Senhora do Fogo

Senhora do Fogo Kiersten White




Resenhas - Senhora do fogo


43 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


marina.siqueira 11/09/2021

Lada é cruel, genial, feroz e implacável. Um verdadeiro dragão, destrói todos em seu caminho e consegue triunfar mesmo com nada a seu favor. Acreditando que os fins sempre justificam os meios e pelo mais puro amor ao seu país, ela é capaz de fazer qualquer coisa para alcançar seus objetivos e manter o trono. Mesmo sendo uma personagem extremamente vil, não consigo desgostar dela. O seu interesse pelo trono não se resume ao desejo pelo poder, mas sim pela transformação do seu país e pela garantia de segurança, comida, terras e direitos à população, sem que isso esteja vinculado a um sistema injusto de castas. Então, mesmo que ela use métodos bem questionáveis, ela luta pelos motivos certos.

"Não havia preço que fosse alto demais a pagar pelo bem da Valáquia, e seu país ? a verdadeira Valáquia ? sabia disso e a amava por seus sacrifícios."

Lada foi muito injustiçada em tudo na sua vida e acho inconcebível que Mehmed simplesmente não a tenha deixado governar a Valáquia em paz. Ele é que tem uma sede insaciável pelo poder e quer que todos os países estejam a seu dispor, assim como Lada e Radu. A insistência dele em levá-la pra "casa" mesmo que ela não quisesse me fez desgostar dele em vários momentos.

"O que Mehmed e Lada faziam ? pelo que sentiam no coração tanto pelo seu povo quanto por sua terra ? era muito pior que qualquer coisa que o amor de Radu pudesse levá-lo a fazer."

Por outro lado, Radu, que seria o bonzinho da história, me irritou de formas inimagináveis. Radu, o Belo deveria ser Radu, o Cansativo. A devoção não verdadeiramente correspondida à Mehmed é ridícula e fiquei feliz dele ter superado isso. O melhor dele, na verdade, é a sua família ? Nazira, Fátima, Cipriano e Theodora ? que é maravilhosa. Mais perto do final, ele finalmente abraçou seu papel na história. Acho que Theodora deve ser formidável, assim como sua mãe foi.
A última vez em que li tantas mortes foi com Game of Thrones. Não gostei muito do final do livro, mas foi realista e condizente com todos os envolvidos.
Pedro 11/09/2021minha estante
Mais uma excelente resenha!
Olhando a sua resenha, eu vi que alguns personagens se chamavam Mehmed e Radu, o Belo.
Eu não sei se é uma coincidência, mas eu já li um livro com esses dois. Era um romance histórico sobre a vida de Vlad Tepes, o homem no qual Bram Stoker se inspirou para criar a lenda de Drácula.


marina.siqueira 11/09/2021minha estante
Muito obrigada!
Não é coincidência. A autora se inspirou no mesmo contexto, só que aqui a gente tem a Dama Empaladora (herdeira de Vlad Dracul) no lugar do Vlad que inspirou Drácula. Mehmed é a oposição otomana e Radu o irmão de Lada.
É uma trilogia muito boa. Me surpreendi bastante


Pedro 11/09/2021minha estante
Interessante...
Já que você gostou da ambientação, eu recomendo o romance histórico Vlad - A Última Confissão. Ele mostra a vida do Empalador.
Mas já vou avisando que o nível de violência do livro é visceral.


marina.siqueira 11/09/2021minha estante
Obrigada pela indicação e pelo aviso kk. Vou colocar na lista


Pedro 11/09/2021minha estante
Também vou colocar essa trilogia na minha lista. Gosto muito da ambientação dessa história.




Rayanne Carvalho 14/03/2021

Não parei de chorar um pouco.
É incrível chegar no fim de um trilogia que você não dava nada por ela, bem, paguei minha língua. Lada me impressionou desde o início e é incrível que a autora passe tanto poder para ela o que é bem difícil de se encontrar. Foi um prazer encontrar a história dessa mulher maravilhosa e a sua história toda a sua luta, é um livro que eu recomendo muiiiito toda a trilogia.
comentários(0)comente



Jessy 29/07/2021

"Eu sou um dragão"
"O preço da estabilidade era sempre cobrado com sangue, carne, ossos e dor."

"Ele permitiria que aquele amor impossível fosse, aos poucos acabando. Para sempre."

"É um fardo pesado, estar sempre certa. Mas algumas pessoas precisam carregá-lo."

"Eu disse que perdoaria você, e estava falando sério."


Essa última frase acima, foi o exato local em que chorei de felicidade, ah que grata satisfação.
No geral, o 2° livro foi melhor, porém, neste 3° fiquei feliz pela caminhada e aceitação do meu personagem predileto.

Senti um decaimento da Lada, até gostava dela, mas ela ficou tão focada na Valáquia e no poder, que esqueceu as coisas importantes. Mehmed não fica muito longe, só perde para a Lada no quesito sangue (ninguém chega aos pés dela), ele também tem sua cota de pensar apenas no poder, na política e usa qualquer um para atingir seus objetivos (a Lada também faz isso).

Já meu Radu, ahhh que personagem maravilhoso, que caminhada, que crescimento ??. Nazira foi um outro achado, oh mulher maravilhosa. Cipriano também, apesar de ter aparecido tão pouco. Opa, não posso esquecer do Kumal e seus ensinamentos, sua bondade.
Mara, um exemplo de mulher forte e sábia, que sabia a melhor hora para agir (Lada podia ter aprendido um pouco com ela).

Poderia ter sido um livro melhor sabe, senti um certo exagero na Lada, em sua personalidade (ah, mas ela é a versão feminina do Empalador), ok, tudo bem, só que era realmente necessário certos pensamentos? Exemplo, ela com um amigo, amigo mesmo, que estava ao lado dela desde o começo, lutou lado a lado, a protegeu e deu conselhos, no momento que ele discordava de algo e a aconselhava a ser mais diplomática, o que ela pensava "que vontade de enfiar a adaga nele", sério, para quê isso? EXAGERO. Outro amigo, fiel também, encontrou a felicidade depois de segui-la para tudo quanto é buraco, ele decidiu que faria uma última coisa pela Lada e depois iria embora com a mulher e as crianças, ela pensou o quê? "Deveria matar a mulher e as crianças para ele sentir o que é ficar sozinho e para não me abandonar", amada, vai se tratar. Foram essas coisinhas que me irritaram nela. E o Mehmed também foi outro que me irritou bastante.

Mas no geral, gostei muito da trilogia, não me arrependo de ter lido, principalmente por conta das intrigas políticas e religiosas.
comentários(0)comente



Paola / @poiia_brezolin 09/05/2020

Que final
Não esperava menos para o final de uma saga com a força e a sensibilidade como está. Acompanhar a caminhada dos nossos três personagens e conhecer o desenrolar dessas personalidades únicas foi uma experiência incrível e cheia de emoções intensas e contraditórias. Uma saga que nos ensina muito sobre força, inteligência e amor!
comentários(0)comente



lightweaver 08/12/2020

Resenha da Trilogia Inteira e não do último livro. Quem dita as regras sou eu.
Listando e Não Resenhando:

~Autora trabalhou bem a parte de ficção histórica e eu não acho nada ruim que essa trilogia possa vir a ser escolhida como primeiro contato para o gênero.
~Se todos os autores e autoras no mundo conseguissem trabalhar tão bem o tema de representatividade e não forçassem tais coisas ao livro como se estivessem seguindo uma lista de exigências, livros poderiam ou não poderiam ser melhores.
~Vilões, Anti-heróis, Exércitos, Estratégias, Assassinatos, Guerra, Política e Relações Disfuncionais.
~She Was a Dragon. She Was a Prince. She Was a Woman. It Was The Last That Scared Them Most of All.
Camila.FArias 14/12/2020minha estante
Concordo em tudo q vc falou sobre a representatividade! Dos livros q ja li essa trilogia foi a q melhor trabalha esse tema. Achei real e justo e completamente coerente com o mundo onde foi inserida.




Morgana 03/11/2020

Se você gosta do Radu não podemos ser amigos
Desde o primeiro livro tive uma relação forte e cheias de emoções ambíguas com essa história, mas devido ao desenvolvimento e a personalidade dos personagens isso era grande parte da magia da história, fazer personagens que não eram totalmente bons, e todos tinham a sua dose de culpa das atrocidades que aconteciam. E para esse livro, que na minha opinião foi o melhor da trilogia, eu esperava um final grandioso para a protagonista.

Aqui Lada fica cada vez mais maluca e atroz, e transforma-se numa tirana, sendo assim eu esperava uma morte digna de uma príncipe dragão (não é spoiler todo mundo sabe que historicamente falando todos os personagens desse livro já estão mortinhos), entretanto a morte da Lada simplesmente não é retratada nos livros, uma autora que enrolou grande parte da historia, narrando dramas emocionais sem sentido do Radu, simplesmente decidiu não narrar a morte da nossa heroína/vilã.

E quanto ao Radu, ele simplesmente saiu como o bonzinho salvador de tudo e todos mesmo tendo grande parte de culpa sobre as atitudes da Lada, afinal ele se recusou desde o início do livro anterior a ajudar ela de qualquer maneira, preferindo ficar ao lado de Mehmed, que apenas o estava usando. E nesse livro ele fica o tempo todo falando que a Lada precisava de ajuda mas não moveu um dedo para ajuda-la de verdade. Eu achei durante os primeiros livros que o personagem que eu mais odiava era o Mehmed, mas Radu conseguiu superá-lo, e o que me deixa mais indignada foi que ele teve seu final feliz, que ele não merecia depois de tudo que fez com a Lada.

Com certeza esse não foi um final que me agradou, e nem mesmo todo o resto do livro que foi incrível, conseguiu salvar essa saga pra mim. Não foi o final mais insatisfatório que já li, mas sem dúvidas foi o que mais me deixou triste por não atingir as expectativas mínimas, eu realmente esperava algo a altura de Ladislav Dracul.

E se eu acho que valeu a ler a saga? Sim, pelo menos eu conheci uma das minhas personagens preferidas de todos os tempos, e vi a autora criar uma história que apesar de arrastada em vários momentos é única e original. Se eu indicaria para alguém? Definitivamente não.
comentários(0)comente



Thai 30/07/2021

Que trilogia!!
Eu ainda to tentando processar todo esse último livro, todo esse final, toda essa emoção que eu to dentro de mim. Achei que por ser o último livro da saga iria fazer uma resenha maior, uma grande introspectiva pela trilogia, mas to tão abalada com tudo ainda que vai ser a minha resenha mais curta dessa saga.

No final só posso dizer que Lada é insana, mas eu amo ela apesar de tudo e de longe continua sendo minha favorita, minha dragão e minha principe. Ela e Mehmed são tão parecidos em suas ambições e apesar de se amarem E se odiarem, sempre vão colocar seus desejos pessoais em primeiro. Amo os dois, mas esses são eles. E apesar de ter começado a odiar Mehmed no último livro voltei a amar ele aqui kk, acho que Lada e eu somos semelhantes nessa relação.
Radu é diferente, ele sempre colocou as pessoas que ama em primeiro, não o julgo e acredito que somos até parecidos nisso, durante a trilogia inteira tive minha cota de odio e amor com ele, mas acho que nesse final conseguimos nos dar bem. O final foi até além do que eu esperava, mas ao mesmo tempo foi tudo que eu já imaginava e conseguiu ser tão triste quanto maravilhoso, era tudo que essa saga prometia desde o começo.

Essa trilogia foi sem duvida uma das minhas queridinhas do ano, se não a minha favorita, e Lada e sua história vai ta sempre comigo, apesar de já ter lido sobre a história real que deu origem, acho que esse livro deu uma conotação totalmente difenciada. Vou ficar com saudades.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Raquel.Euphrasio 25/05/2020

Que final... Assim como os outros dois livros da trilogia, seguimos os irmãos em suas buscas pelos seus desejos, e foi mais uma vez incrível! Que personagens bem construídos, em nenhuma decisão eles fugiram do que eles de fato estavam buscando. Amei!
comentários(0)comente



Heloisa Riber 17/06/2021

Radu, o verdadeiro protagonista dessa trilogia.
Quando terminei esse terceiro livro da trilogia, pareceu que eu tinha assistido uma série inteira e foi maravilhosa a experiência! Radu é o verdadeiro protagonista/herói e ninguém pode me dizer o contrário. Simplesmente muito bem finalizada essa história, certamente se tornou um dos livros mais memoráveis que já li!
comentários(0)comente



lagartixa albina 03/04/2020

Kiersten White não decepciona
Os Plots desse livro.......Não tenho palavras. Dá vontade de chorar de tão bom que é.
A evolução da Lada e de Radu foram INCRÍVEIS! E deu um vazio no coração quando cheguei ao fim.
A história foi concluída com maestria, fazendo jus a todos os personagens. Considero o melhor livro da saga.

Lada é realmente a melhor personagem feminina que já vi. Real e determinada. E Radu é incrível também, usa o coração em todas suas atitudes. Nesse livro os dois atingem seu ápice tomando rumos INESPERADOS e até mesmo virando-se um contra o outro.

Mehmed vagabundo o que tenho a ver?? Cara chatooo.



(Leiam também a sombria queda de Elizabeth Frankenstein. Tudo que Kiersten escreve é perfeito e eu daria tudo pra casar com essa mulher)
Rodrigo Silvestre 04/04/2020minha estante
Eu preciso continuar essa saga!!!




Luh 22/05/2021

Sabe aquele livro que só enrola? Que é bom mas que poderia ser muito mais? É isso que eu senti ao terminar esse livro. O livro tinha tudo pra dá certo, pra a gente finalmente vê a Lada matando o Radu ou o sultão finalmente, e o livro promete isso a todo momento, e no final a gente não tem. Acho que foi um fechamento meia boca, gostaria que a Lada matasse o Radu, faria toda a história ter um sentido, que ela deixasse os seus meios sanguinários dominar ela de vez, e que ela e o Mehmed tivesse finalmente o seu fim, o que acabou tendo mas não me agradou muito a forma como foi feito sinceramente... tinha tanta questão pra ser abordado, tanta coisa, e ela veio com esse negócio que o bem sempre vence o malkkk enfim, é bom mas nada demais, me decepcionou MUITO...
comentários(0)comente



@blogleiturasdiarias 25/02/2019

Resenha | Senhora do Fogo
Termino A Saga da Conquistadora com uma sensação maravilhosa! Não esperava gostar tanto da série do modo como ocorreu, e acabou que entra para o ranking das minhas queridinhas. Senhora do Fogo termina em alto a história de Lada, Mehmed e Radu.

Lada e Mehmed alcançaram seus objetivos iniciais. Agora tanto ela quanto ele entrarão em um jogo político onde serão inimigos, e apenas um lado pode sair vitorioso. No meio desta briga grande, ainda temos a presença de Radu, que mesmo assombrado pelos acontecimentos em Constantinopla permanece junto de Mehmed. Os três perceberão que os destinos deles estão nas próprias mãos e escolhas. Quem dará o braço a torcer?!

Foi difícil não criar expectativas pois o segundo termina te deixando tensa para o que ocorrerá em seguida. E realmente tudo aquilo que esperava se cumpriu, até indo além. Com um enredo mais dinâmico que os antecessores, praticamente não temos tempo de respirar, muita coisa está em jogo e nossos figuras principais estão nos seus limites emocionais. O desenvolvimento envolve muita aventura, jornada de autoconhecimento, estratégias militares, estratégias políticas e principalmente uma guerra eclodida. Já esperava um embate maior nesse final — ou pelo menos um reencontro do trio principal — pois é algo que cresce ao longo dos volumes. Haverá desdobramentos questionáveis, porém que se encaixarão e conectarão com o final escolhido. Particularmente só tenho elogios.

Sobre os protagonistas, houve uma inversão que nem mesma acreditei que decorreria. Lada é uma pessoa instável que apesar de tomar decisões que discordo, me era aceitável dentro do contexto de empoderamento. Mas aqui, não ocorre. Boa parte das páginas achei que ela escolhia caminhos errados incessantemente, o que gerava atritos que me frustava e que ela poderia evitar — entendo que foi colocando pensando em estremecer a história e em provocação, todavia em alguns momentos a vontade era de entrar e dar uns tapas nela, rs.

"Lada vira o que Mehmed fora capaz de fazer por causa da sua crença inabalável. E viu essa mesma crença roubar dela seu irmão. Fé significava poder. Era impossível não levar a sério algo que proporcionava poder sobre os demais. Ela corrigiu sua postura." pág. 36

Já Radu, a quem sempre desconfiei e achava apático, teve uma participação fenomenal apagando tudo que deixou de "ruim" antes. Coerente com sua personalidade e atitudes, fiquei feliz que pelo menos nesse final tive um acerto leitor e protagonista — consegui apreciar maiormente o seu final. Mehmed foi alguém que passou sem grandes destaques, contudo tinha seus momentos de notoriedade — a relevância é dos irmãos Dragomir.

Tive a sensação que a leitura foi rápida. A escrita da Kiersten White é bem fluida e descritiva. Existe algumas cenas que embrulham o estômago e nos choca em razão da ambientação de disputa territorial deixar isso transcender. Aviso para ter estômago forte porque a autora traz todos os elementos que envolvem esse tipo de universo sangrento — estou falando de cenas de morte, de luta corpo à corpo, mutilações, uso de cadáveres entre outros.

O triângulo amoroso e a temática romântica passa despercebido — haverá seu fechamento para o trio, só que não é o enfoque. Ele é coerente com os embates de ego que víamos constantemente aparecendo, mesmo assim pode não agradar a todos. Fiquei exultante quando notei que o triângulo amoroso deixou de existir. Era o que mais me incomodava, e talvez seja o grande culpado de ter antipatia por certas pessoas. Quando recuado, pode se notar certas características que antes não enxergamos no plano de fundo.

Sobre o final, a medida que as situações se desenrolavam uma possível escolha se desenhava — a qual particularmente não me agradava, entretanto achava inevitável não surgir. É aquele concordo, só não é o que quero. E qual não foi minha surpresa vê-la chegar no epílogo. A autora encerra a narrativa de forma espetacular — pensei que seria pior — no qual gostei. A perspectiva de futuro é trabalhada, principalmente no epílogo, sendo um recurso que vem ganhando força atualmente. Me arrancou lágrimas, e como falei antes: necessário. Irá agradar quem acompanhou a série até agora.

"Era o destino mais cruel possível para Lada. Ele sabia que ela iria preferir morrer lutando. Mas não teria essa opção. Radu sentiu uma resolução aguda e ressentida se cristalizando dentro de si enquanto pensava em como sua irmã ficaria destruída ao se ver impotente e prisioneira outra vez. Ótimo. Que assim seja." pág. 146

De uma forma geral, saio elogiando o exemplar. Foi realmente primoroso, evoluindo de sucessor para sucessor que indico aos fãs de obras épicas! O fundo histórico foi um dos maiores atrativos, e saio positivando o que encontrei. A aventura não fica para trás, finalizando de forma bacana a Saga da Conquistadora! Recomendo demais!

Sobre a parte física, não tenho o que reclamar. Plataforma 21 acertou em manter as capas originais e que trazem uma identificação para a trilogia, além que a diagramação é espaçosa, limpa e com detalhes nos inícios de capítulos. Temos um mapa, glossário, e lista de personagens como itens adicionais. A narrativa é feita em terceira pessoa pelo ponto de vista da Lada e do Radu.

Já temos a primeira série finalizada do ano, o que me deixa contente por dois motivos: primeiro por ter adorado e segundo porque era uma das séries que mais queria finalizar no ano. Aliás, aproveitem que todos os volumes já foram resenhados no blog (; Espero que tenham gostado!

site: https://diariasleituras.blogspot.com/2019/02/resenha-senhora-do-fogo-kiersten-white-a-saga-da-conquistadora-plataforma-21.html
Sil 02/07/2019minha estante
Amei sua resenha.
Sempre estive do lado da Lada e sempre achei Radu desnecessário. Mas nesse livro fiquei totalmente do lado do Radu porque queria muito que a Lada mudasse, mas como se diz o ditado pau que nasce torto até a cinza é torta.
E estava no sangue da Lada ser daquele jeito.
Fiquei surpresa com o final e ainda estou chocada!!
Parabéns pela a resenha!!
Gostei muito.


@blogleiturasdiarias 03/07/2019minha estante
Exatamente. Eu batia também nessa tecla que Lada tomou bastante rumos errados, mas que eram coerentes com quem ela era. Não se podia esperar algo diferente haha
Também fiquei supresa, no entanto no fundo já esperava algo do estilo. A autora tinha cara que faria algo do estilo, e pelo andar da carruagem do enredo, ele terminaria de um modo diferente.
MUITO obrigada pelo elogio




Nicoly Mafra - @nickmafra 12/05/2019

#ResenhaNickMafra: SENHORA DO FOGO
"(...) ela lutaria com unhas e dentes, com o fogo e o sangue que a tornaram quem era. Ela era dragão. Ela era príncipe. Ela era uma mulher. E o último era o que causava mais medo."

Lada, Radu e Mehmed, três jovens poderosos que tiverem seus destinos entrelaçados pelo amor, porém, separados por suas ambições e egos. Lada Dracul não descansará até assumir o trono de sua amada Valáquia, e tornar-se o príncipe que seu povo tanto precisa. Mehmed triunfou em mais uma conquista, contudo, a expansão do Império Otomano continua com força total, sempre com auxílio de seu fiel conselheiro, Radu. É chegado o momento destes velhos amigos se enfrentarem em uma batalha épica para descobrir, finalmente, quem triunfará.

"Mais uma vez, ela se imaginou com asas atrás de si, cobrindo toda a região com sombras e fogo. (...) Plantaria o caos e a destruição absolutos. E estaria ao centro de tudo, agarrada ao próprio território. A Valáquia Sobreviveria. (...) Afinal, o fogo, o sangue e a morte não eram nada para um país liderado por um dragão."

Kiersten White superou todas as expectativas e concluiu a “Saga da Conquistadora” da forma mais épica, violenta, inesperada e triunfante possível - um final que jamais esperaria. Nos primeiros livros da saga, “Filha das Trevas” e “Dona do Poder”, a autora prometeu uma história brutal, com batalhas devastadoras e uma protagonista fria, implacável e vingativa, e a promessa foi cumprida fabulosamente em “Senhora do Fogo".

Todo o talento e habilidade da autora foi apresentado neste fantástico desfecho, porém, o desenvolvimento dos personagens é o ápice desta conclusão; do garoto apaixonado e facilmente influenciável, Radu tornou-se um homem sensato, manipulador e com uma inteligência tática admirável. Lada, sempre imprudente, feroz e vingativa, finalmente atingiu todo o seu potencial, e mesmo dizimando milhares de vidas, transformou-se no príncipe que tanto esperávamos. Dois irmãos com personalidades muito diferentes, moldados por suas ambições e vivências, e que deram vida à este esplêndido reconto histórico. Não poderia ser mais épico.

site: https://www.instagram.com/p/BwAn0iwg9PZ/
comentários(0)comente



Dudu 03/02/2021

Que Trilogia Fantástica
esse último livro foi simplesmente incrível, maravilhoso, espetacular. foi livro triste em muitas partes, mas foi tão incrível que não tem outra palavra pra esse livro e pra essa trilogia.

obrigado Kiersten !!!
comentários(0)comente



43 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR