Os Magos

Os Magos Lev Grossman




Resenhas - Os Magos


62 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Ana Clara 31/08/2020

Gostei muito, esse livro tem um quê de mistura de Harry Potter com Nárnia só que em uma versão mais pesada e bem depressiva as vezes, mas o enredo da história é super empolgante e me faz correr para ler o volume 2, espero que seja explorado mais a questão dos poderes do personagem que nesse livro ficou classificado como indefinido.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Aline 30/06/2020

Perde para a série
Comecei a ler o livro depois que terminei a série, deveria ter feito o contrário. Na série vemos muita magia o tempo todo, nos envolvemos naquela fantasia à la Harry Potter, mas o livro trata muito mais das questões humanas que as fantasiosas.

O livro é bom, sim, mas bem mais maduro que a série. Vou ler a continuação para ter uma opinião concreta.
comentários(0)comente



Laura 02/06/2020

Chato!
Chato, sem sentido e como mencionou um outro colega leitor, "A junção de nada com coisa nenhuma". A história é dividida em partes, até a 2 parte é razoável e parece que vai chagar a algum lugar, porém é mera ilusão. Foi uma perda de tempo, só terminei porque era para um desafio literário. E sinceramente não gostei nem mesmo da série, só consegui assistir os dois primeiros episódios. Não recomendo.
Lizzy 02/06/2020minha estante
Se vc diz que é chato eu acredito rs




caroline 21/04/2020

Assista a série!
Eternamente grata aos responsáveis por adaptar esse livro pra TV porque eles fizeram milagres! mudaram tudo e pra melhor!

Fiquei realmente frustrada com a obra, pois a série tem lugar reservado na minha lista de favoritos. Pela primeira vez na vida, li um livro que não chega aos pés da adaptação.

Falando exclusivamente da obra peço que esqueçam Quentin Babaca Coldwater e foquem na verdadeira heroína aqui: Alice. Ela sim deveria receber o título de protagonista.
Quanto ao resto dos personagens, são apenas decepcionantes e irritantes.

As 3 estrelas são por Alice e também por Fillory que ainda tem magia suficiente para manter leitores mais pacientes e resignados até o fim da história.
comentários(0)comente



Lavinia 14/02/2019

"Os Magos", Lev Grossman
O que me fez querer ler "Os Magos", de Lev Grossman, foi a promessa de que este seria o "Harry Potter adulto", o que já é suficiente para quem como eu é órfã das histórias do bruxo. "Os Magos" acompanha Quentin Coldwater, um jovem que é aceito na exclusiva e secreta universidade de magia, Brakebills. Lá, Quentin encontra o refúgio que tanto sonhava para sua
vida tediosa e enfrenta os rigorosos estudos para se tornar um mago. Porém, após se formar, Quentin não deixa de sentir o vazio que ele achou que a magia poderia preencher. Mas uma nova aventura aguarda ele e seus amigos, uma aventura regada de mistério e perigo.

Diferente dos livros de J.K. Rowling, a magia aqui é muito mais sombria e perigosa, além de ser muito difícil de dominar e exigir muito estudo. O livro também tem um ar mais realista, apresentando aspectos da experiência universitária, como amizades, amores, sexo, álcool e drogas.

Outra questão legal do livro é que nele há várias menções a uma série de livros que se passa na terra fictícia de Fillory, que no livro de Lev Grossman é uma série, tipo as Crônicas de Nárnia, bastante popular entre os personagens. Acompanhar a relação das histórias de Fillory com as histórias de Quentin foi muito divertido e traz uma camada a mais à obra. Além disso, o livro faz referência a várias obras de fantasia, inclusive Harry Potter.

Para mim, o defeito da obra é que os personagens não são muito cativantes e foi difícil me importar com eles. Mas um lado positivo é que o personagem de Quentin não segue os clichês de outros protagonistas dos livros de fantasia, ele não é "o herói" ou "o escolhido", ele é só um menino normal que se viu no meio de uma bagunça para resolver.

No final das contas, "Os Magos" é uma obra divertida que traz aquela nostalgia dos livros de fantasia, mas de uma forma mais moderna. Há uma grande probabilidade de eu me animar para ler as continuações...

site: @sobrepaginas (instagram)
comentários(0)comente



Adryan Copello 17/12/2017

SIMPLESMENTE NATURAL E PESADO....
Esta obra simplesmente nos presenteia com uma visão totalmente humana dos grandes clássicos de fantasia da literatura moderna.
Quantas idiotices você já cometeu na sua vida? Quantos erros baseados em ganância ou egoísmo? Quantas vezes você se imaginou cometendo atos completamente idiotas e bestas, caso estivesse no lugar do protagonista de alguma obra? "Os Magos" nos traz exatamente isso.
Se nós fossemos o Harry Potter ou se uma pessoa qualquer tivesse descoberto Nárnia, os acontecimentos seriam parecidos com os relatados nesse livro.
Embora o livro use essa referência a grandes histórias de fantasias já conhecidas, para explorar seu núcleo, o comportamento humano(principalmente o juvenil), "Os Magos" possui uma forte originalidade na maneira com tudo se desenvolve. Possuindo sua própria mitologia e seu universo, que também são explorados com força no segundo livro.
Não tenho em que discordar de George R.R Martin, que afirmou: "Os Magos está para Harry Potter como uma dose de uísque puro malte está para uma xícara de chá".
Eu não descreveria "Os Magos" como um livro forte ou agressivo, como "As Crônicas de Gelo e Fogo" são na minha opinião, mas sim como uma obra natural e direta. Viver não é a coisa mais fácil do mundo, a vida adulta não é como brincar no jardim, nossos problemas não se resolvem sozinhos, muitos nem tem solução, nossas escolhas sempre terão consequências, e todos nós já sabemos muito bem disso. A vida é algo pesado, é natural isso para a gente. O que Lev Grossman faz, é simplesmente nos lembrar de todos esses aspectos, e muitos outros, num universo repleto de magia que, aparentemente, está repleto de muita esperança também. Porém a esperança é só o desejo de que uma mentira se torne verdade, e ele faz questão de nos lembrar disso.
E a naturalidade dos personagens do livro me fez lembrar de uma frase: "Nós não somos os heróis de nossas próprias histórias. Muitas vezes, não somos nem sequer o protagonista."
P.S: Não recomendo a série de televisão para ninguém, pois, na minha opinião, passa uma mensagem totalmente oposta a do livro. Porém, para aqueles que já a assistiram, gostaram, e vieram atras do livro, só lhes digo uma coisa: Preparem-se para uma experiencia incrível...
comentários(0)comente



Felipe Guilherm 19/01/2017

Os Magos e Fillory
Confesso que fiquei sabendo da existência do livro quando comecei a assistir a série The Magicians no canal Syfy, foi amor a primeira vista!!!
A livro é realmente muito bom, um alento para os fãs de Harry Potter e fantasia, as referências as Crônicas de Nárnia também são bem evidentes, um trabalho feito por um fã do gênero.
A construção dos personagens é muito bem feita, conflitos psicológicos de jovens adolescentes e jovens adultos, algo que leva grande parte da história, mesmo com tudo girando em torno de Quentin, as outras personagens vão ganhando contornos realistas com o passar do tempo e da história. A série de televisão é muito diferente do texto original, mas ambos são muito bons, os roteiristas conseguiram fazer um bom trabalho, dando destaque a Júlia, enquanto o livro foca o mundo construído pelas relações de Quentin em Brakebills, a Hogwarts de Lev Grossman.
Usar um outro universo literário fictício, Fillory, para embasar o universo mágico de Os Magos, é um dos pontos máximos da obra, mais uma homenagem a nós, leitores do gênero. Quentin sempre quis uma aventura em Fillory, nós leitores de obras como essa, sempre sonhamos em poder fazer parte das aventuras que tanto nos conquistaram.
A forma como Quentin e seus amigos levam a vida, traz um retrato da nossa geração, que precisa de algo novo a todo momento para não cair no marasmo e no esquecimento, um ponto que o livro discute sem ser pretensioso, mas de forma muito interessante.
Resumindo, a leitura é muito aprazível, rápida e te deixa extremamente saudoso. Não vejo a hora de começar o segundo livro da série!!!!


site: http://relicariodehistoriasma.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Marcela @ler_sim_ler_sempre 12/12/2016

Mágico e real
Antes de mais nada, preciso dizer que conheci essa série através do seriado @themagiciansbr do @syfybr E ao me apaixonar por esses personagens. E como leitora que sou não poderia deixar de conferir cada página que inspirou essa aventura. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
. Quentin, um jovem assim como nós, que sempre leu fantasias e magias, sonha com esse mundo imaginário. Que tem como história preferida a dos irmãos Chatwin, que foram para Fillory, um lugar mágico onde passaram a viver muitas aventuras. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀. E esse jovem leitor, sonhador se vê de repente em Brakebills, uma universidade que forma Magos. E o seu sonho de magia e aventura vira realidade. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀.⠀⠀⠀⠀⠀
⠀ E apartir dai alguns pensamentos passam a tomar conta de sua cabeça. ⠀⠀⠀⠀⠀.⠀⠀⠀⠀ Será que além da Universidade, Fillory também existe ?! Será que os Irmãos Chatwin viveram somente nos livros ?! Ou foram pessoas reais que vivenciaram todas aquelas histórias ?! ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀.⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Um livro cheio de aventuras e descobertas. Que retrata tanto o mundo da magia como os conflitos que os jovens vivenciam na universidade como Amores, sexo, drogas, festas e dúvidas do que é certo e errado. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

. Mas que trás um protagonista fraco de personalidade. Que se deixa levar pelas opiniões e circunstâncias. Já outros personagens são simplesmente encantadores, tem brilho próprio e sempre estão a procura do que lhe fazem bem, sem se preocupa com a opinião alheia. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀.⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Comprei o segundo volume agora na Black e estou aguardando chegar. Vamos vê Oque Lev Grossman nos reserva nesse segundo livro. 😉

🌟🌟🌟🌟 (60/60)

site: https://www.instagram.com/p/BNawhUUgke4/?taken-by=ler_sim_ler_sempre
comentários(0)comente



Bela Lima 17/09/2016

Em Os Magos, magia requer muito mais do que talento, é necessário inteligência.
Quentin é um jovem de 17 anos que tem uma inteligência muito fora da média, é apaixonado pela sua melhor amiga que também é a namorada do seu melhor amigo (e todos sabem desse amor) e que, logo no primeiro capitulo, após uma entrevista fracassada que terminou em morte, recebe uma carta que diz conter o ultimo livro de Fillory, que não foi publicado: Os Magos. (Voltamos a isso mais tarde)

“-Penny... – disse Quentin. – Primeiro: o seu cabelo é idiota. E segundo, não sei como é o lugar de onde você veio, mas se algum dia você fizer qualquer coisa que me faça ser mandado de volta pro Brooklyn, eu não vou só quebrar o seu nariz. Eu juro que mato você.”

Depois de um forte vento, Quentim persegue esse misterioso envelope que o leva ate um garoto mais misterioso ainda. Sem entender nada do que está acontecendo, começando pelo fato de ter viajado do Brooklyn até algum lugar próximo do rio Hudson, Quentim é levado até uma sala para fazer uma prova escrita que dura mais de duas horas. Para ele. Algumas pessoas terminaram em alguns minutos, outras em muitas mais horas do que ele. Depois dela vem mais e mais e mais provas que determinarão se ele é digno ou não de estudar na Faculdade Brakebills de Ensino Mágico.

“(...) a perfeição é uma coisa complicada, porque, assim que você percebe a menor das falhas, tudo se perde.”

Em Os Magos, magia requer muito mais do que talento, é necessário inteligência. Apenas os mais inteligentes do inteligentes podem ser magos, pois lançar feitiços não é só dizer algumas palavras, elas precisam está de acordo a diversos fatores: clima, hora, flexão dos verbos... O que faz com que somente pessoas realmente inteligentes possam virar magos.

Quentin se mostra digno de Brakebills e durante os próximos cinco anos ele estuda todas essas coisas complicadas nessa faculdade. As 250 paginas (mais ou menos) se focam apenas nisso: nesses cinco anos que passam voando sem nada de interessante ou meramente intrigante. Além de ter um protagonista completamente inútil, chato, deprimido, que só reclama que não está feliz com a sua vida...

“Você só precisava entender o que não era e o que era importante, e até onde era, e tentar não se preocupar com o que não era. Pôr as coisas em perspectiva. Algo assim. Caso contrário, qual era o sentido de tudo aquilo?”


O que me fez ficar cansada dele foi a falta de acontecimento e a descrição minuciosa de coisas que eu não achei importante (ao menos, não tinha importância ate a parte que eu li). As ditas referencias a HP é mais para chamar atenção do que qualquer outra coisa, são duas historias completamente diferentes.

Somente durante a descrição de Fillory (aqui está ela!) foi que senti algo sobre HP e Nárnia, com a história de: ir a outro mundo ao atravessar um objeto; mundo controlado por uma rainha que deseja esbanjar seus poderes; crianças vão para uma escola e são atormentadas durante todo ano letivo, além de não poderem passar as férias lá; tem um irmão ‘malvado’... foi só algumas referencias que eu peguei.

“Ele nunca, nunca mesmo, deixava de se surpreender com o quanto o mundo a seu redor era misterioso e obscuro.”

Os Magos foi um livro que eu li atrás de uma fantasia mais adulta (é o que a frase da capa promete), e, embora ele seja isso, eu não gostei. O livro não me encantou, eu li ele por... apenas por ler, esperando que algo acontecesse e me chamasse a atenção que não veio. Não posso dizer se isso continuar durante todo o livro já que só li pela metade. Até o Livro Dois.

site: http://sougeeksim.blogspot.com/2016/09/resenha-os-magos-os-magos-1.html
comentários(0)comente



jv-no1 18/12/2015

Bom
A história é rica e interessante, porém, carêce nos personagens que são, em sua totalidade, rasos em detalhes
comentários(0)comente



Alex.Lessa 09/09/2015

Ler Os Magos é somente ter uma mera lembrança de Harry Potter
Os Magos de Lev Grossman me fez ter uma imersão tão grande quanto meu querido Harry Potter, bom falando um pouco do protagonista Quentim, ele é um adolescente comum, porem achei ele extremamente depressivo, nada estava bom até depois que ele encontra o seu "amor?" e se ve dominando a magia, ele continua em dúvida da sua própria existência... isso chega a ser um pouco incomodo, porem o jeito que nos foi apresentado tanto a faculdade como a própria magia, "sem limites", com mais dificuldades e com seus riscos extremos...
Outra coisa que eu até confundi um pouco foi a passagem de tempo ela é tão rápida que as vezes me via lendo parágrafos novamente, porem você acaba se acostumando com o tempo.

As aventuras a partir da parte III do livro são sensacionais sinceramente de perder o folego na transição do 3º para o 4º livro acabei ficando acordado ate as 3:00 da manha por pelo menos 2 dias pois a história estava excelente, e foram nessas partes que eu vi que Grossman mostra seu mundo com suas REFERENCIAS a HP e NARNIA, porem ele mostra SEU MUNDO não 100% original claro porem muito rico e muito bom!

O final do livro bom somente uma coisa a dizer QUE FINAL MARAVILHOSO, esse final foi incrível, foi a redenção de Q! por tudo o que ele indiretamente causou e tentou ser uma pessoa "normal", porem ele vê que uma vez Mago sempre Mago.

Bom com todos os "problemas" pra mim isso foi irrelevante, afinal de contas este livro merece uma chance muito grande sempre se esquecendo de que ele vai ser um harry potter para adultos e sim uma nova e belíssima história de fantasia.
comentários(0)comente



Igor 05/08/2015

....
Foi o livro mais controversio que já li. Os pensamentos e ações do protagonista(s) eram tão irritantes, de adolescente chato e amargo já basta eu. o final foi muito bom, melhor doque todo o livro, msm não vendo motivo PRA QUE Uma continuação?
comentários(0)comente



Nessa 01/06/2015

Espera mais do livro.
Decepcionante... o livro que começa empolgante começa a perder o rumo apartir do livro 2(o livro é dividido em três partes) e se não bastasse a quantidade de confuções perde completamente o sentido apartir do livro três que se torna uma enchurada enorme de fatos. O autor consegue fazer quem lê ter ódio, pena e mais ódio do personagem principal(Quentin) que ama e deixa de amar as pessoas com a facilidade com que respira mostrando que só se importa com as pessoas quando o mesmo precisa delas. o livro começa a ficar irritante e depois de um tempo você se vê lendo mais rápido somente para terminar logo e ver se o fim tem algum sentido ou algo que te faça querer ler o próximo livro.
Se serve de consolo todos os personagens receberam um final e o autor não deixou pontas soltas, na minha opinião ele poderia terminar toda a história com esse livro e seria um final aceitável. Ruim, mas aceitável.
comentários(0)comente



Dáfne 05/01/2015

No mínimo estranho.
Entendo que o livro transforma os personagens em pessoas reais e quer mostrar um pouco de realidade e não de aventuras fantasiosas. Mas se essa era a ideia inicial então não deviam nomeá-los "magos" e nem criar um cenário de uma "escola de magia" afinal isso não é realidade. O jeito como tudo fica misturado é estranho e bizarro. Achei que faltou timing, do início ao fim o autor lança trechos de uma história que parece ser promissora mas no fim me decepcionou um pouco por ser no mínimo sem sentido. O auge do livro não é alcançado, não há aquelas 10 páginas que a gente espera em que toda a história fará sentido. Achei fraco. Na minha opinião faltou um senso de público, quem procura um livro com o título "Os Magos" na minha opinião espera um pouco mais do que um pouco de realidade "fantasiada" de fantasia. E com todo respeito, a citação de George Martin na capa me fez repensar o meu conceito sobre ele...
Nessa 27/12/2015minha estante
Concordo com você, achei que o personagem principal não era um gênio e pelo contrário, era um idiota, eu entendo que eles tentaram mostrar um personagem humano mas o Quentin era apenas um garoto interesseiro que se desfazia das pessoas quando não precisava delas somente para buscá-las de volta quando precisasse delas. O livro tinha tudo para se desenrolar bem mas perdeu o sentido e pulou de "escola de magia" para "nárnia" muito rápido.




62 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5