As Luzes de Setembro

As Luzes de Setembro Zafón




Resenhas - As Luzes de Setembro


85 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Joana.Oliveira 07/07/2020

Maravilhoso!! Amo todos os livros do Zafón e esse não foi exceção
comentários(0)comente



Juliano.Ramos 27/06/2020

Nesse terceiro, a escrita do zafon está muito crua, longe de vir a ser o que ele é hoje, mas o livro não deixa de ser um bom passatempo, principalmente se o leitor foi mais novo.
comentários(0)comente



Nathalia 27/06/2020

"A solidão traça estranhos labirintos."
As luzes de setembro é o último livro da Trilogia da Névoa - não estão conectados, então podem ser lido na ordem em que achar melhor.
O livro nos conta a história dos Sauvelle - Irene, Dorian e Simone - mudando-se de cidade em busca de um recomeço melhor, já que Simone conseguiu um trabalho melhor na casa se um fabricante de brinquedos.

E é nos segredos de Cravenmoore e de Lazarus Jann - o fabricante de brinquedos - que a história se desenrola, com direito à um doppelgänger e uma narrativa carregada de suspense e horror.

Dessa trilogia do Zafon, As Luzes de Setembro foi o que menos gostei. Não me encantou como os outros livros, não teve aquela sensação nostálgica e gostosa que tive ao ler os outros dois livros. Também não consegui me sentir apegada à nenhum dos personagens apresentados nesse livro, não tinha nada em particular neles que me deixasse torcendo para que tivesse um bom final.
Mas a narrativa do autor ainda consegue me prender apesar de tudo, ele construiu uma atmosfera que faz com que você queira ficar até o final para descobrir os segredos daquele lugar.
comentários(0)comente



Tâmara Moya 21/06/2020

Com a leitura de As Luzes de Setembro terminei a Trilogia da Névoa, que tem livros independentes, ou seja, você pode lê-los em qualquer ordem. Zafón não decepciona, sua escrita é mágica, é como se você fosse transportado para dentro da história. É um livro com uma narrativa simples, envolvente, cheio de aventuras, mistério, suspense, com personagens corajosos, um pouco de romance e uma pitada de terror, que dá aquele medinho que me fez arrepiar em vários momentos da leitura. Literalmente você só consegue largar a leitura quando ela acaba. Com certeza Zafón é um dos meus autores favoritos.

"(...) Num mundo de luzes e sombra, todos nós, cada um de nós precisa encontrar seu próprio caminho." Pág. 227
comentários(0)comente



Kelvin.Almeida 14/06/2020

As luzes de setembro
A narrativa é bastante legal e sombria (tinha que fazer esse trocadilho). Irene, Simone, Dorian, Lazarus e Ismael são os protagonistas que dão luz a um caminho cheio de sombras durante as páginas que se sucedem. Zafón escreve mais um suspense de arrepiar os leitores.
comentários(0)comente



Marcelo.Oliveira 03/06/2020

O mistério de Cravenmoore
"Num mundo de luzes e sombras, todos nós, precisamos encontrar nosso próprio caminho"

A história alterna entre Paris e litoral da Normandia, narrando a vida de Irene Sauvelle e sua família em uma nova realidade, onde mistura-se o romance entre Irene e Ismael, com as inquietantes questões acerca da mansão de Cravenmoore e da pacata cidade litorânea.
comentários(0)comente



Washington 01/06/2020

Depois de anos sem ler Zafón, retornei lendo esse livro e, como esperado, não decepcionou.
Zafón tem uma escrita que nos envolve na história, e esse cenário sombrio presente nas obras dele são uma marca que ele faz como ninguém.
comentários(0)comente



Mai_peereira 25/05/2020

que autor
nunca tinha lido nada desse autor, esse livro em específico me trouxe muita angústia e ansiedade para saber sobre o final até me deu sentimento de medo. Consegui entrar na trama.
comentários(0)comente



Lucas.souzaM 15/05/2020

Durante o verão de 1937, Simone Sauvelle fica de repente viúva e abandona Paris junto com os filhos, Irene e Dorian. Eles se mudam para uma cidadezinha no litoral da Normandia, e Simone começa a trabalhar como governanta para Lazarus Jann, um fabricante de brinquedos que mora na mansão Cravenmoore com a esposa doente. Lazarus demonstra ser um homem agradável, trata com consideração Simone e os filhos, a quem mostra os estranhos seres mecânicos que criou: objetos tão bem-feitos que parecem poder se mover por conta própria. Já Irene, fica encantada com a beleza do lugar e por Ismael, o pescador primo de Hannah, cozinheira da casa. Os dois logo se apaixonam. Todos estão animados com a nova vida quando acontecimentos macabros e estranhas aparições perturbam a harmonia de Cravenmoore: Hannah é encontrada morta, e uma sombra misteriosa toma conta da propriedade. Juntos, Irene e Ismael, desvendam o segredo da espetacular mansão repleta de seres mecânicos e sombras do passado, enfrentam o medo e investigam as estranhas luzes que brilham através da névoa em torno do farol de uma ilha. Em As luzes de setembro, aquele mágico verão na Baía Azul será para sempre a aventura mais emocionante de suas vidas, num labirinto de amor, luzes e sombras.
comentários(0)comente



P.G. Headway 14/05/2020

Dá gosto de ler esse livro!
Queria que esse livro fosse mais famoso do que já é. Nosso querido Zafón merece isso. Ele é uma grande inspiração para mim. Bora dar mais 5 estrelas pra ele! Valeu!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Regiane 29/03/2020

Trilogia juvenil de Zafón
Este foi o último livro do Carlos Zafón que li.
Me apaixonei pelos seus livros depois de O jogo do Anjo.
Este livro faz parte da trilogia chamada juvenil, seguida por O Príncipe da Névoa e O Palácio da Meia Noite.
Os livros de Zafón sempre trazem suspense e personagens apaixonantes.
Não deixem de ler....
comentários(0)comente



Vicencia 01/03/2020

Bom
Gostei da ambientação do livro, no entanto a trama poderia ter sido melhor desenvolvida. A parte das sombras poderia ter sido mais objetiva, colocada desde o início para um melhor aproveitamento do mistério. Apesar de tudo o livro é rápido, possível de terminar em um dia e serve como abertura para outras obras do autor.
comentários(0)comente



Alexia 22/02/2020

Sou apaixonada pela atmosfera que Zafón cria e o modo poético que descreve ela.
Não sabia que o livro é infanto-juvenil, mas notei durante a leitura. Pesou um pouco, preferia ter lido alguns anos antes, mas tudo bem.
comentários(0)comente



85 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6