O Filho Rebelde

O Filho Rebelde Rainbow Rowell




Resenhas - O Filho Rebelde


48 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4


Luiza.Campello 14/12/2020

Filho rebelde
A continuação de Carry on. As histórias, o mundo mágico da Rainbow ficam cada vez mais divertidas e complexas.
comentários(0)comente



Sasa 27/01/2021

O filho rebelde.
Gostaria de dizer que amo demais todos os personagens, por mais que alguns em específico ( Penélope cof cof) seja um pouco irritante. O livro se desenvolve do início ao fim, durante a leitura percebemos mudanças em todos os personagens, as frustrações, os medos e os questionamentos.
Baz e Simon são um belo casal, mas que ainda precisam de muita estrada para que possam realmente entender tudo o que passa entre eles. Eles ainda se amam mas não dizem e isso é uma parte frustante em grande parte do livro, porém, totalmente necessária.
Penélope é uma personagem irritante e percebemos que ela acha que sabe de tudo e sempre está certa, mas eu amei o desenvolvimento dela, ela mudou em muitos aspectos e seus pontos de vista mudaram de ângulo, ótimo desenvolvimento de todos os personagens. Amei ainda mais a interação entre Shepard e Penélope, espero que tenham mais desenvolvimento entre si.
Terminei o livro com o sabor de quero mais e espero ansiosa para o próximo livro, parece que tem muita coisa escondida debaixo do tapete, espero que essa poeira levante e mostre tudo. Se tornou um dos meus livros favoritos e a minha primeira leitura e melhor do ano.
comentários(0)comente



Amanda.Alves 18/01/2021

Cadê o terceiro traduzido????
O que falar dessa sequência da série do Simon Snow?
Novamente uma história extremamente bem desenvolvida, com personagens que continuam a ter aventuras inacreditáveis... Se eu me apaixonei pelo Baz no primeiro livro, nem tenho palavras pra descrever como me sinto agora. E o Simon não deixa de ser uma bolinha de ansiedade e vontade de lutar. Ele vai ter que arrumar um espada não mágica...
A Penny é mágica por si só... E a Agatha continua sendo o mesmo saco de sempre... Ela é muito chata.

Enfim. Divertidíssimo, daqueles que dá pra terminar em um dia. Vou ter que ler o próximo imediatamente...
comentários(0)comente



Dú @bibliotecadadu 28/12/2020

Eu não sabia como senti falta desse universo até agora
Simon Snow venceu a guerra. Derrotou o Mago. Destruiu o Oco. E para fazer tudo isso acontecer, usou toda a sua magia. Hoje, tudo o que ele tem em si que possui magia são suas asas e seu rabo, ainda sim, apenas consequência da batalha vencida.

O que vem depois? Quando o mocinho derrota o vilão, o que acontece a seguir?

Foi muito legal e interessante ler um livro que conta o que acontece depois que a grande guerra é vencida, sem prometer muito, até mesmo na sinopse, e ainda sim entregar tudo.

Simon está depressivo sem sua magia, não se considera mais merecedor da amizade de Penelope ou do amor de Baz. Sua vida pós O Mago se resume a não sair do sofá.

Penelope simplesmente decide que a melhor coisa a se fazer é juntar as coisas, atravessar o Atlântico e conhecer os Estadoa Unidos de carro. Ela não poderia ter escolhido hora melhor, afinal um novo mistério neste mundo de magia e vampiros aguardam nossos protagonistas lá.

Rainbow Rowell foi muito perspicaz em lançar um segundo livro de Carry On tantos anos depois, anunciado como uma simples aventura e entregado tudo o que os fãs tanto sentiam falta, além da promessa de mais um livro em breve que será a verdadeira grande conclusão da história.

Aqui, a depressão de Simon pela perda de sua magia é algo muito triste e sensível de ler, desde reconhecer os sintomas, os sinais, a descrição. Mas ao mesmo tempo é gratificante acompanhar os momentos em que essa viagem, de fato, muda algo nele para melhor.

Eu precisava de um romance para encerrar o ano e sabia que este livro seria certeiro, mas o tanto que dei risada, me emocionei e vibrei não está escrito... como eu senti falta desses personagens!

O nível que tudo da errado no fim? Épico!

Agora estou vivendo o luto pela demora até o próximo (e último) livro sair.

"Normais não sabem que são normais".
comentários(0)comente



Aninha Lu 22/01/2021

Uma continuação como não lia em algum tempo
A história acompanha os nossos protagonistas em um cenário completamente desconhecido deles, ainda se recuperando das mudanças que a vitória no final do primeiro livro trouxe. Eles precisam se reencontrar e descobrir como vão viver agora que seus destinos são seus.
comentários(0)comente



whrspluto 19/12/2020

Gostei bastante, confesso que esperava mais pois eu tava super ansioso pra ler a continuação de Carry On, porém o plot foi legalzinho e pela primeira vez senti compaixão pela Agatha. Espero que no 3° livro Simon e Baz se resolvam.
David.Veruck 01/01/2021minha estante
Olha a Agatha... só no final quando quando decide se tornar a Maria Faísca por que antes disso....




Agatha 05/02/2021

Qual deles é o filho rebelde? O órfão que não deve ser.
Realmente a história é boa. Mais tem necessidade de enrolar tanto em algumas partes? Colocar detalhes idiotas? E diálogos de alguns personagens que não são tão interessantes?
O primeiro livro também teve todos os pontos escritos acima, mais o enredo dele era mais interessante, a trama.
Nesse livro podemos ver claramente o que acontece depois dos "Felizes para sempre", o contrário disso. O enredo dele foi enjoativo e nada surpreendente ou interessante.
E esse final? Nem o diálogo entre Simon e Baz foi descente. Me decepcionei.
comentários(0)comente



Jhay 05/03/2021

O filho rebelde
O livro é bom, mas deixa a desejar comparado com o primeiro. Achei que teve muita enrolação, o negócio só ?pega fogo? nas últimas 50 páginas, mas mesmo assim ainda termina de um jeito que te faz ficar curioso para o próximo. ?
comentários(0)comente



Babs 16/12/2020

"Isso vai acabar em chamas" resume ambos livros
A leitura segue igual foi Carry On: super leve e gostosa, tomando-me meio dia para terminar o livro.

É um livro focado em pontos deixados soltos em Carry On, e não tanto em Simon e Baz o que foi bom, a sintonia deles não é mais a mesma, afinal, se tornou doloroso de ler.

Temos respostas de como os vampiros são de verdade nesse universo, não aos olhos de feiticeiros, ou a introdução de outros seres mágicos. A compreensão de que nada é eterno e certo, principalmente sem Simon Snow como o herói que salva a todos com sua magia infinita.

Simon e Baz se tornaram um casal agridoce depois de tudo, daquele que você espera ver depois de um evento traumático que os consome, atrapalhando suas vidas normais. Ninguém fica bem após tantas perdas, nem mesmo protagonistas. Ver como a guerra os mudou (não só eles dois, mas todos os feiticeiros num geral) tornou a leitura intrigante com foco em seres além dos feiticeiros.

Gostei demais desse livro, mesmo não o achando melhor que o primeiro. Ele é gostoso, rendeu gargalhadas altas e várias doses de desespero pelo casal tão quebrado, num mundo em caos de diversas formas desde o final de Carry On.

Com o terceiro livro talvez encerre a jornada, ou a eternize.

Seja qual for, o jeito que os personagens fluiram nesse livro me deixou satisfeita e ansiosa por mais. Que venha "Any Way The Wind Blows"
comentários(0)comente



Matheus 28/01/2021

Amor Verdadeiro!
Eu sinceramente estou mega apaixonado por esses livros, e quero o terceiro pra ontem!!

Eu sempre fico receoso com continuações, mas essa não pecou em nada, foi incrível!!! (por mais aventuras com romance lindo assim!)
comentários(0)comente



Andréa Araújo 07/02/2021

Diferente do que eu esperava
O título da resenha é basicamente o meu sentimento dursnte toda a leitura. Que é super fluída e rápida, aliás, como todo livro da Rainbow. Mas eu não esperava esses acontecimentos.

No final de Sempre em Frente, eu juro que fiquei me perguntando o que diabos seria o enredo dessa continuação, porque embora tenha sim ficado algo aberto(o que não foi assumto desse livro em momento nenhum!), a história toda ficou bem fechadinha, então veio a continuação e desgrengolou tudo! Haha

Primeiro de tudo, quero falar da Agatha. Desde os pov dela em Sempre em Frente, eu já gostava dela e de como ela pensava, era tão engraçada, nesse só se comprovou isso, é um pov supee gostoso de ler e eu ria sem querer o tempo todo, mesmo ela não falando nada na intenção de ser engraçada, ela só é cínica, o que eu amei! Merecia muito mais destaque e me deixou morrendo de vontade de ler algo só dela um dia.

Penelope, Simone e Baz continuam os mesmos e ao mesmo tempo, supee diferentes, o que foi entranho no começo, principalmente pelo desenrolar da relação de Baz e Simon.

A aventura da vez foi ótima! Principalmente pelos novos personagens, e como sempre me deixou bem curiosa pelo final, especificamente pela última frase. Espero que publiquem logo o último livro dessa trilogia, pois mal saí desse mundo e já quero voltar.
comentários(0)comente



Sara Hayasaka 17/01/2021

Estava morrendo de saudade do Simon e do Baz! E agora estou extremamente ansiosa pela continuação e pelo desfecho da relação desses dois (e aguardando mais cenas românticas, por favor, Rainbow Rowell)!

Preciso dizer que esse livro me deixou ainda mais apaixonada pelo Baz. O desenvolvimento de seu personagem foi notável! Já o Simon... bom, espero que a gente consiga entender melhor o que se passa na cabeça dele na sequência.

Também adorei ver a Penny e o Baz mais próximos!
comentários(0)comente



Philip Rangel 14/01/2021

Boa leitura
#resenhaPhilip #indicolivro

Chegamos ao segundo volume da trilogia de Simon Snow. Logo após o final do volume anterior, nosso herói está desmotivado, triste e sem uma perspectiva de sair do sofá, do que ficar comendo pizza o dia todo. Não quer ir mais na faculdade e sem a magia ele ainda não se adaptou a viver, para piorar ele deve controlar suas asas e seu rabo.

Baz faz de tudo para que seu namorado volte a ficar motivado. Ele e Penélope, morando agora juntos, ficam preocupados com Simon. Penny propõe uma viagem para os Estados Unidos na intenção de tirar seu amigo desse estado e encontrar com seu namorado, além de ver Agatha que fugiu e abandonou tudo que viveu na escola em Watford e na Inglaterra.

Simon não vê um futuro com Baz e acredita que todo o amor possa ter esfriado agora que ele não é mais o mesmo. O problema que isso enrola todo o livro, como um garoto mimado que precisa ser cuidado pelos amigos.

Penélope, desviando do caminho até Agatha, leva um toco de seu namorado. Terminando o enlace, eles resolvem andar pelos Estados Unidos e são perseguidos pelos vampiros, estes querem algo de Agatha, denominam Novo Futuro.

Ao lado de Shepard nossos amigos - Baz, Penélope e Simon, irão passar por desafios enquanto descobrem esses clãs que querem dominar tudo, inclusive a magia.

Gostei muito da forma de condução, deixando claro que esse volume é uma ponte para o terceiro e último livro. Não gostei de Simon, de suas dúvidas quanto ao Baz, seu namorado. Parecia que era Simon que teria que acabar com o namoro. Enquanto Baz e Penélope se mostram mais decididos. Os novos personagens, dão um "up" ao enredo.

Poderia a autora retratar a depressão, porém, não houve um aprofundamento para tanto. A edição ficou perfeita, como no volume anterior, " Sempre em Frente".

O Filho Rebelde deixou meus nervos gritando, mas terminei contente para ler mais sobre esses personagens que me cativaram, me fizeram refletir e rir. Uma grande viagem pelos EUA!

Você já leu algum livro? ??

Livro publicado pela @editoraseguinteoficial, escrito por @rainbowrowell. Nota: 3,5, +14. Tradução: Lígia Azevedo. Vol: 2.
comentários(0)comente



Lane 04/01/2021

Meu Deus não sabia que quando acabasse de lê esse livro teria continuação.. agora vou ficar sofrendo até sair o próximo livro.
comentários(0)comente



erikali__ 05/01/2021

Tendenciosa, mas sincera...
Sou suspeita para falar de qualquer livro da série, pois eu me apaixonei pelos personagens e admito que tenho a tendência de amar a maioria (ou talvez todas) as coisas que leio dela. Sendo bem sincera o livro é bom, não tão fantástico quanto o primeiro, mas ainda sim bom!

Acredito que todo mundo que leu Sempre Em Frente esperava que este segundo livro focasse mais na vida de casal, numa aventura leve e no desenvolvimento romântico e mais mundano, mas ele foi o completo oposto. Temos desastres do início ao fim, seja no romance de Baz e Simon que está conturbado, seja na personalidade de Penny, seja no cenário de "férias frustradas" que se desenvolve até virar uma bola de neve... E talvez por isso veja tanta gente dizer que foi uma leitura massante, mas eu discordo: foi agradável ter este olhar mais "real" dos personagens no dia a dia, foi interessante a construção dos problemas (que pareciam mini aventuras que se interligavam) e, principalmente, coerente a confusão que a relação dos dois protagonistas se tornou.

[SPOILER]
.
.
Simon matou a figura paterna que possuía e perdeu a figura parental feminina que via em Ebb, em contra partida ganhou um namorado que era seu inimigo de infância (e prometia ser de seu futuro também) e o conhecimento de que era o responsável pelo caos na magia da Inglaterra. Por mais que eu quisesse muito ler um romance fofo entre os dois, é viável o que foi escrito neste livro: a relação dos dois estava fragilizada, pois, principalmente, Simon perdera todas as suas certezas. Seria mais incoerente se tivesse lidado com a situação de maneira fácil e passado a focar apenas em sua paixão por Baz.

O que me incomoda é o fato de Simon não ser desenvolvido psicologicamente como deveria, afinal ele se afastou de seu namorado, mas com o tempo passou a se reaproximar, porém no final temos o mesmo Simon confuso do começo, como se não tivesse passado por uma construção ao longo das quase 350 páginas.

Este livro é visivelmente uma ponte para uma próxima história, que provavelmente se tornará bem mais direta em seus objetivos; Sempre Em Frente foi sobre magia e surgimento do amor, O Filho Rebelde é sobre descobrimento e desconforto, o espero que o ou os próximos sejam uma mistura do que os dois últimos trouxeram tão isoladamente.
comentários(0)comente



48 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4