Máscara

Máscara Luiz Henrique Mazzaron




Resenhas - Máscara


64 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Bruna 13/04/2015

Resenha : Máscara do blog Cantinho da Bruna
Meu Deus,vai ser difícil organizar meus pensamentos e fazer a resenha desse livro, que eu resumo e uma só palavra: MARAVILHOSO!

O livro conta sobre Liam,um garoto que é criado,desculpe,criado não,maltratado por seu tio Sergey, um ex-militar tão cruel que chega a ser repulsivo, sempre espancando o pobre Liam e o fazendo de escravo.Em um milagroso dia,um fio de esperança nasce em Liam,quando uma moça o visita e promete que o tiraria dali. Mas,Sergey acaba sendo possuído e induzido a matar Lisa (a moça) e ir atrás de Liam. Mas,Liam,consegue forças(que ele não sabe de onde),e luta com o tio,que acaba morto .
Logo após,a policia aparece e o leva dali.
Ah,ufa,até que enfim acabou as coisas ruins, SQÑ!
Ai que as coisa pioram! Pessoas começam a morrer,os corpos começam a empilhar,e Ryan (policial que ajudou Liam), após ser ferido gravemente ,não vê outra saída a não ser mandar o garoto para longe,- sendo levado por Craig (outro policial que ajudou Liam)- para recomeçar,dar uma vida melhor a Liam.


Os anos se passam....tudo parece estar normal de novo....uma família unida....até que em uma bendita festa,as coisas estranhas recomeçarem.Liam fica muito,muito esquisito depois da festa,ele começa a ouvir vozes e a não dormir mais.Em consequência da insônia e do entranho acontecimento na festa,Liam tem um surto ......


site: Leia o resto da resenha :http://emsintoniacomomundofeminino.blogspot.com.br/2015/04/resenha-mascara.html
comentários(0)comente



Helena 31/03/2015

Quanta criatividade e personalidade!!
Quero começar fazendo uma confissão: Gente, acho que estou gostando de uma Drag Queen!!
É isso mesmo! Já já vocês entenderão por quê.

Dividido em seis parte mais o prólogo, Máscara é um livro (ou melhor, um jogo) que requer muito fôlego e um forte estômago, eu diria. Nele acompanhados a vida de Liam, um garoto que viveu por muito tempo isolado do mundo e à merce dos sádicos castigos de seu tio, um carrasco ex-militar. Apesar de ter situações se passando em diferentes lugares, a maneira como Luiz descreve cada parte da história é excelente, não deixando nenhum fio solto. Isso é um ponto mais que positivo, certo? Certo!

Já que eu mencionei a descrição da história, vamos falar da escrita. Gostei bastante da forma como Luiz escreve. O autor possui certa simplicidade e delicadeza em sua maneira de escrever, desde o enredo em si até os personagens. Com muita coerência e eloquência, ele torna a leitura leve, rápida e atrativa. Toda essa capacidade de escrever se une a muita criatividade (e que criatividade) e BUM! Temos uma espécie de mundo paralelo, Domus, repleto dos mais diversos desafios e muitos zumbis. Lembra que eu disse que precisa ter um estômago forte? Então, alguns desafios desse jogo surreal são tensos, dão aquele nervosinho, sabe?! Confesso que, no início, lembrei de Jogos Mortais, mas com o decorrer da leitura percebi que não é isso...

Leia a resenha completa:

site: http://cafecomlivroo.blogspot.com.br/2015/03/resenha-sorteio-mascara-vida-nao-e-um.html
comentários(0)comente



Naty 12/03/2015

*Que os jogos comecem!*

Para os leitores que estão familiarizados como os filmes Jogos mortais, certamente, ficarão com uma grande queda por Máscara. O livro é cheio de surpresas do início ao fim e, quando você pensa que está acabando, eis que muitas coisas surgem e deixam-nos abismados.

Quando vi a capa do livro, o título e li a sinopse, jamais imaginei que teria uma grande semelhança com o filme. Mas, de uma coisa tive certeza: cada personagem clama pela vida, eles desejam ardentemente a liberdade quando estão próximos da morte. É inegável a qualidade que o autor tem de criar tantos cenários e tantos personagens. A personalidade de cada um foi bem explorada e a narrativa demonstra ao leitor o medo presente em cada fala.

Ação é o verbo contido no livro e que encanta, assusta e surpreende-nos. Quando o leitor não está dentro da história, poderá sentir a narrativa um pouco cansada e um ritmo devagar em alguns momentos. Porém, desde o início consegui embarcar no sofrimento de Liam e fiquei abismada com cada percalço sofrido.

“Já que estamos falando de você, tenho uma coisa para lhes avisar. Qualquer um de vocês pode morrer, ou seja, se uma pessoa morrer, vocês ficam com uma pessoa a menos para usar nas portas coloridas. Trabalho em equipe é fundamental aqui, até mesmo para vocês que condenam a humanidade pelos seus atos, sem olhar para os próprios. Nesse novo mundo, vocês não encontrarão pessoas. A sociedade moderna é individualista. Ela é uma predadora que não perdoa o fraco. Portanto, aqui não haverá nenhum ser humano” (p.136).

*Depois de ver a morte de perto, você entende o valor real da vida!*

Liam é um garoto que está sob os cuidados do carrasco tio. Quando ainda era bebê, seus pais adotivos foram brutalmente assassinados e então o sádico tio passa a cuidar do menino. No entanto, ele é maltratado e, muitas vezes, obrigado a ficar trancado no quarto de castigo.

Quando o menino menos espera, uma assistente social surge em sua casa e o salva daquele martírio. Ao tentar fugir, Liam é pego pelo tio e, na tentativa de se defender, acaba matando-o e o garoto acaba indo para um orfanato. Seu jeito doce, recatado e inocente conquista os policiais Ryan e Craig que fazem de tudo para que o garoto seja bem cuidado e esteja sempre bem protegido. Porém, as coisas não são como eles imaginam e alguém está atrás do garoto para pegá-lo; os policiais apenas não sabem quem e o porquê.

Liam está envolvido com uma entidade, ninguém sabe os motivos e nem qual o tipo dela. Contudo, uma coisa é certa: tentar ajudar o garoto é sinônimo de morte. Você escolhe: poderá ajudar o doce e encantador Liam ou ser morto. É aí que tudo começa. Uma luta desenfreada para estar vivo surge e apenas os gratos sobreviverão. Façam suas apostas, pois o jogo já começou!
“Olhou para a parede oposta a que estavam. Ramón estava sobre um homem e o esfaqueava freneticamente. Logo ao lado, uma moça ensanguentada. Suas costelas estavam à mostra, o intestino saltava para fora como uma serpente, seus longos cabelos negros agora estavam tingidos de vermelho, grudados no rosto” (p.150).

*Alguns são tão ingratos por estarem vivos, mas você não, não mais.*

Quando imaginamos que as aventuras de Mazzaron acabaram, eis que ele surge com outras para despertar o leitor. Acredite: é impossível ler essa obra antes de dormir. O sono vai embora, as horas voam e a gente nem percebe. As páginas parecem que não acabam nunca e a vontade é de virá-las desesperadamente para saber o motivo de tanta agonia e sofrimento.

Não, nada acabou. O garoto passa por maus e péssimos bocados. Como se fosse pouco, Liam acaba em um lugar cheio de pessoas que fizeram algo que a sociedade julga como errado, eles são: assassinos, traficantes, prostitutas, ladrões, corruptos... Todos desejam sobreviver, no entanto, apenas alguns terão esse privilégio. O jogo começa, mas nem todos sabem jogar. Aqueles que mais trapaceiam precisam confiar em um desconhecido: Liam. Ele é a peça chave para escolher quem deve sobreviver ao jogo no Domus.

A capa do livro é chamativa. A diagramação é bem simples; o espaçamento, a fonte e as páginas amareladas proporcionam uma leitura agradável. A escrita do autor é algo muito bem feita, todavia, acredito que a editora poderia caprichar um pouco mais na revisão. Embora não tenha sido perfeita, esse livro possui uma das melhores correções que já tive em mãos da Novo Século. A obra pode não possuir uma história que tem o gênero literário preferido de todos os leitores, porém, certamente será um daqueles que te conquistará independente se você é fissurado por esse estilo ou não. Vale a pena embarcar nesse mundo e entrar no jogo. Porém, cuidado: ele vicia! Agora só me resta aguardar o segundo volume.

“Existem médicos do corpo e médicos da alma. Felizes são aqueles que conseguem reunir as duas profissões. Prepare-se” (p.158).

*As frases com * foram tiradas dos filmes Jogos Mortais

site: http://revelandosentimentos.blogspot.com.br/2016/04/resenha-mascara-vida-nao-e-um-jogo.html
comentários(0)comente



Natalia 25/01/2015

Que os jogos comecem
O livro Máscara, entrou para a lista dos melhores livros nacionais que já li, com toda a certeza. Depois de ler tantos elogios a cerca dele, eu comecei a lê-lo cheia de expectativas, o que sempre me assusta um pouco, por me medo de me decepcionar. Felizmente, isso não aconteceu, pelo contrário, o livro até me surpreendeu em criatividade e escrita.

O livro já começa com ação, mas mesmo rodeado de ação, ainda senti o ritmo meio lento, mas, quando já estava na metade do livro, e comecei a entender melhor os acontecimento, tudo se encaixa perfeitamente. O livro se incia na casa de Liam, que era cuidado por seu tio, um carrasco ex-militar, e é quando uma assistente social aparece para salva-lo,mas após uma série de acontecimentos, Liam acaba indo para um orfanato, e conquistando o carisma de dois policiais, Ryan e Craig. Após muitas investigações, desaparecimentos, e acontecimentos estranhos, Craig e Ryan vão atrás de Liam para tira-lo do orfanato, e é partir daí que tu começa a mudar.

Nessa parte do livro, é relevante mencionar como todas as vidas das personagens até então mencionadas se unem numa teia que vai se desfazendo ao longo da história, cada personagem com uma personalidade e história de vida diferente, mas ainda assim, que se relacionam através desse jogo criado pelo autor. Mas, a partir desse ponto, numa tentativa de fuga, acontece algo que achei meio forçado, mas que se torna de suma importância para a história. As vezes parecia que o início do livro, onde todas as personagens vão aparecendo, onde a história tem a sua base, acontecia de forma muito rápida, como se fosse algo encaixado para a história fazer sentido, com algumas personagens, como Dennis e Michelle, que entraram meio "do nada" na história.

Porém, depois de baque inicial, a história começa a tomar forma, e é a partir daí que de repente o livro te prende de tal forma, que é impossível larga-lo. O mistério que se reúne por trás do ser mascarado que persegue Liam é criado de forma fantástica, com cenas e ambientes muito bem descritos, que por vezes o próprio leitor se sente perseguido. Luiz conseguiu mesclar muito bem o terror, o drama, e o suspense da história, ao passo que eu me amedrontava com algumas partes do livro, também ficava ansiosa para desvendar o mistério junto com Liam, e me sentia horrorizada com algumas cenas de drama.

Uma das coisas que mais me chamou a atenção, foi as personagens peças do jogo de Domus. Cada qual com seus defeitos, que são muito julgados pela sociedade, mas também, cada qual com sua história por trás deles, e até qualidades únicas de cada uma, que passam a ser essenciais para o jogo. Isso, nos coloca a refletir sobre a nossa própria sociedade, sobre como as aparências enganam, sobre até onde um ser humano pode chegar em crueldade, ao passo de até onde ele teve motivos para o mesmo. Uma das personagens que mais me cativou, foi Genevieve, que é totalmente misteriosa, e eu gosto de personagens aos quais você nunca sabe o que se pode esperar, as vezes ela era tão forte e decidida, e as vezes tão amedrontada, que me conquistou, com sua personalidade confusa e diferenciada. Bem como Genevieve, todas as personagens desse jogo tem características significativas, e mesmo com todo o desenrolar da narrativa sobre o jogo, o autor ainda conseguiu aprofundar cada uma de suas personagens.

Os vilões da história também são muito criativos. Nero, o comandante do jogo, possui um pensamento peculiar sobre a humanidade que nos pertence. Tudo o que ele faz ele julga ser o certo, e embora não saibamos ainda sua real natureza, sabemos que ele éum ser forte e poderoso que controla seus jogadores nesse mundo criado. Baby (e acredite, isso não é um adjetivo fofo), é outra vilã da qual espero muito coisa nos próximos livros, bem como todas as "marionetes" de Nero, que ao final do livro me surpreenderam.

Ao ler máscara, você realmente se sente dentro de outro mundo, e você pode esperar dele, muitas cenas aterrorizantes, muitas coisas um tanto quando doentias, um livro que de certa forma, meche com seu psicológico. Aliás, quero ressaltar que outras coisa que me chamou a atenção, é como a sexualidade é abordada nesse livro, uma coisa tão carnal, pecadora, que as vezes me lembrava a série de TV American Horror Story, achei fascinante, porque deu um aspecto mais forte para o livro.

Um livro, onde "os pecados da humanidade serão colocados em xeque", onde conhecemos o pior e o melhor do ser humano, entrando num jogo ficcional, que parece ser real. Se tiver a oportunidade, leia esse livro, vale a pena cada página. Se você gosta de livros de distopia e de terror, você precisa lê-lo, é fascinante, um pouco de como nossa literatura nacional vem crescendo.

site: Resenha originalmente publicada em http://desfocandoideias.blogspot.com
comentários(0)comente



Tais Cortez 14/01/2015

Uma maravilhosa surpresa!
Embora um dos meus livros seja do gênero fantasia, como leitora eu prefiro sempre os romances. No entanto, Máscara- A vida não é um jogo, conseguiu mais uma fã! E a culpa é do Luiz! Caramba, adorei sua escrita! De verdade. Foi até meio bizarro, porque às vezes eu pensava que era tão parecida com a minha...com a forma que eu escreveria e tal. E eu sempre reparo na dosagem "descrição x diálogos", e gostei demais da forma que vc mesclou isso. Quanto a história, fiquei doidinha para descobrir pq o Liam era tão especial, o q estava acontecendo, quem era o malvado, o q significava o jogo, pq aquelas pessoas tinham sido escolhidas...etc! Quero parabenizar o autor por ter criado um ótimo livro e por contribuir para um maravilhoso acervo de obras nacionais contemporâneas! Desejo muito sucesso e q mtsss outros leitores sejam conquistados pela adrenalina que emana da sua história! rss Abraço!
comentários(0)comente



Tati Duraes 17/11/2014

Muito bom!!
Tenho que confessar que comprei o livro sem saber exatamente do que a história falava, só sabia que era bom. Que muitas pessoas tinham lido e gostado. Comprei na Bienal de São Paulo e ainda peguei o autografo do Luiz.
Quando fiquei sabendo que era suspense e me falaram para não ler sozinha e a noite.... fiquei muito curiosa!!

A história é sobre Liam, um bebê que teve os pais adotivos brutalmente assassinados e foi morar com seu tio sádico, ex militar e que não trata nada bem o sobrinho. Eis que surge uma assistente social e tenta salvar o menino, já crescido. Claro que o tio não iria deixar, então algo surpreendente acontece e Liam consegue matar o tio e vai parar numa delegacia de policia.

Liam tem algo que uma entidade maléfica deseja, (mais tarde descobrimos que seu nome é Nero) mas não sabemos o que é essa entidade, só que ele quer o garoto e que mata quem tenta ajuda-lo. Sem dó nem piedade, essa entidade, vai deixando um rastro de corpos por onde passa. Nada ficará em sua frente até que seu objetivo seja atingido.... policias, freiras... todos mortos.
Com a ajuda de dois policiais, Liam consegue fugir da entidade por muitos anos, consegue uma família, amor e carinho, coisa que nunca tinha tido, mas enfim chega o momento do confronto.
O garoto acaba num lugar onde ele tem como "aliados" assassinos, prostitutas, traficantes, ladrões.... todos precisam se ajudar para sobreviver. Pessoas que estão acostumadas a trapacear precisam confiar em um garoto, que também não faz ideia de onde está, para ficarem vivos.

Agora todos pagarão pelos seus pecados, todos serão julgados e poucos sobreviverão ao jogo no Domus.

Eu não sou de assistir filmes como Jogos Mortais e coisas do gênero, sou medrosa... mas eu me senti no meio disso tudo, onde pessoas que fizeram coisas ruins sua vida toda tem que enfrentar seus pecados e talvez sobreviver.
Confesso que torci muito pela morte de certos personagens e achei que eles deviam ter sofrido mais... rs...

O livro é narrado em terceira pessoa, o que possibilita a visão de vários personagens quando se separam. Gostei muito da escrita do autor, é fluida e natural.
Como já disse antes, não esperem que eu aponte erros, pois não os vejo com muita facilidade, então se existem na história eu simplesmente passei por cima deles...

Espero que vocês também se aventurem em Domus e bom jogo!

site: http://tatiduraes.blogspot.com.br/2014/11/resenha-mascara-vida-nao-e-um-jogo-luiz.html
comentários(0)comente



Jéssica 16/11/2014

Máscara - A vida não é um jogo (Meu Mundo, Meu Estilo)

Um bebê deixado na porta de uma casa fez a alegria de um casal que não conseguia engravidar, ele foi adotado e tratado com muito carinho, porem um dia algo macabro mata o casal e deixa o pobre bebê sozinho e ele vai para com seu tio. Esse bebê é Liam e seu tio um ex-militar, um sádico, o mantem isolado e o castiga e maltrata por qualquer motivo, mas isso acaba quando uma assistente social o encontra e tenta tira-lo de seu tio.

Claro que seu tio não permitira que isso aconteça e impede que a assistente social o tire da casa, mas Liam tenta e quase consegue fujir quando se vê tento que fazer algo desesperado para se salvar de seu tio. Quando enfim consegue se liberta e policias o ajudam e começa a investigar o que aconteceu mortes começam a acontecer, algo esta perseguindo o Liam e essa coisa não é humana e só vai parar quando mata-lo.

Anos se passam e Liam consegue enfim ter uma vida sossegada e crescer, ele não é mais aquela criança fraca e agora vive com sua nova família feliz e a coisa que o perseguia tinha ficado para trás, mas depois de alguns estranhos acontecimentos ela esta de volta e o "convida" a participar de um jogo em Domus onde os pecados humanos são os crimes dos jogadores.

O autor parece ter se inspirado do que á de melhor dos filmes Silent Hill, Resident Evil, Jogos Mortais e talvez em um ponto de Van Helsing trazendo um livro cheio de adrenalina em uma dimensão alternativa com monstros, zumbis e claro alguém que comande tudo junto com suas filhas leais e "servas".

O livro junta um suspense perfeito e agoniante com acontecimentos que surpreende e derruba suas previsões, personagens que te conquistam em momentos e depois te decepcionam, mostrando as verdadeiras faces humanas que nem sempre são agradáveis, seres monstruosos, lugares e historias.

Esse é aquele livro que quando você começa a ler não consegue parar, você anda com ele, vai dormi com ele, come e deixa ele do lado e quando enfim acaba fica desesperado pela continuação, não consegue parar de pensar em seus personagens favoritos e oque os aguardam, toda vez que você lê algo que te lembre o livro reativa esse desespero Ç.Ç Enfim é um livro que amantes de terror psicológico, suspense, zumbis, catástrofes apocalipses, jogos mortais, tudo que há de melhor nesse gênero tem que ler ou melhor devem ler é uma obrigação U.U

Sobre a escrita do autor ela consegue ser dinâmica, com a narrativa feita por diversos personagens de uma forma que você não se perde, envolvente, como já comentei você não larga livro até ela acabar, e surpreendente, pois a criatividade dele esta em outro nível

site: http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/2014/11/resenha-premiada-mascara-vida-nao-e-um.html
comentários(0)comente



Cath´s 23/10/2014

Resenha Máscara.
Máscara é o primeiro livro de uma série e conta a história de Liam, que foi adotado por um casal que logo depois faleceu. Dessa forma, foi morar com um tio, que deixava o garoto com fome e o tratava mal.

Alguns anos depois uma assistente social vai a casa para o levar embora, só que o tio não permite, e é nesse dia que Liam mata o tio quando esse estava tentando assassiná-lo, e o garoto termina na delegacia de policia.

Só que quando os policiais vão investigar, homicídios começam a acontecer, e um policial termina fugindo da cidade com Liam e algumas pessoas para se salvarem. Depois disso se passam anos no livro, com eles vivendo numa mansão como uma família.

Acontece que quem está atrás de Liam não é uma pessoa normal, ele se chama Nero e não posso contar o que exatamente é, pois estragaria a surpresa, só que ele pode matar uma pessoa e tomar sua forma, menos pelo rosto, que fica negro.

Então depois desse tempo Nero consegue ir atrás de Liam, e é quando o captura e leva para Domus, que também não posso explicar o que é, mas é como um universo alternativo. Nero também faz Liam escolher alguns parceiros, todos com características tensas, exemplificando, assassino, prostituta, ladrão e etc.

Logo começa um jogo com várias fases, e as pessoas devem sobreviver a essas fases, então eu aviso tem mortes e nem todos vivem.

A obra me lembrou uma mistura dos filmes Jogos Mortais com Silent Hill, só acho que o autor pecou em pequenos detalhes no momento de retratar as pessoas, como os policiais que eram frágeis demais, eles vivem enfrentando várias situações, então imaginem se eles saíssem visitando diariamente todas as crianças que já resgataram, ou se fugissem com essas crianças cada vez que algo de errado.

Outro ponto é que obrigatoriamente você terá que ler a continuação, pois a aventura de Domus não termina neste primeiro livro como eu achei que ocorreria, imaginei que eles iriam sair de Domus nesse e no próximo teria um outro enredo, mas não é o que acontece.

Eu achei que o autor tem que crescer a escrita nesses pontos no próximo, mas as ideias são muitos boas e surpreendentes.

Por parte da editora ocorreu alguns errinhos de falta de pontos ou de colocarem uma palavra errada, mas nada que atrapalhe a leitura.

Se você curtiu Silent Hill e Jogos Mortais (mas não tão nojento, eu mesma não consigo ver Jogos Mortais, mas gostei do livro), acredito que vá gostar da obra.

site: http://www.some-fantastic-books.com/2014/10/resenha-mascara.html
comentários(0)comente



Bia 20/09/2014

Máscara - A vida não é um jogo
Orgulho. Essa palavra define o que sinto. Primeiro pelo fato do autor ser brasileiro, segundo pela história ser incrível e terceiro e não menos importante, caracaaaaaa ele é meu parceiro!!
Preparem para embarcar numa história repleta de ação...
Liam é o nosso personagem principal. Ele fora adotado por uma casal sem filhos, quando simplesmente o abandonaram na porta deles. Porém, seus pais adotivos faleceram quando este ainda era muito pequeno, e assim Liam caiu nas garras de seu tio Sergey.
Sergey é um ex General que fora demitido por sadismo. Já sentiram que o cara é um louco né?
Ele maltratava e ridicularizava Liam. Este, já com sete anos, nunca havia frequentado a escola e era obrigado a realiza atividades domésticas para seu tio. Se algo não agradava Sergey, o menino era castigado, mantido num quarto fétido e pequeno, sem comida.
Após muitos maus tratos, Liam finalmente encontra uma luz: a visita de uma assistente social enche o menino de esperanças.
Quando finalmente é encontrado e resgatado, coisas sinistras começam a acontecer. Parecia que todos que estavam dispostos a ajudar Liam, era condenado. Aliás, não somente os que queriam ajudar, todos que estavam envolvidos com o caso.
Vocês devem estar se perguntando: mas o que enfrentavam? O que acontecia a essas pessoas?
Elas eram simplesmente assassinadas da forma mais terrível possível. E o único fato que ligava tais assassinatos era o envolvimento, mesmo que indireto, com Liam.
Então vocês imaginam que tal assassino poderia ser Sergey... Porém, adianto a vocês que é algo ainda pior que o sádico.
Uma criatura não humana, cuja única meta é destruir o menino.
Por que essa criatura assombrava Liam? Esta é a grande questão do livro...
Um verdadeiro massacre acontece. Equipe Policial assassinada, Assistente Social morta...
Restaram apenas Liam, sempre defendido pelo policial Craig; Linda, irmã da assistente social; Jéssica, filha de Linda; e uma freira, a Irmã Clarice.
Sobreviventes, eles resolvem partir para o interior e se livrarem das lembranças infelizes do massacre.
Dez anos se passam.
Liam e Jéssica agora adolescentes. A família nada convencional vivem felizes, e, aparentemente recuperadas do massacre.
Mas, a vida serena desta família dá uma reviravolta quando Liam desaparece misteriosamente.
Ele é levado para Domus, um mundo paralelo, e é o convidado de honra para um jogo cheio de terror.
Vencer pode não ser tão divertido. E, perder meu amigo. te custará sua própria existência.
Adrenalina do início ao fim.
Fiquei super envolvida por essa trama.
Luiz criou uma história para esfregar na cara de todos que brasileiros também sabem criar excelentes livros de terror e suspense. É uma mistura que nos deixa fascinados.
O ambiente de "Domus", criado pelo autor, é algo realmente diferente de tudo que já li e vi. Algo único, porém ao mesmo tempo tão fácil de ser imaginado.
"Nero", a tal criatura, usa máscara, e todos os personagens que habitam Domus tem essa característica. E isso dá um toque especial à história.
Quando Liam chega à Domus, a história fica mais envolvente ainda. Como peça fundamental do jogo macabro criado por Nero, o garoto acaba tendo que escolher novos membros para o jogo.

"O ser humano é realmente um enigma. Mesmo num ambiente de total selvageria e morte ainda conseguem rir e esquecer que estão com as vidas em risco. A capacidade de adaptação deles é incrível."

E personagens incríveis e tão humanos entram na história. E aliás, personagens carregados de pecados. Estuprador, assassina, traidora, covarde, trapaceira, indiferente, corrupto, invejoso, ladrão, sádica. Será que estes serão um bom time para Liam? Ele poderá salvar todos eles? Você seria capaz de torcer pela vida de algum deles?

"Por trás de uma pessoa fria há uma história".

Os jogos são super inteligentes e diferente de tudo que já viram.
Não vou falar sobre como são os jogos, porque o bom da leitura é o sentimento de surpresa.
Um dos melhores livros que li este ano, é o meu favorito, sou tiete do autor. Ainda não encontrei nenhuma resenha negativa, e acredito que até mesmo os que não são fãs do gênero mas apreciam a literatura nacional deveriam conhecer o trabalho único de Luiz Henrique Mazzaron.
O ponto negativo do livro, é que ele faz parte de uma série, e o segundo livro ainda não foi publicado.
Mas isso não impede ninguém de conhecer a obra. Claro que estou com insônia, desejando ansiosamente a continuação, porém não me canso em exaltar, elogiar e venerar este autor tão talentoso.




site: http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/2014/09/resenha-mascara-vida-nao-e-um-jogo-luiz.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cássia 19/05/2014

Máscara - a vida não é um jogo
"Máscara", do autor Luiz Henrique Mazzaron, lançado em 2013 pela Editora Novo Século é uma história muito assustadora, capaz de mexer com o psicológico de quem está lendo. Fiquei feliz pela qualidade da escrita de Luiz; é gratificante saber que a nossa literatura está sendo valorizada e, para mim, o autor merece destaque no mundo literário.
O livro não se encaixa na categoria de 'livros-para-serem-lidos-antes-de-dormir' e a leitura está longe de ser considerada leve. A leitura de "Máscara" exige muita atenção e raciocínio rápido. Posso dizer que é um livro muito, mas muito tenso.

Nosso protagonista em "Máscara" é Liam, um garoto que vive com o tio e não é feliz. Quando ainda era uma criança, Liam sempre teve pesadelos com um ser mascarado que o assombrava, mas nunca soube o que isso significava. Seu tio sempre fora um péssimo exemplo de pessoa, e após uma situação muito estranha, Liam se vê livre do seu carrasco e encontra, em meio a uma tragédia, a oportunidade de finalmente ser feliz.
No exato momento em que Liam se vê livre do tio, sua vida cruza com a dos funcionários da delegacia da cidade onde vivem, e rapidamente criam laços de afeto. Sendo assim, os agentes Ryan e Craig levam o garoto para um orfanato, até que as coisas se resolvam. Mas o que ninguém esperava era que o ser mascarado dos sonhos de Liam iria tornar-se real e causar um grande massacre em Green Valley. No momento em que percebe que está entre a vida e a morte, Ryan pede para seu fiel amigo - Craig, que leve Liam para longe dali. Essa decisão tomada em um momento de desespero torna-se o divisor de águas nas vidas de Liam e Craig, além dos demais personagens que por ventura conseguiram escapar com eles para longe do massacre.

Os anos se passaram e nesse ponto o autor deu inicio a segunda parte da história. Poderia dizer que a primeira foi apenas uma introdução, para que os leitores pudessem sentir um pouco da tensão que o livro apresentaria no decorrer dos capítulos. Eis que Liam se vê livre dos pesadelos, e tudo está em paz e em plena tranquilidade na nova casa da "família". Craig, Liam e os demais sobreviventes, se hospedaram em uma residência que pertencia a Ryan, que serviu como um lugar para recomeçar. Mas o senhor mascarado conseguiu encontrar Liam e transformou sua vida em um inferno muito pior do que anos antes.

Após uma tremenda reviravolta, Liam se vê preso dentro do mundo de Domus e é obrigado a jogar um jogo extremamente cruel, onde ele precisa decidir entre a vida e a morte de pessoas que ele sequer viu em sua vida. Durante o jogo, a trajetória de Liam é muito sofrida e enigmática. Ninguém sabe porque ele é o principal jogador, mas tudo gira em torno de suas decisões. As partes em que Liam precisava decidir entre salvar ou não alguém, foram as mais difíceis durante a leitura; No entanto, todas as pessoas que eram julgadas por nosso jovem-guerreiro, tinham alguma culpa no cartório. E ai fiquei me perguntando: "E se existisse, de fato, esse real julgamento no mundo em que vivemos?! Será que ele seria um lugar melhor, ou seria transformado em um completo caos?". Fiquei chocada em como Luiz conseguiu criar um mundo paralelo tão parecido com o nosso nesse contexto.

Enquanto Liam está preso dentro do mundo de Domus, Craig e Ryan tentam encontrar uma resposta para os enigmas que estão acontecendo. Liam sumiu misteriosamente do "mundo real", além de outros membros da família sobrevivente. Os detetives ainda precisam desvendar os mistérios que começam a surgir no mundo real, que, para eles, não fazem o menor sentido. Pode parecer confuso no começo, mas o autor soube transmitir exatamente o que queria, de uma forma não muito complicada de entender. Mas, como já disse, "Máscara" é um livro que deve ser lido com muita atenção. Exemplo disso, é que tive que voltar e reler algumas páginas só para entender o que estava acontecendo - e isso aconteceu várias vezes durante a leitura.

Além da criação desse cenário horripilante (e, ao mesmo tempo, muito real), Luiz também foi muito feliz na criação dos personagens que envolvem a trama. Cada um possui uma particularidade, além de reações muito humanas. Uma das poucas "regras" do jogo é que o grupo formado por Liam e os demais participantes se mantenham unidos até o final. No entanto, cada um quer salvar a própria pele, e muitos acabam caindo em "tentações", e tentam ao máximo esconder o que realmente desejam. Mas, o principal objetivo do jogo, é provar para Liam que o mundo real não é o melhor lugar para se viver, que existem pessoas que não ligam para nada, além do próprio nariz; e que, infelizmente, pessoas que praticam crimes por "necessidade" (por exemplo, falta de comida), são julgadas como se tivessem matado alguém.

O livro termina na transição para o segundo, e posso adiantar que estou extremamente ansiosa para ler sua continuação. A escrita de Luiz é maravilhosa, e ele está de parabéns. É impossível não ficar com uma sensação de quero mais ao finalizar a leitura. A Editora Novo Século também fez um trabalho maravilhoso na diagramação e revisão. Um excelente livro que todos deveriam ler.

site: www.procurei-em-sonhos.com
comentários(0)comente



Fernanda 07/05/2014

RESENHA: MÁSCARA, A VIDA NÃO É UM JOGO.
Desde pequeno, Liam sempre soube apenas o lado amargo da vida, até ser resgatado e o real terror ser libertado. Diante da perseguição por um ser jamais imaginado, diante do sangue, assassinatos e medo, o garoto é acolhido por uma família que foge junto dele para o lugar mais distante possível, acreditando ser um belo recomeço. Frequentando a escola regularmente e tendo um bom relacionamento em casa, não era esperado que o mal estivesse trabalhando em pessoas tão próximas a ele.

Liam acorda em um lugar desconhecido e sozinho, desorientado vidas são colocadas em suas mãos e ele precisa escolher quem irá sair vivo do jogo junto dele. Todos tem seus pecados e é preciso escolher sabiamente seus companheiros. Em meio a tanta desconfiança, o grupo precisa permanecer unido e trabalhar em equipe, para que todos saiam vivos desse verdadeiro inferno. O jogo é extremamente cruel, deixando todos a flor da pele e obrigando a todos lutar por sua sobrevivência.

Um vírus foi criado e usado impiedosamente em pessoas que mal sabiam o que lhes acontecia, e assim, um mundo chamado Domus surgiu, governado e vigiado por um ser cruel, não deixando espaço para a piedade ou misericórdia. Cada teste tem seu objetivo e a cada um, uma grande lacuna começa a se formar no grupo. A morte é inevitável, todos sabemos, mas grandes revelações estão por vir e isso deixará o jogo mais intenso.

Liam não é apenas um jogador qualquer, ele é uma peça importante para que o mundo de Domus não se espalhe para o mundo real. Um dom é descoberto e é preciso que ele seja usado para a paz reinar e a vitória ser iminente, o jogo está muito longe de acabar. Quem vencerá e voltará para sua vida?

Hora de tomar fôlego, porque esse livro tirou ele totalmente, sem contar meu sono. A cada vez que eu pegava o livro as páginas voavam diante de meus olhos e eu não conseguia largar. Acho que vocês perceberam que eu dei uma sumida daqui, e foi por causa do livro. Eu estava ficando maluca por não terminar logo e eu precisava, vocês entendem, não é? Com uma escrita maravilhosa, o autor faz a história fluir de maneira fácil e muito bem entendida.Ele merece palmas por ter criado uma história tão maravilhosa e envolvente. Senti o que cada personagem sentiu, em cada teste, em cada perda, nos momentos de adrenalina! Ainda estou um pouco acelerada por tudo isso, mas é um livro que tem cinco estrelas e ainda merece mais!

site: http://www.percepcoes.blog.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Pamela 14/04/2014

Recebi a obra de parceria com o autor em um evento que houve aqui em São Paulo, no Parque do Ibirapuera, há pouco mais de um mês. Devorei o livro em apenas dois dias, mas somente hoje consegui resenhá-lo, devido ao número gigantesco de resenhas que ainda estou devendo.

Confira a resenha na íntegra clicando no link a seguir:

site: http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/2014/04/resenha-mascara.html
comentários(0)comente



64 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5