Um Conto de Natal

Charles Dickens



Resenhas - Um Conto de Natal


38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Mateus 28/06/2010

Um Conto de Natal é a história natalina mais conhecida de todos os tempos, sendo considerado como um clássico dos clássicos. Foi adaptado para a televisão, para o cinema, e para várias outras mídias, alcançando assim a sua popularidade e fama dentre as pessoas de todas as partes do mundo.

Conheci a história de Um Conto de Natal com o desenho animado da Disney, e me fascinei com Scrooge e sua rabugice. Mesmo sendo tão ranzinza e avarento, o personagem garante uma grande veia cômica à história. Do desenho ao livro foi apenas um passo, e com ele em mãos, me encantei ainda mais com a história completa e seus minuciosos detalhes.

O livro às vezes se torna um pouco cansativo, por ser antigo e ter uma linguagem um pouco difícil. Mas isso não atrapalha nem um pouco a leitura. Acompanhar as idas e vindas de Scrooge ao passdo e ao futuro é maravilhoso, pois tudo é uma grande lição de moral para nós leitores. Em cada página vemos a mensagem de Dickens, de que não devemos ser gananciosos e avarentos como o personagem principal. Um Conto de Natal deveria se tornar leitura obrigatória para todos as crianças e jovens, pois passa uma mensagem fundamental para a vida através de uma história cativante e compreensível para qualquer um. Se todas as pessoas tivessem lido este livro na infância, o mundo não estaria nesta ganância desenfreada como está hoje.
comentários(0)comente



Armageddon 22/03/2011

Você conhece, por isso deve ler.
Acho que todo mundo conhece Um Conto de Natal, o conto de Dickens que deu origem ao célebre Tio Patinhas. Entretanto, nem todo mundo já leu o dito cujo na sua essência. Bem, eu não tinha lido até então. E dei várias risadas com a narração baseada em um humor rebuscado e às tiradas do velho Charles.

Ebenezer Scrooge é um homem avarento que não gosta do Natal. Numa véspera de Natal Scrooge recebe a visita de seu ex-sócio Jacob Marley, morto havia sete anos. Marley diz que seu espírito não pode ter paz, já que não foi bom nem generoso em vida, mas que Scrooge tem uma chance, e por isso três espíritos o visitariam.

Daqui em diante já virou enredo de filme da seção da tarde, tamanho o clássico. Três espiritos visitam o velho Scrooge, o do Natal Passado, Presente e Futuro mostrando como suas ações o trouxeram até ali e para onde elas estavam levando sua alma. Pela manhã, aliviado o sovina muda da água pro vinho e se torna um dos maiores entusiastas do natal.

Conto curtinho, não tem mais de quarenta páginas acho. Leitura leve e bem divertida, escrita num ritmo legal.

Nota 5 com louvor =D

Lido em Agosto de 2008 (fora de época hein...)
comentários(0)comente



Jacy Coelho 18/02/2014

Desafio Literário Skoob 2014 - Fevereiro (Clássico mundial)
Então, vamos lá para difícil tarefa que é comentar um clássico.

Um conto de Natal talvez seja "O" conto de natal mais famosos de todos os tempos. Pelo menos um bom número de pessoas sabe que fala de um velho sovina que não acredita no espírito de Natal e que essa história tem um final feliz. Várias adaptações, direta ou indiretamente, já usaram essa história.

O livro é simples, flui deliciosamente. E bem pequeno, dá pra ler em três dias (uma pessoa normal, não eu). Além de que Dickens conversa com a gente durante todo tempo e nos envolve bem na história.

Achei a moral da história lindinha e eficiente. E a transformação do Velho Scrooge, de um homem Avarento à um velhinho bondoso é feita de maneira bem humorada. Até eu fui tocada pelo Espírito de Natal em pleno fevereiro.

Li em alguns blogues (sem informação oficial) que ele escreveu esse livro às pressas só pra ganhar dinheiro. Se for verdade,mais genial ainda, porque se às pressas ele escreve desse jeito, imagine com calma! :P

Também li que essa obra é uma crítica a sociedade inglesa da era Vitoriana (é isso?). Faz muito sentido, porque se você quiser ler com a cabeça um pouquinho mais aberta, vai ver críticas em várias falas do livro. E não só no sentido político. O que pensar desse trecho:

" - Espírito - disse Scrooge, após pensar um pouco -, não entendo por que justamente você, entre todos os seres que habitam os diversos mundos que nos cercam, deseja impedir que toda essa gente pobre se divirta um pouco de modo inocente.
- Eu?!- exclamou o espírito
- Sim, você impede que jantem aos domingos, que é o único dia da semana no qual eles realmente podem dizer que comem.
- Eu faço isso?! - repetiu o espírito
- Desculpe se estou enganado, mas isso é feito em seu nome, ou em nome de alguém da sua família - disse Scrooge
- Há certas pessoas neste mundo que dizem que nos conhecem e cometem atos de paixão, orgulho, maldade, ódio, inveja, hipocrisia e egoísmo em nosso nome, mas estão tão longe de nós que é como se nunca tivessem existido.(...)"
(p.73)


Foi um bom começo pra eu conhecer o autor que eu estipulei como meta própria para 2014. Que venham as outras obras!
Flávia 18/02/2014minha estante
Não conheço o livro... Boa resenha!! Beijos


Flávia 18/02/2014minha estante
Pode parecer absurdo, mas ainda não li. Charles Dickens tem esse poder de ao mesmo tempo que encanta com suas narrativas consegue fazer suas críticas sociais, que acabam sendo sempre atuais.


Michelle Gimene 19/02/2014minha estante
Eu também enrolei anos para ler esse livro. Só saiu da estante por causa do desafio do ano passado. Foi uma ótima leitura, crítica e divertida. Que venham mesmo outras obras do autor!
bjo




Gláucia 11/07/2011

Um Conto de Natal - Charles Dickens
Clássica história de Natal, possui várias adaptações para cinema e TV.
O rabugento Scrooge odeia o Natal e tudo que possa desviá-lo de seu principal interesse na vida: dinheiro. Deixou sua vida e as pessoas passarem e vive solitário e amargo até que, numa noite de Natal tem um encontro com três espíritos: o dos natais passados, presente e futuro. Esse encontro é, na verdade, um mergulho dentro dele mesmo que se vê obrigado a rever toda sua vida, tendo agora uma nova oportunidade, a última chance de se modificar.
comentários(0)comente



Jonara 15/04/2010

Eu já tinha lido várias paródias deste clássico, mas nunca o original. É uma linda história, com uma lição de moral bem clara e forte. Linguagem acessível, popular e bem otimista. Uma graça, mais um daqueles livros estilo - leitura antes de dormir, capítulo a capítulo.
O livro conta a história do velho Scrooge, um homem de negócios frio, ambicioso e avarento. Na véspera do Natal ele recebe a visita do fantasma de seu antigo sócio. Marley conta que se arrependeu de ter passado a vida correndo atrás de dinheiro porque agora é um fantasma preso a correntes horríveis. Ele fica se arrastando e não pode descansar, e diz que se Scrooge não mudar de atitude, vai acabar como ele. Scrooge então recebe a visita de três fantasmas que vão fazê-lo relembrar sua vida e perceber melhor o mundo ao seu redor.
comentários(0)comente



Celly Borges 10/09/2010

Esta bela história fala sobre Scrooge, um homem avarento, não se importava com nada ou ninguém, apenas em não desperdiçar seu dinheiro.

Nem no dia da morte de seu sócio, Scrooge demonstrou-se abalado ou mesmo fez esforço para apagar o nome de Marley da fachada da loja.

O espírito natalino nada causava ao coração duro daquele homem.

“Feliz Natal! Que direito tem você de estar alegre? Porque razão essa alegria? Você devia se lembrar de que é pobre”, dizia ele ao ver seu empregado, e sobrinho, alegre pela data que se aproximava.

Mas naquela noite, enquanto todos se preparavam para o tão esperado dia, Scrooge recebeu uma visita, e ela anunciava a vinda de mais três outras visitas.

Aquele era o espírito Marley, o sócio, que em vida nada fez para ajudar ninguém, e agora avisava Scrooge para se livrar das correntes que ele arrastaria depois de sua morte, as mesmas correntes que Marley carregava. E para o amigo ainda vivo três espíritos lhe visitariam, os espíritos do Natal passado, presente e futuro.

Ele ainda tinha chance de mudar, para isso os espíritos foram mandados.

Um clássico que sem dúvida deve ser lido, principalmente na época natalina.

*****
Mundo de Fantas no mundo dos livros
http://mundodefantas.blogspot.com/
comentários(0)comente



Ulysses Rubin 25/03/2014

Clássico absoluto
Como descrever essa obra sem dizer o que já foi dito? Impossível! Um Conto de Natal é simplesmente a mais essencial história sobre o espírito natalino já escrita.

Mesmo a trama sendo bastante conhecida, afinal, foram inúmeras as adaptações para cinema e televisão, a leitura é de uma imersão indescritível. Dickens nos faz sentir o cheiro das amêndoas, esfregar as mãos para espantar o frio e experimentar os calafrios de Scrooge frente ao ameaçador Espírito do Natal Futuro.

Algumas passages são comoventes, principalmente aquela dedicada ao garotinho Tim e outra onde Scrooge ouve seu sobrinho falar sobre como sente compaixão pelo tio, mesmo ele sendo um homem rude e desprezível.

O senso de atmosfera de Dickens é inexplicável. Sua narrativa é altamente visual. Me sinto presenciando a ação com todos os detalhes.

No fim, temos uma conclusão otimista e talvez utópica, que num livrinho qualquer soaria forçosa e infantil. Mas vindo para fechar uma obra tão perfeita e atemporal, é apenas a deliciosa cereja no topo do mais maravilhoso bolo de natal já confeccionado.

Obra prima!


C r i s 26/01/2011

Se eu não leio esse livro eu não entro no espírito de natal.
comentários(0)comente



O que tem na no 26/12/2013

Um conto de natal foi um livro que por ironia do destino, li no carnaval deste ano, decidi escrever sobre ele, e somente agora pude fazê-lo.(E nada melhor do que escrever no próprio dia do Natal.

Adquirir o meu exemplar de bolso da L&PM pocket em um supermercado junto com as compras. A história é bem conhecida pela maioria (e bastante parodiada pelos desenhos animados mais antigos, como o Mickey, por exemplo.

Escrito pelo britânico Charles Dickens, a historia gira em volta do velho rico e sovina Scrooge, um senhor de poucos amigos, que acredita ser o Natal uma época em que pessoas tolas comemorarem a sua pobreza e miséria. Scrooge após discussão com seu sobrinho, volta para sua casa e na noite de véspera de Natal, recebe a visita de seu sócio falecido, que lhe adverte que ainda receberá a visita de três espíritos: O fantasma dos natais passados, o espírito do natal presente, e o espírito dos natais futuros. A cada aparição fantasmagórica, os espíritos vão apresentando a Scrooge cenas que além de impressionantes, chocantes, vão moldando a consciência do velho e despertando-o de seus erros.

O livro trata de companheirismo, altruísmo, fraternidade, paz e com certeza vai mexer nas bases do leitor, conscientizando que damos muito valor a coisas fúteis nesta vida, esquecendo o que realmente faz bem, como por exemplo, a felicidade dos que nos cercam e dos que podemos alcançar pela caridade.

A obra de Dickens apresenta isso: uma realidade que precisa ser vista, mesmo que para isso seja usada uma fantasia. Uma obra que recomendo, leitura simples, curta e facilmente encontrada nas livrarias (ou até mesmo nos supermercado). A edição da L&PM supre as necessidades do publico menos exigente, contêm ilustrações que dão uma mãozinha a nossa imaginação, perfeita para quem deseja apenas uma boa leitura.

Contudo, para os mais exigentes, existem outras edições de outras editoras que apresentam a obra com um toque maior de capricho no acabamento tipográfico.

Uma curiosidade: O Scrooge de Dickens inspirou a Disney a criar o Personagem Tio Patinhas, que no original, leva o mesmo nome dele (Uncle Scrooge) e que vive o mesmo personagem na versão da Dinsey de Um Conto de Natal protagonizado pelo rato mais querido do estúdio.

E com esta resenha nós da "O que tem na Nossa Estante", desejamos a todos os nossos leitores(as) e amigos(as) um feliz Natal, repleto de felicidades, amor ao próximo e paz!!

Alexandre Melo

site: http://oquetemnanossaestante.blogspot.com.br/2013/12/livros-resenha-044-um-conto-de-natal.html
comentários(0)comente



Nice 28/01/2010

Minha paixão por esse livro começou através do filme, depois procurei por ele...isso na minha adolecência, deste então tenho 3 exempalres dele e se ver em outra encardenação com certeza irei comprar...através dos fantasmas de Scrooge podemos melhorar e ser uma pessoa bem melhor.
comentários(0)comente



Faby 24/04/2010

Uma Visão Diferente
Em um sentido geral, Charles Dickens estruturou um romance leve e com uma linda mensagem. O rico, velho e amargurado Scrooge passa por uma lição bem humanista ao decorrer do livro. Lição esta, que todos precisamos, ainda mais no mundo contemporâneo. Dickens discorre sobre a valorização do ser humano independente de suas posses e como a vida é algo mais que a acumulação de bens materiais. Apesar de tudo, a história se torna uma exceção à regra. Um conto idealista que mais do que nunca precisa se tornar real.
comentários(0)comente



Jacqueline K 18/01/2012

Leitura Crítica
A história é aparentemente edificante, não fosse o fato de apresentar um esterótipo preconceituoso do povo judeu, na figura de Ebenezer Scrooge.
Recomendo como um clássico universal, mas que deve ser lido com um olhar crítico sobre o contexto em que foi escrito e as visões do autor, que refletem o pensamento cristão da época. Este livro deu origem a inúmeros filmes de Natal, inclusive um desenho animado com o Tio Patinhas no papel do vilão avarento.
comentários(0)comente



Yasmin isabel 28/12/2012

Clássico de Charles Dickens
Um conto de natal apresenta uma história em que sua lição principal é transmitir ao leitor a importância da solidariedade em relação aos nossos semelhantes.

Nele conta a história de Scrooge (personagem principal) um homem rabugento, avarento e solitário. A história mostra o modo como ele age ao decorrer do seu dia natalino, que diferente de outras pessoas, não se importa com ninguém, e sim, apenas com seu dinheiro.
Naquela mesma noite de natal, Scrooge recebe a visita do espirito de Marley, seu antigo sócio, outro sujeito que não se importava em ajudar outras pessoas. Nessa visita, Marley procura alerta-lo ,através da visita de mais três espíritos, de como poderia ser seu futuro caso ele não mudasse o seu jeito de ser egoísta e avarento.
Sendo assim, através de visões do passado,do presente e do futuro que os espíritos lhe proporcionam, Scrooge muda seu ponto de vista em relação ao natal e seu modo de ser.

Adorei esse clássico, pois ele passa essa lição de vida de como deveríamos ser mais humanos em relação as pessoas e que nem sempre a grande quantidade de dinheiro nos proporciona a felicidade.
comentários(0)comente



Vânia 20/03/2009

"Jingle bells, jingle bells, jingle all the way..."
Acho Charles Dickens um chato. "Oliver Twist", vc chora o tempo todo, mas este livro aqui é simplesmente o máximo. Qdo um avarento é visitado pelo natal do presente, passado e futuro, ele vê o quão sem significado é sua vida. Os diálogos são ótimos.Pelo menos este se salvou.
comentários(0)comente



Bruno Leandro 14/04/2011

O que aprendemos com Dickens?
A história clássica, que já foi contada e recontada em prosa, verso, filmes e quaisquer outras mídias imagináveis, está aqui em sua forma original. Para aqueles que não a connhecem ainda, um pequeno resumo:
O velho Scrooge é um homem horrível, que é incapaz de um ato de amor, bondade ou cortesia. Às vésperas do Natal, ele recebe a visita de seu falecido sócio que o adverte para a vida que está levando e, em uma tentativa de salvar a alma do amigo (se é que se pode dizer assim), o informa de que ele receberá a visita de três espíritos, que tentarão ajuda-lo a ver as coisas por outra ótica. A partir daí, as coisas vão seguindo seu rumo e Scrooge começa a entender porque se tornou o que é hoje em dia e as consequências de suas ações.
Esta é uma belíssima história, que deve, sim, se recontada de geração em geração. Infelizmente, acho eu, a história atualmente está esvaziada de sentido. Nós vemos o filme, lemos o livro, vemos a adaptação em quadrinhos, choramos, nos emocionamos e dizemos que vamos ser pessoas melhores. Acho até que nos tornamos, mas por não mais de cinco minutos depois do contato com “Um Conto de Natal”. Assim que a sensação passa, corremos para comprar os presentes e xigamos a pessoa que está demorando na fila do caixa. Enfim, voltamos a ser nós mesmos. Seria esta a mensagem de Dickens?
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3



logo skoob
"Quem dedica boa parte de seu tempo livre às ferramentas de rede social, como Orkut e MySpace, tem agora um novo passatempo."

A Notícia