A metamorfose

A metamorfose Franz Kafka




Resenhas - A Metamorfose


701 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Hiago 14/07/2019

Entendi o porquê do livro ser um clássico!
Angustiante, claustrofóbico, perturbador e triste.
Todo esse aglomerado de sentimentos e e emoções foi o que senti após ler esse clássico de Kafta.
Gregor passou de homem da casa (mesmo sendo o filho) para um inseto nojento, monstruoso e renegado pela família.

Para evitar spoiler, findo minha breve resenha da seguinte forma: que livro do caralho!
Hiago 15/07/2019minha estante
Correção de digitação: Franz Kafka*.




hbavutti 13/07/2019

Agradável surpresa.
"Certa manhã, ao despertar de sonhos intranquilos, Gregor Samsa encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso."

A novela (maior que um conto, menor que um livro) de Franz Kafka é um clássico da literatura e o início do texto provavelmente é um dos mais conhecidos.

A história começa com Gregor Samsa acordando e se vendo transmutado num inseto, no seu quarto escuro. Sem explicação alguma, o autor faz com que cada leitor experimente a sensação de se tornar um inseto, de sofrer com a incompreensão das pessoas, com o estranhamento que se causa por conta do aspecto monstruoso e nojento.

O livro é um pouco claustrofóbico, e se passa praticamente inteiro dentro do quarto, às vezes com a porta aberta, mas na maioria do tempo com a porta fechada. O inseto, que em nenhum momento é decifrado, pode ser visto como uma batata, ou provavelmente um besouro, e essa percepção é livre para cada leitor.

Depois da leitura fui buscar nos blogs literários e canais de booktubers a ideia que cada um tirou da experiência de leitura. A metamorfose pode ser uma alegoria da adolescência, por se tratar de um conjunto de transformações muitas vezes incompreendidas e até indesejadas, e também pode ser uma materialização da depressão, o que a meu ver aproxima-se melhor da minha percepção.

O livro é sensacional, de leitura fluida e rápida, e causou-me inesperada surpresa pois sinceramente achei que não fosse gostar.
comentários(0)comente



isa 11/07/2019

Gosto bastante da forma que o kafka escreve e é um livro bem interessante até certo ponto. Acho super válida a leitura pra quem esta em época de vestibular e pra quem começou no mundo dos clássicos agora mas não foi pra mim. A primeira vez q li foi tão chata que me impediu de terminar e a segunda foi lida com muuuuita luta. Não é nem de longe um dos meus livros favoritos e se você não tem o hábito da leitura, minha dica é não começar por ele.
Dialugando 12/07/2019minha estante
Poxa, que pena. Eu amei o livro, apesar de ter lido numa tradução bem ruim.




Jaina 08/07/2019

Uau
Sempre quis ler esse livro. E é muito diferente do que eu imaginava. Rs
Gostei muito da linguagem : simples e crua.
A ironia é recheada de sutileza...
Característico do realismo mágico.
Confesso que me identifiquei com o Gregor.
Depois de certo tempo a sua família desistiu dele - que já não era em nada parecido com o que ele era.
Aquele que cuidou não foi cuidado.
Lembrei dos idosos e doentes abandonados em asilos e hospitais aos cuidados de cuidadores . "/
Família e suas nojeiras.
comentários(0)comente



Bantim 03/07/2019

Incômodo
Não tiro o mérito desta obra sobre a literatura mundial. De forma direta e sem floreios, Kafka expõe de forma incômoda a reação da querida família do protagonista à sua transformação nada estética e muito menos produtiva. O que deve ter tido grande impacto no momento de sua publicação, não me envolveu tanto o quando esperei. Depois de me impressionar com leituras de obras realistas, naturalistas e até mesmo presenciar casos em que o desprezo pelos homens pareça inevitável e chocante, a narrativa desta obra não me causou impacto maior do que um abanar de cabeça em negação à família de Gregor, como algo não aprovável, porém esperado.
comentários(0)comente



Samarithan 29/06/2019

Uma metáfora da condição humana
Um dos livros mais importantes da Literatura Mundial, difícil ler e não perceber outros livros, séries ou filmes que sofreram grande influência da obra!

Tendo como base a situação grotesca ocorrida com Gregor Samsa, que ao acordar de manhã percebe que se transformou em um inseto monstruoso, Kafka cria uma metáfora da condição humana, onde um homem precisa lidar com algo que ultrapassa suas próprias forças e como esta situação influencia na vida de todos aos seu redor.

Por mais angustiante e pertubadora que a leitura seja, Kafka escreve de uma forma que nos faz devorar o livro! Algo que chama atenção desde o início é o fato de Gregor, mesmo após se transformar em um inseto, pensar a todo momento em sua família, que eles dependiam muito dele, que passariam por dificuldades e ele naquela forma não poderia ajudar mais (Gregor trabalhava como caixeiro viajante e tinha assumido todas as despesas da casa), mas infelizmente o tratamento que ele recebe é exatamente o contrário do que ele sentia. Na verdade desde o início era uma situação de sofrimento que se desenhava para ambos os lados, me lembrou bastante os casos de famílias que precisam cuidar de pessoas inválidas e passam a encarar isto como um fardo em suas vidas. Ainda assim é muito difícil não condenar a atitude dos familiares de Gregor.

Enfim, se trata de uma daquelas obras curtas que você lê em uma tomada, mas que jamais será esquecida!
Dialugando 12/07/2019minha estante
Confesso que quando terminei o livro fiquei bem chateada e atordoado. O Gregor se sacrificou pela família em um trabalho que nem gostava. Quando ele ficou impossibilitado de trabalhar todos deram um jeito de arrumar um emprego e quando Gregor morreu ainda se sentiram aliviados. Uma ingratidão que não tem tamanho, mas que infelizmente acontece muitas vezes, incluindo nessa situação de invalidez ou velhice, como você bem comentou.




cintia 28/06/2019

Lição de moral bem profunda mas podia ter sido contada em 20 páginas.. mas vale a pena a reflexão.
comentários(0)comente



Francy Amaro 27/06/2019

Considerações Sobre A metamorfose.
Ele toca no fundo da hipocrisia humana e abre uma carapuça de máscaras usadas para proteger o individuo de tudo que é diferente. No estilo “kafkiano” de escrever, o autor faz reflexões, através de metáforas, e faz denúncias sobre as graves violações ocorridas à Dignidade da Pessoa Humana, mostrando um indivíduo excluído do sistema de relações humanas, subtraído da qualidade inerente à sua personalidade, sem autonomia e autodeterminação, do qual furtaram a própria dignidade.
A figura vista como um inseto, quando associada à mudança no movimento e na fala e o incômodo que esta ocasiona, é apenas uma característica física que representa uma sobreposição do exterior em detrimento do interior.
Na narrativa, a família, que antes vivia uma relação afetuosa com Gregório, sobretudo em razão da comodidade financeira que esse proporcionava, descobre em sua transfiguração exterior a razão para transformar todo aquele afeto em vergonha, pena e muitas vezes até de raiva.
Kafka, então, propõe a noção da disparidade entre o considerado humano e o considerado inumano. Quanto mais próximo do “humano”, mais merecedor de direitos, em um tênue limite social entre o digno e o não-digno, o aceito e o não-aceito, digno do respeito social ou não, o merecedor da cruz e aquele que não pode tocá-la.
comentários(0)comente



LER ETERNO PRAZER 23/06/2019

Sempre li e escutei falarem que ler Kafka seria uma leitura rebusca e difícil mas para minha grata surpresa não foi isso que achei a finalizar a leitura dessa novela do mesmo. A intensão dessa postagem é apenas de mostrar minha opinião em relação à obra, não me aprofundando muito aos detalhes, até por que sei que muitos ainda não leram. Quero deixar um gosto de ?quero mais? em vocês para que procurem realmente conhece-la mais profundamente, afinal, o livro é bastante curto e de fácil leitura.
Já nos primeiros parágrafos o livro já nos mostra de cara o nosso protaginista Gregor Samsa, um caixeiro-viajante (isso até o dia anterior) que acorda transformado em um inseto monstruoso. Gregor odiava seu emprego e principalmente o seu chefe, mas pelo fato de deixar sua família em uma boa situação financeira nunca resolveu abandonar seu emprego.Ao acordar e se deparar com inúmeras e finas pernas, uma carapaça rígida, antenas e etc, nosso protagonista reage da forma mais esperada possível, com grande susto e choque. Kafka, unasando de inúmeras metáforas conseguiu narrar tudo isso de uma forma muito realista, por mais que seja impossível um humano acordar no corpo de um inseto.
Algo que se destacou em minha leitura foi a maneira de como a temática da transformação (metamorfose) foi abordada: não simplesmente à metamorfose sofrida por Gregor, ela se refere muito mais à passada por seus familiares, que não só têm a dinâmica familiar alterada como também modificam suas formas de pensar e sentir ao longo da narrativa. Para finalizar, A metamorse, foi tudo que pensei que seria, confesso que antes da leitura fiz algumas pesquisas, li e ouvi muitos comentários a respeito dessa obra, algumas positivas outras não,mas para tirar a limpo fiz a sua leitura e não me arrependi.
comentários(0)comente



Letuza 20/06/2019

Incômodo
Um livro que incomoda do início ao fim... começa com o personagem Gregor Samsa acordando de sonhos intranquilos e se vendo metamorfoseado em um inseto monstruoso. Daí em diante é uma sequência de acontecimentos que nos faz refletir sobre tantas coisas cotidianas, apesar do acontecimento inimaginável, que incomoda. Não é uma leitura leve, mas não é difícil. Para a reflexão foi no sentido de como tratamos as pessoas metamorfoseadas do nosso dia a dia. Doentes, idosos, desempregados, rejeitados de alguma forma pela sociedade... será que respeitamos e lutamos pela preservação da humanidade deles? Ou será que os tratamos com um estorvo, uma vergonha, um incômodo? Durante a leitura, por vezes me coloquei no lugar de Gregor, o inseto, mas por vezes me coloquei no lugar da família. Cada membro da família tem uma reação diferente, mas todos o veem como um empecilho. Até a metamorfose acontecer, Gregor era o arrimo da família, provia tudo de bom para todos. Trabalhava, ganhava bem, apesar de não ser feliz. Nada faltava àquela família, por esforço dele. Mas quando ele não pode mais prover tudo e passa a precisar da família, esta o tranca no quarto fingindo que ele não existe.
Sem dúvida é um livro intenso. E curto, sem rodeios. Uma leitura para ser digerida e refletida por muito tempo...
comentários(0)comente



MH 17/06/2019

Para ler e digerir aos poucos
História muito interessante, criativa e crítica.

Impossível ler este livro e não associar a diversos filmes, textos e seriados por aí. A história é atemporal e, provavelmente, uma das mais marcantes da literatura.

O enredo prende, a narrativa é direta e sem encheção de linguiça, os personagens são bem trabalhados( mesmo que em poucas linhas), e tudo nos faz refletir.

Acredito que esse livro é leitura obrigatória a todos os amantes de literatura e de boas analogias.

Confesso que a história de Gregor me deixou enraivecido, pensativo e curioso em muitos momentos.

Leia e tire suas conclusões.

comentários(0)comente



André.l 13/06/2019

Uma analogia a depressão e outras mazelas
Franz Kafka foi muito pungente ao escrever esta peça, foi um dos menores livros que já li. Mas oque até agora, mais me impactou.
Pode ser interpretado como uma metáfora a depressão, mas, vou mais além, também pode ser lido como uma análise em primeira pessoa de uma doença terminal e degenerativa.
Me recuso a pegar em Kafka novamente, a não ser para ler carta ao pai.
comentários(0)comente



Gabriella 11/06/2019

Pobre Gregor
A trama desse livro me fez refletir sobre a hipocrisia humana e as relações familiares. Quando Gregor Samsa sofre uma metamorfose e se transforma em um grande e bizarro besouro, sua vida muda por completo, obviamente.

Ele passa a viver confinado em seu quarto à espera de que sua família (mãe, pai e irmã caçula) o auxilie a ao menos comer, pois oferecer companhia e tudo o que um homem normal tem era claro que Gregor não mais teria.

Mas nem mesmo compaixão ou amor sua família tinham mais por ele, pelo filho e irmão que quando era humano tanto os ajudavam e de tudo fazia por eles, pois Gregor passou a ser um fardo para eles, chegando ao ponto de eles desejarem sua morte.

O mais impactante pra mim foi ver como os pais e a irmã de Gregor passaram a tratá-lo após a metamorfose, com a ideia de que Gregor não mais existia, aquela podia ser sua nova forma mas não havia alguém ali.

Fiquei esperando uma explicação para a metamorfose, mas devido ao livro ser curto fui me conformando de que não haveria, e foi muito melhor. É uma leitura fantástica clássica e indispensável, mergulhamos em uma história tão profunda em menos de 100 páginas.
comentários(0)comente



09/06/2019

Nem sei o que dizer
Li a versão e-book deste clássico uma vez e fiquei muito incomodada, confesso que não gostei muito.
Agora, cursando Letras, precisei relê-lo para um trabalho da faculdade. Apesar do meu entendimento da obra ter sido melhor, Metamorfose continua me incomodando.

"Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso." - Esta é a primeira frase do livro. E serve para já quebrar, logo de cara, o primeiro mito: não é uma barata! Definido apenas como um inseto monstruoso, em nenhum momento da obra o autor deixa claro ser uma barata - no entanto, outro autor russo, que no momento não me lembro se é Tolstói ou Tchekhov, fez um estudo da descrição do inseto feita por Kafka e chegou à conclusão de que seria um besouro.
Percebe-se que logo de início, o autor já mostra ao que veio e vai direto ao ponto - a metamorfose.
O peculiar e irritante do livro é que passado esse primeiro susto de ter acordado como um inseto, que não dura mais do que alguns minutos da manhã do protagonista, o mesmo se "desliga" desse fato e sua mente volta às preocupações rotineiras de sair da cama, ir trabalhar, sustentar a família, dar satisfação pro chefe e etc. Como se o personagem estivesse simplesmente resignado - me transformei em um inseto e é isso aí! Aos poucos a personalidade humana vai perdendo espaço para o extinto animal, mas o protagonista continua consciente de si, apenas aceitando as mudanças que vem com seu novo corpo.
Enquanto isso, a família aliena cada vez mais o membro da família, se ressentindo dele cada vez mais, por diversos motivos. É como se ele tivesse perdido o lugar dele na família, uma vez que, sem poder trabalhar, não pode sustentá-los mais.

Metamorfose é bizarramente incômodo. Acho importante ler, no entanto, pelo peso que o livro tem sobre o mundo literário e por ter sido precursor de um novo gênero fantástico - o Kafkiano.
comentários(0)comente



EltonLM 06/06/2019

O fantástico exacerbado
A metamorfose é um romance fantástico que, diferentemente de outros do século XIX, leva o fantástico a um nível mais elevado, tornando a obra praticamente simbólica. Tal simbolismo advém do fato de que o sobrenatural em Kafka não basta por si mesmo, fazendo-se necessária a interpretação que se trata de uma obra simbólica.

Com relação à escrita, esse é um daqueles livros que tem as suas partes chatas, porém quando se termina de lê-lo, sente-se imediatamente uma saudade. É um livro essencialmente expressionista e que causa uma marca quase indelével no leitor, devido à sua atmosfera.

É difícil precisar com exatidão o que torna esse livro tão intrigante e porquê ele causas esse rebuliço emocional no leitor.

Super-recomendado

site: bibliothequeopinatio.wordpress.com
comentários(0)comente



701 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |