Colin Fischer

Colin Fischer Ashley Edward Miller...




Resenhas - Colin Fischer


56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Lorrane Fortunato 08/08/2017

Não Resenha: Colin Fischer / Dreams & Books
Eu amo ler livros com personagens autistas! Eles sempre acabam me conquistando e me ensinando tanto que eu sempre saio uma pessoa diferente da sua leitura!

Colin Fischer é aquele tipo de livro que você começa a ler sem medo por que já sabe que vai amar! Eu não tinha nenhuma insegurança ou temor, sabia que Colin conquistaria o meu ser. Só não poderia imaginar que seria com tanta intensidade!

O livro é incrível! Ele traz emoções em doses perfeitamente medidas, não há exageros, não há erros. Suas emoções, suas lições, seus ensinamentos são dosados de uma forma que não pesa.

Tudo nesse livro é perfeito! Eu recomendo demais a leitura, se deixem envolver, conquistar, aprender e apaixonar por Colin!

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Amanda Loureiro Galvão 08/06/2017

Colin Fischer
Primeira informação: Colin Fischer tem 14 anos, é um amante de cinema, é obcecado por Sherlock Holmes (que não é apenas um detetive, e sim um super heroi), gosta de ler sobre tubarões e possui Síndrome de Asperger. Ponto.

Ao ler essa primeira frase logo de início, a maioria das pessoas já criam uma ideia de que esse livro contará a história de um garoto que sofre bullying devido à síndrome que possui, que não tem amigos e que é antissocial. Mas é nessa hora que o livro Colin Fischer aparece e nos dá um tapa de luva e faz a gente perceber que não é bem assim que se leva a vida. Mas o que você menos espera é que esse livro traz uma grande resolução de um mistério, até mesmo um crime, que ocorreu no pátio de uma escola.

--
Uma informação à parte:
Antes de descrever alguns fatos importantes e que precisam ser ditos sobre esse livro “maravilindo”, gostaria de citar algumas características da Síndrome de Asperger, para quem já ouviu falar mas não sabe o que é: A Síndrome de Asperger ocorre devido a uma desordem genética. Muitas vezes ela é confundida com o Autismo, porém Asperger tem algumas características próprias que fica fácil de diferenciar. Por exemplo, as crianças com Asperger são muito inteligentes em determinadas áreas, principalmente se o assunto for de seu interesse. Se a criança começa a gostar muito de um determinado assunto, ela passa a estudá-lo tanto que vira um gênio sobre o assunto que ela domina. E isso pode ocorrer com qualquer coisa que a criança realmente goste, tanto como uma matéria especifica na escola (matemática), quanto como um objeto, um animal, uma pessoa, ou um personagem em especial. Quem tem Asperger possui alguns limites como: muitas vezes não conseguem diferenciar uma frase irônica de uma frase normal, pode ter tolerância a barulhos altos ou locais muito iluminados, e no início as crianças podem ter muitas dificuldades na escola em atividades que são comuns para os outros, principalmente as atividades que requerem um grau elevado de desenvolvimento motor, como praticar esportes.
--

Todos ouviram um tiro, todos correram. Menos Colin. Colin ficou lá pois sua vontade de solucionar o caso foi mais forte que ele, e depois de toda correria ele viu a arma suja com glacê.
Wayne Connelly imediatamente foi o principal suspeito, afinal ele é o valentão e o que sempre procurou briga com todos na escola, mas Colin sabia de um detalhe que ninguém mais sabia: Wayne costumava comer ordenadamente. Wayne não estava sujo de glacê.
Agora Colin está envolvido numa missão para provar que Wayne é inocente. Logo o Wayne, que enfiava sua cabeça no vaso sanitário...
Aline Marques 08/06/2017minha estante
A síndrome de Asperger é um grau leve do Transtorno do Espectro Autista e não se sabe sua causa, por isso não se pode afirmar que é causada por uma desordem genética. Esse grau de autismo é ainda mais difícil de ser diagnosticado pois as características são únicas. Rotular autistas leves (ou de qualquer grau) como "muito inteligentes" é um esteriótipo errôneo, e ninguém se torna gênio apenas por dominar um assunto. Todas as características que descreveu, infelizmente, não tem base teórica ou científica. Posso sugerir alguns sites de pesquisa e especialistas que podem tirar suas dúvidas, caso deseje.


Amanda Loureiro Galvão 08/06/2017minha estante
Olá, Aline!

Fiquei muito feliz pelo seu retorno, e agradeço pelas correções. Sobre as referências de especialistas, eu ficaria grata se pudesse me passar :)


Meus comentários sobre a síndrome não foi com a intenção de ser uma informação técnica ou especializada, e sim o básico, o superficial.

E quanto ao termo ?gênio?, foi apenas uma forma de expressão. Como eu disse, em nenhum momento quis ser técnica.

Abraços!


Aline Marques 09/06/2017minha estante
Agradeço o seu interesse, Amanda. Você pode encontrar definições e características no DSM-IV, e em páginas como a Lagarta Vira Pupa, Amais e A Voz do Autismo. O Doutor Alysson Muotri e o Doutor Caio Abujadi possuem perfis nas redes sociais e sempre a alimentam com informações pertinentes. Marie Dorion é uma mãe é especialista que costuma esclarecer dúvidas e propor atividades. Espero que eu tenha ajudado. Abraço!




Dany 17/04/2017

Colin Fischer
O livro é indicado infanto-juvenil, com um personagem aí quase entrando na adolescência. Colin tem Síndrome de Asperger o qeu faz dele diferente e especial, muito inteligente e pouco sociável. Colin não gosta de ser tocado, não compreende piadas ou expressões faciais, não gosta de comer alimentos moles e mesmo assim conseguiu se “adaptar” a vida na escola.

O livro gira em torno de um mistério que Colin tenta desvendar. É bem escrito, o personagem principal e bem desenvolvido além de ter muitas notas de rodapé que deixaram a história ainda mais interessante e bem fundamentada.

Não gostei muito por ser um bobo, no sentido de que apesar de ser bem escrito e uma historia voltada pra um publico especifico. E como já passei da idade...

site: http://recolhendopalavras.blogspot.com.br/2016/12/li-mas-nao-resenhei-02.html
comentários(0)comente



Mireille 26/03/2017

Livro ficcional interessante para quem deseja de um jeito leve vivenciar a maneira pelo qual um adolescente com TEA (nova classificação de síndrome de asperger) se comportar e interpreta suas relações com o "outro"! Além da divertida caça a um mistério ocorrido em sua escola!
comentários(0)comente



timeladie 30/01/2017

Livro curto e legal, até. Só achei meio desnecessárias algumas partes e a história não parece ter acabado.
comentários(0)comente



Laura 10/01/2017

Colin Fischer
Colin é um garoto peculiar. Ele possui a síndrome de Aspenger e sofre muito preconceito de seus colegas. Após um incidente em sua escola, Colin é o único disposto a desvendar o mistério e limpar a barra de um de seus intimidadores.

Confesso que me atraí pela capa do livro quando o vi a primeira vez. Depois, gostei da sinopse. E por fim, fui ler algumas resenhas. Muitas delas, bem críticas e não com muitas boas impressões sobre o livro. Fiquei com medo de não gostar, mas o livro me encantou.
O jeito como Colin wve as coisas e se adaptou ao jeito dos outros é muito legal. E os textos que antecedem cada capítulo, parecem confusos, mas no fim, cada um tem um propósito escondido com o desenrolar da trama.
Gostei mesmo. E o final, deixa aberto a imaginação do público para concluirem sozinhos que haverá umá continuação. Assim que tiver uma (se tiver), já vou comprar.
5/5
comentários(0)comente



Silas Jr 16/12/2016

Sério?!
Sabe quando você chega na livraria e se depara com um livro custando apenas R$10,00 e fica doido para ler só porque está esse preço?! Pois é... Minha irmã Dani sabe o quanto eu fiquei desesperado para comprar e então comprei... e então comecei a ler empolgado... e então ficou entediante... e então... Sério isso? Uma história sem muito precedentes e nada envolvente, e a única coisa boa que pode falar desse livro são as metáforas que agora fazem parte da minha vida e por esta razão ele recebe nota dois. E então eu não tenho mais nada a declarar.
comentários(0)comente



Benny Carvalho 21/10/2016

Incrível!
Temos aqui um personagem único e ingenuamente tão igual à tantos outros que compartilham dessa síndrome... Uma pessoa que não gosta de ser tocada por outras pessoas (até mesmo seus pais), que tem suas singularidades e que precisa fazer um uso constante de cartões de memorização para poder reconhecer as expressões faciais das pessoas ao seu redor!

Muito bom, mesmo! Uma história que aparenta ser referente ao cotidiano de uma pessoa especial, mas que logo em seguida vemos que a vida dela é muito mais do que simplesmente podemos imaginar e ainda para completar há ocorrências que vão moldando e formando novas perspectivas para esse personagem que é o Colin e enfim...

Leiam... Só posso dizer isso! Leiam, leiam e leiam de novo... Quero mais histórias sobre Colin com certeza!
comentários(0)comente



Polyana Pinheiro 03/10/2016

Colin Fischer
É muito legal ler um livro que nos apresenta um assunto interessante e que nos desperta interesse sobre o tema tratado ali, que se torna facilmente alvo de muitas pesquisas no Google. E, desde que vi uma reportagem na tevê sobre o autismo, alguns anos atrás, fiquei muito curiosa para saber mais sobre a doença. Dia de 2 de abril é o dia mundial da conscientização do autismo, e depois de ver posts sobre livros com esse assunto, lembrei que tinha um na minha estante, esperando para ser lido e, após concluir a leitura de Colin Fisher, posso dizer que ler o livro só fortaleceu e nutriu ainda mais meu interesse pela Síndrome de Asperger.

Colin é muito inteligente e me lembrou bastante o Sheldon Cooper, da série The Big Bang Theory. Muito inteligente e sem noção (como Sheldon, ambos falam de assuntos que envergonham pessoas comuns como se fosse a coisa mais normal do mundo), não gosta de ser tocado e não entende sarcasmo. Odeia ser interrompido e possui habilidades sociais muito baixas. Porém as pessoas ao redor entendem e já se acostumaram com o jeito de Colin, sempre imprevisível e com as respostas mais inesperadas. Ele tem dificuldade em decifrar as expressões das pessoas, odeia a cor azul e possui um caderno vermelho que leva para todo lugar, registrando fatos e pensamentos com caneta verde desde que era criança. Ao longo do livro podemos ler as anotações que Colin faz, como um detetive anotando pistas de um crime que está investigando.

"Meu nome é Colin Fisher. Tenho 14 anos e peso 55 quilos. Hoje é meu primeiro dia no colegial. Tenho 1.365 dias até o fim." - Pag 7

Ao longo do livro encontramos também muitas notas de rodapé (35 ao todo), algumas até muito grandes. Para algumas pessoas isso é incômodo, mas no meu ponto de vista ajuda a entender os fatos citados ou explica alguma coisa, pensamentos de Colin ou piada que nós não entenderíamos se não lêssemos as notas. Colin também é fã de Sherloc Holmes e histórias de detetives, e o livro foca no caso do bolo e da arma, no qual Colin tenta descobrir quem é o culpado, de quem é a arma, assim como Sherloc em suas histórias.

******************** LEIA A RESENHA COMPLETA NO BLOG ****************

site: http://www.desenrolagabriola.com/2014/06/colin-fischer-ashley-edward-miller-e.html
comentários(0)comente



*Rô Bernas 12/08/2016

Confesso que esperava mais desse livro.
Gostei da maneira como os autores criaram Colin e sua Síndrome, achei super coerentes, mas confesso que os textos que eles iniciavam os capítulos me deixaram voando, achei chatos e não vi ligação com a história em si.
Enquanto ele demonstrava insegurança em algumas situações, ele demonstrava uma segurança incrível quando ia emitir sua opinião após alguma análise, afinal a sua doença o faz ser muito criterioso.
Gostei, mas não amei!
comentários(0)comente



Aline Marques 13/04/2016

Estereótipos Prejudiciais e Investigações Geniais
"[...] O comportamento humano é um mistério que não pode ser resolvido nem totalmente compreendido em termos matemáticos. Ele simplesmente precisa ser vivenciado."
--
Colin Fischer é um autista de 14 anos. Ele não gosta de ser tocado, a cor azul lhe causa frio, Sherlock Holmes é o seu super-herói favorito (sim, eu disse super-herói) e ele simplesmente não entende as pessoas. Todas elas.

Ah! Ele irá para a escola pela primeira vez, com nada além de falta de vontade, a memória de seus cartões de expressões faciais, sua personalidade investigativa e seu Caderno (maiúsculo mesmo).
--
"Para Colin, isso se aplicava a todas as matérias. Aprender uma coisa era saber essa coisa; saber uma coisa era entender essa coisa; entender uma coisa era enfrentá-la sem medo."
--
A narrativa engenhosa e fluída vai muito além da história de um adolescente buscando solucionar um mistério. Os autores empolgam ao falar sobre o relacionamento humano e seus reflexos, positivos e negativos.

As reflexões de Fischer nos inícios dos capítulos e as notas de rodapé são estupendas e merecem uma atenção especial.
--
"Autismo - o Sr. Turrentine o interrompeu. - Você quer dizer... como no filme 'Rain Man'? Para mim você não se parece com o Rain Man. Você é o Rain Man, Fischer?"
--
Chegamos ao grande MAS da minha opinião.

Assim como o Sr. Turrentine, no trecho acima, a maioria das pessoas associam o autismo aos estereótipos adquiridos em filmes, novelas e LIVROS, o que, frequentemente, gera preconceito.

Infelizmente, a EMPATIA que o leitor sentirá por Fischer será de caráter cognitivo. Ou seja, você não rejeitará o seu comportamento, mas ainda o rotulará como esquisito.

Um exemplo nítido é a afirmação do autor Lev Grossman, na contracapa: "[...] tentar se passar por humano - ou então perecer.".

Não se encaixar no padrão social que um determinado grupo, em algum momento da história (ou do presente) decretou como correto, não torna ninguém menos HUMANO.

Ao ler o livro lembre-se: Se você conheceu um autista, você conheceu UM autista.
--
"A vida é um mistério. E o que poderia ser melhor do que isso?"


site: https://www.instagram.com/p/BEJBEazSFk0/
comentários(0)comente



Juliana 04/01/2016

Colin tem a síndrome de Aspenger e para descobrir qual o sentimento da pessoa, utiliza de fichas com caretinhas. Esse personagem tocou muito no coração, ter uma noção do que se passa com ele e com as pessoas que tem convívio, e como tratar uma pessoa assim. Não contarei sobre a história porque tenho medo de dar spoilers, mas leia que não se arrependerá.
comentários(0)comente



Adriana 31/12/2015

Oi, gente,

hoje vamos conhecer Colin Fischer. Colin tem síndrome de Aspenger, um transtorno com características do autismo, o que faz com que ele, principalmente, não suporte o toque de outra pessoa e tenha dificuldades de entender emoções e expressões faciais, fazendo com que entenda tudo literalmente. Para facilitar o seu dia a dia, ela cria cards que são desenhos que retratam expressões de pessoas conhecidas e uma descrição, criando assim uma espécie de dicionário de emoções. Vamos encontra-lo no seu primeiro dia de aula no ensino médio de uma escola regular.

“Eu pensava que as pessoas fazem isso porque são ruins em matemática, mas a verdade é porque são jogadores. Deixam passar boas oportunidades que estão bem na sua frente em troca de outras imaginadas melhores e que quase nunca se materializam. É por isso que confio na matemática e não nas pessoas. A matemática produz melhores decisões.”

O ensino médio já é tenso para qualquer aluno, imagine então para Colin, que terá como colega Wayne Conelly, um garoto valentão que tem Colin como seu saco de pancadas e alvo das piores brincadeiras desde a infância.

“A vida real não funciona como um romance de mistério. Mas deveria. Investigar.”

Como se já não estivesse ruim o suficiente, Colin presencia, durante o almoço, o disparo de uma arma de fogo em pleno refeitório da escola. Wayne é apontado como o principal suspeito, mas Colin sabe que não é verdade. Usando toda a sua inteligência e capacidade de observação, ele embarcará em uma perigosa aventura para provar a inocência do seu nada amigo Wayne e, lógico, descobrir quem é o culpado.

O livro é uma delícia! Não por Colin, mas por todo o suspense envolvido. Os autores estão de parabéns por retratar a síndrome de Aspenger do jeito que ela é, mostrando que as pessoas que a possuem são pessoas comuns, capazes e com inteligência acima da média.

O livro é narrado em primeira pessoa, apenas por Colin, o que faz com que todos os fatos nos aproxime do narrador e nos ajude a mergulhar no suspense. Dividido em capítulos curtos, sempre com uma introdução feita pelo próprio Colin narrado uma experiência vivida por ele. Cheio de notas de rodapé que explicam questões científicas fantásticas, o livro fala de muitos temas.


Uma leitura leve, divertida e cativante. Simplesmente não tem como não se apaixonar por Colin Fischer.

site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2015/11/leitura-da-drica-colin-fischer-ashley.html
comentários(0)comente



Bruna Moraes 13/12/2015

Colin Fisher
O novo Sherlock Holmes do séc. XXI é Colin Fisher, um garoto de apenas 14 extremamente curioso e investigador. Na escola sofre bullying pelo seu jeito estranho de agir com as pessoas, não gosta de ser tocado, tem horror a cor azul e anota todos os acontecimentos e sentimentos em seu caderno, desde a pré-escola.
Antes de chegar ao ensino médio tinha um acompanhamento de uma babá, mas agora precisa encarar as pessoas por si só com o auxilio dos cartões de expressões faciais, que na maioria das vezes não falha. Durante a festa de aniversario de Melissa na cantina da escola uma arma dispara, todos saíram correndo assustados, exceto Colin, que ficou intensamente interessado no crime e quis resolve-lo de qualquer jeito.
Colin Fisher foi escrito por dois autores em parceria Ashley Miller e Zack Stentz, um livro divertidíssimo e empolgante, escrito em terceira pessoa e algumas citações feitas pelo próprio Colin, a capa mostra um garoto sem rosto, mas com diversas expressões faciais, e é exatamente assim que Colin é uma mistura de todas as expressões ou de nenhuma delas.
A Síndrome de Asperger foi bem retratada no livro, no entanto ela meio que passou por uma evolução, o Colin começou a se permitir contato físico e reconhecer as falas irônicas dos personagens, não sei se esta síndrome passa por alguma evolução, mas no livro acontece com o personagem e foi fundamental para a convivência dele com outros colegas.
O irmão do Colin parece ser uma criança boba que não entende a situação do irmão, porém isto não é verdade, ele só quer ganhar atenção dos pais, que só mimam o Colin, ele entende tudo que está acontecendo só não concorda pelo fato do Colin ser tratado diferente.
É fácil achar um livro que retrate doenças físicas, mas não metais, e neste livro os autores conseguiram mostrar como é a vida desse garoto na escola e como ele consegue superar tudo, sua inteligência é orgulho para os pais no entanto é zombaria na escola pela falta de conhecimento das pessoas e do interesse da própria escola em inseri-lo. Um livro divertidíssimo que retrata um assunto pouco comentado e divulgado na mídia, a conivência de pessoas com Síndrome de Asperger no meio social.
comentários(0)comente



Saleitura 19/10/2015

Olá! Como estão vocês?

Havia ouvido falar deste livro algumas vezes algum tempo atrás, mas não me lembro bem porque, - talvez críticas negativas? - eu acabei me desinteressando pela leitura.
Quando, porém, a Irene me perguntou se gostaria de lê-lo, e eu fui dar uma olhada na sinopse, aquele velho interesse veio à tona novamente.
É um livro bem pequeno. São 176 páginas, com letras grandes e páginas amarelas, ou seja: Tudo contribuiu para que minha leitura durasse apenas algumas horas.
E isso sem contar a narrativa simples e rápida, assim como a obra que narra.

Sabe aquela história que veio no momento certo pra você? Assim foi Colin Fisher para mim. Sinto que estava precisando de uma leitura mais leve, em meio à toda aquela densidade que eu estava consumindo por meio das páginas de outros livros que amo, mas que se lidos sem descanso, acabam pesando na vida em geral.

Me encaminhei para a leitura sem expectativas, nem boas, nem ruins. Apenas fui. E não poderia ter feito melhor coisa. O livro é rápido e te faz ter curiosidade para saber o que acontecerá na página seguinte, por mais simples que o enredo possa parecer.
Sem falar que o personagem principal é simplesmente apaixonante. De início, vi-o como um personagem fraco, e que eu teria de aguentar até o fim, mas sua excentricidade causada, em maior parte, pela Síndrome de Asperger logo foi mostrando-se não apenas um fato para tentar adicionar um humor à história, e sim algo de grande utilidade para o enredo. E também, devo admitir, para provocar alguns sorrisinhos durante a leitura.

A obra possui uma inspiração admitida nas histórias de Arthur Conan Doyle sobre o famoso e infalível detetive Sherlock, e o mistério da vez é aparentemente simples, mas consegue te pegar de surpresa no fim se não estivesse focado em revolvê-lo por si só, o que foi o meu caso, que estava apenas lendo e acompanhando o ritmo.
Minha nota? Cinco de cinco estrelas. Por mais que eu saiba perfeitamente que na verdade, não trata-se de uma obra perfeita. Eu simplesmente, quando parei para pensar, não consegui encontrar nenhum defeito neste livro que estivesse aparente o suficiente para que uma estrela lhe fosse tirada.
Repito: É um livro leve, e foi esse o principal fator da rapidez com a qual o li: O momento em que estava da minha vida precisava deste livro.
Se está precisando de algo leve, que não seja simplesmente bobinho, eu o indico. E muito.

resenhado por Ana Carolina
http://www.skoob.com.br/estante/livros/2/2583884/page:1

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2015/10/resenha-colin-fischer-de-ashley-edward.html
comentários(0)comente



56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4