Os Goonies

Os Goonies Steven Spielberg
Chris Columbus




Resenhas - Os goonies


114 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Leticia 29/05/2013

Maravilhoso
Para quem já assistiu o filme "Os Goonies" na década de 80, vai amar o livro. E para quem nunca assistiu, acredite... depois que ler vai querer assistir o filme.
Eu li o livro em apenas um dia,leitura rápida e emocionante te prende do começo ao fim, bem fiel ao filme com uma pitada a mais de emoção.
Vale a pena ler
comentários(0)comente



Descontrolados 20/11/2013

Goonies Never Say Die!
Os Goonies nunca morrem! Impossível esquecer essa célebre frase de Mickey, dita à Andy, no clássico oitentista, dirigido por Steven Spielberg. Das telas para as páginas, chega pela editora Darkside, das mãos do escritor James Kahn, a adptação de Os Goonies, um filme que marcou toda uma geração, carente de uma aventura que falasse sua língua.

Adquiri esse livro na edição carioca de 2012 do YouPix. A editora havia montado um sombrio e belo stand no evento, uma recriação da Sala Vermelha, de Twin Peaks, clássica série de suspense dos anos 90.

Haviam duas edições disponíveis, a edição comum e uma limitada, de capa dura, ambas acompanhadas de um atrativo kit, contendo 4 bottons e uma camiseta, tudo dentro de uma estilosa bolsa feita de estopa. O preço foi salgado, mas garanto: valeu a pena. Sou fã de Os Goonies!

Você deve estar agora questionando: por que devo comprar um livro que é nada mais e nada menos que uma transcrição de um filme que eu conheço de cabo a rabo? Bom, isso é o que eu vou tentar demonstrar para você, nos próximos parágrafos

Para inicio de conversa, o design gráfico, realizado pela Retina 78, aplicado na capa da minha edição, já é de encher os olhos! A capa é feita em um papel especial, de alta gramatura, com a caveira e o nome impressos com detalhes brilhantes. Logo ao abrir o livro, você encontra impresso em todo o verso da capa o mapa do tesouro de Willy Caolho. Sensacional!

Hey, acalme-se, não precisa esbravejar. A Darkside não está oferecendo apenas um livro bonitinho e bem acabado (alias, que fique claro, minha edição é a comum e não a mega cabulosa edição em capa dura, com tiragem de apenas 1.000 exemplares numerados, já esgotada no mercado. Infelizmente meu bolso não comportava uma extravagância maior do que a que eu já tinha cometido!)

Louvável é a revisão textual do livro. Normalmente, o que esperamos de obras lançadas por editoras pequenas e pouco conhecidas é um trabalho apenas aceitável, com alguns problemas textuais, especialmente de concordância, uma troca de letras aqui e ali, um errinho de diagramação do texto na página… coisinhas do tipo. Mas, para minha surpresa, o trabalho apresentado pela Darkside é digno de uma grande editora. Eu, pessoalmente, não identifiquei nenhum desses erros clássicos. Parabéns para Retina Conteúdo, responsável por esta revisão!

Vou parar de babar pela arte e passar para o que interessa: o conteúdo!

Para os que não conhecem, Os Goonies conta a história de um grupo de amigos, da pequena cidade costeira de Astoria. Poderosos corretores de imóveis ameaçam ocupar o bairro de Goon Docks para transformá-lo num grande loteamento. É quando Mikey encontra um velho mapa de piratas e, junto com seus amigos, saem à procura do tesouro que poderá salvar suas casas. Só que não esperavam encontrar esqueletos armados de espada, uma passagem subterrânea cheia de armailhas e uma perigosa quadrilha de falsários, ansiosos por eliminar os Goonies. Mas o grupo fez um juramento de continuar unido, houvesse o que houvesse… E foi a sorte deles, porque ia começar o periodo mais incrível de suas vidas!

O livro, diferentemente do filme, é narrado na primeira pessoa, tendo como interlocutor o personagem Mikey Walsh. Por conta disso, o autor usou um artifício que funcionou muito bem para a trama: narrá-la no passado


“Portanto, esta é a história do que aconteceu naquele último longo dia do outono passado, o dia antes do nosso despejo. E eu sei que uma boa parte dessa história vai parecer difícil de engolir, mas juro por Deus que cada palavra é verdadeira” – Os Goonies, pág. 17.


Nessa passagem descobrimos que a trama se passa no passado. Com esse artifício, o autor garantiu a presença no livro das cenas mais importantes do filme em que Mikey não estava presente, como por exemplo a clássica cena em que Gordo é interrogado pela família Fratelli. “Mais tarde soube” e “Depois ele me contou” são as portas de entrada para esses memoráveis momentos!

Por ser uma adaptação, houveram acréscimos à história original de Spielberg. Algumas situações novas foram criadas, garantindo mais ação para determinados momentos da trama, que funcionam de forma genial, pois enquanto você está viajando na nostalgia e se depara com um elemento novo, um grande interesse é despertado, nos levando a querer saber saber qual o objetivo deste acréscimo, tornando a leitura mais emocionante. E são excelentes acréscimos, garanto!

Se você já viu o filme, certamente viajará nas 237 página do livro, relembrando as cenas enquanto lê. Se nunca viu o filme, certamente irá querer assisti-lo assim que que chegar à última página.

Para os saudosistas, o grande mérito deste livro é garantir a sensação da primeira vez em que você viu o filme. A nostalgia toma conta do leitor de uma forma arrebatadora. Precisei rever o filme imediatamente após a leitura e, bem, preciso encerrar essa resenha agora, pois só pelo fato de escrever sobre esse incrível livro, sinto que preciso assistir novamente Os Goonies!

Embarque nessa aventura também, mas não esqueça de fazer seu juramento:

“Eu jamais trairei meus amigos das Docas Goon,
Juntos ficaremos até o mundo inteiro acabar,
No céu e no inferno e na guerra nuclear
Grudados feito piche, como bons amigos iremos ficar,
No campo ou na cidade, na floresta, onde for,
Eu me declaro um companheiro Goony
Pra sempre, sem temor.”


Por Diego Cardoso

site: http://programadescontrolados.com/resenha-os-goonies/
comentários(0)comente



Danny 26/02/2014

Total nostalgia
Na década de 80 surgiu nas telas um filme excepcional (pelo menos para mim - e muitos outros - que tinha a idade próxima aos dos protagonistas): "Os Goonies".
O filme mostrava, finalmente, a visão de alguns garotos, sobre amizade, companheirismo, lealdade.
E (vejam só!) o filme virou livro!!!!
O livro, diferente do filme, é em primeira pessoa. Mikey conta, através de seus olhos e do que ouviu dos amigos, como iniciou-se a aventura dele, de seus três amigos inseparáveis (absurdamente diferentes e complementares) Bocão, Dado e Gordo, de seu irmão Brand e por fim das garotas Andy e Stef, para salvar as Docas Goon, o lar de todos eles (entenderam agora porque goonies?)
Os garotos encontram no sótão da casa de Mikey e Brand, a chave para salvar as Docas da destruição (para dar lugar a um campo de golfe): o mapa do tesouro do famoso pirata Willy Caolho.
Há passagens, que nos são apresentadas por Mikey e seus amigos, que não estão filme, temos também notícias que os jornais publicaram após a aventura, e para aqueles que tem a "Limited Edition" da Dark Side, além de lindas fotos, tem o mapa da aventura, sim, o mapa do Willy Caolho!
Sou suspeita, pois tenho memória afetiva, mas vou dizer assim mesmo... DEMAIS!!!
Aventura e diversão, agora em suas mãos!
PS. "Choocooolaaaate!"
comentários(0)comente



Luan Simões 18/10/2014

O melhor da minha infância
Sem mais delongas, o livro é ótimo. Sou super fã do filme e via todas as vezes que passava na Sessão da Tarde.

O bom é que o livro explica algumas coisas melhor, dá mais detalhes (até "sapequinhas") e expõe algumas coisas que só ficam subentendidas no filme. De resto, é igual; até lia ouvindo as vozes dos dubladores.

Para fãs de Os Goonies, leiam.
comentários(0)comente



Heitordealmeida 08/07/2013

Os Goonies - A caça ao tesouro da minha infãncia
Se você está lendo isso, saiba que eu vou tentar ser justo, mas dificilmente conseguirei ser imparcial e o motivo, claro, é o filme na qual esse livro é baseado.

- "Foi então que soprou aquele estranho vento de Outubro pela janela do sótão e compreendi subitamente que alguma coisa ia acontecer. Não deu outra."

Os Goonies é um filme de 1985, produzido por Steven Spielberg, escrito por ele e Chris Columbus, e dirigido por Richard Donner. É um dos chamados "Clássicos da Sessão da Tarde" tendo passado inúmeras vezes e eu tendo assistido tantas quanto pude.

O livro tenta retratar o máximo possível a história do filme chegando a ser divertido em muitas partes. Eu constantemente relembrava as cenas do filme e sentia aquela mesma emoção divertida de quando via o filme nas minhas tardes na infância (e na adolescência, e também na vida adulta!)

O livro segue a narrativa de Mikey Walsh (Sean Austin, antes de virar Samwiise Gamgee, um certo Hobbit jardineiro numa certa Trilogia de um certo Um Anel de Poder) que conta a história de como ele e Uma turminha do barulho arrumaram muita confusão na sua telin... Ops...

Você provavelmente já conhece a história mas vamos relembrar.

- "Os Goonies" conta a história de um grupo de garotos que moram num lugar chamado "Goon Docks", um bairro de operários em Astoria. O lugar onde eles moram está prestes a ser demolido para a construção de um campo de golfe para "os ricaços do Hillside Country Clube". A história se passa um dia antes do prazo legal de desapropriação das casas, com os Goonies em sua ultima aventura.

Enquanto vasculhavam o sótão dos Walsh tentando encontrar algo legal para levar, os garotos encontram um Mapa do tesouro que supostamente marcaria onde estaria enterrado o tesouro do famoso pirata Willy Caolho.

Seguindo as indicações do mapa, os garotos chegam até um velho restaurante abandonado que era onde o tesouro estaria. Lá eles encontram a famosa família de criminosos Fratelli que, depois de uma fuga ousada da cadeia, estavam escondidos da policia.

No caminho para o tesouro há muitas armadilhas e perigos que eles tem que superar enquanto são perseguidos pelos Fratelli.

O livro é rápido e bem divertido. Devido ao fato de ser narrado, ele não apresenta uma escrita muito pesada podendo ser lido facilmente. Ele também é pequeno, contendo só 178 páginas. Confesso que o li mais por causa do filme, mas mesmo assim me diverti bastante.

O maior mérito do livro pra mim, não é exatamente a forma de escrita ou a os detalhes ou qualquer coisa do tipo. Foi o fato de ter resgatado aquele sentimento que eu tinha quando via os filmes que eu tão prontamente associei a infância. Eu lia sorrindo e sentia um prazer imenso em relembrar a história mesmo sabendo-a de cor. E foi esse tipo de sentimento, que fez toda a diferença.

"Nunca trairei meus amigos de Goon Dock;
Ficaremos juntos até o fim do mundo;
Pelo céu e o inferno e a guerra nuclear;
Bons amigos como nós grudam como piche;
Na cidade ou no campo, na floresta ou no deserto;
Eu me declaro com orgulho um Goony!"
- Juramento dos Goonies
LPFaustini 07/08/2013minha estante
Só uma curiosidade: Goon Dock é Doca dos Valentões. Goon é uma gíria que se refere a casca-grossa, valentão, geralmente pejorativo. Quando se coloca um y, vira diminutivo. Portanto, goony é valentezinho. Numa época em que nomes de filmes eram sempre traduzidos , mesmo que isso gerasse bizarrices nos títulos em português, muito me surpreende que "The Goonies" não tenha virado "Os valentezinhos".


Heitordealmeida 07/08/2013minha estante
Agradeço o comentário e o acréscimo!




Tinúviel 16/07/2015

O Gordo
Me diverti bastante lendo o livro, me senti transportada para minha infância, quando assistia o filme repetida vezes na Sessão da Tarde.

O auge do livro para mim foi quando a história foi contada pelo ponto de vista do Gordo, me acabei de rir, foi uma gostosura só. Fico imaginando se o livro todo fosse narrado por ele....
comentários(0)comente



Rodrigo 20/06/2013

Infancia
Na realidade, me lembrava muito do filme e tudo mais pois me recordo de ter assistido muitas vezes quando criança. E recentemente foi publicado e acabei pegando.
Me recordei de muitas coisas, foi muito divertida e leitura e rápida e super fácil. Se vc esta afim de ler algo fora do que costuma ler, este é bom !!
Vale a pena, eu gostei muito. E é emocionante sim, vc ver que quando se é criança a imaginação supera qualquer obstaculo.
comentários(0)comente



Bel 11/02/2014

Gostinho de nostalgia.
Eu faço parte do grupo de pessoas que assistiu o filme antes de ler o livro, até porque é um filme muito antigo e eu via sempre com meus irmãos. E nunca tive medo, pelo contrário: adorava a história e queria ser amiga deles. Ao contrário do que pensei, o livro não exige que o leitor tenha assistido ao filme para melhor compreensão - ainda que o fato de já ter assistido tenha me ajudado um pouco a elaborar as cenas na minha cabeça. No que difere do filme, o livro é narrado em primeira pessoa - o que facilita o entendimento e devo agradecer ao autor por isso. Minha única reclamação é: as cenas que Mikey não estava acabam sendo descartadas do livro, como a cena clássica do Gordo.
O livro conta a história de um grupo de amigos ameaçados pelos tão temidos e poderosos corretores de imóveis, que pretende transformar o bairro de Goon Docks num campo de golfe. E é aí que Mikey encontra um velho mapa do pirata Willy Caolho, que o leva a um tesouro, sua última esperança para salvar seu bairro. Em meio a esqueletos, armadilhas, encruzilhadas, passagens secretas e uma gangue de falsários, Mikey e seus amigos, os Goonies, enchem os olhos do leitor com uma aventura extraordinária. A nostalgia durante a leitura é inevitável, visto que a cada página eu lembrei da primeira vez que assisti ao filme e o mistério e ansiedade para a próxima cena predominavam.

Não espere que o livro seja tão inocente quanto o filme, primeiramente porque livros tendem a ser mais intensos. Tem até piada de cunho sexual! Mas nada que derrube a imagem de cada Goonie inocente e ingênuo. Devo lembrar que o Sloth é muito mais carismático no livro e que os Fratellis são 10x mais chatos!

O livro me ganhou quando eu senti aquele gostinho da minha infância. Mesmo que eu não tenha vivenciado os anos 80, meus irmãos vivenciaram e fizeram questão de me mostrar o filme quando eu era criança. O livro resgatou todo aquele sentimento vivido ao assistir, e sou eternamente grata ao autor! E não posso esquecer de parabenizar a editora por uma diagramação, edição e espaçamento perfeitos. Ilustrações que trabalham a mente, páginas amarelas e muito amor vieram junto com o livro.

“Eu jamais trairei meus amigos das Docas Goon; juntos ficaremos até o mundo inteiro acabar; no céu e no inferno e na guerra nuclear, grudados feito piche, como bons amigos iremos ficar; no campo ou na cidade, na floresta, onde for; eu me declaro um companheiro Goony, para sempre, sem temor.” (Juramento Goony)

site: http://www.alguminfinito.com.br/
comentários(0)comente



Weslley Machado 22/12/2015

Viva o espírito aventureiro e o prazer da amizade em “Os Goonies”, clássico da década de 80
Esse era um livro que já estava na minha lista de leituras há um bom tempo, sempre olhava para ele com vontade de pegar e começar a ler, mas sempre outro livro entrava e deixava Os Goonies pra depois. Após muito tempo, consegui pegar o livro e começar sua leitura, e isso aconteceu no momento em que eu menos esperava. Estamos em outubro de 2015, mês do Halloween – mês do terror, um mês improvável para a leitura de um livro que conta as aventuras de uma turma de adolescentes. Mas podemos levar em consideração que em outubro também teve o Dia das Crianças, uma data que pede a leitura de algo mais leve. Pensando bem, não existe isso de momento certo ou errado para ler Os Goonies, e foi isso que eu coloquei em mente para ler esse clássico. Ainda bem que isso aconteceu, pois esse é um livro que eu estava precisando ler. Agora quero compartilhar com vocês um pouco da minha experiência.

Os Goonies conta a estória de uma turma de adolescentes que estão ameaçados – juntamente com suas famílias – de perder o local onde eles vivem. Suas casas estão ameaçadas pelo rico Sr. Perkins, que deseja construir um campo de golfe no local de suas casas. Em uma tarde na casa de Mikey Walsh (um Goony, personagem pelo qual a narrativa é contada), com todos os Goonies reunidos (Gordo, Bocão, Dado e Brand) um antigo mapa é encontrado no meio das coisas do pai de Mikey. Esse mapa surge como a última esperança para a turma, pois caso eles consigam ir até o local indicado e encontrar o tesouro, terão dinheiro suficiente para permanecer vivendo no mesmo local – terão a oportunidade de permanecer unidos.

É assim que a narrativa começa, nos dando uma pequena noção da grande aventura que está por vir. Nessa parte, ainda na casa do Mikey Walsh, temos a oportunidade de conhecer um pouco mais de cada personagem, ver como cada um se comporta. É aqui que começamos a nos apegar aos personagens e suas características, é aqui que nos sentimos convidado a mergulhar de cabeça nessa aventura. Quem quando criança nunca teve vontade de viver uma grande aventura? Como leitor, é quase impossível não se identificar com algum personagem e com a aventura que está por vir.

Não irei revelar muito sobre o período em que a turma está em busca do tesouro, pois o interessante é chegar nessa parte e se surpreender com cada detalhe. O que acho válido dizer é que durante o desenvolvimento da narrativa, outros personagens irão surgir e tornar a aventura cada vez mais interessante. É o caso da Stef e Andy, as duas garotas que se juntam aos outros na caça ao tesouro. E como toda boa aventura, os vilões também marcam presença: Jake, Francis e Mama – o trio barra pesada. E o que dizer do assustador e ao mesmo tempo carismático Sloth? Amigos, uma coisa é certeza: uma grande aventura aguarda por vocês.

O que falo aqui é a minha experiência com o livro antes de assistir o filme (tenho o costume de primeiro ler o livro para depois complementar minha experiência com o filme), mas acredito que o livro não deixa de ser interessante para quem já conhece o filme. Como já é de se esperar, o livro dá ao autor a oportunidade de desenvolver melhor a narrativa, que é o que o James Kahn faz. São vários detalhes que ajudam a tornar o livro uma grande aventura. Os Goonies é de longe o livro mais divertido que já li, foi uma experiência totalmente diferente e no final pude perceber que eu estava precisando de algo assim. É bom sair da caixinha às vezes e ter contato com algo puramente leve e divertido – e por que não dizer emocionante? Leitura interessante para todos os tipos de leitores, um livro que não perdeu seu brilho após tantos anos.

site: https://goo.gl/ZXPYyW
comentários(0)comente



Betinha 06/02/2015

Amizade vale mais do que qualquer tesouso!
É realmente um livro muito divertido!
Eu nunca assisti o filme, por isso tudo era completamente novo! Fiquei muito satisfeita com essa leitura, pois era exatamente como eu esperava, uma narrativa leve e divertida de aventuras! Eu adorei os personagens, mas devo confessar que o meu preferido é o Gordo!
É uma história que nos lembra de lições importantes como o valor da amizade! Vale a pena ler! Recomendo!
raissa.pinto.9 08/05/2016minha estante
Meu preferido foi o Gordo tbm kkkkkkk Morria de rir com ele!!




Nicolas.Guilherme 16/01/2016

Pura nostalgia
Os Goonies,foi uma das melhores leituras que tive em 2015,talvez por amar o filme,talvez
pela historia,talvez por descobrir que teremos um reboot dessa historia incrível,fico com todas
pois os Goonies foi tudo que eu esperava,um livro sensacional,e um epilogo excepcional.
A magia de os Goonies está em sua mensagem,em sua simplicidade,não leu ou assistiu o filme então vá sem medo,pois os Goonies e incrível
Aline Teodosio 29/01/2016minha estante
Ler o livro embalada pela trilha sonora da Cindy é tudo de bom!!! Hahaha
Nostalgia pura.


Nicolas.Guilherme 16/03/2016minha estante
concordo eu li,cantando a música da cindy




Emy Santana 29/07/2015

Never say die!
Os Goonies” é uma leitura e boa para um fim de tarde, em alguns momentos lhe proporciona boas risadas, você se sente em uma aventura junto com os goonies. A escrita é bastante corrida e divertida, tornando a obra ainda mais cinematográfica. Em comparação com o filme, os vejo como complementares; existem partes do livro que não foram retratados no filme de Steven Spielberg, mas de que nada prejudicam a experiência em ver o livro ou a história. Um outro ponto de destaque são as referências à cultura pop dos anos 80, que passam inclusive porJ. R. R.  Tolkien.  
comentários(0)comente



Dudu 27/01/2016

Os Goonies
Criado por Steven Spielberg, Os Goonies foi lançado em 1985. Dirigido por Richard Donner, o filme não só fez grande sucesso naquele ano, como ainda faz nos dias de hoje. Bem, mas não é sobre o filme que vou falar, certo? A história de Spielberg, escrita por James Kahn foi publicada em vários países. No Brasil a brochura foi publicada pela Darkside em 2012, traduzida por Cecilia Giannetti.
Ok. Agora vamos à história!
A criançada das Docas Goon, Mike Walsh, seu irmão Brand e seus leais amigos Goonies: Bocão, Gordo e Dado encontram um misterioso mapa do tesouro. Animados, os garotos partem numa aventura à procura do tesouro escondido por Willy Caolho. Durante o livro, percebi uma empolgante história de amizade e dei muitas risadas. É uma caça ao tesouro com uma dose de perseguição. Mas perseguição e caça ao tesouro? Sim! E a história é demais.

“Eu jamais trairei os meus amigos das Docas Goon,
Juntos ficaremos até o mundo inteiro acabar,
No céu e no inferno e na guerra nuclear,
Grudados feito piche, como bons amigos iremos ficar,
No campo ou na cidade, na floresta, onde for,
Eu me declaro um companheiro Goony
Pra sempre, sem temor.”
O juramento Goony

Mike é um garoto frágil, mas muito inteligente e determinado. Seu irmão Brand é o garoto do tipo atlético da escola. Bocão, como de se esperar de alguém com esse apelido, é o engraçadinho da turma, sempre com uma piada ou algum comentário tosco na ponta da língua. Dei muitas risadas graças a ele, o meu personagem favorito do livro. Já o Gordo, bem... Ele come muito, além de ser a figura atrapalhada da turma e contador de histórias da trupe. Risos. Quanto ao Dado, ele é o criativo da turma e super fã do agente James Bond do 007. Na história também aparece as meninas – ebaaa – são elas: Andy e Stef, melhores amigas. Também moram nas Docas Goon e frequentam a mesma escola que os meninos.
Além do perigo que já era de se prever para o longo da caça ao ouro do Willy Caolho, a turma Goony também deve lidar com uma família de criminosos: Os Fratelli.

“... Enfim, Mamãe chegou com uma empregada doméstica do México ou El Salvador [...] ‘Rosalita não fala muito bem inglês’, disse mamãe, ‘e ela tem que me ajudar com os embrulhos. Então eu queria saber se algum de vocês... bem, eu sei que alguns de vocês têm estudado espanhol na escola...’
‘Eu falo espanhol perfeitamente, Sra. Walsh, disse o Bocão [...] Eles estavam no quarto dos meus pais, em frente à cômoda. Eu fiquei atrás, à porta. Mamãe estava falando com a Rosalita, alto e lentamente como se isso pudesse fazê-la entender. ‘Meias e cuecas na gaveta de cima. Camisas e blusas na segunda. Calças na parte inferior. Sempre separe as roupas’. Então ela se virou para o Bocão e disse: ‘Pode traduzir isto?’.
‘Claro, Sra. Walsh’. Ele acenou com a cabeça. Então ele se virou para Rosalita e falou um monte de coisas em espanhol que mais tarde me explicou que significavam: ‘A maconha fica na gaveta de cima. A cocaína e a anfetamina na segunda. A heroína na parte inferior. Sempre separe as drogas. ’”
Págs. 27 e 28

A história flui muitíssimo bem. Spielberg atribuiu características marcantes à personalidade de cada Goony. Narrou à aventura de modo que prendeu minha atenção página após página. Bem, e sobre a capa... Ah, a capa. Que capa! Adorei. Aquele crânio sinistro que transmite um ar de ATENÇÃO! PERIGO! CUIDADO! VÁ EMBORA! MORTE!... Risos. A capa é uma perfeita representação da história.
Comecei aqui falando sobre o filme, mas confesso que nunca o assisti. Agora que já li o livro quero muito. Estou certo que você também desejará assisti-lo depois dessa incrível leitura.

site: http://sociedadedosleitorescompulsivos.blogspot.com.br/2016/01/resenha-os-goonies.html
Nando 13/02/2016minha estante
estou lendo




day 12/02/2016

espetacular!!
Voltei a minha adolescência com esse livro,e lembrei de como eu curti assistir o filme OS GOONIES pela primeira vez.
O livro tem mais detalhes e cenas que não apareceram no filme.
Eu ameiiii!! ri muito com o gordo,os fratelli e toda turma goonie.
E na verdade ,eu também sou mais uma goonie.
comentários(0)comente



Coruja 04/06/2015

Essa semana (dia 07, para ser exata) marca os trinta anos de estréia do filme Os Goonies e é claro que eu não poderia deixar a data passar em branco...

Os Goonies foi um dos filmes da minha infância, um clássico da Sessão da Tarde que toda uma geração relembra com nostalgia. Foi um tanto surpreendente descobrir que era também livro – mas essa tem sido uma nota constante pra mim, que nos últimos anos vim descobrir as versões escritas de História sem Fim e O Feitiço de Áquila.

Seja como for... Os Goonies foi lançado aqui no Brasil em duas edições primorosas da Darkside – cá entre nós, o projeto gráfico da editora vem me deixando embasbacada a cada novo volume deles que eu pego.

Para quem não teve infância como a Ísis (que nunca conhece nada do que a gente lia ou assistia lá pela década de 80...) ou nasceu muito tarde para aproveitar os grandes clássicos da Sessão da Tarde, os goonies são um grupo de amigos que moram nas Docas Goonies, que estão para ser destruídas e transformadas em campos de golfe. É o último dia antes deles se separarem – algumas de suas famílias terão que sair da cidade – e assim eles decidem viver juntos uma última grande aventura (que surge por coincidência em seus caminhos): procurar o tesouro perdido do pirata Willie Caolho que, segundo a lenda, está perdido em algum lugar ali próximo às docas.

Essa será uma aventura inesquecível, trazendo prêmios e perigos maiores do que os garotos esperariam, ao fim celebrando uma amizade genial. Para os saudosistas, como também os ‘novatos’, Os Goonies cumpre tudo o que promete e nos deixa com gosto de quero mais.

site: http://owlsroof.blogspot.com.br/2015/06/para-ler-os-goonies.html#more
comentários(0)comente



114 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |