Ira

Ira Juliana Bizatto




Resenhas - Ira


31 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


@procura_se_umlivro 11/01/2021

?????
"Abrace sua face mais sombria."
.
Luxúria foi sobre fogo e sensações. Apocalipse foi sobre descobrimentos e incertezas mas Ira foi sobre autoconhecimento.
.
"Samantha de preto, Samantha em fúria, Samantha vingativa."
.
Esse livro em minha opinião foi o melhor da série! Eu gostei dos outros mas eu amei esse.
Ver a Bad Sam foi empolgante e gostei bastante do fato que a autora colocou capítulos intercalados da Sam com a Mônica, isso tornou a trama mais rica e envolvente.

"Desde que iniciou a minha primavera, iniciou o inverno de Sam, e ele fica cada dia mais frio."
.
Nesse terceiro livro veremos a Mô em um terrível dilema, curtir sua felicidade com o seu namorado ou entristecer pelo estado de sua melhor amiga. E quando todos desistirem da Sam, será que a Mô também desistirá?
.
"Palavras tem poder o qual não pode ser subestimado, são únicas, solenes, e uma vez ditas não podem ser apagadas."
.
Segredos estão prestes a ser revelados e nem tudo é o que aparenta ser, e até que ponto uma traição pode arruinar tudo?

"Não importa onde cada uma de vocês estejam, vocês nunca deixarão de ser minha família."

Sam aprendeu a controlar seus poderes e está com fome de conhecimento, até que ponto ela iria para conseguir o que quer?
comentários(0)comente



Man 07/08/2020

Preciso confessar que esse livro foi ótimo, teve ação, Bad Sam era sensacional (gostei muito mais dela má do que boa), todas as merdas que ela cometeu achei perfeito e ainda não perdoei sua família, continuo achando que são um bando de cobras e vamos combinar Sy é uma bela de FDP, ela vem com desculpas, mas traí a família duas vezes não é erro é putaria mesmo.
Não posso falar mais pq se não darei spoiler, mas valeu ler o livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



mlaurapessoa 04/04/2020

Blog Literary Heart
No final de Apocalipse, nos deparamos com o fim do relacionamento de Sam e Benjamin, e sua partida de Tormento. O acordo de Valerka serviu para manter todas as Hoffers protegidas dos caçadores, mas não quer dizer que outros problemas não poderão surgir!
Roupas pretas, saltos extra-altos e maquiagens pesadas fazem parte do novo visual da Sam, que com a companhia de seus novos amigos lobo e vampira, passam a frequentar todas as noites o Tea Patty, uma casa noturna sobrenatural.

Samantha está totalmente mudada. No fundo do poço. E seu único passatempo e conseguir traduções para seu livro de Sombras com Dometilla, á vampira. Sempre procurando mais e mais poder. Brigas se tornam cada vez mais constantes entre Sam e vozinha, e até suas primas desistiram de tentar ajuda-la, apelidando-a de Bad Sam.

Com a mudança de comportamento de Samantha, ela acabou chamando mais atenção do que devia e agora bruxos estão chegando a Tor para mata-la. Por outro lado, seus poderes estão cada vez mais se desenvolvendo, e isso pode significar tanto segurança, quanto perigo - quando se têm uma bruxa fora de controle.

Gostei muito de conhecer um lado sombrio da Sam. Ela ficou com mais atitude, falando o que pensa e tratando mal quem merece – vulgo Martin e sua testa na mesa.

Demorei há me apegar no inicio do livro, mas confesso que me surpreendi. Em Ira temos fadas, duendes, lobisomens, e tudo o que se pode imaginar (uhhhh). Eu adorei o estilo da Dometilla, ela agosta de coisas de época. Desde sua casa estilo mansão, aos carros antigos e seus espartilhos. O Adônis parece ser um cara legal... Quando não se está perdido no que ele chama de “casa”.

Ira é narrada pelo ponto de vista de Samantha e Mônica, e isso foi interessante porque enquanto acompanhamos a Bad Sam, também vemos o amor florescer entre Mô e Rica, e isso dão mais uma leveza a historia.

Alguns personagens de Lúxuria compoêm algumas cenas desse livro, tempo suficiente para matarmos um pouquinho a saudade.

site: https://literaryheartt.blogspot.com/2018/11/resenha-ira-juliana-bizatto.html#more
comentários(0)comente



Literaleitura 03/04/2020

Neste terceiro livro da série, nos despedimos do universo repleto de borboletas e ingenuidade, a doce e meiga Samantha já não existe mais, deixou-se assumir por completo sua personalidade sombria e muitas vezes perversa. Ela vai descobrindo seus poderes, aprendendo a controla-los e usa-los sem piedade contra seus inimigos.
Os caçadores partiram, mas o perigo ainda ronda a jovem bruxa, novos inimigos surgiram e com eles novas ameaças.

Tudo parece estar perdido, Sam já não é mais a mesma e sua família perdeu as esperanças quanto à mudança de seu mal comportamento, ela mal fala com sua avó e primas...mas Mônica não acredita que esse é o final reservado para sua melhor amiga, ela não ficará de braços cruzados deixando que Sam se afunda cada dia mais e jamais desistirá dela.

***
O estilo de narrativa da obra me agrada muito, dividido em narrações de extrema oposição intercaladas, entre Samantha e Mônica. Enquanto que os capítulos envolvendo Monica são mais leves e românticos, os de Sam são conturbados, repletos de rancor e sombras.

É estranho ver como uma personagem mudou muito em tão pouco tempo. Quem viu Sam no primeiro livro jamais imaginaria tal comportamento, tanto no modo de usar seus poderes, quanto em relação à sua família. Sam era tão ligada às primas, principalmente sua avó, ela respeitava sua opinião e não ousava desobedecer alguma de suas ordens, agora parece que o mundo da garota virou de ponta cabeça, parece que se perdeu, não sabe mais qual sua verdadeira identidade. No início da obra, eu me sensibilizei com sua dor, imagine perder um grande amor e descobrir uma herança na qual você não está preparada para receber? Mas confesso que as ações de Sam foram me incomodando um pouco com o caminhas do enredo, essa raiva constante, seu comportamento impulsivo...nem com aqueles que queriam ajuda-la ela mostrava ter afeto, tenho como principal sua relação com Domitila, aquilo me inquietava.
Sei que esse comportamento, estilo garota malvada, ajudou Sam a superar suas perdas e a nova situação de vida que estava enfrentando...não é fácil para ninguém ter seu passado jogado na sua cara, uma vida de mentiras...mas há momentos em que o poder subiu-lhe a cabeça. E isso faz toda a diferença nessa obra.
Pode parecer uma crítica, mas não...esse comportamento faz parte de uma jornada de autoconhecimento, a personagem de Sam passa de garotinha ingênua do colegial, preocupada com os outros a sua volta, para uma mulher poderosa e segura de si, aprendeu a dar mais valor à ela, não se curvar diante das dificuldades e lutar por si mesma.

"Apenas quem vive um grande amor sabe a tristeza de perdê-lo."

Confesso que senti muita falta do Benjamin nessa obra, mesmo com suas atitudes, era impossível não gostar dele. O romance com Sam deixou saudades e o novo núcleo romântico que veio suprir essa ausência, confesso que não me agradou. Eu adoro a Mônica, sua relação de amor e amizade com a prima é linda...mas ela e Rica são melosos demais, pelo menos para mim, tudo bem que a garota merecia um amor em sua vida, mas era muita doçura e eu estava quase tendo diabetes só de ler os capítulos envolvendo os dois no início da obra. Mô merece seu final feliz, mas como nem tudo são flores na vida de uma Hoffer/Björin, é claro que o romance da jovem seria abalado.
Nesse volume conhecemos novos seres do universo sobrenatural, antes bruxas e fadas, agora nos deparamos com vampiros e lobisomens, o novo círculo social de Samantha. Isso traz ainda mais do universo fantástico para a obra...para os fãs de fantasia, isso é um prato cheio!

***
Quanto a diagramação, como li a versão digital, não tenho muito o que falar, estou aguardando minha edição física que compre na pré venda, na loja da editora. Assim que chegar eu mostro para vocês no Ig do blog.
Todos sabem que eu sou encantada pelas capas da série, então, mais uma coisa pra aumentar a ansiedade enquanto o livro não chega.

A autora está de parabéns...a cada volume ela traz novos elementos para o enredo. Gostei dessa ambientação mais sombria, mostrando que a vida de uma Hoffer/Björin não é tão maravilhosa assim...nem mesmo as roupas e carros mais caros conseguem suprir a dor da perda...as festas não curam todas as feridas...por um lado, elas são gente como a gente, pois afinal, todos temos sentimentos e o sofrimento está aberto a todos...e disso a Jú entende, gosta de fazer os leitores sofrerem, no bom sentido, é claro!

site: http://literaleitura2013.blogspot.com/2018/11/resenha-ira.html
comentários(0)comente



Brunna Nunes (Lendo com A Brunney) 01/04/2020

Abalador
Tudo está diferente. Todos mudaram. Estão mais maduros, mas a Sam, está irreconhecível, mudou para pior. Descumprir todas as regras da ilha e desobedecer a Vozinha parece ser sua mais nova forma de diversão.

Por onde ela passa, as pessoas se arrepiam e encolhem, pois ela é a única bruxa Bjorn com os poderes despertos. É incrível como a autora soube descrever essa mudança no ambiente e na própria Sam. A cada livro somos mais imersos na história das Hoffer, que sempre foram respeitadas, mas passaram a ser temidas.

Não vejo a hora de ler Orgulho e me surpreender ainda mais com o rumo desta saga incrível. A cada página somos surpreendidos com novas aventuras, discussões, e conhecemos ainda mais o poder que só cresce na Samantha Hoffer, agora Samantha Bjorn Hoffer.

É inacreditável como a Ju modifica sua escrita ao longo dos livros, nos surpreendendo com mais detalhes, com uma escrita descritiva nos imerge nas entrelinhas do texto, fazendo com que criemos teorias sobre cada situação do livro. Estou ansiosa para ver quais surpresas teremos no 4° livro da saga, Orgulho e nos próximos 5 !

Obrigada por esta leitura incrível Ju ! 🔥❤ QUE VENHA ORGULHO !

site: https://www.instagram.com/p/Bq3e2syAnFF/?igshid=73sqex2i40dw
comentários(0)comente



Juh 24/03/2020

Que o tormento comece
No terceiro livro da saga conhecemos a Bad Sam, um apelido que não veio do nada, vemos uma Samantha completamente mudada, ela está rude, cruel e sem coração após tantos acontecimentos no último ano.

Sam precisa de aliados, para combater seus infinitos inimigos que tem como o único objetivo tirar sua vida e tomar seus poderes, porém estes não são os mais bem vistos na sociedade! Será que ter vampiros e lobisomens como aliados é uma boa ideia?
Além de tentar se proteger, nossa menina má tem como objetivo crescer e aprender mais sobre sua magia por si mesma já que aulas com Hilária não lhe acrescentavam muita coisa.

Vemos também a história pelo ponto de vista da Mônica, prima e melhor amiga de Sam. Mô está terrivelmente apaixonada e sua vida vida estaria as mil maravilhas se não fosse a má fase de sua melhor amiga! Ela é muito preocupada com Samantha e é a única que ainda consegue enxergar como a antiga Sam, a doce menina que amava surfar e que nunca faria nada de mal.

"Eu era fogo. E eu ia arder meus inimigos."

Uma história cheia de sentimentos, reviravoltas e descobertas. Você passa raiva, estresse, fica com ódio, ri, cria muitas teorias e ao mesmo tempo ama com a Mô apesar dela sempre ser uma pessoa com amor demais KKK.
Deixo destaque aqui sobre como amo a Mô e como ela é maravilhosa, um neném que merece ser protegido de todo mal ??

A saga toda é um prato cheio para quem gosta de ficção, New Adult e etc!!

A escrita da Juliana é maravilhosa e muito surpreendente, a cada capítulo você descobre coisas novas ou fica intrigada com alguma nova descoberta! O modo como nossa parceira descreve tudo faz com que nos sintamos parte deste universo incrível!

Ira com certeza é meu livro favorito da série até agora ?
Mal posso esperar para rever os caçadores e me surpreender muito com próximo livro!!
comentários(0)comente



Resenhando Parágrafos 18/03/2020

Resenha by Resenhando Parágrafos
Depois de ter seus poderes liberados e ter que lidar com tanta coisa, incluindo a partida de Ben, Sam está mais sombria do que nunca. Esse seu novo lado é despertado com tudo e nada pode atrapalhar seu caminho de conseguir o que quer. Mas uma revelação fará com que o jogo vire completamente para a garota.

Sem sombra de dúvidas, este é o meu livro favorito de Herança de Sombras até agora. Li tão rápido, a hora em que fui me dar conta, já tinha terminado. Senti um misto de emoções, dei risada, fiquei tensa, me emocionei.

É um livro cheio de ação, romance, aventura, muitos mistérios e personagens que eu não canso de enaltecer. As Hoffer são tão unidas e cada uma é tão cheia de personalidade, uma coisa linda de se ver, fora as altas risadas que dei com elas. A Sam em especial: foi bem legal a autora ter explorado esse lado "Bad Sam", (como a Sy a chama). Uma Samantha mais poderosa, rebelde e cheia de atitude. Mas, acima de tudo !!!SPOILER!!! foi muito bom ter um pouco da "velha Sam" de volta lá pro final do livro.

Ira é narrado pelo ponto de vista da Samantha, claro, e por Mônica, (ou Mô, para os mais íntimos), a prima e melhor amiga da Sam. A forte amizade e parceria das duas é ainda mais explorado neste volume e é uma das partes que eu mais gostei.

Fora os plots deste livro que são de tirar o fôlego, chegou em um momento que eu não sabia mais quem era aliado e quem eu não devia confiar de jeito nenhum KKKKK.
comentários(0)comente



Gabi| @estante_perolada 16/10/2019

No terceiro livro da saga Herança de Sombras somos apresentados a uma Sam diferente, amarga, sem piedade, poderosa e para fazer jus ao título do livro, uma Sam Irada, ou melhor a "Bad Sam".
Também somos contemplados com uma novidade maravilhosa que são capítulos alternados entre a Sam e a Mônica.
A forma como o livro é narrado e detalhado, causa uma certa apreensão para saber o que vai acontecer já que há novos e antigos mistérios para serem revelados, possíveis conspirações internas e externas e claro lutas e magia.
Novos seres também aparecem na trama como Vampiros, fadas, híbridos, lobisomens e vários outros seres.
Alguns segredos são revelados no decorrer do livro, mas ainda faltam muitos e isso está me matando de curiosidade.
E pelo que li no epílogo o próximo livro promete pegar mais fogo ainda. Já quero!
comentários(0)comente



Mars Henrique 30/08/2019

#ResenhaDoMars IRA | @julianabizatto | @herancadesombras | Nota: 4,5/5,0
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Oiê pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim. Hoje trago a resenha do terceiro livro da Série Herança de Sombras, IRA.
SPOILER ALERT DO LIVRO 1 E 2
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
No livro passado, Apocalipse, acompanhamos como o mundo de Samantha desmoronou depois de receber a notícia de que sua família, as Hoffers, são descendentes de bruxas e que ela é a única de suas primas que desenvolveu poderes, fora isso a jovem teve que lidar com as consequências de seus poderes, assim como teve que passar por tudo isso sem seu amado Benjamin.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Nesse terceiro livro da série Sam está tentando aprender a controlar seus poderes, e isso acabou fazendo com que ela se aproximasse de seres sobrenaturais, assim como ela. Tudo foi possível graças as noites que a jovem passa na boate Tea Party, lá conheceu e fez amizade com Dometilla e Adônis, uma vampira e um lobisomem, respectivamente.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Sam evoluiu muito de um livro pra outro, vemos isso no fato de ela não ser mais a garota boba do primeiro livro. Tudo pelo que ela passou acabou a transformando na Bad Sam. E por ser descendente de um clã de bruxas muito poderoso, ela acaba se tornando alvo de alguns bruxos, e além do fato de fugir dessas pessoas ela ainda precisa controlar seus poderes. Como será que essa jornada terminará?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Enquanto Sam passa por tudo isso, Mônica procura maneiras para manter sua prima próxima da família, já que a mesma passou, e está passando, por momentos conturbados, o que está fazendo com que Sam se distancie cada vez mais. E é nesse meio repleto de confusões, reviravoltas e mistério que somos inseridos no terceiro livro da série Herança de Sombras.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Agora vamos as minhas considerações. Bem... não sei muito por onde começar. Vou iniciar dizendo que a leitura fluiu demais e acabou me fazendo ficar extasiado. Juliana conseguiu nesse livro me prender do início ao fim.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A escrita da Ju melhora a cada livro, me fazendo ficar sedento por mais livros dela. Em Ira, a autora nos apresenta personagens secundários que tiveram uma grande relevancia na história. Mas nesse livro basicamente não encontramos Benjamin, pelo contexto criado nesse livro eu até que achei válido a não participação dele na história, não teria muiro onde inserí-lo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O que mais me agradou foi ver a maneira que Mô nunca desistiu de Sam, reforçando que as duas realmente são "almas gêmeas". Mônica teve um grande destaque nesse livro por persistir na, principalmente, na amizade das duas, ela luta com todas as suas forças para desmistificar a "Bad Sam".
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ira é um livro cheio de mistério, onde o leitor terá nas mãos, ou no Kindle, a maneira de revelar a verdade ao mundo. Juliana irá lhe fazer ficar cada vez mais sedento pela história a cada página lida. Será que gostaremos do lado sombrio de Sam?

site: https://www.instagram.com/p/B1zQCcmDaiu/
comentários(0)comente



Calhamaço da Tati 21/08/2019

Mais uma resenha dessa saga maravilhosa pra vocês!! E cada livro lido eu não consigo deixar de amar menos hahaha
As primas mais novas ainda estão se acostumando a ser uma Bjorins e ter Sam Como a única bruxa que desenvolveu os poderes. Não é atoa que o nome do livro é Yra porque vamos conhecer o lado negro de Sam, ela não é aquela menina mais doce e obediente agora ela está do seu lado mais perverso.
A família Holfer sempre chamou muita atenção por morar numa ilha particular e ter MUITA grana mas no meio dessa rebeldia Samantha também acaba chamando mais atenção do que deve e a família sempre tentando tapar os buracos dela.
Em Yra os capítulos são intercalados com Mônica e vamos conhecer mais de perto seu namoro com o Rica, é tudo sempre às mil maravilhas ele é tão fofo, sempre atencioso com ela.
Monica é como se fosse a mãezona das meninas se preocupa com todas e principalmente com Sam por terem sido muito amigas sempre, mas Monica fez uma promessa e não quer quebrar de jeito nenhum, ela funciona como uma luz no fim do túnel pra Samantha.
Yra é uma serie de muitas descobertas muita yra mesmo kkk mas não deixou de lado o amor da família, tem umas ceninhas hot entre Mô e Rica. .
comentários(0)comente



Babih (@nurseliteraria) 12/07/2019

Bad Sam!
Ao final de Apocalipse, Samantha toma uma difícil decisão que ira mexer com ela e toda sua família.

Sua decisão afeta diretamente sua personalidade. Tornando Sam, uma garota rebelde, grossa e maldosa com sua família. Perdendo a essência doce e feliz que ela tinha.

A única que parece entender ela é sua prima, Mônica. Que pega para si como missão trazer a antiga Samantha de volta. Antes que ela se perda nela mesma.
.
Enquanto Mô tenta trazer a antiga Sam de volta. Nossa Bad Girl embarca em diversas aventuras tentando decifrar o livro mágico que encontrou no porão de casa e que contém inúmeros feitiços de sua família.

Essa nova Sam foi um desafio durante a leitura. Tinha horas que eu queria dar uns cascudos nela. Para deixar de ser assim tão ruim.

Os capítulos intercalados com os de Mônica tiraram o ar pesado que muita vezes Samantha deixava em sua narrativa.

Nos permitindo enxergar a história de diferentes modos. O final foi lindo demais. Chorei horrores! Não vejo a hora de ler Orgulho!
comentários(0)comente



Mari @leiturasdemari 23/03/2019

não sei amar menos essa série
Em Ira, Samantha está aprendendo a lidar com seus poderes ao mesmo passo que aprende a lidar com a ausência que Benjamin deixou em sua vida. Se Samantha virou a Bad Sam, Mônica virou a apaixonado do rolê. Desde que iniciou seu namoro com Rica, filho de Hilária, a bruxa que veio para ajudar Samantha a lidar melhor com seu lado bruxo.


Com uma faceta mais sombria, Sam se distancia da sua familia e passa a ver com outros olhos as Hoffers, a não reconhecer quem um dia foi toda sua base, toda sua inspiração. E Monica a todo custo tenta trazer luz à Sam. Sempre é o lema das duas e é sempre que isto deve ser lembrado.

A amizade das duas é uma coisa que foi bem explorada mesmo que não de forma direta no livro, tenho uma amiga que se ela passasse por um momento tão desconhecido assim, agiria como a Monica com a mesma certeza caso fosse eu a Sam e isso é muito bonito, entende? Mais do que prezar por um bom romance em um livro, prefiro uma boa amizade, sincera e verdadeira e aqui temos. Mas você vai ter que percebê-la nas entrelinhas, nas atitudes.

A Ju trouxe para Tormento novos personagens, novas criaturas do mundo sobrenatural, ao mesmo passo que trouxe luz para os antigos mistérios e mais munição para os novos. Ou seja, você “desvenda” um e descobre mais dez. Acho isso tão delicioso!

E como disse acima, prezo sim por um bom romance na trama e por mais que eu seja toda apaixonada por Samantha e Benjamin sei reconhecer quando é o momento ideal para tal dose de “love só love” e neste livro não cabia espaço para o Ben.

Se eu tivesse que definir este livro em um proposito, seria a (re)descoberta da Sam. Por parte dela e dos demais.

Eu tentei fugir da minha dor por perder... Benjamin e conheci algo pior, a dor que eu posso infligir aos outros. Conheci a pior faceta que posso encontrar ao me olhar no espelho. Vivi o meu pior pesadelo. Mas a dor tem o poder de enlouquecer, de nos perdermos de nós mesmos e, por piedade, gerar autoconhecimento. Eu teria que viver com essa dor. Não há magia no mundo que faça desaparecer um coração partido.

A minha mãe fala que quando algo é bom a gente precisa falar, por este motivo, cá estou eu divulgando este livrão e desejando com todo meu coração que todos possam ler e que a Ju só venha crescer em reconhecimento e talento.

site: http://blogdiversamente.blogspot.com/2018/11/resenha-ira-heranca-de-sombras-juliana.html
comentários(0)comente



Eliza 25/11/2018

Voltando a Tormento...
Vamos a mais uma resenha da série Herança de Sombras! ? Após os acontecimentos surpreendentes do volume anterior (Apocalipse), Ira traz as consequências para as bruxinhas de Tormento, que precisam se adaptar ao fato de que são bjorins e portanto alvos de diversas ameaças, caçadores, principalmente. Por isso, as meninas passam a maior parte do tempo trancadas na Ilha.
O livro vem dividido em narrações intercaladas da Sam e da Mô. As narrações delas são dois extremos: enquanto uma é toda amorzinho, vivendo super apaixonada no mundo cor de rosa, a outra, tá super dark trevosa, maquiavélica, violenta, muito "Bad Sam" mesmo.
A Samantha muda drasticamente de comportamento nesse livro e eu amei isso! Outros leitores podem ter odiado essa fase dela, mas eu percebo essa mudança como uma importante construção de caráter da personagem. Esse momento "Bad Sam" nos mostra tudo que ela é capaz de fazer, além de que era muito engraçado o sarcasmo e a ironia da personagem nas respostas ácidas ?
Quanto a Mônica, ela e Rica se encontram cada vez mais próximos e apaixonados, só existe amor ao redor deles. Claro que, esse universo feliz vai ser abalado e tava bom demais pra ser verdade pra pobre da Mô.
O Benjamin não aparece nesse volume, mas, as influências dele sobre a Sam, são gigantescas. A dor dela é tão grande que ela acaba se tornando uma pessoa diferente de quem era, porém, não se enganem achando que esse é o único motivo pra mudança de personalidade. Existem armações, segredos e traições por trás de muitas coisas.
Ira engloba acidez, romance, cenas hot, mortes, luta, sangue, dissimulações, personagens novos e interessantes...enfim, toda uma lista que o torna uma ótima pedida de leitura para quem adora se aventurar em mundos sobrenaturais, cheios de magia e novidades!!
comentários(0)comente



31 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3