Um Ano Inesquecível

Um Ano Inesquecível Paula Pimenta
Thalita Rebouças
Babi Dewet
Bruna Vieira




Resenhas - Um ano inesquecível


94 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Marcela Sayuri 15/09/2015

Devo estar me tornando muito chata
Digo isso porque... Puts, me decepcionei tanto! E olha que adoro as quatro, e já conhecia o trabalho delas. Não sei se foi expectativa (e creio que não, já que não sou de ficar ansiosa) ou porque talvez eu esteja perdendo meu lado de acreditar - ou ao menos aceitar - em histórias fofinhas em que tudo-no-final-fica-perfeito (o que é terrível também, porque veja bem, tenho quinze aninhos, devia ainda acreditar em lindas histórias de amor).
Mas eu acho que me decepcionei tanto porque meu estilo literário deve estar mudando. Isso, deve ser essa a razão. Veja bem: nunca gostei de romances, por que me convenci de que iria gostar desse?
Depois dessa minha introdução e desculpas, vou falar o que achei:

Conto da Paula Pimenta
Adorei Fazendo Meu Filme! Curti mesmo, e talvez seja porque adoro Cinema como a Fani. E achei bem escrito o conto, por mais que não goste muito de frases prontas e declarações apaixonadas exageradas. A personagem principal me irritou, admito (acho que minha tolerância por personagens riquinhas mimadas e que se sentem injustiçadas se esgotou), e o garoto é um personagem muito querido, mas muito príncipe encantado (e acredite, estou querendo excluir essa resenha já aqui, porque estou me achando muito chata, mas preciso tanto contar o que achei porque tenho essa mania de ter opinião sobre tudo).
Fiquei desejando muito estar no Chile como a Mabel, viajando deliciosamente. Tem começo, meio e fim bem definido, me agradou nisso. É o segundo melhor.

Conto da Babi
De loooooooonge o melhor (sério) e na real o único que eu realmente posso dizer que gostei. Dos quatro contos, este é o mais "pé no chão" e mais cativante. Nada acontece corrido e forçado como os outros três contos (e foi exatamente por essas duas coisas que me desagradou tanto os outros que li). As referências musicais são fofas e de muito bom gosto. A personagem principal tem mexas azuis e usa óculos de grau (adoro) e o cenário é a maravilhosa Avenida Paulista, com MASP sendo ponto de encontro. João Paulo é o mocinho mais legal dos quatro contos, os diálogos não são forçados (amém) e bem engraçadinhos, com referências de Beatles e Los Hermanos que pelo menos de mim arrancou sorrisos.
E eu já disse que não é nada forçado e corrido? Não é nada forçado e corrido! O amor não brotou do nada, eles não acabaram se amando eternamente de um dia para o outro e não há juras de amor eterno! Se eu adorei? Amei! Ficou muito mais romântico e crível que qualquer outro conto.
E posso falar? Esse conto é o que vale o livro. É lindo, e tem um toque de poesia na escrita em 3ª pessoa, com a visão do observador na vida dos dois protagonistas. A estrutura de "um cenário só" e um jeitinho de crônica dessas vidas modernas cotidianas deu uma estética mais madura e refinada comparada com os outros três contos.

Conto da Bruna Vieira
Puts, eu adoro a Bruna! Imagine uma pessoa que eu colocaria na lista "É gente boa pra caramba" e ela estaria lá. Em seus vídeos ela mostra uma doçura que acho um amor. Mas talvez por gostar tanto da pessoa que ela é eu tenha me decepcionado tanto...
Ela caiu no clichê que eu mais odeio: histórias de amores eternos e juras apaixonadas de duas pessoas que em uma semana já estão se amando e namorando.
Gosto de desenvolvimento bem feito entre as relações dos personagens, e não senti empatia nenhuma por eles. A Jasmine, que eu esperava ser super legal (ela tem cabelos cacheados, volumosos e coloridos! Quer ser mais diva?) era tão sem gracinha que parecia coadjuvante de sua própria história. O mocinho, Davi, nem deu tempo de gostar dele e quando vi o conto estava acabando! E ainda tinha competição feminina, coisa que odeio tanto e é tão usado (sempre tem que ter a mina escrota invejosa pra fazer a mocinha sofrer, gente? Até quando?).
As crônicas da Bruna são muito legais, mas os romances dela eu me decepcionei :( espero ter mais sorte com seus livros futuros.

Thalita Rebouças
Fala sério, Talita! Eu que te acho tão legal e me vem com esse conto mequetrefe? E não é por conta das referências de samba, funk ou carnaval. Aliás, solta um samba aí que adoro. Mas achei tão forçado! As três amigas são bem humoradas, mas eu senti que tudo tinha tanto exagero que forçou meeeesmo a barra. Foi o piorzinho, parece um rascunho, e me chateou bastante, porque esperava um conto final que fechasse o livro com chave de ouro.
A parte final do conto foi um exagero só, uns plot twist bem impossíveis (teve gente famosa, barraco na imprensa, artista internacional, tudo isso em volta de três meninas normais) e romance mais uma vez forçado e de juras de paixão a primeira vista e amores eternos em apenas UMA noite, que meu senso gritava: isso está subestimando sua inteligência.

Conclusão: devo estar me tornando em uma pessoa muito chata. Não que eu seja obrigada a gostar de algo, mas me decepcionei de uma maneira, não concordei com tanta coisa que li e tinha vontade de mudar tanta coisa que me senti crítica demais, chata mesmo. O único que gostei foi o da Babi, que aliás, releria de boa porque achei encantador. Talvez eu deva tentar outros gêneros literários, porque livros teens já estão me incomodando com essa temática beirando-ao-conto-de-fadas.
Tenho certeza que teria aproveitado mais se eu tivesse 12 e não 15. Sei lá. E nunca escrevi uma resenha tão grande no skoob :o
Yana 25/09/2015minha estante
Concordo com tudo! O da Babi foi o mais real, eles não se apaixonaram do nada... Foram construindo uma relação. Agora o da Thalita... O que é aquilo? Teve parte que ri muito, confesso, mas que coisa chaaata.


Sol 03/11/2015minha estante
Sua resenha está ótima.
E você não está se tornando chata.
O livro é que é chato e o pior conto foi o da Talita,tão mentiroso,aliás,acredito que essas autoras não convivem com os adolescentes e nem mesmo se deram o trabalho de fazer uma pesquisa.


Beatriz 02/01/2016minha estante
Menina, pensei que eu era a única que tinha me sentido assim! A Mabel me irritou demais, muito mimadinha pro meu gosto, o conto da Babi eu achei um amorzinho


Mariana 09/02/2016minha estante
Genteee!
Temos o mesmo pensamento sobre esse livro. Nunca tinha lido nada de nenhuma das três (só as crônicas da Bruna), mas me surpreendi muito com a Babi Dewet. Acredito que seu conto é mais real devido às experiências com fanfics. Como imita mais a realidade, foge aos contos de "príncipe encantado, final feliz e perfeito" visto nos outros três. Amei! Mas o único que eu aceitaria (e aceitei) mesmo é o da Paula Pimenta, porque também achei bem clássico do estilo. Bom, pra mim o livro poderia ter sido explorado de outra maneira, pois a ideia das estações é bem interessante.


Hemy Gomes 19/07/2016minha estante
O da Babi pra mim foi o mais chato, o da Thalita o mais forçado, o da Paula e Bruna foram os melhores


Cláudia 10/08/2016minha estante
Sim, você é chata. O livro é um amorzinho. Talvez você já esteja velha demais pra ele...


laasmile 28/12/2016minha estante
Concordo! O da Babi foi um amor, amei! O da Paula eu tava com as expectativas láaaa no alto e me decepcionei bastante. O da Bruna e da Thalita foram okay (se bem que eu morri de rir com a narração da Thalita e do cenário incrível que ela criou) porque foram muito irreais. Gente, eles se conhecem há pouco tempo, hello! Ninguém morre de amor assim de um dia pro outro! :p


Larissa 30/03/2017minha estante
Cara, vou concordar e me restringir em dizer que apenas o conto da Babi fez meu coração bater mais forte.




Mariana 17/08/2015

Inesquecível
Adorei o livro, li em um dia. As quatro histórias são sobre amores que acontecem em uma das estações do ano. O inverno é passado no Valle Nevado, o outono e a primavera em São Paulo e o verão no Rio de Janeiro.

A história que mais gostei com certeza foi a da Paula Pimenta, achei tão maravilhosa que fiquei desejando que tivesse mais, me peguei com saudade da Mabel e do Ben depois que terminou, gostaria que tivesse um livro inteiro só para os dois! Foi tanta fofura que meu coração até bateu mais forte em algumas partes, já estou relendo!
Luiza.Nunes 19/10/2015minha estante
concordo plenamente , o da paula foi perfeito , estou apaixonada pelo ben , esperando super ansiosa que a paula aumente a história transformando num livro


Vitória Farias 24/11/2015minha estante
a que menos gostei foi a da Babi!




Estela 05/10/2015

Quero um livro só da Mabel
O livro é todo bonitinho, mas o conto da Paula Pimenta é muito perfeito, tanto que quando terminei antes de ir pro resto do livro eu resolvi reler a história da Mabel e do Ben toda de novo, porque eu precisava ficar mais tempo com eles! Por isso que eu gostaria muito de saber mais, quero ler como era a vida deles antes de se encontrarem, quero saber como foi depois, senti como se eles fossem meus amigos e que eu estivesse lá com eles naquele pub, no lounge, na neve... Por favor, Paula, escreva uma continuação! Com certeza a Mabel entrou na minha lista de personagens preferidas junto com a Fani e a Priscila. E o Ben também entrou na lista dos mocinhos mais apaixonantes, junto com o Rodrigo e o Leo!
Drica.Motta 24/10/2015minha estante
Né? Eu fiquei querendo que a Paula fizesse que nem com Princesa/Cinderela Pop .
Que teve o conto e depois o livro com mais detalhes. Ia ser tão bom!




Tina 06/09/2015

Um inverno inesquecível
Foi uma ideia genial da editora Gutenberg chamar a Paula Pimenta e a Bruna Vieira (que já são da editora) e convidar também a Babi Dewet e a Thalita Rebouças para participarem de um livro juntas, assim provavelmente ele será lido pelo público das quatro. Sucesso garantido. Mas não apenas pelos nomes das autoras, o livro é realmente bom. Li fora da ordem do livro, mas na ordem que as estações são no Brasil, por isso comecei com o verão, depois outono, inverno e primavera. Todos os contos são agradáveis e de fácil leitura. Nunca tinha lido nada da Babi Dewet e da Thalita Rebouças e tive uma surpresa boa, a escrita da Thalita é muito engraçada e a Babi apesar de ter um estilo mais lento, teve uma ideia muito boa para seu "outono musical". Achei que faltou um pouco de profundidade no livro da Bruna, mas é bonitinho também.

Porém, se tem um conto do livro que realmente foi inesquecível, foi o do INVERNO. É incrível como em poucas páginas (aproximadamente 100) a Paula Pimenta consegue nos deixar tão envolvidos em suas histórias! Eu vivenciei todo tipo de sentimentos lendo o conto dela (que se chama "Enquanto a Neve Cair")! Desde as primeiras linhas me senti naquela viagem com a Mabel, no começo tive raiva dela, mas aos poucos fui vendo que eu sou exatamente como ela, quando tenho que fazer algo obrigada eu também fico revoltada e emburrada. E quantas vezes eu não me iludi com os "Igors" da vida? Por isso acho que a Mabel se tornou a minha personagem preferida de todos os livros exatamente por ela ser REAL, tem defeitos e qualidades (como o Ben explicou tão perfeitamente em uma parte do livro). E por falar em Ben, que menino mais lindo! Concordo com as amigas da Mabel, também quero que ele me apresente os primos, se forem fofos que nem ele! Enfim, esse conto me fez suspirar, gritar, sentir o coração disparando e já até li outra vez, pois queria sentir as mesmas emoções novamente. Eu queria muito uma continuação ou até mesmo um livro anterior, para poder conhecer mais as amigas da Mabel e a vida dela além da viagem. Espero que aconteça o mesmo que aconteceu com o conto da Paula em O Livro das Princesas, que ganhou um livro exclusivo só pra ele, pois a história da Mabel e do Benjamín realmente merece muitas páginas mais!
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 10/06/2016

Resenha: Um Ano Inesquecível
Quatro estações. Quatro autoras. Quatro amores. Um Ano Inesquecível nos leva, através de narrativas e visões tão diferentes, mas tão igualmente marcantes, através de mudanças climáticas e mudanças emocionais, até quatro histórias marcantes.

Um Inverno Inesquecível é o primeiro conto, de autoria da Paula Pimenta. Estamos viajando até o Chile na companhia da Mabel, que vai passar as férias com a família lá - obrigada, porque ela queria mesmo é viajar com os amigos para passar um tempo ao lado do garoto de quem gosta. Entre altos e baixos, acaba que a Mabel se apaixona não só pelo inverno no Chile, mas por um rapaz que faz parte daquela estação.

A narrativa da Paula é bem juvenil, e é a primeira vez que pego algo escrito por ela. Tinha muita curiosidade, porque a Bianca adora, e gostei do que encontrei. Meu maior problema com esse conto foi a correria; a Paula demorou sessenta páginas para desenvolver a chegada da Mabel no Chile, as picuinhas dela, a birra, problemas com a família, e só então começou o romance. Soou muito forçado para mim, especialmente pelo jeito como acabou. Foi aquela coisa de "amor à primeira vista" que não cola. Se tivesse ficado mais em aberto, acho que eu teria gostado mais. Foi fofo, mas foi corrido. A protagonista é adolescente, então ou eu ia amá-la desesperadamente ou ia desgostar dela imediatamente. Não gostei. Não curti o jeito da Mabel, apesar de entender. Ela está começando a viver, começando a perceber que não dá pra entender o amor, começando com tudo. Com quatorze anos, suas decisões são um pouco mesquinhas, mas verossímeis à sua personalidade, e ela tem seus momentos adoráveis. Benjamín, seu interesse amoroso, é um garoto um pouco mais velho, com uma atitude engraçadinha muito fofa, e os dois dividem ótimos momentos. Mas, de novo, queria ter tido mais desenvolvimento para os dois, ou um final menos fechado. A fórmula de amor instantâneo não funciona tão bem quando não usada corretamente, e foi o que rolou com esse conto.

Um Outono Inesquecível foi o meu favorito de lavada. Foi tão favorito que eu coloquei ele na minha listinha de "contos amorzinho para ler quando eu estiver precisando de histórias fofas" ao lado dos contos da Rainbow Rowell e da Stephanie Perkins em O Presente do Meu Grande Amor. A história da Babi Dewet é bem simples; João Paulo ama música, Anna Júlia não. João Paulo é de boas com a vida, Anna Júlia está sempre correndo com a sua. João Paulo toca violão e canta debaixo do MASP, e a Anna Júlia passa ali na frente todo dia a caminho do seu estágio. Com simplicidade, um outono casual na vida dos dois acaba se tornando o melhor de suas vidas.

"Ele não tinha visto aquela menina nos últimos dias e, se isso era possível com alguém que ainda nem conhecia, notou que estava com saudades. Saudades de um rosto que tinha visto só de passagem e que ainda não tinha um nome e nem voz. Saudades de alguém que ele nem sabia se era real ou não. Era algo estranho, mas, como Ed Sheeran dizia, people fall in love in mysterious ways."

Eu amei como a Babi construiu a trama com simplicidade e conseguiu deixar tudo tão apaixonante desde o primeiro momento. Os personagens são reais. Absolutamente reais. Você poderia esbarrar com a garota a caminho do seu estágio ou se parasse debaixo do MASP para ouvir um garoto aleatório tocando violão. Anna Júlia é bastante sistemática, e nem por isso pouco carismática. Eu a adorei desde o primeiro instante; ela está estudando para Direito, os vestibulares estão chegando e seu pai arranjou estágio com um advogado renomado. Para participar de tal estágio, ela vai de metrô, e acaba de seu caminho coincidir com o de João Paulo, um músico de bem com a vida que ganha seu dinheiro tocando músicas aleatórias quando tem um tempo livre das aulas do Conservatório. O João é um amorzinho, seu jeito de viver é apaixonante, e a química entre os dois quase salta das páginas do livro. Sabe aquele tipo de casal que te faz querer viver uma grande história de amor igual a deles? Esse casal é Anna Júlia e João Paulo.

Anna Júlia descobre a magia da música através de João Paulo, e ele apresenta a ela a beleza nas coisas simples da vida. Sem a correria e com a mente mais focada no "aqui e agora", Anna percebe que não está sendo jovem como realmente deve ser, e é com João que ela vai encontrar um cúmplice para viver a juventude. Entre sorrisos, músicas clássicas e letras que dizem tanto sobre os dois, Babi tece um conto sobre um outono inesquecível e um amor inesperado incrivelmente marcante. Não há promessas ou juras de paixão eterna. É simples, é real e é encantador. Eu queria muito ler mais sobre os dois; queria um livro só com os dois. Queria viver um outono como o deles e queria abraçar ambos até esmagá-los.

Uma Primavera Inesquecível foi a história da Bruna Vieira. Jasmine é filha de uma florista e de um taxista e ela está com problemas em matemática. É o último semestre do terceiro ano e ela precisa de uma nota incrível para não ser reprovada, e a matemática não é exatamente a matéria mais simples de todas. Eis que o professor sai com a solução: aulas de reforço. Só que acontece um contratempo e ele pede ajuda para um aluno da faculdade de engenharia ajudar Jasmine com suas dúvidas, e aí começa o romance.

A escrita da Bruna é bem descontraída e leve. Não foi uma história arrebatadora igual ao outono, mas não me decepcionou igual o inverno. Foi uma primavera adorável. A Jasmine é uma protagonista carismática - e eu super me identifiquei com ela no quesito problemas com matemática, eu era uma negação para essa matéria. AMEI o fato de ela ter cabelos cacheados porque é uma característica rara de encontrar em personagens; também adorei a mudança no visual dela que acontece lá para o meio. O romance, no entanto, não me conquistou tanto assim. Contos tendem a introduzir as situações rápido demais, mas a história anterior prova que é possível construir uma relação fofa e depressa sem soar abrupto. A Jasmine e o Davi começaram bem, mas depois rolou aquela apressada necessidade de dar um final feliz a eles. Quando as personagens não se conhecem e não tem um espaço muito grande para desenvolver a proximidade, por favor, não fechem um final tão Disney.

Um Verão Inesquecível, por fim, fecha o livro de contos com a história escrita pela Thalita Rebouças, outra que eu tinha muita curiosidade de ler! No verão da Thalita, acompanhamos as peripécias de três melhores amigas, com a história centralizando nas desventuras amorosas da Inha. A menina carismática e apaixonada vai encontrar um amor inesperado em pleno Carnaval, e vai vivê-lo com a intensidade que a época pede.

Com uma narrativa bem divertida e comunicativa com o leitor, a Thalita nos presenteia com um conto rápido, fofo e engraçado. A Inha foi bem carismática, e eu adorei ter a narradora expressando seus sentimentos a respeito de tudo que acontecia, porque ela era eu! As burradas que a Inha fazia, os comentários bobocas dela e do Guima, seu interesse amoroso, tudo isso era retorquido com humor e carisma pela própria Thalita. O amor entre os protagonistas foi rápido como prometido, mas, diferente dos contos onde isso aconteceu RÁPIDO DEMAIS, teve seu alto e baixo bem equilibrados. A história é cheia de referências à cultura pop e também à nossa cultura - por exemplo, a namorada do irmão da melhor amiga da Inha é uma cantora de funk. Toda a história de paixão inesperada no Carnaval acontece por causa dela, inclusive! Tem toda uma treta envolvendo a Inha e o Guima no meio do livro e a trama decorreu rapidamente, mas no momento certo. Foi o meu segundo conto favorito, sem sombra de dúvidas.

No geral, Um Ano Inesquecível foi, de fato, inesquecível. Houve bons contos e houve contos que não me agradaram, mas todos contaram histórias de amor improváveis, adoráveis e aleatórias, e foi uma leitura relaxante.
comentários(0)comente



Vanessa 26/08/2015

Um livro fofo
Esse livro é fofo desde a capa até o final. São quatro histórias, cada uma escrita por uma autora. O inverno é da Paula Pimenta, o outono da Babi Dewet, a primavera da Bruna Vieira e o verão da Thalita Rebouças. Achei que cada autora colocou o seu estilo próprio nos contos e por isso cada um ficou com a cara delas. Todos são bons, vale a pena a leitura. Porém, o da Paula Pimenta me encantou completamente. Eu deixei pra ler ele por último (sou do contra, quis ler ao contrário) e quando acabou fiquei olhando pro livro desejando ter mais páginas, tinha que ter uma série inteira só pra Mabel e pro Ben! Queria poder acompanhar os dois em todas as estações do ano, gostei tanto que até já reli e me senti novamente no meio da neve e suspirando com cada passagem da história. Preciso de uma continuação de Um Inverno Inesquecível urgente!
Luiza.Nunes 19/10/2015minha estante
faço minhas as suas palavras




Isadora.Maria 16/10/2015

Quero um livro só para Mabel e Ben
Sem duvida alguma o conto da Paula Pimenta é ( para mim) o mais apaixonante de todos. Ela tem o poder de prender a gente na história de forma que só paremos de ler quando acaba. O conto dela é um típico romance adolescente, mas tem seu toque diferente, a história é contada por Mabel ( personagem principal) e se trata de uma viagem ao Chile que ela foi forçada a ir. Paula detalha muito bem o que acontece e é deslumbrante a forma que o ruivo que chamou a atenção da Mabel vai conquistando-a de forma simples e ao mesmo tempo apaixonante. Eu realmente gostaria que a Paula dedicasse um livro todinho à história da Mabel e do Ben, contando tudo o que aconteceu no ano que ela voltou para o Chile, contando todas as brigas, os términos, as voltas, enfim tudo! Acho que eu não seria a única a comprar ??
Carolayne.Valverde 21/05/2017minha estante
também ameiiii




Giu Bellotti 16/09/2015

Resenha
O livro é divido em quatro partes, cada uma contando uma historia independente da outra e escrita por autoras diferentes, são marcadas, principalmente, pela estação do ano na qual se passa cada uma.

A primeira historia do livro, "Enquanto a neve cair", é escrita pela Paula Pimenta e se passa no inverno. Mabel, personagem principal, é forçada a viajar com os seus pais na sua última semana se férias, quando o que ela mais queria era viajar com todos os seus amigos para a casa de verão de uma das suas melhores amigas. No ônibus, rumo a estação de esqui para onde está indo no Chile, um menino ruivo chama sua atenção, não se vê muitos ruivos pela Brasil, certo?

É fácil notar o amadurecimento da personagem, de como ela muda do inicio do livro para o final. A história é muito linda, Paula Pimenta, mais uma vez, não desonra seu nome.

"O som dos sentimentos", segunda história, se passa no outono e foi escrita pela Babi Dewet. Anna Julia sempre foi a aluna nota 10 e a filha comportada que fazia todas as vontades de seus pais, mas quando chega o terceiro ano e seu pai praticamente a obriga a fazer um estágio de seis meses no escritório de advocacia de um amigo, ela começa a ter dúvidas se o que ela quer é também o que seus pais querem para ela. Durante esses meses, no caminho até o seu estágio, Anna é sempre vista por Joao Paulo que está sempre tocando violão perto da estação de metro pela qual a menina chega, intrigado, ele tenta descobrir mais sobre ela, mas música não é uma coisa que Anna Julia se dê muito bem com.

Das três, essa foi a história mais lenta, não é do tipo que te prende, e quando alguma coisa acontece, acontecem mais outras três junto. O conto teve um bom final, porém as ultimas 5 paginas não tinham como compensar as quase 90 em que a historia não se desenvolveu.

A história da primavera, entitulada "A matemática das flores", foi escrita pela Bruna Vieira e conta sobre o ultimo ano de escola de Jasmine. A menina estava no terceiro ano do ensino médio e seu maior problema tinha um nome: matemática. E para completar, seu professor da matéria passava longe de ser seu preferido. Jasmine estava a um fio de repetir, mas graças a sua mãe passou a ter aulas extras com seu professor de matemática. Não que ela tenha gostado da ideia, pelo contrário, tudo que Jasmine queria era ser independente e poder tomar suas próprias decisões sozinhas.

A história é muito bonitinha e a narração é ótima, não fiquei parada em nenhum momento. Porém, achei que a amizade entre Jasmine e sua melhor amiga era muito superficial, nao conversavam muito e mal aparecia no livro.

Amor de Carnaval, quarta e última história do livro escrita por Thalita Rebouças conta da vida de três amigas, Inha, Kaká e Tati. Cada uma com um pensamento diferente, Inha queria uma história de filme, Kaká queria um príncipe, sangue azul mesmo, e Tati um famoso. Para Inha nada acontece tão simples assim, quando encontra uma pessoa que a atrai depois do seu termino de namoro, tudo que acreditava vira uma grande mentira.

Não tem como não amar essa história, ganhou meu coração! Sem palavras para descrever como é linda, um clássico romance. Sem esquecer do gosto estranho da Thalita para escolher o nome dos seus personagens que acaba sempre tornando tudo mais divertido.

Todos os romances desse livro são encantadores, bem melosos, mas a primeira e a ultima história são, sem dúvidas, as minhas favoritas.

Classificação: 4/5
comentários(0)comente



Rafa 19/09/2015

As estações do ano
Pela cara da Babi (que é linda por sinal!) não tinha dado muito crédito e, estava mais do que certa, de que minha história favorita seria a da Paula (Pimentinha
comentários(0)comente



Ge 24/08/2015

Muito bom!!
Estava muito ansiosa por esse livro e posso dizer que atendeu as minhas expectativas!!!(a maioria pelo menos).
Gostei muito dos 3 primeiros contos!!! Já tinha lido livros da Paula e da Bruna antes mas o da Babi foi uma ótima surpresa,gostei bastante do jeito que ela escreve,foi bem difícil escolher um preferido,mas acho que fico com o da Paula!!
Já o ultimo foi bem decepcionante,nunca tinha lido nenhum livro da Thalita antes e provavelmente não vou,a história em si foi boa,mas a escrita dela deixou o conto cansativo e as personagens são extremamente chatas e irritantes!!
Victória 30/08/2015minha estante
Minhas ultimas experiencias com contos nao foram boas, mas gostei de FMF da Paula... Sera que leio esse? (Desculpe a falta de acentos, nao consigo coloca-los nesse navegador que uso pelo celular).


Ge 01/09/2015minha estante
Eu achei o conto da Paula maravilhoso!! Recomendo bastante,




FabiSaLi 21/09/2015

Estações bem definidas :3
Achei a Mabel, protagonista do conto da Paula, meio mimada demais, mas o mocinho, Benjamin, como todos os outros mocinhos da Paula, fala as coisas certas no tempo certo e nos faz apaixonar por ele. O conto é uma gracinha, realmente me lembra o Chile, e, mesmo a Mabel tendo 14 anos, eu consegui me identificar, porque a autora sempre faz suas protagonistas um pouco mais maduras do que as suas idades. E foi uma ótima surpresa conhecer a escrita da Babi! Que conto mais gostosinho, estou na metade ainda, mas já estou amando! Real, simples, uma fofura diferente de outras histórias que eu já li. O conto da Babi ganhou como o melhor na minha opinião, me surpreendeu de verdade e me fez ficar com vontade de ler os livros dela. Muito bom mesmo! A Bruna escreveu uma história leve e moderna com aspectos juvenis que ela sempre trata muito bem e inspira as pessoas. Já o conto da Thalita é a folia em pessoa, muito alegre, colorido, cheio de gírias e os comentários que ela adora fazer e são sua marca registrada! Todas as quatro conseguiram transmitir muito bem a estação que lhe foi dada e relacionar com a adolescência, fazendo contos muito gostosos de serem lidos. :)

site: https://textosdefada.wordpress.com/?p=919&preview=true&preview_id=919
comentários(0)comente



Bru 11/01/2016

Bom, mas eu esperava mais!
CONTO DA PAULA: Achei a Mabel muuuuito imatura e ingênua porque ela fica correndo atrás de quem não quer nada com ela. Além de reclamar o tempo todo ao invés de aproveitar o lugar maravilhoso que estava. O romance foi bem desenvolvido, leve e muito fofinho. O clima e o espaço onde ocorre uma história foram um ponto forte, consegui imaginar realmente o local e cada detalhe. Sempre dou 5 ⭐e favorito as histórias da Paula, mas dessa vez não foi porque eu realmente me decepcionei e fiquei com muita raiva da Mabel. ⭐⭐⭐⭐

CONTO DA BABI: A história me prendeu tanto igual eu nunca tinha sentido com nenhum livro, eu falava que iria ler mas um parágrafo, mas não aguentava e lia 1, 2, 3 capítulos, mesmo tento que fazer outras coisas. Anna tem um visual incrível e uma personalidade forte fazendo eu me identificar muito com ela e amar a personagem.
O clima foi muito bem retratado no conto e constantemente, e o espaço também, apesar de nunca ter ido pra SP, eu super imaginei aquele cenário com todos os prédios e pessoas andando o tempo todo.
O romance é muito fofinho e tãooooo real, daquele tipo que qualquer um pode passar e que vai sendo construído aos poucos. Sem falar na conexão entre os dois.
O jeito que a música fez sentido e se encaixou em todo o conto foi muuuito legal, nem eu que sou tão viciada em música me apaixonei tanto.
Este conto foi meu preferido do livro, com mais quotes marcadas, mais esperado e que atendeu todas minhas expectativas e um pouco mais.
A Babi PRECISA fazer uma continuação com aquele final. ⭐⭐⭐⭐⭐❤

CONTO DA BRUNA: demorou muitas páginas para o romance aparecer, mas quanto apareceu foi muito rápido. E a partir daí foi tudo muito corrido e difícil para acompanhar e acreditar. Ela tem umas inimigas na escola que fazem umas coisas com a Jamine consideradas por mim improváveis e mesmo assim a escola não toma atitudes o que me deixou com muita raiva. Achei que Jasmine seria aquelas personagens girl power, mas ela foi imatura e impulsiva até demais. O que eu mais esperava nesse conto e me decepcionou foi a presença das flores na vida dela, ela só cita que não gosta, mas quase não há indícios que o conto se passa na primavera. A escrita da Bruna é super gostosa e ela cita várias séries, filmes e músicas. Os diálogos são super criativos e engraçados, e o romance apesar de tudo é bem fofinho. ⭐⭐⭐

CONTO DA THALITA: Achei a que a autora forçou o contexto adolescente e tornou os personagens bem superficiais. E usou alguns termos adolescentes que não se encaixavam com o contexto do diálogo. A linguagem é super diferente de tudo que eu havia visto, alguns momentos gostei, outros não. O romance foi muito rápido e com certeza se acontecesse no mundo real, só seria um amor de carnaval e não duraria nada mais.
Pareceu que a Thalita esqueceu da estação porque eu esperava que falassem de coisas relacionadas ao verão. Mas as únicas referências são uma cena que elas vão para a praia e a história se passa no Rio.
O que salvou a história pra mim foi o boy da Inha que tem um jeitinho bobo e fofo, fiquei torcendo para tudo dar certo logo com eles. ⭐⭐⭐⭐

site: Instagram: @livrossaomemorias
comentários(0)comente



Lucas 16/01/2017

“O amor é como um jogo que você entra sabendo que vai perder, mas ainda assim é divertido tentar, só para ter certeza.”

Sabe quando você tem um livro que sempre quis muito ler, mas ele está parado na estante porque você está esperando o momento certo para iniciar a leitura? Pois então, esse foi o meu caso com UM ANO INESQUECÍVEL. Desde seu lançamento, em 2015, eu já estava super ansioso para mergulhar naquelas páginas, porém resolvi esperar para fazer um pequeno projeto pessoal (que foi totalmente frustrado e contarei para vocês no final desse post).

‘Um ano inesquecível’ foi lançado pela Editora Gutenberg e reúne quatro contos, de quatro autoras nacionais, cada um deles se passando em uma estação do ano. Se você quiser saber qual foi minha opinião sobre cada um deles, é só continuar com a leitura ^^

ENQUANTO A NEVE CAIR – PAULA PIMENTA – Quando seu conto é o primeiro de um livro de coletâneas, você possui uma grande responsabilidade, pois você será a porta de entrada dos leitores, a primeira impressão quem vai passar será você. Foi isso que Paula Pimenta encarou em ‘Um ano inesquecível’.

Encarregada por retratar o INVERNO, Paula nos conta a história de Mabel, uma garota que se vê obrigada a viajar com a família nas férias (cadê a minha família me obrigando a fazer viagens incríveis assim?), quando na verdade, tudo o que a adolescente queria era viajar com os amigos e estar perto do garoto que estava afim. Em meio às belas montanhas nevadas do Chile, Mabel irá descobrir que o inverno pode não ser tão ruim quanto ela esperava.

Esse foi um daqueles contos que eu li todo de uma vez, sentei na minha cama para ler a primeira página e só levantei quando tinha terminado tudinho. Meu único problema com essa história foi justamente a personagem principal, os dramas criados pela garota foram um pouco forçados demais, mas nem de longe isso estragou o conto. Terminei a leitura querendo ir urgente para o Chile, passar alguns dias tomando chocolate quente e esquiando naquelas belas paisagens.

O SOM DOS SENTIMENTOS – BABI DEWET – Por muito tempo ouço falar da Babi Dewet e sempre quis ler algo dela, mas esse foi meu primeiro contato com sua escrita e preciso confessar: me surpreendi de uma forma tão gostosa que me arrependo de não ter lido nada dela antes. Em ‘Um ano inesquecível’, Babi foi responsável por dar vida ao OUTONO, época do ano que eu, particularmente, adoro. Ambientado na Avenida Paulista, seu conto, ‘O som dos sentimentos’, conta a história de Anna Julia e João Paulo, duas pessoas que não poderiam ser mais diferentes uma da outra, mas que encontram na música a oportunidade de compartilhar momentos de autodescoberta e viver um romance daqueles que faz o leitor fechar os olhos e se imaginar na cena.

A música é um elemento que está presente do início ao fim dessa curta história, o que enriquece ainda mais a leitura. Várias músicas e bandas são citadas nas 88 páginas e não me faltou vontade de correr para o Spotify e procurar cada uma delas e montar uma playlist (preciso agradecer aqui, pois sem esse conto eu nunca iria descobrir a música Jane Doe, da banda Never Shout Never, que por sinal, estou ouvindo no repeat desde que terminei a leitura).

A MATEMÁTICA DAS FLORES – BRUNA VIEIRA – Já acompanho a Bruna há algum tempo, sempre gostei muito do blog Depois dos Quinze e as vezes me pego maratonando os vídeos do seu canal do Youtube, mas até hoje, eu nunca tinha lido nenhum de seus livros. ‘A matemática das flores’ foi o primeiro contato que eu tive que a escrita da Bruna (óbvio, tirando os textos do blog) e sua narrativa foi uma grande surpresa para mim. Fiquei encantado com a riqueza de cada detalhe, de cada referência na história, o que só aumentou a minha vontade de ir atrás de seus outros livros.

Nessa antologia, Bruna ficou responsável por escrever sobre a PRIMAVERA, e seu conto não poderia ser mais adequando, começando pelo nome da personagem principal, Jasmine. A história se passa na reta final do ensino médio da garota e retrata alguns problemas bem comuns dessa fase, como a pressão das provas finais e o dilema de qual faculdade escolher, além de um amor adolescente que faz nosso coração se aquecer de tanta fofura. Você deve estar pensando que tudo isso é clichê demais, mas quando o clichê é bem escrito, vale cada página lida, e com certeza, esse foi o caso de ‘A matemática das flores’.

AMOR DE CARNAVAL – THALITA REBOUÇAS – Thalita Rebouças chega trazendo muito sol e calor para finalizar esse ano inesquecível. Responsável pelo VERÃO, Thalita nos presenteia com uma história de carnaval que nos tira suspiros e muitas, muitas risadas. Com uma escrita extremamente divertida como eu nunca tinha lido antes, a autora consegue narrar os acontecimentos e ainda conversar com os leitores de uma forma tão leve que é impossível largar o livro.

Confesso que, no início do conto, achei as personagens principais um pouco forçadas demais, em alguns pontos eu sentia que estava lendo um capítulo de Malhação, mas não me entendam mal, conforme as páginas iam avançando eu pude perceber que essa era a essência da escrita da Thalita, e que o grande problema ali era eu, um adulto que esqueceu de se colocar na pele de um adolescente para realmente viver aquela história. Felizmente eu pude perceber isso a tempo de mudar a minha percepção e poder aproveitar aquelas risadas que, desde o início, Thalita Rebouças tentava arrancar de mim. ‘Amor de carnaval’ conseguiu, não só fechar o livro com chave de ouro, como fazer crescer em mim ainda mais a admiração que eu sinto pela autora.

De um modo geral, ‘Um ano inesquecível’ foi um livro que eu gostei bastante, cada um dos contos me marcou e me trouxe algo bom de alguma maneira. Porém teve um problema, um grande problema…

Lembra que eu falei lá em cima, no começo desse post, que a leitura desse livro fazia parte de um pequeno projeto pessoal? Pois então, meu objetivo era ler cada um dos contos em suas respectivas estações do ano, a fim de aumentar ainda mais a minha experiência com a leitura. Estava tudo muito bem, quando lá no meio do ano eu iniciei a leitura pelo conto de inverno, primeiro do livro. O problema foi que, na estação seguinte, primavera, o livro estava errado. Ao invés de seguir os contos de acordo com as estações (inverno, primavera, verão e outono), o livro simplesmente TROCOU AS ORDENS (e sim, as letras maiúsculas foram sim um grito da minha pessoa).

Para quem me conhece, sabe que eu tenho toc com essas coisas, para mim tudo tem que estar certinho, no seu devido lugar (mal de virginiano), e ter alterado a ordem das estações no livro foi um grande problema para mim, pois eu não conseguiria simplesmente pular um conto e depois voltar para ler o anterior. Então, pessoa da Gutenberg que fez a edição desse livro, estou esperando suas desculpas por ter me frustrado tanto assim 🙂

hahaha, exageros à parte, ‘Um ano inesquecível’ é um livro que vou indicar para todo mundo que deseja um leitura leve, descontraída, e despretensiosa. Garanto que vocês vão adorar!

site: http://www.nuncadesnorteados.com/2016/12/resenha-um-ano-inesquecivel.html/
comentários(0)comente



Beatriz 28/03/2016

Eu esperava muito mais desse livro. Não foi ruim, foi uma leitura bem leve e gostosa de fim de dia, mas eu já li coisa melhor.
Paula Pimenta escreveu meu conto favorito de novo, mas eu não gostei muito da narração. Sei que a personagem principal tem 14 anos e a linguagem se adequou à ela, mas eu realmente queria que ela tivesse escrito com uma voz mais madura. E que ela tivesse criado mais tensão... Foi tudo muito previsível.
A história da Babi Dewet foi a que eu mais gostei no sentido da escrita. Os personagens eram mais maduros também e o final foi bem subjetivo, deixando aquela sensação de história mal acabada. A única coisa que impediu ela de ter sido a minha favorita foi o fato de que não aconteceu muita coisa com os personagens. Não teve tanta emoção e os detalhes eram um pouco monótonos às vezes.
A Bruna Vieira fez uma história fofinha e trouxe uma personagem diferente do convencional, mas eu achei que ela poderia ter dado à eles um final mais interessante. E esperava mais referências às flores.
Thalita Rebouças foi uma surpresa. Eu nunca fui muito fã dos livros dela e esse conto me lembrou o porquê, mas devo admitir que foi melhor do que o esperado. Thalita tem umas ideias maravilhosas, mas ela não sabe escrever tão bem assim. Ela exagera demais nos diálogos e principalmente na narração. Ficou até meio irritante em certo ponto. Mas eu adorei a história e ri muito com os nomes que ela inventou pras celebridades.
comentários(0)comente



umaleitoranonima 16/08/2015

Vale a pena
UM INVERNO INESQUECÍVEL

Mabel é uma adolescente de 14 anos que vive um “amor” platônico por Igor. Quando ela tem a oportunidade de conquista-lo em uma viagem com amigos, seus pais decidem ir para Valle Nevado, no Chile.

Sem saída, ela viaja com seus pais e seu irmão de 7 anos. Em meio a brincadeiras e tombos na neve, Mabel acaba conhecendo Benjamín, um ruivo que faz seu coração bater mais forte, mostrando que ela nunca havia presenciado o sentimento amor.

Sua paixonite pelo Igor acaba sendo substituída pelo amor por Ben. Mas será que os amores no inverno sobem a serra?

UM OUTONO INESQUECÍVEL

De Belo Horizonte para São Paulo, João Paulo, um garoto de 19 anos, mudou-se para seguir seu sonho: tocar as pessoas com a música. Mesmo que não goste da correria de cidade grande, ele tenta compartilhar seu modo de ver a vida, tocando o seu violão em frente ao MASP, na Avenida Paulista.

Por outro lado, há Anna Julia, uma menina que está tentando construir seu futuro. Seu pai a concede um estágio sem remuneração a um quarteirão do Museu de Arte de São Paulo e ela acaba aceitando.

Enquanto alguns acham a música apenas um barulho sonoro, não sabem que ela pode ter um grande papel de unir as pessoas, tornando assim um outono inesquecível para esses dois personagens.

UMA PRIMAVERA INESQUECÍVEL

Jasmine está no último ano do Ensino Médio. Ela ainda nem decidiu qual faculdade cursar, pois sabe que tem que passar de ano primeiro, o que vai ser uma dificuldade, já que sua média em matemática está abaixo de 5.

Como solução, ela terá que participar de aulas particulares com o professor Carvalho, o mais odiado da escola. Porém, um imprevisto acaba surgindo, fazendo com que ela tenha aulas com Davi, um menino que está cursando faculdade de Engenharia.

O que era para ser apenas uma estação do ano, acaba tornando-se uma primavera matemática. E a matéria que tinha o papel de inimiga na sua vida, acaba virando uma presença constante. Talvez de um certo amigo. Talvez de algo a mais.

UM VERÃO INESQUECÍVEL

O verão acabou de começar para as três melhores amigas Inha, Kaká e Tati. Elas decidem ir pata Búzios para comemorar as festas de final do ano. Só que algo inesperado acontece: tornam-se notícia em sites de fofoca. E tudo graças ao irmão de Tati, Wylsinho, que começou a namorar a funkeira do momento, Kero-Kero.

Portanto, são convidadas para curtir o Carnaval do camarote. E ao invés de achar a fama que estavam procurando, acabam dando de cara com o amor.

Mas será mesmo que um amor de Carnaval dura?

Fui no lançamento do livro, na sexta-feira passada. Passei calor e acabei ficando muito cansada, mas dar um abraço em Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças compensou tudo.

Li o livro em um dia. Os contos fazem com que a leitura flui naturalmente. Fiquei em dúvida sobre qual foi meu preferido, mas acabei escolhendo o conto da primavera, escrito pela blogueira Bruna, quem nasceu para escrever crônicas/contos. A escrita dela muda completamente quando escreve livros de histórias.

Quem eu achei que menos se adaptou para escrever conto foi a Babi. Sou fã da série SAN, porém seu conto de outono parece que deixou um vazio, faltando alguma parte da história.

Acabei concedendo 5 estrelas porque sei que todas deram o seu melhor. E de cada conto, dá para retirar um ensinamento. Mais um livro das autoras que vale a pena a leitura!
comentários(0)comente



94 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7