural e certo para mim que é tão forte quando a certeza dele sobre o que seja natural e certo?.

Estou curiosa sobre o próximo livro, para saber todo o fechamento das histórias que estão todas interessantíssimas. Até consegui ter um pouco de afeição pelo lorde supremo. Vamos ver se as coisas realmente são o que parecem.
comentários(0)comente



Ela 06/08/2019

"Se a sua aparência é tudo que as pessoas vêem, elas não têm nenhum respeito pela sua mente."Trudi Canavan, O Aprendiz
No segundo volume da Trilogia, Sonea inicia asua educação no Clã dos Magos, seu desafio não é mais controlar sua magia e sim ganhar o respeito e aceitação de seus professores e colegas, o que se torna uma tarefa árdua, pois enfrenta o bullying desenfreado do antagonista Regin, e suas inúmeras tentativas de humilha-la. Achei o livro extenso e repetitivo em muitas partes, porém nesse volume temos mais explicações de como a sociedade dessa fantasia funciona, com todos seus preconceitos (que são muitos), raças, profissões e políticas. O livro tem um universo bem montado, vemos uma sociedade humana como todas as outras com seus problemas e defeitos.
comentários(0)comente



KK 13/07/2019

Luta contra o preconceito
Quando você começa a ler O Clã dos Magos logo percebe que essa não é uma história de fantasia como as outras. Muito além da magia, a trilogia do Mago Negro debate todo tipo de preconceito. A magia é apenas o plano de fundo para discussões muito mais profundas como machismo, homofobia e desigualdade entre classes.

Em A Aprendiz, essas questões ficam muito evidentes a medida que Sonea precisa conviver com seus colegas na universidade. E quando Dannyl deixa o Clã para assumir seu novo posto em Elyne.

Gosto de como a narrativa salta de um personagem para o outro, mostrando acontecimentos paralelos importantes para o amadurecimento de cada um e para o desenrolar da história.

Senti falta do Cery neste livro. E aparentemente a história por trás do Lorde Supremo é muito mais complexa do que parece.

Ponto baixo, mais uma vez, é para a tradução, que deixou passar vários erros de português.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Priscila 09/06/2019minha estante
To tentando tbm mas tá sendo uma leitura lenta




FELIPESONY 26/12/2018

Uau...
Como o primeiro livro, esse me segurou até o fim, leitura muito leve... Personagens memoráveis, amando a trilogia...
comentários(0)comente



Thalles.Haydan 28/08/2018

A Aprendiz
Um livro que é um pouco arrastado... mas tem sempre um final interessante!! a historia te apresenta um semi-vilão que vai criar no leitor um ranço real... (Eu pelo menos senti um real ranço dele...) kkkk mas a história te prende sempre!! um livro grande... com muito explicação de lugar, de sentimento... mas realmente é um livro que vai te envolvendo até você não querer mais largar. Cada virada vai te deixando mais nervoso. É muito bom, recomendo.
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 21/08/2018

A Aprendiz
O primeiro livro terminou com um cliffhanger bacana, descobrimos que nosso poderoso Lord Supremo é o homem que Sonea viu na noite em que espionava o Clã e que o que ele estava fazendo era magia negra, algo completamente proibido entre os magos. Ai, além desse segredo que precisa ser mantido, a garota também precisa lidar com o resto, que é basicamente ela tentando sobreviver em uma escola de elite sendo uma favelada.

Bullying é a palavra desse segundo livro e é logo na cerimônia de aceitação na universidade que já vemos o quanto Sonea vai sofrer pela sua origem. Nunca um favelado se tornou um mago e é óbvio que as Casas não estão muito aceitativas com isso, principalmente seus filhos criados a pão de ló. Como uma garota pobre, selvagem e ladra pode ser mais poderosa que alguém de sangue puro e azul?

Com isso, aqueles que vão lhe atormentar logo adquirem um líder e ele vai infernizar a garota durante todo o livro. Porém, apesar de ser o conflito mais duradouro, não é o único. O Lord Supremo não vai ficar muito tempo alheio a Sonea e seus olhos vão se voltar para a garota, complicando a relação dela com Rothen.

“Não me importa se acredita em mim ou não, Sonea. Apenas tenha em mente que se contar algo sobre isso, vai provocar a destruição de tudo que é importante para você.”

Acho que o que me incomodou nesse livro foi a indecisão da protagonista com relação a tudo. Parece que ela desaprendeu a tomar decisões. Por vezes ela tem uma opinião forte e na frase seguinte já mudou de ideia, fazendo o leitor dar aquele suspiro de frustração. Sonea também terá um possível interesse amoroso nesse livro, e pra mim soou um pouco abrupto demais, porém a coisa não vai muito a frente e portanto acaba não fazendo muita diferença. Acho que no meio de toda a tempestade, a autora resolver trazer um pouco de alívio para a menina inserindo essa situação.

Rothen perde um pouco do brilho no livro, mas é porque ele vai enfrentar situações onde o poder de decidir ou fazer alguma coisa não está em suas mãos e, portanto, ele fica sem ter como agir. Dá até uma peninha do personagem em vários momentos, principalmente por ele ter se tornado um dos queridinhos no primeiro livro.

Outro tema que começa a ser trabalhado aqui é a homossexualidade e a forma como as culturas desse mundo a enfrentam. Dannyl tem um histórico e ele vai vir a tona quando ele é nomeado embaixador nas relações com outros reinos e o seu guia entre os vizinhos é alguém que também tem um histórico semelhante ao seu. A forma como eles se portam e também as sociedades magas e não magas frente a essa situação é bastante debatida e surge a todo momento no livro.

Achei interessante isso ser inserido, mas em alguns momentos ansiei por algo mais sutil. Parece que a autora estava querendo que comprássemos demais a aceitação, quando na verdade ela precisa vir naturalmente e isso acontece melhor quando esses tópicos são tratados com mais naturalidade. Há um debate, ok. Não é necessário trazer o assunto à conversa toda vez que o personagem é mencionado, nós já entendemos.

Esse é um livro maior que o primeiro e ainda há aqui páginas demais e alguns pontos de enrolação, mas o segundo livro já bem melhor que o primeiro e pelo menos as páginas que são sobressalentes estão ajudando a fortalecer o enredo da história, o que já é um progresso.

A Trilogia Mago Negro não tem uma trama excepcional, mas certamente nos insere num mundo interessante com uma protagonista que aos poucos vai ganhando seu espaço em nossos corações. Sonea ainda tem seus altos e baixos aqui, mas já melhorou bastante e, como mais de ano já se passou é normal que notemos a evolução da personagem junto com a história.

No livro final da trilogia, O Lorde Supremo, teremos o desfecho desses personagens e ele é certamente o melhor livro de todos, como deveria ser. Portanto, se você chegou até aqui, certamente deve encarar o terceiro livro e descobrir onde esses personagens tão queridos e por vezes odiados vão chegar.

site: http://resenhandosonhos.com/aprendiz-trudi-canavan/
comentários(0)comente



Ana 06/02/2018

Eis que surge um Lorde
Sonea entra na Universidade e como era esperado enfrenta a hostilidade de alguns mestres e colegas. Como se nada pudesse piorar, perde a compania de seu protetor para o Lorde Supremo, justamente quando encontra um namorado. Sonea teve que se afastar de todos que lhe eram caros e viver invejada sob a tutela e no isolamento imposto pelo Lorde. O livro mostra paralelamente Dannyl, em aventuras cativantes. A sequência é infinitamente mais dinamica é interessante que o Clã dos Magos, mostrando claramente o amadurecimento da autora.
comentários(0)comente



Yago.Gecy 22/12/2017

??
O segundo livro é bem melhor q o primeiro, e começamos a nos apaixonar pela protagonista, apesar de ela ser bem idiota as vezes.
Ícaro 18/11/2018minha estante
aaaah cara ela não é idiota não, idiota é o Regin! haha




Jade 27/06/2017

A história termina de forma fantástica e chocante
Com uma trama admirável, o segundo livro da trilogia prossegue com a história de Sonea e sua magia. Esse livro satisfaz quem leu o volume anterior e achou que faltava um pouco de trama e suspense... O vilão Fergun é substituído pelo preconceituoso e odiável Regin, um colega de turma de Sonea. A única coisa que me decepcionou foi o fato de Sonea se envolver com outro rapaz e nem sequer lembrar-se do Cery, que no final do livro anterior havia revelado-lhe seus sentimentos. A história termina de forma fantástica e chocante : uma batalha entre aprendizes maravilhosamente narrada e um acontecimento que abalou ainda mais a confiança de Sonea em Akkarin.
comentários(0)comente



Naara Janeri | @Diariosdeleitora 26/05/2017

Esse é o segundo livro da trilogia do Mago Negro, uma trilogia recomendada para os amantes de fantasia.
Na trilogia, as famílias mais ricas possuem membros com poderes. No entanto, acidentalmente, nossa protagonista Sonea, uma favelada, é descoberta ao atirar uma pedra em um mago durante uma cerimonia de purificação, rompendo seu escudo e o atingindo, coisa que so poderia ser feita por um outro mago. Sem entrar em detalhes, para evitar spoilers, nossa protagonista inicia seus estudos "oficiais" no clã dos magos.
Esse segundo livro, para mim, melhorou muito em relação ao primeiro. A trama é envolvente desde o primeiro capitulo, coisa que nao acontece no primeiro livro, que tem a primeira parte bem chatinha, e conseguimos nos conectar mais aos personagens (cheguei a odiar um deles kkkk). Aqui, além de tudo, encontraremos temas importantes, como segregação social, homofobia e bullying, com cenas que me causaram ate mesmo um certo desconforto. Espero que a trilogia continue nessa crescente, e ja estou ansiosa para pegar o terceiro livro.

site: www.facebook.com/diariosdeumaleitora
comentários(0)comente



Albert.Lenon 18/04/2017

Fascinante...
Antes eu achava que o começo do livro era bem desnecessário, bullyng total, mas quando terminei de li, consegui entender a necessidade daqueles conflitos, foi um livro que despertou em mim sentimentos diversos, eu senti medo, senti raiva, me emocionei, senti o coração apertar e quase sair pela boca, eu ri alto no trem, foi uma experiência fantástica, bora começar o terceiro..
Albert.Lenon 18/04/2017minha estante
Quando terminei de ler ****




Kath 13/03/2017

A Transição
Sonea está pronta para fazer seu juramento como aprendiz dos magos, o dia da cerimônia guarda grande expectativa e, ainda que ela diga que não está nervosa, Rothen pode ver que está. Ela não gostou muito de precisar usar um vestido elaborado, mas seu mentor garantiu que era necessário para a cerimônia, o que ela não esperava era encontrar a hostilidade dos pais dos novos alunos e de alguns novos aprendizes. Apesar de fazer o possível para manter sua postura tranquila, por dentro, Sonea estava uma pilha de nervos sempre com medo de fazer algo errado.O fato de um dos aprendizes lhe lançar olhares de desprezo não ajudava muito.
Sua primeira semana de aula foi igualmente péssima. Regin, o aprendiz que lhe provocara na cerimônia, estava virando todos os outros aprendizes contra ela e tornando sua vida um inferno. Nenhum dos alunos queria falar com Sonea ou se tornar seu amigo, todos só queriam intimidá-la e mesmo que ela fizesse o possível para ignorá-los, a insistência deles em lhe pôr para baixo a afetava de alguma forma. Não se importava em ser ignorada, apenas queria ser deixada em paz. Como estava muito avançada em relação a eles, tinha tarefas especiais na sala, ainda assim seus professores também estavam desconfortáveis com sua presença.
As investidas de Regin tornam os dias de Sonea impossíveis e ela pede ajuda de Rothen para se mudar para a turma avançada na esperança de escapar do aprendiz cretino. Com muito estudo, ela consegue avançar e ter um pouco de paz uma vez que a turma avançada estava ocupada demais para agir de modo infantil com ela, a vida de Sonea entra em uma espécie de rara calma, que é abalada quando um boato se espalha de que ela e Rothen estão envolvidos de alguma forma forçando Sonea a se mudar para o alojamento dos aprendizes e, assim, a mercê de Regin. As coisas aliviam quando Dorren, filho de Rothen, aparece para uma curta visita e com ele Sonea descobre a magia do primeiro amor.
Enquanto isso, Dannyl está em uma jornada secreta para refazer os passos de Akkarin - o Lorde Supremo - quando ele ainda era um aprendiz, pouco antes de voltar ao clã. Nessa empreitada ele conhece Tayend, um bibliotecário de inteligência superior que é designado para ser seu assistente. Tayend é um "moço", que na gíria do livro é um equivalente a homossexual. Aceito na sua terra, Elyne, ainda que não bem visto e totalmente rejeitado em Kyralia, terra de Dannyl que inclusive já sofreu por causa de boatos como esse em sua época de aprendiz. Porém, ao contrário da maioria em sua terra, Dannyl é bem mais aberto no que diz respeito a sexualidade das pessoas, não julgando portanto seu companheiro por tal escolha.
Akkarin acaba descobrindo sobre as pesquisas de Dannyl instruídas por Lorlen, o administrador do Clã, sentindo-se traído, ele decide encurralar o melhor amigo e tomar a guarda de Sonea, o que gera o desespero de Rothen. A partir daquele dia a paz de Sonea foi para os ares, enquanto seus professores passaram a tratá-la com mais esmero, os aprendizes começaram a se juntar a Regin em seu ódio inflamados pela ideia da garota da favela ter sido eleita pelo mago supremo. Segredos se desenrolam, o caminho de Sonea se torna cada vez mais atado ao de Akkarin, a vida de todos à sua volta entra em perigo e tudo que ela consegue ter em mente é se tornar mais e mais forte para um dia derrotar Akkarin.
Eu demorei um pouco mais para terminar esse livro, além do tempo louco e de um monte de trabalho que apareceu para fazer, tal qual o primeiro livro da série, A Aprendiz segue um ritmo meio lento que tem horas que dá raiva. Todos na universidade estão cientes da intimidação que Sonea sofre, mas eles tratam o problema como comum, isso irrita, porque não é certo permitir esse tipo de intimidação. O mistério em torno de Akkarin vai se fechando, na minha opinião eu não acho que ele é o mago negro que a autora quer nos fazer acreditar que é, nesse livro ela dá pistas disso, há uma terceira pessoa por trás e se o livro fosse inteiramente narrado no ponto de vista de Sonea em primeira pessoa nós acreditaríamos piamente que Akkarin estava por trás de tudo, por essa razão também, creio eu, o ponto de vista dele nunca é apresentado, para deixar essa sensação de dúvida no fim. A dinâmica da narração é bem melhor que no primeiro livro, embora ainda haja algumas partes meio maçantes, principalmente no que diz respeito à personalidade das personagens, elas são mais do tipo passivas - excetuando Regin, claro - e isso irrita às vezes. Mas não precisamos esperar oito capítulos para gostar da história como aconteceu com o primeiro volume. A questão da homossexualidade é mostrada de maneira até sutil, dá pra fazer meio que um paralelo com a nossa própria realidade embora eu ache que essa questão atualmente anda um pouco "banalizada", mas é opinião minha.
comentários(0)comente



Nanda 11/03/2017

A Aprendiz
Pessoal, se eu gostei do primeiro livro, gostei mais ainda desse. Depois da caçada a Sonea no primeiro livro, ela finalmente se rende aos magos mesmo com medo de ser assassinada por eles, já que, todos falam que eles são maus.

Mas o que Sonea não esperava é que eles querem que ela estude para aprender a controlar a magia que ela tem e nem ela sabia que tinha. Pessoas comuns com magia podem ser perigosas para as outras pessoas e principalmente para elas mesmas. Além disso, ela aceita a estudar na universidade dos magos não somente por isso mas devido a um mistério que ronda um certo mago e que se é perigoso para ela ficar perto dele seria mais perigoso ainda se ela não aceitasse ficar com eles e ir para a favela. Ambos os caminhos faz dela uma pessoa que corre perigo e que deve estar sempre alerta a todo ao redor.

Mas no Clã dos Magos ela faz amigos, um deles seu mago protetor que realmente quer o bem dela, mas Sonea por mais que queira se tornar invisível lá dentro, acaba sendo sempre destacada nas brincadeiras cruéis dos outros alunos, afinal ela é da favela e todos eles vem de famílias tradicionais. Sonea acaba sendo obrigada a aguentar muito preconceito, crueldades e ainda mais, guardar segredos perigosos.

Sonea porém não está sozinha guardando um certo segredo, existe mais 2 magos que sabem e mais um que desconfia e mesmo não sabendo ao certo o que é ajuda a desvendar mais esse segredo fazendo pesquisas "por baixo dos panos".

No final do livro, muitos que achavam que estavam escondendo bem o que sabiam, se veem numa situação complicada e é lançada a dúvida: será que o pensam ser algo ruim é ruim mesmo? Será que os vilões são vilões ou os magos estão fazendo "tempestade em copo d'água"?

O livro apesar de grande é de leitura rápida pois a história nos envolve de tal forma que não sentimos as páginas passarem. No final do livro eu só queria desesperadamente o terceiro e último livro da trilogia: O Lorde Supremo.

Quem gosta de aventura: sim leia sim, leia muito estes livros, eles são ótimos!! Mais um para minha lista de favoritos.


site: http://trilhas-culturais.blogspot.com.br/2016/03/resenha-aprendiz.html
comentários(0)comente



Thay 22/02/2017

O inicio desse livro me deu muito trabalho. Já não aguentava mais ler um ato de bullying atrás do outro, resultado: abandonei o livro em meados de 2015. Só voltei agora em 2017 e finalmente a leitura fluiu, os casos de bullying continuaram acontecendo mas deixaram de ser o foco do livro e consegui apreciar a história, que por acaso é muito boa. O ultimo livro já está por aqui pedindo para ser lido haha. Espero que o final dessa aventura seja tão bom quanto esse segundo livro foi (depois da página 100 haha).
comentários(0)comente



119 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |