A Hora Mais Sombria

A Hora Mais Sombria Meg Cabot




Resenhas - A Hora Mais Sombria


111 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


@injoyce_ 13/05/2019

A Mediadoa 4
Nesse quarto volume da série, Suzie está trabalhando em um hotel em suas férias de verão e acaba conhecendo Jack.
Seu padastro e seu meio irmão, estão cavando no quintal de casa para construirem uma piscina.
Suzie descobre que o pequeno Jack é diferente e tenta explicar a ele o que ele é.
Seu padastro e meio irmão começam a encontrar objetos enterrados em sua casa e fantasmas do passado vem a tona.
Para resolver os mistérios dessa incrível história, Suzie precisa da ajuda do padre D. E do mais novo mediador da turma.
O livro é muito divertido e não vou negar, até me deu um pouco de medo dessa vez.
comentários(0)comente



Duda 15/01/2019

ESTOU EM ÊXTASE
Retiro o que disse sobre Reunião. Este é o melhor até aqui.
Em A Hora Mais Sombria, o passado de Jesse vem a tona, graças ao aparecimento do fantasma de sua ex-noiva, Maria de Silva, bastante emputecida por Andy e Dunga estarem cavando uma piscina nos fundos, o que leva a Suze um questionamento interno: estaria o corpo de Jesse enterrado ali? E, caso o corpo fosse achado, Jesse iria para qualquer que seja o lugar para onde os mortos vão?
Aqui, encontramos uma outra Suzannah. No caso, um lado mais sensível dela. Admitindo para si mesma que é completamente apaixonada por Jesse, e pensando na hipótese de perdê-lo para sempre, mesmo que seja egoísmo querer que ele não encontre "o outro lado".
Além do mais, como se já não fosse o bastante, novos personagens são apresentados: Jack e Paul Slater.
Jack é um mediador e, embora no começo tenha sido um chorão, como disse Suze, não consigo evitar de sentir uma simpatia por ele. Achei ele fofo, confesso. Infelizmente, não posso dizer o mesmo de Paul, um garoto que não sabe levar um 'não' e que só piora cada vez que ele aparece.
A Hora Mais Sombria, de todos, foi o que mais mexeu comigo, embora não possa exatamente dizer o porquê sem dar spoiler. Mas, de fato, me peguei dando uma choradinha em alguns momentos do livro, pois o sofrimento de Suzannah fora palpável. Mesmo que eu ainda tenha algumas opiniões sobre ela (decorrentes do primeiro livro ainda, que não curti muito), depois desse livro posso dizer que até que gosto dela, sim.
O que me incomodou no livro, assim como no primeiro, foi a Meg Cabot chamar chamar o ritual de 'exorcismo brasileiro'. Como uma escritora mundialmente conhecida, ela deveria procurar se informar melhor antes de sair colocando as coisas nos livros. No entanto, ao contrário de A Terra das Sombras, A Hora mais Sombria é um livro com uma trama muito bem desenvolvida. Felizmente.
PS: O QUE FOI A ÚLTIMA FRASE DO LIVRO? GRITEI DEMAISSSSSSSSSSS.
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 30/08/2018

Depois de ter sofrido o ataque de quatro fantasmas, Suzannah acha que as coisas vão se acalmar. Mas claro que com o seu dom de Mediadora, as coisas nunca se acalmam, e agora com a descoberta do cadáver de Jesse no quintal de sua casa, fantasmas do passado voltam para esclarecerem as coisas. E mais uma vez a vida de Suze corre perigo.

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!


site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788501073471
comentários(0)comente



dayukie 08/06/2018

"Eu com certeza amei esse livro. Apesar de me deixar curiosa sobre um monte de coisa, ainda assim, é um dos melhores. O final foi arrasador. Não soube lidar com o meu enorme sorriso e meu queixo caído.

A autora soube me instigar a querer o próximo livro. A história é maravilhosa, com fantasmas, gente maluca, descobertas e o romance nascendo. É aquele livro que vou indicar para sempre, para qualquer idade. Uma leitura fácil, rápida e que te deixa com o gostinho de quero mais. Uma das melhores séries da minha vida."

Resenha no blog.

site: https://goo.gl/zLssZ4
comentários(0)comente



Abby 08/03/2018

Chegaram as férias de verão! Muito sol, praia, refrescos e... Só que não! Suze descobre que em sua família, férias de verão significam duas coisas: aulas particulares ou emprego temporário. E é assim que nossa mediadora vai parar num hotel e resort super caro da Califórnia junto com seu irmão mais velho Jake, onde trabalha como babá. O que não era nada mal, considerando que o lugar pagava bem e as gorjetas eram bem gordas! O que ela não esperava, era encontrar outro mediador!
O mediador em questão é Jack, um garotinho de 8 anos que a família pensa ser completamente esquisito. Mas Suze vai lhe ensinar que ele não está sozinho no mundo, e lhe mostrar que os fantasmas não querem lhes fazer mal (bom... grande parte deles). Só que Jack tem um irmão mais velho. Paul. Que é, sem dúvida, um pedaço de mal caminho. Um pedaço de mal caminho que está muito interessado em Suze. E ela até daria uma chance, se não fosse por Jesse...
Ah sim, o fantasma com quem ela divide o quarto. Agora não há como negar: ela está apaixonada por ele. É óbvio que, ele não sente nada, a vê apenas como uma amiga. Mas os sentimentos continuam ali, encaixotados.
Pelo menos até receber a visita inesperada de Maria de Silva, a ex-noiva de Jesse, com uma faca em seu pescoço e ameaçando-a. Ordena para que seu padrasto e seu irmão parem de cavar os fundos da casa (onde pretendem construir uma piscina), pois podem se arrepender. E é aí que Suze entende a gravidade do que está acontecendo. Se continuarem a escavar, pode ser que algo relacionado a morte de Jesse seja revelado. E assim o mistério de seu desaparecimento acaba. Em outras palavras, Jesse poderá partir. Suze está num impasse agora.
Todos estes problemas, e ela ainda precisa ensinar um novo mediador, já que o padre Dom está inalcançável no momento, já que foi para um retiro de padres. Ensinar um novo mediador E ainda despistar seu irmão insistente e misterioso. Mal sabe Suze que o problema está só começando.

Este é um dos meus favoritos dessa série. Pois vemos Suze fora dos muros da Missão, com novos personagens, o passado de Jesse finalmente sendo revelado... E Suze parece que, finalmente, vai começar a entender também a dimensão de seus poderes.

site: http://linhastortasb.blogspot.com.br/2018/02/resenha-mediadora-4-hora-mais-sombria.html#more
comentários(0)comente



Ana @vicioseliteratura 26/01/2018

Eu li - A Hora Mais Sombria
Durante as férias, Suze começa a trabalhar num hotel requintado, pois, por exigência de seu padrasto, precisa fazer algo durante seu tempo livre.

Tudo vai ocorrendo normalmente, até que descobre que Jack, uma das crianças que ela cuida em seu novo trabalho, é um mediador, assim como ela e o padre Dominic.

Em contrapartida, o fantasma de uma mulher, chamada Maria de Silva, aparece exigindo que Suze e sua família parem com as escavações no quintal, pois Andy está construindo uma piscina e há algo enterrado lá que não pode ser desenterrado.

Suze acredita que pode ser o corpo de seu amado Jesse enterrado, pois Maria era sua ex noiva, e havia se casado com Felix Diego, logo após ele ter matado Jesse. Pois esta razão, os fantasmas não querem que descubram o assassinato e “manchem” a memória deles com uma revelação destas.

Assim, enquanto tenta descobrir uma maneira de exorcizar Maria e Felix Diego, antes que eles tentem matá-la, Suze vai ensinando Jack a não ter medo dos fantasmas que eles veem, e mostrando que eles devem ser ajudados ao invés de ignorados.

Além disso, precisará lidar com a ausência repentina de Jesse, o que fará pensar na pior coisa que poderia acontecer a ele.

De todos os livros da série, esse é o meu favorito. Não só pelo final (insira aqui uma louca vibrando), mas porque finalmente conhecemos um pouco mais da história do fantasma moreno alto, bonito e sensual do Jesse *--*.

A série toda possui uma leitura leve e descontraída. Não tem como não rir com as presepadas da Suzannah, as suas picuinhas com seus meio irmãos e o seu "crush" Jesse de Silva. E as parte com o “pega pra capar” com os fantasmas enfurecidos mostram como nossa heroína é forte e determinada.

Meg Cabot definitivamente consegue prender o leitor de uma forma tão cativante, que não conseguimos parar de ler enquanto não vemos o final. Na verdade quando chega o final queremos mais e mais, por isso quando dei por mim já tinha acabado a série antes do imaginado.

Recomendo imensamente!

site: http://www.vicioseliteratura.com.br/2017/12/eu-li-hora-mais-sombria-mediadora-4.html
comentários(0)comente



Jully 17/01/2018

Completamente apaixonada por Jesse, Suze não sabe como agir ou se comportar, afinal ele está morto. Agora então que o corpo de Jesse foi encontrado durante uma reforma para fazer uma piscina no fundo de sua casa. Tramas da história de Jesse e seu assassinato estão prestes a vir a tona e os fantasmas de seu passado vem ao encontro de Suze, ameaçando a sua vida para que segredos não sejam revelados. Enquanto isso, ela trabalha como babá dos filhos dos ricaços nas férias de verão, tentando ajudar um menino de 5 anos que se mostra um mediador e fugir de seu misterioso irmão mais velho.

Texto completo juntamente com demais obras da série no blog

site: https://comentandolivroslidos.blogspot.com/2018/01/serie-mediadora.html
comentários(0)comente



Bruna.Batista 01/12/2016

Tudo por aquela palavra com "a"
A vida de Suze é realmente empolgante. Depois de encontrar um novo mediador em seu emprego de verão, um garotinho de oito anos chamado Jack, ela recebe a vista não tão boa de Maria ex namorada de Jesse. Acaba sendo ameaçada por ela caso não destrua as carta encontradas por Andy e Brad e não para a escavação da mini piscina no quintal. Durante a escavação é encontrado um corpo, o de Jesse. Suze entrega as cartas ao sr. Clive que morre no dia seguinte. No emprego, ela é assediada por Paul irmão de Jack. Maria convence o pequeno Jack a exorcizar Jesse. Maria e Deigo resolvem acabar com a vida de Suzannah mas não conseguem. Ela para trazer seu amado de volta resolve ser exorcida, primeiro pede ao padre Dom que se recusa, depois ela tenta Jack que aceita, mas eles são impedidos a tempo pelo padre. Então percebendo que não conseguira fazer a garota desistir da ideia ele se propõe a fazer. Suze encontra Jesse no purgatório, mas Maria e seu marido aparecem na Igreja, atacam o padre e cortam a corda que guiava Suze. Ela encontra Paul no purgatório, ele se recusa a ajudar e é agredido por Jesse. Por fim Jack aparece e resgata os dois, ela volta a seu corpo a tempo, é agredida por Maria mas consegue quebrar o pescoço dela e em seguida exorcizar ela e seu marido. Eles ajudam o padre Dom e vão para casa, Suze passa um bom tempo dormindo, acorda toma café e volta ao quarto onde encontra Jesse que quer convesar, ela se recusa e é então que ele faz o que ela mais sonha, a beija na boca.
comentários(0)comente



Marcos Antonio 13/11/2016

Sombria
Meg Cabot não precisa de muitas explicações, esse até agora é o melhor da serie.
comentários(0)comente



Camila Márcia 07/06/2016

Amei.
Já tinha comentado nas minhas resenhas anteriores o fato de ter gostado de A Terra das Sombras, mas não ter curtido muito O Arcano Nove, no entanto, Reunião me surpreendeu. Desta Vez A Hora Mais Sombria também me surpreendeu bastante.

Realmente estava com saudades das loucuras da personagem, Suze continua muito pirada, contudo, ela parece mais centrada, madura e teve uma boa evolução, o que é bom, porque é coerente o leitor poder ver e acompanhar a evolução dos personagens no decorrer de uma série com vários livros.

O enredo também foi melhor construindo e enfim aconteceu de ter rolado algo entre Suzannah e Jesse, acredito que tenha gostado mais desse quarto volume porque focou bastante no passado de Jesse. Isso é bastante importante, apesar do fantasma gostosão ser um dos personagens principais a escritora não tinha focado tanto nele nos três primeiros livros. Tadinho, sempre estava no segundo plano.

A Hora Mais Sombria se passa nas férias de verão, e Suze vai trabalhar de babá num hotel chique e tem que cuidar de uma criança de oito anos, Jack, que também é mediador, e terá um papel bem fundamental no enredo.

Bem, estamos falando de A Mediadora, então podemos esperar muita ação e trapalhadas da nossa personagem principal Suze, até um cadáver no quintal de sua casa é encontrado – provavelmente os restos mortais de Jesse – temos também a presenta de Maria da Silva ex-noiva de Jesse, que é a principal antagonista desse volume.

A Hora Mais Sombria foi um livro que me envolveu completamente, algo que eu já nem achava mais ser possível devido ao meu dúbio sentimento em relação A Mediadora (gostar ou não gostar?), mas apreciei a leitura, gostei de cada um dos capítulos e anseio para ler o próximo volume, até porque creio que Jesse deverá estar mais participativo e que possivelmente terei algumas surpresa em relação ao passado dele.

site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Samu 18/05/2016

Infantil
A história é bem interessante, embora pareça um draminha adolescente desses q tem aos montes pra venda. Vale bem para pré-adolescentes eu acho, crianças tb, mas pessoas mais velhas não recomendo por ser realmente bem bobinho, embora possa interessar quem gosta do estilo.
comentários(0)comente



Su 28/01/2016

Esse é o quarto volume da série Mediadora. E, vocês lembram que eu falei que no terceiro volume não teve muita interação entre o Jesse e a Suze? Pois bem, este compensa e muito a falta do outro.
Suze está de férias. E, vocês devem estar pensando que ela vai ter mais tempo para relaxar e, quem sabe, ir à praia. Mas, não se enganem. Se não bastasse o seu trabalho em tempo integral (ajudar as almas a acharem seu caminho), seu padrasto é contra deixar seus filhos e enteada sem fazer nada. Então, ou você estuda ou vai trabalhar.
É justamente o que a Suze está fazendo nessas férias, trabalhando em um hotel... como babá. É surpreendente, não é. O mais surpreendente é o garoto pelo qual ela ficou responsável ser capaz de ver fantasmas também.
Quando finalmente Suze admite para si mesma que gosta de Jesse, romanticamente falando, quem aparece? A ex dele. Maria de Silva aparece no meio da noite e ameaça Suze com uma faca, isso mesmo. Tudo que ela quer é que parem de cavar no quintal da casa. Por que será?
Esse livro é maravilhoso. A Suze está mais sarcástica do que nunca. Talvez por perceber que está apaixonada por um fantasma. Não só de romantismo é feito A hora mais sombria, ele também tem muita ação e, parece que dessa vez a ação vai levar a algum lugar. Estava pensando, só a Meg é capaz de nos fazer torcer por um casal sem nenhuma interação física. Parabéns para Meg.

site: http://detudoumpouquino.blogspot.com
comentários(0)comente



Valéria 07/01/2016

I Dare you 2.0 Janeiro (Ganhei de amigo)A mediadora a hora mais sombria Meg Cabot
A mediadora a hora mais sombria e o quarto volume da série A mediadora que possui seis volumes no total.
Pelo título você pode imaginar um romance assustador uma história de terror..,mas não é bem assim com uma forma doce de escrever Meg encanta com sua escrita e deixa a história leve na medida do possível.
Suza aparetemente é uma jovem comum que mora com sua mãe e seu padastro e seus dois meios irmãos em Nova Iorque a não ser pelo fato de ser uma mediadora a mesma tem o dom de ver os mortos que chegam até ela procurando ajuda.
o enredo nessa história e em torno de que Suza se apaixona por Jess que estar morto há mais de 150 anos e a alma do rapaz permanece no quarto de Suza.
Jess foi assassinado a pedido da sua então noiva na época Maria que o traiu com Diego seu cúmplice no crime.
Suze preste a desvendar o crime de mais de 150 anos atrás recebe a visita da então Maria que tenta de tudo apagar a nossa mediadora.
No meio dessa missão Suze conta com o apoio e ajuda do padre Dominic e um mirim mediador de quem é babá Jack.
O final da história e surpreendente,com toques de suspense e uma pitada de terror e sim tenho que ressaltar mais uma vez toda a doçura da escrita da Meg.
Boa Leitura!
comentários(0)comente



Paula 18/11/2015

ATENÇÃO: SE VOCÊ AINDA NÃO LEU OS LIVROS ANTERIORES, PODE CONTER ALGUM SPOILER!

A hora mais sombria é o quarto e eletrizante volume da série A Mediadora, e já vou avisando que as aventuras da Suzannah estão cada vez mais intensas, principalmente por ter finalmente aceitado o fato de que está apaixonada por Jesse, o fantasma de seu quarto. E, claro, ela não poderia deixar de lembrar da profecia que a Madame Zara fez lá no início da série: ela só terá um amor verdadeiro na vida. E se o espanhol gatão não estiver sentindo o mesmo por ela? Estará fadada a conviver com um sentimento não correspondido?

Não bastasse a questão do coração para resolver, seu padrasto decreta que todos os jovens da casa têm duas opções para as férias de verão: trabalho temporário ou aulas extracurriculares. É assim que Suze e Soneca, o mais velho dos três "irmãos-emprestados", vão parar no luxuoso Pebble Beach Hotel and Golf Resort, ele como salva-vidas e ela como babá. É, sinto cheiro de criancinhas assustadas...

Em suas tardes cuidando os pequenos, a protagonista conhece Jack Slater, o renegado de uma família de médicos. Os pais o consideram meio esquisito, e deixam bem claro sua preferência por Paul, o mais velho. Abro um parêntese para deixar claro como acho errada essa atitude que alguns pais tomam, comparando seus filhos, ressaltando os defeitos de um e ampliando as qualidades do outro... Que criança vai crescer confiando em si mesma se vive na sombra do irmão?

Voltando ao assunto, quando Suze encontra um fantasma para mediar no hotel, a esquisitice de Jack passa a fazer sentido, e sua vontade de ficar escondido no quarto o dia todo se torna compreensível: ele também é mediador, e parece aquele menininho do filme que, aterrorizado, diz: eu vejo gente morta (achei essa comparação da Suzannah hilária). Assim, a moça se sente na obrigação de oferecer alguma orientação a ele.

Junte isso aos flertes de Paul e ao achado do padrasto de Suze enquanto cavava uma banheira quente nos fundos da casa, e verá uma grande confusão se desenrolar. Realmente, essa vida de mediadora não é pra qualquer garota!

Para mim, o enredo deste livro foi o melhor até agora. Cheio de suspense e revelações incríveis, onde o leitor poderá conhecer mais a fundo os personagens, principalmente o Jesse. Em relação ao Paul, até simpatizei com ele, mas suas atitudes são meio arrogantes, e vocês já sabem o quanto eu adoro ver a Suze sendo chamada de mi hermosa. Em relação à tradução, não repetirei o que tenho falado nas resenhas anteriores, os erros persistem.

Além disso, não lembro se comentei com vocês, mas a série carece de descrições dos personagens. A Meg foca bastante nas reações da Suzannah e agrega várias metáforas engraçadas, mas deixa a desejar quando a questão é inserir as características físicas. Apesar disso, reforço que A Mediadora é uma história incrível, com uma protagonista decidida e autêntica que merece ser conhecida por vocês!
comentários(0)comente



Thananda 09/11/2015

Suzannah e Jesse: Até onde você iria por amor?
É férias de verão. Suzannah só pensa em se estirar numa toalha à beira da praia e curtir a vida relaxadamente como fez por 15 anos em Nova York. Mas as coisas na Califórnia são diferentes... Na casa de Andy, ou seus filhos arrumam um emprego no verão, ou frequentam aulas de reforço na escola. Como Suze quer distância da escola no verão e está precisando de grana para trocar o guarda-roupa para o outono, ela acaba aceitando um emprego de babá num resort de luxo da cidade, o que é bom, pois sobrará menos tempo para pensar em Jesse e em seu amor impossível.

As coisas vão bem no início. Embora Suze odeie o uniforme, o dinheiro ganho diariamente tem servido bem aos seus propósitos até ela descobrir que o garoto que ela tem que tomar conta é um mediador.

Suze toma para si a tarefa de orientar o garotinho no mundo da mediação. Enquanto isso Andy resolve escavar o deque da casa para construir uma piscina e acaba encontrando o corpo de ninguém mais ninguém menos do que Jesse.

O ocorrido acaba trazendo para a cidade os espíritos de Maria de Silva e Diego com o intuito de manterem o segredo sobre a morte de jesse não revelado. Coisas muito ruins começam a acontecer na vida de Suze, inclusive o sumiço repentino de Jesse.

No quarto volume da saga A Mediadora vemos uma Suzannah mais emotiva, mais melosa e chorona. Seus sentimentos por Jesse são muito fortes, o que piora a situação, pois ela sabe que um relacionamento entre uma viva em um fantasma nunca daria certo.

Embora o início da trama seja lento e sentimental, do meio do livro adiante a coisa esquenta. Eu literalmente pulei no sofá lendo as reviravoltas - e que reviravoltas!!!- da história. Mais uma vez Meg Cabot escreveu um livro leve e descontraído, menos humorado do que os anteriores, é verdade, mas com certeza o melhor da saga que eu li até agora, com um final surpreendente.

Recomendo :)

Siga-me no twitter e instagram (@nandatgcs)

site: twitter.com/nandatgcs instagram: @nandatgcs
Cris Paiva 09/11/2015minha estante
Adorei essa série!!


Thananda 09/11/2015minha estante
Boa demais :)


Cris Paiva 09/11/2015minha estante
E a autora vai lançar mais um no ano que vem!


Thananda 09/11/2015minha estante
Da saga? OMG :o :)


Cris Paiva 10/11/2015minha estante
Sim, com Jesse de carne e osso!


Cris Paiva 10/11/2015minha estante
olha ele aqui: https://www.goodreads.com/book/show/17302879-remembrance




111 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |