O Melhor Amigo do Homem

O Melhor Amigo do Homem Leonel Caldela




Resenhas - O Melhor Amigo do Homem (A Lenda de Ruff Ghanor #3)


23 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Alberto 14/07/2021

O melhor dos três
Apaguei a resenha sem querer. Repetindo:
O primeiro livro da série eu achei que teve um começo lento, mas o considerando como parte de um todo, com mais de mil páginas, essa impressão desapareceu. O segundo, achei a solução do plot twist sem a preparação devida e só agora esse peso foi dado à antagonista e, relembrando, já não parece tão incômodo. Ou seja, este terceiro livro é tão bom que consegue tirar, de certa forma, os defeitos dos anteriores. A obra como um todo, agora, parece fazer mais sentido.
comentários(0)comente



Bruno 13/01/2021

Chorastes?
Esse livro é para quem tem estômago forte, e que não reclamaria de chorar um pouco lendo, nem sofrer por uma personagem.
É meus caros, o mundo medieval fantástico é cruel.
Quer ter raiva do personagem principal? Leia essa saga!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bella 21/09/2018

Esmagando mais cabeças do que é possível, Ruff Ghanor voltou!
De volta a saga de Ruff Ghanor temos três filhos, uma mãe e cinco pais! Como? simples, o Leonel consegue inserir essa loucura coerente e funciona.
Vemos um Ruff envelhecendo, não se tornando tão sabio assim, na verdade até o torna um tiquinho, mas esquece dos ensinamentos primordiais que o Prior o ensinou e pediu para que não fosse deixado de lado.
Áxia esta mais poderosa e mais fissurada em um único ideal, não mede esforços nenhum para que seu grande sonho aconteça.
Korin tem feitos incríveis, se torna um best seller em toda Gahnor, repassando a todos os ensinamentos que aprendeu no mosteiro e desenvolveu em batalhas.
Somos apresentados para mais personagens cativantes, outros nem tanto, conhecemos mundos completamente diferentes de Gahnor, que tem sabedorias e pensamentos diferentes do que estamos acostumados, no fim isso só enriquece mais a jornada do livro e nosso modo de pensar. O livro vai para vertentes que não esperamos e mesmo assim não se perde, o Leonel consegue amarrar os pensamentos e andamento da historia para que nada ali se torne maçante de ler, você sempre esta a um passo de descobrir algo e isso faz com que não queiramos parar de ler.
Ah sim, tem muita batalha, muita cabeça esmagada, muita terra tremendo e muito choro, tudo que um ótimo livro pode nos proporcionar!
Leonel continua sendo o Rei da escatologia e sadismo, queria incluir que ele também é o rei da azia, o tempo inteiro, lendo esse livro, a apreensão e a esperança andam lado a lado.
Agora só aguardar o próximo tomo, ops, livro.
Bruno 26/09/2018minha estante
O seu já chegou ou teve a felicidade de conseguir uma cópia antes??? =)




Taíla 04/08/2020

Será que acabou?
Ai ai, o fim de uma triologia, a resolução de todos os problemas e as respostas para todos os nossos questionamentos... Será?

Faz tempo que comprei o terceiro livro da saga de Ruff Ghanor (a minha obra veio autografada pelo Azaghal, é o que dizem...), mas em virtude da minha grande fila de leituras, acabou demorando um pouco para eu me aventurar nas mais de seiscentas páginas que compõem a obra.

Sou fã declarada do site Jovem Nerd e acompanho muitos de seus projetos. Os Nerdcasts (podcasts) de RPG estão entre os meus favoritos e sempre temos muitos materiais interessantes lançados a partir dessas aventuras. A lenda de Ruff Ghanor surgiu a partir de um desses Nerdcasts da RPG. Há tempos estava ansiosa para a resolução dessa história e olha, George Martin que se cuide, pois o escritor Leonel Caldela está fazendo um excelente trabalho. O que dá ainda mais vontade de ler outras obras do autor.

No momento eu só tive contato com a escrita dele nos livros da Nerdbooks (a editora do Jovem Nerd), com os outros dois livros da série A lenda de Ruff Ghanor - Volume 1 e A lenda de Ruff Ghanor - Volume 2, também li o Ozob. Para quem leu e relembrou as resenhas anteriores ou já leu os livros anteriores também, a história é retomada alguns meses depois da grande revelação que tivemos no final do livro 2 e com a atitudes que Ruff tomou após tudo isso.

Boa parte do livro é sobre Ruff lidando com as consequências de seus atos e as tentativas de realizar a missão hercúlea de tornar o mundo um lugar verde e bom (só se não tiver mais ninguém por aqui, na minha humilde opinião), mas como nosso herói acredita que a humanidade pode ser melhor (melhor sim, perfeita não, querido Ruff) ele continua tentando. Ainda não sei se os fins justificam os meios da forma como Ruff está tentando resolver tudo, contudo seguimos acompanhando. E, como sempre, os demônios do passado não deixam de perseguir Ruff, além de novos personagens surgirem.

Somos apresentados a uma lutadora praticamente vinda de uma nação de bárbaros que tem uma participação muito especial em toda a obra. Seguimos os passos de Korin e seu novo recomeço, com mais personagens novos desse lado da história também, o que trouxe muitos momentos especiais.

Foi muito boa a renovada que o Caldela deu na obra com novos núcleos que enriqueceram ainda mais a história principal, assim Ruff não se desgasta tanto e a gente continua torcendo por todos. Em um momento achei que estava lendo O Senhor dos Anéis de tanta side quests (as famosas missões secundárias) que apareciam. Porém todas eram muito boas e fizeram com que a leitura corresse bem rápida. Rápida, porém nada tranquila, muitas emoções, muitas dores, bons trocadilhos com famosos nomes do metal e um fim bem diferente do que eu esperava.

Como é bom ser surpreendida e não conseguir adivinhar o final de uma história, faz você querer ler mais e mais e querer mais um livro, inclusive. #ficaadica hein, Leonel.

Você já conhece a triologia? O que achou? Conta para mim nos comentários.

site: https://www.prateleirasemfim.com.br/posts/livros/resenha-sobre-o-livro-a-lenda-de-ruff-ghanor-volume-3
comentários(0)comente



CAMBARÃ 29/08/2020

Se tirar a música fica melhor
Gostei dos livros sim e na verdade estava torcendo para tem mais uma, ainda bem q terá.
Penso que ser o autor tirar as referências musicais o livro fica melhor.
Tem algumas coisas extremamente desnecessário no livro mas o autor adorar fazer tijolos com 800 páginas.
comentários(0)comente



Luiza.Matos 31/08/2020

Sem dúvidas nenhuma a melhor série nacional de fantasia. !1
Esse autor é fenomenal. !!! Gente que mente brilhante eu admiro de mais.
estu muito feliz que vai ter continuação dessa história. A vida de Ruff Ghanor é por demais interessante.
Eu sou apaixonada nessa trama literária de fantasia. gostaria muito de uma adaptação para a T.V. :)
comentários(0)comente



Alex Korin 06/09/2020

Um 'final" Agridoce perfeito feito por Leonel Caldela
Digo final entre aspas porque ira ter um continuação, gostaria de incluir bem mais do que esse livro em particular, eu acho incrível como o Leonel evoluiu os personagens e o quanto a história ficou mais trágica com o passar dos livros e dos anos dos personagens, o primeiro no monster era uma vida boa, no segundo começou a ter vários problemas difíceis e no terceiro eu acho incrível como é trágico mas você pensa que é um bom final porque faz você se emocionar, faz você chorar, isso é incrível.
comentários(0)comente



Daniel 04/10/2018

Ruff Ghanor: Santo. Rei. Homem.
A ansiedade costuma atrapalhar qualquer pessoa que espera muito de uma obra, seja ela literária, cinematográfica ou de qualquer outra mídia.
Felizmente, o sádico e escatológico Leonel Caldela mais uma vez não decepciona seus leitores.
Nos dias anteriores a leitura deste livro, enquanto relia os dois volumes anteriores, me peguei gritando e xingando os personagens, simplesmente não aceitando que fizessem determinadas coisas. Muito "pior", mesmo sabendo o que acontecia nos livros, por tê-los lido antes, no fundo havia uma esperança tola de que as coisas fossem ser diferentes, e que os personagens não cometeriam novamente os mesmos erros.
É esse tipo de situação que continua permeando mais uma obra de Leonel.
Com personagens cativantes, extremamente humanos e propensos a erros e falhas, que refletem nossa condição humana, não conseguimos não nos apegar a eles, sejam figuras novas ou antigas. Caldela, como o anão Thondin, martela seu texto até que ele emane emoções intensas, que impedem que tudo se torne uma mera leitura monótona, fazendo com que o leitor mergulhe na história e esqueça o mundo de fora. Mas cuidado. Nosso carinhosamente apelidado escatológico e sádico autor fará com que você saia deste mergulho encharcado, seja pelas lágrimas (da alegria do retorno até a dor da perda) ou pelas grandes quantidades de sangue.
O peso de todos os erros de Ruff começa a cobrar seu peso na mentalidade do mais novo rei. Tudo deve ser VERDE e BOM! Mas o valor de novas e velhas amizades se mostra indispensável para que o homem siga em frente, sempre tentando agradar os deuses para fugir de seu destino.
Mais do que uma jornada contra o destino, o livro trata profundamente sobre o peso do tempo. Nossos heróis envelhecem, enfraquecem, e isso pesa sobre todos os mortais. Mas o tempo também traz o esquecimento, de antigas dores, amores, nomes e ressentimentos.
Para os fãs de fantasia, um brilho a mais, pois o universo de Ghanor se expande ainda mais, com a revelação de novos reinos, culturas e conceitos. Um prato cheio para qualquer RPGista, ou outros amantes da criação de mundos.
Vez ou outra algumas passagens do livro parecem perder o ritmo, ficando corridas demais e detalhando muito por cima uma coisa ou outra, mas nada que atrapalhe o andamento da história, e plenamente compreensível diante das 640 páginas finais do volume.
Por fim, O melhor amigo do homem tem seu fim, deixando-nos com um peso no coração, enganchando-nos para os acontecimentos futuros, repletos de dúvidas para o que o futuro do santo de pés descalços guarda para os leitores.
Torço para que o próximo volume saia o quanto antes, pois não há vício maior do que uma boa história, sempre nos deixando com um gosto de "quero mais".
comentários(0)comente



Pedro.Dias 11/10/2021

As viagens do Leonel
Esse livro me levou 10 anos atrás no tempo. Me fez sentir um pequeno explorador em um universo inteiro e complexo.
Sempre digo que os melhores personagens são os humanos (não falo de raça mística de RPG); aqueles que têm alma e nem sempre tomam a decisão que o leitor espera. Ruff Ghanor é, definitivamente um ser benevolente, mas nem sempre age com bondade, com empatia ou com algum pingo de responsabilidade. Isso é humano e, fascinante de ler.
Leonel Caldela tem o meu coração.
comentários(0)comente



Te 01/11/2018

Melhor série nacional de fantasia!
Poucas vezes na vida li um livro em tão pouco tempo!
O autor surpreende a cada página com a consistência em relação a qualidade da historia, fazendo com que cada minuto investido nesse série deixe transparecer a paixão dos idealizadores e a beleza louca da mente de Leonel Caldela!
A série de livros da historia de Ruff Ghanor ainda será reconhecida como um marco importante da literatura brasileira fantástica!
comentários(0)comente



Luan Medeiros 05/08/2021

Espetacular
Só o que posso dizer desse livro é que é espetacular e intrigante. Desenrolar incrível, ato após ato.
comentários(0)comente



Whermeson 21/12/2020

Livro 17 – 2020 - A Lenda de Ruff Ghanor - Volume 3: O Melhor Amigo do Homem - Leonel Caldela
"Para derrotar Zamir, ele treinara e pesquisara, estudara durante anos. Para assumir o trono de Ghanor, ele lutara e contara com a sabedoria de alguém que lembrava de toda a história dos elfos e da família real. Ruff pensou que, talvez, houvesse num livro ou na cabeça de um sábio a resposta para a conquista do mundo.
Mas, num reino onde os livros estavam trancados e os sábios estavam proibidos de produzir conhecimento, talvez essa resposta nunca chegasse”.

site: https://www.prateleirasemfim.com.br/posts/livros/resenha-sobre-o-livro-a-lenda-de-ruff-ghanor-volume-3#:~:text=Ruff%20Ghanor%20deseja%20salvar%20o,o%20melhor%20amigo%20do%20homem%3F
comentários(0)comente



Lucas Canabarro 21/12/2018

Leonel Caldela é um autor a ser estudado. Eu tenho o azar de conhecer pouco de seu trabalho (fora os anteriores desta saga, eu li apenas Código Elfico, de sua autoria), mas eu posso falar que ele é um autor que todo aspirante a escritor deve parar e apreciar a sua escrita - não apenas ler, mas realmente estudá-la.
Por que eu digo isso? Pois aqui, em Ruff Ghanor III, ele toma algumas decisões que eu, como leitor, encarei e pensei "isso é bem desnecessário", enquanto o meu lado aspirante a escritor olhou e apenas fixou a ideia "isso é muito genial". Eu fiquei com esse misto ao longo de todo volume. Isso é necessário? Sim, é necessário. Ele poderia ter contado alguns fatos de outra maneira (como, por exemplo, através de uma simples citação)? Com certeza.
Mas, no final da jornada, valeu a pena.
Eu dou nota quatro pois em alguns momentos esse meu conflito citado acima pendia mais para o lado do "por que?". Ali no meio da história, alguns capítulos me deixaram cansados. Me afastei, tentei forçar, mas não consegui. E retornei. E valeu super a pena. Principalmente no final.
Falando no final (e não querendo soltar spoilers aqui), na minha resenha do primeiro volume, lembro de ter falado que o final era idêntico ao de um filme blockbuster, onde você enxerga todos os movimentos, todos os detalhes, e fica sem ar. Digo também que o último capítulo soa mais como uma cena pós-créditos. Essa "fórmula" se repete neste volume, e a "cena pós-créditos" me deu tristeza: tristeza pela história em si, e por saber que estamos próximos ao fim.
comentários(0)comente



Marcos.Ferreira 25/01/2019

Cada vez mais grandioso
Não tenho muito a dizer sobre Ruff Ghanor 3 além do fato de que expande a mitologia da saga de uma forma que nunca achei que seria possível quando ouvi os Nerdcast RPG há tanto tempo.
E quero esbravejar minha indignação contra o Leonel Caldela:
Eu achando que essa história seria uma conclusão e você me manda um gancho desses? Porra!
comentários(0)comente



23 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR