Hell House

Hell House Richard Matheson




Resenhas - Hell house


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Flávio 07/02/2010

Após elaborar uma resenha sobre o livro A Assombração da Casa da Colina, de Shirley Jackson, resolvi fazer o mesmo com Hell House - A Casa Infernal, já que as duas obras seguem a mesma linha. É inevitável não notar semelhanças na idéia central, já que em ambas há uma expedição a uma casa dita assombrada. No entanto, os motivos são distintos. Enquanto no livro de Shirley Jackson um doutor leva pessoas para estudar os acontecimentos da casa e escrever um livro sobre isso, na obra de Matheson o propósito é muito mais cruel e audacioso: provar que existe vida após a morte.

Para entendermos melhor, vou resumir um pouco a estória: tudo começa quando um certo Sr. Deutsch, um velho milionário muito próximo da morte, resolve comprar a Mansão Belasco, que dizem ser o Monte Everest das casas mal-assombradas. Deutsch, querendo tranquilizar sua mente devido ao medo do desconhecido, resolve mandar três pessoas para passarem uma semana na mansão, de forma a provar a existência ou não de vida após a morte. Para isso, convoca, o Dr. Barrett, homem da ciência, cético, que tentará provar que não existem espíritos rondando o lugar; Florence Tanner, uma médium espiritualista; e Benjamim Franklyn Fischer, única pessoa que conseguiu sair viva da casa, após uma expedição há mais de 30 anos. Os três, que receberão 100 mil dólares pelo serviço, mais Edith, esposa do Sr. Barrett, partem para a casa em busca das respostas que o milionário quer.

Como já disse, é semelhante com A Assombração da Casa da Colina, mas ao menos tempo bem diferente. Talvez a diferença principal é que, se o livro de Shirley Jackson foi decepcionante em todos os sentidos, não podemos dizer o mesmo de Hell House - A Casa Infernal. Este sim é um livro brilhante, uma obra-prima de um gênio chamado Richard Matheson, que pouca gente no Brasil sequer ouviu falar.

Enquando a obra de Shirley Jackson é absolutamente superficial, apresentando uma escassez de acontecimentos, o livro de Matheson já começa de tirar o fôlego. Desde o primeiro minuto em que os visitantes entram na casa, as manifestações acontecem, trazendo desespero, loucuras e intrigas.

O cenário é de uma riqueza de detalhes impressionante. Você se sente naquela casa sem janelas, sentindo a mesma sensação claustrofóbica que os visitantes sentem. Outro ponto positivo é que o autor não se atém aos detalhes, diferentemente do livro de Shirley Jackson. O foco é a trama e o terror, não as descrições desnecessárias que só cansam o leitor.

Vale destacar que, afora o cenário claustrofóbico e aterrorizante, temos excelentes embates entre o cientista, que tenta provar que as manifestações nada mais são que forças eletromagnéticas; e os dois médiuns, que afirmam com convicção que há espíritos malignos responsáveis por todas as ações. As teorias de ambas as partes são altamente convincentes, o que faz com que o leitor não tome partido a favor de nenhuma delas. Posso dizer que é incrível a forma que Matheson conduz as discussões.

Em relação aos personagens, eles são muito bem construídos. A personalidade de cada um é única. De tão claros e bem desenvolvidos, em dado momento já nos antecipamos e sabemos como cada um deles irá a reagir a uma indagação, provocação ou assombração.

Não preciso nem dizer que Hell House - A Casa Infernal honra o propósito. Nos dá terror, medo, tensão, teorias absurdamente convincentes, personalidades muito bem construídas, conhecimentos e muitas outras coisas. Em um cenário atual em que livros de terror que realmente dão medo estão raros, eis que temos um, lançado na década de 70, finalmente traduzido e lançado em nossa língua, para limpar a alma de todos e nos mostrar que é possível sim achar um livro do gênero interessante. Só posso agradecer a Richard Matheson por me proporcionar essa excelente leitura e por ter escrito essa obra-prima do horror.
Claire Scorzi 24/01/2010minha estante
O final da sua resenha me fez lembrar o que sempre digo a mim mesma: que é possível um escritor pegar um tema velho, batido, e revitalizá-lo - se for talentoso e estiver inspirado.


Letícia 14/02/2010minha estante
Ganhei esse livro de aniversário e não coloquei muita fé nele, mas a surpresa só fez com que ele fosse melhor.

Concordo com tudo o que você disse na resenha.


Marselle Urman 15/08/2011minha estante
Gostei da Hill House de Shirley Jackson, embora auele livro seja majoritariamente psicológico. Espero que Matheson não seja sempre tão científico quanto foi em "Eu Sou a Lenda". Hell House está envelhecendo um pouco na minha estante, ainda intocado.


Jackie Sabino 01/01/2012minha estante
Este foi o primeiro livro do gênero que li e ainda sinto um arrepio de medo toda vez que olho pra ele na minha estante e lembro da imponência de Belasco....


Fe 24/04/2012minha estante
Perfect


CLEUSA 28/02/2013minha estante
Concordo com vc em cada palavra. Geralmente livros de terror deixam um gostinho de decepção ao final da última página... com Hell House, felizmente, não acontece isto.




Regiane 28/10/2010

Prepara-se para um grande tormento!

Eu não sei vocês, mas eu adoro livros de suspense e terror. A sensação de tensão e mistério que possui nesse tipo de obra me atrai bastante. Quando descobri que esse livro tratava desse assunto, resolvi pedi-lo de aniversário. Além disso, uma das coisas que me fez querê-lo ainda mais, foi por conta da seguinte opinião de Stephen King na contracapa:

“A Casa Infernal é o romance sobre casas mal-assombradas mais aterrorizante que já foi escrito. Destaca-se entre outras histórias do gênero como uma montanha no meio de uma planície.”

E como se já não bastasse a opinião do cara que tenho como um dos maiores mestres de suspense/terror, esse livro foi escrito por nada mais e nada menos que Richard Matheson, o mesmo autor de Eu Sou a Lenda. Apesar de não ter lido esse livro ainda (que quero muito), eu adorei o filme, achei o contexto bem interessante.

Quanto à capa eu não preciso nem dizer, né? Bom, mas mesmo assim eu irei falar rs. Ela possui uma ilustração fantástica. Eu adorei! Também não poderia deixar de dizer que o livro foi lançado aqui pela Editora Novo Século e eles capricharam.

Exatamente no ano de 1970, Dr. Barrett – um físico que estuda parapsicologia há 20 anos – é contratado por um senhor milionário, chamado Deutsch para apurar fatos sobre a vida após a morte, pois ele sente que está no fim dos seus dias e quer ter a certeza de que existe algo além.

Incrédulo que possa encontrar tais fatos, Barrett dá o caso por perdido, mas o Sr. Deutsh diz que este está equivocado, e afirma que poderá encontrá-los em um único lugar na terra - onde a vida além da morte ainda não foi refutada - a mansão Belasco, mas conhecida como Casa Infernal. Um lugar que permaneceu vazio por mais de 20 anos, depois que outras pessoas tentaram investigá-lo e acabaram sendo vítimas da morte e da loucura.

Para seguir nessa jornada, além de sua esposa Edith, Barrett é acompanhado pela médium espiritualista Florence Tanner e também pelo único sobrevivente do desastre de 1940 - ocorrido na casa infernal - Benjamin Franklin Fischer.

Quando finalmente acomodados na mansão sinistra, a pedido do Dr. Barret, Fischer conta um pouco sobre o ex-dono, Belasco - o criador do inferno na Terra, dentro da sua própria casa. Um homem que enquanto viveu possuiu o poder de influenciar qualquer um de seus hóspedes as mais diversas depravações e situações bizarras. Em 1929 quando a casa foi arrombada a pedido de parentes de seus convidados, todos foram encontrados mortos, mas Belasco não estava entre eles.

Mesmo depois de sua morte, a casa continuou a proporcionar tormentos do pandemônio deixado por Belasco para qualquer visitante que se atreveu a visitá-la. Será que dessa vez Dr. Barret e sua equipe conseguirão desvendar os mistérios que rondam a tal casa e conseqüentemente encontrar respostas concretas sobre a vida após a morte? E conseguirão ainda sobreviver ao mal que nela espreita?

Finalizando eu posso dizer que gostei muito da escrita do autor e da proposta apresentada por ele, além de prender bem a atenção do leitor. O que me incomodou um pouco, foram os trechos com apelo sexual (que achei bem vulgar) e o desfecho da história que eu ansiava por algo bem diferente. Em geral, eu gostei bastante, é uma boa história de terror, mas não me impressionou como eu achei que seria. Recomendo a todos que apreciam esse gênero de leitura.
comentários(0)comente



Claire Scorzi 19/10/2009

Horror supremo
Vi o filme baseado no romance e nem sabia que aquele filme excelente - A Casa da Noite Eterna, de 1973, filme inglês - baseava-se num romance... O filme é assustador sem ser asqueroso; o livro é ainda mais assustador - e chega perto, mas não chega a ser asqueroso, apesar do horror absoluto sugerido por certas cenas.
Richard Matheson, o mesmo de "Em algum lugar do passado", deixou-me surpresa com esta narrativa direta, hábil, e criativa; sem demorar-se em descrições da psicologia dos personagens, em parágrafos curtos ilumina o interior de suas figuras centrais - Florence, Ben, Barrett, Edith. Figuras distintas e bem construídas com rápidas pinceladas.
Se achei "O caso de Charles Dexter Ward" amedrontador, o que dizer deste Hell House? Uma coisa: a casa faz jus ao nome. Outra: fiquei horrorizada apesar de conhecer bem a história (o filme de 1973 é bastante fiel ao livro). Stephen King tem razão: é difícil imaginar uma narrativa de casa mal assombrada superior a esta. Magistral. Chocante.
Érika dos Anjos 20/10/2009minha estante
Hummmmmmmmmmmmm, fiquei com água na boca, Claire! Sabe que eu adoro esse tipo de literatura né... esse livro é difícil de achar? Beijos


Flávio 02/01/2010minha estante
Estou lendo e estou gostando muito, bem mais que "A Assombração da Casa da Colina". Quando terminar farei uma resenha.


Regiane 01/10/2010minha estante
Estou lendo esse livro no momento e estou adorando! Excelente!!! Ainda estou no começo, mas sem sombra de dúvidas, a história promete.


Dani Tiemi 17/10/2010minha estante
Nossa, depois desta resenha, como não ficar com vontade de ler?! Sabe que nunca li um livro de terror? Já li alguns suspenses, mas nada muito forte... Sou muito impressionável, depois tenho pesadelos... rs. Mas estou realmente tentada a ler...


Renata 20/04/2013minha estante
Acabei de ler e concordo plenamente. Na primeira metade do livro não achei que iria me assustar não, entretanto, daí por diante a história foi tomando uma proporção assustadora. Não deve ser lido a noite, rs!




Aghata Christinny 02/07/2012

Hell House - Richard Matheson
Percebendo que sua vida está chegando ao fim o milionário Rudolph Deutsch compra a Mansão Balasco que dizem ser o Monte Everest das casas mal-assombradas. Contratando um grupo de três pessoas, oferecendo a cada um deles cem mil dólares para passar uma semana e responder sua pergunta se de fato existe vida após a morte.

Essa é a terceira excursão na Mansão (que também é considerada A Casa Infernal), já que a primeira e a segunda acabaram e tragédia total, sobrando apenas um sobrevivente das duas excursões.

O grupo é formado pelos: Dr. Barret - um físico especialista em parapsicologia há vinte anos, cético e muito respeitado, acredita que todos os fenômenos e eventos sobrenaturais têm explicações científicas e lógicas. Mais só está indo a mansão pelo dinheiro, pois que garanti uma vida de paz ao lado de sua amada.

Edith Barrel, esposa do doutor. Frágil e muito medrosa, Edith não entende absolutamente nada sobre o mundo paranormal, mas se preocupa tanto com a saúde do marido que tem poliomielite, que não deixou que fosse sem ela.

Benjamim Fischer único sobrevivente da casa infernal, após a expedição há mais de trinta anos em 1940. E um dos maiores médiuns que já existiu.

Florence Tanner, uma médium e ex-atriz. Uma bela mulher, que acredita que a casa tem a ver com espíritos que não encontraram paz.

Na casa infernal terram que descobrir o verdadeiro mistério. Que por Florence existe a alma do antigo dono Emeric Balesco assombrando a mansão, então Fischer conta um pouco de dono e o que aconteceu na casa. Chamado como ‘‘O Formidável gigante’’ foi quem criou o inferno na terra, dentro de sua própria casa.

Continue lendo em : http://pagesflying.blogspot.com.br/2012/06/resenha-hell-house-casa-infernal.html
Silvia 05/07/2012minha estante
Ai que medoooooooooooo




Anica 16/11/2010

Hell House (Richard Matheson)
Publicado em 1971 e sendo relançado agora no Brasil pela Editora Novo Século, Hell House foi escrito por Richard Matheson, o mesmo autor de Eu sou a lenda. E assim como Eu sou a lenda já ganhou versões para o cinema, eu só vi uma, mas bem, já nem lembro mais a razão, mas sei que não curti A Casa da Noite Eterna (1973), dei três estrelinhas só. Então não tinha lá muitas expectativas sobre o livro, apesar de várias pessoas estarem lendo e elogiando.

E o bom de não ter expectativas é que é possível se surpreender. Gostei muito do livro e colocaria fácil em uma lista de melhores histórias de fantasma que já li. Não só pelo fator assustador da história, mas pelo modo como Matheson desenvolve a narrativa, que foi muito bem sacado. Um grupo com quatro pessoas vai investigar uma mansão assombrada: um físico, a esposa dele, uma médium e um rapaz que conseguiu escapar da mansão anos antes.

Eles precisam passar uma semana na casa para provar para um ricaço se existe ou não vida após a morte. Obviamente, cada um deles têm uma visão bem formada sobre o que vão buscar na Mansão Belasco, portanto logo que entram já tendem a receber os fenômenos de acordo com suas ideias. Por exemplo, Dr. Barrett (o físico) não nega que cadeiras de balanço estão se mexendo sozinhas – ele só tem sua própria explicação científica para tal.

É o tipo de coisa que rende momentos bem assustadores (e marcantes), especialmente quando vamos nos aproximando mais do final do livro e o que é melhor, deixa a pergunta sobre se são fantasmas mesmo ou não em suspenso para o leitor. Porque o foco da narrativa vai variando entre os quatro, fazendo com que os fenômenos sejam vistos com a interpretação deles para os eventos. Foi realmente uma saída muito bem sacada para a questão da assombração.

E além disso, é claro, tem a questão de ser uma ótima história de horror. Algumas passagens são bem fortes, e a casa em si parece tornar-se uma personagem, no melhor estilo A Queda da Casa de Usher de Allan Poe. Aliás, tem uma referência ao Poe na história, então não acho que seja muito absurdo dizer que Matheson bebeu na fonte do terror de Poe para escrever a história, fazendo da loucura e o descontrole uma das maiores causas do medo.
comentários(0)comente



Mario Carneiro 24/11/2009

Para um fanático pelo horror, as palavras "Richard Matheson" e "A Casa Infernal" na capa de um livro equivalem às palavras "Whisky vinte anos" e "Grátis" na frente de um bar para um alcoólatra. Somos obrigados a parar tudo que estamos fazendo para descobrir imediatamente o que aquilo significa. "Quando a esmola é demais, o santo desconfia", então precisamos ter certeza se estamos vendo algo real ou não.

Felizmente é real. O clássico livro Hell House finalmente foi lançado no Brasil (pela editora Novo Século). Lançado nos EUA em 1971 (demorou só um pouquinho pra chegar aqui, como sempre), a obra conta a história da terceira excursão até a Mansão Belasco, a Casa Infernal. Considerada o Monte Everest das casas mal-assombradas, a mansão já foi palco de cenas dantescas de horror. Duas excursões anteriores tentaram desvendar os mistérios da casa, mas terminaram mal. Muito mal. Percebendo que sua vida está chegando ao fim, o milionário Rudolph (não é a rena de nariz vermelho) Deutsch contrata uma equipa para responder a pergunta que tortura sua mente: existe vida após a morte? Para responder tão simples questão, o velho manda quatro pessoas para passarem uma semana na Mansão Belasco, sob a promessa do pagamento de 100 mil dólares no final do experimento. Os coitad... digo, felizardos a aceitarem a missão são:

Dr. Lionel Barrel, especialista em parapsicologia. Cético e respeitável, o sujeito acredita que todos os fenômenos sobrenaturais possuem explicações lógicas e científicas (um padre Quevedo das antigas, por assim dizer); a proposta do velho Deutch é a grande chance de sua vida, pois poderá não só adquirir tranquilidade financeira, como também provar de vez por todas suas teorias.

Edith Barrel, a esposa do doutor. Frágil e não muito corajosa, a mulher preocupa-se imensamente com a saúde do marido, manco por causa da poliomielite. Sexualmente reprimida, Edith é a personagem que não entende (e por isso, teme) os fenômenos que irá presenciar. Portanto, ela representa os olhos do leitor dentro da casa infernal.

Florence Tanner, médium e ex-atriz. A bela mulher faz consultas mediúnicas e também vê como uma bela oportunidade a proposta do milionário. Recatada e crédula, Florence entra na mansão totalmente receptiva aos fenômenos ali presentes, acreditando desde o início que a casa está assombrada por espíritos. Essa atitude pode se revelar temerária, pois a deixará mais suscetível à influência nefasta do casarão.

Benjamin Fischer: considerado um dos maiores médiuns que já existiu, Fischer foi o único sobrevivente da excursão anterior à Mansão Belasco, de onde escapou por pouco. Agora uma mera sombra do que já foi, o médium aceita voltar à casa infernal pelo dinheiro envolvido, e também porque fechou sua mente para as forças psíquicas. Sua idéia é entrar na casa, morgar uma semana e depois embolsar a grana. No entanto, seu envolvimento com os outros personagens fará com que reveja suas atitudes.

Sim, a trama não parece muito diferente de outras histórias de casas mal-assombradas, como o clássico A Assombração da Casa da Colina, de Shirley Jackson (aguardem resenha futura). No entanto, estamos falando de um livro de Richard Matheson aqui. O grande Richard Matheson que escreveu a melhor história de vampiros de todos os tempos, chamada Eu sou a Lenda (estou falando do livro, não daquele filme porcaria que estragou tudo), além de episódios clássicos dos seriados Além da Imaginação e Star Trek. O cara escreve bem, e sua narrativa tem um ritmo perfeito: nem muito enrolado, nem muito rápido, a trama se desenrola com fluidez, revelando aos poucos os mistérios do casarão.

E que casarão! Ao contrário de outras casas do gênero, onde vemos no máximo uns vultos pelos cantos e ouvimos barulhos esquisitos, a Mansão Belasco tem a sutileza de um Cthulhu jantando com uma família de italianos. É arrepiante o momento que Edith pega um relatório sobre a casa e começa a ler os inúmeros fenômenos já observados ali dentro ("Adivinhação; alongamentos; aparições; automatismo motor; automatismo sensorial; autoscopia; batidas; bilocação..." e por aí vai). A casa não se contenta em apenas assustar ou influenciar. Se não forem tomadas as precauções necessárias, a casa mata. De fato, é a mansão mais violenta que já vi na literatura, mas não de uma forma apelativa ou exagerada, do tipo que lemos e pensamos "ah, tá". A Mansão Belasco convence. Vejam só o que Stephen King falou sobre o livro certa vez (palavras convenientemente colocadas na contra-capa, é claro):

"Hell House é o romance sobre casas mal-assombradas mais aterrorizante que já foi escrito. Destaca-se entre outras histórias do gênero como uma montanha no meio de uma planície".

Sim, meus caros, o livro assusta. Particularmente, acho que não assusta tanto quanto A Assombração da Casa da Colina, O Iluminado ou Horror em Amithiville (livro que Stephen King odeia), mas causa calafrios em diversas passagens, além de deixar uma sensação incômoda, que perdura.

A relação entre os personagens é bastante interessante e dinâmica, com discussões entre o Dr. Barrel e Florence Tanner, pelas diferenças filosóficas de ambos. As teorias do cientista já parecem datadas a essa altura, mas continuam coerentes e interessantes. Outras questões são levantadas durante a história, inclusive com manifestações e influências eróticas causadas pela casa, que teve um passado de devassidão e loucura.

O único ponto fraco é o desfecho, que me pareceu um tanto insatisfatório. Não é um final ruim, mas é algo que, na minha opinião, ficou aquém do restante do livro. Mas isso é meramente pessoal, e acho que a maioria das pessoas irá gostar. Que diabos, o final podia mostrar todos os personagens fazendo a dança do quadrado com os fantasmas, que isso não tiraria o brilho desse excelente romance de horror (tá bom, tá bom, eu exagerei. Mas vocês entenderam o que eu quis dizer).

Enfim, Hell House não é uma obra-prima como os livros citados acima, mas é uma excelente entretenimento.

Boa leitura!

Obs. Para outras resenhas de livros de terror, acesse meu blog bibliotecamalassombrada.blogspot.com
Neto 18/11/2012minha estante
Sensacional, faz tempo que li.
Mesmo assim sou fã do filme e mais fã ainda do livro.


Chay 21/11/2014minha estante
Fiquei com a mesma sensação ao final da leitura, depois de tuuuudo aquilo, a impressão que fica é que o final poderia ter sido mais impactante.




Daniel 14/04/2013

Melhor livro sobre fantasmas
A Casa Infernal não é somente mais um livro sobre fantasmas, mas sim, o melhor livro sobre o tema que já tive o prazer de conferir.
Escrito de maneira muito viciante e com extremo realismo emocional, pelo já consagrado escritor Richard Matheson - também autor dos livros “Eu sou a lenda” e “O incrível homem que encolheu”.
A trama se passa em uma antiga casa abandonada (eu sei, clássico!) onde no passado seu antigo dono realizava as maiores barbáries sangrentas, regadas a orgias (de fazer corar o próprio Calígula), sadismo, canibalismo, entre outros vários “ismos”.

Após a descoberta dos horrores que haviam acontecido na casa e do sumiço de seu antigo dono, ela ficou fechada e abandonada por décadas. Mas apesar de estar vazia, havia relatos de barulhos inexplicáveis e acontecimentos estranhos por parte dos que ousavam se aproximar da construção sinistra.

Foi feita uma tentativa de contato com os espíritos que habitavam a casa e a experiência paranormal se mostrou um sucesso. Infelizmente para os envolvidos! Somente um médium sobreviveu à tentativa de contato; todos os outros foram encontrados mortos de maneira medonha e assustadora. Desse dia em diante ninguém mais ousou se aproximar da casa, até que um velho milionário que está próximo da morte decidi descobrir se existe realmente vida após a morte. Assim, resolve contratar 3 dos maiores especialistas sobre o assunto para passar uma semana na casa e voltar com a resposta consoladora. Assim os 4 heróis (me senti o Bial agora) embarcam nesta jornada ao sobrenatural.
O livro é simplesmente magnifico!

As reações dos personagens fazem com que nos sintamos na pele deles.
O desenrolar da história, assim como sua esplêndida conclusão, em nada se mostram clichê - característica essa muito apresentada nas tramas envolvendo fantasmas.

Enfim, é um livro que recomendo para todos que curtem histórias de horror, assim como para os apreciadores de um bom livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Dezzinha 08/08/2014minha estante
Fiquei com a mesma sensação que você. Como assim chamar um fantasma de baixinho o atormenta? Descobrir o "segredo da casa" foi o que estragou o livro.


Vick 21/01/2015minha estante
Acredito que você não tinha entendido o contexto.

Belasco era um homem ruim, com um defeito que ele julgava abominável, e que viveu uma vida muito maligna cheia de excessos na tentativa de compensar isso. Vaidade, um dos pecados mais significativos pra raça humana. Agora, no que tange às assombrações, elas são fortalecidas pelos sentimentos deturpados das pessoas que passaram anos na casa, não só do dono. O verdadeiro vilão do livro é a Casa, Belasco é apenas a última peça do quebra-cabeça.

Sds!




spoiler visualizar
Regina Phalange 21/07/2012minha estante
Sabe aquele livro que te prende do começo ao fim? Então, é esse! Pra quem é fã de terror. Nunca me canso de reler.


Lukinhas 21/07/2012minha estante
é muito bom mesmo! Agente fica muito intrigado com tudo que acontece, né?




Anderson 08/03/2014

Seja 'Bem Vindo' ao Inferno na Terra
A Casa Infernal, um clássico da estórias de terror que envolvem casas mal-assombradas, escrito por Richard Matheson, mesmo autor de "Eu Sou a Lenda". Seu enredo é tão fascinante que outros grandes autores do gênero já se declararam grandes admiradores tanto do livro, quanto do autor; como por exemplo, Stephen King e Dean Koontz.

E não é pra menos. Com uma trama envolvente, repleta de cenas chocantes e tenebrosas, o livro nos conta a 'desventura de um pequeno grupo de quatro pessoas formado para desvendar o segredo da questão "vida após a morte" e que sofre todo tipo de agonia e desespero dentro dos aposentos da Mansão Belasco, A Casa Infernal.

A narrativa alterna-se sob o ponto de visão de cada um dos personagens principais: Dr. Lionel Barret, um dos cinco maiores especialistas em parapsicologia do mundo e líder da expedição; Edith, sua esposa; Florence Tanner, uma médium espiritual; e Benjamin Fischer, o único sobrevivente das duas tentativas anteriores - fracassadas - de investigar o mistério da casa.

Ao longo do livro, percebemos que cada um deles possui seus próprios demônios interiores, e que, em contato com o ambiente em que se encontram, podem se manifestarem perigosamente...
Há, também, embates interessantes entre as teorias do Dr. Barret e da Srta. Tanner, que colocam como causa dos fenômenos apresentados, o mundo físico e o mundo espiritual, respectivamente.

Com uma escrita muito bem construída, que te prende do começo ao fim e que te proporciona momentos sufocantes de tensão, repulsa e alívio (por incrível que pareça), Richard Matheson nos presenteia - mais uma vez - com uma obra-prima do horror.
comentários(0)comente



Tiago 29/03/2012

A casa do Inferno
Excelente o fato de muitos livros originalmente não publicados em terras tupiniquins estarem sendo publicados hoje anos depois de seu lançamento lá fora.

É o caso desse excelente 'Hell House' - com o título infeliz de 'A Casa Infernal' aqui no Brasil - de Richard Matheson, um dos mestres do sobrenatural, pouquíssimo conhecido por aqui exceto pela adaptação cinematográfica de um de seus livros, o ótimo 'Eu sou a Lenda', estrelado por Will Smith.

Com a intenção de desvendar se existe realmente vida após a morte, três pessoas especializadas em fenômenos sobrenaturais são contratadas por um milionário moribundo.
Florence, uma famosa médium, Benjamin, um dos sobreviventes de uma antiga experiência na casa trinta anos antes, e Dr. Barret, um perito em eventos paranormais totalmente cético, acompanhado de sua esposa.

Cada um deles receberá a quantia de cem mil dólares para passar uma semana na casa mais assombrada do mundo - onde em duas expedições anteriores morreram várias pessoas - trazendo respostas plausíveis e objetivas da experiência.

Narrativa e diálogos diretos, o que torna o livro não cansativo.

Final surpreendente após várias revelações, científicas e espirituais.

Acredito que as melhores estórias de terror tenham sido escritas nas décadas de 70 e 80, essa aqui é realmente horripilante, com vários momentos que te deixam apreensivo e com medo.

Acomode-se em frente à lareira, entre embaixo do cobertor, faça uma prece, tome uma taça de conhaque e boa leitura!
comentários(0)comente



Lydia P. 24/07/2020

Boa história de casa assombrada.
Leitura fluida e rápida. Não senti medo lendo esse livro, mas ele me deixou uma sensação de tensão em muitos momentos. É uma boa história, recomendo!!
Uma outra boa história desse tipo é "A casa e o cérebro" ou "Assombrações" de Edward Bulwer Lytton.
comentários(0)comente



Heidi Gisele Borges 20/11/2011

Contratado para estudar os fenômenos sobrenaturais que ocorriam na Mansão Belasco – também conhecida como Casa Infernal –, tida como o pico das casas mal-assombradas, o Dr. Barret leva uma pequena equipe, esta contava com uma médium; o único sobrevivente de uma das outras duas tentativas fracassadas de desvendar o que ocorria lá; além da Sra. Barret que insistira em acompanhar o marido.

Na casa o grupo encontra desafios que só quem possui uma mente forte é capaz de sair sem muitos traumas – isso se conseguir sair vivo.

“Aquela rara vis viva do eu, aquela força magnética, aquele prazer secreto e vitorioso da mente: influência. Palavras de Emeric Belasco”.

Este livro foi escolhido depois de ler as palavras de Stephen King a favor do volume:

“Hell House é o romance sobre casas mal-assombradas mais aterrorizantes que já foi escrito. Destaca-se entre outras histórias do gênero como uma montanha no meio de uma planície”.

A história lembra a ideia do romance de Shirley Jackson, A Assombração na Casa da Colina, em que um grupo também vai a uma casa estudar fenômenos para normais. O título original da obra de Matheson é Hell House, a de Jackson é Hill House.

Indico para quem busca um romance de suspense.

*****
Mundo de Fantas no mundo dos livros
http://mundodefantas.blogspot.com/

comentários(0)comente



Juliano 02/08/2019

Emeric Belasco, personificação da blasfêmia
[Resenha escrita ao som do glorioso In the Rectory of the Bizarre Reverend]
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Depois de vasculhar exaustivamente o submundo dos sebos e perambular por galerias sombrias e geladas de Hellorizonte, finalmente consegui meu exemplar do raríssimo clássico do terror A Casa Infernal. Tive que desembolsar o valor de três lançamentos da Dark Side para ler essa bestialidade literária, mas o pesar do gasto é muito menor do que o prazer proporcionado pela qualidade do livro. Essa belezura vale cada centavo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A Casa Infernal conta a história de um grupo de profissionais especializados em fenômenos sobrenaturais que vão desvendar os mistérios da mansão do falecido milionário Emeric Belasco, uma das personalidades mais perversas e blasfemadoras que o planeta Terra já teve o desprazer de ter como habitante.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A escrita do gênio Richard Matheson é um show à parte. Ele usa e abusa de todos os elementos que compõem uma grande obra literária com uma naturalidade intrigante e, felizmente para nós, adeptos da literatura horrorosa, direcionou esse dom para dar asas a um clássico atemporal do estilo. A apresentação dos personagens tem nuances minuciosas que são usadas como insumo para diálogos esclarecedores, dando um direcionamento espetacular à trama. A Casa Infernal está entre os dez melhores livros de terror que já li e acredito que dificilmente sairá dessa posição. Ele só não é o melhor livro por causa de um elemento do desfecho, que a meu ver não acompanhou a grandiosidade da obra.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Quatro curiosidades sobre Richard Matheson: [1] ele é autor do livro Duel (Encurralado), adaptado para o cinema por Steven Spilberg, [2] na série Arquivo X foi criado um senador com o nome de Richard Matheson em sua homenagem, [3] no jogo Silent Hill há uma rua chamada Matheson em referência ao autor, e para finalizar, [4] Stephen King disse que “A Casa Infernal é o romance sobre casas mal-assombradas mais aterrorizante que já foi escrito. Destaca-se entre outras histórias do gênero como uma montanha no meio de uma planície”.

site: https://www.instagram.com/livrosinsanos/
Jackie Sabino 03/08/2019minha estante
Amo esse livro. Foi o primeiro livro de terror que li e o responsável por me fazer fã do gênero. Está entre um dos meus preferidos tb. Fui procurar sobre a banda que vc comentou e é incrível. Acho uma trilha sonora bem escolhida para o tema. Tentarei nas próximas, bom para dar um descanso e deixar esfriar meus cds do Maiden.


Juliano 05/08/2019minha estante
Eu tb achei esse livro sensacional. A história de Emeric Belasco merece um livro à parte.




59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4