Cidade dos Ossos

Cidade dos Ossos Cassandra Clare




Resenhas - Cidade dos Ossos


1077 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Juliaharumis @mencoesliterarias 17/02/2018

?????????????????????????????
?? A única coisa no mundo que nos torna iguais é a crença na realidade. Mas e se alguém mostrasse que tudo é mentira? Este é o dilema que a nossa protagonista terá que desvendar neste primeiro volume da série Instrumentos Mortais, uma fantasia que nos induz a pensar que podemos estar vivendo na ignorância.

Clarissa Fray era uma garota normal, a não ser por seu sangue nefilin que a permitiu presenciar algo que jamais um ?mundano? poderia, o mundo das sombras.
Bom, mas esta história eu vou contar desde do início!
Clary morava com a mãe no Brooklin, NY, e até então desconhecia suas origens. Mas algo aconteceu.
Uma noite resolveu ir a uma boate, o Pandemônio, com seu melhor amigo Simon e acabou sendo testemunha de um homicídio.
Não qualquer homicídio! Os assassinos eram jovens tatuados e a vítima desapareceu como fumaça.
Foi então que várias coisas esquisitas começaram acontecer na vida da nossa protagonista, como: ataques de demônios, vampiros e a descoberta de um novo mundo ?
Tudo isso sem contar que ela ainda tinha que lidar com o paradeiro de sua mãe que desaparecerá misteriosamente.
Mas para sua sorte ( ou azar ) não estava sozinha! Durante toda essa jornada ela será acompanhada por Jace, um dos jovens tatuados da noite passada, que a ajudará resgatar sua mãe, que era a chave para todos as respostas, e a fará perceber que:
?????????????????????????????
?A marca pra consertar um coração partido é a que dói mais.? ?????????????????????????????
A obra que pareci previsível no início teve varias reviravoltas e, como diriam os ingleses, um ?check match? de tirar o fôlego!
Aos poucos, somos capazes de familiarizar com este novo mundo criado pela autora e aprender a amar cada personagem, a seu modo.
Ahhh queria dizer que foi um dos melhores livros que já li, mas a narrativa também teve seus defeitos ? As cenas de ação não me agradaram muito. Achei que faltou uma descrição mais precisa e detalhada.
Apesar disso, não posso descartar que é uma história perfeita pra quem gosta de fantasia!!
comentários(0)comente



A.D. Araújo 05/02/2018

Quase amei mais que chocolate!
Instrumentos Mortais – Cidade dos ossos – Cassandra Clare

“Há uma única coisa que você precisa saber. Todas as histórias são verdadeiras. Tudo o que você ouviu sobre monstros, pesadelos, as lendas sussurradas ao redor das fogueiras. Elas são reais. Reais e terríveis. ”
***
Passei tanto tempo querendo ler esse livro, que quando comecei “cidade dos ossos”, quase devorei às páginas. Ele passou por um bom tempo, na minha prateleira, empoeirado, cheio das indicações de amigos virtuais; mas foi pela simples imposição de uma amiga ─ mentira, fui jurado de morte ─, que eu subi ele para o topo da minha lista.

E não me arrependo disso.

Logo, no início, conheci Clary Fairchild e Simon “alguma coisa”... duas pessoas totalmente opostas, mas de uma amizade intensa. Clary desde o início, se mostrou uma personagem perspicaz, curiosa, corajosa, com força de vontade e muito grossa, também. HAHA Ela passou o livro todo, focada em recuperar sua mãe, e salvar Simon, de todos os problemas em que se metia. A amizade deles foi se mostrando cada vez mais forte com o desenvolvimento da história. Achei isso fantástico. Eu, como na maior parte das vezes, não sou fã do protagonista ─ não me julguem ─, com Clary, não seria diferente. Eu não gostei muito dela, nem no início e nem no decorrer da história. No entanto, eu não posso negar, que ela fugiu de muitas expectativas “clichês”, quais eu imaginei que iria encontrar.

Clary não foi uma garotinha delicada, frágil e de porcelana, que quebraria por qualquer coisa; muito menos, uma donzela em perigo, que mesmo sendo salva por Jace, em vários momentos, ainda se manteve forte e corajosa. Um ponto muito importante ─ para quem não é tão fã de romance, como eu ─ é que Clary, também não foi a protagonista, que passa o livro todo correndo atrás de um macho. Ela não fez isso, mesmo envolvendo alguns pontos de romance. E sim, eu me culparei e me sentirei mal pelo resto da vida por causa daquele final.

Simon, é o brincalhão da turma ─ se é que posso dizer assim ─, o cara das piadas sem graça, que todo mundo detesta, mas gosta de ter por perto. Ele me fez rir em muitos momentos, seja pelas piadas sem graças ou pelas vezes que eu quis dizer ─ para de falar M****, seu idiota ─, porém, ele no fundinho é um dos personagens que eu mais gostei.

Depois de conhecer, Jace Wayland ─ vocês não têm noção do quanto eu amei esse sobrenome ─, e Isabelle e Alec. Na verdade, conheci mais Jace, do que os irmãos Lightwood; e me sinto, muito desapontado com isso.
Eu achei Jace um personagem tão “meia-boca” no começo, e pensei que não gostaria dele no desenvolvimento. Ele foi superando algumas expectativas minhas, mesmo sendo um tipo de “cara” idiota, que eu detesto. O ego dele é tão grande, que em alguns momentos, se tornou insuportável, e achei que ele poderia ter menos falas na história. HAHA Ele é aquele tipo de cara, que eu não aguentaria passar uma hora junto com ele na vida real. Mas, eu fui aprendendo a gostar dele, com o decorrer do tempo.

Bem diferente da Isabelle, ou melhor, da Izzy... que apenas surgiu em alguns capítulos para “abrilhantar” às cenas. Eu amei a personalidade dela, suas falas, às roupas que ela usava e todas suas extravagâncias. No entanto, Alec, não sei se tenho muitas coisas pra falar sobre ele; com exceção, do meu gaydar disparando quando ele apareceu na cena. HAHAHAHHA Eu simplesmente, amei os irmãos Lightwood, e o sorriso difícil de arrancar, de Alec.

OBS: Achei os irmãos Lightwood tão mal explorados no primeiro livro, quebrando muitas expectativas que eu tinha. Não conheci eles muito bem, e fiquei ansioso pelas cenas de Alec e Magnus Bane. Eu espero muito, que eles sejam melhor explorados nos outros livros.

Hodge... o que falar sobre o cara, que representa ser mil anos mais velho, do que realmente é. Eu não gostei dele, desde de o início, e posso provar isso. HAHA No meu Twitter, eu deixo o livro que estou lendo fixado no meu mural, e vou comentando sobre ele. ─ Quem quiser me seguir é: ADAraujo_ ─ E quando Hodge apareceu, esse foi meu primeiro comentário sobre ele -> “Não me sinto seguro para confiar em alguém que anda com um pássaro, empoleirado, no ombro.” Vidência? Sabedoria? Ou realmente, pessoas com pássaros empoleirados no ombro, “não são confiáveis” ?
Bom, eu apenas espero que assim como os irmãos Lightwood, que o maldito Hodge, tenha uma história melhor contada nos próximos livros.

Os irmãos do silêncio ─ HAHSAHSAHS ─, foram os personagens que mais me causaram arrepios, porque tentei imaginar eles de forma bem pavorosa; e à única coisa que conseguia imaginar, eram às testemunhas de Jeová. HAHAHAHAHA Não pela descrição física, mas sim, porque são uma religião fechada, que tem suas próprias regras, são unidos com seus irmãos e também, porque sempre estão se aprofundando em estudos. Eu gostei dos irmãos do silêncio. Achei tudo tão criativo por parte da autora. Jeremiah é um dos meus personagens favoritos do primeiro livro, e um dos favoritos entre os irmãos do silêncio ─ até porque ainda não conheci os outros.

Uma das melhores cenas do livro ─ em minha opinião ─, foi aquela em que Clary é atacada por um Ravener. Eu achei, fantástico! Ele falando aquelas coisas para ela, e todas às descrições da cena. A luta entre os dois... que foi absurdamente, destroçada no filme e destruída na série. “Apenas olhei o filme, depois que li o livro... e nem consegui assistir a série."

Cassandra Clare tem uma das melhores narrativas que eu já li. É incrível, o jeito que ela conta à história, tenho certeza, que vai se tornar cada vez melhor. Fiquei totalmente envolvido em seu mundo de caçadores, demônios e etc... vou correndo ler o segundo. Uma outra coisa, muito importante em seu livro, é que ela sempre trata o assunto todo no mesmo capítulo. Soa como se cada capítulo fosse um conto diferente, com início, meio e fim. E ainda, estou com raiva da autora, por destruir meu Shipp e me tornar em uma pessoa horrível, por gostar deles. Eu nunca me perdoarei, depois de descobrir toda aquela reviravolta no final.

Bom, Cidade dos ossos, foi um dos melhores livros que li em janeiro. Eu não só recomendo... como ele está na minha listinha ─ pequena ─ de livros favoritos.

site: https://www.wattpad.com/531305136-resenhas-instrumentos-mortais-cidade-dos-ossos
Bianca 05/02/2018minha estante
Te ameacei de morte? Não lembro ?


A.D. Araújo 05/02/2018minha estante
HAHAHAHAH já foram tantas vezes, que nem se lembra.




BLOG UMA EM UM MILHÃO 01/02/2018

Em uma noite, Clary resolve ir ao Pandemônio, uma boate do Blooklin, com seu melhor amigo Simon, onde acaba sendo sua última noite como uma “mundana” comum. Depois de testemunhar um assassinato de um garoto na boate, cujos os três assassinos eram cheios de estranhas tatuagens, e que somente Clary era capaz de ver, sua mãe é sequestrada e o único capaz de lhe ajudar no momento era Jace, um dos garotos que ela achou ser um assassino, mais que na verdade é um caçador de sombras junto com Alec e Isabele, onde eles defendem os mundanos do mundo das sombras, descobrindo que ela, a garota criada como mundana era também uma Caçadora de sombras, serem humanos com sangue de anjo que tem como missão proteger o mundo dos demônios, e que sua mãe lhe escondeu a vida toda desse mundo em que ela fazia parte.

Tudo que Clary acreditava estava ruindo bem a sua frente, ela estava sozinha, sem sua mãe que fora sequestrada, seu pai que ela achava que estava morto ou qualquer familiar, junto com Jace, Alec e Isabelle, Clary foi atras de respostas, onde a maioria delas colocaria sua vida e de seus amigos em risco.

Mais como descobrir um passado que ate o momento ela não sabia que existia?

Como sua mãe lhe escondeu todo o mundo das sombras?

A unica pista que ela tinha sobre o mundo das sombras era as runas que ela desenhava sem ao menos saber o que era. Ela ficou sua vida toda sem ver o que realmente estava a sua volta e da noite pro dia ela começou a enxergar tudo por trás dos feitiços. Clary desde criança tinha suas memorias do mundo das sombras roubadas a pedido da sua mãe.

Clary assim como Jace era uma guerreira, uma caçadora de sombras, ela assim como ele tinha o sangue do anjo circulando nas suas veias.

Pessoas desconhecidas que se tornaram inseparáveis, lutando a cada segundo para descobrir a verdade por trás da vida de Clary. Paixões descobertas, mentiras foram reveladas. Fadas, lobos, vampiros, caçadores de sombras, um mundo totalmente novo.

Um livro onde:

Você vai rir das piadas sem graça do Simon porque mesmo sendo sem graça esse Nerd encanta nossos corações;

Se apaixonar por cada sorriso do Alec, porque os sorrisos dele são raros e encantadores;

Querer fazer compras com a Izabelle porque não tem ninguém mais estilosa que ela;

Se encantar com cada desenho maravilhoso da nossa menina talentosa Clary;

Se derreter com o charme e força do nosso guerreiro Jace;

Desejo e medo, juntos guiando a vida desses jovens, a amizade se transformando em amor, o carinho se transformando em desejo, desafios, lutas, mentiras. Uma serie totalmente viciante, quem lê simplesmente não consegue parar, uma escrita perfeita, uma trama maravilhosa onde você simplesmente se apaixona, esse é o primeiro de muitos livros excelentes, simplesmente perfeito.

site: https://umaemummilhaoweb.wordpress.com/2017/07/12/resenha-cidade-dos-ossos/
comentários(0)comente



Rafael 29/01/2018

...
...
comentários(0)comente



Feeh 25/01/2018

Uma verdadeira droga!
Ésimplesmente viciante! Assim que você começa não consegue mais parar, como uma droga que te vicia.
Você pode até tentar, mas sempre irá querer mais e mais!
Eu super recomendo, leiam e se apaixonem mais ainda pela maravilhosa escritora, Cassandra Clare.
comentários(0)comente



Mel 18/01/2018

Tudo aquilo que ele pregava sobre manter a raça humana pura e a importância do sangue puro, ele era como um daqueles nazistas. E vocês dois caíram na dele."
📝
Leitura concluída, e minhas impressões sobre Cidade dos Ossos foram as seguintes:

A autora realmente criou um universo muito rico, porém eu achei os personagens meio crus, provavelmente isso se deva ao fato de ainda serem muito adolescentes, e apesar de todas as responsabilidades que têm sobre eles, ainda serem bem imaturos.

Acho que o livro introduz bem todo o universo dos Caçadores de Sombras, todas as criaturas mágicas e foi um bom início pra essa saga, porém para os próximos livros eu espero um desenvolvimento maior dos personagens, e maior aprofundamento nas relações entre eles.

Apesar de um pouco arrastada a narrativa conseguiu sim me prender e me deixar curiosa para os próximos acontecimentos, apesar de um problema aqui e outro ali a autora desenvolvel bem a história e conseguiu chegar a um resultado satisfatório.

Acho que o que mais me incomodou durante a leitura foram alguns dos personagens, o Simon é extremamente sem noção, a Clary muito tonta para o meu gosto e o que dizer do Jace... Em contrapartida o Luke e a Isabelle foram personagens que eu gostei bastante.

Acredito sim que a Saga tenha um bom potencial e estou ansiosa para ler os próximos livros.
comentários(0)comente



Jessie 11/01/2018

CIDADE DOS OSSOS || PARAÍSO LITERÁRIO
Eu nem sei bem como começar essa resenha, Cidade dos Ossos é um livro que dispensa apresentações e que também marca presença na minha lista de favoritos faz muitos anos. Esse é um daqueles livros que já reli tantas vezes que fica difícil não falar logo de cara "leia porque, nossa, é muito maravilhoso!", mas vou tentar.



No primeiro livro (de seis!) da série Os Instrumentos Mortais somos apresentados a Clary, uma adolescente de 15 anos que presencia um assassinato em uma boate onde estava com seu melhor amigo no Halloween, mas tem um probleminha aqui: aparentemente ninguém mais é capaz de enxergar os criminosos cobertos por tatuagens e carregando armas completamente estranhas!



Assustada Clary volta para casa tentando se convencer de que o que vira não era real. No dia seguinte recebe o aviso de Jocelyn, sua mãe, que elas vão passar uma temporada longe de Nova Iorque, no sítio de Luke, um velho amigo da mãe e o mais próximo de um pai que a garota conhece. Óbvio que a ideia de passar as férias isolada não agrada em nada a adolescente que decide sair com Simon, seu melhor amigo, para um café com poesia e é bem neste momento que ela vê um dos assassinos de novo, que ela vem a descobrir se chamar Jace um garoto loiro, alto, todo tatuado e totalmente sarcástico.


Ao conversar com ele Clary descobre que não é uma simples Mundana, termo usado para designar humanos comuns. Ela possui o dom da Visão e é isso que a faz ver através das magias que encobrem o Mundo das Sombras, o qual abriga criaturas sobrenaturais como lobisomens, vampiros, fadas, demônios, anjos e Caçadores de Sombras (humanos que possuem sangue de anjo ou Nephilim).


Nada disso parece real e, quando sua mãe é misteriosamente sequestrada, Clary se vê perdida no meio deste novo mundo fantástico e sombrio em busca de um objeto sagrado para os Caçadores de Sombras ao lado de três Nephilins para salvar não apenas Jocelyn, mas toda uma raça que até pouco tempo ela não sabia que existia, de um homem que todos pensaram estar morto. Muitas surpresas aguardam a jovem Clary nesta jornada e segredos do passado de sua mãe vem a tona quando ela menos espera, tornando o seu amor por um jovem Caçador de Sombras proibido.


Eu fiquei horas aqui, tentando escrever essa resenha. Parei, apaguei e comecei tudo de novo pelos menos umas seis vezes porque é impossível falar de Cidade dos Ossos de maneira objetiva e às vezes eu fico presa entre o que gostaria de dizer e o que de fato digo e o porquê disso é bem óbvio: eu sou completamente apaixonada por essa série então minha objetividade fica de lado quando se trata de Os Instrumentos Mortais.


A primeira vez que li este livro, lá em meados de 2008, ele mal era conhecido (certamente não no Brasil!) e por isso eu fiquei muito feliz quando foi publicado aqui pela Galera Record. Sempre achei que o sucesso estrondoso de Os Instrumentos Mortais era não só esperado como justificável.


Apesar de todos se irritarem com a Clary, gosto dela. O motivo é bem simples: ela foi a primeira personagem de um livro que eu li e que não estava atrás de um cara e/ou sofrendo por ele. A jornada dela é para salvar a mãe e no meio do caminho ela acaba se apaixonando. Sem contar que o jeito meio moleca e nada delicado gerou uma identificação praticamente instantânea da minha parte.


Eu caí de amores pelo Jace, e o Alec (um dos Caçadores de Sombras da boate) me irritou no começo da leitura, assim como sua irmã, Isabelle (outra Caçadora de Sombras que também estava na boate). Com o passar da leitura e, especialmente, conforme evoluí na série, entendia as motivações de cada um e eles foram se tornando os meus personagens mais queridos da trilogia junto com o Simon.


Que aliás, por falar em Simon, eu sempre vi um pouco de mim nele também. Toda a "nerdice" dele é tão fofa que fica impossível não cair de amores por ele logo no começo do livro. Ainda que você não torça Climon (Clary e Simon) você torce pela amizade dos dois (e pode até sentir uma certa invejinha!)


Cassandra Clare sabe apresentar o seu mundo e personagens, assim como domina a arte de fazer um leitor sofrer como ninguém. Pensem aqui comigo: quando li Cidade dos Ossos (em inglês!) o segundo livro, Cidade das Cinzas, ainda não havia sido lançado, então nada de spoiler. Durante esse tempo todo tive que sofrer com a possibilidade de shippar um incesto! Sério, foi total e completamente DESESPERADOR!

site: http://www.paraisoliterario.com/2012/08/resenha-os-instrumentos-mortais-1.html
comentários(0)comente



Jessie 11/01/2018

CIDADE DOS OSSOS || PARAÍSO LITERÁRIO
Eu nem sei bem como começar essa resenha, Cidade dos Ossos é um livro que dispensa apresentações e que também marca presença na minha lista de favoritos faz muitos anos. Esse é um daqueles livros que já reli tantas vezes que fica difícil não falar logo de cara "leia porque, nossa, é muito maravilhoso!", mas vou tentar.



No primeiro livro (de seis!) da série Os Instrumentos Mortais somos apresentados a Clary, uma adolescente de 15 anos que presencia um assassinato em uma boate onde estava com seu melhor amigo no Halloween, mas tem um probleminha aqui: aparentemente ninguém mais é capaz de enxergar os criminosos cobertos por tatuagens e carregando armas completamente estranhas!



Assustada Clary volta para casa tentando se convencer de que o que vira não era real. No dia seguinte recebe o aviso de Jocelyn, sua mãe, que elas vão passar uma temporada longe de Nova Iorque, no sítio de Luke, um velho amigo da mãe e o mais próximo de um pai que a garota conhece. Óbvio que a ideia de passar as férias isolada não agrada em nada a adolescente que decide sair com Simon, seu melhor amigo, para um café com poesia e é bem neste momento que ela vê um dos assassinos de novo, que ela vem a descobrir se chamar Jace um garoto loiro, alto, todo tatuado e totalmente sarcástico.


Ao conversar com ele Clary descobre que não é uma simples Mundana, termo usado para designar humanos comuns. Ela possui o dom da Visão e é isso que a faz ver através das magias que encobrem o Mundo das Sombras, o qual abriga criaturas sobrenaturais como lobisomens, vampiros, fadas, demônios, anjos e Caçadores de Sombras (humanos que possuem sangue de anjo ou Nephilim).


Nada disso parece real e, quando sua mãe é misteriosamente sequestrada, Clary se vê perdida no meio deste novo mundo fantástico e sombrio em busca de um objeto sagrado para os Caçadores de Sombras ao lado de três Nephilins para salvar não apenas Jocelyn, mas toda uma raça que até pouco tempo ela não sabia que existia, de um homem que todos pensaram estar morto. Muitas surpresas aguardam a jovem Clary nesta jornada e segredos do passado de sua mãe vem a tona quando ela menos espera, tornando o seu amor por um jovem Caçador de Sombras proibido.


Eu fiquei horas aqui, tentando escrever essa resenha. Parei, apaguei e comecei tudo de novo pelos menos umas seis vezes porque é impossível falar de Cidade dos Ossos de maneira objetiva e às vezes eu fico presa entre o que gostaria de dizer e o que de fato digo e o porquê disso é bem óbvio: eu sou completamente apaixonada por essa série então minha objetividade fica de lado quando se trata de Os Instrumentos Mortais.


A primeira vez que li este livro, lá em meados de 2008, ele mal era conhecido (certamente não no Brasil!) e por isso eu fiquei muito feliz quando foi publicado aqui pela Galera Record. Sempre achei que o sucesso estrondoso de Os Instrumentos Mortais era não só esperado como justificável.


Apesar de todos se irritarem com a Clary, gosto dela. O motivo é bem simples: ela foi a primeira personagem de um livro que eu li e que não estava atrás de um cara e/ou sofrendo por ele. A jornada dela é para salvar a mãe e no meio do caminho ela acaba se apaixonando. Sem contar que o jeito meio moleca e nada delicado gerou uma identificação praticamente instantânea da minha parte.


Eu caí de amores pelo Jace, e o Alec (um dos Caçadores de Sombras da boate) me irritou no começo da leitura, assim como sua irmã, Isabelle (outra Caçadora de Sombras que também estava na boate). Com o passar da leitura e, especialmente, conforme evoluí na série, entendia as motivações de cada um e eles foram se tornando os meus personagens mais queridos da trilogia junto com o Simon.


Que aliás, por falar em Simon, eu sempre vi um pouco de mim nele também. Toda a "nerdice" dele é tão fofa que fica impossível não cair de amores por ele logo no começo do livro. Ainda que você não torça Climon (Clary e Simon) você torce pela amizade dos dois (e pode até sentir uma certa invejinha!)


Cassandra Clare sabe apresentar o seu mundo e personagens, assim como domina a arte de fazer um leitor sofrer como ninguém. Pensem aqui comigo: quando li Cidade dos Ossos (em inglês!) o segundo livro, Cidade das Cinzas, ainda não havia sido lançado, então nada de spoiler. Durante esse tempo todo tive que sofrer com a possibilidade de shippar um incesto! Sério, foi total e completamente DESESPERADOR!

site: http://www.paraisoliterario.com/2012/08/resenha-os-instrumentos-mortais-1.html
Gardeli 14/01/2018minha estante
Amo mais que pudim


Jessie 14/01/2018minha estante
Eu também! Apesar de gostar mais de TID


Gardeli 14/01/2018minha estante
Entaaaaao...eu sou suspeita TMI foi minha entrada pro vicio literário, amo d+ tanto pela estória qnto prpo valor sentimental, mas TID me fez chorar litros de emoção hUahUahu (Will ??)


Jessie 14/01/2018minha estante
Eu gosto mais do Jem kkk! E também tenho uma ligação muito forte com TMI porque estava muito órfã de HP quando descobri a série (ela nem tinha sido lançada aqui ainda!) e sofri tanto com aquela palhaçada de Clary e Jace serem irmãos... Tem coisa que não se faz com um leitor, mas a Cassie parece não saber disso!




Carol M 10/01/2018

Cidade dos Ossos
Esse é o primeiro livro do universo dos Caçadores de Sombras (Shadowhunters), criado por Cassandra Clare. Quem ainda não conhece (quase impossível), e gosta de demônios, vampiros, fadas, lobisomens, feiticeiros e claro uma boa história sobre anjos, esse é o livro certo pra você! E pra quem já conhece, vamos falar sobre esse mundo IMENSO durante alguns dias... Então cola na gente e vem participar!

Cassandra Clare é aquele tipo de autora que tem uma marca em sua escrita, e isso fica muito claro, no primeiro livro da saga Os Instrumentos Mortais, quando nos apresenta Clary. A personagem principal é como nós, ignorante quando se trata desse mundo escondido, o que torna tudo muito mais fácil de entendermos. Pois a maior (e na minha opinião a melhor) marca da autora é nos trazer personagens que vão nos introduzindo e nos seduzindo até nos envolvermos completamente na história, e é isso que Clary faz conosco.

Preciso destacar que ela não é minha personagem preferida dessa saga, e nem de saga nenhuma, me arrisco a dizer que muitas vezes acho ela chata, assim como, o tão amado e venerado pelas fãs, Jace. Na minha humilde opinião, eles são o típico casal mela-cueca, mas o que seriam das grandes histórias sem esses casais? E como poderíamos saber que tem coisa melhor no mercado sem eles? Pois é minha gente, eles são necessários, porém trago-lhes a seguinte notícia: os coadjuvantes de ‘Cidade dos Ossos’ são MUITOS e são de tirar o fôlego, tão -ou mais- importantes que os principais eles roubam a cena DIVERSAS vezes!

Falemos então dos maravilhosos e esplêndidos personagens secundários: Temos Simon, melhor amigo de Clary – humano ok ?- que é hilário e super apaixonado por ela! Ela vê isso? Óbvio que não, mas tudo bem por mim porque prefiro ele sozinho do que com ela. Fora que ele representa o mundo geek, então já nos identificamos com ele de cara né? Quando Clary é introduzida nesse universo ela conhece Jace, Alec, Isabelle, Max e Magnus Bane (guardem esse nome, ele é O CARA galera!).

Alec, Isabelle e Max irmãos, de idades diferentes que são Nephilim, ou seja, são basicamente ‘humanos’ que tem sangue de anjo, e por isso, através de runas (símbolos) desenhados na pele conseguem adquirir habilidades específicas. Tendo isso na cabeça, eles são muito bons no que fazem, porém, o melhor de todos é o Jace, irmão de criação desses 3. Ele é puro sarcasmo e não é nem um pouco humilde em relação a si mesmo, pode ser considerado um verdadeiro pé no saco!

Lembram daquele nome que mandei guardar? Sim meus caros, Magnus Bane, o alto feiticeiro do Brooklyn, é um personagem transcendental nesse universo, ele está em todos os livros de Cassandra Clare, sendo tão importante e icônico que ganhou um livro de contos só pra ele, porém os fãs não estão satisfeitos e a autora anunciou que vai ter uma trilogia SÓ pra ele! Mas vamos deixar ele de lado por enquanto (se possível) afinal, vamos falar muito dele ainda por aqui durante esses dias!

‘Cidade dos Ossos’ é um livro extremamente intrigante, fazendo uma releitura única de diversos mitos e histórias num mesmo mundo. Realmente é de tirar o fôlego, e nos faz querer que o véu da ignorância caia dos nossos olhos para podermos enxergar, viver e até mesmo morrer nesse universo. Não é à toa que a autora cativou milhões de fãs ao redor do mundo.

E você, já leu ‘Cidade dos Ossos’? Quais foram suas primeiras impressões? Deixei aqui nos comentários!

Até a próxima!

Para essa e outras resenhas, acesse o link abaixo

site: www.blogcontracapa.com.br
comentários(0)comente



Vitor Sandes 03/01/2018

Muito bom!
Uma fantasia fantástica. Um romance fabuloso.
comentários(0)comente



Arcanjo.White 29/12/2017

Tenha SEMPRE este na sua estante.
É um livro sensacional, envolvente, romântico, muito bem humorado, e que te prende a cada capítulo.
O tipico livro em que se vira noites e noites, pois você não consegue tirar os olhos por um segundo da história.
Apesar de ser um livro médio em termos de tamanho físico, eu o terminei em poucos dias.
Quem já leu Harry Potter e Percy Jackson e os Olimpianos, vai amar essa obra de fantasia sombria.
comentários(0)comente



iletrado 17/12/2017

Viciante
Entre esses livros de romances sobrenaturais este é um dos que mais gosto. O livro começou como uma fanfic de Harry Potter e hoje é série de livros, tem vários spin-offs, virou filme(horrível) e série. Fora um ou outro detalhe, gostei do livro.



site: https://iletradoblog.wordpress.com/2016/10/07/cidade-dos-ossos-cassandra-clare/
Sara 21/12/2017minha estante
undefined




martta.ribeiro@hotmail.com 12/12/2017

Leitura rápida
O livro é envolvente e muito rápido de ler, porém Clary poderia ser mais ativa, ela é muito "mimimi". Espero que melhore nos outros.
comentários(0)comente



Maíra 11/12/2017

Sinceramente, eu não sei o que falar sobre esse livro. Não fiquei tão satisfeita quanto pensei que ficaria. Mas eu atribuo essa minha confusão à dois motivos bem simples: eu vi o filme e ODIEI os atores que fizeram a Clary e o Jace, nem comento a adaptação no geral; eu devorei a série do Netflix (já está indo para a terceira vez que assisto) e o livro ficou muuuuuito no chinelo.

Alguns podem até reclamar da adaptação (sempre vou falar da série, porque o filme nem vale à pena ser comentado, tamanho lixo que foi), porque alguns pontos foram muito modificados, outros trechos trocados de ordem e outros tantos (importantes, inclusive) foram simplesmente excluídos, mas ela dá de 10 no livro.

Mas enfim. Eu continuo preferindo a série ao livro. Não é que o livro não seja bom, porque até é, mas a descrição dos personagens (menino, menina, magro, baixo etc etc etc) quase destruiu a minha imagem (da série, claro) daqueles seres lindos, atléticos, damn hots e super carismáticos hahahaha Então, do começo até mais ou menos a metade do livro eu fiquei me forçando a trocar a imagem adolescente, em alguns momentos infantil demais, por aquelas outras que vi na telinha.

A trama, como já esperado, não deixou nada a desejar, ainda que (em comparação com a série hahahah) eu tenha sentido um ar muito adolescente. AH! E antes que eu me esqueça: Netflix filhadumavacavéia, porque você tirou aquela passagem linda na estufa?! Meu senhor, foi um pecado essa cena ter sido excluída.

Finalizando, leitura leve, romance na medida (apesar do excesso de hormônios adolescentes, que me frustrou um pouco), bem escrita, revisões muito bem feitas e a capa é sensacional (a minha é a metalizada do box). Eu já esperava todos os acontecimentos, mas mesmo assim fiquei bem apreensiva em alguns trechos.

Espero que nos próximos livros os personagens estejam menos apáticos e mais engraçados/espirituosos, que foi uma coisa que tem na série e eu senti muita falta aqui.

Se eu recomendo? Só se você prometer que NÃO VAI VER A SÉRIE ANTES. Sério, leia e depois veja. Se não, corre um grande risco de ficar "decepcionada" assim como eu.
Lillian.Holanda 12/12/2017minha estante
Eu tbm prefiro a série, no livro eles são muito adolescentes .


Maíra 12/12/2017minha estante
Exatamente Lilian! Sem comparação. Mas fazer o que, né!? kkkk


Jaycee 30/12/2017minha estante
Nossa pois eu não gostei da série, não terminei nem o segundo episódio, e gostei bastante do filme. Porque eu acho que o maior preconceito sobre o filme é os personagens que não são"bonitos", porém eu achei a história do livro melhor contada no filme e eu acho na verdade os atores bem bonitos. Talvez pq eu tenha lido primeiro o livro antes da série




Aline 01/12/2017

Um livro morno
Nota 3 para esse livro. Não sei se esperava demais para a história ou se foi aclamado tanto pelo público que, no fim, acabou não sendo aquilo tudo.
Explico: o livro é bom. Li ele em 4 dias (um recorde, uma vez que trabalho e estudo), mas poderia muito bem ler a continuação daqui a um longo tempo.
Para começar, achei que foi pouco explorada a questão da Clary ter se acostumado tão rapidamente com o fato de que ela não era "normal". O início do romance entre Jace e Clary também foi um pouco morno e esperava MUITO MAIS do primeiro beijo. Espero que isso melhore nos próximos livros. A questão da mitologia foi abordada de forma rápida. A autora joga MUITA informação de forma muito rápida, o que faz com que acabemos tendo que voltar para ver o que era tal coisa.
Enfim... Me desapontei um pouco com a "mornidade" das coisas, mas não posso negar que a narrativa é fluída. Espero melhorar minha opinião para a continuação da série.
comentários(0)comente



1077 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |