Chain of Gold

Chain of Gold Cassandra Clare




Resenhas - Chain of Goold


64 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Gabi | @_livrolandia 15/06/2020

Melhor livro da Cassandra!
Não pensei que ia gostar tanto, mas virou o favorito de 2020. Sem palavras pra descrever o quanto esse livro foi perfeito e não vejo a hora de o 2 sair logo. Cordelia e James, contem comigo pra tudo!!!
comentários(0)comente



Paulo Berczak 29/05/2020

Resenha - Chain of Gold, Cassandra Clare
Chain of Gold, ou Correntes de Ouro, como ficará traduzido aqui no Brasil, nos devolve toda a ambientação de uma Londres Vitoriana, com vestidos, bailes e claro, demônios, e tudo isso num dos melhores inícios de séries que já li, principalmente do universo criado pela autora.

Neste livro vemos os nossos queridos personagens de Infernal Devices, e o peso de suas escolhas refletidos também em seus filhos e parentes. Após os acontecimentos da Clockwork War (me perdoem, mas não me lembro dos termos em português), Londres passou por um período de paz, em outras palavras, os ataque demoníacos cessaram e os Shadowhunters se acomodaram. Até que ataques inesperados acontecem ao redor da cidade e demônios atacam em luz do dia, e seu veneno propagando uma doença, a qual não estavam preparados para enfrentar (inclusive achei irônico ler este livro em pleno isolamento social, risos).

Algo que me agrada muito neste universo criado pela Clare, é a sua introdução ao Mundo das Sombras. Para quem já leu os livros anteriores, assim como eu, não se sente cansado, e quem está lendo pela primeira vez não se sente deslocado. Existe um avanço na escrita se compararmos com os livros anteriores, isto claro, na minha opinião.

Se você gosta de dramas familiares, assim como eu, este livro será um prato cheio para você, pois existem inúmeros personagens e suas respectivas famílias, Lightwood, Herondale, Castairs, Blackthorn e Fairchild, sendo as principais e as quais já estamos perfeitamente familiarizados com. Cada personagem tem sua função dentro da trama, e todos muito bem construídos e encaixados perfeitamente, como em um quebra-cabeças.

Outro ponto que me agradou muito foi a forma que a autora uniu os laços entre os personagens principais desenvolvendo uma amizade extremamente divertida, cada um com seu jeito diferente que agrega às características dos outros. Dentre todos, preciso expressar o que senti pela Cordelia Castairs.

São muitos personagens, mas para mim, Cordelia ganhou seu espaço gradativamente em meu coração durante a leitura. É uma personagem feminina forte, que luta por aquilo que acredita, pelos seus sonhos, pela sua família, por seus amigos e tem o claro desejo de ser alguém: uma heroína.

Para mim, Cassandra Clare, fez um trabalho que me surpreendeu muito, posso dizer sem sombra de dúvidas, Chain of Gold está no top livros de 2020. É um livro sobre família, amigos, representatividade e valores.
comentários(0)comente



Gabi @gabidoslivros 29/05/2020

Perfeição
Rainha Clare, mais uma vez, nos apresenta uma história perfeita com personagens perfeitos. Mal posso esperar para entender mais da trama que está rolando nos bastidores e ver o meu casal junto de verdade. O conto foi mais que perfeito
comentários(0)comente



Kel Cesar 27/05/2020

A relacao de amor e ódio que eu tenho com Cassandra Clare se intensifica a cada livro... Mais uma vez ela faz a gente sofrer e ainda assim querer mais. E olhe que é so a abertura dessa nova série.
Ponto negativo, só fiquei um pouco confusa com a cronologia. Mas nada que uma busca no Google não resolva. Mal posso esperar por Chain of Iron.
comentários(0)comente



proximolivro_ 25/05/2020

Esse livro (e já imagino que o restante da trilogia) tem muitas coisas que vimos em As peças infernais: amizade e lealdade como uma das coisas mais importantes entre eles, amor e muita aventura. É difícil explicar como foi bom ver Tessa, Will e Jem de novo e entender quanto deles os filhos possuem.

É mais um livro onde não tem limite quando se trata de salvar uma pessoa querida. James pode ser o principal mas só queria deixar claro que ele só brilha nas cenas com a Cordelia. Matthew, Lucie, Thomas e Cristopher já ganharam meu coração também com uma relação tão forte entre eles. Grace, oq q tenho a ver? Dela só sinto raiva kkk

Foi incrível, um começo parado pra gente se familiarizar com os personagens (que é necessário) mas depois tudo começa a acontecer e você não quer parar mais. Mal posso esperar para os próximos livros ??
comentários(0)comente



Pam 23/05/2020

Eu não sei nem como explicar o quanto eu precisava desse livro. É incrível poder ver Tessa, Will e Jem de novo, mesmo que operando ao fundo.

Os novos personagens, que já estavam presentes em diversos contos anteriores, são muito bem desenvolvidos e agarraram meu coração com as duas mãos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Yas 18/05/2020

Certo. Eu não sei bem como começar essa resenha porque eu tenho MUITO a falar e não sei se num primeiro momento vou conseguir dizer tudo.

Eu comecei a ler o livro sem conhecer muito bem todos esses novos personagens e inicialmente eu estava bem confusa - não sabia diferenciar quem era filho de quem, qual era a personalidade de cada personagem... Enfim, foi complicado mas eu finalmente consegui mergulhar no enredo da história e... foi incrível.

As Peças Infernais tem a minha história favorita de todas as séries da Cassandra, eu acho tudo perfeito e a forma como as relações acontecem é incrível, eu nunca li um livro com uma amizade tão forte e bonita quanto a relação parabatai entre Jem e Will, e o triângulo amoroso da trilogia é o único que gostei até hoje, por isso, eu comecei Chain Of Gold cheia de expectativas - e que foram MUITO bem superadas.

A essência de As Peças Infernais permeia todo o livro, mas com o adicional de que passados anos a Cassandra evoluiu sua escrita e desenvolvimento, os novos personagens - pelo menos a maioria - são muito bem desenvolvidos e os antigos não são deixados de lado, o que deixa nossos corações quentinhos por poder matar a saudade.

O grupo de amigos - James, Matthew, Thomas e Christopher - trazem um pouco do que tivemos com Jem e Will em TID, uma amizade forte em que todos se amam e fazem de tudo um pelo outro, e acho incrível que a Cassandra conseguiu se aprofundar em cada um deles - só o Christopher que deixou um pouco a desejar, eu senti falta de um ponto de vista dele e espero que nos próximos livros ela mostre um pouco mais dele.

O James pareceu pra mim muito diferente daquele James Herondale das Crônicas de Bane (e eu gostei disso), ele tem um pouco dos pais, tem as características básicas de um Herondale, mas tem suas próprias características também, e a relação dele com Lucie, Cordelia e os amigos - fora a relação intrigante com Grace - o tornam um personagem ainda mais interessante.

Mas, apesar de James ser nosso protagonista, os meninos que mais me chamaram a atenção foram o Matthew e o Thomas, saber um pouco sobre o passado do Thomas e seus sentimentos me fez aproximar do personagem, igualmente os mistérios de Matthew e sua personalidade me fizeram acolhê-lo como um dos meus personagens favoritos, e eu espero que ele supere seus demônios nos próximos livros (além de superar aquela paixão que ele revela no último capítulo, porque minha fanfiqueira interior shippa ele com outra pessoa). Só para finalizar os meninos, queria dizer PROTECT ALASTAIR CARSTAIRS AT ALL COSTS!

Agora falando das minhas favoritas: AS MULHERES.

Cordelia Carstairs, QUE MULHER. Cassandra disse que essa é a personagem favorita dela e tenho de dizer que acho que ela também é a minha, eu não sei explicar exatamente o quê nela que me conquistou tanto. Ela é forte e determinada, mas é uma força e uma determinação que vem do amor mais puro e genuíno, não só um amor romântico, mas um amor que transcende - o amor que ela tem por Lucie, por sua família, e, claro, por James. E ela quer ser uma heroína misericordiosa, não temos dúvidas de que ela será, e não existe Carstairs melhor para ter Cortana do que ela nesse momento. Eu estou ansiosa para ver o que acontecerá a seguir, mas só quero que ela não sofra tanto, ela merece saber o que acontece em relação a Grace.

Lucie Herondale, ela é uma das personagens mais "cativantes sem a intenção de cativar" que eu já vi. Ela é doce, mas ao mesmo tempo tem uma força e determinação que é inacreditável, além de fazer de tudo pelos amigos - especialmente a futura parabatai, Cordelia, e o amigo fantasma, Jesse - e a família, é lógico. O fato de ela ser escritora aqueceu meu coração e eu quero muito conhecê-la ainda mais.

Anna Lightwood é uma das minhas personagens favoritas da vida também! Eu me vejo 100% representada FINALMENTE, nunca me tinha sentido assim lendo livro nenhum. O que espero futuramente é que ela ceda ao amor e seja muito feliz.

Grace e Tatiana Blackthorn? Não tenho muito o que dizer além de que Tatiana é completamente louca e sociopata (ou psicopata?) e que ainda não sei qualé a da Grace, só sei que toda a situação que a envolve me deixa com raiva - ao mesmo tempo raiva dela e ao mesmo tempo não tanto, é complicado explicar.
comentários(0)comente



Estante das Duas 17/05/2020

Chain of Gold
Eu não tenho nem palavras pra começar a escrever essa resenha. PELO AMOR DE DEUS, alguém me transporta pra dentro dos livros da Cassandra Clare e me deixe morar lá. Eu nem me importo com a quantidade de demônios a solta e aventuras mortais. Estou mais preocupada com os personagens complexos, carismáticos, maravilhosos e apaixonantes.
Eh... já deu pra perceber que eu gostei um pouquinho do livro.
.
Chain of Gold, o último lançamento da Cassandra Clare, se passa em meados de 1900, alguns anos após os acontecimentos da trilogia As peças Infernais. Aqui, nós conhecemos James e Lucie Herondale, filhos de Will e Tessa.
As crianças tiveram a sorte de crescer em uma Londres segura, longe de demônios e rodeados de amigos.
Mas toda a calmaria chega ao fim quando uma leva de demônios resistentes à luz solar e com um veneno sem cura começa a atacar os caçadores das trevas.
James e Cordelia, junto com seus amigos, precisam lutar para acabar com o mal que caiu sobre Londres, ao mesmo tempo que lidam com o que sentem um pelo outro.
.
Entre sangue e feitiços, fantasmas e vestidos bufantes, nós somos envolvidos, mais uma vez, nesse universo mágico criado pela Cassie. Com uma diferença, além de toda a fantasia, é possível reconhecer no livro, traços de um romance de época bem escrito. A preocupação com a honra da mocinha está lá, as carruagens e os bailes também, e até aquele toque sensual típico do gênero. Tudo isso nos faz acreditar que anjos e demônios existem, mas que nada importa quando se trata de encontrar o verdadeiro amor.
.
Claro que eu preciso exaltar todos os personagens secundários também. Matthew Fairchild é o meu favorito. O parabatai de James é cheio de camadas e estou louca pra ver o seu desenvolvimento nos próximos livros.
.
Queria poder passar horas discutindo todas as teorias acerca dessa nova série. Eu sou daquelas que odeia um spin-off, mas ver a nova geração de Herondales, Carstairs, Lightwoods e Fairchild foi um abraço no meu coração.
.
E você, curte spin-off? Leu Chain of Gold? Conta aqui embaixo pra mim ?
comentários(0)comente



mgnusbane 16/05/2020

se a trilogia já começa assim...
digo com total certeza que esse livro virou um dos meus favoritos não só do universo shc mas livros favoritos em geral.
a trilogia as últimas horas vai ser perfeita e eu mal posso esperar pra continuar essa história perfeita.
ps: a cordelia é uma (se não a melhor) das melhores personagens principais da cassie.
comentários(0)comente



Kamyla 14/05/2020

Por onde começar a falar desse livro? Foi um ótimo início de trilogia, ouso dizer que o melhor da Cassie! Os personagens, a trama... Foi tudo de bom. Agora só me resta criar teorias e surtar até o lançamento do próximo livro.
comentários(0)comente



Nathi 23/04/2020

Os livros da Cassandra Clare ficam cada vez melhores. A escrita está sempre melhorando, mesmo já estando perfeita!
comentários(0)comente



zoni 21/04/2020

É o seguinte, até mesmo quando a Cassandra Clare erra ela acerta.
Esse livro é completamente um fan service, é verdade, não dá pra negar isso, mas eu como fã cadelinha que sou, estou completamente apaixonado e querendo mais.

É um pouquinho complicado falar sobre esse livro sem acabar sendo controverso, porque por mais que eu tenha encontrado muita coisa que me incomodou durante a leitura, eu saio completamente apaixonado e tendo ele como um dos meus favoritos. Eu tinha expectativas altas pra esse volume, já que ele é a continuação de As Peças Infernais, de longe a minha trilogia favorita da Cassandra, essas expectativas não foram completamente contempladas, mas eu não diria que saio frustrado, foi bem divertido na verdade, tirando o tempo exagerado que levei pra ler e os surtos de cansaço literário.

Chain of Gold tem capítulos gigantes e segue aquele já conhecido molde da autora, onde em cada capítulo acontecem milhares de coisas ao mesmo tempo e a gente acaba ficando meio perdido e cansado, sentindo que a história não está rendendo e pensando que nunca vai conseguir terminar o livro, eu reclamei no twitter sobre esse livro várias e várias vezes, porque eu realmente achei que não iria terminar nunca. Mas o mais engraçado nisso tudo e na escrita da Cassie, é que mesmo quando a gente está cansado e sentindo vontade de jogar o livro na parede, não conseguimos largar, tudo por conta da riqueza de detalhes das cenas e dos ganchos interessantes que ela cria o tempo todo dentro da história. Esse detalhe de mudar o POV no meio dos capítulos é uma jogada muito boa, e Clare sabe o que está fazendo, porque no momento em que a gente está pensando em fechar o livro e ir tomar uma água ou fugir pra sempre da história, ela muda para uma outra situação e personagem e acaba ganhando a nossa atenção novamente. O livro começa lento, talvez seja o começo mais lento de toda a saga dos Caçadores de Sombras, e isso acaba até sendo intencional e aceitável nessa primeira metade, pois com tantos personagens em cena, a gente precisa de um tempo maior para se familiarizar com todos e entender a dinâmica das relações entre eles, é tanto fulano que é filho de ciclano e primo de beltrano que às vezes eu esquecia quem era quem e qual a ligação com a história. Com o passar das páginas a história vai ganhando um ritmo rápido, talvez até exageradamente rápido, porque começam a acontecer várias coisas, e eu sinto que a maioria delas são totalmente irrelevantes para a história no final.

Como eu já citei ali em cima, o livro é repleto de personagens, são muitos... e nem todos agradam, principalmente o protagonista. James Herondale é na minha opinião o protagonista masculino mais sem graça que a Cassandra Clare já escreveu, ele é completamente sem sal, um banana em todos os quesitos, e me dói muito dizer isso, porque desde os contos, James e Matthew eram personagens que eu estava completamente apaixonado. Para quem leu os contos do James e se apaixonou pelo rebelde sem causa e apaixonado, vai se decepcionar com o que encontrará aqui, pois ele é tão apagado que eu não consigo encontrar nada que o faça parecer um herói, na verdade, ele só brilha quando está com a Cordelia em cenas de romance, e por Raziel, como eu shipo esse casal... e tudo praticamente por conta de Cordelia Carstairs, que é a mocinha mais interessante que já li no mundo dos Caçadores, por que choras Emma Carstairs? É brincadeira, não estou aqui para criar rivalidade feminina, mas a Cordelia é a minha protagonista favorita. Existem muitos personagens, então nem todos conseguem seu espaço, e mesmo com muito potencial acabam ficando de lado, esse é o caso de Matthew Fairchild e Alastair Carstairs, os melhores personagens do livro, espero que eles ganhem mais espaço no próximo volume, e que o romance de Alastair e Thomas se desenvolva de uma forma agradável, porque estou torcendo muito por esse casal.

É um livro cheio de personagens e situações, e tem uma trama cheia de coisa, e eu poderia passar horas e horas falando detalhadamente sobre o livro, mas acreditem em mim, seria a coisa mais massante do mundo. Então resumindo um pouco, o livro cheio de personagens se resume apenas na busca da origem dos demônios que estão atacando durante o dia, e esse plot é tão fraco que não faz sentindo nenhum, principalmente o vilão, que não choca ninguém porque acredito que todo mundo já esperava quem seria. Perto do final do livro a gente acha que entendeu a história, mas na verdade não entendeu foi nada, porque tudo que recebemos foram poucas pistas e a verdadeira história vai ficar para os próximos dois livros. Eu não consigo dizer que não estou ansioso para o próximo volume depois daquele final e do cliffhanger que a Cassie criou, porque estou ansioso sim, muito ansioso, principalmente pra ver um desenvolvimento melhor tanto dos personagens quanto do plot geral da história. Aguardando com ansiedade.

site: www.instagram.com/nomeiodatravessia
Lucas 21/04/2020minha estante
resenha mara a sua, ainda tenho que criar forças para terminar a série principal dela aar.


Gus 21/04/2020minha estante
Eu não consigo ler Cassandra Clare desde que li os três primeiros de Instrumentos Mortais. Achei essa série bem cansativa. Mas afff, sua resenha me fez ter vontade de ler esse livro.


zoni 23/04/2020minha estante
Ei, Lucas, muito obrigado pelo elogio. Em qual livro de Os Instrumentos Mortais você está? Estou relendo a série, então vou te dar uma força pra você terminar, vamos que vamos.


Lucas 23/04/2020minha estante
Li as peças infernais (que eu amo apesar de já ter esquecido muita coisa kk) e até o 3° livro dos instrumentos mortais


zoni 23/04/2020minha estante
Hahaha, Gustavo eu super te entendo! Eu mesmo na primeira vez que li Os Instrumentos Mortais odiei e abandonei Clare, foi só em 2018 que voltei para esse universo e li As Peças Infernais e me apaixonei de uma forma gigantesca. Estou agora relendo a primeira série, porque não é possível que eu ame tudo que venha depois e odeie tanto o começo, para minha surpresa a releitura de Cidade dos Ossos foi melhor que da primeira vez, e a de Cidade das Cinzas está rendendo bem também.

Olha, eu aconselho você ler As Peças Infernais delas, é um prequel, se passa antes dos acontecimentos de Os Instrumentos Mortais, é a melhor dela, sério mesmo, é muito boa e muito gostosa de ler, começa lentinha, mas quando você pega ritmo você não consegue parar. Chain of Gold é muito bom, é uma continuação direta de As Peças Infernais, tem como protagonista os filhos dos protagonistas e pode ser lido de forma independente também. Os livros da Cassie estão todos interligados nesse universo, mas cada série pode ser lida independente e fora de ordem de lançamento também, então se quiser começar por Chain of Gold também está valendo, haha.

Incentivos para você tentar Clare novamente:
As Peças Infernais se passa na Era Vitoriana, então tem toda uma ambientação incrível, uma mistura de fantasia urbana com romance de época, (espero que isso não te assuste mais hahaha), mas é muito bom mesmo.

The Last Hours, (o primeiro livro dessa série é Chain of Gold) se passa na Era Eduardiana, então logo depois de As Peças Infernais, a gente já vê certas mudanças na população, os lugares que Clare cita no livro realmente existiram naquela época, então é muito gostoso de ler. E tem muita representatividade, acho que você pode gostar.

Leia Clare, força rapaz.
Indico para você começar As Peças Infernais, mas se quiser me esperar um tempinho, logo mais eu chego para reler a segunda parte de Os Instrumentos Mortais (os três últimos que você não leu) e podemos ler juntos! Isso deve ter ficado gigante, desculpa.


zoni 23/04/2020minha estante
Lucas você ama As Peças Infernais, ai me abraça. Eu amo conhecer gente que ama essa trilogia tanto quanto eu. TMI é um tanto cansativa pra mim, porque a primeira parte já não é lá essas coisas, e a segunda parte tem umas coisas meio no sense que acabam cansando o leitor, o quinto livro por exemplo, meu deus... Mas tenha força e tente terminar, tem algumas coisas que valem a pena, não Clace com certeza, que é um casal chato e mimizento kkkkkk.


Gus 23/04/2020minha estante
Mds, eu amei o tamanho dessa resposta! kkkkkk Eu já pensei em dar uma chance para a série de TMI, mas ainda tenha aquele pé atrás devido ao problema que tive com a primeira série dela. É o que tu disse, "como uma série tão boa pode ter derivado de uma tão mediana?" Kkkkk mas ainda tenho o objetivo de continuar a série original.

Eu super topo fazer essa "leitura conjunta" dos livros que me faltam, porque se depender de mim, da minha vontade, eu vou demorar para pegar esse livro novamente pra ler kkkk. Ao menos assim acaba sendo um estímulo.
Também vou relendo suas resenhas, porque se for pra eu enfrentar o início da série de novo pra relembrar dos personagens, eu desisto de vez kkkk.

Vou dar uma chance para TMI depois de tanto amor destilado, não tenho nem escolha huahuahua


zoni 25/04/2020minha estante
Eba, então vamos ler os três últimos de TMI juntos, que assim um dá força para o outro. E vá lendo as minhas resenhas sobre os três primeiros que eu não tenho papas na língua, vou falando tudo que tô pensando mesmo hahahahaha. Espero chegar logo nos três últimos para gente começar esse buddy read, não desiste de mim, não desiste da Cassie.


Jaque 04/05/2020minha estante
As Peças Infernais são os meus preferidos


Pipper 12/05/2020minha estante
Cara, voce externou tudo que eu senti ao terminar de ler este livro. Uma mistura de decepção com empolgação que acabou me ganhando, pq sim, eu sou uma cadelinha da Cassandra Clare e o mundo dos Caçadores de sombras não me cansa. Bem, devo ressaltar que a tia Cassie conseguiu criar uma personagem feminina que eu fiquei apaixonada. (Cordélia, amo-te). Mas eu nem consigo acreditar que o James é filho do Will com a Tessa, que personagem mais cansativo. Affz.
Espero que em Chain of iron ela consiga fazer os personagens mais apagados se tornarem mais relevantes. Amém!




Thamy 20/04/2020

Not my favorite Cassandra Clare book (hello, Lady Midnight), but still - amazing; outstanding; it made me happy, it made me cry, it made me emotional, it made me angry - I wanted to physically scream.
However, it made me feel everything in the best way possible. It made me want to fall in love while also making me never want to feel love again. How does she do that?! The amount of times I was gasping and holding my breath was unreal.
comentários(0)comente



Ceci 20/04/2020

E mais uma vez eu lato pra Cassandra Clare...
Sendo bem sincera, estou esperando esse livro desde o primeiro conto com James nas crônicas do Bane, então minhas expectativas eram altíssimas.
E ela superou todas.
Os personagens são maravilhosos e muito interessantes ao contrário de algumas resenhas mentirosas que li por aqui. Todos eles têm seus próprios "struggles", extremamente bem desenvolvidos e verossímeis, já que mesmo os personagens que você detesta, você consegue entender os motivos.
Assim como as pessoas, ninguém é 100% mocinho ou vilão. E é exatamente assim que você sabe que os personagens são sim bem construídos.
Quanto à história, eu fiquei completamente absorta e faz muuuuito tempo que isso não acontece. Queria entrar no livro e socar a cara da Grace o tempo todo e provavelmente ainda faria isso se eu tivesse a oportunidade nesse exato momento.
Eu tinha esquecido como a Cassandra tem a incrível habilidade de te envolver, dar exatamente o que você quer, mas não nos exatos termos... te prendendo mais e mais no enredo enquanto as coisas desenrolam de formas inimagináveis.
Eu simplesmente amo o universo e os livros, normalmente odeio as protagonistas por serem extremamente dramáticas, mas esse se tornou o meu livro favorito muito rápido. Além de todos os personagens serem formidáveis, não há sequer uma narrativa que não te interesse ao longo do livro.
Em resumo: PERFEITO, não quero esperar para o próximo!!!!
comentários(0)comente



64 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5