Comunicação Não-Violenta

Comunicação Não-Violenta Marshall B. Rosenberg
Marshall B. Rosenberg




Resenhas - Comunicação Não-Violenta


117 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


e-zamprogno 07/02/2012

Desenvolvendo a empatia na Comunicação
A primeira vez em que eu ouvi falar do conceito da Comunicação Não-Violenta (CNV) foi em uma palestra de uma vivência zen com a monja Coen no começo de 2005. Ela então usou uma imagem à qual o autor da idéia freqüentemente recorre para explicar o conceito: a do chacal e da girafa. Comunicar-se "como um chacal" corresponderia a responder no mesmo nível, um rosna mostrando os dentes e o outro responde da mesma forma. Comunicar-se "como uma girafa" significa levantar o pescoço a uma altura em que se pode ver o que há por trás de palavras que possam nos parecer ofensivas: "quais as necessidades daquela pessoa que não estão sendo atendidas e que assim a fazem se comunicar daquela forma?"
A idéia básica por trás do conceito de CNV é que sempre que nos comunicamos estamos buscando suprir alguma necessidade. A forma na qual o fazemos depende de quanto estamos cientes do motivo (a necessidade) de o estarmos fazendo. Desta forma, o oposto de "comunicação não-violenta", no livro, não é chamada de "comunicação violenta", e sim de "comunicação alienante da vida". Isso significa que, entre outras coisas, dentro desta concepção, são formas de "comunicação alienante" não apenas formas agressivas de expressão, mas também as que usamos, por exemplo, para culpar, tanto nós mesmos quanto os outros, para manipular tentando causar sentimentos de piedade, ou até mesmo elogiar, mesmo quando o fazemos sinceramente, ou para nos eximirmos da responsabilidade do que fazemos, por exemplo, colocando-a nas "regras" (sejam leis, convenções, etc.). Um sinônimo usado para "comunicação não-violenta" no livro é "comunicação empática".
A primeira parte do livro, mais ou menos até a metade, explica estratégias de como nos expressarmos de uma forma que não seja alienante. Segundo o autor, quando o fazemos, aumentamos as chances de que a outra pessoa desenvolva empatia pelo que dizemos, ou seja, pela necessidade que estamos procurando suprir com aquela comunicação. A partir do capítulo sétimo ele começa a explorar o tema de como ouvir a outra pessoa com empatia, esteja ela dizendo o que for, e da forma em que o estiver fazendo. Segundo o autor, como seres humanos compartilhamos dos mesmos sentimentos básicos e emoções, mesmo tendo sido condicionados por culturas, famílias, ambientes diversos, os sentimentos humanos básicos são comuns à toda a espécie humana e assim podem ser entendidos por qualquer outro representante dessa espécie. É neste nível que a empatia, o entendimento, pode acontecer. É portanto necessário uma dose de disposição em se tornar vulnerável para se expressar dessa forma, que tem sido usada desde a mediação de conflitos do Oriente Médio até para lidar com gangues de rua, assim como em momentos de perigo eminente como em ameaça de estupro. Mas não só os relatos de sucesso são usados para ilustrar a técnica. O autor também não esconde as vezes em que subestimou as dificuldades ou superestimou sua capacidade.
No final do livro há um capítulo dedicado à raiva. Não sobre como evitar a raiva, ou como "lidar" com ela, mas sobre como expressá-la plenamente. Seguindo o mesmo raciocínio de consciência das emoções para distinguir o que é do que não é uma forma alienante de se expressar, "matar, espancar, culpar e ferir os outros -- física ou mentalmente -- são todas expressões superficiais do que acontece dentro de nós quando sentimos raiva".
Numa sociedade que consome tudo o que é rápido e superficial, na sociedade da comida pronta congelada, do botox e silicone e dos manuais de auto-ajuda, esse livro definitivamente segue o caminho oposto ao propor que exercitemos a consciência, a responsabilidade e o envolvimento.
Luciana.Santana 05/09/2020minha estante
Excelente! ?




Thais de Sá 07/07/2020

“Nunca ande quando puder dançar”
Eu comecei a ler esse livro e logo fiquei muito frustrada! Parecia impossível colocar qualquer ensinamento em prática, sem anos de estudo ou sem ser a Monja Coen. Mas tenho que dizer que fiquei impressionada com o quanto ele me ensinou de ontem para hoje. Talvez fosse o momento certo para eu ler esse livro, porque eu estava imersa em uma situação que me provocou muita raiva, e nesse momento o livro me questionava o motivo da minha raiva, e desconstruiu o que eu achei que fosse a causa - o outro - até chegar em mim, no meu desejo não sendo atendido... ou achando que não estava sendo atendido. Em 1 dia... algumas páginas e uma calma física inesperada.

Eu estava errada, eu não tinha como absorver tudo de imediato e sem prática, lógico! O aprendizado é constante, mas alguma coisa será absorvida de imediato... e provavelmente o que você mais precisa naquele momento.
comentários(0)comente



Ludmilla 30/07/2020

Um livro muito bom. Penso que, para colocar a cnv (comunicação não-violenta) em prática, nas diversas situações da nossa vida, é importante revisitarmos esse livro várias vezes. Uma leitura não basta. São muitos ensinamentos.
comentários(0)comente



Rafa 19/09/2014

A forma como falamos é que faz toda diferença
O jeito como controlamos a raiva, respirar, nos ajudam a ter o melhor controle da situação, não ser impulsivo nos nossos atos, é uma das principais dicas do livro.

Observação é uma das formas de melhor comunicação, dê atenção, expresse sentimento nos olhares. Seja sincero com seus sentimentos para com as outras pessoas, ex: Sinto-me chateado por você não estar em casa nos finais de semana". As pessoas tem mais facilidades para entender quando especificamos os nossos sentimentos.

Seja bem claro na forma de falar, as vezes as pessoas são grossas na forma de falar, pelo simples fato de estarem em má situação consigo mesmas, tente sempre desvendar a causa do sofrimento, paciência, compreensão e talvez um ouvido amigo seria a solução na maioria dos problemas.

- ODEIO JESUS!
- VOCE ODEIA JESUS, PQ ELE NAO ATENDE AOS SEUS PEDIDOS?
- SIM, POR ISSO MESMO
- E VOCE, SENTE-SE CHATEADO PELO FATO DELE NÃO ESTAR TE ATENDENDO COMO GOSTARIA?
- VOCE MUDARIA ALGUMA ATITUDE NESSES SEUS ATOS PARA QUE CONSIGA SEUS OBJETIVOS?
- SIM, ESTOU SEMPRE FRACASSANDO ..

O demonstrativo citado acima, é uma forma de CNV de mostrar como por trás de uma insatisfação, existe primeiro uma insatisfação consigo mesmo, e temos a tendência de culpar o que melhor nos convir.

Gostei muito do livro, a partir dessa leitura, aprendo a escutar, e a compreender o mundo existe atrás das palavras.

Boa leitura.
Keylla 20/01/2015minha estante
Como dizem: comunicação é tudo! Eis o que escrevo no perfil do Skoob. Imprescindível!


Jaqueline 28/04/2017minha estante
undefined


Rafa 04/05/2018minha estante
Muito bom Jaque!!




Caio.Maximino 19/05/2020

Comunicação Não-violenta
Uma boa introdução aos conceitos e técnicas da CNV. Poderia ter metade da extensão, no entanto; o autor se esforça para estender os conceitos e explicar muitas vezes as mesmas coisas, de maneira que por vezes o texto se arrasta
comentários(0)comente



Ingredi.Lima 09/07/2020

Com certeza essa leitura vai para o meu top 5 de livros lidos em 2021. Nossa fala pode impactar o outro de inúmeras maneiras. O livro ensina como falar, cobrar, sugerir e ensinar de uma maneira que as pessoas aceitem.
comentários(0)comente



Eduardo 23/05/2020

Deve ser lido muitas vezes
Fui apresentando à CNV no meu processo terapêutico, adquirindo a consciência de como eu me comunicava de forma ineficiente e geralmente acabava frustrado.

Comecei a estudar (veja bem, estudar!) o livro junto com minha noiva, todo dia líamos um capítulo juntos, fazendo alguns comentários sobre situações que vivemos no passado.

Ao final, percebi que a teoria da CNV pode ser transformadora na vida de uma pessoa, porém, a leitura pode parecer arrastada e difícil, por isso tenho a sensação que terei que ler mais umas 10 vezes para assimilar o conteúdo em minha mente e iniciar a praticar.

Recomendo muito.

Sandi 30/05/2020minha estante
Eduardo eu também estou lendo pois estou em um processo de coaching e tem me ajudado muito. Porém antes de comprar o livro eu ouvi, no YouTube tem um canal que a pessoa lê o livro inteiro




Lucas M - @srlucasm 18/09/2020

Para melhorar a sua comunicação
Vou te fazer uma pergunta: você já perdeu a sua amizade por causa da sua comunicação? Eu já. Depois que isso aconteceu comigo, decidi buscar um livro que me ajudasse a se comunicar melhor. Foi um dos motivos (senão o principal) que adquiri o livro de Marshall Rosenberg, que trata sobre Comunicação Não Violenta, a CNV.

A CNV basicamente é composta de Observação (sem julgamentos), Sentimentos, Necessidades e Pedido. A CNV é importante não só para o que fala, mas para o que ouve. Você pode se expressar honestamente usando os quatro componentes ou receber com empatia por meio dos quatro componentes. A empatia é uma das coisas mais importantes no processo da CNV, porque você tenta entender o que o outro está sentindo, o que o outro está necessitando e assim tentar ajudá-lo. É simplesmente se colocar no lugar de outra pessoa. Por isso a sua comunicação precisa ser a mais empática possível.

Essa metodologia está recheada de testemunhos de pessoas que aplicaram a CNV e tiveram progresso em suas vidas. Inclusive existem relatos que a CNV foi muito boa em acordos entre países e em presídios. E CNV foi útil até para uma mulher que estava lidando com um meliante que queria violentá-la.

Ficou interessado em melhorar a sua comunicação? Recomendo o livro, mas não fique só nesse livro. Invista mais na área. Mesmo concordando parcialmente na parte que fala sobre repreensão, o conteúdo do livro melhorou a minha forma de se comunicar. Ainda tenho muito a progredir e te convido a caminhar junto comigo em direção a uma vida melhor, incluindo a comunicação.

Att,
Lucas M.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Alê 14/06/2020

Um livro para ler e reler
Recomendo muito a leitura!
É um livro que nos faz perceber como temos nos comunicado sem empatia e conexão! E como a aplicação da CNV pode melhorar as nossas relações!

Confesso que foi uma leitura um pouco demorada por achar alguns pontos repetitivos, então fui lendo aos poucos.

Espero reler o livro em breve e, principalmente, colocar em prática as técnicas ensinadas!
comentários(0)comente



Bia 01/07/2020

Presente
Recebi esse livro como um presente da empresa, trabalho com SAC e este livro me ajudaria na comunicação com oa clientes, de forma a melhor atende-los.

Amei esse livro de todas formas possíveis. Será muito dificil colocar tudo em prática, terei que ler mais algumas vezea, porém de primeiro, já aprendi muito.

Sinto a necessidade de prensentear as pessoas com este livro lindo pois precisamos desse conhecimento em nossas vidas. Tanto na parte profissional quanto no pessoal.

É estranho como não nos conhecemos e não sabemos expressar nossos sentimentos, com esse livro conseguimos nos conhecer melhor e ao próximo.
Bianca 01/07/2020minha estante
Um livro necessário




Natche 12/07/2020

Um livro que é necessário para os tempos atuais
Comecei a ler esse livro com o objetivo de melhorar a minha prática ao atender meus pacientes. Gostei muito, pois o autor dá diversos exemplos práticos de situações que podemos usar a comunicação não-violenta. É um livro para se ler várias vezes para ir absorvendo e incorporando a CNV no nosso dia a dia.
Amanda Clara 12/07/2020minha estante
Vou comprar amanhã!!! Ansiosa pra ler!!




Lari 20/05/2020

Uma forma amorosa de se transmitir
O autor traz uma forma amorosa de transmitir quem você é para os outros e também nos convoca a refletir como nós recebemos a mensagem das outras pessoas. É mais uma forma de se conectar com os outros.
comentários(0)comente



Laura Neves 25/02/2020

Manual prático que apresenta metodologia criada pelo autor, voltada para aprimorar os relacionamentos interpessoais e profissionais.
comentários(0)comente



Fernandho7 30/03/2020

Comunicação não Violenta
A comunicação de controle usada por séculos pra nos aprisionar, neste livro é desconstruída e com a potência da empatia (compaixão) é reestruturada com o objetivo claro de conectar pessoas para que de fato fomos criados, a sermos mais amáveis e responsáveis com a vida e a convivência coletiva.
Gabrielle 30/03/2020minha estante
Lendo e até agora partilhando da mesma opinião




117 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |