Comunicação Não-Violenta

Comunicação Não-Violenta Marshall B. Rosenberg
Marshall B. Rosenberg




Resenhas - Comunicação Não-Violenta


118 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


flavia.pozzoli 27/09/2020

A maior parte dos problemas nasce por dificuldades que temos em comunicar o que queremos, e compreender o que os outros querem. São sutilezas que mudam completamente a maneira como nos expressamos e percebemos o que o outro quer comunicar. Esse livro deveria ser utilizado como material didático em todas as escolas!
comentários(0)comente



Lucas M - @srlucasm 18/09/2020

Para melhorar a sua comunicação
Vou te fazer uma pergunta: você já perdeu a sua amizade por causa da sua comunicação? Eu já. Depois que isso aconteceu comigo, decidi buscar um livro que me ajudasse a se comunicar melhor. Foi um dos motivos (senão o principal) que adquiri o livro de Marshall Rosenberg, que trata sobre Comunicação Não Violenta, a CNV.

A CNV basicamente é composta de Observação (sem julgamentos), Sentimentos, Necessidades e Pedido. A CNV é importante não só para o que fala, mas para o que ouve. Você pode se expressar honestamente usando os quatro componentes ou receber com empatia por meio dos quatro componentes. A empatia é uma das coisas mais importantes no processo da CNV, porque você tenta entender o que o outro está sentindo, o que o outro está necessitando e assim tentar ajudá-lo. É simplesmente se colocar no lugar de outra pessoa. Por isso a sua comunicação precisa ser a mais empática possível.

Essa metodologia está recheada de testemunhos de pessoas que aplicaram a CNV e tiveram progresso em suas vidas. Inclusive existem relatos que a CNV foi muito boa em acordos entre países e em presídios. E CNV foi útil até para uma mulher que estava lidando com um meliante que queria violentá-la.

Ficou interessado em melhorar a sua comunicação? Recomendo o livro, mas não fique só nesse livro. Invista mais na área. Mesmo concordando parcialmente na parte que fala sobre repreensão, o conteúdo do livro melhorou a minha forma de se comunicar. Ainda tenho muito a progredir e te convido a caminhar junto comigo em direção a uma vida melhor, incluindo a comunicação.

Att,
Lucas M.
comentários(0)comente



Joy 13/09/2020

Necessidade Básica de Leitura
Livro espetacular. Inclusive, aquele tipo que, por mim, todo ser humano deveria ler para uma melhor relação com o próximo. Incrível, inspirador e do meu estilo favorito: aquele que encho de marca texto.
comentários(0)comente



Mesquita 08/09/2020

Interessante, mas ambicioso demais.
Por ser um livro que pode ser considerado técnico, creio ser importante frisar de onde falo: sou acadêmica de medicina (com isso, quero dizer que tenho certo treinamento técnico inicial em saúde mental), mas não tenho pretensões de conhecer a psicanálise e a clínica psicológica que o autor claramente contesta.

Dito isto, a premissa da Comunicação Não Violenta (CNV) me saltou aos olhos. Conseguir construir empatia e me comunicar adequadamente é parte essencial do meu trabalho, além da possibilidade de melhorar meus relacionamentos pessoais. As propostas são interessantes e tenho tentado aplicar algumas das proposições, especialmente as paráfrases e a distinção entre causa e estímulo para um sentimento.

Todavia, os relatos quase fantasiosos de pessoas que tiverem a vida mudada pela CNV me tornaram cética à narrativa do autor. Isso, acrescido do quase cinismo aos contextos comunitários das pessoas não me encorajam ao uso da CNV em situações que o autor mostrou como "exemplos de sucesso", como nos conflitos de raça.

Outro ponto que me causou estranhamento foi o uso da CNV no tratamento da depressão. Não sei se foi algo perdido na tradução, mas o capítulo dá a entender que a simples aplicação da CNV, a partir de uma nova forma de frasear os pensamentos, seria capaz de curar a depressão. Isso é improvável e uma proposta arriscada, visto que esta condição é uma doença capaz de retirar a autonomia e a vida de pacientes.

Como leiga, eu ainda assim recomendo a leitura. Ainda que com ressalvas, o livro desencadeou insights interessantes sobre como me comunico e como percebo as pessoas e suas intenções; mas recomendo também atenção e, em caso de questões mais profundas em saúde mental, consulta a profissional especializado.
isthatvi 24/09/2020minha estante
Que comentário pertinente. Obrigada!




Maya 07/09/2020

Vale a pena e muito
Não gosto quando livros desse tipo tem histórias e relatos em excesso.. mas independente disso os pontos abordados foram excelentes.
É lendo e relembrando situações na sua própria vida, especialmente situações recorrentes. É basicamente sobre comunicação e como a mensagem é entendida por todos os indivíduos envolvidos.
Da pra entender como a história humana é um grande desentendimento constante entre todos nós.
comentários(0)comente



Luciana.Santana 06/09/2020

Marshall Rosenberg é mais do que um estudioso sobre o tema comunicação humana, é um verdadeiro e intencional pacifista. Inspirado em Jesus Cristo e Gandhi, dentre outros, compreende que a nossa forma de nos relacionar por meio da fala/escuta pode transformar o mundo.

Não haveria a possibilidade de ser mais didático do que foi ao esboçar seu método que nos encaminha para uma maior conexão com nossas próprias necessidades e com as necessidades e sentimentos das outras pessoas, em qualquer e, mesmo, nas situações mais improváveis e embaraçosas que possamos imaginar. Para isso, incrementa os conceitos com experiências de vida incríveis às quais nos motivam a aplicar o método.
        Ele fornece um passo a passo, rico em ilustrações, nos convidando a executar os 4 componentes da CNV: 1. Observação (aqui somos chamados para a realidade objetiva, foco no presente e na situação que será pauta para discussão; generalizações e interpretações não contribuem);
2. Sentimentos (oriundos de nossa interpretação do fenômeno observado; nosso guia para identificação tanto dos pensamentos como das necessidades que não foram atendidas);
3. Necessidade (a identificação daquilo que precisamos no momento e que não está sendo considerado na situação); 4. Pedido (a solicitação daquilo que necessitamos para o outro; não é uma exigência; pedir é o objetivo, obter um sim é agradável, mas com a CNV se objetiva mais).
       A grande sacada está em que o método somente poderá ser aplicado com efetividade se a construirmos uma intenção genuína de gerar maior felicidade e paz no mundo, abandonando assim toda tentativa de manipulação, controle ou coerção do outro; pois não se pode construir a paz sobre alicerces de medo.
        Neste sentido, propõe-se que sejamos motivados por sentimentos como amor, respeito, compressão, gratidão, compaixão e preocupação genuína com o outro.
Parecem dicas simples, mas ao tentarmos nos comunicar dessa forma, nos esbarramos em nossos condicionamentos, padrões comportamentais e culturais, além de uma reatividade emocional sobre a qual passamos a ter maior consciência ao praticarmos a CNV.
É necessário ter muito empenho para se comunicar da forma proposta. Treinando muito acho que conseguirei daqui uns anos.
comentários(0)comente



Marcelinha 04/09/2020

Um livro pra vida
O que seria da nossa vida sem a comunicação não é mesmo?
Bom este livro não apenas para os profissionais da área, mas para todos, até porque todo mundo fala, se expressa e se relaciona.
Esta produção te faz repensar várias atitudes e sugere diversas soluções para qualquer caso que podemos imaginar, realmente um livro incrível!
comentários(0)comente



Jeff 01/09/2020

O livro é ótimo! O que mais gostei foi que ao final de cada capítulo você se depara com exercícios que te ajudam a entender mais ao que se está sendo transmitido. Estou colocando o que aprendi em prática aos poucos e procurando analisar as situações antes de tomar alguma atitude. Recomendo!
comentários(0)comente



Quel Magda 31/08/2020

Livro maravilhoso!!!
Leitura super gostosa e fluída, de fácil entendimento, porém muito MUITO difícil de colocar em prática!
O livro nos dá técnicas (mostrando diversos exemplos) de como nos comunicar de maneira clara, expressando o que realmente queremos e fazendo com que o ouvinte compreenda. A dica é: observar o que está acontecendo, identificar como nos sentimos e quais necessidades estão atreladas à esses sentimentos e pedir claramente o que desejamos. Parece simples né?! Mas como você reage quando está sob pressão, quando algo não sai como deseja ou quando recebe um não?
Leia esse trecho: "Palavras são janelas ou são paredes. Elas nos condenam ou nos libertam. Quando eu falar e quando eu ouvir, que a luz do amor brilhe através de mim." Suas palavras te condenam ou te libertam???
comentários(0)comente



Marcio Falcão 30/08/2020

Deixa a desejar
Não vou negar que o assunto do livro é super importante, mas a forma como o livro foi escrito deixou a desejar.

A comunicação não violenta é uma baseada em uma total mudança de hábitos e costumes, e precisa ser praticada diariamente para que possa mudar as pessoas e a sociedade.

Infelizmente o autor retratou um processo como algo extremamente simples de ser feito, e não retratou dr forma adequada as dificuldades e falhas que podem ocorrer e como contorna-las. Isto pode acabar fazendo com que aqueles que tentem praticar desistam apos algumas falhas, achando que estao fazendo algo errado, ou que nunca irá funcionar.

O leitor precisa ter em mente que toda mudança de habito é um processo dificil e é preciso motivação e empenho para busca dos objetivos.

Recomendo a leitura, mas o fato que citei acaba por prejudicar o resultado final da mensagem do autor em minha opiniao
comentários(0)comente



Isabella.Vitti 27/08/2020

No início parecia até utopia colocar em prática esse tipo de linguagem proposta pelo Marshall. Segui frustrada com as palestras e a minha primeira leitura do livro acreditando que, talvez, não fosse para mim.

Este ano insisti novamente na leitura do livro. Acho que demorei a absorver tudo que o Marshall fala no mesmo, porém entendi que trata-se de uma linguagem de amor, tanto com os outros como com nós mesmos.
Notei e refleti que primeiro é necessário mudar a comunicação comigo mesma para que, assim, eu consiga ter uma linguagem de amor com os outros também.

Tudo é linguagem. Tudo é comunicação e podemos ter/construir relações muito melhores quando pedimos e ouvimos com o coração, genuinamente com o coração. Sem julgar, sem obrigar algo em troca.
Marshall nos mostra e ensina que como dizia Gandhi: "Que nós nos tornemos a mudança que buscamos no mundo", sendo assim, se buscamos um mundo com mais empatia, compaixão, comunicação e respeito, isso deve começar internamente em nós mesmos. Quando assimilamos e internalizamos a prática da comunicação do amor, conseguimos exerce-la e escutar os outros seres.
comentários(0)comente



@wag_andrade 26/08/2020

A teoria da CNV é algo impressionante
O livro traz uma teoria revolucionária para sabermos nos comunicar melhor, com mais empatia e confiança para o mundo.

Algo a destacar é a boa narrativa desse livro. Cada capítulo conquista o leitor com uma escrita fluida, embasada em teorias e exemplos práticos.

Todavia, um grande desafio que eu encontrei foi colocar em prática os ensinamentos do livro.

Apesar das instruções claras no livro, colocar os ensinamentos em prática é realmente algo BEM a difícil.

Sigo tentando!
Vale muito a pena a leitura.
Bom para refletir e melhorar nossa comunicação para com os outros.
comentários(0)comente



Shahin 05/08/2020

Aplicando empatia nos diálogos.
Ler este livro foi uma experiência muito benéfica para mim. No decorrer dos capítulos eu já me via tentando aplicar métodos de conversas não violentas em meus diálogos cotidianos, e é muito legal ver resultados interessantes em cada uma das práticas. Recomendo! Este livro abre a cabeça para novas possibilidades de relações sociais.
comentários(0)comente



Sofista Prateado 31/07/2020

Ler e reler
Um livro para toda a vida, para todos os tipos de pessoas e para qualquer momento! Esse é o tipo de livro que não merece ser lido só uma vez. Precisa ser lido, relido, praticado, dissecado e interiorizado!
comentários(0)comente



Ludmilla 30/07/2020

Um livro muito bom. Penso que, para colocar a cnv (comunicação não-violenta) em prática, nas diversas situações da nossa vida, é importante revisitarmos esse livro várias vezes. Uma leitura não basta. São muitos ensinamentos.
comentários(0)comente



118 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |