Nada

Nada Janne Teller




Resenhas - Nada


109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gustavo 28/06/2013

Nada - Janne Teller. (Gustavo Silveira - Blog Leitores Compulsivos)
Assustador e Maravilhoso, este livro desafia a mente de qualquer pessoa sã que se habilite a Le-lo, leia este livro e mexa com seu inconsciente, se emocione e se Surpreenda.

Certo dia, depois de um longo mês de férias, no primeiro dia de aula da escola de Taering, o aluno Pierre Anthon descobre que a vida não faz sentido, ele descobre que Nada importa, que Nada faz sentido e que nunca vale a pena fazer Nada. Pierre Anthon deixa todos seus colegas abismados quando sai da sala de aula dizendo que Nada vale a pena.

No jardim de um antigo sitio de uma comunidade Hippie, onde moravam Pierre e seu pai, existia uma grande Amoreira, uma arvore extremamente grande, alta e velha que se retorcia sobre a cerca com suas amoras enormes, e foi exatamente nesta Amoreira em que Pierre Anthon decide passar o resto de seus dias, atirando amoras verdes em seus colegas que tentam faze-lo descer, ele decide continuar na amoreira, pois ele acaba de descobrir que Nada vale a pena, que a vida é simplesmente Nada.

Os colegas de sala de Pierre tentam convencê-lo a descer da arvore e parar com a palhaçada de dar um de hippie espiritual, mas todos sabem que o que ele dizia era verdade, Pierre estava mexendo com o inconsciente de todos, gritando coisas inacreditáveis e incrivelmente verdadeiras.

Se viverem até 80 anos, terão dormido 30 anos, ido a escola e feito deveres de casa por 4 anos e trabalhado quase 14 anos. Como já passaram mais de 6 anos sendo crianças e brincando, a ainda passarão 12 anos limpando, fazendo comida e cuidando dos filhos, sobrarão no Maximo 9 anos para viver

Os colegas de Pierre pensam e tentam de todas as formas convencerem a Pierre descer da amoreira, depois do fracasso de varias tentativas, Sofie chegou a conclusão que a única coisa que teriam que fazer era: provar a Pierre que algo importa, e isso foi o suficiente para abrirem as mentes das crianças para um plano assustador que mais tarde viraria uma coisa surpreendente.

Os colegas de classe de Pierre decidem fazer uma pilha dotada com os objetos mais importantes de cada um deles, esta pilha vai possuir as coisas mais preciosas de cada uma das crianças, e a cada objeto adicionado, você se surpreendente cada vez mais, com este projeto essas crianças irão mudar a vida de toda a cidade e podemos dizer que também de todo o mundo (agora pra saber porque e como você terá que ler o livro) RS.

Janne Taller foi uma pessoa muito incrível ao escrever este livro, nunca li nenhum livro em toda minha vida que me impressionasse tanto como este, este é o primeiro livro que leio da Janne Teller, mas me impressionou bastante...

site: http://vampleitores.blogspot.com.br/2013/06/resenha-nada-de-janne-teller.html
Bruna Fernandes 28/06/2013minha estante
Eita, quero saber o fiiinal .. Omg omg .


Bruna Fernandes 28/06/2013minha estante
Omg Quero saaber o final . Eita !


Michelle Ladisl 28/06/2013minha estante
Não conhecia o livro, fiquei bastante curiosa em ler!
Parabéns pela resenha!

Beijinhos


Michelle Ladisl 28/06/2013minha estante
Não conhecia o livro, fiquei bastante curiosa em ler!
Parabéns pela resenha!

Beijinhos


Gustavo 28/06/2013minha estante
Oi Michelle, Obrigado pelo seu comentario, que bom que gostou da resenha :)


Gustavo 28/06/2013minha estante
Oi Bruna, pra saber o final você tem que ler o livro rsrs, mas uma coisa eu digo: é surpreendente :) Abraço


Louise 29/07/2013minha estante
Meu AS querido! Linda sua resenha e me deixou com mais vontade de ler este livro!!! =D


Gustavo 04/08/2013minha estante
:) Obrigada Louise :)


Beth 10/09/2013minha estante
Adorei conhecer a história através de sua resenha. Vou experimentar ler e conhecer mais um pouco dela. Beijos.


Dressa Oficial 10/09/2013minha estante
Quero muito ler esse livro :)

Nunca tinha ouvido falar dele

Beijos


Shirlandia 10/09/2013minha estante
Nossa amei a resenha!fiquei curiosa para lê.


jack 10/09/2013minha estante
ótima resenha e gostei muito de conhecer a história, atiçou a minha curiosidade.


Ana Claudia 10/09/2013minha estante
Adorei a resenha, bem explicada. Parabens pela a bela escrita.


Analu 10/09/2013minha estante
Amei! muito interessante.
Parabéns pela resenha!


Michelli Prado 10/09/2013minha estante
Apesar de não conhecer o livro, achei bem interessante...E confesso que fiquei bem curiosa!!


Jess 10/09/2013minha estante
Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas parece ser muito interessante. Sua resenha bem escrita e que me passou um bom ponto de vista, me fez querer lê-lo.


Ingrid 10/09/2013minha estante
Pelo que li parece ser um ótimo livro, muito interessante. Ótima resenha!


RUDY 10/09/2013minha estante
Interessante1
cheirinhos
Rudy


Alice G 10/09/2013minha estante
Gostei da ideia que o livro trouxe sobre o "nada" e os personagens parecem ser incriveis, quero ler


Juh 11/09/2013minha estante
Uaaau que demais, muito interessante esse livro e não deve ter nada fácil os colegas de Pierre o convencerem que a vida vale apena, que por mais que dedicamos tanto tempo a dormir, a coisas que talvez não pareçam interessante, mas é isso que nos faz feliz, é isso que faz a vida valer a pena!!!


Ana 11/09/2013minha estante
Nossa este livro é muito chocante.Tipo: eu li a resenha e cheguei a me arrepiar.No quote que você soltou diz tudo.
Acabei de colocar o livro nos desejados e espero muito poder Lê-lo o quanto antes.
Parabéns pela resenha!

Beijokas Ana Zuky


Keide Leite 13/09/2013minha estante
Tinha visto essa capa e nem me interessei pelo livro, porém sua resenha me deixou interessada.


Keila 14/09/2013minha estante
Linda Capa!! Otima Resenha !!!


Gy 16/09/2013minha estante
É a primeira vez que leio algo sobre esse livro... Parece ser bem interessante...


Beth 17/09/2013minha estante
Estou muito curiosa a respeito desse livro. E lendo a resenha fiquei doida pra ler, pois é de romances assim que preciso nesse momento. Muita distração pra aliviar.


Paula 19/09/2013minha estante
"Nada" nunca ouvi falar desse livro 'o' mas parece ser muito bom, muito bom mesmo hehe :D n tinha visto no blog! *u*


Carol 19/09/2013minha estante
Parabéns pela resenha. Escreve muito bem. :)


Chirlene 20/09/2013minha estante
Muito bom, me deu vontade de ler o livro


Leeh Venerando 23/09/2013minha estante
Nossa que forte, fiquei pensando em quanto tempo eu perco dormindo. Tendo em vista que eu faço duas faculdades e que estudei em turno integral toda a minha vida vejo que na verdade não tive vida. Credo, preciso ler este livro para entender o desfecho da estória.
ameeiiiii a resenha escreves muito bem


Belle 24/09/2013minha estante
Tenebroso, mas parece ótimo pra se ler, amei a resenha...
:D


Maristela 29/09/2013minha estante
Não conhecia mas depois que li essa resenha maravilhosa já vou anotar nos desejados e quero muito ler.


Mih 03/10/2013minha estante
Nossa, esse livro deve ser realmente bom. Impressionante, muito obrigada por nos brindar com essa resenha, parabéns.


belinha58 05/10/2013minha estante
Que maldade qdo a histria começa a ficar emocionante vc termina hehehe, sera que Pierre desce da arvore? e quais as PILHAS que irão fazer para animar a cidade?
Terei que ganhar este livro para ler pois a curtiosidade ficou em NADA..........nada li poxa


Laine 07/10/2013minha estante
Resenha Intrigante! Encarar um livro desse? Claro que sim, adoro desafio.


NESSA 08/10/2013minha estante
Nossa quer dizer que o livro mexe com o inconsciente?Que interessante uma leitura desafiadora pela resenha!


Michelle Ladisl 03/11/2013minha estante
Dá uma raiva quando nos empolgamos com a história e ela acaba...hhehhe
Achei super interessante o enredo. Vou procurar por ele!

Beijos


Michelle 03/11/2013minha estante
Acho que assim como o personagem Pierre Anthon, teve uma época da minha vida em que NADA fazia sentido. Gostei da temática do livro, coisa rara que os autores comuns costumam abordar. Entrou pra minha lista de leituras :)


Gabits 21/11/2013minha estante
Da parte em que ele começa a dizer que nada importa e tal, beleza... mas teve um motivo pra ele chegar a essa conclusão?? Ou ele simplesmente acordou um dia e decidiu que nada mais importava? Não entendi...


Francielle 23/11/2013minha estante
Nunca ouvi falar do livro nem da autora, mas a capa chamou a minha atenção, e parece ser uma leitura bastante instigante.


Tania Bueno 03/12/2013minha estante
Hum!! deve ser bem interessante, mais um para minha lista.


Tamiris 08/12/2013minha estante
Só digo uma coisa: preciso ganhar na mega sena pra ler todos esses livros perfeitos. kkk Otima resenha, com gostinho de "quero ler agora"


Dani Cabral 10/12/2013minha estante
Ai meu Deus, vou falir!!!
Preciso ganhar na loteria!!!


Jess 16/12/2013minha estante
Muito bom espero ler logo o livro!

xx


La Lucena 23/12/2013minha estante
wishlist já!


Paula Barbosa 26/12/2013minha estante
Esse parece ser interessante.


Alberto 29/12/2013minha estante
Gostei da sua resenha. Realmente você conseguiu convencer quem leu isto que vale a pena ler o livro. Parabéns!


Bruna 03/01/2014minha estante
Estou muito ansiosa pra ler esse livro. Essa é a minha meta pra 2014. Já abadonei dois livros o ano passado, pelo motivo de não coseguiram me preender totalmente. Quero muito ler este até o fim. rs




Zilda Peixoto 04/06/2013

Nada
Terrivelmente macabro. Indiscutivelmente brilhante. Assim podemos definir Nada, escrito pela dinamarquesa Janne Teller. Um livro que desconcerta qualquer mente sã que se habilite a lê-lo.

Não há outro modo de descrever a aflição e o tremor que senti durante a leitura. Interessei-me pelo livro desde o anúncio de seu lançamento. Mas o fato é que a sinopse transmite vagamente a profundidade desta narrativa.

O livro conta a história de um grupo de crianças (podemos considerá-los assim, já que todos cursam o sétimo ano e têm praticamente a mesma idade) decidem reunir numa serralheria abandonada uma pilha de objetos que representem algum significado em suas vidas.

Pierre Anthon fora o responsável por tal iniciativa. Num belo dia ao se retirar da sala de aula Pierre decidira que a vida não teria significado e, por tal conclusão, ele habitaria os galhos do pé de uma ameixeira localizada no quintal de sua casa, a poucas quadras da escola onde estudara. A partir daí, Pierre passa a atormentar a vida de seus colegas de classe a caminho da escola e começa a questioná-los sobre o real valor das coisas.

" Mesmo que aprendam algo e que pensem que são bons, sempre haverá alguém melhor que vocês.
[...] A voz de Pierre Anthon soava amistosa, quase compassiva. _ Você será uma estilista e andará por aí em sapatos altos e bancará a esperta e fará com que os outros também se achem espertos, desde que vistam sua marca. _ Ele acenou com a cabeça em sinal de reprovação. _ Mas você vai perceber que é um palhaço em um circo inútil, onde todos tentam convencer uns aos outros de que é fundamental vestir-se de um jeito esse ano e de outro jeito no ano seguinte. E então descobrirá que a fama e o grande mundo estão fora de você e que você está vazia por dentro e que, aconteça o que acontecer, isso nunca vai mudar." (pág.21)

Incomodados com a presente insistência de Pierre os jovens decidem tomar uma atitude onde pudessem provar para Pierre que ele não tinha razão, que as coisas tinham sim o seu devido valor. Mas tal decisão custaria muito mais que qualquer um pudesse imaginar. Estariam prontos para ceder algo verdadeiramente importante em suas vidas? O que inicialmente dera espaço a objetos comuns como uma simples vara de pescar ou um par de tamancos verdes, mais tarde daria lugar a coisas que jamais poderíamos imaginar.

A narrativa de Janne é aterrorizante. O leitor ficará completamente hipnotizado por sua escrita. A autora criou um universo tão macabro, tão conflitante que não conseguimos nos desprender da leitura. Li o livro em 2h20min e após o término não tinha a menor ideia de como proceder, no que pensar, de como analisá-lo. O livro é uma espécie de filme de terror com thriller psicológico. Os personagens são bem delineados e cada um destaca-se por sua personalidade.

A infância aqui representada por atitudes egoístas e cruelmente perversas definem o quanto a criação dos pais, a influência dos adultos pode colaborar para a degradação do perfil psicológico de cada um. A autora conduz de forma inteligente um questionamento plausível sobre o valor de coisas que insistentemente prejulgamos necessárias e insubstituíveis. O quanto às coisas são descartáveis, isso vale também para os sentimentos e, principalmente para as pessoas. O fato é que até hoje nenhum livro havia mexido tanto comigo a ponto de me desconcertar.

O livro é narrado pelo ponto de vista de Agnes, uma das garotas da turma 7A. Através de seus relatos vamos acompanhando o desenrolar de uma história sinistra onde a frieza e a perversidade toma conta. Causa certa estranheza que tais atitudes perveras partam de mentes tão relativamente jovens, mas a verdade é que Janne Teller soube representar muito bem o lado mais cruel e egoísta do ser humano.

A diagramação do livro é simples. A capa do livro é linda, com tons neutros e uma imagem envelhecida representando a tristeza fúnebre contida no livro.

Nada é o tipo do livro que foi escrito para chocar, para deixar o leitor confuso, inebriado, perplexo. Agora compreendo o motivo pelo qual ele fora banido na Escandinávia na época de seu lançamento, no ano de 2000. A história criada por Janne é para deixar qualquer um com medo da sua própria sombra. Apesar de tudo, hoje o livro é aclamado mundialmente e todos podem reconhecer o talento dessa escritora. A verdade é que a sociedade não está preparada para encarar seus monstros, ainda que eles estejam vestindo pele de cordeiro. Os valores precisam ser resgatados desde já, para que ficções como esta não façam parte da nossa realidade.

Dizer que o livro é TUDO seria uma dicotomia palpável já que nenhum outro termo se enquadraria melhor para defini-lo. Por isso, “Nada” é realmente TUDO. É formidável. Intenso. Perfeito.

Leitura mais do que recomendada e obrigatória!
deborap 06/06/2013minha estante
Foi chocante ver a gradação dos "objetos" colocados na pilha de significados, a loucura coletiva, a dificuldade de aceitar o questionamento a um estilo de vida a ponto de [SPOILER] de Pierre Anthon.




Camille 28/06/2013

http://beletristas.com/resenha-nada/
Pierre Anthon é estudante do sétimo ano e, quando percebe que nada importa, decide sair da escola e passar os dias em uma ameixeira, gritando para os ex colegas de classe a falta de sentido encontrada em fazer as coisas.

Quando seus colegas vão para a escola, acabam passando pela ameixeira e, ao escutar as frases não convencionais de Pierre, tentam provar que ele está errado. Na maioria das vezes não é uma conversa e pedras e gritos quase desconexos são a arma para provar que ele as coisas importam e, principalmente, têm significado.

Sem grande sucesso até então, todos os alunos se unem para, de uma forma criativa, provar à Pierre que ele está errado. É assim que uma pilha de coisas com significado começa a ser formada. Cada aluno é obrigado a colocar nela o que o aluno anterior mandou que fosse colocado, seja o que for, porque só assim ela teria realmente o "mais real" significado.

É difícil para mim falar desse livro porque eu tenho certeza que exatamente o que me fez desgostar tanto foi o que fez o livro vender tantos exemplares. Vou tentar explicar sem dar spoiler e inicio dizendo que uma das piores consequências da minha rejeição ao que estava escrito foi a leitura não me prender em nenhum momento.

Estou indo além da forma de escrever de Jane Teller, estou diretamente falando do conteúdo do livro. Mesmo entendendo a linha de raciocínio dos adolescentes, as justificativas para suas ações e os questionamentos criados (exatamente o ponto alto do livro), não consegui aceitar nem um pouco bem o que estava sendo feito e decidido.

A todo instante eu estipulava novos limites para conseguir sentir uma espécie de alívio ao que estava lendo. Logo em seguida, outra fala ultrapassava esse limite e eu tinha que alterá-lo. O principal problema foi que, em algumas dessas exigências com significado, o meu limite de aceitação acabou sendo tão baixo que minha mente corria para o outro lado.

E, por mais complexo que possa soar, não era exatamente pelo que era ordenado que fosse feito. Era porque aqueles adolescentes acabavam aceitando, mesmo que aos prantos e implorando para que não precisassem fazer aquilo.

Eles aceitavam se colocar em situações tão... ridículas (não no sentido de engraçadas) que eu sentia vontade de entrar no meio deles e mostrar o quão absurdo era o que estavam fazendo, o que estavam mandando os outros fazerem. Mostrar que aquilo não era mais para dar significado a algo, e o único significado daquilo era uma espécie de loucura delirante, sem limites. Muitas vezes sem amor próprio.

Precisei de umas horas para organizar melhor os pensamentos e continuo achando tudo de muito mal gosto, mas não sou inocente de achar que não é algo real para tantas outras pessoas. "Nada" é bizarro e me fez pensar o quanto, no final, não estaríamos quase todos doentes de ver beleza em algo que de bonito não tinha nada.

site: http://beletristas.com/resenha-nada/
comentários(0)comente



sophiambferraz 19/06/2020

tentando ser mais exigente
pra começar, que capa é essa? não vi sentido, mas ok
até a metade da leitura eu tava odiando o livro, mas percebi que foi porque eu estava esperando autoconhecimento+romance, porque vi em algum lugar que era sobre isso, mas encontrei algo assustador
fora isso, ele prende bastante e é rápido, portanto, percebi que não era ruim, embora bizarro imaginar isso acontecendo e principalmente se tratando de crianças
comentários(0)comente



nic 04/04/2020

Inexplicável...
"NADA" é um dos livros mais magníficos e bem pensados já li. Não consegui largá-lo até terminar. Sem contar da escrita gostosa e única da autora. O tempo passava e eu nem notava. O sol nasceu e eu não sentia um pingo de cansaço e isso perdurou até o fim do livro. Terminei e passei horas tentando organizar a magnitude dessa obra na minha cabeça. Não consegui pregar os olhos tão cedo. Passei semanas com as frases, indagações e ações passando repetidamente na minha cabeça. Sem dúvida eu era alguém antes desse livro e me tornei outro alguém depois dele. Todo mundo deveria, pelo menos uma vez na vida, lê-lo. Inexplicavelmente único.
Ari 28/04/2020minha estante
Nossa, essa resenha faz com que se abra uma exceção de adiar leituras e colocar tal livro na cabeceira de prioridades.


nic 28/04/2020minha estante
É um livro marcante demais. Você não ira se arrepender!


nic 28/04/2020minha estante
É incrível! Você não vai se arrepender.


May 20/06/2020minha estante
eu acabei de ler esse livro, eu acho que ele tem uma proposta muito interessante, mas meu deus vc consegue me explicar exatamente por que vc acha esse livro magnifico? eu acho que talvez eu nao esteja conseguindo ver a verdadeira mensagem mas meu deus eu achei o livro absurdo????? grotesco e desnecessário




Anídria 12/05/2020

O QUE DIABOS ACONTECEU????
Tudo começou com um livro fofinho em que todas as crianças do 7 ano tentavam encontrar qual o significado da vida quando um garoto, Pierre, diz que "nada" faz sentido. Mas então os pedidos do significado vão ficando cada vez mais mórbidos, de tamancas a corpos! E o final foi um choque, nem sei que nota dar, me bugaram!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



NatháliaFrancine 20/06/2020

A proposta inicial do livro é interessante, porém é MUITO mal construída.
Depois parece que o único personagem que vale a pena é Pierre Anton e se torna uma história basicamente de adolescente fazendo merda. Um surto coletivo. É bizarro, macabro e tipo ?????????????
comentários(0)comente



raissa 18/10/2019

Uma parte de mim achou horrível e a outra achou ok.
Não sei o que pensar sobre esse livro.

Eu entendi que o livro é uma eterna metáfora sobre a vida e coisas que pra sociedade são consideradas importantes, como: religião, virgindade, morte, objetos de valor, e etc. Mas o modo como tudo é descrito e introduzido é muito estranho e desagradável. É como se a escritora não soubesse um modo de introduzir algo e acabasse trazendo aquilo do nada, como se ela quisesse forçar a barra do início ao fim.

Enfim, me deixou confusa e pensativa.

Dei 2.0 na avaliação porque entendi a proposta do livro e porque gostei de algumas frases da Agnes e do Pierre Anthon.
comentários(0)comente



Lucianoh 04/01/2017

Se eu não tivesse lido, não teria perdido NADA.
Sabe quando um livro não tem nexo? Então... é este. O título não condiz com a capa; a capa não condiz com a história; os personagens são super inverossímeis; a estória não tem o menor cabimento; o desenrolar é totalmente bizarro. Parece uma fábula de horror, do tipo B. Umas das piores leituras que já fiz. O livro tem poucas páginas, mas me pareceu mais grosso que a Bíblia no tocante à leitura.
Janna 01/03/2017minha estante
Terminei hoje e achei a mesma coisa


Lucianoh 01/03/2017minha estante
pois é... rs


Belarmino.Alves 05/06/2017minha estante
Cara concordo com vc..


Lucianoh 06/06/2017minha estante
Vlw, Belarmino. ^^


Marcia Jozzolino 03/05/2020minha estante
Estava sem ânimo de falar sobre esse livro até que me identifiquei com o que você disse. Um livro sem nexo, bizarro. Não acrescentou NADA para mim. Não recomendo.


Lucianoh 27/05/2020minha estante
Que bom q n estou sozinho nessa... hehe




Andresa 02/02/2017

Não senti quase NADA...
O livro conta a história de Pierre Anthon, garoto que está no sétimo ano da escola e tem a certeza, em um insight, de que nada importa na vida. Assim, ele passa os dias sobre os galhos de uma ameixeira, tentando convencer seus colegas de classe a pensar do mesmo jeito que ele: que nada faz sentido na nossa existência. Os outros tentam convencê-lo a descer da árvore, com a justificativa de que existe, sim, coisas no mundo pelas quais devemos nos importar. Diante da recusa de Pierre, seus colegas decidem fazer uma pilha de objetos que possuam um enorme significado para eles - que eles denominam Pilha de Significados -, esperando, assim, persuadi-lo de que está errado. Mas aos poucos a pilha se torna um monumento mórbido, colocando em xeque a fé e a inocência da juventude.

Ele é narrado por uma das colegas de classe de Pierre, a Agnes. Ela relata desde o dia em que Pierre largou a escola no meio da aula para subir na ameixeira, sem se importar com mais nada, e a saga da turma para tentar fazê-lo descer e entender o significado da vida e todas as coisas.
A ideia do livro é muito interessante, mas, a princípio, quando terminei de ler, bem... Não senti NADA (perdoem-me pelo trocadilho). A narrativa não me envolveu e não me fez sentir qualquer empatia pelos personagens. Não me conectei com o livro, achei o final previsível e não torci por ninguém. Mais ainda, ele não me incomodou, e isso me deixou bem decepcionada, visto que a missão dele era essa.

Antes de mais nada, engana-se quem pensa que se trata de um romance, principalmente pela capa, que não tem NADA a ver com o livro (vou fazer trocadilhos com essa palavra durante toda a resenha, rs). Não existe nada minimamente romântico no enredo. Nem a aparente idade desses modelos bate com a das crianças que protagonizam o livro. Ou seja: se for cair na leitura, não se prenda a nenhum detalhe para que você não seja enganado.

Depois de muito pensar e trocar ideias com amigos - sim, fiquei semanas remoendo o que poderia tirar de conclusão dele, pois odeio ler por ler e não conseguir filtrar nada, rs -, acabei criando algumas teorias sobre o livro que achei legal compartilhar com vocês.

Acredito que a intenção da autora foi nos mostrar o quanto nós podemos nos transformar quando alguém ataca algo no qual nós acreditamos. Ainda, no quanto podemos nos tornar uma ameaça quando falamos a verdade. A nossa sociedade é muito hipócrita, inconstante e egoísta. Um comportamento que ameace nosso sistema, nossos crenças e nossa rotina só pode ser visto como ameaça. Se você for parar pra pensar, a reação das crianças de tentar convencer o garoto de que o que elas pensam é a verdade absoluta é exatamente a forma como todos reagem nos dias de hoje. E, se você não concorda, é automaticamente tratado com ira.
A pilha de significados representa diversos tabus da nossa sociedade: a família, a religião, a sexualidade, os dons... Todas essas coisas, que são extremamente significativas para nós, se tornam o estopim para uma guerra pessoal quando são ridicularizadas ou ameaçadas, causando raiva, inveja, falta de piedade, apatia.

Os questionamentos do Pierre foram minhas partes favoritas do livro - o único ponto alto que encontrei na leitura - porque são muito verdadeiros. Nós nascemos em um mundo de convenções predeterminadas, as quais seguimos cegamente. Mas o que aconteceria se, de uma hora para outra, nós parássemos de alimentar o sistema? O resultado inevitável é que os poucos incomodados com as coisas do jeito que são seriam vítimas do histerismo coletivo.

Embora essas reflexões sejam válidas e nos levem a questionar nosso real papel no mundo e a fazer uma avaliação de consciência, ainda assim o livro não foi capaz de me fazer apaixonar. A escrita é fluida, apesar de não a ter achado cativante, e o livro é bem curto, o que garante uma leitura rápida. Mesmo que minha avaliação não seja positiva, recomendo que você leia, pois é interessante ver o que cada um pode retirar de lição dessas 128 páginas!

Ah, se você tem estômago fraco, vá com calma! Próximo ao fim, acontecimentos angustiantes aparecem. Por incrível que pareça, consegui passar tranquila por eles, mas não custa avisar, rs!

site: http://www.umdiamelivro.com.br/2017/02/livro-nada-janne-teller.html
gabesroc 09/06/2017minha estante
Amei sua análise da história. Parabéns!


Andresa 09/06/2017minha estante
Obrigada! Fico feliz que tenha gostado, mesmo a nota baixa, rs.


Andresa 09/06/2017minha estante
Obrigada! Fico feliz que tenha gostado, mesmo com a nota baixa, rs! :)


vanessa 29/08/2018minha estante
Muito legal a sua resenha e concordo com as suas teorias.


Andresa 30/08/2018minha estante
Obrigada Vanessa! *-* Demorei mto pra pensar nelas, KKK.


vanessa 30/08/2018minha estante
Legal. Achei o livro pesado de uma forma fria e ao mesmo tempo não desperta emoções. Mas como você disse, vale a pena pela reflexão.




Lucas 22/07/2013

Sensacional
Livro tão curto quanto impactante. Mantém a mente inquieta por um bom tempo. Obra que fala sobre a dificuldade dos jovens em se encaixar em uma sociedade marcada pela aparência, sobre a ilusão da fama, sobre o ódio, a vingança. Não deixe que o macabro presente no livro influencie sua visão sobre o livro, vale a pena ir até o final, que é surpreendente.

site: http://dontbelievethe-truth.tumblr.com/post/55675719890/how-strange-is-to-be-anything-at-all
comentários(0)comente



Thaisa 26/02/2020

Apesar deste livro ser (infelizmente) pouquíssimo conhecido, ele me apareceu no momento certo - e me acertou com toda a força.
Num belo dia, em uma pequena escola na Dinamarca, Pierre Anthon percebeu que nada mais importava. Sua descoberta atinge todos os seus jovens amigos, que começam a missão de tentar provar, tanto para Anthon quanto para eles mesmos, que a vida tem, sim, significado. E como eles farão isso? Reunindo aquilo de mais importante pra cada um deles...
Será o suficiente?
Esta história é dolorida e ganha proporções tão gigantescas que, ao terminar a leitura, eu nem sabia como me sentir. Janne Teller faz com que nós repensemos a vida, nossos medos, traumas e dores e, principalmente, a questão: "o que é existir? E qual a importância disso?". Só o leitor poderá encontrar a resposta dentro de si mesmo... Ou não.

"Que significado tinha a primavera se logo o outono chegaria e o tudo que brotava simplesmente murcharia e morreria? Como podíamos nos sentir felizes com as árvores brotando, com os estorninhos regressando ou com a crescente altura do sol no céu a cada dia que passava? Logo tudo se inverteria e seguiria o rumo oposto até voltar à escuridão e ao frio, quando não haveria flor nem folhas nas árvores. A primavera só nos lembrava de que em breve nós também desapareceríamos."

Mais resenhas no instagram literário @livre_em_livros
comentários(0)comente



Rafael 09/01/2014

Tudo faz sentido
Primeira coisa que você deve entender antes de começar a ler esse romance é que se trata de um livro manipulador.
As chances de uma crise existencial pós esse romance é grande, portanto não recomendo para todos.
O livro é quase aterrorizante, pesado e argumentativo. Penso que a autora ao escrever o livro estava em uma crise, ou depressão. Isso explica muitas coisas.
O livro é bem escrito, tem um toque sombrio. Me fez refletir e felizmente Pierre Anthon não persuadiu o meu pensamento sobre a vida.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |