Filha das Trevas

Filha das Trevas Kiersten White




Resenhas - And I Darken - Filha das Trevas


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Gio 26/11/2017

Nada melhor do que o Vlad sendo uma mulher
Trigger Warning: Tentativa de estupro.

Não espere um livro de fantasia aqui, esse é um livro de romance com intrigas políticas que contém um background histórico, aqui a autora recria a história em cima do Vlad, o Empalador e Mehmed, o Conquistador, O Radu não era nada demais na história mas a autora deu voz a ele aqui também, a diferença é que o Vlad (que inspirou o nosso querido Bram Stoker a escrever Drácula) aqui é uma mulher que é a nossa protagonista Ladislav Dragwlya ou apenas Lada, esse livro se passa em 1400 e a gente acompanha esses personagens desde o nascimento, não é tipo no 1° capitulo nasceu, no 3° já cresceu, a autora constrói isso aos poucos para a gente entender como e porque eles se tornaram pessoas boas, ruins, manipuladoras e etc. Aqui a gente passa por momentos importantes para a Valáquia, Saxões e o Império Otomano, aqui a gente vai ter toda cultura que é bem diferente um exemplo é o Sultão, e ele possui seu harém, tem a concubina, a religião que é o Islam, eu não achei esse livro lento em nenhum momento, porém vi algumas reclamações sobre isso então fica o meu aviso aqui.

A Lada e o Radu são filhos do Vlad Dracul, o pai deles é um idiota e a Lada não tem medo dele, ele não fica feliz por ter uma filha mulher, mas ela também não gosta de ser uma mulher, ela faz de tudo para agradar o pai e mostrar que ela pode ser melhor que muitos homens. A Lada é a minha personagem favorita, ela é muito bad ass, ela desafia o pai mesmo, ela faz o que quer, ela manda em todo mundo, ela arruma confusão, ela é maravilhosa e eu estou muito apaixonada por ela. Ela quer lutar, ser uma guerreira, ela tenta sempre ser a melhor em tudo e quando ela não consegue fazer algo ela se sente mal e até inútil.

O Radu é bem bobinho e sambanga no começo, cheguei a pensar que ia odiar esse personagem, ele morre de medo do pai, ele apanha de todo mundo, ele chora por qualquer coisa, ele sempre quer agradar todo mundo, mas ele cresce muito nessa trama ele é inteligente e se vai tornando manipulador, mas ele ainda é muito movido a sentimento e isso pra mim é irritante. Mas ele me conquistou e se tornou o meu amorzinho e aposto muito nele no próximo livro, só acho que ele precisa ser um pouquinho mais ruim e menos leal a algumas coisas que não merecem a lealdade dele.

Algumas coisas estão dando muita treta, então acaba que a Lada e o Radu são enviados para viver na corte otomana, eles são como moedas de troca e se o Vlad fazer algo que prejudique aquele cerco politico a Lada e o Radu morrem. Lá eles conhecem o Mehmed, que pra mim é um imbecil mimizento que não sabe o que quer, eu odeio esse personagem e queria entrar no livro pra poder bater a cara dele na parede até ele morrer, os três criam uma amizade muito forte e em um momento isso vira um triângulo amoroso.

Nas notas da autora ela fala sobre a pesquisa que ela fez e isso foi muito legal, alguns livros mostram personagens que são pessoas importantes e o autor ou autora começa a contar a história de como ele chegou ali como O nome do vento por exemplo, já aqui não, na vida real a gente sabe quem foram eles e tudo mais e que eles foram importantes, mas aqui a autora pode decidir matar eles a qualquer momento, um exemplo é que ela transformou um personagem homem em mulher e aqui ela pode matar essa personagem a qualquer momento, ela pode não chegar no objetivo dela.

Aqui as pessoas se julgam muito mas a autora não toma partido de ninguém, só te mostra pessoas diferentes com pontos de vistas diferentes das coisas e da vida, a Lada julga muito as mulheres que decidem casar e viver dependendo do Sultão e muitas julgam a Lada por querer ser uma guerreira, e em um momento ela conhece algumas mulheres e interage com elas e a autora mostra que nem todas estão ali sendo bobas e parindo filhos como a Lada acha, tem mulheres bem poderosas e manipuladoras ali dentro.

A Lada começa a interagir principalmente com os homens, ela começa a treinar com os janízaro e tem um em especial que é maravilhoso, e um dos meus personagens favoritos, ele e a Lada criam uma amizade maravilhosa e é só amizade mesmo, e alguns homens começam a entender ela, ela não quer ser a menininha que cuida da casa, ela não é a menina que passa o livro inteiro chorando e correndo atrás de macho e tomando decisões idiotas porque se apaixonou.

Outro ponto alto aqui é a relação da Lada com o Radu, eles são perfeitos um para o outro, a Lada tem sentimentos sim porém ela prefere guardar porque acha que mostrar sentimento e um sinal de fraqueza, o Radu acha que a irmã é muito fria, que ela não é capaz de ter sentimentos por ninguém, a Lada odeia onde eles estão e odeia a religião, ela ama a Valáquia, ela acha que ela é herdeira e tem direito ao trono de Valáquia e ponto final, porém ela é mulher e aquilo na época é impossível, já o Radu se encontra ali na corte, ele ama aquela cidade, cruza o caminho com várias pessoas maravilhosas, e ele começa a se aproximar da religião, ele começa a sentir que aquilo é parte dele, o contato dele com o Islam é um contado que é feito com muito cuidado e respeito, e muito bonito ver como aquilo é importante pra ele. Ele e a Lada tem uma relação que as vezes fica boa demais e as vezes ruim demais, eles sentem amor, odio e inveja um do outro por algumas coisas que um é capaz e o outro não. Queria ver muito mais dele e ela juntos.

Outra coisa muito importante e ver de como a Lada é uma personagem que tem uma desejo de poder muito grande, ela carrega essa motivação e ambição de fazer as coisas, ela ama muito Valáquia e ela leva muito a essência da terra dela com ela sempre, ela é uma personagem que se precisar passar por cima de alguém que ela ama pra conseguir o que ela quer ela vai fazer isso, ela tem um objetivo e algumas coisas meio que fazem ela deixar isso um pouco de lado, mas uma hora ela se da por conta que fazer aquilo não vai ajudar em nada e isso não quer dizer que o que ela faz e o certo ou o melhor, porém e aquilo que ela quer e ela precisa fazer certas coisas pra isso poder acontecer.

Só não dei 5 estrelas porque essa coisa de sofrimento de amor me irrita muito e por causa do infeliz do Mehmed , esse livro tem uma aura sombria e muito gostosa de acompanhar, acho a última frase desse livro sensacional, me da muita vontade de continuar mas ao mesmo tempo me da muito medo de também, eu não vou falar o que é mais a minha aposta e a salvação de uma certa coisa aqui e algo cinzento, só quem leu vai entender do que eu estou falando, nem sei se isso vai ter importância mais eu sei que eu quero. Esse é um livro que fala de força e do poder feminino, de amor, dever, religião, lealdade, muitos conflitos, estratégia e política, vale muito a pena dar uma chance para a estória da Lada e do Radu. O Mehmed e algo que eu queria fingir que nem existe porque pra mim ele manipula muito a Lada e o Radu pra fazer o que ele quer.
comentários(0)comente



Isa Books 23/03/2018

Empoderamento feminino: a empaladora versão 2.0
Me arrependo amargamente a cada segundo de cada dia que não li esse livro antes.
É um livro grande e em razão disso fui deixando para ler depois, quando estivesse mais tranquila e menos ocupada, até que chegou um dia em que pensei: "quer saber? Dane-se! É agora ou nunca".

Filha das Trevas me destruiu e me lançou nas trevas do coração estraçalhado. Favoritei sem pensar duas vezes. Pelas chagas divinas, que livrão!!!!
Os personagens desse livro são tão complexos que seriam dignos de estudo kkkk
Lada é forjada em aço e pedra; Radu em delicadeza e emoções e Mehmed em esperança.
Por toda a obra perpassa uma aura de frieza e maldade em todos os aspectos que eu chegava a engolir em seco. O que mais me deixou em êxtase foi a personagem central ser tão focada em seus objetivos de conquista e poder. Deus do céu, me tremia todinha com as atitudes da Lada. Demônio!
Radu dava vontade de pegar no colo e ninar, que garoto doce... quero casar com ele. Sqn.
Mehmed... ah meu Mehmed, sou tua *_*

Chorei tanto, gritei, pulei, fiquei toda descabelada; Filha das Trevas me trouxe tantas sensações que quase explodi. Por mim não teria acabado nunca, deu até vontade de reler.

EU QUERO A CONTINUAÇÃOOOOOO!!!!!!!!!
comentários(0)comente



Gabriela 30/09/2018

Este foi o livro de agosto/2017 do Turista Literário, que foi uma malinha bem legal e com um souvenir bem bonitinho (um caderninho que ainda não criei coragem de utilizar).

Achei o livro muito bom, ficou interessante essa ideia de transformar Vlad Dracul em uma mulher, Lada. A autora também tomou algumas liberdades com datas e acontecimentos, mas isso é um livro de ficção juvenil e não de história, então eu não me importei já que ficou tudo verossímil dentro deste mundo que ela construiu.

Lada foge desse estereótipo de protagonista de livro YA, ela não é bonita e muito menos indefesa. Ela tem personalidade forte, é decidida, ama sua terra natal e vai fazer de tudo para conseguir voltar para lá e reconquistar o que é seu. Ela também tem sentimentos, se apaixona, sofre, mas quando chega a hora de tomar uma decisão, ela usa a cabeça e não o coração. Então, posso dizer que Lada é uma das minhas protagonistas YA preferidas e só por ela já recomendo a leitura.

A autora faz uma boa construção do mundo e dos personagens e descreve vários momentos de ação em que o leitor não quer parar até descobrir o que acontece. Entretanto, achei que o livro podia ser um pouco menor, há várias situações que não levam a nada. Tipo, a gente já entendeu que Fulano é um traidor, Sicrano está apaixonado e Beltrano não está nem aí, não precisa ficar mostrando isso não sei quantas vezes.

Fora isso, tem só um ponto que me incomodou um pouco que foi um polígono amoroso de não-sei-quantas arestas (porque um triângulo nunca é o suficiente, não é?). Na sinopse parece que é só Lada e o irmão gay apaixonados pelo mesmo carinha, mas acreditem que tem muito mais gente nesse meio que está apaixonada e/ou casada com algum dos três. É uma confusão danada e sem sentido, que me pareceu artificial, foi só porque a autora queria colocar gente de várias opções sexuais e não porque ia trazer algo de interessante para a história.

Contudo, o que eu não gostei não pesou tanto assim, goste muito de Lada e de Mehmed e achei um bom começo de série. Já quero saber como a autora vai fazer com que Lada se torne a pessoa que inspirou o Drácula.

site: https://bibliomaniacas.blogspot.com/
comentários(0)comente



Quequel 10/10/2017

Que leitura; Que personagens! ?O que é a construção de personagens nesse livro? Estou encantada, admirada, chocada e muito feliz por te lido essa história. A autora não perde nenhuma oportunidade de "dar na sua cara" . Eu desisti de achar o que aconteceria logo nos primeiros capítulos! Já quero a sequência!

site: https://pipocaazul.wordpress.com/2017/10/29/li-filha-das-trevas-kiersten-white/
comentários(0)comente



K.G | @entaoeuli_ segue lá bb 07/01/2018

Quando Eu encontro meu par perfeito, ele so existe dentro de um livro.. RADU EU TE AMOOOOOOOO Ah, e o livro é bom
ENTAO EU LI FILHA DAS TREVAS.... E PACEIRAS, COLOQUEM SUAS ARMADURAS COM STRASS E VAMOS A GUERRA!

Ja tem um tempinho que eu queria fazer essa leitura, mas sofro de Priguicite aguda quando se trata de livros grossos, e esse tem quase 500 paginas, e me arrependo por nao ter lido ESSA MARAVILHA ANTES! PODERIA TER MAIS 500!

O livro é uma fantasia medieval, bastante diferente do que a gente ta acostumado, NÃO TEMOS ELEMENTOS MÁGICOS, temos uma historia LIVREMENTE baseada em fatos reais, cheia de GUERRA, CONSPIRAÇÕES, TRAIÇÕES, SANGUE, E uma pitadinha de amor proibido, QUE JUNTOS FORMARAM UMA COMBINAÇÃO PERFEITA.

Aqui nos Conhecemos a Lada, princesa de Velaquia, que logo ao nascer foi rejeitada pelo pai, por ser uma garota, ( ou por muitos conhecida como Garota- demonio).
Mas a Lada esta LONGE de ser uma princesa convencional, ELA É FORTE, DETERMINADA, GUERREIRA, UM ANIMAL SELVAGEM, UMA LUTADORA, e apesar de toda a sua força e garra, ela ainda é inferiorizada por ser mulher.

Em contra partida temos o irmão da Lada, Radu, que é doce, gentil, de grande beleza, e nos acompanhamos esses irmaos desde a infancia, em uma historia ambientada no imperio Otomano, onde por uma serie de eventos do destino, eles sao jogados no meio de uma guerra.

a autora conseguiu construir personagens principais INCRÍVEIS NESSE LIVRO, GENTE A LADA É SENSACIONAL! UM ÍCONE! ESTOU SIMPLESMENTE APAIXONADO POR ELA, ela é ácida, inteligente, nao se deixa dominar, nao deixa as pessoas DIZEREM QUEM ELA É, e isso torna o livro uma delicia de ser lido!

São personagens que CRESCEM MUITO ao longo da historia.

Como eu disse é um livro VOLTADO PRA TRAMAS POLITICAS DA EPOCA, essa coisa de guerras entre imperios, e a narrativa É SENSACIONAL, a escrita da autora É BEM CONTEMPORANEA, nao temos longas descriçoes sobre o tempo, nao temos nomes e palavras impronunciaveis.

é uma escrita Fluida, agil, autentica.

Tem um triangulo amoroso TOTALMENTE FORA DO CONVENCIONAL, que me arrebatou, que me arrancou sorrisos QUE ME FEZ SOFRER E TORCER, ( MESMO MEU CORAÇÃO DIZENDO QUE É ERRADO) AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
MARAVILHOSOOO! Surtei muito com o dilema romantico do livro, porque sao personagens tao autenticos, que foi algo que me envolveu demais!

alem dos conflitos de guerras, temos conflitos familiares, temos essa luta da Lada, pra nao ser vista apenas como uma " Mulher" um ser sem valor, gente e uma personagem que vale muito a pena, em uma historia que vale muito a pena. E nao tem chororó, ela mostra isso no fio da espada!

Eu achei que nao ia fluir, mas EU QUERIA TANTO ACOMPANHAR ESSES PERSONAGENS, os problemas, os sonhos e os banhos de sangue QUE O LIVRO VOOU, quando eu vi tinha acabado.

ESTOU ROENDO AS UNHAS PELO PROXIMO, PQ ACABA DE UM JEITO SENSACIONAL, ngm segura esse forninho! ou melhor, fornalha!

5 estrelas favoritado
Diego.Alexandre 07/01/2018minha estante
Que entusiasmo, rapaz!! hahaha Incrível quando a gente encontra um livro assim, né? Vou pôr na lista ;)


Cláudia 07/01/2018minha estante
Não sabia da sinopse desse livro, ai vi que se tratava da filha do Vlad Tepes... OPA!!! Preciso ler!!!


Carol 20/09/2018minha estante
Que bom que vice gostou




LauraaMachado 21/09/2017

Brilhante
Eu tenho uma péssima mania de só ler as primeiras frases das sinopses dos livros. Quer dizer, antes de comprar. Muitas vezes eu já estou lá pela página 200 do livro quando paro e volto para ler a sinopse até o final pela primeira vez! É isso que me vende um livro, as primeiras frases e as resenhas. Eu sabia que este daqui falaria sobre uma princesa diferente, 'brutal', que teria alguma coisa a ver com o Vlad, o Empalador. Não tinha a menor ideia de que iria lidar com o império Otomano, que a Lada era o Vlad transformado em mulher para essa história.

Não que precisasse saber. Sim, essa ideia é incrível, mas eu claramente já queria ler antes, né? Só que é diferente entrar em um mundo sem saber direito o que lhe espera. Não entendo nada dessa parte da história, costumo preferir a história ocidental, principalmente a partir do século dezesseis. Mas esse livro consegue ser extremamente interessante como qualquer livro histórico que lida com a realeza. Foi ainda mais para mim, já que fui aprendendo coisas novas. E ele é impecável em quase tudo que faz.

É definitivamente um livro que foi muito bem trabalhado, pesquisado extensamente e com o apelo de transformar um personagem famoso da história em mulher. Aliás, tudo nesse livro é brilhante. Desde o jeito que a Lada vai contra o que esperam dela como mulher e não querer ao mesmo tempo ser homem ao Radu. São dois lados de intrigas reais, um físico, agressivo e direto. E o lado do Radu, mais sutil, feito de conversas e relações entre pessoas. Brilhante!

Durante mais da metade do livro, eu preferia o ponto de vista da Lada, mas, depois que todo o romance começou, preferi o do Radu. Não que o romance desse livro seja meloso ou que tenha em qualquer momento quebrado a construção da personalidade da Lada. Pelo contrário, aliás. Mas eu simplesmente não consegui torcer por ela e quem ela queria. Na verdade, torcia para ela ficar com outro cara e tive meu coração partido ao perceber que seria um ship impossível. Teria sido uma história muito melhor se fosse como eu queria, juro!

Em compensação, adorei toda a parte romântica do Radu, torci pela pessoa errada com ele também, mas mesmo assim! Ele ficou mais interessante depois da metade do livro que a Lada, e vou começar o próximo mais por ele do que por ela também!

O livro realmente é muito inteligente e não deixa nada a desejar, mas alguma coisa me segurou na hora de sentir que ele era um dos melhores que eu já tinha lido ou na de colocá-lo na minha lista de favoritos. E eu acho que foi o Mehmed.
Teoricamente, não tem nada de errado nele, mas eu simplesmente não consigo gostar dele de verdade. Gosto okay, mas não consigo me apegar a ele. Morrendo ou não, sendo sultão ou criado, qualquer destino dele era aceitável para mim. Ele poderia desaparecer da história discretamente que eu demoraria muito tempo para perceber.

Acho que nunca fui muito do tipo de gostar dos príncipes, para falar a verdade. Adoro guardas. Adoro a ideia contrária, de uma princesa e um guarda, apesar de achar super válido essa virada no que é esperado. O problema é que eu nunca consigo me apaixonar pelo príncipe, acho isso sempre sem graça. E ver outros personagens o idolatrando me faz só revirar os olhos!

Além disso - ou talvez por causa disso, - acabei ficando levemente entediada pelo livro lá pela página 300. Nada demais, já que ele é mais fácil de ler do que parece, mas o suficiente para me deixar um pouco neutra na hora do grande clímax. O final é ótimo, principalmente por causa da Lada, mas ainda achei que o clímax foi leve demais para tudo que vinha sendo especulado. Talvez ele não deva nem ser considerado clímax, talvez seja uma história de vida mais do que um romance e cada parte tenha sua importância.

Essa é a parte mais bonita do livro, aliás, a vida dos personagens, como eles crescem, como são coerentes com suas personalidades e suas experiências desde pequenos, mas como amadureceram e evoluíram. Dá até certo orgulho dos dois, Lada e Radu, que ainda são tão novos, mas já são tão incríveis! Adoro a posição em que estão agora, me sinto uma mãe orgulhosa e eu nem os criei!

Não tem como não dar cinco estrelas para esse livro, sério, mas eu ainda senti falta de alguma coisa. Fosse pela presença insistente demais do Mehmed sem graça ou qualquer outra coisa, não me senti viciada pelo livro e pela história. Estou com o segundo aqui do meu lado e quero e vou ler agora, mas poderia esperar um ou dois anos para começar, que não me importaria. Espero que o segundo mude isso, que ele me faça ficar louca atrás do lançamento do próximo!

Esse livro não é para todo mundo, não é um YA comum, tem bastante sangue até e brutalidade, principalmente no começo. Vai ser uma experiência diferente para muita gente, mas, se você se interessou, leia. Talvez ele seja um pouco pesado demais para você, talvez você nunca mais encontre um livro tão bom.
Helomf 13/01/2018minha estante
undefined




Jéssica Spuzzillo @pintandoasletras 17/11/2017

Uma das melhores fantasias de 2017!
Essa é uma fantasia histórica alternativa sobre Vlad III, príncipe da Valáquia, mais conhecido como Vlad, O Empalador. Porém, no livro sua história é contada através de uma garota, a incrível Lada Dragwlya.
.
Lada, é uma das personagens femininas mais fortes que eu já li, ela vive em uma sociedade onde as mulheres são vistas como fracas. Porém, ela é determinada e se esforça para mostrar que é exatamente igual a qualquer homem, se não mais forte que eles e totalmente capaz de ser um soldado. É cruel, forte, está longe de ser perfeita e não é bonita. Amei tudo sobre ela!
.
Seu irmão Radu por outro lado é o oposto completo, delicado, bonito e muito sensível.
.
Os dois são levados pelos otomanos como prisioneiros. Lá eles amadurecem e crescem em direções completamente diferentes, Lada odeia totalmente aquele povo, já Radu sente-se atraído pelo modo como eles vivem e a religião que é o Islã.
.
Ambos, se encantam por Mehmed, o filho do Sultão, e o relacionamento entre eles é bastante intenso e intrigante. A história é contada por ambos os pontos de vista para que possamos realmente entender o que está acontecendo nas suas cabeças, amei esse fato!
.
A escrita é incrível e eu me senti imersa nesse mundo. Amei o retrato das mulheres! Enquanto Lada acha que ser um homem automaticamente torna você mais digno, conhecemos outras mulheres que mostram que elas também têm a capacidade de exercer o poder. Na verdade, muitos pressupostos sobre as mulheres são desafiados ao longo do livro para mostrar a Lada, que todas as mulheres, independentemente do seu papel, são importantes e capazes e que ser feliz por ser uma esposa ou viver uma vida simples nos bastidores, não faz você fraca.
.
Filha das Trevas, está cheio de surpresas, estratégica e política, família e relacionamentos, violência, personagens ferozes e aventuras emocionantes. Infelizmente mesmo com 472 páginas o fim chegou muito cedo e me deixou querendo mais. A espera para o próximo livro será terrível, ansiedade me define!
.
Se esse livro ainda não estiver na sua lista de desejados, coloque já! Você não vai se arrepender!
comentários(0)comente



Carolina 15/09/2017

É um excelente livro, mas você pode passar raiva.
É um livro excelente. Pesquisei mais sobre a história de Vlad por isso. O problema é que achei o romance péssimo, inclusive causando atrito entre os personagens. Recomendo, mas tenham em mente que o romance é praticamente nulo e, às vezes, um pouco frustrante, pois faz os personagens soarem repetitivos e chorões. Enfim, não quero dar spoiler. Vale à pena a leitura.
Let 12/12/2017minha estante
Também achei isso! Enquanto romance não achei nada demais. Mas como trama política achei muito bom! Foi uma boa entrada considerando que vai ter continuação. Curiosa pra saber como vai ser o desenrolar da história!


Carolina 14/12/2017minha estante
Sim. Como trama política foi excelente, mas o triângulo amoroso (e o objeto desse triângulo) e o que fez com os dois personagens principais me deixou muito zangada. Gosto muito dos dois. Por mim eles podiam esquecer o "objeto" de discórdia deles (tentando não dar spoilers)


Let 14/12/2017minha estante
Eu acho que poderia ter umas 100 páginas a menos.


Carolina 16/12/2017minha estante
Concordo. Verdade. A história continuaria boa e menos cansativa em algumas partes


Let 17/12/2017minha estante
Exatamente isso!




Kelly Martinez 26/09/2017

É um livro bom... mas...
É... comigo rolou o tal do mas... o livro é bem escrito, sem dúvida, e trata de um período bem interessante da história mas.... a história não aconteceu pra mim... não me conectei com os personagens, achei a Lada meio sociopata, o Radu um pela saco, baba ovo... e quem salvou, pra mim, foi o Mehmed! (Também, o cara conquistou Constantinopla de verdade né?! rs)
Enfim... não me envolvi o suficiente! Talvez no próximo volume a história me pareça menos chatinha... quem sabe?!
thais.moore 27/09/2017minha estante
Vou esperar ps proximos volumes pra ler


Carla Livraes 11/11/2017minha estante
Eu gostei muito da história, mas tive a mesma opinião que vc sobre Radu e Lada rsrs




zoni 18/08/2018

Em dúvida se gosto ou não, mas já confesso que esperava mais e que não entendo porque todo mundo enaltece essa história.
Na verdade estou um pouco decepcionado com esse livro, e não quer dizer que ele seja ruim, eu só esperava que fosse melhor, eu via todo mundo sempre colocando o livro no céu, e bem, não merece tudo isso não. É muito bem escrito, mas tem um ritmo lento, uma historia chata e vários personagens embustes, o que torna a leitura ainda mais difícil. Foi horrível não se apegar aos personagens, eu só torcia para que quase todos morressem.

O livro foi inspirado em figuras reais, e no império Otomano, porém a autora teve total liberdade em sua obra, e isso fica evidente quando ela transformou Vlad o empalador, em Lada a empaladora. Ela brinca muito com a história e com a ficção o que é muito gostoso, porque ambas as partes acabam ficando divertidas. Eu li o volume muito devagar, os primeiros capítulos são muito chatos, é somente lá pelo meio do livro que fica interessante, pois é quando os personagens crescem e a história toma um ritmo gostoso, a gente se empolga, e então, temos um final bem chato pra estragar tudo. Por mim a autora poderia ter dado um fim a tudo ali. Não me sinto nada animado pra continuar a leitura no próximo livro.

Os personagens são quase todos odiáveis. Lada é a personagem mais chata que eu já tive o desprazer de acompanhar, e olha que eu li prince of thorns. Ela é cruel, chata, mandona, arrogante, e forçada, muito estereotipada pra fugir do estereótipo de mocinha, isso faz sentido? O Radu é de longe o melhor personagem da história, ele é o irmão mais novo de Lada, é gentil, bondoso, e descrito o tempo todo como medroso, mas a evolução do personagem da infância até a adolescência (não fica claro nos livros quantos anos eles têm, ou não ficou claro pra mim, mas creio que deva ser entre 16 e 18 anos). Radu ficou com a diversidade do livro, sendo um dos personagens LGBT, ficou com o drama e com o melhor arco de crescimento, esse menino merece o mundo, e não todo o sofrimento que passa. O Mehmed é chato, insuportável, e eu nunca vou conseguir gostar dele. Há alguns personagens coadjuvantes bem interessantes, o resto entra na rodinha de embuste.

Sobre o enredo, não me convence, muita informação, muita história pra acabarmos chegando a lugar nenhum. É tipo nadar, mas morrer na praia, a autora pecou em colocar tanta informação desnecessária quando seu único intuito era focar na luta de Mehmed pra chegar ao trono e se manter lá.

Foi uma leitura bem complicada pra mim, porque mesmo falando tudo isso ainda não consigo decidir se a odeio ou a amo, foi intensa apesar de tudo, há muita crueldade nesse livro, o que não me espanta em nada, eu já li game of thrones (essa foi a ultima piadinha sem graça, eu juro), e eu me perdi em meu próprio raciocínio, e estou com preguiça de apagar e escrever de novo, então acabo assim, tirem suas próprias conclusões sobre o livro.

site: www.instagram.com/nomeiodatravessia
Marcos 18/08/2018minha estante
Outra coisa que ninguém chega mencionar ao falar desse livro é o triângulo amoroso entre os três principais. É horrível, apenas. O Radu e a Lada vivem em função do Mehmed, e sequer notaram isso (bem, só faltava o livro falar nas páginas "nossa, isso é um triângulo amoroso). Um livro que não merece a fama que tem.


zoni 19/08/2018minha estante
Realmente, eu achei esse triângulo amoroso tão ridículo, a relação dos irmãos que nunca foi das melhores só ficou pior, além do que o triângulo foi muito forçado pela autora, até porque pelo que eu conheci da Lada no livro, ela não se apaixonaria pelo Mehmed. Não merece em nada essa fama toda que ganhou. A sequência? Não obrigado, passo longe.


Carol 14/10/2018minha estante
tô tendo essa mesma impressão.


Carol 14/10/2018minha estante
"É muito bem escrito, mas tem um ritmo lento, uma historia chata e vários personagens embustes, o que torna a leitura ainda mais difícil. Foi horrível não se apegar aos personagens, eu só torcia para que quase todos morressem.
"

perfeito


Carol 14/10/2018minha estante
Pra mim tem outra coisa que não me agradou (a menos que vá aparecer depois) eu esperava situações sobrenaturais e quando deparo não é nada disso mais como um livro de história


Mi 02/01/2019minha estante
Tbm nao consegui engolir esse triângulo amoroso entre os irmãos. Além disso, achei que enfraqueceu demais a irmandade entre eles, já que diversas vezes eles preteriam o outro irmão em função do Mehmed, chegando a ter pensamentos bizarros a ponto de nem parecer que eles cresceram juntos e tinham essa ligação fraternal. Sei lá, essa parte achei meio desserviço.


zoni 03/01/2019minha estante
Eu achei esse livro inteiro um desserviço, alguns livros eu odeio quando leio e com o tempo vou vendo qualidades e gostando mais, esse, 4 meses depois, e após reler a minha resenha, cheguei a conclusão que odeio. Está no top 10 dos piores livros de 2018 sem dúvida, talvez até ocupando o primeiro lugar, viu?


Mi 03/01/2019minha estante
Bem verdade isso que tu falou... não consegui extrair muita coisa boa dessa história não. Gosto de livros com mensagens, mesmo que difíceis de extrair, mas esse realmente... difícil entender o hype :/




Danyelle Woyames 19/09/2017

QUE LIVRO! Estou sem fôlego!
Esse livro foi minha primeira experiência com o box "Turista Literário" e confesso que, por conta própria, provavelmente eu nunca teria comprado. Nada que tenha sequer uma mínima ligação com vampiros me chama atenção. Entretanto, "Filha das Trevas" não é um livro sobre vampiros. É inspirado na história real de Vlad, o Empalador, que deu origem à lenda do conde Drácula. E parte de uma premissa intrigante: transforma Vlad em Lada, uma menina forte, feroz, nem um pouco "domesticável".

A protagonista e demais personagens principais são maravilhosamente construídos e apaixonantes. Os cenários e o império otomano são retratados com riqueza de detalhes e todas as intrigas e alianças políticas esmiuçadas. Nas palavras da autora, "o aspecto central que quis explorar foi o caminho que uma pessoa toma para chegar ao ponto de justificar as coisas terríveis que faz em nome de um suposto bem".

Há romance, abnegação, sacrifícios, mas também há combates empolgantes, política, lutas... Um enredo completo para qualquer amante de épicos! Já estou ansiosa para acompanhar o desenrolar da trama nos próximos volumes!
comentários(0)comente



Lids 05/10/2017

Filha das Trevas - Kiersten White
Uma releitura melhorada da história, com várias intrigas políticas, segredos e personagens dando o melhor de si para se encontrarem *-*-*

O livro conta a história de Lada Draculesti e seu irmão mais novo, Radu Draculesti, filhos de um grande príncipe da Valáquia, Vlad Draculesti. Baseada na história real de Vlad, o Impalador, o livro conta desde a infância até a adolescência dos jovens, detalhando os momentos mais importantes e as decisões que tiveram que começar a tomar em nome de sua própria segurança.

É notável a excelência no desenvolvimento dos personagens, no aprofundamento de suas emoções e motivações. Lada desafia os papeis de gênero existentes na época, recusando-se a ser uma menina ou mulher em todos os momentos. Essa atitude desafiante presente em vários momentos do livro vai de encontro com os sentimentos que ela ?infelizmente? acaba desenvolvendo pelas pessoas ao seu redor.

Por outro lado, seu irmão Radu, é seu oposto. É uma pessoa carinhosa, amável e sensível. Sem querer, com toda sua sensibilidade, ele também acaba fugindo do que é esperado de um homem, especialmente um valaquiano e potencial príncipe da Valáquia.

Todo o arco narrativo e a evolução dos personagens é feita de maneira, ao mesmo tempo, gradativa e cheia de acontecimentos e novas informações. O livro de quase 500 páginas consegue ser uma leitura gostosa, rápida e impressionante. *-*-*

O nível de detalhamento de toda a política de sultanato, de complôs e reviravoltas também é feita de maneira a deixar o leitor sem fôlego e na beira de sua cadeira. Em nenhum momento, a narrativa fica chata e com ar de ?histórica?.

O sultão e seu filho também tem interações e papeis interessantes na trama e, até mesmo os personagens secundários, como os janízeiros, uma classe de soldados-escravos do sultão, têm seu nível de aprofundamento e destaque, por meio da interação com os personagens principais.

O livro concluí sua trajetória cheia de intrigas políticas, questões filosóficas e de desafio aos papeis de gênero, com um final necessário e empolgante. Acaba deixando subentendida algumas reflexões a respeito do mal que as pessoas são capazes de fazer, em nome do que acreditam ser a coisa certa. Definitivamente, um dos melhores livros do ano (se não o melhor) *-*-*

Recomendo para quem gostou de Eu Te Darei o Sol (Jandy Nelson), A Rainha de Tearling (Erika Johansen) e Jovens de Elite (Marie Lu).

Trilha Sonora: Devil In Me (Halsey)

site: https://cacadorasdespoiler.wordpress.com/2017/10/05/a-filha-das-trevas-kiersten-white/
comentários(0)comente



Natasha 20/10/2017

Mais que PERFEITO ?
A cada página que virava , me deixava ainda mais sem fôlego ??
comentários(0)comente



day 18/09/2017

ruim
O livro não me agradou muito,não é o pior que li esse ano,porém é forte candidato pra ser.
O livro se passa no império otomano ,então é bem rico em detalhes e história.
A parte positiva é justamente isso,a parte histórica.
Conhecemos os irmãos Lada e Radu,filhos do temido vlad Dracul.
Lada é uma guerreira,forte e destemida,Radu é mais frágil ,delicado .
Os irmãos são deixados aos cuidados do sultão ,como prisioneiros ...
E assim vai se desenrolando a história chata ...
Caramba...não queria que essa leitura fosse assim...mas não gostei mesmo.
É pra falar a verdade? Pronto!! falei.
rssrsrrsrs

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Wes 15/03/2018

Game Of Thrones no Deserto
Um livro bastante imersivo e bastante histórico, se você gosta de GOT então esse livro é pra você, as vezes eu me pegava comparando os personagens com o da série (as vezes não dava muito certo) e as motivações. O que me deixou mais encantado foi os protagonistas, como Radu por mais que seja um personagem fraco no meio da história, achei ele muito humano, mesmo com suas fraquezas e indecisões. Só não consegui compreender a volta de um personagem que foi dado como morto lá no começo do livro, pra quê ele voltou? Pra criar uma tensão romântica entre os personagens principais? Espero que no segundo livro ele tenha alguma função útil ao lado da Lada.
comentários(0)comente



59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4