Inferno

Inferno Dan Brown




Resenhas - Inferno


762 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Luh Rocha 16/10/2019

Sensacional
Nessa nova trama que envolve Robert Langdon, o famoso professor acorda em um hospital em Florença sem lembrar de nada, inclusive de como chegou lá e o que estava fazendo na cidade. Dan Brown nos leva por uma trama instigante que envolve vários países e organizações, conduzindo o leitor a um rumo da trama que você acha que é o que está pensando e deduzindo até ter uma reviravolta impressionante que muda completamente o rumo da história. Para fãs de Dan Brown e das histórias de Robert Langdon recomendo muito a leitura e também para quem qjer conhecer o autor e suas histórias de mistério que fazem você ficar grudado do início ao fim do livro querendo chegar ao final para descobrir o desfecho da história.
comentários(0)comente



Jardel Ferreira 25/09/2019

O espetáculo que tive o prazer de degustar dessa vez foi a maravilhosa obra do aclamado, premiado e que dispensa comentários Dan Brown. O título Inferno que já foi adaptado para o cinema faz parte das crônicas de Robert Lagdon. O professor perito em simbologia tem que correr para descobrir as pistas e evitar uma catástrofe biológica eminente. O lançamento da obra fica a cargo da editora Arqueiro
comentários(0)comente



Thabata 22/09/2019

Dan Brown voltou, ainda bem...
Depois de ter lido o simbolo perdido, fiquei com receio de ler mais alguma coisa do Dan Brown, apesar de já ter lido todos os livros anteriores e os ter adorado. O livro tinha sido uma decepção tão grande achei que o autor tinha "perdido o jeito". Sim, ele tem "uma receita de bolo" que aplica em todas as suas obras, mas muitos outros escritores tem, acredito que a maioria se pararmos pra pensar, afinal de contas, a gente escreve bem quando domina um assunto, não? Por isso Inferno foi o primeiro livro dele que li em e-book, não queria gastar com um livro que não ia gostar, de novo. Entretanto acabei gostando tanto da estória que comprei o livro físico depois.

Eu gosto da escrita do autor, gosto do tema dos livros: simbologia, estórias ocultas em obras de arte e livros, gosto de mistérios e perseguições, e principalmente, gosto do jeito que o autor desenvolve os vilões. Nesse livro, ao contrário dos outros, o vilão está bem exposto e a gente não tem aquele mistério em saber quem está causando tudo, assim como os outros adversários do Robert Langdon, o Bertrand é um personagem extremamente inteligente, que te ganha na ideia. Ele entra na sua cabeça de tal forma que não tem como você não concordar ou entender a forma que ele vê as coisas. Ele é aquele tipo de pessoa, que por mais defeitos que tenha, você se pega admirando, sabe.

Enfim, o fim pra mim foi um plot twist MARAVILHOSO. Pensei que fosse seguir o censo comum de "o bem sempre vence" e tudo mais, mas não foi bem assim. Infelizmente a maioria das pessoas não gostam de finais que fogem desse padrão e acredito que por isso mudaram o desfecho no filme, o que pra mim foi uma das piores coisas que fizeram na adaptação.
Jéh 29/09/2019minha estante
Amei a sua resenha, explica tudo exatamente o que eu achei sobre o livro, uma decepção completa, pra mim sem duvidas o melhor de todos é o símbolo perdido e após ler este realmente achei que faltou muito, na verdade tive que arrastar a leitura pra não abandonar de tão massante e chata que estava pra mim. Tenho até receio de ler origem, tenho a um tempo e ainda nem cheguei perto Hehe




Le 20/09/2019

Inferno Dan Brown
'Abandonai toda a esperança voz que entrais'
Essa frase poética de Dante Aglieri não só toca as letras de Brown aqui como as tira para dançar.Inspirado no poema de Dante, Brown novamente mescla sua ficção a eventos históricos ao mesmo tempo que levanta questões filosóficas e profundas, questões que um dia podem vir bater nas portas de nossas humanidades e dizer 'Qual é?'. Já li todos do autor, só falta A origem, e está no top 3 na 2 posição, atrás de Da vince e na frente de Ponto de impacto.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Fillip.Pereira 11/09/2019

Muito bom!
Simplesmente um livro muito bom, com o padrão das histórias de Dan Brown! Repleta de mistério e plot-twists.
comentários(0)comente



Carvalho 04/09/2019

2
Ainda não li porém desejo muito
comentários(0)comente



AISLAN 20/07/2019

Inferno
Tenho achado essa atualidade um tanto conturbada. Não sei se tirei a venda dos olhos, ou as se as coisas em tempos passados eram mais humanas. Mas, em meio a isso leio e li Inferno. E aí, nessa aventura, vem as doses cavalares de realismo: verdades fabricadas; recursos naturais x explosão demográfica. Não é apenas um livro, se você ler fazendo analogias. É um relato.
comentários(0)comente



Luciano Luíz 20/05/2019

Não lembro se foi em 2003, mas havia toda aquela agitação no mundo literário por causa de um romance intitulado O Código Da Vinci. Ali a ficção se mesclava a fatos históricos e obviamente o personagem que mais chamava atenção não era Da Vinci ou mesmo Robert Langon, protagonista, professor de História da Arte e Simbologia, da Universidade de Harvard, mas sim, Jesus Cristo e a possibilidade deste ter tido filhos, é herdeiros, possivelmente com Maria Madalena, a prostituta, e assim começou uma nova era na literatura mundial...
O primeiro livro de DAN BROWN foi Fortaleza Digital, acho que lançado em 1999. Apesar de ser um ótimo suspense envolvendo tecnologia da informação, dados e tal, aparentemente não fez muito sucesso. Em 2000 veio Anjos e Demônios (primeira aventura de Langdon) e teve como cenário o bom e velho Vaticano. Em 2001 saiu Ponto de Impacto, onde o enredo girava em torno da possível prova de vida extraterrestre vinda à bordo de um asteroide que se estourou no Ártico (polo norte).
Confesso que as datas acima podem estar erradas, estou buscando essas breves informações na memória e sabemos que em se tratando de livros é difícil armazenar tantos dados na cabeça, ainda mais datas. Poderia usar o buscador do Google para isso e ter certeza, mas acredite, é bom arriscar em algumas coisas (às vezes).
Mesmo tendo escrito três ótimas ficções, estas não engrenaram no mercado. Venderam o suficiente para pagar os custos, porém, não alcançaram público suficiente para se tornar Best-Sellers. Então o autor tentou sua última cartada que foi o Código Da Vinci. E acertou em cheio...
No Brasil o primeiro destes quatro livros a ser lançado foi o Código. Apenas após o sucesso mundial deste é que os três primeiros foram relançados em todo o mundo e assim os fãs do autor se multiplicaram facilmente.
Em 2009 veio o quinto (terceira aventura do professor Langdon), O Símbolo Perdido, onde a trama agora se apoiava na maçonaria. Não sei se foi sucesso de público e crítica, mas pra mim o livro foi um fiasco do início ao fim. Tanto a narrativa quanto a história eram medíocres e quando o vejo na estante me bate a maior tristeza.
Em 2013 foi a vez de INFERNO (que comprei no lançamento, e só agora em 2019 me interessei em ler) e é a quarta aventura de Robert Langdon. Desta vez temos o poeta italiano Dante e sua obra, A Divina Comédia (o poema épico que contém o Inferno, Purgatório e Paraíso). Diferente de O Símbolo Perdido, Inferno é mais dinâmico e tem a mesma qualidade dos quatro primeiros livros. É verdade que as obras de Dan Brown são (praticamente) todas iguais: teorias da conspiração, história da arte, pesquisas intensas acerca de religiões, um vilão querendo derramar algo terrível sobre o mundo e claro, correria, correria, correria e muitos enigmas que os personagens resolvem sem quebrar a cabeça. Tudo para eles é fácil. Até desviar de balas de metralhadora ou socos de ursos atômicos (ignore as últimas palavras)... Os cenários são ricos, há informações diversas em todos os aspectos, é como se fosse um livro de história, mas escrito de forma hábil que faz os leitores seguirem adiante. Quase todos os capítulos (que são em sua maioria, pequenos) terminam com alguma frase (ou palavra) que faz assucar a curiosidade e mantém o interesse na narrativa. Só que em O Símbolo Perdido isso não aconteceu...
Inferno é uma leitura das boas. Tá certo que como mencionei anteriormente, é mais do mesmo, e fica um tanto cansativo em suas últimas dezenas de páginas, pois como era de se esperar, desde o início há muitas repetições... porém, quando esse mais do mesmo tem qualidade, compensa.
O livro mais recente (novamente com o professor) é Origem de 2018, mas este (ainda) não li.

L. L. Santos

site: https://www.facebook.com/lucianoluizsantostextos/
Thabata 23/08/2019minha estante
concordei com quase tudo o que voce disse. Realmente os livros dele antes do codigo da vinci eram otimos e várias vezes me perguntei porque o autor nao foi reconhecido antes. Simbolo perdido foi o primeiro livro dele que eu comprei novo (os outros foram em sebo porque nao tinha dinheiro pra comprar novos) e pra mim foi uma decepção só. So mantenho ele na estante porque acabei lendo e gostando de autor de forma geral. O livro foi tao ruim que eu fiquei receosa de ler Inferno, temendo ser o mesmo fiasco, mas não. Eu achei otimo, não achei não cansativo no final. Axei o final muito bom, inusitado ate, e fiquei possessa porque mudaram no filme.




Oswaldo 03/05/2019

O que vale é acompanhar a história
Best seller. Como todo best seller, você já sabe o que vai encontrar. Aliás, é exatamente por isso que ele é um best seller, ou seja, não há riscos. O Inferno segue o padrão do autor. Li outros livros dele, incluindo os dois que viraram filmes (O Código da Vinci e Anjos e Demônios). Este também irá, em breve, tenho certeza, ser filmado (acho até que já foi, pois esta resenha é de 2013). Tem os ingredientes dos anteriores: o mesmo personagem principal (simpático, representando o bem, que se envolve na trama por acidente e, lógico, resolve todos os problemas com perspicácia, inteligência e sorte, porque, claro, os heróis não são de ferro – com exceção do Homem de Ferro), locais conhecidos ou que povoam os desejos dos que amam viajar (e até dos que não amam tanto assim), um invólucro superficial de cultura – apenas para envolver o enredo, pois este, para se desenvolver, pode muito bem dispensar essa falsa intelectualidade. Neste caso, o personagem acorda em um hospital, com um “quase traumatismo” (digo quase pois vai desaparecendo no transcorrer da trama, embora esta se passe em poucos dias) e deve seguir e desvendar pistas a partir de seu conhecimento da “Divina Comédia”, em especial a parte referente ao Inferno. Tenho certeza que todos já deduziram que seria isso. Mesmo tendo lido a Divina Comédia, é quase impossível para o leitor comum (meu caso) saber das referências que ele faz à obra, pois são específicas e de conhecimento daqueles que a estudam a fundo. Mas, o que vale é a acompanhar as peripécias da história, as reviravoltas, o suspense, etc.
comentários(0)comente



Gabrielly.Bezerra 21/04/2019

O menos ótimo dele, já que não tenho a ousadia de falar pior sobre esse livro
Eu achei a história maravilhosa, personagens super cativantes. Mas o livro não me prendeu, já que a escrita foi demasiada repetitiva e maçante. Foi o pior de Dan Brown, mas não deixou de ser muito bom.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
emi4lly 13/07/2019minha estante
Tempo*
Constante*
Fique*
Conjunto*




Sarah L. 09/02/2019

Inferno
Inferno é um livro surpreendente, que te leva a aprender sobre o mundo da arte e até mesmo um pouco sobre biologia. O protagonista, Robert Langdon, foge dos clichês, sendo um professor de história da arte sem qualquer característica heróica encontrada na maior parte dos protagonistas. Ele apenas se vê em uma situação perigosa, onde organizações do governo estão tentando capturá-lo e provavelmente matá-lo. Sienna, sua parceira inesperada, é sagaz e tem um passado interessantíssimo que é revelado aos poucos e nos faz sentir empatia rapidamente.
O final é uma quebra de expectativas, tenso e fabuloso, que leva o leitor a questionar sua própria moralidade.
Kiara 09/02/2019minha estante
Você falou bem sobre o que eu também senti ao ler esse livro! De fato, minhas duas coosa favoritas: o contato com a arte e esse finl maravilhoso. Considero um dos melhores finais de livros que já li.
Uma pena o filme ter estragado isso. Quando anunciaram que o filme estava sendo produzido fiquei bastante empolgada para ver esse final nas telas do cinema. Mas simplesmente destruíram com isso, uma das melhlres coisas da história, que ajudou muito a tornar ela especial.


Sarah L. 10/02/2019minha estante
Fico feliz de nunca ter visto o filme então




762 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |