Quem é Você, Alasca?

John Green



Resenhas - Quem é Você, Alasca?


628 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Etiene 14/12/2010

Em busca de um grande talvez
Existem livros que te fazem ver que a vida é engraçada e você morre de rir de situações imprevisíveis e hilárias.

Existem livros que vão te fazer morrer de amores por um garoto ou por uma garota e ver que a vida é uma eterna busca pelo grande talvez, aquela possibilidade intrinseca de ver que a vida valhe a pena, que você tem amigos, familia e pessoas que você ama e que te amam.

Existem livros que vão fazer você se debulhar em lágrimas, vão fazê-lo ficar horas se perguntando qual é o real sentido da vida, se existe esperança e qual o objetivo em continuar vivendo.

Existem livros que vão te encher de duvidas em relação a tudo em que você tinha convicções fortes e formadas e te deixarão perplexo diante da sua incapacidade de compreender tudo.

Existem livros que não vão te dar uma resposta mas vão te mostrar um caminho para ela, um caminho de esperança em construir um sentido e não se sentir tão perdido assim no labirinto da vida.

Existem livros que vão te encher de esperança na possibilidade de não se desesperar para sair do labirinto rápido e diretamente e sim fazer com que você lute pela busca de um grande talvez e a partir dele encontre sua saída do labirinto.

Existem livros, vários livros. Este livro do John Green foi o que melhor me mostrou tudo isso e muito mais.

Então, ignore o fato de achar a capa ou o nome feios ou incompativéis, a beleza da história está a partir da primeira página, quando você é convidado para juntamente com Miles ir em busca do grande talvez, e acaba indo para Culver Creek, um internato onde conhece seus melhores amigos - Coronel, Takumi, Lara - e o amor da sua vida - Alaska.

Então amigos, o que estão esperando? Corram, corram, corram.
Juh Sutti 13/12/2010minha estante
Nossa, amei a resenha, super intensa, já estava doida para ler, agora então!!!


KariVegas 14/12/2010minha estante
Run run run run run! Excelente Eti! Obrigada! Obrigada!


Gabi Wegner 31/01/2013minha estante
Renha linda! Amei!


Lívia 05/03/2013minha estante
Nossa, amei a resenha, super intensa, já estava doida para ler, agora então!!!²


Driih 07/03/2013minha estante
Nossa, amei a resenha, super intensa, já estava doida para ler, agora então!!!³


Biula 02/06/2013minha estante
É exatamente este tipo de resenha que nos incentiva a ler o livro, pequena mas gigante no impacto. Gostei :)


Nanah 06/06/2013minha estante
Gente para quem ainda não comprou, compra lá no site do extra : http://www.extra.com.br/livros/LivrodeLiteraturaEstrangeira/LivrosdeLiteraturaEstrangeiraRomance/Quem-e-Voce-Alasca-o-Primeiro-Amigo-a-Primeira-Garota-as-Ultimas-Palavras-280808.html?IdSku=280808
tá em promoção *--* esse livro em qualquer lugar é 39,90 e lá tá por 22,41 :)


Jeanne 06/08/2013minha estante
Esta resenha, me deixou muito animada para ler o livro.


Klara 12/01/2014minha estante
acabei agora o livro, e simplesmente, você colocou todo o meu sentimento junto a sua resenha


15/01/2014minha estante
Esse livro é bem simples de ler, mas não achei lá essas coisas, eu esperava muito mais.


Amanda 17/01/2014minha estante
Eu amei o livro! Só fiquei meio irritada porque alguns acontecimentos não foram o que eu esperava haha e sempre acontece isso quando eu me envolvo demais com algum livro. No mais, o livro é sensacional tal como John Green. E é impossível não se apaixonar pela Alasca.


Maria Janir Pir 15/02/2014minha estante
Gente, descobri que a Casas Bahia vende livros pelo site e também bem baratinho "Quem é você Alasca" esta por R$ 17,91, ja comprei ouros livros la e eles entregam rapidinho em 2 dias.


Ana Claudia Car 05/03/2014minha estante


Ana Claudia Car 05/03/2014minha estante
Quem é você Alasca?
eu vou te dizer: é muito fácil reconhecer na alasca. traços de uma depressão.
aquela auto confiança toda,a sua melancolia, hoje estou bem, hoje estou mal.
estava na cara só não viu quem não quis, como os amigos dela, poe exemplo, e o garoto, com a sua paixonite infantil.
ficaram tão preocupados em fazer trotes ridiculos, que , nem perceberam o que estava por vir.
depois ficou aquela , lenga, lenga... deles tentando descobrir o que tinha acontecido, que era tão óbvio!
mas quem poderia saber, afinal, ninguém conhecia a alasca realmente.


Miriiam 12/04/2014minha estante
Gostei do livro , porém não é aquilo que eu esperava.Leva você pensar um pouco sobre sua vida e o labrinto que as vezes vivemos.


re 21/06/2014minha estante
Exatamente isso!!!! Foi o 2 melhor livro que eu ja li, isso que voce escreveu define extamente o que eu sinto a respeito desse livro!




ka macedo 06/03/2013

Quem É Você, Alasca?
Bom, esse é um livro difícil. Por que, não é aquele tipo de livro que te encanta pela história. Me atrevo até mesmo a dizer que ele é feito de sua... O que? Lição de vida? Filosofia alternativa? Inteligência sagaz? Ou de seu drama completamente real? É difícil dizer, mas esse é o tipo de história que vale mais por sua inteligência e sinceridade do que pela trama em si. Principalmente por que nem mesmo os personagens são apaixonantes como em outros livros que vemos por aí.

Alasca é inconstante, excessivamente impulsiva, um tanto egocêntrica e extremamente inteligente, o que faz dela alguém completamente irritante e impossível de amar. E o Miles (ou Gordo) não fica muito atrás. Ele também é egocêntrico, sente auto-piedade demais e não consegue viver sem criar uma fantasia para fingir que sua vida é mais interessante do que na verdade é. E, mesmo os dois sendo tão imperfeitos, é impossível não sentir certa simpatia por eles ou por qualquer outro personagem. Todos eles são completamente humanos com seus problemas, sonhos, medos e inseguranças. Exatamente como eu ou você. E é assim que vemos toda a grandeza do livro.

Ele é tão real, tão honesto, com situações que podem estar acontecendo neste exato momento em algum lugar do mundo. Nenhuma escolha, nenhum personagem e nenhum acontecimento é perfeito. Exatamente como a vida é para todos nós. E, com isso, você sente como se fizesse parte daquele grupo de amigos que gostavam de fazer trotes, beber para se divertir e fumar escondido. Tanto que você se sente tão abalado quanto eles conforme os acontecimentos vão se desenrolando.

John Green escreveu uma história que deixa sua mente saturada dela mesmo depois de terminá-la. Ele conseguiu amarrar todas as pontas, mas deixa pequenos detalhes que incomodarão o leitor e os próprios personagens sempre que se lembrarem da história. E, para isso, ele usou a filosofia de ícones para criar sua própria filosofia que engloba lindamente todas as outras, te fazendo pensar nesse livro por muito tempo depois de terminá-lo.


http://blogminha-bagunca.blogspot.com.br/2011/08/resenha-quem-e-voce-alasca.html
Vih 12/12/2012minha estante
Puuuts! Agora deu mais vontade ainda de ler ! hahahaha


Lívia 05/03/2013minha estante
Ain...quero ler!


Douglas 15/03/2013minha estante
Ótima resenha :)


Aline 16/04/2013minha estante
Muito boa sua resenha, mas ela aumentou a minha angústia pq eu não acho esse livro p comprar em canto algum :@


Bárbara 09/09/2013minha estante
Muito boa


Maria Júlia 23/01/2014minha estante
nossa muito boa a sua resenha, iria ler o livro só porque um amigo/amor estar lendo mas depois de sua resenha estou muito curiosa...




Guilherme Alves 29/06/2011

Alasca, quem sou eu?
Uma livraria, uma dúvida, um o que ler. Dei de cara com "Quem é Você, Alasca?" algumas vezes, buscando títulos sobre o 49º estado americano. Era só mais um livro bobo se intrometendo numa pesquisa séria. No entanto, um dia, sem saber o que comprar ou o que ler dei uma chance a Alasca. E dei uma chance a mim mesmo de ler um dos melhores livros da minha vida, o melhor quando se trata em livros juvenis.

Gordo é genial, Coronel é intrigante, Takumi é coadjuvante, Lara é "bonitééénha", e Alasca... bem, a pergunta do título mostra: Alasca é indefinível.

Não vou falar da história ou tentar definir Alasca, não vou tentar te convencer a ler o livro (na verdade imploro para que o faça), ou contar os motivos que fazem com que ele seja tão especial. A única coisa que tenho a dizer é: Toda pessoa, principalmente adolescentes devem ler "Quem é Você, Alasca?". Por favor, leiam. Eu tenho certeza que essas páginas vão mudar sua vida.

E se no fim o "The End" não seja do modo que você esperava, não fique chateado com o livro, como fiquei da primeira vez que o li. A vida é assim mesmo.
Helder 21/02/2014minha estante
Perfeito. A vida é assim mesmo!




Marezinha 05/02/2011

Como sair deste labirinto?
Albert Camus escreveu: Abençoados sejam os corações flexíveis, pois nunca serão partidos.
E é com essa frase que gostaria de começar a resenha.

O livro gira em torno do Grande Talvez. Miles decide sair de sua vidinha de merda e correr atrás do que François Rebelais chama de o Grande Talvez. Para isso, muda de escola onde finalmente se torna imperador de seu mundo, até ela acontecer. Ela, Alasca Young. Nossa verdadeira protagonista. Você vai se apaixonar. Eu me apaixonei perdidamente por essa criatura. Alasca é incrivelmente intensa, ao seu modo. Enlouquecida, profundamente infeliz, extremamente impulsiva, meio bipolar e muitas vezes sem um motivo. Você a amará e odiará. Porque ela é incrível.
Tudo o que Alasca quer é sair do que ela chama de labirinto de sofrimento e essa questão nos colocará a pensar. Como EU vou sair do meu labirinto de sofrimento?
Quais são as regras deste jogo e qual a melhor maneira de jogá-lo? (Página 33)
Eu divagarei a respeito disso: Nós escolhemos quais são as nossas regras e jogamos com tudo o que acreditamos. Exatamente como Alasca fez. Mas tudo o que é construído desmorona imperceptivelmente devagar. (Página 225) e não poderia ser diferente.
Você deve estar se perguntando o que este livro tem de tão especial. A própria sinopse não é atrativa, mas ele é construído a base de detalhes de sutileza. Ele te convidará a pensar. Eu li este livro querendo parar, pois não queria que acabasse. E queria terminar logo simplesmente porque precisava saber o final.
Então você tem duas opções agora:
(1) Você pode ler este livro, entender o que é o labirinto e correr, correr, correr.
(2) Você pode ler este livro, entender o que é o labirinto e tentar descobrir como sair deste sofrimento.

Algumas perguntas da vida terão de ficar sem resposta. Apesar disso, devemos aprender a perdoar e sem o blábláblá piegas de religioso fanático. Todos nós somos um pouco como Alaska.
Por agora, se vocês me dão licença, eu preciso pensar sobre como sair do meu labirinto.

http://livrosmemordam.blogspot.com
comentários(0)comente



Mey 22/08/2013

Decepção!
Eu tenho a péssima mania de acrediatar que quando um autor escreve um livro MARAVILHOSO todos os seus outros livros também são assim. E foi pensando assim que resolvi ler "Quem é você Alasca?" do John Green, isso porque ele escreveu um dos livros mais incríveis que eu já li: "A culpa é das estrelas". Resolvi que queria ler tudo que ele escrevesse, porque tinha certeza de que seria perfeito, mas eu não poderia estar mais enganada.

Não procurei saber do que se tratava o livro "Quem é você Alasca?", eu só meti na cabeça de que precisava lê-lo. Então depois de o tê-lo em mãos é que fui ler a sinopse do livro, quando terminei de lê-la imaginei que a estória era parecida com "As vantagens de ser invisível" e me animei mais ainda em começar a leitura.

Como era de se esperar de John Green temos um livro fácil de se ler, com uma linguagem informal, com gírias e palavrões. Mas muito bem escrito, é inegável que o autor é muito inteligente e gosta de demonstrar isso através de seus personagens, que tal qual a seu criador são inteligentissímos, beirando ao nerdismo. Porém alguma coisa faltou a esses personagens, eles não são tão encantadores quanto Hazel Grace e Augustus Waters, são pedantes e um pouco esnobes, sempre se achando superiores aos coadjuvantes, algo que me irritou bastante. A estória "tenta" ser triste, mas não me comoveu, acredito que isso aconteceu devido a minha falta de simpatia com os personagens.

A minha grande implicância com essa obra de John Green é devido a antipatia que pela personagem principal: Alasca Young. Que garota insuportável! Ela quer todos a amando e a indolatrando. Sempre quer ajudar os amigos, mas essa bondade não me convence, acho que ela só quer provar que eles precisam dela. Além disso tem a questão de ela ser bipolar, ao mesmo tempo que está bem, ela está chorando e pisando nos outros, é muito maluca! E mesmo tendo seus problemas pessoais, acho que suas atitudes não são justificaveis, e ela nem mesmo tem um tumor no cérebro para mudar sua personalidade, ela é uma megera, sem fazer esforço.

Todos esses motivos que citei acima me fizeram achar o livro do John Green bom, mas só porque ele escreve bem, já que estória em si não me tocou. Posso dizer que fiquei um pouco decepcionada, porque acreditava que finalmente tinha encontrado o autor que me faria amar tudo que escreve, por isso em alguns momentos eu me esforçava para gostar do livro, só pelo simples fato de ser escrito pelo Sr. Green, mas não foi dessa vez. Espero ansiosamente o próximo livro do autor "Teorema de Katherine" que pode fazer com que essa impressão ruim seja apagada.


site: http://agoraqueeusoucritica.blogspot.com.br/2013/03/quem-e-voce-alasca.html
Douglas 21/03/2013minha estante
Achei a sua resenha no mínimo péssima. Comecei a ler o livro hoje, estou no ínicio, na página 6 pra ser mais específico, mas nem precisou eu ter lido pra discordar das suas críticas "imaturas" ao livro. Primeiro que você acha que quando um autor escreve um bom livro ele não falha nunca e todos os outros precisam ser bons, mas o pior é você esperar que o livro seja igual "A Culpa é das Estrelas", com personagens encantadores e outros 500. Eu pesquisei muito a respeito de "Quem é você, Alasca?" O suficiente pra saber que os personagens não foram feitos para encantar com suas qualidades e que o autor tem maturidade suficiente pra não impor clichê a um livro fazendo sempre personagens cheios de qualidades, mas personagens que assim como nós somos cheios de defeitos, e pesquisei o suficiente pra saber que o objetivo do livro "todos tem um, intencional ou não, e diferente sempre" que esse livro foca mais na mensagem que passa ao leitor do que fazer você se tornar fã de Alasca ou de qualquer outro personagem do livro. Acho que mesmo eu que não li o livro poderia ter feito uma melhor resenha do que a sua. Preste mais atenção, e pare de assistir novelas, se for o caso. Pesquise bem um livro antes de ler, o Skoob foi feito pra isso, se não quiser ter outra "decepção" com "Teorema de Katherine". Aviso de amigo. :)


Mey 21/03/2013minha estante
Oi Douglas, que bom que você pesquisou sobre o livro, mas acho que você tem que pesquisar principalmente sobre uma coisinha chamada: OPINIÃO. Você tem todos os motivos para considerar minha resenha ruim, afinal é a opinião que você tem sobre o livro.
Não queria que o livro fosse igual "A culpa é das estrelas", mas esperava um tão bom quanto. Mas como afirmei, o livro não me cativou por não ter sentido uma identificação com os personagens como senti no outro livro. Simples assim!
Também gosto de pesquisar sobre os livros que leio, mas devido ao grande número de spoilers espalhados pela internet, incluindo o scoob, em alguns momentos prefiro me jogar em uma leitura sem conhecimentos prévios.
Concordo com você que personagens tem que ter defeitos, inclusive, gosto dos que tem defeitos porque isso os torna real. Mas esse não foi o motivo de não gostar desse personagens em questão, foi apenas uma falta de simpatia com eles e até mesmo uma expectativa exacerbada de que iria adorá-los.Algo, que como você criticou foi causado, pelo mal hábito de acreditar que um bom autor escreve sempre bons livros. Confesso que tenho essa péssima mania, temos defeitos como você disse.
E também não se deixe levar pelas opiniões alheias que você viu por aí, você, como eu, pode ter uma opinião diferenciada daquelas que fizeram parte de sua pesquisa.
Ah, também quero afirmar que não tenho tempo e nem simpatia por novelas, gasto mais o meu tempo estudando, trabalhando e lendo. E em momento algum citei algo sobre novelas, ou seja, você retirou isso de sua cabeça preconceituosa.
Aguardo ansiosamente para ler sua resenha, para ver o livro com outros olhos, além dos meus imaturos.


Aline Ramos 27/03/2013minha estante
Adorei sua resenha e concordo com vc. Por ter amado A culpa, esperei mais deste livro e fiquei um pouco decepcionada. Me lembrei tb de as vantagens de ser invisivel... tb achei a Alasca bem irritante. E na metade do livro desconfiei do que iria acontecer...


Paula 01/05/2013minha estante
Concordo com você. A culpa é das estrelas é excelente mas esse... A maioria das resenhas que li do Theorema Katherine tb não foram positivas, embora eu ainda não possa dar minha opinão com propriedade pq ainda não li, espero que seja melhor que esse.


Ana 02/10/2013minha estante
Você conseguiu definir tudo o que eu senti ao ler esse livro. Eu posso dizer que odiei a Alasca por ela ser uma megera, e odiei o Miles por ele ser egoísta, digo isso por que (inclusive foi uma das coisas que mais me deu raiva no livro) quando a Alasca morreu, ele não ficou triste pela tragedia, e sim por que ela não poderia voltar e cumprir a promessa de ''terminar depois''.


Ju 11/11/2013minha estante
Já esclarecendo: Eu não achei esse livro uma maravilha, longe disso. Achei ele "bonzinho" (mas ainda acho melhor que A Culpa é Das Estrelas, enfim).

Alasca é uma pessoa como tantas outras, que um dia acorda de um jeito, outro dia acorda totalmente diferente. E o Miles é a coisa mais comum que existe: é egoísta. Porque convenhamos, todos somos egoístas (em graus diferentes, é claro). Não achei nada de absurdo na composição dos personagens. John Green só quis mostrar pessoas normais, com defeitos e qualidades. =)


vic 13/04/2014minha estante
Eu só achei errado você ter comparado A Culpa é das Estrelas com Quem é Você, Alasca?


Adrian 09/05/2014minha estante
Mey, concordo com vc.. para mim tb foi uma decepção, não consegui tirar nada deste livro. Decepção!


Gisele 25/06/2014minha estante
É o terceiro livro do Autor que li e não gostei muito...Mas ele descreve bem certinho a arrogância de alguns adolescentes....eu tb estou com o Teorema KAtherine para ler, espero que esse me surpreenda.


Lari 18/08/2014minha estante
só existem dois tipos de leitores de quem é você, alasca? Um deles é o que odeia a Alasca e julga o livro ruim e o outro é que é apaixonado pela Alasca e ama o livro também. Eu sou do tipo que ama o livro porque acredito que os únicos capazes de entender o verdadeiro significado dessa história são aqueles que já passaram por algo parecido ou conseguem colocar-se no lugar dos personagens. Alasca é uma garota extremamente cheia de qualidades, ela é do tipo que sabe provocar, do tipo que você olha e pensa "ela não se importa, ela não tem sentimentos, ela só pensa em si mesma, ela é como uma cobra, seduz, chama atenção por causa de suas perfeições e faz todos provarem do seu veneno". Mas, na verdade, se pararem pra pensar, é com esse tipo de pessoa que a Alasca DEVE parecer para que o livro tenha um significado, porque o livro mostra que por mais perfeitas e felizes que as pessoas sejam, mais sofridas elas são por dentro. A Alasca tinha um grande problema, ela se culpava pela morte da mãe dela, quando na verdade não deveria, ela mesma diz no livro "vocês fumam pra se divertir, eu fumo pra momrer", ou seja, ela estava gritando por ajuda, ela estava desesperada, mas a imagem que passa é de vilã, quando na verdade é a vítima. A beleza do livro está em mostrar a realidade de muitas pessoas, no caso da Alasca, ela não foi ajudada, mas precisamos aprender com a história dela e reconhecer que muitas vezes aqueles que julgamos são os que mais precisam de atenção, de ajuda. O livro é extremamente inteligente, inclusive ao deixar o suspense: ela se matou? Ou não? Creio que sim, mas quem sabe?




Eduardo Victor 16/08/2012

Quem é você, Alasca?
Eu não sei como e nem porque me apaixonei por esse livro. Não sei se foi o fato de Alasca simplesmente ser Alasca, ou se foi pelo título, pela escrita ou pela maneira em que John Green nos conta esta maravilhosa história.

Miles, adolescente, um novo colégio, novos amigos, garota perfeita e comprometida, ele se apaixona. Cerne do clichê, com certeza. Mas o que está nas entrelinhas é a maneira em que o livro segue, toma um rumo diferente tanto no enredo quanto na forma em que é escrito, tornando-se algo fora do comum.

Quem é você, Alasca? retrata uma visão cotidiana e simplória, mostrando-nos a fragilidade da vida e o que podemos fazer com ela, nossas escolhas e os rumos que tomamos. Filosófico e juvenil, me prendeu no ponto certo, não por ser uma leitura fácil, mas sim por surpreender-me com cada página.
comentários(0)comente



Amanda 20/06/2012

Alasca é uma menina meio chata...
Eu esperava mais desse livro, já falo agora.
Comprei ele exatamente por que todo mundo falava de John Green. Todo mundo dizia que era um dos melhores autores contemporâneos e tudo mais. E uma das minhas escritoras favoritas, a Stephanie Perkins também vivia falando dele. Eles são meio amigos acho.
Bom, então lá fui eu e comprei o livro já achando que ia amar.
Talvez seja isso. As expectativas eram muito altas.
O livro conta basicamente a história desse cara meio desajeitado chamado Miles, que resolve ir pra um colégio longe de casa e se afastar da vida sem graça que ele tinha. Assim que chega no colégio, faz amizade com o colega de quarto, que apresenta ele pro resto da turma. E no meio da turma aparece essa menina, muito agitada, muito esperta, aquela coisa toda. Ela é a Alasca.
Miles descreve as coisas que estava descobrindo, seu dia a dia no colégio e sua paixonite por Alasca, de uma maneira simples e quase monótona, e entre uma besteirinha e outra, o autor consegue colocar algumas questões pro leitor pensar.
O personagem principal tem aulas de religião, e é nessa hora que aparecem alguns questionamentos do livro. O mais legal deles é:
"Como sairemos deste labirinto de sofrimento?"
Tirando isso, o resto do livro passa sem grandes reviravoltas, nada me empolgou. Nem a “surpresa do meio”(que eu já percebi o que seria antes mesmo de ler), nem as pegadinhas que eles faziam, nem a busca por respostas do final.
Não acho que tenha escolhido o livro errado.
Também não acho que John Green é ruim. Acho só que o livro que não me tocou.
comentários(0)comente



Camila 02/02/2014

John Green me deu Alasca e Margo para amar, para sempre.
comentários(0)comente



Fernanda 29/03/2013

“Quem é você, Alasca?” é um livro fascinante. Mas estou me referindo à um livro de John Green, então isso soa meio que paradoxal.
Em “A culpa é das estrelas” ainda não tinha me decidido se amo ou odeio o autor. E depois dessa leitura, ainda estou em duvidas...
John Green nos joga num emaranhado de emoções conflitantes, mas sem perder a postura divertida.
“Quem é você, Alasca?” trata de juventude. Ou seja, idiotices, felicidades, erros... mas, como se trata de John Green, a questão é abordada de forma natural e inteligente.

O narrador, Miles Halter, é um verdadeiro nerd. Ele sai de sua antiga escola, e de sua vida desinteressante, rumo a uma nova vida, em uma nova escola, em busca do que ele chama de “um grande talvez”. Ele se refere às ultimas palavras de François Rabelais, um poeta francês. E isso não é aleatório. Miles é fascinado por ultimas palavras. Ele as coleciona, inclusive.
O seu primeiro contato na escola nova é com seu colega de quarto, Chip Martin, e através de Coronel (como Chip é conhecido), Gordo (sim, Miles também ganha um apelido) conhece Alasca. Ela é uma garota interessante e fascinante, diferente de todas que ele já conheceu.
(Ok, sei que essa ultima parte soou clichê, mas a paixão também faz parte da juventude.)

“... Se as pessoas fossem chuva, eu seria a garoa e ela, um furacão.”

Juntamente com seus novos amigos, Miles começa a desvendar seu Grande talvez. Em seu caminho: cigarros, estudos, bebidas, ótimas sacadas, trotes e literatura.
Interessante: o livro recebeu algumas criticas relativas ao consumo de drogas. Mas, pessoalmente, não achei ofensivo e os fatos casam muito bem com o pano de fundo e enredo da história. Realmente, não há nada de gratuito.
Esse é um livro de descobertas e conflitos. É incrível como o autor consegue expor o pensamento de um adolescente de forma de tão genuína, sem exageros ou apelos.

“ ...Nós estávamos nos beijando.
Pensei: Isso é bom.
Pensei: Não sou ruim nesse negócio de beijar. Não mesmo.
Pensei: Decerto sou o maior beijador da história do universo.
De repente, ela riu e se afastou. Sacudiu-se para colocar uma das mãos para fora e enxugou o rosto. “Você babou no meu nariz”, ela disse e riu.
Eu também ri, tentando lhe passar a impressão de que minha técnica de beijo de nariz tinha o propósito de ser engraçada...”

Gordo, Coronel, Takume e a própria Alasca são, simplesmente, adolescentes vivendo suas vidas como acham melhor.
Os personagens são bem estruturados e apaixonantes. E claramente, eles não são adolescentes imbecis.
Eles são inteligentes, e engraçados, e terríveis, e reflexivos...

“Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto seria legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.”

A narrativa é curiosa e diferente. O livro é dividido em “antes” e “depois”. São dias que mais parecem com uma contagem regressiva para um fato, e quando me deparei com ele, sai levemente do chão. E nos dias “depois” compartilhei as duvidas e reflexões feitas pelos personagens.

“Mas o sofrimento está sempre presente, Gordo. Dever de casa, malária, o namorado que mora longe quando você tem um garoto bonito deitado ao seu lado. O sofrimento é universal...”

Vou terminar a resenha do jeito que comecei: “Quem é você, Alasca?” é um livro fascinante. Foi o primeiro romance do autor, lançado em 2005, e ganhou o Prêmio Michael L. Printz de 2006 da American Library Association.
E, obviamente, não odeio John Green. Caso contrário não iria querer ler até sua lista de supermercado.
Douglas 01/04/2013minha estante
Excelente resenha!


Del 07/02/2014minha estante
Na minha opinião, uma das melhores resenhas.




Flavia Souza 21/09/2012

Quem é você, Alasca? - John Green
Notas para leitura, li esse livro:

i. Porque fiquei imensamente encantada com o “A Culpa é das Estrelas”;
ii. Porque eu leria até a lista do supermercado do John Green;

O livro é narrado em primeira pessoa por Miles (O Gordo) conta a história de 272 dias de sua vida onde ele conheceu o amor, fez amigos e foi em busca de um Grande Talvez. Não gostei muito da história em si, terminei o livro com a sensação de que faltou alguma coisa, e acho que com exceção talvez do Coronel, os outros personagens não eram assim tão carismáticos, mas nem por isso foi uma experiência ruim, muito pelo contrario!
Fico impressionada com a habilidade do titio John de te prender na historia, mesmo que você nem esteja curtindo tanto assim (como eu). Outra coisa que também acho memorável é as reflexões que ele faz, em ACEDE eu marquei uns quinhentos mil quotes sensacionais para guardar para a vida, e em QEVA marquei outros tantos. Acho que você acaba se encantando pela leveza e pela maneira descontraída que o autor escreve. Ele trata de assuntos sérios de uma maneira simples, realmente ‘pensando’ como um adolescente, é sensacional... Realmente tocante!
Contudo, nem com todo o meu amor pelo Sr. Green, eu consegui gostar loucamente do livro, a sensação de que falta algo foi algo gritante pra mim e não consegui me desvencilhar dela. Quando o depois (o livro é dividido em antes e depois) começou, chorei muito não pelo acontecido em si, mas principalmente pelas reflexões do Gordo, são coisas que eu já pensei em alguns momentos da minha vida, mas mesmo assim acho que a historia se perdeu um pouco a partir desta parte e terminei o livro com a imensa sensação de que faltou algo.
Contudo, não posso negar a minha felicidade por QEVA ser anterior a ACEDE, pois isso denota que o autor esta melhorando, de modo que eu mantenho minha afirmação e leria até a lista de supermercado de John Green.


Em suma, não é que seja um livro ruim, é só que sei lá, ele não atingiu minha alma e me modificou como A Culpa é das Estrelas fez, e por isso, mesmo tendo dado nota quatro durante toda a leitura, termino achando o livro ok, portanto nota 3/5.


QUOTES MEMORAVEIS:

“Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar este futuro é o que nos impulsiona para frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente”. (p.56)

“Hoje, acredito que somos mais do que a soma das nossas partes. Se pegássemos seu código genético, suas experiências de vida, seus relacionamentos com outras pessoas e os enxertássemos num corpo do mesmo tamanho e com as mesmas proporções, ainda assim não teríamos outra Alasca. Existe algo mais. Uma parte que é maior do que a soma das suas partes cognoscíveis. E essa parte tem de ir para algum lugar, pois não pode ser destruída.”
amanda 12/07/2013minha estante
a sua resenha diz exatamente como eu me senti! como se faltasse "ALGO" parece que tirou palavras da minha boca , rs pensei que fosse a única que sentisse isso .




Pamela 05/08/2013

Aborrecência extrema
Foi o livro que eu menos gostei até agora.
Há muitas uestões no livro como o que significa amizade para você? Qual é a seu preceito sobre amizade? Você conhece seus amigos de verdade?

Alasca Young nunca valorizou a vida.
É uma garota detestável, é a maior hipócrita que eu já vi, perturbada, impulsiva,irascível, insensível.
Só é agradável, simpática com o namorado e quando quer.
Quando fica de mau humor nunca diz o motivo.
Diz que as mulheres tem que se dar bem, não podem brigar, mas já fez e faz ao contrário.
Diz que é feminista mas usa a 'beleza' a seu favor fazendo charme, para conseguir o que quer. Fez isso com o Miles, sendo que vive
dizendo que gosta muito/amava o namorado Jake.
É inteligente em pré-cálculo, boa professora, gosta de poesia.
Diz que fuma cigarros 'rápido' não para apreciar mais sim porque quer morrer logo. SÉRIO? Características suicidas?

Não confia em ninguém, nem nela mesma.
Por medo, covardia ou por um super trauma de infância, dedurou uma colega pq não queria enfrentar as consequências dos seus atos.
Quando precisa de alguém ela sabe pedir um favor, um colo, mas quando é ao contrário, ela diz para os amigos se virarem e enfrentarem a vida!
Critica a pornagrafia (que há varios tipos) por ser uma forma agressiva contra as mulheres, mas é a que mais gosta de sexo.
Ela conta uma história triste do pior dia da vida dela e depois todo mundo fica com pena dela! Que vida difícil.
Jake não é o suficiente para ela ser feliz, bebe para lidar com os problemas!
É Bipolar? Rebelde? Incompreendida?

Miles é um cliché. O Geek magricela, bonitinho, é estúpido,covarde, uma piada, coleciona as últimas palavras de várias pessoas não sabe porque faz isso, mas depois se lembra e explica.
Tem uma queda pela primeira gorota atraente que conversa com ele, que é amiga, 'flerta' com ele e o beija. Ele é muito exigente!
Não liga quando Alasca é maldosa com ele, acha que não é nada.
É tão altruísta, mas tem horas que é de dar pena.
Mas nunca conheci alguém que quis 'chupar o tutano da vida'.
Prefere uma mentira confortável a uma verdade iminente.

O que salva um pouco a história ao meu ver, de ser ruim, são os outros personagens.
O Coronel (Chip Martim), o Takumi, os trotes que eles fazem na escola são muito bons, as citações de livros, as poesias, algumas situações em que se encontram, tudo isso é bem interessante.

Creio que Miles escontrou o grande talvez dele com a Alasca: Talvez ela gostasse dele, talvez não.

Ju 11/11/2013minha estante
Em uma coisa eu concordo: o Miles é muito clichê. Na verdade, eu acho todos os personagens de todos os livros de John Green que eu li clichês. Parece que todos tem o mesmo enredo, se passam na mesmo lugar, no mesmo tempo... é estranho. Acho que é por isso que eu acho que ele é um autor apenas razoável '-'




Bruna 24/07/2011

Sou suspeita para falar desse livro. É provavelmente a melhor coisa que já li em quinze anos de vida. Os personagens, as descrições, o que eles fazem, como eles pensam, como vivem. Tudo é perfeito, magnifico. Sabem aquilo de "tal coisa mudou minha vida"? Quem É Você, Alasca? é assim. Simplesmente mudou minha vida.
comentários(0)comente



Mateus 30/04/2011

Desde os primeiros instantes, "Quem é Você, Alasca?" já dava mostras de ser um livro singular. Para começo de conversa, sua capa não me agradou muito, ao contrário do que sempre acontece quando vejo um bom livro. O que me fez apaixonar por ele, na verdade, foi sua sinopse, tão insinuante e tão sugestiva, que para mim teve um gosto a mais do que sem dúvida teve para as outras pessoas que a leram. Assim que me seduzi por ela, minha sorte estava traçada e percebi um grande detalhe: este seria o melhor livro de toda a minha vida.

Quer ler o resto da resenha? Entre no blog: http://mateuscalazans.blogspot.com/2011/04/quem-e-voce-alasca.html
Dominique 19/05/2011minha estante
Ual! Que declaração mais gostosa de se ler: "este seria o melhor livro de toda a minha vida".


nanda 23/05/2011minha estante
Muito linda a sua resenha!! =D
Gostei muito.
Realmente esse livro é mt mt mt bom!!! =DD


Mika 23/03/2012minha estante
Sua resenha me deixou sem palavras... Realmente, lindo , muito lindo. Não tenho mais o que dizer,perdi a fala. Parabéns Miles Halter 2.


Mateus 18/04/2012minha estante
Quem é você, Alasca? é um livro realmente muito lindo e emocionante, vale a pena ser lido várias e várias vezes. A resenha que escrevi é apenas uma parcela dos meus sentimentos, tão atingidos e influenciados pela história do livro.


Mateus 08/07/2013minha estante
A minha reação foi oposta a sua, desde o primeiro instante que vi o livro senti uma necessidade de explora-lo, de conhecer o mundo de Alasca, de me tornar íntimo da história, e concordo plenamente com a sua colocação, está entre os melhores que já li.




Gabi 12/09/2013

Como resenhar seu livro favorito?
Não tenho palavras para descrever esse livro. Começo pedindo que leve em conta que nada que eu disser aqui chegará sequer aos pés do que realmente é. Miles é um cara magricela que coleciona últimas palavras, e que, durante sua história com o furacão Alasca Young, me deixou sem nenhuma.

Quem é você, Alasca? é um livro que vai te deixar vazio - de palavras principalmente. Miles sai em busca do 'Grande Talvez', e o encontra na forma de Alasca, uma garota misteriosa e controversa que vira seu mundo de cabeça para baixo e o apresenta ao labirinto. Miles vai conquistar novos amigos, se apaixonar, e vai tentar desvendar a pergunta que serve de título ao livro: No fim, quem é você, Alasca?

Ao meu ver, o Grande Talvez é o futuro, o final de uma cadeia de acontecimentos gerados por nossos atos, e o labirinto é todo o caminho que nos leva até lá; a vida com seus becos sem saída e suas viradas confusas. É claro que ao ler o livro cada um vai interpretar esses elementos de maneira diferente, e enxergar um sentido diferente em toda história. Talvez essa tenha sido a grande sacada, o fato de dar espaço para que cada um encontre o seu Grande Talvez dentro do seu próprio labirinto -ou não.

Deus sabe quanto tempo essa resenha ficou nos meus rascunhos, sendo escrita e reescrita milhares e milhares de vezes. John pega os aspectos mais banais e os leva à outro nível, com uma escrita que te faz refletir sobre amizade, lealdade, amor e sobre o quão bem você realmente conhece uma pessoa. Eu demorei todo esse tempo para achar o significado desse livro pra mim, é algo que precisou ser digerido, deixado de lado e redescoberto. E o significado estava bem na minha cara o tempo todo.

Miles, apesar de tímido, é um cara simples; um livro aberto. Já Alasca é um código mais complicado que o do Fort Knox, escondida atrás de um cigarro, de brincadeiras e descontração; uma bomba-relógio.

"Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão." p.91


Não, talvez esse livro não mexa tanto com você como fez comigo. Muito provavelmente nossos labirintos são diferentes, talvez opostos, e nada disso vá ter o mesmo significado. Mas o fato é que John Green tem o dom de criar personagens realistas e fazer você vivenciar exatamente o que eles estão sentindo, além de dar um novo significado a situações como enrolar o diretor ou pregar peças nos alunos riquinhos.

Não vou dizer que é um must read, porque eu sei que não é todo mundo que vai gostar. Além disso, Quem é você, Alasca? é o primeiro livro que, fazendo alusão à outro livro do John, eu sinto como se fosse meu e que fazer propaganda da minha adoração por ele parece traição.

site: http://www.bookpetit.com
Samara 14/09/2013minha estante
Ótima resenha. Só que eu acho que o título original faz mais sentido na história: Procurando por Alasca. Todos estavam a procura dela, tentando entender as razões de seu fim, mas no final, nunca de fato a encontraram. Afinal, onde estava Alasca?




Karina 19/04/2013

Quem é você, John Green?
O romance de estreia de John Green não conseguiu me conquistar, talvez porque a expectativa é a mãe da decepção, talvez porque eu li "A Culpa é das Estrelas" primeiro. Não vou negar que adoro o modo como Green escreve e o que mais admiro em suas obras são as referências usadas e “Quem é você, Alasca?” está cheio delas, como as definições de três importantes religiões e as várias últimas palavras de pessoas influentes na história da humanidade. Também adoro a forma como ele aborda o tema morte/perda, suas reflexões são inspiradoras e nos ajuda a aceitar a perda e superar o sofrimento. Mas este é um livro mais para reflexão do que para emoção.

Apesar de ter uma reviravolta interessante no decorrer da história, "Quem é você, Alasca?" tem um final extremamente previsível, mas graças ao Green, não deixa de ser conclusivo - e quando digo conclusivo me refiro à linha de pensamento usada durante a narrativa e não à história em sim, porque ainda fica aquela dúvida sobre o que realmente aconteceu, daí cada um tirará sua conclusão.

Em suma, "Quem é você, Alasca?" deve ser lido apenas por ter sido escrito por John Green, que é um autor que vale a pena conhecer, mas se você já leu e amou "A Culpa é das Estrelas", não espere a mesma sensação de meu-deus-que-livro-maravilhoso.
comentários(0)comente



628 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |



logo skoob
"A rede social é perfeita para amantes da leitura"

Blog do Curioso - IG