Mentes Perigosas

Mentes Perigosas Ana Beatriz Barbosa Silva




Resenhas - Mentes Perigosas


249 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Paula Maria 12/02/2018

O psicopata mora ao lado
O ser humano pode ser mais cruel do que podemos imaginar. Mais: algumas pessoas podem ser charmosas e atraentes, mas conseguem deixar um rastro de destruição por onde passam. E o que impressiona: fazem tudo isso sem remorsos, numa ato egocêntrico e de absoluta indiferença com o outro. Choque: 4% da população mundial é composta por indivíduos com algum grau de psicopatia.

Psicopatas (quem são, como agem e o que comem!) é o tema de “Mentes Perigosas”, de Ana Beatriz Barbosa Silva, obra que vendeu mais de 400 mil exemplares no país.

Li o livro por uma sugestão da minha psicóloga, depois de uma sessão em que conversamos sobre psicopatas. Não conhecia a autora, e me surpreendi com a escrita. É fácil, rápido e gostoso de ler. Por outro lado, penso que esta é apenas uma introdução a um assunto imensamente complexo. Dessa forma, o livro é inconclusivo.

Se o objetivo inicial de Ana Beatriz é fazer você identificar psicopatas, num segundo momento ela fala que a simples observação de pessoas com características que se assemelham ao possível diagnóstico de psicopatia não é suficiente para cravar que estamos diante de um psicopata.

Mas, ajuda! O livro ajuda a ficarmos atento às pessoas que estão a nossa volta, avaliando como todos agem, com quem devemos estar atentos, de quem é prudente se afastar e a não se deixar cair em armadilhas que podem trazer profundo sofrimento. Além disso, é interessante no momento em que dá um “clique” e faz você observar de fora a si mesmo e todas as relações que um dia cultivou ou continua cultivando.

A minha dica – baseada na leitura deste título – é: evite tapar o sol com a peneira.



site: http://paulamariaprado.wixsite.com/literature-blog-pt/single-post/2018/02/12/Opini%C3%A3o-Mentes-perigosas-de-Ana-Beatriz-Barbosa-Silva
comentários(0)comente



C 29/01/2018

Psicopatas reais. Não dos cinemas.
Impressionante a forma que a autora nos apresenta casos diferenciados, não necessariamente de psicopatas diagnosticados, mas de pessoas que reproduzem tais comportamentos psicopáticos, analisando as questões por um todo: desde o comportamento, até a parte judicial, o julgamento, as frases de efeito (típicas destes monstros reais). De fato a autora se dedicou em muitos estudos para desenvolver o livro, e isso é algo notório com o tanto de informações que a mesma nos dá no decorrer das páginas.

Adorei o fato da autora não tentar amenizar os impactos destes seres em nossas vidas, não amenizar a situação como um todo (mesmo quando são menores de idade) mas, também, não vê-los como vítimas da sociedade, vítimas da vida, e coloca-los como coitados-sofredores. A autora foi neutra o tempo inteiro, mostrando ser profissional e neutralizando seus palpites e suas ideologias. Ponto positivíssimo!

4% da população é psicopata.
20% da população carcerária é psicopata.
Esta minoria é responsável por MAIS DE 50% DOS CRIMES GRAVES COMETIDOS quando comparados aos outros presidiários, mas ainda há de incluir os que estão fora das grades.
Ou seja: é uma minoria que faz um estrondo. E a minoria solta é a pior parte.

É muito bom notar que estamos vulneráveis às ações destes psicopatas. Nos armamos com mais facilidade e consciência. Vivemos em uma sociedade psicopática.
Todos, em algum momento, teremos comportamentos psicopáticos.
Todos, em algum momento, viveremos com alguém que aja assim conosco.
Os piores psicopatas estão em nosso convívio, nos minando dia após dia.

(...)

É um livro para estudo!
A linguagem não é difícil, mas o tema torna a leitura um tanto desgastante.
Algumas partes, do meio do livro para o fim, foram um tanto repetitivas, principalmente citando comportamentos.
O início do livro foi grifado quase que 80%, por ter o conteúdo massivo, importante, a apresentação do que seria abordado. Do meio para o fim, virou uma conversa da autora com quem já estava compreendendo sua intenção, foi algo menos surpreendente e mais prático.
comentários(0)comente



Sara.Baiense 29/12/2017

Mentes Perigosas
Um livro extremamente interessante de ler. Aquele livro que sempre da vontade de ler mais, além disso, trás um conhecimento razoável para o leitor. A única coisa que o livro peca um pouco, é deixar o assunto um pouco superficial. Mas tem casos muito interessantes e boas reflexões. Aconselho a ler e ver as entrevistas que a autora recomenda. Vale a pena ler ;)
comentários(0)comente



Jhulec Bane 28/12/2017

Diagnóstico
Egocentricos, atitudes possessivas, ótima atuação, grande poder de convencimento e persuasão, terrivelmente atraentes, raciocínio ótimo, grande inteligência, agressivos, ausência de sensibilidade, fantasiados de pessoas do bem etc.

Tudo isso é usado para descrever os vampiros da vida real, que apenas ficam nas sombras, prontos para dar o bote. Os psicopatas são pessoas sem escrúpulos, sanguessugas que se alimentam de pessoas do bem e deixam um rastro de destruição por onde passam. Quem já sofreu com o mal que esses monstros causam se sente incapaz de esquecer o episódio e é obrigado a viver com a cicatriz que é deixada.

Mentes Perigosas é uma obra escrita pela psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva, abordando um mal existente em nosso mundo mas sobre o qual sabemos realmente pouco: a psicopatia.

Embora em nossa mente tenhamos uma imagem já formada de como seria um psicopata, boa parte desse nosso modo de ver o portador da doença é realmente equivocada. Como a própria autora diz, quando o assunto é psicopatia logo vem à nossa cabeça a figura de um cara desleixado, cara de mau, pinta de assassino e com transtornos comportamentais graves. Esse seria um ótimo jeito de descrever um psicopata, mas é algo muito errado e é exatamente dessa imagem distorcida que a população tem de um psicopata que a autora tenta por meio desse livro nos libertar.

Aqui nos é esclarecido muito sobre a doença, como ela é e como os portadores dela atuam. Nos informamos sobre a falta de consciência genuína que os psicopatas possuem através dos conceitos de razão e sensibilidade, deixando claro que a psicopatia não é uma doença mental como a depressão ou esquizofrenia e que não retira nenhuma capacidade do doente de raciocinar, mas sim de sentir algo. Resumidamente os psicopatas nascem sem nenhum sentimento bom, como empatia, afeição ou sensibilidade pelo outro. São totalmente ausentes de emoção e só fazem coisas para o seu próprio benefício.

Também deixa bem específico ao decorrer desse livro como a psicopatia atua em crianças, como evitar esses vilões da vida real a qualquer custo, como reconhecer em uma pessoa características de alguém que é psicopata e os níveis de psicopatia: pequeno, moderado e grave, sendo esse último nível o mais aterrorizante possível, pois os psicopatas em nível grave são os que cometem atrocidades imensas como tirar a vida de outra pessoa sem sentir remorso nenhum. Bem, primeiramente devemos aceitar que pessoas tão malignas existam para então conseguirmos enfrentar o problema. Para certos indivíduos é difícil aceitar que algo tão grave como a psicopatia exista porque é como assinar a existência do verdadeiro mal.

É um livro para aprendizado, e muito bom na minha opinião, pois conseguimos entender muito sobre essa doença que não maltrata seus hospedeiros, mas sim as pessoas boas e com consciência genuína ao redor deles. Não conseguirei listar as coisas mais interessantes, aterrorizantes e assombrosas que esse livro contém e nem pretendo, já que é um assunto muito extenso e se eu o fizesse acabaria por tirar o prazer do próximo leitor que se interessar pelo tema, pela obra e pela autora.

Como o próprio título diz: o psicopata mora ao lado, e existe uma quantidade muito extensa desses sanguessugas no mundo vivendo como pessoas normais. Muitos deles tem famílias, trabalhos, vidas sociais, mas não podemos deixar nos enganar pois tudo isso é uma máscara; eles não sentem nenhuma afeição e ainda assim existem portadores da psicopatia sendo políticos, presidentes, pais de família e líderes religiosos. Não podemos deixar de citar que os psicopatas são pessoas de qualque sexo, religião, gênero, raça, sexualidade, etnia etc.

E, só uma última coisa que eu gostaria de deixar por último nessa resenha é que, além de explicar muito sobre a psicopatia e a natureza dos psicopatas, dando até mesmo um pouco de explicação neurocientista sobre as áreas do cérebro que possuem emoção e razão, esse livro traz casos de pacientes da psiquiatra (autora) que foram vítimas de psicopatas, nos deixando mais alerta sobre o tema, mas os momentos que realmente abalam o leitor, dependendo do emocional que ele tiver, são casos muito famosos que chocaram todo o Brasil por possuir tamanha crueldade e brutalidade envolvidas no crime. Os três que me fizeram largar o livro para respirar em busca de coragem e estabilidade emocional para continuar foram o caso Champinha, o homicídio cometido por Suzane Von Richthofen com a ajuda do namorado e o assassinato da bailarina e atriz Daniella Perez pelas mãos de Guilherme de Pádua e sua esposa na época. Esse último ainda me deixa muito abalado e indignado.

Para quem quer aprender mais sobre esse assunto é um ótimo livro com uma narrativa às vezes um pouco complexa, mas ainda sim sem muita dificuldade para entender. Super recomendo.

E, deixo um recado agora apenas para alertar: cuidado, pois nesse momento pode ter um psicopata ao seu lado e você não sabe.
comentários(0)comente



Anderson.Vailati 23/12/2017

Enganado pela capa e pelo título.
O livro é uma grande decepção por não abordar coerentemente a psicopatia do ponto de vista neurológico. Além disso, torna-se muito repetitivo e angustiante de ler.
comentários(0)comente



Solange.Amorim 14/12/2017

Interessante
Gostei muito deste livro. Confesso que tinha um certo preconceito em relação à autora. Sempre a achei um pouco "pop star" demais para o meu gosto. Mas o livro me surpreendeu pela objetividade e clareza com que aborda um assunto tão complexo, tudo com a simplicidade de uma conversa informal. Além disso, a autora mergulha nas mais recentes teorias científicas e nos apresenta "porquês " e "comos", nas mais diferentes graduações da psicopatia. É quase um manual de sobrevivência. Super recomendo.
comentários(0)comente



Ana 21/11/2017

Interessante
Releio sempre pq é muito interessante.

Super recomendo.
comentários(0)comente



MarcosS 20/10/2017

Cumpre com a proposta
A despeito de muitas críticas negativas, achei absolutamente o oposto. A linguagem é simples, leitura rápida e mais importante: Cita as características para identificar e se proteger de sociopatas do cotidiano, expõe histórias envolvendo vários casos, informa muito bem, apresenta sites e materiais de apoio, traça um paralelo da idade e educação dos diagnosticados... acerca desse tema, pode-se tornar um livro de cabeceira por falta de outro mais sucinto. Um respaldo e precaução, deve ser "estudado" ao menos nas características sociopáticas e usado e re-lido, dia-a-dia. Quem quer análises mais profundas e termos mais técnicos, deve se graduar em psicologia ou psiquiatria.
comentários(0)comente



Carol Figuerêdo 18/09/2017

Assunto interessante, livro raso.
Conheci o livro através de indicação de amigos e até de um professor que muito admiro, então quando o vi na livraria comprei sem pensar duas vezes.
Por ter como autora uma renomada psiquiatra brasileira, esperava que o livro fosse mais técnico e se aprofundasse mais quanto ao perfil e diagnóstico dos psicopatas, apresentando casos reais, tanto de conhecimento público quanto da própria autora.
O que "recebi", no entanto, foi um livro raso e quase que sensacionalista, que apresenta poucos dados técnicos e exemplifica o perfil psicopata com casos polêmicos e já conhecidos do grande público ou relatos de seus pacientes sem, porém, afirmar que as pessoas descritas são realmente psicopatas.
Entendo que é necessário um diagnóstico detalhado para se fazer tal afirmação, mas a impressão que dá é que o livro é baseado em "achismos", com casos que "podem ser de psicopatas, mas também podem não ser". Tivesse a autora apresentado apenas um caso que fosse, mas de um indivíduo diagnosticado psicopata, e então explorado suas características e ações, acredito que o livro seria muito mais rico.
Como apontado em outras resenhas, a impressão que dá é de ter lido uma matéria de revista e não um livro publicado por uma psiquiatra. A linguagem da autora é simples demais e a impressão que dá é de que seu objetivo é apenas nos revoltar e amedrontar em relação aos psicopatas. Sem contar que o texto é por vezes redundante e os casos apresentados perdem o peso já que ela se esquiva de afirmar que são psicopatas, além de narrá-los de maneira novelística.
Ainda assim, os capítulos 9, 10 e 11 são muito interessantes, por se aprofundarem bem mais no diagnóstico e perfil dos indivíduos, discutindo a psicopatia (ou Transtorno de Conduta) na infância e adolescência e até mesmo a maioridade penal, bem como a influência da sociedade e principalmente a questão genética e biológica em uma pessoa psicopata. Discute também o papel dos pais de indivíduos com esse tipo de conduta, além de apresentar dicas de como amenizar/controlar os mesmos.
De maneira geral, é um livro raso sobre um assunto tão interessante e que poderia ter sido ricamente esmiuçado, mais parecendo ter sido escrito por um jornalista sensacionalista que pesquisou a respeito do que por uma psiquiatra com muito conhecimento e anos de experiência. Ainda assim, o livro não deixa de ser interessante, discutindo um assunto extremamente relevante e trazendo casos conhecidos, analisados de uma perspectiva diferente.

Recomendaria apenas a pessoas completamente leigas e que queiram simplesmente conhecer "por cima" o assunto. Se o interesse é compreender a fundo a mente psicopata e conhecer casos reais, com certeza é melhor deixá-lo na estante.
comentários(0)comente



Umberto Vicente 01/09/2017

Um ótimo livro!
A autora explica de uma maneira simples e direta sobre os psicopatas, seus comportamentos e como identificá-los na sociedade.

Durante o livro são citados vários casos e reportagens, dando muitos exemplos, de variadas formas e situações nas quais os piscopatas entram na vida das pessoas e as arrasam. Fala também de uma maneira mais técnica, mostrando quais áreas do cérebro são responsáveis pelas ações e a deficiência delas no caso dos piscopatas.

Um livro muito bom para quem quer saber mais sobre o assunto. As vezes fica muito repetitivo, porém não acho isso ruim, pois não te deixa esquecer, além de que a leitura é super tranquila e rápida.

Recomendo! :)
comentários(0)comente



Ca Agulhari 22/08/2017

Esclarecedor porém com ressalvas...
Eu esperava uma abordagem mais clínica da psicopatia, de casos mas na verdade o livro dá uma leve pincelada no assunto, ele não tem começo, meio e fim. Ele basicamente nos diz como evitar um psicopata, nos faz até ter raiva deles mas não passa disso. Uma especialista em saúde mental pode fazer mais que isso. Seus outros livros são ótimos mas esse parece auto ajuda e isso não é um elogio.
comentários(0)comente



Mary 06/08/2017

A sensação é de ter lido uma matéria de revista sobre o assunto, só que mais longo.
comentários(0)comente



Paulascrap 05/07/2017

Informativo
Não se trata de uma leitura para quem espera uma história, trata-se de um enredo técnico sobre a psicopatia embora eu considere acrescentar muito pouco sobre o tema estudado. Podemos concluir dois pontos com o livro :"que ninguém vira psicopata, eles nascem assim e permanecem assim durante toda a sua existência e a que a psicopatia não tem cura é um transtorno da personalidade e não uma fase de alterações comportamentais momentâneas. A autora traz algumas casos considerados com traços de psicopatia ocorridos no Brasil, vale a pena a leitura mas sem muitas expectativas.
comentários(0)comente



Fernando - @ExploradorLiterário 30/05/2017

Hoje trago este livro maravilhoso da Psicóloga Ana Beatriz, este livro mexeu muito comigo pois ele nos traz tudo que basicamente precisamos a respeito dos psicopatas, e não ele não tem cara de mal ou desvios de condutas fácil de perceber.

Eu sou suspeito para falar desse livro, pois sou apaixonado pela psicologia e muito curioso também, e principalmente no que se trata do estudo da mente humana. Este livro quando eu li ele apenas aumentou minha vontade de fazer psicologia, e sim ele mexeu muito com o meu psicológico fazendo eu analisar todo mundo que eu conversava para ver se tinha os traços descritos no livro. Ana Beatriz Barbosa Silva, ela trás em uma forma simples e dinâmica, dividido em 13 capítulos o que precisamos saber sobre os psicopatas (indivíduo clinicamente perverso, que tem personalidade psicopática, com distúrbios mentais graves) e como reconhecê-los, pois ele não tem cara.
Um dos temas abordados já no primeiro capítulo, é sobre consciência entre “psicopatas e pessoas”, as pessoas comuns emocionalmente falando acaba não estando consciente de seus atos, por agir por impulso devido a sentir e tem empatia com o próximo. No entretanto o indivíduo psicopata, apesar dele ser “consciente” de seus atos, eles agem friamente e usam de artimanhas para usar as pessoas ao seu favor.

A autora ao decorrer do livro, passa vários temas para você reconhecer o indivíduo com esse distúrbio de caráter, trazendo casos reais e muitos conhecidos nacionalmente.Ela também faz alertas para não cair nas armadilhas desse predadores sociais, que muitos usam do “jogo da pena” e se vitimizam para atacar.


"A realização proposta por nossa sociedade só pode ser de aspecto material, pois afetos verdadeiros não podem ser adquiridos nem substituídos na velocidade que nossos tempos preconizam. (...) Repletos de conforto e tecnologia, acabamos por nos tornar cada vez mais sozinhos e menos comprometidos com nossos semelhantes."

E um livro que super recomendo a leitura, pois ele agrega para identificarmos e sabemos nos proteger de um possível golpe de alguém assim. Já presenciamos cultura psicopática na TV, como vilões perversos e frios que antes eram odiados, hoje são admirados pelo público, pois ele são estereotipados como ricos e cheios de poder. Tanto que Ana nos faz um apelo através do livro para observamos o quanto contribuímos para este desvio de caráter e o quão prejudicial ele é para cidade como um todo.



Sinopse do Autor: Quando pensamos em psicopatia, logo nos vem à mente um sujeito com cara de mau, truculento, de aparência descuidada, pinta de assassino e desvios comportamentais tão óbvios que poderíamos reconhecê-lo sem pestanejar. Isso é um grande equívoco! Para os desavisados, reconhecê-los não é uma tarefa tão fácil quanto se imagina. Os psicopatas enganam e representam muitíssimo bem.
"Mentes Perigosas" discorre sobre pessoas frias, manipuladoras, transgressoras de regras sociais, sem consciência e desprovidas de sentimento de compaixão ou culpa. Esses "predadores sociais" com aparência humana estão por aí, misturados conosco, incógnitos, infiltrados em todos os setores sociais. São homens, mulheres, de qualquer raça, credo ou nível social. Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam, têm filhos, mas definitivamente não são como a maioria da população: aquelas a quem chamaríamos de "pessoas do bem".
Eles podem arruinar empresas e famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloqüentes, "inteligentes" e sedutores costumam não levantar a menor suspeita de quem realmente são. Visam apenas o benefício próprio, almejam o poder e o status, engordam ilicitamente suas contas bancárias, são mentirosos contumazes, parasitas, chefes tiranos, pedófilos, líderes natos da maldade.
Em casos extremos, os psicopatas matam a sangue-frio, com requintes de crueldade, sem medo e sem arrependimento. Porém, o que a sociedade desconhece é que os psicopatas, em sua grande maioria, não são assassinos e vivem como se fossem pessoas comuns

site: http://srexploradorliterario.blogspot.com.br/2017/04/mentes-perigosas-o-psicopata-mora-ao.html
Josynha 31/05/2017minha estante
Perfeita a sua discrição do livro.




Humberto Faloni 28/05/2017

O psicopata Mora ao Lado
Livro muito interessante e com um esclarecimento sobre a psicopatia.
Nesse livro conta vários casos que aconteceu no Brasil onde os autores dos crimes tem o perfil de um verdadeiro psicopata.
Mentes Perigosas" discorre sobre pessoas frias, manipuladoras, transgressoras de regras sociais, sem consciência e desprovidas de sentimento de compaixão ou culpa.
Esses "predadores sociais" com aparência humana estão por aí, misturados conosco, incógnitos, infiltrados em todos os setores sociais. São homens, mulheres, de qualquer raça, credo ou nível social. Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam, têm filhos, mas definitivamente não são como a maioria da população: aquelas a quem chamaríamos de "pessoas do bem".
Eles podem arruinar empresas e famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloqüentes, "inteligentes" e sedutores costumam não levantar a menor suspeita de quem realmente são.
Em casos extremos, os psicopatas matam a sangue-frio, com requintes de crueldade, sem medo e sem arrependimento. Porém, o que a sociedade desconhece é que os psicopatas, em sua grande maioria, não são assassinos e vivem como se fossem pessoas comuns.
comentários(0)comente



249 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |