Entre o Amor e o Silêncio

Entre o Amor e o Silêncio Babi A. Sette




Resenhas - Entre o amor e o silêncio


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Rillsimo 21/06/2017

Maravilhoso!

Entre o amor e o silêncio é uma trama que, para quem se depara com a sinopse ou até com resenhas, pode parecer um tanto clichê. E é mesmo! É um romance leve, estilo fim de tarde, onde os protagonistas são completamente opostos, o típico mocinho rico e inalcançável, a mocinha simples e romântica. A maioria dos cenários são dignos de contos de fadas de tão belos e, principalmente, de tão bem descritos. Francie, apesar de uma força fantástica para lidar com problemas femininos, guarda consigo uma pitada de fraqueza por Vince que, aliás, é o tipo de personagem para quem a gente passa o livro inteiro olhando e pensando: "que babaca". Mitchell, com todo seu jeito charmoso de ser, ainda que encontre dentro de si uma sensibilidade que não sabia existir ou que há muito havia sido enterrada, não perde seu lado também um tanto babaca. O que não o afasta, de modo algum, do posto de conquistador. Inclusive do coração das leitoras, conquistou o meu.

O fato é que, mesmo diante de toda a previsibilidade da história, é uma leitura gostosa e que vale a pena. Toda recheada de conflitos, cenas que nos fazem rir e chorar.

Em relação aos pontos negativos, devo dizer que o que realmente me incomodou na história foi o início, o momento em que Francesca julga-se apaixonada por Mitchell, ainda que nem se quer o conheça de verdade. Me pareceu uma certa obsessão e, confesso, não esperava nada do livro enquanto estava nessa parte. Sentimentos que acontecem de forma natural e nada forçada é algo que preso muito nos livros e, quando isso não acontece, acabo me frustrando um pouco. No entanto, isso se deu apenas nos primeiros capítulos, pois durante o desenrolar da história pude observar o sentimento entre ambos desenvolver-se de forma mais lenta e verdadeira, digamos assim, o que me surpreendeu positivamente.

Quanto aos pontos positivos, acredito que o maior deles seja justamente este, a vastidão de leveza que a história nos traz. A maneira que ela tem de nos encantar e divertir, ao mesmo tempo, ainda que seja com um enredo onde pouco do que imaginamos é diferente do que acontece. Além de, claro, as descrições dos cenários, as quais eu já citei acima e pelas quais eu fiquei totalmente apaixonada. Os personagens são todos cativantes cada um à sua maneira. É meio impossível não gostar tanto de Francesca quanto de Mitchell e, outra que ganhou meu carinho foi a Olivia, o companheirismo entre ela e Francie é algo lindo de se ver.

A história de Francie e Mitchell me fez refletir sobre como ainda que o amor precise de tanto para sobreviver, é totalmente capaz de nascer de um silêncio. De uma simples presença.

Resenha postada no blog Rillismo

site: http://rillismo.blogspot.com.br/2017/06/resenha-entre-o-amor-e-o-silencio-por.html
comentários(0)comente



Cami 02/06/2017

Romance encantador, Babi A, Sette escreve com muita maestria.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabriela.Ferracini 29/04/2017

Entre o Amor e o Silêncio - Babi das Tretas A. Sette
Como a Babi gosta de uma treta hein???
Adorei a história, mas chegou um momento que a vontade era chegar logo no final para não ler mais nada de briga.
Em compensação o final foi a coisa mais linda e emocionante da vida.
Valeu por casa briga desnecessária.
Babi se supera com sua escrita impecável.
comentários(0)comente



Fabiana.Martino 28/04/2017

Gostei da história. Só achei que demorou pra se desenvolver no início até quase a metade do livro. Ponto negativo: acontecem muitas tretas entre os dois, e algumas são desnecessárias. Pontos positivos: escrita poética impecável e linda, final maravilhoso e digno. Achei o capítulo 77 mais lindo q o epílogo.
comentários(0)comente



Isabela.Santana 24/04/2017

Amei,
Uma explosão de sentimentos, como ele mesmo se descreve uma linda novela mexicana. Primeiro me apaixonei pela sinopse e pela capa, correspondeu as minhas expectativas. Amei d +?
comentários(0)comente



Lud 11/04/2017

Curti mais do que imaginei!
Resenha de "Entre o Amor e o Silêncio".

Protagonistas
Francesca: 10
Mitchell: 8
Antes de tudo: perdi a conta de quantas resenhas eu li em que as pessoas começavam dizendo que haviam comprado o livro pela capa. Beleza à parte, que eu concordo por sinal, não foi pela capa que eu fui. Tampouco rejeitei a leitura ano passado por causa da tão falada "linguagem rebuscada" da autora. Só existe uma coisa no mundo que me faça abrir um livro: sinopse. É sobre esta que eu preciso desesperadamente falar, além é claro, do livro em si. Embora existem erros gritantes nela, como o fato óbvio da protagonista não ler para "pacientes" e sim, para apenas um, essa "leitura" que passa a ser quase que diária, é a melhor parte do livro, me chamando a atenção desde a menção na sinopse até o ápice do enredo. Não é nenhum mega spoiler, mas ela, a garota protagonista, se apaixona por alguém inconsciente numa cama de um Hospital. Eu já estive em alguns, muito mais do que gostaria, e tenho uma opinião muito clara sobre essa premissa da história. Ou a menina é muito louca ou é muito humana. E fui bastante convencida pela história a crer que a última opção é a mais válida. Amar, sem esperar algo em troca, é divino. Amar, simplesmente por amar, sonhando que um dia pode ser algo mais, é humano. É a velha (e estupida) esperança de que podemos mudar nosso destino. E se podemos (podemos?), esse livro propõe com bastante mérito o debate sobre o tema. O que significa a cura, no limite da intervenção divina, a aceitação do papel da culpa e a narrativa de belas histórias dão ao início do livro um contorno tão bonito que é difícil não associar com poesia. É tão lírico que desejei que a primeira parte fosse maior que a segunda. Mas não é, conferindo aqui, percebi que são 136 páginas contra 365. Bem, nem tudo é perfeito e esse livro também não é. Mas ele é bom, porque quando é bom (a história criada pela protagonista, que é escritora, por exemplo) é excelente, e quando soa piegas ou um pouco clichê lá pelo meio, ainda se mostra com estilo. Eu vou ler mais livros de Babi A Sette só por considerar sua escrita sofisticada. Não a linguagem em si, mas o contorno da narrativa. Ela escreve como quem pinta quadros clássicos, até o mero tom na borda de suas palavras estabelece harmonia com o resto da imagem. Faz sentido, soa bonito e envolve o leitor. Eu daria nota 4, mas talvez com um asterisco de que não é 5 porque a autora estava treinando pra o seu "Straight Flush". Como boa jogadora que é, está guardando na mão, sua melhor jogada.
comentários(0)comente



Tracinhas 28/12/2016

por Juliana Arruda
Eu sempre quis ler os livros da Babi porque sempre me disseram que eram bons – e convenhamos, essa capa maravilhosa só me instigou a ler. Então, quando eu tive oportunidade, eu fiquei admirada com a narrativa dela. É super gostosa de ler e mantém um ritmo agradável. No entanto, o que me fez dar dois neste livro foi pela história não fazer sentido pra mim, pela história ser arrastada e cheio de drama (quanto chororô, mds).

Entre o Amor e o Silêncio conta a história da Francesca, uma garota que teve uma decepção amorosa e não quer se relacionar mais. Então ela começa a se dedicar a escrever seu livro e decide passar o tempo livre com trabalho voluntário. Por este motivo, ela vai para um hospital e acaba lendo histórias para pacientes em coma. Bem, é lá onde conhece o Mitchell, um poderoso magnata que não vale o prato que come.

Entre essas visitas e suas histórias contadas, Francesca acaba começando a sentir algo pelo Mitchell. Sim, um cara que está em coma, que ela sequer conhece, que sequer teve a chance de bater um papo. Bem, digamos que é um amor platônico. E ela não pode apenas chegar e se apaixonar por um cara em coma, certo? Tipo, lógica cadê? Ok, ok, vocês vão me dizer que para o amor não existe regra, mas o ápice do desgosto pra mim foi justamente o Mitchell. Cara chato, imaturo, boçal. Ele até melhora a personalidade com ela, sabe? Mas a faz sofrer muito antes — e esse sofrimento foi o que me fez desgostar ainda mais do livro. Sério, não gosto de tanto mimimi.

Ainda no meio da trama, as histórias escritas por Francesca ganham vida nas páginas deste livro no começo-meio-fim. Confesso que não gostei da história escrita pela personagem porque senti que era apenas um modo de fazer com que tivesse mais páginas desnecessárias no livro. :v Tudo pra mim foi tedioso: ele fica em coma, ela se apaixona, passa a metade do livro inteira só nisso, até que ele desperta e todos os acontecimentos depois disso parecem ser corridos. Entretanto, várias pessoas que leram, gostaram — exceto eu. De qualquer maneira, se você gosta de um romance meloso (a ponto de ficar grudento), cheio de drama e alguns clichês mexicanos, esse é um ótimo pedido.

site: http://jatracei.com/post/155069155672/resenha-224-entre-o-amor-e-o-sil%C3%AAncio
comentários(0)comente



Niedja Cristina 23/11/2016

Uma leitura viciante
Um livro incrível, emocionante, lindo, uma escrita poética e viciante. Francesca uma mulher com o passado de abandono e espera, se descobre sendo traída pelo namorado e quase noivo e para ocupar a mente resolve se voluntariar em um hospital para um projeto de leitura para pessoas em coma. É ai que conhece o paciente Mitchell Petrucci. Um poderoso economista. Lindo, inteligente, rico, e sempre acompanhado de mulheres lindíssimas e vida luxuosa, porém conhecido por sua frieza com TODOS. Ele sofreu um sério acidente quando retorna do aniversário de sua mãe. Durante o período leituras e conclusão de um livro, os hábitos de Francie mudam e ela começa a querer conhece-lo a cada dia um pouco mais e sente a necessidade de estar ao seu lado se dedicando a ele sempre mais. Os acontecimentos a partir disso moldam os caminhos dos dois, repletos de dramas, encontros, desencontros e constroem essa história profunda, emocionante e apaixonante.


site: https://www.facebook.com/indicacoesliterarias/
comentários(0)comente



Tamy.Milly 10/09/2016

Desesperadamente Emocionante (Uma não tem pequena Resenha).
.
.
Francie tem cicatrizes psicologísticas.
Depois de passar anos esperando um pai ausente e que nunca a quis, e sair torturada e dilacerada desse espera, prometendo não se deixar sentir nada tão profundo por ninguém, ela agora é traída pelo homem com quem tinha um relacionamento de três anos, um dia depois que ele falou em casar-se com ela!
Mas um vez ela saiu machucada emocionalmente. Dessa vez esta decidida, vai focar na própria vida e em seu livro, deixando os envolvimentos amorosos de fora. Visando uma ajuda na escrita, Fran se escreve no programa hospitalar para ler para pacientes em coma, e o paciente pra o que ela é designada é Mitchell Petrucci.

Mitchell é um famoso economista. Lindo, inteligente e rico, sempre rodeado de mulheres exuberantes e carros luxuosos. Frio, distante e impessoal com TODOS.
Tudo muda para ele quando, ao voltar do aniversario (no qual nem queria esta) ele sofre um acidente e fica coma prolongado.

O que eram apenas duas visitas de poucas horas por semana viraram visitas diárias demoradas, Francie senti que impossível esta ela e o homem em coma. Empenhada em conhece-lo melhor ela começa a pesquisar sobre a vida dela, mesmo que tipo pessoa ele é ela só consegue se sentir mas próxima dela.
Essa ligação cheia de cumplicidade se transforma de forma cega e bruscamente em uma e desesperada paixão louca e sem sentido, e mesmo com tudo indicando que é insano, que ela precisa se afastar, que ela vai se machucar, ela não pode/quer mas eixa-lo, não tem forças.

“Se apaixonou por um homem ausente como seu pai, que não te respondia, que não te olhava, que não estava presente em sua vida, se não em seu inconsciente.”

Francie começa a se dedicar totalmente ele, tentando ajudar e se agarrando a qualquer esperança de recuperação.
Até que chega a noticia de documento assinado pelo próprio Mitchell, solicitando a eutanásia.
E novamente as coisas desmorona. Será que ele vai realmente morrer? Será que vai acordar? Será que vai reconhece ela ou não vai?
De uma coisa se tem certeza, a quantidade de vezes que ela pode ter o coração partido acabou!

Insanamente profundo, imprevisivelmente romântico e desesperadamente emocionalmente, Entre o Amor e o Silencio te faz rir e chorar e enfrentar os problemas das vidas que ele abrange, sem julgar, só sentindo tudo.

*TamyMilly
Até a Próxima...
comentários(0)comente



Lu 03/09/2016

Entre o amor e silêncio
Livro maravilhoso, a Babi ganhou meu coração com a sua escrita poética, linda, viciante, não consegui lagar o livro um só minuto, alguns livros tem altos e baixos, esse não, foi maravilhoso do início ao fim. Escrita perfeita, tudo na dose certa. A Babi entrou para o meu top 5 melhores escritoras.
comentários(0)comente



Aninha 01/09/2016

Nossa,nossa, nossa... Que livro incrível, espetacular, emocionante, lindo!!!! A sinopse me despertou uma imensa curiosidade e sempre ouvi flr muito bem, só que na época já não tinha mais disponível para compra com a autora, até q meses dps a Novo Século lançou a segunda edição e em uma viagem eu consegui compra-lo.. Apesar dos diversos comentários positivos, ele me surpreendeu muito, foi muito além das expectativas.. 502 páginas não foram suficientes, qria mais e mais ^^
comentários(0)comente



Edinha ♥ 28/08/2016

MARAVILHOSO!!! <3
O livro fala sobre a história de Francesca uma jovem cheia de traumas, a espera de um pai q nunca chega, inscreve-se em um programa de ajuda a pacientes em estado vegetativo! Ele Mitchell, rico,lindo , egocêntrico....e em estado vegetativo! Daí começa um dos romances mais lindos que já li! Dois personagens super fortes, cada um com seus traumas!!! Romances cheio de altos e baixos ,mais onde o AMOR no final supera td!!!
OBS: Chorei horrores!Recomendo lencinhos! ;)
comentários(0)comente



Vanessa Motaa 16/08/2016

Para mim 2,5 estrelas
Ai que dor em dar essa nota.
A Babi tem uma escrita maravilhosa! dá um orgulho de uma escritora nacional não deixar nada a desejar para outros escritores!
Achei a ideia do livro bem legal... mas não deu. Essa nota não é pelo livro em si mas pela falta de carisma dos personagens principais.
A Francesca Wiggs chora do inicio ao final do livro - literalmente. Haja paciência para aturar tantos dramas! Fica difícil relatar aqui o quanto foi penoso terminar de ler e ter que acompanhar tantas chorumelas. Até o meio tive que parar para respirar e digerir o contexto.
Porém, o que não me fisgou de jeito nenhum foi a ideia de uma adulta se apaixonar por um cara em coma. Ahhh vá! por mais carente que você esteja, é necessário o mínimo de interação, né? fora que tivemos que aturar os devaneios de Francie se chocando com o Petrucci imaginário x real. Estou me questionando até agora como o final não foi a mocinha desidratada...
comentários(0)comente



Silvana 06/08/2016

Francesca Wiggs acaba de escrever o prólogo de seu novo livro. Graças a mais uma traição na sua vida. A escrita sempre foi como um bálsamo, desde criança que ela recorre a isso para curar a sua dor. Quando tinha um ano, seu pai foi embora e por anos a fio ela esperou que ele fizesse uma visita, desse um telefonema, lembrasse de sua existência, até seu aniversário de quinze anos, o dia em que decidiu que seu pai estaria morto para ela. E fazê-la sentir dor, não foi exclusividade de seu pai não. Por toda sua adolescência ela sofreu bullying na escola e aos dezesseis, quando teve seu primeiro namorado e descobriu que ele a traia com várias outras garotas, ela decidiu que nunca mais iria chorar por nenhum homem e agora dez anos depois, ela está chorando por um. Por mais uma traição.

Dessa vez ela terá que ser mais enérgica e decide não se relacionar com mais ninguém. E ela também decide que além de se dedicar ao seu livro, ela vai fazer um trabalho voluntário em um hospital. Seu trabalho será ler para pacientes em coma. É assim que ela conhece Mitchell. Mitchell Petrucci já nasceu herdeiro de um vasto império, mas ele não ficou de braços cruzados apenas desfrutando da riqueza de sua família. Aos trinta e cinco anos ele duplicou o patrimônio da família e é considerado um dos homens mais influentes no cenário financeiro.

E como se não bastasse, ele ainda é considerado um ícone da beleza masculina. Ele tem aos seus pés à mulher que quiser, na hora que tiver vontade. No momento ele está com a modelo sensação das passarelas e acaba de comprar um carro novo, uma Lamborghini Reventón Roadster. Ele adora correr, quando está em um carro em alta velocidade, é como se todo o resto desaparecesse. Infelizmente dessa vez às coisas não correm bem para ele, e ele acaba envolvido em um acidente, sofre traumatismo craniano e fica em coma.

Então Francie começa a ler para Mitchell o livro que está escrevendo. Ela sente uma conexão com ele e em vez de ir duas vezes na semana como era o combinado, ela decide ir todos os dias. E não apenas ler, ela conta tudo o que está acontecendo no mundo, já que ele não recebe a visita de mais ninguém. E quando percebe, está apaixonada por ele. Isso não poderia estar acontecendo, já que ela jurou nunca mais se apaixonar por ninguém. E ainda mais por um homem como aquele. Pelo o que ela leu e pesquisou sobre ele, Mitchell é o contrário do que ela busca em um homem. E ainda tem tem o problema do coma. E se ele nunca mais acordar? E se acordar e não sentir o mesmo que ela?

"Eis que mal se entendia diante de tudo o que vinha sentindo. Se o deixasse agora, ficaria ainda mais perdida. Percebeu, por fim, que de algum modo absurdo, sobrenatural e louco. Demais de estranho e incompreensível. Essa foi a maior entrega amorosa de sua vida. Só essa insana constatação bastava no momento. Por mais louca que ela estivesse, não mudaria nada. Não queria..."

Desde que vi esse livro pela primeira vez, eu me apaixonei por essa capa e fiquei doida para conhecer a escrita da autora. No fim, acabei lendo outros dois livros dela antes desse, mas de gênero diferente. E a leitura desse foi uma surpresa. A autora usou uma linguagem que eu não estou acostumada a ler, uma linguagem poética. Confesso que nas primeiras páginas, a leitura foi mais dificil, mais lenta por eu não estar acostumada com esse tipo de linguagem, mas ainda bem que me acostumei logo, porque o livro é enorme e eu teria demorado um mês para ler hehe. E não foi o que aconteceu, pelo contrário, as ultimas 300 páginas eu li em um dia, porque não conseguia largar. A escrita da autora é viciante e a história estava tão boa, que não conseguia largar sem saber o que ia acontecer.

Quando vi a sinopse desse livro, a primeira coisa que pensei foi, como alguém se apaixona por uma pessoa em coma. O amor vem da forma como a outra pessoa te trata e nesse caso não tem nenhuma interação da parte dele. Mas lendo o livro entendi o que aconteceu. Temos que entender todo o passado e a carga emocional que a personagem carrega. E isso não é exclusividade da Francie, mas tem toda uma carga emocional da parte do Mitchell também. Os dois personagens estão tão quebrados e encontram um no outro o apoio e a força para conseguir superar, perdoar as mágoas e seguir em frente. Como todo bom romance, temos alguns clichês, temos encontros, desencontros, palavras não ditas, outras ditas no calor do momento e temos também outras pessoas tentando separar o casal.

Francie me irritou em vários momentos da história. A pessoa se apaixona por um milionário, que trabalha praticamente 24 horas por dia e quando tem uma crise na empresa e ele fica alguns dias afastado dela, ela já se faz de vitima e termina tudo com ele. Relacionamentos são construídos por duas pessoas e cada um tem que entender o lado do outro e ceder um pouco. Achei ela bem imatura algumas vezes. Mas em vários outros momentos ela compensou com sua alegria e companheirismo. Mitchel também me tirou do sério algumas horas, principalmente quando ele viu Francie pela primeira vez e quando quis resolver tudo com o seu dinheiro. Mas depois ele compensou tudo se mostrando o homem mais romântico do mundo.

Enfim eu recomendo o livro. Li algumas opiniões bem diferentes da minha e até comparações com Cinquenta tons, mas a semelhança termina na parte deles serem dois caras milionários. Na minha opinião, e ninguém é obrigado a concordar, é um romance daqueles para ninguém botar defeito e ainda a autora escreve de uma maneira que a gente fica lá sentindo o mesmo que os personagens estão sentindo. Eu amei, odiei, chorei, suspirei junto com a protagonista. E sem falar na edição da Novo Século que está maravilhosa. Essa capa é perfeita, é ainda mais bonita que a da primeira edição, apesar de que é a mesma imagem só que numa posição diferente. As folhas são amareladas, a fonte em um tamanho bom e os capítulos não são longos em excesso. Quem gosta de um bom romance, vai amar o livro.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2016/07/resenha-entre-o-amor-e-o-silencio-babi.html
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7