Risíveis Amores

Risíveis Amores Milan Kundera




Resenhas - Risíveis Amores


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Jefferson Vianna 13/08/2019

Não se recupera o que se deixou escapar...
Fico impressionado com a leveza e o modo com que Kundera constrói os seus personagens. A naturalidade para lidar com os sentimentos e os fatos através de sua escrita. “Risíveis amores” é um livro de contos, escrito em terceira pessoa, alternando entre o narrador e os personagens. Os sete contos têm como temática as relações amorosas, a escrita é leve e fluída. Kundera possui a facilidade de narrar a vida, convidando-nos a refletir a respeito de assuntos do cotidiano através de uma visão filosófica e ao mesmo tempo romântica. O autor apresenta-nos diversas histórias, situações inusitadas, engraçadas e emocionantes, instigando a nossa imaginação e fazendo-nos refletir sobre as relações humanas, sobre a idealização do amor, sobre as decepções que nós estamos submetidos a vivenciar no campo amoroso e sobre a superficialidade para a qual nós estamos caminhando. Trata-se de um livro maravilhoso, muito bem escrito e que é capaz de nos “bagunçar” por inteiro, afinal, o autor coloca-nos diante do espelho, desnudando os sentimentos, por mais camuflados que eles pareçam estar. É impossível sair ileso e/ou ser o mesmo após ler Kundera. Leitura recomendada.


Quotes do livro: “A desconfiança vive perto da felicidade...”, “Não se recupera o que se deixou escapar...” e “Se eu não pensasse que vivo para alguma coisa maior do que minha própria vida, sem dúvida seria incapaz de viver.”
comentários(0)comente



Keylla 01/11/2018

"Risíveis Amores" é a segunda obra do tcheco Milan Kundera. Um livro de sete contos que traz à tona a temática do amor e do sexo na modernidade. Com pitadas de ironias e bom humor, Kundera vai nos lembrando e nos colocando nesses personagens, relembrando-nos as máscaras sociais que costumamos vestir.
Com elegância e simplicidade os seus contos nos trazem profundas reflexos da natureza e dos relacionamentos humanos. Assim, como a Ana Holanda (da Revista Vida Simples), Kundera tira das situações cotidianas o elixir para suas grandes histórias. Difícil eleger o meu favorito. Acredito que "Que os velhos mortos cedam lugar aos novos mortos" tenha um lugar cativo em meu coração: Kundera nos apresenta um reencontro emocionante entre uma mulher viúva e com um filho controlador e um homem na casa dos seus quarenta anos. Divorciado e com um emprego que lhe tira a paz. Dois corações que sofrem as tragédias da vida humana. Perdidamente apaixonados a mais de vinte e cinco anos atrás, reencontrando em uma rua qualquer. Será o destino os unindo?

Apesar do livro ter um conteúdo de amor e desejo, trata de questões humanas e existenciais. É UM KUNDERA! Só por isso é um motivo para lê-lo. Adorei a leitura.

"Não são apenas histórias de amor que fazem rir. São, também, histórias sobre tentativas de repor alguma verdade à experiência amorosa" (Kundera)
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Biahhy 13/05/2018

Risíveis contos
Depois de ler A insustentável leveza do ser o livro mais conhecido do autor por mim e por todos no geral, fiquei encantada pela historia e a escrita do autor que coloquei todos os livros na minha lista de querer ler. Risíveis Amores é um livro de contos do autor e consideravelmente um livro pouco conhecido do autor. O título em si risiveis amores ja traz uma visão geral e relacional a respeito do que cada um desses contos vão se tratar.

Compartilhei vários dos contos que gostei e foram os meus favoritos e um pouco da sinopse de cada um, em cada conto temos temas diferentes se interligando-se entre si desde romance, religião, questionamentos sociais e românticos. Uma espera do final feliz não é o que você terá nesses contos, mas ao mesmo tempo finais e história muito surpreendentes que me deixaram de queixo caído, pela qualidade e a desenvoltura da história, dos personagens em poucas páginas.
comentários(0)comente



Manoel 16/04/2018

Um belo exemplar da excelente literatura tcheca
Livro "Risíveis Amores" do escritor tcheco Milan Kundera. Da literatura produzida na República Tcheca conhecia apenas Franz Kafka e foi uma agradável surpresa conhecer os textos desse autor. A obra é composta por sete contos excelentes que tratam, em essência, das relações amorosas ou, mais precisamente, dos desencontros nos relacionamentos. Os contos de Kundera trazem uma dualidade na forma como os personagens encaram a vida. Enquanto tentam levar a existência de uma forma leve, por assim dizer, eles acabam senso sugados para a seriedade do cotidiano, sendo o fator da mudança alguma mentira ou mal-entendido, ou um pensamento retrógrado, ou falta de coragem, etc. Geralmente é algo pequeno esse fator, que faz com que a alegria do amor seja substituída pela tristeza, ou vice-versa. Portanto, o amor sexual, tema que é abordado em todo o livro, as vezes abertamente, outras de forma implícita, surge como o elo entre os apaixonados, capaz de unir ou separar.

Kundera tem uma linguagem clara e muito bem-humorada, sendo o humor marca presente em todos os contos. Por exemplo, o conto "Ninguém vai rir" é, paradoxalmente, engraçadíssimo. Cada conto traz em si algo interessante. Em "Que os velhos mortos cedam lugares aos novos mortos", Kundera conta a história de uma viúva que fracassa na tentativa de salvar um monumento erguido para o marido no cemitério da cidade. Andando pelas ruas, pensando em como contaria para o filho adolescente a notícia quando retornasse para sua terra, ela reencontra um homem que fora apaixonado por ela muitos anos antes, e que ela dispensou. Ele nunca a esqueceu e a convida para seu apartamento. Lá, conversando, ele tenta encontrar na mulher diante dele a mesma mulher que ele conhecera no passado e que, agora, se apresenta fisicamente envelhecida, diferente. Ela, por sua vez, tem dificuldade em se distanciar da tristeza, dos julgamentos que o filho faria dela e, principalmente, do medo de ceder ao homem, destruindo o monumento, a imagem bonita, que esse homem construíra para ela em suas lembranças. Outros contos trazem influência do conceito de "Don Juan", mostrando personagens envolvidos no jogo da conquista, se dando bem ou não. Sobra espaço para tratar também da questão "identidade", de como, nas relações, podemos assumir diferentes papéis, conforme as dificuldades da relação e da vida se apresentam. Até religião é tratada, como em "Eduardo e Deus", conto que encerra o livro e que mostra a história de um professor que finge acreditar em Deus para conquistar uma mulher religiosa, o que acaba não sendo bem visto na escola onde leciona. Afinal, a história (e todos os contos) se passam durante o regime comunista na República Tcheca. Abaixo, deixo um link com uma outra crítica. Enfim, "Risíveis Amores" é um livro excelente". Recomendo muito!!!

Uma outra crítica sobre a obra:
http://lounge.obviousmag.org/semiotizando/2012/06/risiveis-amores-de-milan-kundera.html
comentários(0)comente



Fendrich 06/02/2018

"O jogo da carona" é uma preciosidade. Kundera vai muito além de "A insustentável leveza do ser".
comentários(0)comente



Frank 15/07/2017

Risíveis Amores é um dos livros mais fáceis e gostosos de ler
Risíveis Amores é um dos livros mais fáceis e gostosos de ler do autor Milan Kundera. A obra reúne sete contos e foi escrita entre os anos 1960 e 1968. Foi publicado no Brasil pela primeira vez no ano de 2001 com o selo da editora Companhia das Letras e foi relançado recentemente pela Companhia de Bolso em 2012.
O livro possui 264 páginas e é dividido em sete contos, alternando entre narrador personagem e em terceira pessoa. Milan Kundera consegue ser um gênio em todos os livros que escreve e a sua narrativa é única e de fácil compreensão.
O primeiro conto fala sobre dois amigos, onde um é casado e não se cansa de “caçar” mulheres para “exercitar” os seus modelos de conquista e o outro é divorciado e apenas segue os caminhos que o amigo trilha. O segundo conto é sobre um professor de universidade que é perseguido por um homem que deseja a sua ajuda para publicar seu artigo em uma revista renomada. O terceiro é sobre um casal que tem como experiencia fingir que não se conhecem, na expectativa de se proporcionarem um pouco de excitação. O quarto é dividido em cinco atos e se passa em um hospital, onde três médicos, um residente e uma enfermeira se embebedam durante uma pausa e lidam com situações conflitantes que envolvem sentimentos alheios.
O quinto conto é sobre o reencontro de dois antigos amantes que possuem certos desejos diferentes um pelo outro, mesmo estando reunidos em um cômodo a sós. O sexto conto é sobre um dos personagens citados no quarto conto, onde se passam dez anos e ele se vê casado e reconhecendo os privilégios que possui só por ser casado com uma moça extremamente desejada. O ultimo conto é sobre um rapaz que finge ser cristão só para conseguir que a namorada transe com ele, mas acaba tendo complicações no trabalho justamente por não ser bem visto um comunista frequentar a igreja.
Os contos são uns mais rápidos que os outros e acabam divertindo o leitor a cada página. O mais interessante, na minha opinião, foi o sétimo conto. Desejei saber o que o personagem faria e quais seriam os seus atos de acordo com o que ele começava a enfrentar.
Eu indico esse livro principalmente para aqueles que ainda não chegaram a ter contato algum com as obras do autor, pois, como já dito, é divertido, possui uma narrativa única e ao mesmo tempo simples.

site: https://opassaroverdeblog.wordpress.com/2017/07/15/risiveis-amores-de-milan-kundera/
comentários(0)comente



Stephany 23/06/2017

O colecionador introduziu o erostismo na ronda da banalidade.
Risíveis amores é um volume que propõe uma reflexão sobre a idealização do amor, e a realidade amorosa e erótica como se entende hoje em dia. Em todos os contos, kundera busca causar a analise do que significa as relações amorosas para cada personagem. Assim como frizar toda sorte de mal entendidos que minam qualquer envolvimento de ser humano para ser humano. Kundera também deixa bem clara a sua intenção de falar sobre a ideia de "obrigação" do homem de viver aventuras amorosas, como uma forma de se autoafirmar. No primeiro conto temos um casal casual, Klara e um professor de artes. Que vivem uma relação clandestina em todos os sentidos. Onde o professor de artes apesar de amá-la, prefere jogar em nome da sua autoestima. E acaba percebendo que quando se vive em função do que os outros pensam, corre-se o risco de perder o que realmente lhe estima. Depois temos dois amigos, um vive inúmeras relações fora do casamento, e conferiu a isso até técnicas e termos. Apesar de viver em um casamento supostamente feliz, e ter uma mulher a qual acreditava ser o auto padrão, sentia que, como homem, sua vida amorosa tinha que continuar. Entende-se aí uma hesitação em relação ao que ele acredita ser a vida de um homem ao qual seja imposta uma vida sexual limitada a apenas uma parceira. Ao lado, seu amigo que aparenta cansado dos jogos amorosos e só lhe dá o prazer da companhia com um certa compaixão. Em outro conto, temos um casal jovem. O rapaz é do tipo que se importa demais com que os outros falam e pensam e sente-se constantemente julgado em tudo. Deixa-se claro que por ter uma experiência vasta sobre o genero feminino, decide escolher para si uma mulher cujos traços lhe inspirem castidade e insegurança. Para depois descobrir que não existe tal mulher. São sete contos que esquadrinham o ambito das relações eróticas humanas. Sempre ressaltando em cada um o objetivo e significado. Ao final podemos concluir que perdemos a tempos a real essência do erotismo.
comentários(0)comente



Nádia 02/05/2017

#resenhapomarliterario Risíveis amores
"Só conseguia pensar numa coisa: que seu corpo ia muito provavelmente sabotar o esforço de sua vontade. Seria absurdo resistir."
O equívoco, seja ele de situações ou de sentimentos, é o que torna risíveis os amores descritos neste livro composto de 6 contos.
Esses equívocos resultam de uma incapacidade fundamental que têm os personagens de Kundera não só de se comunicarem entre si, como também de se comunicarem consigo mesmos. Eles estão sempre sós num mundo - interior ou exterior - no qual os outros são meras sombras. Os objetos de seus amores são exatamente isso, objetos. Falta a esses amantes, a identificação que transforma o amador na coisa amada: daí sua vulnerabilidade ante situações novas criadas pelos equívocos.
Por isso esses amores são risíveis, por estarem mais perto da farsa do que do sublime. São amores trágicos porque negam a possibilidade de comunicação autêntica entre os que se amam."
Não teve um livro do Milan que eu tenha lido e não tenha sentido esse arrebatar da alma. Ele é tão intenso e mesmo possuindo uma escrita natural consegue transmitir até o mais indizível dos sentimentos.
Sou muito fã!

site: https://www.instagram.com/p/3oxUFbGvx5/?taken-by=pomarliterario
comentários(0)comente



Deghety 03/02/2017

Risíveis Amores
Milan Kundera é extraordinário.
Risíveis Amores reúne 7 contos que tratam de modo peculiar e com  bom humor relacionamentos amorosos e/ou sexuais.
O orgulho, egoísmo e a futilidade  são as características mais comuns entre as personagens dos contos, bem como a insegurança e modo errôneo de atribuir em outros uma "verdade" que só existe - na maioria das vezes -  nas "convicções" deduzidas, no entanto suas complexidades e reflexões são bastante pertinentes.
comentários(0)comente



lici 03/02/2017

Melhor livro é aquele em que se descobre a si mesmo. Revigorante.
comentários(0)comente



Rebeca Silva de Souza 24/07/2016

Amor mundano ridículo
Sete contos não leves sobre o quanto o "amor" onde não há AMOR é risível, ridículo.
Esse livro eu tirei da prateleira e guardei na minha caixa do Pra Muitos Dias Depois. Quem sabe, daqui um tempo, quando minhas ideias de mundo estiverem bem mais evoluídas, a releitura desse livro seja mais proveitosa...
comentários(0)comente



Craotchky 27/11/2015

Profundamente Humano
"Atravessamos o presente de olhos vendados, mal podemos pressentir ou adivinhar aquilo que estamos vivendo. Só mais tarde, quando a venda é retirada e examinamos o passado, percebemos o que foi vivido, compreendendo o sentido do que se passou."

Não tinha nenhuma expectativa com esse volume. Tal como é frequente acontecer em situações tais, não tinha muito a perder. Adianto que achei um livro regular, e que o que possui de diferente, ao menos para mim, é o tema. Não, não há romance, amor, sentimentos ou sexo, como talvez o título pode sugerir. Aqui encontram-se tragédias amorosas, imutáveis desencontros. Praticamente não há romantismo.

Incrível é que Kundera consegue, não sei bem explicar como, ser superficial e profundo simultaneamente. Sua linguagem é leve, descontraída, mesmo tratando de temas profundos das relações humanas. O livro fala essencialmente do lado humano, pessoal, íntimo; de nossas relações com os outros, e sobretudo, com nós mesmos.

Kundera aborda vários aspectos das relações pessoais. Como as pessoas veem de forma tão diferente às outras. Como uma leve mudança no ponto de vista pode afetar sua opinião sobre alguém que você julga conhecer bem. Como as pessoas se conhecem apenas superficialmente umas às outras e o quanto conhecem tão pouco de si mesmas.

O livro é composto de sete contos de leitura surpreendentemente rápida. As situações podem ser meio forçadas, mas não é esse o foco proposto. Um certo machismo é palpável, porém muito leve, nada agressivo, e talvez nem intencional. Foi uma daquelas leituras diferentes, que me proponho a fazer de vez em quando para expandir um pouco mais meus horizontes literários. Um bom livro; não tenho do que reclamar.
comentários(0)comente



Lys Coimbra 11/09/2015

Um livro simples
Se você já leu "a insustentável leveza do ser", talvez alimente muitas expectativas com relação a "risíveis amores". Comigo foi assim.
É claro que são propostas completamente diferentes, mas é inevitável esperar que o livro seja tão bom quanto a obra-prima de Kundera.
Não é um livro ruim, até porque, duvido que MK escreva algo que não seja bom, mas hoje eu recomendaria àqueles que não conhecem o autor que não comecem por "a insustentável leveza do ser", pois assim não há o risco de esperar algo tão grandioso das outras obras. O primeiro contato com o estilo de Kundera agradará muito e o gosto por sua obra seguirá uma reta ascendente.
"Risíveis amores" é um livro de contos. São sete contos que abordam a natureza humana, seus tropeços, fraquezas e instintos, daquele jeitinho todo especial que nos faz reconhecer algo de nós mesmos em alguns dos personagens.
Gostei especialmente de "ninguém vai rir","o jogo da carona" e "Eduardo e Deus", mas são todos bons.
comentários(0)comente



Karina 12/08/2015

Risíveis Amores - Milan Kundera.
O POMO DE OURO DO ETERNO DESEJO - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.

Milan Kundera escreveu esse livro com todo o seu sentimento. Risíveis Amores trata-se de uma coleção de contos encantadores que irá surpreendê-lo do começo ao fim.
“O Pomo de Ouro do Eterno Desejo”, o primeiro conto da obra, nos mostra dois amigos que adoram o jogo da sedução.
Martin é um conquistador convicto. Mesmo casado ele não consegue passar seus dias sem tentar abordar e levar uma mulher para os seus braços.
Levando seu amigo, um simples estudante, a compartilhar de seus devaneios amorosos. Martin se vê completamente encantando com uma moça do interior que veio passar um fim de semana na cidade de Praga.
Seu amigo, encantando com um livro que muito lutou para conseguir, nem deu ouvidos a Martin e nem se preocupou em contemplar a jovem moça.
Mas não teria como o nosso grande conquistador não ir atrás da garota.
Martin pegou o livro que seu amigo estudava e colocou dentro da sacola da moça. Uma das formas de sua conquista ajudou a mesma a carregar a sacola e disse que iria ao fim de semana próximo encontrá-la em sua cidade.
A garota, uma enfermeira, ficou lisonjeada com o convite. E por ter encantado aquele homem a tal ponto de o mesmo ir atrás dela.
Porém o livro foi junto para a outra cidade.
Agora eles precisam convencer a esposa de Martin de que ele precisará passar o fim de semana fora.
Enfrentar uma cidade desconhecida em busca de sua conquista e de seu livro perdido.
Mas as aventuras nesse inóspito lugar estão apenas começando.
Eles irão recuperar o livro?
A jovem enfermeira realmente caiu em tal conquista?
Uma reviravolta incrível que irá surpreendê-lo.
Casa de Livro Recomenda.


Titulo: O Pomo de Ouro do Eterno Desejo - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.

Devo confessar que tinha sofrido muito durante esses poucos dias em que o livro sobre a cultura etrusca ficara fora do alcance dos meus olhos. Foi preciso um grande esforço para que suportasse isso sem reclamar, mas não queria de maneira alguma estragar o jogo, esse valor que aprendi a respeitar desde o tempo de minha juventude e ao qual seu subordinar todos os meus interesses e desejos pessoais.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

NINGUÉM VAI RIR - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.

Mais um conto que compõe o livro Risíveis Amores, uma obra divertidíssima que Milan Kundera nos apresentou.
“Ninguém vai Rir” é uma história engraçada e envolvente. Trata-se de uma verdadeira caçada entre “cão e gato”.
Klima é um professor de história e grande escritor de artigos em uma revista de sua cidade.
Suas palavras muitas vezes não são lidas por ninguém, sua pessoa não é respeitada e nem reverenciada por nenhum ser vivo que ele conheça.
Mas em certo momento ele começa a ser perseguido pelo eloquente Sr. Zaturecky.
Assim como Klima, Zaturecky também é escritor, e deseja de todo o coração que ele redija um parecer sobre um artigo de sua autoria.
O homem passa a fugir de Zaturecky com uma veemência absurda.
Ele não quer negar o pedido do único homem que o admira e o respeita. Mas não pode sujar a sua “imagem” redigindo um parecer sobre um artigo que é um amontoado de asneiras.
Klima inventa uma viagem falsa, doença que o deixa hospitalizado. Mas nada tira o senhor baixinho da sua cola.
Sua assistente já não sabe mais o que fazer, ele o procura na faculdade onde Klima dá aulas, todos os dias.
Já não existem mais desculpas.
Mas tudo se agrava quando ele descobre seu endereço.
Klima fica maluco com a perseguição. Ele não consegue mais um momento de paz.
Mas sabe um modo de se vingar.
E se vingará daquele baixinho maluco.
Klima conseguirá se livrar da presença assustadora de Zaturecky?
Ele será obrigado a redigir uma nota sobre o artigo do velho Sr.?
Ou irá se livrar completamente da perturbação.
Um conto fantástico que todos devem ler.
Casa de Livro Recomenda.

Titulo: Ninguém vai Rir - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.

Eu o via diante de mim: mesquinho, teimoso, ameaçador; via o sulco vertical que desenhava em sua testa o traço de sua única paixão; via esse traço retilíneo e compreendi que era uma linha reta determinada por dois pontos: meu parecer crítico e seu artigo; e que, exceto o vício dessa linha maníaca, nada existia em sua vida a não ser uma ascese digna de um santo. E não resisti a uma malevolência salutar.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O JOGO DA CARONA - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.

Risíveis Amores, uma obra composta por contos maravilhosos escritos por Milan Kundera.
O segundo conto nos mostra a verdadeira identidade das pessoas, uma forma de fazer vir à tona todos os seus desejos, a sua alma.
“O Jogo da Carona” é um conto comovente e reflexivo, até que ponto a mente humana pode brincar com seu corpo?
Com seus atos?
Um jovem casal consegue realizar a primeira viagem juntos.
Mesmo juntos há quase um ano, é a primeira vez que conseguem tirar férias juntos.
Ele como seus 28 anos, um homem já maduro e que sabe seduzir uma mulher como ninguém.
Ela com 21 anos, ingênua e também recatada. Saber como ficar sem graça na frente dos homens.
O que mais encantou o rapaz foi à pureza da garota. Ele sentia que ela não era como as outras. Que ele poderia amá-la sem medo da infidelidade.
Em contra partida, excessivamente ciumenta, via nos trejeitos de seu companheiro, em suas palavras, a infidelidade estampada.
Durante a viagem então, ela decidiu fazer um jogo. Em que seriam apenas desconhecidos.
Quando pararam em um posto de gasolina, ela desceu do carro e logo em seguida entrou como se fosse uma desconhecida.
Ele não entendeu muito bem o porquê daquele jogo. Mas entrou na onda, e foi descobrindo facetas de sua amiga, que até então eram desconhecidas.
Estava imaginando-a como uma puta, uma mulher fácil que já deveria ter agido dessa forma com muitos outros.
Ele sentia raiva dela, e faria de tudo para conseguir humilhá-la.
A garota estava ficando com medo das atitudes de seu companheiro, mas não poderia abandonar o jogo. Estava sentindo-se poderosa no começo, mas agora não sabia mais como agir.
Tornaram-se realmente desconhecidos.
Ela conseguirá manter o amor vivo dentro do rapaz?
Será possível que a sensação de raiva fuja de seu coração?
Uma obra maravilhosa, que todos devem ler.

Titulo: O Pomo de Ouro do Eterno Desejo - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.

Havia algo no jogo da moça que começava a irritá-lo, agora que estavam frente a frente compreendeu que, se ela lhe parecia outra, não era apenas por causa de suas palavras, mas porque ela estava tão inteiramente metamorfoseada, nos gestos e na mímica, que se parecia, com repugnante fidelidade, àquele tipo de mulher que ele conhecia muito bem e que lhe inspirava ligeira aversão.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O SIMPÓSIO - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.

Risíveis Amores é um livro recheado com contos incríveis que nos mostra todo o talento de Milan Kundera.
O conto que iremos comentar “O Simpósio” é uma história intrigante e ao mesmo tempo divertida.
Dentro do hospital, um grupo de amigos entre eles enfermeiros e médicos. Decidiram beber para socializar uns com os outros.
Mas enquanto a bebida agia em seus organismos, eles foram ficando mais soltos e revelações foram acontecendo.
Fleischman era o mais novo deles, um estagiário que era apaixonado pela Dra Chefe.
Uma mulher atraente na casa dos trinta anos.
Fleischman era um garoto esforçado e que gostava de respeitar as pessoas ao seu redor.
Mas às vezes era grosso, estúpido, sem entender o porquê.
Durante aquela noite, ele estava disposto a todo custo a conquistar a Dra.
Mas será que ela também se interessava por ele?
O rapaz via sinais naquela mulher, mas será que estava fantasiando?
O que ela não poderia imaginar é que Elisabeth, uma das enfermeiras do local, era apaixonada por ele.
Alguns de seus amigos alertaram sobre Elisabeth, mas ele não se sentia atraído por ela.
E não se esforçava nem para ser educado com a garota.
Fleischman não acreditava que poderia estar machucando uma pessoa que não tinha nenhuma relação.
Mas Elisabeth era obcecada.
Tudo o que fazia era para chamar atenção do rapaz, para sentir-se admirada por ele, para sentir-se desejada.
Porém totalmente machucado por conta de um amor não correspondido, Fleischman estava cedo de ódio.
Não queria saber de nada nem ninguém em sua frente.
E magoou Elisabeth profundamente.
Um amor que pode mudar o rumo de duas vidas.
Qual será o destino de Elisabeth?
Uma história que todos devem ler.
Casa de Livro Recomenda.

Titulo: O Simpósio - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.

O chefe dirigiu-se de novo a Fleischman: - Se fôssemos responsáveis apenas pelas coisas de que somos conscientes os imbecis seriam absolvidos antecipadamente de todas as faltas. Acontece, meu caro Fleischman, que o homem é obrigado a saber. O homem é responsável pela própria ignorância. A ignorância é uma falta. Por isso nada pode absolver você de sua falta, e declaro que você se comporta como um malandro com as mulheres, mesmo que o negue.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

QUE OS VELHOS MORTOS CEDAM LUGAR AOS NOVOS MORTOS - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.


Milan Kundera sempre nos cativa com suas palavras simples, mas que nos passam o sentimento de realidade.
Histórias fantásticas que nos apresentam personagens distintos, porém sempre com características do nosso cotidiano.
Na obra “Risíveis Amores” o autor nos mostra uma coleção de contos especiais, cujo estamos resenhando um a um.
“Que os Velhos Mortos Cedam Lugar aos Novos Mortos”, nos apresenta um reencontro emocionante.
Ele é um homem na casa dos seus quarenta anos. Divorciado e com um emprego que lhe tira a paz.
Mas não reclama da vida que leva claro que existem momentos em que deseja a morte, mas acha a sua solidão acolhedora.
Ela é uma senhora viúva que hoje sofre com alguns lapsos de memória e um filho manipulador e controlador.
Dois corações que sofrem as tragédias da vida humana.
Perdidamente apaixonados a mais de vinte e cinco anos atrás, reencontrando em uma rua qualquer.
Será o destino os unindo?
Ele a chama para tomar um chá em sua casa.
Ela encontra-se desesperada pelo erro que cometeu e acaba aceitando o convite dele.
Desabafa com esse conhecido, há muito desconhecido.
Voltou à cidade para visitar o túmulo de seu marido.
E descobriu que por negligência, não renovou contrato.
Seu marido, um velho morto cedeu lugar para um novo morto.
Seu filho ficaria totalmente descontrolado de raiva. Ela tinha medo das consequências.
Pedirá ajuda a seu amigo?
Há vinte e cinco anos ele foi o grande amor da sua vida.
Seria essa uma nova oportunidade para os dois?
Uma linda e impressionante história.
Casa de Livro Recomenda.

Titulo: Que os Velhos Mortos Cedam Lugar aos Novos Mortos - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.

Em seguida, ela sentou-se sobre ele, e ondulando os quadris, disse alguma coisa com a voz abafada, num murmúrio, mas era difícil saber se falava para ele ou para si mesma.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O Dr. HAVEL DEZ ANOS DEPOIS - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.


30 de jul de 2015
O Dr. HAVEL DEZ ANOS DEPOIS - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.


Milan Kundera é um dos autores mais célebres da literatura.
Suas obras, traduzidas por todo o mundo, agrada leitores de todos os gêneros e idades.
Suas histórias são recheadas de realidade, que além de envolver também encanta o leitor.
Risíveis Amores, obra que estamos resenhando aqui no Blog Casa de Livro, nos leva para mundos extraordinários e diferentes a cada conto.
“O Dr. Havel Dez Anos Depois” nos mostra um de seus personagens mais ilustres, vivendo um momento de pura melancolia e dor.
Havel é um dos médicos mais famosos de sua geração, tanta pela eficiência profissional, quanto por suas aventuras sexuais.
Hoje é casado com uma linda, jovem e famosa atriz do cinema. Ela quem o mantem vivo e aflora toda a sua juventude.
Ele fica extremamente encantado com o mundo ao lado dela. Os homens o invejando, as mulheres querendo experimentar tudo o que ele tem a oferecer.
Mas de súbito uma doença tomou conta de seu ser.
Dr. Havel vem lutando contra dias sombrios, onde as dores e o cansaço fazem parte de sua vida.
Ele não se sente mais encantador. Não se interessa mais pelas mulheres e não enxerga mais o interesse delas para com ele.
Agora Havel precisa lutar contra uma doença que assola o seu corpo.
Recuperar seu espírito jovial e sair dessa terrível depressão.
Um companheiro inusitado ajudará Havel.
Ele conseguirá se curar?
Voltará a ser o Havel encantador de outrora ?
Mais um conto maravilhoso que todos devem ler.
Casa de Livro Recomenda.

Titulo: O Dr. Havel Dez Anos Depois - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.

Dr. Havel compreendeu com tristeza que aquela criatura esteticamente ambígua, que revelava numa torrente de palavras toda a simplicidade de sua alma, seria provavelmente seu terceiro fracasso do dia, se fosse uma tentativa, pois o Dr. Havel, outrora soberano como a morte, não era mais aquele que fora.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

EDUARDO E DEUS - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.

Chegou a hora de finalizar mais uma obra de contos, resenhados individualmente, aqui no Blog Casa de Livro.
Milan Kundera tem um forte no nome na literatura do mundo.
Sua obra Risíveis Amores, nos mostrou contos encantadores. Com as pitadas certas de humor, romance, malícia e crueldade.
Obras completas que levam o leitor a viver as mais distintas “vidas”, junto à personagens inesquecíveis.
Eduardo e Deus, não seria diferente. Mais um conto que nos arranca sorrisos e desejos diversos.
Eduardo era um rapaz educado. Professor, sabia muito bem se expressar e encantar as pessoas ao seu redor, principalmente as mulheres.
Apaixonou-se por Alice.
Uma garota devota a Deus, que seguia sua vida na mais pura santidade.
Também gostava de Eduardo, mas Alice em tudo via pecado. Não queria se entregar, mesmo com vontade, antes do casamento.
Com as investidas de Eduardo, que a cada dia eram piores, decidiu perguntar ao rapaz o que o mesmo achava sobre Deus.
Foi quando tudo dentro do coração do homem modificou-se.
Eduardo que até então não levava a religião em consideração, passou a frequentar assiduamente a igreja.
Conheceu a palavra de Deus a fundo.
Viu que dessa forma, Alice foi soltando-se mais.
Porém em uma sociedade que não aceitava Deus como criador de tudo, Eduardo passou a ser alvo de chacota.
Arriscado a perder o emprego e toda a amizade que conquistou na cidade.
Agora é necessário fazer uma escolha, permanecer devoto a Deus, e alcançar seu objetivo, Alice.
Ou desistir de toda essa brincadeira, e segurar seu emprego.
Eduardo conseguirá sair dessa enrascada?
Será que ele realmente ama Alice, ou a vê como um prêmio?
Uma história encantadora que todos devem ler.
Casa de Livro Recomenda.

A diferença entre a história da humanidade e a sua pré-história é que o homem tomou nas mãos o próprio destino e não tem mais necessidade de Deus.

Titulo: Eduardo e Deus - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.


Eduardo ficou preocupado. Á noite, como de costume, foi encontrar-se com Alice, para passear com ela pela rua, mas renunciara a seu fervor religioso. Estava abatido e queria contar a Alice o que lhe estava acontecendo, mas não teve coragem, pois sabia que, para conservar seu detestável mas indispensável emprego, estava disposto a trair a Deus se a menor hesitação, no dia seguinte. Portanto, não disse uma palavra sobre sua funesta convocação, e não pôde encontrar alívio. No dia seguinte, ao entrar na sala da diretora, sentiu-se abandonado por todos.

site: www.casadelivro.com.br
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2