O Feiticeiro de Terramar

O Feiticeiro de Terramar Ursula K. Le Guin




Resenhas - O Feiticeiro de Terramar


52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Déborah 20/03/2017

Pra ler no busão: O feiticeiro de Terramar
Falou em lançamento de fantasia já fico toda afoita de tão curiosa.

É um gênero que eu adoro tanto quanto romance.

Confesso que ultimamente acaba me deixando meio chateada, mas no geral eu gosto.

Sei que ainda vou achar aquela fantasia que vai me arrebatar como antes.

Esse livro é praticamente um clássico dentro da fantasia, então quando soube de toda a fama dele minhas expectativas e ansiedade aumentaram e só sosseguei quando finalmente ele chegou pra mim.

Quando comecei a leitura estava ansiosa para ver toda a magia que ela traria...

Porém já fiquei um pouco frustada, pois o que apareceu foi um menino que tinha o dom para ser um mago e começou a aprender sobre a arte da feitiçaria, mas seu grande problema era ele mesmo.

Ged é muito orgulhoso e vaidoso. Se sente o melhor e mais inteligente de todos. Sem contar que ele é inconsequente.

Faz as coisas sem pensar e sem medir consequências e é por ser impulsivo que ele acaba libertando um grande mal sobre a Terra e ganhando cicatrizes no corpo e na alma.

É depois desse duelo com o mal que ele passa a se modificar. Ele se mostra mais humano e percebe o quanto errou.

Vemos esse crescimento dele e ele finalmente se tornando um homem.

Ged passa por algumas aventuras em busca de um duelo final com o mal que libertou.

O livro é curto, mas um pouco arrastado.

A narrativa tinha tudo para ser interessante, mas a descrição é cansativa e não conseguiu me prender o suficiente.

Uma das partes que mais gostei foi a amizade verdadeira que ele construiu enquanto estava na escola e a admiração que ele tinha pelo seu primeiro mestre.

É uma história mediana que tinha tudo para ser grandiosa, mas não rolou.

Infelizmente minhas expectativas não foram alcançadas, mas é um livro bom.

A capa é linda. A diagramação é simples, mas boa e páginas amareladas sempre ótimo.

Não encontrei problemas de revisão.

site: http://lisos-somos.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Café & Espadas 13/03/2017

A Magia das Palavras de Ursulla Le Guin
Eu imagino aqui com os meus botões: como deve ser difícil essa profissão de escritor.

Quão difícil é para um ser humano narrar uma história para uma pessoa que ele nunca viu na vida. Que ele nunca teve um contato sequer. Adjunto a isso, ainda se preocupar com a tessitura de sua escrita, com o ritmo da narrativa, com a construção de personagens, e por aí vai.

Uma tarefa árdua, de fato, mas imagino também que o resultado final vem como um prêmio e um alívio para o autor. Ele pode contemplar a sua obra como um arquiteto que, deslumbrado, aprecia uma catedral projetada por ele mesmo.

Não sei se Ursulla Le Guin teve essa sensação quando pôs o último ponto final no manuscrito de O Feiticeiro de Terramar, mas para um leitor, principalmente os que se deleitam na fantasia, esse alívio que mencionei acima vem prematuramente, logo no folhear das primeiras páginas.

A sensação de que estamos diante de um livro que foi minunciosamente projetado na sua essência, na sua alma, naquilo que toca a imaginação de quem lê, na simplicidade.

* Continue lendo a resenha no site do Café & Espadas - link abaixo:


site: https://cafeespadas.com/o-feiticeiro-de-terramar/
comentários(0)comente



Viviana 13/03/2017

Paixão morna
Uma escrita bem diferente é a desta autora clássica de fantasia. Eu gostei mas não cheguei a me apaixonar e não vou continuar lendo a série.
comentários(0)comente



Debyh 12/03/2017

Eu gostei sim.
Como blogueira literária visito muitos blogs do gênero e eu li muitas resenhas desse livro, nem sei direito o porque, mas elas simplesmente apareciam e eu lia uma após a outra. O problema aqui foi que a grande maioria delas eram negativas, mas tudo bem porque né gosto é gosto. Eu gostei do livro pelos mesmos motivos que outras pessoas não gostaram. Eu gostei do livro, justamente por ele abordar o tema medieval voltado mais para o juvenil, ponto que foi amplamente criticado em alguns blogs.
Em O Feiticeiro Terramar, primeiro livro da série Ciclo Terramar, descobrimos um mundo novo, com um personagem que aprende muito sobre si mesmo e que o poder muitas vezes pode ser perigoso. Cuidado com os dragões, suba no barco e venha para Terramar.

(inteira no link com resenha em áudio)

site: http://euinsisto.com.br/o-feiticeiro-de-terramar-1-ursula-k-le-guin/
comentários(0)comente



cotonho72 10/03/2017

Ótimo!
Nesse livro iremos acompanhar a jornada de Ged até se tornar o maior feiticeiro que Terramar já teve, Terramar é um enorme conjunto de ilhas, quando criança, Ged, se chamava Dunny, e cresceu na ilha de Gont, infelizmente logo cedo se tornou órfão de mãe e cresceu praticamente sozinho. Certo dia, uma bruxa da aldeia acaba descobrindo os seus poderes por acidente e acaba ficando com ele como aprendiz, logo de cara ele surpreende a todos com o seu talento e com a rapidez que aprende tudo.

Durante uma invasão, Dunny acaba surpreendendo ainda mais a todos, usando os feitiços que aprendeu para salvar alguns amigos e habitantes da aldeia, logo esse grande feito não demora muito tempo para ser conhecido por muitos, como não demorou muito para também alcançar os ouvidos do grande e respeitado Mago Ogion, conhecido por ter controlado o terremoto que destruiria a cidade de Gont. E a partir desse momento Dunny começa a ser o aluno do Mago Ogion e aos poucos vai aprendendo tudo sobre o ofício, como Dunny atinge a idade para ganhar o seu nome de homem, logo passa a se chamar Ged, pois verdadeiros nomes têm grande poder e podem permitir a quem os conhece controlar o outro e nunca são revelados, a não ser para alguns amigos de extrema confiança, mas logo a sua impaciência com os métodos de Ogion o leva para a para uma escola de Magos na ilha de Roke. Assim começa sua jornada para virar a lenda a qual os seus feitos serão narrados e cantados por muitos, o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos, Gavião.
Mas Ged terá de enfrentar muitos desafios e vários inimigos, inclusive enfrentar a si próprio, sua facilidade para aprender os feitiços e por possuir um grande poder, ele acaba cometendo muitos erros e o seu orgulho e sua vaidade contribuem para isso. Desta maneira, Ged acaba libertando um terrível mal, um monstro assustador sobre Terramar, no qual somente ele pode derrotar. Durante essa desafiadora e perigosa jornada Ged encontrará poderosos dragões, fará novos amigos, desafiará o mar e enfrentará algumas criaturas em Terramar, pelo seu caminho não enfrentará guerras, mas suas batalhas serão históricas.
Confesso que não conhecia praticamente nada sobre a autora, mas logo que foi anunciado pela Editora Arqueiro fiquei super curioso e com muitas expectativas, a trama é muito bem trabalhada e os personagens são cativantes, não só Ged o protagonista principal mas também importantes personagens como Jaspe um garoto da mesma idade a qual ele tinha como rival, Vecht que se torna seu grande amigo e Pechvarry um amigo que ele faz durante a sua jornada, o livro é narrado em terceira pessoa e achei que a leitura flui bem, questões raciais estão sutilmente nessa obra e são mencionadas pela a autora no final do livro, além de falar sobre o bem e o mal e muito mais, um livro imperdível para os fãs de fantasia.

site: http://devoradordeletras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Duda 06/03/2017

Resenha | Ciclo Terramar #1 – O Feiticeiro de Terramar, por Úrsula K. Le Guin
Ged, órfão de mãe, era pastor de ovelhas e morava sozinho com seu pai em um vilarejo muito simples. Ainda pequeno, durante uma invasão no lugar onde mora, ele descobriu ter aptidão para a magia.

Sua tia que era bruxa então resolveu levar o garoto para morar com ela e ensiná-lo a controlar seus poderes; depois de algum tempo, com a sua crescente fama, ele foi mandado para uma escola de magos.

Porém, ao chegar lá Ged foi ficando cada vez mais deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, e foi logo dominado pelo orgulho e a ambição; além disso Ged foi criando muitas inimizades durante seus anos na escola.

Um dia tomado pela fúria de ser hostilizado pelos colegas, Ged acabou, sem querer, libertando um grande demônio das trevas, e isso acabou o levando a uma cruzada mortal pelos mares solitários de Terramar, afim de acabar com o mal que ele mesmo cometeu.

Resenha Completa Em:

site: http://palavrasradioativas.com/resenha-ciclo-terramar-1-o-feiticeiro-de-terramar-por-ursula-k-le-guin/
comentários(0)comente



Carol 05/03/2017

Fantasia em poucas páginas? Ela consegue!
Sempre tive curiosidade de conhecer os livros da autora. É um grande nome dentro da fantasia, e queria entender o motivo desse alarde. E ainda que não tenha visto Úrsula no que talvez seja seu melhor livro, esse me dá uma apresentação favorável do que esperar dela.

Aqui conhecemos Ged, que começa a história um menino que descobre possuir dons de magia. Depois de salvar sua aldeia de uma invasão, ele é levado para estudar seus dons num lugar apropriado. A maior parte da história vai ser desenvolvida nesse tipo de instituto.

É um livro curto, mas fiquei impressionada com o quanto a autora revelou sobre o universo e as pessoas, mesmo em poucas páginas. Tá, o protagonista é bem trabalhado, e os coadjuvantes nem tanto, mas dou o braço a torcer por ter feito uma fantasia em 160 páginas.

Entendo que detalhes existentes nessa trama da Úrsula acerca de magia sejam encontrados em livros do gênero mais recentes. É inevitável que isso aconteça. Ela é a sumidade no assunto, e todo aprendiz leva um pouco do seu mestre. Não é o tipo de coisa que me incomoda ao ponto de me revoltar nas redes sociais por causa disso.

A problemática da história me atraiu menos do que o desenvolvimento do universo em si. De como a autora trabalha a magia como uma extensão quase física de quem a exerce. Achei isso genial! Em alguns pontos me lembrei bastante daquele filme que o Nicolas Cage está treinando um menino para ser um feiticeiro.

Aqui tem toda aquela coisa da jornada do herói, só que um herói puxado pro infanto juvenil, e isso faz toda a diferença em se tratando de fantasia. As dores são menores em livros para adolescentes, e o final "resolvido" sempre prevalece. Acho isso bom por um lado, mas tem aquela parte minha que exige uma verdade inclusive na ficção. Contudo eu entendo a época em que foi escrito, e o trabalho da autora.

É um bom livro para quem curte o gênero. Não venham esperando um Tolkien ou Martin. Essa é Úrsula e ela tem um modo bem próprio de desenvolver suas histórias. No caso específico desse livro, de maneira leve e encantadora.

site: http://terradecarol.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Caio 26/02/2017

O processo de evolução de Ged
Em 'O Feiticeiro de Terramar', a princípio, o personagem principal não me despertou carisma, muito pelo contrário, foi um personagem que não me agradou, porém, a história parte da premissa da evolução deste como pessoa.

Foi um livro que acabei prolongado e talvez isso tenha tido impacto de eu ter me sentido decepcionado em alguns aspectos. De fato, vi algumas apresentações que a autora faz no livro que outros autores desenvolveram em seus próprios trabalhos, o qual achei muito interessante.

É uma leitura fluida por um lado e talvez corrida por outro, não senti um desenvolvimento grande de personagens dentro dele além do próprio personagem principal.
O livro contudo se finaliza de uma maneira simples e arrebatadora, o qual pude visualizar a cena e o compromisso do livro em estruturar isso, no qual entra a forma como o personagem era no início da história e no que ele se tornou no final, é poético como isso foi construído.

Agora fico na dúvida se darei seguimento as sequencias que serão lançadas. Veremos.
comentários(0)comente



Michele B. 14/02/2017

boa leitura
Livros que envolvem magia eu olho com um pouco de desconfiança, isso porque li Harry Potter desde de meus 11 anos e para mim é a história perfeita de magia, que ficou na minha cabeça; qualquer outro livro que use o tema como plano de fundo eu já olho com desconfiança. Apesar desse fato, resolvi ler “O feiticeiro de Terramar”, porque era um clássico e foi escrito muito antes de Harry Potter.

Bom, minha primeira impressão que tive ao ler o livro, foi que a leitura nada me lembrou Harry Potter ou qualquer outro livro que retrata esses universos, como senhor dos anéis e o Hobbit. Comparações a parte, o livro nos traz a história de Ged, também conhecido como Gavião que mora sozinho com seu pai, após o falecimento de sua mãe, e possui o dom para feitiçaria, quem percebe primeiro esse dom é a sua tia, que logo lhe ensina alguns feitiços. Certo dia, esse vilarejo em que eles moram é invadido e Ged usando o poder da névoa consegue salvar a população; a partir daí um feiticeiro muito famoso da região vai atrás dele e se torna seu tutor.

Ged, passa a frequentar uma escola de feitiçaria, em outra ilha que faz parte do arquipélago onde a história se passa, lá ele encontra amigos, mas também colegas que despertam sua ira; durante uma provocação onde Ged é desafiado a mostrar seu poder, porém ele acaba liberando uma sombra muito poderosa, que persegue o protagonista e fica à espreita para destruí-lo, e Ged então vai em busca do inevitável: uma forma de destruir a sombra, uma vez que ele não pode viver por enquanto ela estiver em seu encalço.

Leia o restante no blog:

site: http://www.lostgirlygirl.com/2017/02/resenha-1160-o-feiticeiro-de-terramar.html
comentários(0)comente



Blog PL 14/02/2017

Leitura Obrigatória!
O Feiticeiro de Terramar foi um livro que surpreendeu em muitos sentidos, não apenas como alta fantasia, mas também como a união de um conjunto de ideias que vivem em perfeita harmonia no belo mundo que é Terramar. Segundo a própria autora, o bom de escrever uma fantasia infanto-juvenil é poder dar asas à imaginação e imaginar um mundo melhor. É exatamente isso que ela retrata e por isso estou ansiosa para ler as continuações. Apesar de ser direcionado a um público jovem e ter menos de 200 páginas, seu conteúdo é rico e a leitura acaba não sendo tão fluida. Entretanto, todo fã de fantasia deve ter O feiticeiro de Terramar como leitura obrigatória, seja ele de que idade for, pois para se aventurar em outras realidades não há exigência de documentação.

site: http://palaciodelivros.blogspot.com.br/2016/10/resenha-o-feiticeiro-de-terramar-ursula.html
comentários(0)comente



Marina Garcia ( 03/02/2017

O Feiticeiro de Terramar (Ciclo Terramar #01) por Ursula K. Le Guin
Publicado originalmente em 1968, O Feiticeiro de Terramar é o primeiro volume da trilogia Ciclo de Terramar escrito pela autora, já conhecida por muitos, Ursula K. Le Guin. No presente livro acompanhamos a história de Ged, antes dele ter se tornado o lendário e poderoso mago Gavião, ou seja, o conhecemos desde sua infância quando o seu dom para a magia despertou, passando pela adolescência, aquele período em que somos impacientes, impulsivos e propensos a cometer uma maior quantidade de erros sem pensar nas consequências. Ged, cego pela vaidade e pelo orgulhoso, acaba libertando um poderoso mal e com isso terá que aprender a lidar com esse fardo que o atormenta e a responsabilidade que assume em sua jornada para consertar o erro que ele mesmo cometeu.

"Nunca lhe ocorreu que o perigo ronda o poder como a sombra persegue a luz? A feitiçaria não é um jogo que jogamos por diversão ou para receber elogios. Pense nisto: toda a palavra, todo ato de nossa arte, é falada e é feita para o bem ou para o mal. Antes de você falar ou fazer, tem que saber o preço a pagar!"

Foi com muita surpresa que comecei a leitura do livro, deixa eu explicar, nos dias de hoje quando alguém chega para você e fala que leu um livro de fantasia como você imagina o enredo desse tal livro? Falando sério, na minha mente logo vem a imagem de batalhas épicas, guerreiros empunhando espadas, luz contra trevas e por aí vai. Não é assim mesmo?

Bom, quando eu vi que não era bem isso minha bola baixou, fiquei meio amuada, pensando que essa provavelmente não seria uma das melhores resenhas que eu faria, não haviam muitas passagens longas de sistemas e sistemas de magia, parecia claro e direto demais, o protagonista mago não me parecia assim tão poderoso, ele por vezes era irritante. Mas, em algum momento da metade do enredo para o final meu cérebro deu um clique e nesse instante tomei um belo tapa na cara. Peço pelo perdão da palavra que vou usar, mas: porra, eu estava no meio de uma fantasia clássica. Aquele gostinho de T.H. White e C.S. Lewis.

"Somente no silêncio a palavra, somente nas trevas a luz, somente na morte a vida: o voo do falcão brilha no céu vazio."

Havia uma jornada, uma grande e sútil jornada, disfarçada naquelas palavras simples destinada aos old-kids de 1968, o pessoal que hoje denominamos de Young Adult. Antes que você pense, não, o final não culminou em uma batalha épica que me fez agarrar o livro como se minha vida dependesse daquilo, mas se trata de autoconhecimento do que carregamos dentro de nós, nem tudo é preto e branco, nem todos são inteiramente santos ou demônios. Pera lá que eu não vou revelar nada, mas saiba que da água de Ursula k. Le Guin beberam muitos autores de fantasia atuais que conhecemos dentre eles foram citados na contracapa do livro Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman, senti que Christopher Paolini também (se bem que ele bebeu de muitas fontes).

Sim, precisei retirar aquele fino véu dos meus olhos, fruto de obras da fantasia contemporânea, e passei a tentar observar essa obra de acordo com sua época, devo acrescentar que foi profundamente esclarecedora a nota final da autora (leitura obrigatória!) e uma parte importante para a formação da minha opinião.

O Feiticeiro de Terramar é um livro agradável e de rápida leitura, um dia basta para você mergulhar na jornada de Ged, pois é disso que a literatura fantástica é feita também, nem tudo é apenas grandes batalhas e tramas políticas profundamente elaboradas, ela é acima de tudo uma jornada sobre heróis, vilões, vigarista e de personagens humanos que convivem com o bem e o mal dentro de si.

site: http://umreinomuitodistante.blogspot.com.br/2017/01/o-feiticeiro-de-terramar-por-ursula-k.html
comentários(0)comente



Estante da Raposa 02/02/2017

Umas das melhores fantasias que já li
O feiticeiro de terramar é um tipo de fantasia diferente de tudo que eu já li. Tanto pela escrita, quanto por sua história em si.
Publicado originalmente em 1968 por Ursula K. Le Guin, é um clássico da literatura fantástica.
Conta a história do Ged(Gavião), um jovem mago, atravessando lugares desconhecido, perseguido por seus erros, em busca de achar um jeito de supera-los. E assim conhecendo a si mesmo. Junto com Ged conhecemos o arquipélago de terramar, suas 90 ilhas, a escola de Roke, amigos e inimigos. " um homem que sabe que seu verdadeiro ser está inteiro não pode ser usado ou possuído por poder nenhum além de si mesmo. Sua vida, portanto, é guiada pelo amor à vida e nunca a serviço dá ruína, dá dor, do ódio ou das trevas." O Feiticeiro de terramar tem uma pegada que eu gosto muito, cheio de metáforas, magia, aventura e aprendizado. É o livro que serviu como inspiração clara para Patrick Rothfuss escrever o Nome do Vento, por também tratar sobre a magia do verdadeiro nome das coisas. Então se você gostou de O Nome do Vento, com certeza vai gostar desse.

site: https://www.instagram.com/estantedaraposa/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Ana Carla 31/01/2017

Confesso que tive certa dificuldade para ler o livro, pois o ritmo da trama é lento, e em vários momentos, fiquei tentada a deixar de lado. Mas é uma história que envolve, e ainda bem que continuei, pois trouxe uma trama diferente das histórias de fantasia que já li, onde me lembrou os enredos clássicos da história fantástica.

É um livro que vale a pena ser lido, mesmo com o inicio um tanto lento. Com certeza, vai conquistar ainda mais fãs. Estou bem curiosa para saber como será o próximo volume, e o amadurecimento do personagem. Uma trama que me conquistou muito.

site: http://www.historias-semfim.com/2016/12/resenha-o-feiticeiro-de-terramar.html
comentários(0)comente



Saleitura 28/01/2017

Primeiramente, "O Feiticeiro de Terramar" já chama a atenção com essa capa perfeita. Depois lendo a sinopse parece que será um livro com muita aventura e magia, os ingredientes certos para os amantes do gênero de fantasia. Conforme vai se apreciando a história, percebe-se que esse livro tem muito mais que oferecer e mostra um jovem herói, um pouco diferente do que nós conhecemos, alguém que se assemelha a nossa realidade, com lados positivos e negativos. E por fim acabei descobrindo que esse livro é um clássico, um pouco menos conhecido, feito em 1967, numa época onde não tinha magos adolescentes e sim feiticeiros famosos como Galdalf e Merlin que eram referências nesse estilo. Sei que vocês querem saber mais, então contarei abaixo detalhadamente e sem dar spoiler (tarefa difícil rsrs) sobre o que eu achei da história da autora Úrsula K. Le Guin.

Ged/Gavião descobre muito cedo o seu dom para magia. Ele mora com o pai, mas é a sua tia bruxa que percebe o seu talento. Devido a um acontecimento no qual Ged precisa usar o seu poder para salvar os habitantes da aldeia onde mora, ele acaba despertando a atenção de um mago chamado Ogion. Impressionado com o poder do menino, ele o convida para ser o seu aprendiz. Mas Ged/Gavião anseia por mais conhecimento, mais aprendizado e o que o seu mestre lhe dá não é o suficiente. Ele quer mais e mais. Por esse motivo Ged/Gavião decide ir para Roke, uma ilha onde tem uma escola para magos. Só que apesar dele ser um menino com grande potencial, ele se deixa levar pelo orgulho e pela vaidade em mostrar o quanto ele é superior aos demais, principalmente em mostrar ao seu desafeto da escola, chamado Jasper, o quanto ele é melhor e mais poderoso. Porém esse episódio, não termina bem, pois Ged liberta um mal, uma sombra das trevas, na qual ele vai precisar procurar e descobrir sozinho um meio de vence-la. E assim começa a jornada de Ged, passando por mares e terras de Terramar, conhecendo pessoas e revendo velhas amizades, lutando com dragões, na tentativa de terminar algo que ele mesmo começou e conquistar novamente a sua paz.

resenha completa no blog ,,,

Resenhado por Vivian San Juan
https://www.skoob.com.br/usuario/136331-vivian-san-juan
Resenha completa no blog

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2017/01/resenha-o-feiticeiro-de-terramar-ciclo.html
comentários(0)comente



Bells (Attraverso le Pagine) 26/01/2017

Em O feiticeiro de Terramar, primeiro livro do Ciclo de Terramar, de Ursula K. Le Guin, conhecemos Duny, uma criança considerada um prodígio em magia ao demonstrar grande poder e inteligência ainda pequeno. Ele inicia então seus estudos em magia com sua tia, uma bruxa de sua terra natal, a aldeia de Gont, que lhe ensina encantamentos simples, mais voltados às atividades no campo.
Ao completar 13 anos, Duny é apresentado ao mago Ogion, que vendo o grande potencial do menino para as artes mágicas, decide leva-lo à sua casa a fim de lhe ensinar o que sabe, que é bem mais avançado o que ele aprenderia na pequena aldeia, fazendo assim com que o menino Duny se torne Ged num renascimento, uma espécie de “rito de passagem” em Terramar.

“[...] Quando se aproximou da margem, Ogion, que estava à sua espera, estendeu-lhe a mão e, ao tocar o braço do garoto, murmurou seu verdadeiro nome: Ged.”
(Ursula K. Le Guin, p. 24)

O agora Ged, apelidado Gavião em decorrência de suas habilidades relacionadas à magia, se mostra ainda mais poderoso e inteligente com o passar dos anos, sempre com a sede aprender mais. E pensando que poderia aprender mais rápido e além daquilo que seu mentor se mostrava disposto a lhe ensinar, Ged se precipita, tentando estudar sozinho algo que está bem a frente de seu nível de habilidade.

“[...] A feitiçaria não é um jogo que jogamos por diversão ou para receber elogios. Pense nisto: toda palavra, todo ato de nossa arte, é falada e é feita para o bem ou para o mal. Antes de você falar ou fazer, tem que saber o preço a pagar.”
(Ursula K. Le Guin, p. 31)

Ogion, vendo que essa ânsia por aprender pode se tornar a ruína de seu aprendiz, lhe dá então duas opções de escolha: ou ele deverá ficar com Ogion e estudar de acordo com seus desígnios, ou deverá ir à Roke e lá completar seus estudos na escola de magia da região. Ged decide então ir à tal escola, onde aprenderá com os melhores magos de Terramar todas as técnicas em magia de acordo com seu nível de aprendizado até que esteja pronto a se tornar também um mago.
Entretanto sua sede por conhecimento mais uma vez ultrapassa seu bom senso, levando-o a um perigo inimaginável. Assim, Ged terá de usar tudo o que tem a seu favor - seu poder e sua inteligência -, encarando perigos e vivendo aventuras repletas de ação e magia ao longo de sua jornada por Terramar.

site: http://attraverso-le-pagine.blogspot.com.br/2017/01/resenha-livro-o-feiticeiro-de-terramar.html
comentários(0)comente



52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4