As Letras do Amor

As Letras do Amor Paula Ottoni




Resenhas - As Letras do Amor


38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Oceano 12/11/2020

É um livro ok. Não diria que é um dos melhores, embora não me arrependa de ler. Um ponto positivo do livro é que a personagem principal e seus interesses amorosos são bem fáceis de gostar, mas a leitura não me foi tão envolvente quanto poderia ter sido. Mas a escritora é talentosa.
comentários(0)comente



Mary 03/08/2020

Bom , Para Um Domingo A Tarde.
É um Romance Fofo , Que Aborda alguns temas Como Primeiros relacionamentos , auto descoberta pessoal e profissional , mais contém muita narrativa e isso me incomodou um pouco , acho que se tivesse menos teria sido uma leitura mais cativante.
comentários(0)comente



Jenny 19/03/2020

Maravilhoso!
Entrou fácil nos meus livros NA favoritos! Uma leitura leve, cheia de surpresas. Com uma protagonista em busca do seu próprio eu e sua felicidade.
comentários(0)comente



Vinicius.Correa 15/02/2020

A sinopse por si só já faz um resumo bem detalhado do livro, pois como diz ai em cima, a história começa com Bianca, uma adolescente de 19 anos que mantém uma ótima relação com Miguel. Contudo, ainda muito indecisa do que quer fazer da vida, Bianca resolve abandonar o curso de pedagogia, e como se não bastasse isso, sua casa está uma verdadeira bagunça com o típico clima de um casal prestes a se divorciar. Entretanto, eis que surge Miguel, o seu namorado perfeito, para lhe salvar. Miguel é filho de um empresário muito bem sucedido e que é mandado pelo pai para Roma, com a missão de abrir uma filial da empresa lá. Um último teste antes dele começar a administrar os bens da família sozinho. O sucesso dessa filial em Roma decidiria seu futuro. E para lhe dar apoio ele convida Bianca para ir lá com ele e lhe dar apoio durante 6 meses, tempo em que seria necessário para a inauguração da loja.

Bianca apesar de em dúvida se seria certo ou não, resolve aceitar o convite e seguir em frente. Rumo a Roma. Rumo a novos horizontes. Rumo à uma vida nova, por pelo menos seis meses. O casal estava combinado de ficar em um quarto no apartamento de Enzo, um velho amigo de Miguel. Enzo é um cara tímido, inteligente e extremamente atraente, com uma personalidade muito calma e pacifica. Já Bianca é uma pessoa ainda em transformação, com muitas dúvidas ainda com 19 anos. Logo que chegou a Roma e conheceu Enzo, ela já se tornou uma grande amiga dele. Com o passar do tempo, Miguel ficou cada vez mais envolvido com a montagem da loja, e consequentemente, mais afastado de Bianca. Passando menos tempo com ela. Menos tempo do que ela gostaria. Enquanto ele estava ausente, Bianca acabou tornando-se uma grande companheira de Enzo, jogando video game com ele e até mesmo indo visitar os pontos turísticos da cidade. Pouco a pouco, ambos foram percebendo o que estava acontecendo. Os sentimentos de Bianca por Miguel já não eram mais os mesmos, e o namorado tão perfeito de antes, acabou por perder seu brilho. Entretanto, Bianca e Miguel foram sensatos e não deixaram-se possuir-se pelo pecado. Acabaram por afastarem-se um do outro (ainda que morassem no mesmo apartamento... Mas ah, vocês me entenderam! Diminuir as conversas, se ver menos, essas coisas ai...).

Bianca dedicou-se inteiramente ao curso de Italiano, já que ela tinha profundas raízes italianas em seu sangue. Inclusive tinha cidadania Italiana, já que seu pai era um Italiano, por mais que há muito tempo não visitasse sua cidade natal. Já sua filha, não se envolvia muito com esses assuntos, mas encontrou nesta viagem a suas origens uma vontade inexplicável de tornar-se digna de possuir tal cidadania, e para isso, é claro, é obrigação saber falar o Italiano. Enzo voltou a ter as aulas da sua faculdade de Engenharia e mantém-se muito ocupado. Já Miguel, notou que algo não estava normal, mas por confiar cegamente em seu melhor amigo, Enzo, não deu bola. Entretanto seu relacionamento com Bianca só piorava. Ele chegava tarde do trabalho, mal se cumprimentavam e ele já dormia. Bianca sentia-se na obrigação de não deixar acabar um relacionamento que já tinha lhe feito tão bem anteriormente, e insistia na relação, iludindo-se a sí mesmo de que a antiga paixão que tinha por Miguel voltaria, já que largar tudo e ficar com Enzo era inquestionável. Havia muitas coisas em jogo nessa história, e muitas pessoas sairiam feridas.

As Letras do Amor é um livro extremamente clichê, um daqueles que tem um final previsível mas que ainda assim tem o espetacular poder de nos prender em sua história. A maneira com que tudo se desenvolve é de uma forma tão simples que se torna algo bom de ler, resultando em uma leitura rápida e gostosa. Mas, apesar de ser um livro bom, a história não é muito complexa, então não espere um livro com revelações e reviravoltas de cair o fôlego, mas esteja ciente, de que é um livro com um clichê muito bem produzido pra agradar a todos.

Em relação ao personagens, achei o Enzo uma ótima pessoa. Equilibrado, calmo e engraçado. Já Bianca, é ainda uma pessoa muito indecisa, que ainda tem muitas dúvidas e que nas horas do "vamo ver" fica fazendo muito mimimi em vez de dar a cara a tapa e ser realmente uma adulta formada. Entretanto, não deixa de ser uma personagem encantadora, que ao final do livro se demonstra ser uma pessoa totalmente diferente devido a sua temporada em Roma. Já com Miguel, eu não o considero como o vilão da história. Poxa, o cara errou sim, mas também teve seus motivos. Poderia ter sido diferente, mas não foi. Na vida real acontece a mesma coisa, então não devemos esperar que aconteça algo diferente por aqui.

Já sobre o acabamento, estou sem palavras. A diagramação do livro está perfeita e adorei terem escolhido uma playlist para cada capitulo. Mas confesso que não escutei nenhuma das musicas, só gostei da idéia mesmo, pois muita gente gosta de ler enquanto ouve musica, dai assim, traria uma experiência maravilhosa ao leitor. Sobre a capa, gostei, mas não tanto assim...

Concluindo, não deixe de ler este livro. Perda de tempo ele não é. É uma leitura extremamente agradável e perfeita para ser lida após um livro muito denso, pois teria um contraste ideal para equilibrar nosso cérebro, já que o teor de sua história é leve e tranquilo, apesar de ter uns momentos de tensão... ueheuheuh

site: http://decidindose.blogspot.com/2016/09/resenha-as-letras-do-amor-paula-ottoni.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



simone 28/12/2019

Bianca atravessou o oceano achando que seu único desafio seria dividir um quarto com Miguel, porém morar em Roma seria bem diferente do que imaginou.......
Seria encantador!
comentários(0)comente



Nanaths 17/12/2019

perrrrrrrfeito
perfeito
comentários(0)comente



Iara.Antunes 30/08/2019

Temos muitas dúvidas sobre o que escolher como profissão e sobre relacionamentos tanto no amor quanto na amizade.

A história é sobre Bianca que vai se mudar com namorado Miguel para Roma e mora na casa do amigo dele Enzo para tentar se descobrir sobre o que seguir e colocar um rumo na sua vida e fugir da realidade delicada dos seus pais em processo de separação.

Nesta viagem de seis meses em outro país Bianca irá se encontrar e amadurecer descobrir o que quer ser e ver que seu relacionamento não era bem aquilo que ela acreditava, mas será que deve insistir nisso ou só uma fase ruim no relacionamento?

Além disso ela descobre que o amor é muito mais do só contato físico e que um relacionamento se construí sendo presente e tendo suas semelhanças e diferenças respeitando o espaço e tempo de cada um.

Este livro me surpreendeu positivamente como foi contato sobre as dúvidas de Bianca e como ela foi amadurecendo no processo trazendo boas reflexões.


Mathias.Weirich 02/09/2019minha estante
Adorei! Mais um livro para minha lista de uturas leituras!


Iara.Antunes 03/09/2019minha estante
Eva hahaha




Ana Karolê || @anakaroline_gc 25/12/2018

As letras do amor são as mesmas letras de Roma.
Então, o que dizer desse livro que é uma gracinha? É aquela típica história do "sair de si mesmo para conhecer a si mesmo". E foi o que aconteceu com Bianca.
Uma italiana fake, recebeu a cidadania por seu pai, mas não sabe absolutamente nada de concreto sobre a Itália e, através de uma oportunidade de morar 6 meses em Roma com seu namorado, ela acaba se descobrindo de um modo "una vera italiana, ma dai!".
Miguel, o seu namorado, deve ir a Itália com a missão de abrir uma filial de sua empresa familiar e Bianca quer aproveitar a situação para descobrir a sua verdadeira vocação - ela abandonou a graduação que estava cursando - e como um casal, vão dividir um apê na capital italiana com um grande amigo do seu boy, o nerd, lindo e italiano Enzo.
Entre admissões e demissões de seus empregos, as aulas no curso de italiano, as voltas na cidade com sua bicicleta adquirida, passeios por ruas de arquitetura inigualável, 'gelatti e paste', ela descobre mais que um rumo na vida.
Como a capa do livro já nos traz: "Ela foi mais longe para descobrir o amor tão perto". E começa o jogo de estar ou não apaixonada por duas pessoas, que são amigos, que dividem o mesmo teto ... ah, sem contar na amiga dela que é afim de Enzo. Realmente, é uma confusão formada. (sobrou até para o Padre Domenico). É o querer e não poder, ou pior, querer, saber que quer e mentir a si mesmo afirmando que não quer e tudo ficará bem. Como bem disse Enzo "Acho que tudo depende da sorte de encontrar alguém que combina com você. Há bilhões de pessoas no mundo, mas parece que podemos nos dar bem com apenas algumas poucas, e elas nem sempre cruzam o nosso caminho. (...) E, as vezes, quando achamos essas pessoas, elas não estão disponíveis para nós." (pag. 89).
Bom, daí em diante, é só acompanhar a trajetória desse triângulo amoroso e bem enrolado de Bi, Mig e Enzo que, a cada página nos faz torcer, desesperar-se e querer estar no lugar de um certo alguém.
O lindo do livro é que eu, particularmente, pude lembrar tudo que eu vivi na Itália quando morei um ano em Roma: toda a vida, as descobertas diárias, o aprendizado da língua, os amores italianos (porque sim!), a arquitetura, mas a magia da cidade é o que mais me faz falta. "(...) a experiência de morar sozinho é ótima para que você possa conhecer a si mesmo."(Pág. 39).
A dúvida na hora da volta é o que mais nos confunde - ficar ou voltar, eis a questão. "Lembrar que voltarei ao Brasil é uma espécie de choque. Na maior parte do tempo é como se minha mente tivesse se acostumado à ideia de ficar pra sempre onde estou."(pág. 109).
Roma e Veneza, minhas cidades italianas preferidas (Siena também) foram lindamente descritas na narrativa, o que fez com que eu me apegasse mais ainda à trama ...
ROMA - "Enquanto dirigimos para nosso endereço, observo da janela do banco de trás as maravilhas arquitetônicas que meus olhos conseguem capar. JÁ AMO ROMA. Um sorriso enorme se abre em meu roso ao ver praças, os prédios centenários, as ruínas espalhadas como intrusos bem-vindos... os turistas caminhando sob a lus do sol, misturando-se aos italianos em suas atividades finas e corriqueiras. Afinal, tudo é charmoso, superando qualquer expectativa."(Pag.19) // (...) lá dentro fico fascinada com a grandiosidade daquela estrutura, imaginando como ela deveria ser na época do Império Romano, com gladiadores e todo o espetáculo sangrento na arena.Em meio a tantos turistas, em uma edificação de arquitetura tão fascinante, é fácil esquecer a verdadeira razão de aquilo um dia ter sido construído" (pag. 22)
VENEZA - "A arquitetura da cidade é totalmente peculiar, diferente de tudo o que eu já tenha visto, até mesmo na Itália. Enzo me explica que a mistura que se vê, esse estilo único, é devido aos diferentes povos que passaram por aqui no passado. Veneza era uma ponte entre o Ocidente e o Oriente, por isso consigo ver em alguns detalhes, como em torres e janelas, elementos e traços de influência oriental." (pág. 105).
A narrativa é bem leve, tem uma temporalidade e umas questões interessantes: o certo e o errado, o se colocar em primeiro lugar ou deixar a felicidades dos próximos acima de si mesmo, é um situação complicada!
E é isso! Posso ter me empolgado com a resenha por falar de Itália e muitas lembranças virem a tona, mas essa é uma leitura bem leve, pra quem quer algo divertido e sem pesos.

P.S. A 4a estrela da minha avaliação foi por Roma ♥ r.o.m.a.m.o.r sempre!
Noely Fernanda 25/12/2018minha estante
Deu vontade de ler logoooo kkkkk arrasou demais


Ana Karolê || @anakaroline_gc 04/01/2019minha estante
Pois pegue lá em casa e leia , gata ahhaha




Evellyn 09/12/2018

Preciso sair de casa mais vezes
Chamam de taralicagem e tals, mas no lugar da personagem eu faria o mesmo.
Certo que eu não levei muita fé e comecei a ler sem esperar nada, mas ao desenrolar da historia eu simplesmente me apaixonei.

O que era para ser uma viagem romântica, se tornou em uma forma de encontrar finalmente seu lugar no mundo, foi isso que a personagem encontrou quando resolveu viajar para outro país com o namorado e por acaso encontrou de pacote quem sabe seu verdadeiro amor e uma nova e renovada identidade.
comentários(0)comente



Rita.Flôres 01/08/2018

Ah, o amor...
Sinopse
“Bianca acabou de largar um curso de graduação de que não gostava, seus pais vão se divorciar e seus irmãos pequenos estão cada dia mais barulhentos. A oportunidade perfeita de escapar surge quando seu namorado, Miguel, resolve ir a Roma abrir uma empresa para o pai. Bianca decide que aprender italiano, arrumar um trabalho temporário e ajudar Miguel em seu negócio será um bom começo. O que parecia um sonho, porém, torna-se uma incerteza ainda maior quando Miguel fica sempre fora de casa, os empregos de Bianca não duram mais que uma semana, e, cada dia mais próxima de Enzo – o melhor amigo de Miguel, com quem moram –, ela começa a questionar seus sentimentos. Perdida em conflitos amorosos e angustiada por não saber o que será de sua vida ao fim daqueles seis meses, Bianca passa por uma série de situações de crescimento pessoal que vão testá-la e ajudá-la a descobrir o que fazer com o futuro, que vem chegando depressa demais.”

O que tenho a comentar sobre esse livro... Clichê! Um livro que conta a história de Bianca Marino, uma jovem brasileira com cidadania italiana, de quase vinte anos, que tem dois irmãos pequenos, Breno e Matheus, e cujos pais estão se separando. Ela vai para a Itália com seu namorado, Miguel Nogueira, que vai abrir uma filial da empresa de seu pai.
Ao chegar à Itália, Bianca e Miguel vão morar no apartamento de Enzo, o melhor amigo de Miguel. Eles ficarão lá apenas por seis meses para que o rapaz “monte” a empresa do pai para, em seguida, voltarem a Belo Horizonte e continuarem sua vida por lá.
No entanto, as coisas não seguem tão fáceis: Miguel trabalha sem parar, sai com amigos, deixando Bianca sozinha e ela, aos poucos, vai se desencantando dele, ao mesmo tempo em que começa a se apaixonar por Enzo.
A história corre assim: Enzo e Bianca se apaixonam, mas não deixam os sentimentos virem à tona por respeito a Miguel. Ah, mas também existe Mari, a melhor amiga de Bianca (tem sempre que haver alguém assim, não é mesmo?), que está no Brasil e pede à garota que a apresente a um “italiano” legal. Assim, Mari vai à Itália, conhece Enzo e se interessa por ele e isso acontece antes de Bianca admitir seus sentimentos pelo rapaz, o que a deixa com um terrível sentimento de culpa.
Nesse vai-e-vem brigas acontecem, sentimentos são despertados, corações são quebrados. Como eu disse no início, tudo clichê. Mas, fala sério, quem é que não gosta de um clichê? E mais: o que não é clichê?
É um livro tranquilo, mas não para aqueles que querem encontrar algo de inovador, diferente, surpreendente. Ele não vai te deixar com lágrimas nos olhos ou suspirando pelos cantos ou mesmo com raiva de algum personagem (se bem que as pessoas são tão imprevisíveis!).
Há um final feliz? Eu diria que há um final “satisfatório”, “previsível”, o que não quer dizer que o livro seja ruim.
A autora apenas quis contar mais uma história de amor, fazendo um trocadilho: ROMA >>> AMOR.

site: https://paragostardelerbrasil.blogspot.com/2017/11/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html
comentários(0)comente



Dani.Binda 07/06/2018

A nota seria maior se não tivesse lido trocentas vezes o nome Enzo.
Perdi a conta de quantas vezes li o nome Enzo até o meio do livro. Parece que a autora não gosta muito de usar pronomes, e a quantidade de vezes que o nome aparece me irritou a ponto de quase desistir (só em um capítulo aparece Enzo mais de uma vez em cada parágrafo). Se não fosse isso e um pouco da enrolação logo depois da metade do livro, a nota seria maior. Boa história, e Bianca é o que eu prezo nas protagonistas: não é a mocinha chata cheia de mimimi. Inclusive é bem sensata para a idade. Vale a pena ler, embora eu não queira ler o nome Enzo por um bom tempo (apesar dele ser um cara bem legal).
comentários(0)comente



Jéssica @DivaLiteraria 27/04/2018

Minha impressão
Aproveitando que estou de férias, dei um pulo em Roma. Não estava sozinha nessa viagem, fui com Bianca e Miguel e lá encontramos o Enzo. Conhecemos os principais pontos turísticos e aproveitamos para nos conhecer um pouquinho mais. O Miguel estava muito envolvido com os negócios da família, mas Bianca e Enzo curtiram muitas coisas juntos e ali nasceu um laço. Percebi que cada vez que o Miguel se distanciava, a Bi ia dando um passo mais para perto do gato do Enzo [quem não?]. Nesse meio tempo, conheci também a Mari, melhor amiga da Bianca e a Catherine que era francesa. Desde o início suspeitei, mas tive a certeza em pouco tempo que o Miguel era um cretino e o Enzo em comparação muito mais fofo [Boy magia]. Então surgiram alguns impasses, mas como espectadora do acontecimento, não opinei, apenas me mantive ali, observando [Mentira! Falei minha opinião nos Stories hahaha]. Depois, vieram as brigas e algumas decisões; voltamos para o Brasil, todos sem entender muito bem o que estávamos sentindo. O boy magia ficou na Itália (#Tears). A Bianca, mais decidida, depois de alguns longos meses, resolveu voltar para a Itália, junto com sua mãe e seus irmãos pequenos. Quando ela reencontrou o Enzo, minha missão estava completa e eu estava livre para voltar. Eu amei embarcar nessa viagem.
🎒
.
📖“Acho que tudo depende da sorte de encontrar alguém que combina com você. Há bilhões de pessoas no mundo, mas parece que podemos nos dar bem com apenas algumas poucas, e elas nem sempre cruzam o nosso caminho. E, ás vezes, quando achamos essas pessoas, elas não estão disponíveis para nós.”
.
📖“No meu ponto de vista nunca percebi diferença entre roupa de baixo e de banho. Por que as pessoas podem te ver nas de banho e não nas de baixo, se ambas mostram as mesmas coisas?”
.
📖“Só eu que acho injusto que parece haver uma porcentagem muito maior de garotas ‘pacote completo’ (bonitas, inteligentes e legais) do que homens com as mesmas características?” 🌷Lisa, obrigada pela indicação @euli_voutecontar🌷

site: https://www.instagram.com/p/BfuGnadHqRR/?hl=pt-br&taken-by=livrosdajehdicas
Lisa.Vieira 27/04/2018minha estante
Miga, gostei do livro também e amei ler com vc. Mas dei 3,5. Achei alguns pontos um pouco desnecessários, algumas coisas banalizadas.
O Enzo é muito fofo, mas acho que a Bianca podia ter sido maus firme... Ela se diz tão determinada em várias partes, mas acho que foi covarde e omissa em situações que era necessária uma postura mais rente.
Eu entendo que a idade dela de certa forma é um ponto de fraqueza, por mais que se mostre madura, mas assim mesmo ela poderia ao menos tentar conversar. Ela queria que tudo ficasse bem por força de pensamento!

A escrita é bem gostosa. Foi um "achado" no nosso pacote nacional!!!

Bj.


Jéssica @DivaLiteraria 27/04/2018minha estante
Ahh sim Lisa, super entendo. O livro tem que ser bem ruim para dar uma nota baixa. No geral eu gostei :)




spoiler visualizar
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3