Convergente

Convergente Veronica Roth




Resenhas - Convergente


490 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Laura - @recitando.sonhos 29/04/2017

A sociedade baseada em facções, na qual Tris acreditara um dia, desmoronou. Portanto, diante da chance de explorar um o mundo além dos limites que ela conhecia, Tris não hesita. Talvez, assim, ela e Tobias possam ter uma vida simples e nova juntos.
No entanto, a nova realidade de Tris torna-se ainda mais alarmante do que aquela deixada para trás.? O livro é narrado por Tris e Tobias, o que é ótimo, porque no livro acontecem várias coisas em relação aos dois e desse jeito podemos ver os dois lados da história.

Na maior parte do tempo a história se passa fora de Chicago. Tris, Tobias, Christina, Uriah, Cara, Peter, Caleb e Tori vão em busca de algo desconhecido, mas apenas alguns deles conseguirão chegar lá.
Neste livro a Veronica explica muito bem o porque de todas aquelas outras coisas terem acontecido nos outros livros. E depois que ela explica isso tudo faz um super sentido. A forma como ela pensou em tudo desde o ínicio pra tranformar nesse final, é incrível.

Sofri muito com esse final e confesso que chorei (Fazer o que?! Sou uma manteiga derretida mesmo). Mas percebi que foi um pouco necessário acontecer isso, já que a Tris sempre comentava sobre algo assim e sempre dava prioridade aos outros e não a ela.

Só tenho que agradecer a Veronica por essa trilogia maravilhosa?
comentários(0)comente



Erikson Ribeiro 13/04/2017

Muito Ruim
O pior livro da série. Não gostei do rumo que a história foi. Imaginei que o termo "Divergente" seria explorado de outra forma mais interessante.
comentários(0)comente



Eliana Zummach 10/04/2017

DECEPÇÃO
Eu devorei os dois primeiros livros em uma semana, estava amando a história, mas o final de Convergente me decepcionou demais.
Sinceramente, precisava ter acontecido aquilo com a Tris?????
Não, não precisava!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Carlinha - Paradise Books 15/03/2017

Desapontada com o final!
"Do que preciso para superar meus medos?
Sei a resposta, é claro: preciso negar a eles o poder de me controlar."

A verdade finalmente começa a ser revelada. Após o final eletrizante de Insurgente, o sistema de facções está em declínio, os sem-facção invadiram a sede da Erudição e o vídeo que a muito estava oculto sobre o motivo real de estarem dentro dos muros foi exibido. Tris está sendo acusada de traição, Emily a mãe de Tobias e líder dos sem-facção, está assumindo a cidade mas seus planos não são tão diferentes dos que Jeanine tinha em mente. Uma guerra está sendo travada por aqueles que acreditam que devem deixar a cidade e por aqueles que querem permanecer e criar um novo sistema e colocar ordem no caos que a sociedade se tornou. Uma escolha pode definir o futuro de todos.
Finalmente li o último livro da trilogia distópica de Veronica Roth. Divergente foi um dos meus livros preferidos do gênero, mas fiquei um pouco desanimada quando achei Insurgente muito cansativo e logo comecei a ficar com medo pelo terceiro livro. Foi impossível fugir dos spoilers na internet no lançamento de Convergente, e vários fatores já tinham me levado a concluir que eu não ia ler o último livro, mas resolvi dar um oportunidade no fim de ano, era uma série que eu sentia que precisava concluir, e vivi momentos de muita angústia, tensão e tristeza ao longo desse livro.

Com a morte de Jeanine e a descoberta do vídeo que mostrava que na verdade as facções eram uma grande farsa e os Divergentes são na verdade o padrão correto de um sistema que precisava ser consertado, uma verdadeira guerra vai eclodir dentro da cidade. Emily se torna a líder e acredita na necessidade de todos viverem como os sem-facção faziam, mas ela quer que todos se submetam as suas vontades, o que não fica muito diferente dos planos da antiga líder da Erudição. Alguns membros de outras facções vão se unir e criar um novo grupo, os LEAIS vão lutar contra a opressão de Emily na tentativa de trazer paz e estabilidade novamente. Tris, Tobias e seus amigos veem a necessidade de deixar a cidade, ou serão mortos, e ao chegar do lado de fora, eles terão uma grande surpresa ao descobrir que uma guerra genética tem se perpetuado durante anos. Eles vão precisar reaprender tudo sobre o mundo, e tentar encontrar uma nova forma de vida, ainda tentando impedir que as pessoas que eles amam e se encontram dentro da cidade se matem, ou sejam mortas pelos que estão do lado de fora.

Nesse livro finalmente compreendemos com mais clareza as críticas sociais da autora. Ela expõe o sistema corrupto, o fato de o tempo todo as informações serem condensadas e ocultadas da população, o descaso do governo com as necessidades do povo (os sem facção dentro das cidades e os geneticamente danificados fora dela), e é claro com o fato de que oficialmente todos deveriam ser tratados de maneira igualitária, mas que isso nunca é realmente colocado em prática.

Tris não está mimizenta nesse livro, graças a Deus! E o fato de os capítulos serem revezados entre o ponto de vista dela e de Tobias deixa a história mais dinâmica. A maturidade dos dois me surpreendeu, o romance teve seus pontos altos, mas era muito óbvio que os dois tinham prioridades muito maiores com uma guerra em curso e seu ápice chegando a qualquer momento. Me emocionei muito com as despedidas de vários personagens, mesmo já sabendo alguns spoilers e me decepcionei em esperar um final aberto como sempre acontece na maioria das distopias. Acho que a autora falhou em tentar dar um felizes para sempre pra uma história que obviamente merecia um final inconclusivo que é característica do gênero.

Essa foi uma série que me impactou muito! E não me arrependo de ter sofrido com o último livro, saber o final dessa história foi um aprendizado, assim como os outros livros da série que tirei lições pra vida. Gosto do gênero justamente por incentivar os jovens a questionarem seu governo, seu país e o que a sociedade impõe como certo e errado, acho que esse incentivo pode levar as futuras gerações a pensarem por si próprias, serem menos preconceituosas e a terem opiniões formadas. No final, todos precisamos ser corajosos!
comentários(0)comente



Mariana.Villerá 03/03/2017

Convergente
O final foi completamente abalador para os fãs! Eu gostei um pouco no começo, mas o final estragou o livro
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Eliana Zummach 11/04/2017minha estante
Concordo plenamente com você. Os livros são maravilhosos. Mas o final... Não estou conseguindo sair do luto aqui.


hildenet 11/05/2017minha estante
Sério? Terminei de ler arrasada. Vou assistir então.




Panda Escarlate 20/11/2016

Pior dos tres
Eu acho que a Veronica se perdeu ao tentar explicar o grande mistério que ela criou. Como nos outros livros há sempre um mistério que circunda o livro esse no caso foi : o que ha fora da cerca mas a explicação da coisa foi (desculpe a comparação) como uma criança que aprontou e esta tentando arranjar uma desculpa pra mãe de tão inventado que foi.
Achei o livro parado, porque básica o livro TODO se passa no departamento que é o que eu comentarei abaixo
........................[{SPOILERS}]............................
O livro começa com morte e termina com morte fiquei triste pela Tori esperava um reconciliamento mas enfim chegamos a um aeroporto porto. Sim isso mesmo um aeroporto, mas porque um aeroporto porto seria importante porque ele é a base do Departamento de Auxílio Genético que basicamente e responsável por tudo aquilo que você viu nos últimos livros. Realmente houve uma grande guerra e ela foi chamada de guerra da pureza porque decidiram alterar os genes das pessoas para torna-las melhores mais deu merda
comentários(0)comente



Aline 08/11/2016

Um fraco fim para a trilogia
Sobre o livro, eu considerei o mais fraco dos três. Ao contrário dos anteriores, a trama não possui muita ação, focando mais na forma como os personagens estão lidando com os problemas apresentados ao longo da história. A grande questão que envolve a trama, com foco na origem das facções e o fator divergente, eu considerei relativamente fraca. Acreditava que seria algo muito maior e melhor desenvolvido.
Diferentemente dos livros anteriores, em que a narrativa era apresentada apenas pela perspectiva de Tris, a trama atual traz uma novidade: os capítulos são intercalados entre a protagonista e Quatro (que estava muito chato neste livro, melhorando apenas no final). Essa ideia trouxe alguns pontos positivos para o desenvolvimento da história, deixando-a mais dinâmica em momentos em que ambos os personagens encontravam-se envolvidos em suas próprias tramas, transmitindo ao leitor a visão de cada um diante dos acontecimentos. No entanto, essa forma de narrativa me deixou um pouco confusa em certos momentos, sendo necessário voltar ao início do capítulo apenas para verificar quem estava narrando determinada situação. Apesar disso, entendo que essa mudança na maneira de contar a história foi necessária, principalmente, para a conclusão da obra, cujo final eu gostei, achando bastante coerente com o desenvolvimento da personagem ao longo da trilogia.
Para finalizar, tenho a opinião de que a história foi, aos poucos, se perdendo. O que deveria ser a conclusão de uma trilogia, até então, excelente, tornou-se, infelizmente, um livro arrastado, sem grandes emoções e, por vezes, cansativo demais.

site: https://cheirandohistorias.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Danny Belo 09/12/2016minha estante
Gosto dos dois primeiros livros, mas o último foi decepcionante




Heitor PequE 02/11/2016

Convergente-Explicações
Bom, a saga foi ótima foi a primeira saga que terminei. Mas este último deixou a desejar, criei muitas expectativas, e tive poucas, a maior parte foi explicações e coisa um pouco entediantes e repetitivas. O que tenho a dizer é que a história continua depois do segundo e que existe algumas referência muito interessantes.
(falei isso para não da spoilers)
comentários(0)comente



Jeh Diário dos Livros 30/10/2016

"Algumas coisas são difíceis de deixar ir."
A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditou um dia, desmoronou e agora eles terão grandes revelações...
Em Convergente começamos com a revelação de Edith Prior deixando todos surpresos, e várias escolhas no qual terão que decidir daqui para frente.
Mas o livro começa a andar de vez quando Tris e seus companheiros resolvem ir para fora dos muros e descobrir o que realmente aconteceu.
E é lá que descobrimos tudo o que está por trás da história desde o primeiro livro.
Tudo que eles acreditaram era falso, todos eles são apenas cobaias usadas pelas pessoas de fora.
Tris terá escolhas difíceis pela frente, pois tudo que acreditou desmoronou aos seus pés.
Mas em quem ela deve confiar? Será que o mundo de lá é tão verdadeiro assim?

"É estranho como uma palavra, uma expressão, uma frase, podem parecer um golpe na cabeça. "

"Ser honesto não significa dizer tudo o que quer, quando quer. Significa que você escolhe dizer o certo. "

Esse foi um livro difícil de resenhar, pois o acontecimentos são quase todos spoilers.
Finalizando a trilogia Divergente diria que esse foi o pior dos três, não pelo final como muitos já sabem o que acontece, a história foi indo em um ritmo lento o que se tornou cansativa para mim, e também me pareceu que a autora estava cansada e resolveu escrever finalizando tudo de um jeito básico.
Em Convergente o livro é narrado tanto por Tris e Quatro, mas o que me decepcionou é que não gostei muito da narrativa do Quatro, ele não era o mesmo personagem de Divergente ( claro que não ia ser, pois aconteceram muitas coisas no decorrer da trilogia que fizeram nossos personagens crescerem) mas achei ele nesse livro um personagem fraco meio sem graça, o que você não vê em Divergente.
A relação de Tris e Quatro também não foi que eu esperava nos decorrer dos livros, não vi aquele amor todo entre eles, é claro que estamos falando de uma distopia e não de um livro romântico, mas achei que foi meio sem sal.
Sou do pessoal que não gostou do final, mas eu entendi o que a autora quis passar.
O livro em si foi bom, a história foi criativa mas acho que faltou um pouco mais empenho da autora para finalizar a trilogia.

"Será que medos desaparecem de fato ou apenas perdem o seu poder sobre nós? "

site: http://diarioelivros.blogspot.com.br/2015/09/resenha-convergente.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Daiane.Wan-Dall 10/11/2016minha estante
Adorei a resenha...terminei de ler dia 01 e estou de luto ainda, admito que não acreditei quando ela morreu e tive de parar de ler várias vezes para me recompor...mas não chorei...kkkk


Débora Cristina 28/11/2016minha estante
Eu ainda me lembro do choque e descrença que eu tive ao perceber que aquilo estava acontecendo. Ainda bem que o luto passou, o seu também vai passar Daiane! ;)


Débora Cristina 14/12/2016minha estante
Eu chorei litros! hahaha


Milena 28/12/2016minha estante
Gostei da sua resenha, tive a mesma reação. Apesar de ter lido sem querer um spoiler sobre o final, mesmo sabendo o que iria acontecer não aguentei chorei muito, quando cheguei na parte da morte dela eu não queria acreditar nem continuar lendo o restante, foi um final muito decepcionante. Também fiquei de luto.


Emily.Chacon 28/01/2017minha estante
Tipo isso , eu li o final e a cada palavra entre Tris e Quatro , Tris e Christina ...
Eram milhões de lágrimas , até hj superei ess final achei MT injusto ,dps de tudo q ela é capaz morrer simplesmente com tiros ?
"Sinto q todos q amo estão morrendo " Christina falou isso no começo do livro ??? chorei dms , enfim acho q nunca vou superar ???


Emily.Chacon 28/01/2017minha estante
*não superei


Débora Cristina 29/03/2017minha estante
Milena, até hoje dá um aperto no coração né!


Débora Cristina 29/03/2017minha estante
Emily, eu acabei me compreendendo a morte dela, gostei do final, apesar de ser desolador.


Eliana Zummach 11/04/2017minha estante
Adorei sua resenha.
Quando eu li a parte em que ela morre eu devorei as próximas páginas na esperança de que algo acontece que revelasse que ela havia sobrevivido, mais não. Confesso que chorei, tive raiva, e quase não terminei de ler o livro por isso. Achei muita injustiça ela simplesmente morrer no final depois de tudo o que fez. Não me conformo com o final. Ainda estou de luto pela Tris.




Lane 20/09/2016

- P.E.R.F.E.C.T. -
Meu Deus.

O que falar desse livro?

Você simplesmente entra nele, se vê na pele dos narradores -sim senhor, agora são dois (!), Tris e Tobias - sente as emoções deles como se tivesse acontecendo com você...

Sim, é verdade, a revelação épica sobre a Cerca na realidade
foi muito fraquinha e previsível desde o primeiro livro,mas fazer o quê?

Uma das melhores coisas nesse livro é /tudo/ que a Tris não é uma Luce da vida que não faz nada sozinha e que a vida desmorona se um garoto não gostar dela - nada contra Fallen. Tris é independente, encara os desafios e arrisca sua própria vida pela dos outros.

E o final? Nossa, fazia muuuiito tempo que eu não via um final desses. É verdade, você queria que fosse diferente, sente um ódio profundo, quer arremessar o livro na parede, pisoteá-lo até que não sobre mais nada, mas aí você se lembra do dinheiro gasto e que no fundo você ama isso tudo (...). Só achei um pouquinho /muito/ idiota a forma com que /tentando não dar spoiler/ o Grand Finalle aconteceu - passar por tudo aquilo pra acabar de forma tão imbecil?!

Torcendo pra que vocês gostem / tenham gostado deser livro tanto quanto eu - o que não é pouco.
comentários(0)comente



490 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |