O Último Adeus

O Último Adeus Cynthia Hand




Resenhas - O Último Adeus


283 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Victor Almeida 16/07/2016

Tem um caroço na minha garganta. Quero deitar no chão abraçado com esse livro e ficar ali.

Amei essa leitura, acho que ficou claro, né? Me surpreendi com a rapidez e o dinamismo do livro, mas o que mais me deixou preso e encantando foi a percepção e a vulnerabilidade da autora. O domínio das palavras. A sinceridade e a sua verdade crua. Eu estou apaixonado pelos personagens, eu estive de luto com eles, eu cresci junto a eles ao longo da jornada, eu vivi cada palavra. É um livro lindo.

A temática de suicídio e todo processo de luto e cura foi abordado aqui de uma forma muito real, emocionante e valorosa. Não foi escrito pra te entreter e emocionar, foi escrito pra gritar essas palavras na sua cara. É uma leitura indispensável.

Sendo um pouco técnico, só tenho a dizer que amei a narrativa, a sucessão dos acontecimentos, a relação dos personagens, a ambientação... tudo. É um livro muito gostoso de ler, apesar de te deixar com uma dor no coração ao acabar. Alguns chamam de sensibilidade, eu chamo de arte.
mara 16/07/2016minha estante
preciso desse livro na minha vidaaaaa


Diego Transpadini | @_mdevaneios 16/07/2016minha estante
Não vejo a hora do meu chegar.


josé 17/07/2016minha estante
Perciso dele??


Erica.Viana 03/12/2016minha estante
Victor , digo o mesmo , fiquei de luto , me emocionei e aceitei junto com cada personagem , é um livro que queria continuar lendo por toda vida , perfeição


Lucia 28/01/2017minha estante
Que resenha bacana.... vou ter que ler o livro.


Fran Carvalho 03/03/2017minha estante
É lindo, é emocionante, é envolvente. Eu já disse que é lindo < 3


Daniela 31/03/2017minha estante
Terminei de ler nesse exato momento e estou aqui parada respirando fundo e pensando "caramba" que livro...muito tocante...recomendadissimo...estou tentanto recuperar o folego ainda.


Tânia (@ritmoliterario) 18/07/2017minha estante
Senti exatamente como você, faz mias se 7 dias que li e esse caroço na garganta não me abandona. B


Leandro 28/07/2017minha estante
Esse livro é realmente maravilhoso!


Lary @momento_literario 01/01/2018minha estante
Amei a resenha. Já favoritei na minha lista?


Lary @momento_literario 03/01/2018minha estante
Amei a resenha. Já está favoritado na minha lista?


Raquel 06/01/2018minha estante
Quando tomo minha decisão de início de ano. Não vou comprar nenhum livro em 2018!!!!
Leio essa resenha e tudo vai por água abaixo. ?
Já tá na minha lista de desejos. ?


Lary @momento_literario 07/01/2018minha estante
Já está favoritado. Amei a resenha




Aninha Pessoni 17/06/2016

QUE LIVRO É ESSE, GENTE??
Livro mais do que favoritado!!
Eu recebi o livro, comecei a ler no mesmo dia e terminei no dia seguinte.
É aquele livro que vc não quer parar de ler, vc não consegue!
A escrita da Cynthia é maravilhosa e envolvente, e é de uma delicadeza absurda. A temática do livro pedia uma escrita delicada, e ela conseguiu!
O livro é maravilhoso por diversos aspectos, mas tentando ser um pouco mais sucinta:
- ele discute sobre o egoísmo humano
- ele discute sobre pais ausentes e como isso influencia nas decisões/sentimentos dos filhos
- ele discute a natureza humana e seus questionamentos
- a história é absolutamente tocante.
Vc cria uma empatia, mesmo não tendo passado por situações semelhantes.
Leiam, por favor!!

site: https://www.youtube.com/watch?v=nYlP5tJil6w
pereira_renata 18/06/2016minha estante
Menina, nem fala...comecei a ler ontem...




Vannie 14/11/2016

Sabe quando você sabe que precisa seguir em frente, mas não consegue?
Só quem sofre a dor da perda de alguém muito próximo sabe como é isso, e o quanto é difícil compartilhar sobre com alguém. Mas Cynthia Hand compartilhou essa experiência com a gente através de Lexie, arrancando lágrimas de muitos leitores, inclusive as minhas. O Último Adeus é um livro que trata sobre suicídio e a depressão de forma delicada e sensível, com uma escrita envolvente e acessível.

O livro é narrado em primeira pessoa por Alexis Riggs (Lexie ou Lex), uma garota que está no fim do colegial. Lex perdeu seu irmão mais velho, Tyler, quando ele decidiu cometer suicídio alguns dias antes do Natal. Agora ela vive apenas com sua mãe, que é divorciada do seu pai e está em uma inconsolável tristeza. Depois de sua mãe insistir bastante, Lex começa a fazer algumas seções de terapia com Dave, e assim, de início contra a própria vontade, começa a escrever sua história e os seus pensamentos como parte da terapia para tentar lidar com tudo o que aconteceu. A partir desse momento, adentramos na vida de Lex e passamos acompanhar o seu dia-a-dia após a esse turbilhão de acontecimentos, como ela tenta ser forte.

Os capítulos alternam entre os acontecimentos do presente e a parte "diário" de Lex com as suas lembranças e memórias sobre Tyler. A convivência dela na casa se resume em ver sua mãe extremamente emotiva, chorando toda hora enquanto tenta ser mais fria e forte para ajudar a mãe. Porém as coisas começam a mudar quando sua mãe começa a sentir que Tyler ainda está vivo, através do perfume dele. Lex nunca apoiou sua mãe e, inicialmente, acreditava que ela estava ficando louca, mas logo começa a ver as coisas dele também, e sentir o fantasma de seu irmão está pedindo ajuda para acabar assuntos irresolvidos. Com isso, Lexie tem que enfrentar seus próprios medos e conflitos,para tentar ajudar Tyler. O bacana é que o livro não deixa claro se o fantasma é real ou não, e isso dá um toque diferente para a história. O irmão realmente apareceu ou foi a mente de Lex que fez isso para ajudá-la a lidar com tudo? Fica a questão.

O livro é bastante viciante, o enredo é fantástico e me prendeu desde o início. Cynthia Hand foi capaz de lidar com o tema de suicídio de uma forma inteligente e emocional, conseguindo adicionar um certo encanto e positivismo na história. A maneira como ela descreveu a dor neste livro realmente mexeu comigo, mas também há partes mais humoradas e, quando menos se espera, a autora junta os pontos da história e cria um final brilhante. É difícil falar desse livro, todos deveriam ler para sentir isso tudo. Como eu disse na resenha de Confissões do Crematório, eu sou uma pessoa que, infelizmente, já sofri muitas perdas na vida, e acompanhar Lex me tocou bastante porque eu consegui me ver, de certa forma, na personagem: suas ações, seu jeito próprio de lidar com as coisas, sua personalidade e até mesmo seu amor pela matemática. O fato dela se parecer tanto comigo só deixou a experiência muito mais intensa pra mim. Enfim, não tenho palavras pra descrever o quanto esse livro me comoveu. É simplesmente lindo e brilhante.

O Último Adeus não é sobre o choque da notícia, nem sobre o funeral. É sobre o que vem depois, quando você precisa seguir, mas é difícil. É sobre as pequenas coisas que te lembram sobre sua perda, sobre buraco no coração que fica, sobre aprender a viver com sua dor. Não tenho palavras para demonstrar o quanto gostei desse livro, o quanto ele me comoveu, me fez pensar sobre muitas coisas. É um livro que eu indico para qualquer pessoa, pois todos nós precisamos aprender a valorizar cada momento da nossa vida com pessoas queridas, aprender a demonstrar melhor nossos sentimentos, ser melhor com quem nos importamos.
comentários(0)comente



Iara 15/06/2016

A história é bem linear, sem um gigantesco mistério ou ações mirabolantes. A personagem principal tem a mente de uma adolescente (logo, é um buraco negro) e acompanhamos ela após o trágico suicídio do irmão. Perante a mãe alcoólatra, o pai distante e os amigos que não sabem lidar com a situação, temos na Lex a mistura de raiva, insatisfação e aquela aparência de alguém que quer ser forte, que diz não precisar de ajuda, mesmo que esteja destruída por dentro.
A história é rápida de ler, o livro corre muito bem, a história é simples e fácil de ser compreendida.
"Poxa, mas deu 4 estrelas por que então Iara?" Acho que por não ter irmãos, nem ter passado por um trauma assim na minha vida (perder uma pessoa próxima), e me senti um pouco distante da Lex, a personagem principal. Me comovi com a história dela, caiu uma lagrimazinha aqui e ali, mas não sei que sentimentos sentir quando eu não tenho nem irmão, nem alguma perda familiar, rs. Me senti como uma amiga que viu a história de fora, não de dentro.
O livro é ótimo!
Eduardo.Dallana 17/06/2016minha estante
Que menos 1 estrela mais esquisita..." Ah.....a protagonista do livro é uma menina e como sou menino não me senti dentro do universo do livro" ou "Ah.....eu só tenho irmã, não me senti dentro do universo do livro pois envolve um irmão".....Poupe-me !!! rs!
5 estrelas!!!
Abs!!!


Barbara 24/06/2016minha estante
Iara, sabe me dizer se vão lançar a versão em ebook desse livro????

Ah, comecei a ler Fangirl ontem, depois de ver tantas indicações suas no Conto em Canto, e tô apaixonaaaada pelo livro!

Grande beijo!


Iara 28/06/2016minha estante
Barbara, acho que não. A Darkside é uma das poucas editoras que ainda não tem muitos ebooks. Mas vou confirmar com eles, e aviso lá no twitter ou no canal ok?


Barbara 15/07/2016minha estante
Certo!!!!! Estou lendo The Kiss Of Deception, é incrível como temos o mesmo gosto pra livros! Hahahahahaha


Iara 17/07/2016minha estante
Uhuul, está curtindo?


Grazillam 20/07/2016minha estante
undefined


Barbara 26/07/2016minha estante
Demais! Já terminei, e fiquei de boca aberta no final. Que livro maravilhoso!!!!




Bruna 02/12/2016

Nunca deixe nada para depois...
A resenha de hoje é de um livro que para mim foi uma das melhores leituras de 2016, me atrevo até a dizer que foi a melhor do ano... Enquanto venho registrar o que eu achei da obra e o porque dela ser tão encantadora, tenho que dizer a vocês que foi uma grata surpresa cada página e que não imaginaria que ao chegar ao fim eu ficaria tão perdida e sem saber o que fazer como fiquei – mesmo que a Ana Gabriela do Bela Psicose já tivesse me avisado. Sem mais delongas o livro de hoje é O Último Adeus da autora Cynthia Hand e publicado pela DarkSide. E esse livro é puramente DarkLove!


Morte, constantemente pensamos sobre ela ou ela vem nos mostrar que está presente a todo o momento. Pode ser quando um ente querido já é mais velho, pode ser aquela jovem que é acometida por uma doença do nada e acaba falecendo, pode ser um acidente trágico ou pode ser alguém que de tão vazio que se encontrava acha que a melhor solução é se entregar a ela... Independente do motivo, temos uma única certeza: uma hora todos serão acompanhados por ela.

No entanto, para aqueles que se vão parece ser fácil, afinal não são eles que não estão mais presentes deixando para trás toda a saudade e corações partidos pela sua partida... E é exatamente sobre a vida de quem fica quando alguém se vai que é O Último Adeus!

“Claro, não faz sentido ficar brava. É improdutivo. Eles ainda não entendem. Que estão esperando por aquele telefonema que mudará tudo. Que cada um vai acabar se sentindo como eu. Porque alguém que eles amam vai morrer. É uma das certezas mais cruéis da vida.”

Ty era um jovem popular e que parecia não ter motivo algum para querer se matar, claro que o fato de seus pais terem se separado – ou melhor, o pai ter se apaixonado por outra mulher e abandonado a família – e eles não terem muito dinheiro após o divórcio tornavam as coisas um pouco mais complicadas, ele possuía o essencial: uma mãe e uma irmã que o amavam. No entanto, nem mesmo isso o impediu de ir até a garagem junta a uma arma e se matar deixando para trás as duas...

Alexia é uma jovem bonita e um pouco muito nerd e apaixonada por calculo, prestes a terminar o terceiro ano e iniciar sua universidade, o MIT – se tudo a ajudasse -; no entanto, ela não imaginaria que seu irmão mais novo seria capaz de um ato tão cruel como se matar as deixando aqui para lidar com a dor... O que antes não era perfeito em sua vida só vem ficar pior depois do suicídio de seu irmão, a culpa a corroí o tempo todo por não ter evitado que acontecesse e a dor e falta que ele deixou na vida dela, mas principalmente na de sua mãe é algo insuportável.

É exatamente a partir desse ponto, quando ela esta no consultório do Dr. Dave, seu terapeuta, que o livro se inicia. Quando após inúmeras sessões ela insiste em permanecer fechada e sem falar nada, ele resolve abordar outra tática e entrega a ela um caderno com uma missão: escrever o primeiro e o ultimo momento bom que se lembra de ter com Ty – um rosto que insiste em fugir e desaparecer lentamente de sua memória e que ela teme jamais conseguir lembrar sem ser associado à imagem de seu corpo morto.

“Mas a página em branco boceja para mim. A caneta não parece natural na minha mão. É muito mais pesada do que o lápis. Permanente. Não existem borrachas na vida.
Eu riscaria tudo e começaria de novo.”

No inicio ela se ressente com Dave e acha a maior besteira do mundo esse lance de escrever, afinal ela nunca foi fã de diários e dúvida muito que isso vá preencher o buraco que insiste em se abrir e a deixar sem ar em seu peito. Mesmo assim ela inicia sua escrita e nos permite conhecer um pouco mais sobre sua vida, sua família, seus problemas, suas culpas e sobre seu irmão e os últimos acontecimentos relacionados a ele.

É a partir dos relatos do passado e dos acontecimentos do presente, que então passamos a nos ver envolvidos na vida de Lex e em como ela viu tudo mudar. Vamos vendo aos poucos como ela se afastou de seus amigos, terminou seu namoro e passou a viver isolada como se não pudesse ou não fosse mais capaz de ser feliz outra vez; não quando seu irmão se matou e ela não o impediu; não quando ela não pode lhe dar seu último adeus...

“Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio.”
Eu poderia ficar comentando sobre esse livro até amanhã, não se espantem se verem um vídeo sobre ele também no canal... É apenas que esse livro é tão profundo e encantador e incrível, que é impossível que não se queira falar de cada detalhe, relembrar cada parte, apenas para não ter que lidar com o fim da leitura. No entanto, a emoção e o encantamento que se tem ao ir desvendando essa história é algo que eu quero que vocês tenham e é por isso que eu jamais tiraria a oportunidade de vocês.

Depois de ler A lista Negra, eu achei que jamais iria encontrar um livro tão incrível quanto e me deparei com os 10 porquês que foi tão incrível quanto (e também a primeira resenha aqui no blog), mas depois dessa leitura posso dizer sem dúvidas que nenhum dos dois me conquistou tanto quanto O Último Adeus e que cada pessoa que ainda não o leu, ainda, precisa o ler imediatamente.

Uma linda mensagem de reencontro, de dor e perda, de superação, de lembranças e de nunca deixa de demonstrar seus sentimentos uma vez que nunca sabemos o que poderá acontecer no segundo seguinte. Pegue, leia e embarque nessa história, aprenda com a Lex e amadureça junto com ela; se prepare para as lágrimas pois elas são inevitáveis, mas saiba que risadas também a aguardam e principalmente se prepare para uma verdadeira história de amor...


site: www.brookebells.com
C 05/12/2016minha estante
Oi, adorei sua resenha, me deixou com uma vontade enorme de ler o último adeus!! Parabéns pela resenha.




Anna Costa 18/06/2016

Livro emocionante
Lex é uma jovem que não sabe muito bem como comunicar seus sentimentos, e tem sido cada vez mais difícil depois que seu irmão Ty se matou, dois meses antes. Seu terapeuta lhe entrega um diário e pede para que tente escrever seus sentimentos e pensamentos, o que ela duvida que seja possível, mas tenta. O que temos nas mãos nesse livro é o diário de Lex e as coisas que ela vive enquanto escreve sobre Ty, enquanto sente sua presença o tempo todo.

Sua história é reconstruída desde o divórcio de seus pais, sua família se desfazendo sem que ela ou o irmão possam fazer qualquer coisa. Seu irmão vai ficando triste e tenta se matar mas é impedido a tempo, sobrevive. As pessoas jamais achavam que ele poderia tentar novamente. Ele parecia bem. Ele jamais tocou no assunto de novo.


É um livro difícil porque a descrição desses sentimentos é muito verdadeira, e esses não são sentimentos bonitos. Mas ao mesmo tempo somos levados a continuar lendo, afinal queremos saber o que aconteceu com Ty, e porque Lex se culpa tanto, e, mais ainda, se ela vai ficar bem no fim das contas, porque ela sofre o livro inteiro e é muito difícil ser um expectador impotente diante de tanto sofrimento.

site: http://www.annacstt.com/2016/06/resenha-o-ultimo-adeus.html
comentários(0)comente



Raquel Pagno 22/08/2016

Decepção total...
Não sei pq a Darkside publicou esse livro. Não é terror, não é fantasia, nem sequer é um bom drama. Tem pouquíssimas frases/trechos de efeito e uma única cena de ação. Até a página 250, mais ou menos, é uma mesma repetição de enrolações. Dei duas estrelas pela edição bonitinha, pelo enredo, teria dado apenas uma.
Achei esse livro uma cópia fajuta de O Céu Está em Todo Lugar, de Jandy Nelson. Há muitas semelhanças, porém, o livro da Jandy é incrível, enquanto esse, entediante.
LidoLendo 23/08/2016minha estante
Raquel, é o novo selo da Dark Side: Dark Love. São livros mais leves com alguma pitada de suspense ou sobrenatural. Digamos que são livros mais fofinhos e voltado para um publico alvo bem específico, que é o YA. Considerando tudo isso, achei uma boa história... Não me encantou nem nada... e acho que se eu fosse uns 20 anos mais nova, teria gostado bem mais rs ;)




Lia 14/08/2016

Não amei, só gostei...
Alexis é uma garota que começa nos falando que o irmão mais novo se suicidou há uns meses e ela está escrevendo um diário seguindo recomendação de seu terapeuta.

Os pais são separados e ela mora com a mãe - que parece beeeeem deprimida, tanto que não dá nenhum suporte para a filha (achei isso bem irritante). Mas é uma passagem da vida dela, a saída da adolescência (ela tem 17 anos qdo tudo acontece)...

Várias teorias são mostradas nesse livro... parece que vai ser um livro de fantasma, mas não é não... ele não afirma nada, mas explica muitas coisas que ficam na nossa cabeça quando perdemos alguém que amamos... Quando comecei a ficar com raiva da Alex ela toma uma atitude, com tapa na cara e tudo! :D

Tive uma experiência parecida com a dela e não fiz nada do que ela fez... mas os motivos foram diferentes, um pouco... bom, sempre é diferente, mas enfim... todo mundo sofre... o caso é que não me identifiquei com a personagem, talvez por isso eu não tenha AMADO o livro... só... gostei...

site: https://youtu.be/HiACnhzdX8I
comentários(0)comente



De Olivato - @olivatobooks 07/11/2016

Você não vai se arrepender dessa leitura.
(Desculpe, mãe, mas eu estava muito vazio.)

Este livro conta a história de Lexie, uma garota de 18 anos que não consegue superar o fato de que seu irmão se matou por se sentir “vazio”. Para ajudá-la a seguir em frente com a vida, seu terapeuta sugere que ela comece a escrever um diário, o que Lex acha absurdo e sem lógica alguma.

(Os fatos. Devemos aprender a lidar com os fatos.)

Com os pais divorciados e o irmão morto, Lex começa a se afastar das pessoas, não porque ela quer, mas sim porque ela não sabe como continuar a vida em uma cidade pequena.

(Não existem borrachas na vida. Eu riscaria tudo e começaria de novo.)

O Último Adeus fala sobre dar segundas chances para o mundo, sobre a amizade, superação e laços de apoio, sobre o perdão e sobre se perdoar, eu demorei um pouco para começar essa leitura porque estava adiando o que ele ia me fazer sentir e ele não me decepcionou, concordei com a personagem principal em alguns momentos e discordei em outros, eu sentia ela como alguém que eu conhecia, um amigo que eu poderia discutir as atitudes que não aprovava e aplaudir os que eu considerava certos.

(As pessoas que amamos nunca se vão de verdade) (Sim, você sabe de uma coisa? Você deveria fazer adesivos de carros ou coisa assim. Essa frase é profunda. Tocante).

Eu achei difícil escrever essa resenha, porque ele me fez repensar alguns livros que eu li, sobre romantizar o suicídio e esse tipo de coisa, é extremamente estimulante quando o livro faz com que tenhamos que sair da nossa zona de conforto.

(Amo você como a planta que nunca floresce, mas que carrega em si a luz de flores escondidas.)

No Skoob, dei 5 estrelas e favoritei, eu recomendo muito esse livro e queria deixar um pensamento de que pausem por um segundo a vida apressada de trabalhos escolares, contas da casa ou a busca por trabalhos, parem e simplesmente olhem as pessoas a sua volta é difícil de acreditar, mas as últimas palavras que você disser, pode ser as ultimas palavras que você vai poder dizer para a pessoa, não existe um último adeus.

site: https://www.instagram.com/p/BMg9TRnDuA3/
comentários(0)comente



Thally 19/10/2017

Acabei de ler o último adeus agora e porra .....
Eu não consigo entender ainda como uma pessoa tem coragem de tirar a própria vida e não tem coragem de tentar passar pelos dias sombrios ... Estou sem chão , sabe ? Não tem coisa mais egoísta que isso pra mim... Sério , eu sei que cada um tem sua dor... E que tem dias que parece impossível passar . Mais eu acredito nos dias melhores tbem .... Temos que acreditar, temos que aprender a sentir a dor e superar ela, não eh fácil eu sei ... Mais eh Ben vindo ao coração e a mente qdo a gente vençe . #precisavadesabafar #decoraçãopartido
Thally 19/10/2017minha estante
*vence


Tiago 18/12/2017minha estante
Thally suicídio é algo muito pessoal. Acho que na maioria dos casos é preciso mais coragem para acabar com a própria vida do que continuar lutando. É mais fácil continuar na inercia da luta do que ter a coragem de seguir por um caminho que ninguém sabe onde vai dar. É claro que suicídio é uma tragedia, algo terrível e fruto de um desespero tremendo, mas em algumas situações vejo o ato como uma forma de proteger a vida, do ponto de vista de quem sofre.


Layla 28/12/2017minha estante
A pessoa que chega ao ponto de cometer suicídio não consegue ver outra alternativa. Não e como estar num dia ruim, ou estar triste por algo, e acreditar minimamente que as coisas vão melhorar. Não existe essa possibilidade. É difícil se colocar nessa posição porque vencemos 100% dos nossos dias ruins e racionalmente falando sabemos que há sempre uma saída. Mas pra alguém chegar nesse ponto, nesse nível de desespero, não há uma saída possível que faça diminuir a dor. Não é mais um probleminha, uma coisa superável, é toda a existência que começa a doer e você simplesmente quer fazer com que pare. Não importa mais os parentes, os amigos, as pessoas próximas, só importa parar o sofrimento, e isso não é egoísmo, é puro desespero. Ninguém pode mensurar o quanto aquela pessoa ta se despedaçando em vida. Nem os seus piores dias se comparam. É muito difícil ter empatia nesses casos porque não é algo que possamos sequer imaginar, mas é preciso.




Caroline Soares Pelegrini 31/07/2016

O último adeus
Desde que o livro foi lançado e que vi a sinopse fiquei louca para ler. Quem me conhece sabe que esse tema mexe demais comigo, por ter um parente próximo e muito querido que se suicidou.
O livro trouxe a tona em mim sentimentos que eu achava que já tinha superado, feridas que sinceramente no fundo sabemos que não vão sarar nunca.
Adorei a escrita da autora, a personagem criada por ela e o amadurecimento da mesma. A vida segue e nós temos que aprender a lidar com certas dores nessa vida.
Cinco estrelas e favoritado.
comentários(0)comente



Carla 15/12/2016

"Desculpa, mãe, eu estava muito vazio."
Alexis, ou Lex, tem 18 anos e acabou de perder seu irmão, Ty, para o suicídio. Quando ela começa a se consultar com um terapeuta, ele sugere que ela escreva um diário, que mesmo contra sua vontade ela começa a escrevê-lo. Lex relembra seus últimos momentos felizes com o seu irmão, seus sentimentos em relação a perda, seus conflitos pessoais e familiares e a sua passagem pelos estágios do luto. Essa é uma história sobre alguém tentando descobrir como sobreviver quando alguém que amamos se vai. Como sobreviver. Como aceitar. Como perdoar.

Essa é uma leitura completamente sensível. Faz com que nos questionemos sobre tantas coisas. Ty era um garoto jovem, bonito, de muitos amigos e popular na escola, amado pela família e isso não foi o suficiente. O divórcio dos pais feriu Ty demais. Um jovem com toda vida pela frente, saudável, com uma família que o amava. Não foi o suficiente. Ty não pediu ajuda, ninguém notou que ele estava se sentindo vazio. Ele achou que a única saída era tirar a própria vida...

Alexis, se isola dos seus amigos, termina com seu namorado e acha que está enlouquecendo porque sente o cheiro e vê seu irmão constantemente pela casa. Ela se sente culpada por seu irmão ter tirado a própria vida. E, conforme ela escreve em seu diário, a vemos passar pelos estágios do seu luto e é tão bonito quando ela amadurece, o seu processo de aceitação, o perdão.

"O perdão é confuso, Alexis, porque, no fim, tem mais a ver com você do que com a pessoa que está sendo perdoada."

Ela nos faz sentir como dói a perda de alguém que amamos, como inconsciente não aceitamos a sua morte e como nos torturamos pensando o que podia ter sido feito para evitar.

"As pessoas que amamos nunca se vão de verdade."

É uma leitura incrível, com uma super carga emocional e uma escrita deliciosa que tem tudo a ver com a temática. Cynthia Hand nos contou uma história com maestria.

Os chorões e sensíveis de plantão, prepara os lencinhos.


"Isso vai parecer meio lugar-comum, acho, mas nunca se sabe quando vai ser a última vez. Que você abraça alguém. Que você beija. Que você se despede."

site: @cfelzembooks
Line - @areadergirl 15/12/2016minha estante
Vou querer ler com certeza!


Carla 16/12/2016minha estante
Leia! É maravilhoso! *-*




Daniela Lotero 27/08/2016

Sem palavras :)
Pensa num livro foda
Uma hora tava rindo na outra chorando horrores
comentários(0)comente



João 20/11/2016

"O Último Adeus"

Fazem sete semanas que Ty,o irmão de Lex se suicidou.Aos dezessete anos Ty decidiu que não podia mais continuar a viver e deu um tiro no peito.Mas esse tiro não levou só a vida de Ty.Levou também toda a vida que Lex e a mãe dela conheciam.

O Último Adeus é um livro que fala de dor,de perda,de escuridão,de vazios,de suicídio e de perdão.O livro é tocante em algumas partes,sarcástico em outras,sombrio algumas vezes.É um livro pra se ler com o coração aberto,e para refletir também.Vi algumas críticas sobre o livro antes de ler e acredito que cada um tem sua opinião e respeito todas,mas creio também que em um livro como esse só quem esteve perto ou viveu toda essa escuridão do livro pode compreender o que a autora quer passar.O Último Adeus não é um livro pra se comparar com outros livros juvenis da moda,não é um livro pra se divertir,ou fazer dele uma bíblia.Esse é um livro para sentir,para refletir.
Algumas partes do livro eu senti o buraco que Lex sentia no peito.O buraco que quer nos puxar pra baixo,nos engolir nos levar para a escuridão total.Terminei o livro com um nó na garganta.E meu maior sentimento ao acabar esse livro foi gratidão.Por ter tido a oportunidade de lê-lo.

"O perdão é confuso,porque,no fim,tem mais a ver com você do que com a pessoa que está sendo perdoada."

"Você não poderia tê-lo salvado.Ninguém além dele mesmo poderia tê-lo salvado.Ele não ligou para ser salvo.Ligou para dizer o último adeus."

"Sinto saudades.Sempre vou sentir."
Sinto saudade de você também...muita."

Enfim,uma excelente leitura!!
comentários(0)comente



Neto 30/10/2016

Ir com calma
Vou com calma e analisar os livros que compro porque no fim capa e edição não são tudo. Comecei a ler e o início é bem interessante mas a história foi passando e não mostrou a que veio. Não tem uma coisa que me faça dizer "isso é o que tornou o livro legal, irei reler e vou recomendar". Achava que ia ser surpreendido num dado momento da história mas não, nada acontece. A autora perdeu a chance de bolar algo, ter criatividade. Porque no fim tirando o nome enorme dela da capa passaria facilmente por um livro do John Green.
E a coisa mais absurda que em uma passagem de uma carta que a personagem do livro escreve " (...) seu esperma" tipo... "OI?" não sei se foi tradução errada ou autora meteu ali sem mais.
Darksidebooks não sei mesmo porque vc publicou esse livro pq de sobrenatural ou dark não tem nada mas poderia ter, esse é o problema.
Bianca 30/12/2016minha estante
undefined




283 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |