Predestinadas

Predestinadas Jessica Spotswood




Resenhas - Predestinadas


64 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Beatriz 12/06/2015

Último livro da série
Acabei de concluir o terceiro livro dessa série que me apeguei muito, esperei muito pra lançar essa edição aqui no Brasil.
bom, o livro e intenso, e várias coisas acontecem.
um turbilhão de acontecimentos e emoções que nos deixam meio perdidos na leitura, tudo aconteceu em menos de um mês, e os acontecimentos eram deacrevidoa de forma superficial e passageira.
mal acontecia um fato importante na história, mal absorviamos e já a ontecia aoutra coisa bombástica.
isso deixou o livro muito ruim, deu a impressão de preguiça por parte da escritora.
bom temos nesse livro Cate, decidida em salvar pessoas ajudar suas irmãs etc. ela se firma mais nesse livro, terminado a aceitação que começou no 2.
Tess tenta provar que vale o título de oráculo, porém tem apenas 12 anos, e obviamente apesar de toda sua inteligência e dom è muito nova para levar tudo isso nos ombros sozinha.
maura è odiosa, mas não mais do que no 2, ela amadurece pouco. Sinto que a escritora poderia ter explorado mais essa personagem, pois ela teria muito mais a acrescentar na hiatoria.

Bom o livro me decepcionou um pouco, a ideia, os personagens, a história fez com que eu adorasse a série, mas esperava mais desse final. foi bom sim, porém não mais do que eu esperava. e desfecho foi muito pobre, senti mesmo que a autora estava afobada em terminar logo.

bom è o que eu acho
Zizi 15/06/2015minha estante
Senti a mesma coisa Beatriz. Eu só dei 5 estrelas porque me apaixonei pela série e acho que vale a pena ler sim, mas concordo em relação à afobação da autora em terminar a série.
Uma pena terminar desta forma, pois eu estava tão apaixonada por esta série, mas enfim acredito que mesmo assim ainda vale a pena ler o último livro, ele esclarece e revira muitas coisas. No geral é empolgante.


Aline 31/07/2015minha estante
Concordo plenamente! Foi 3 estrelas pra mim também, e olhe lá! Foi escrito de forma superficial, Os desejos de Cate, abordados desde o primeiro livro, foram deixados de lado, em segundo plano. O livro não teve um desfecho satisfatório, em minha opinião.


Mara seidhom 08/09/2015minha estante
Concordo com vc em tudo Beatriz. Esperava mais da Cate e do Finn e foi um balde de agua fria o final...




Kari 24/06/2015

O que falar sobre essa trilogia?! Eu amei cada página lida, apesar de o final ter sido um pouco previsível sobre qual irmã iria morrer, a forma como ocorre eu não esperava! E também apesar de ter achado tudo meio "cuspido" nesse último volume!

Terminei o volume anterior com o coração na mão depois do que Maura fez com sua irmã Cate, apagando o sentimento dele por Cate e tornando Cate uma pessoa mais amarga e vingativa. É triste ver Cate sofrendo por seu amado, enquanto ele não lembra o que eles eram um para o outro!

Tess está tendo que lidar com a pressão de se tornar maluca e carrega um grande peso nas costas sendo o Oráculo e tendo que guardar para si segredos sobre suas visões. Com suas irmãs em constante guerra, Tess fica cada dia mais pensativa e cuidadosa, pois afinal a profecia diz que uma irmã matará a outra antes da virada do século. Para Tess é impossível pensar em algo assim e tenta a todo instante apaziguar as coisas entre suas irmãs.

Maura está cada dia mais sedenta por poder e sente-se sempre a coitada, a irmã que ninguém escolhe, aquela que ninguém ama.. e comete inúmeros erros e escolhas ruins ao longo de sua jornada; assim como Cate, que sempre acredita estar fazendo as melhores escolhas, apesar de se julgar de forma muito pesada quando comete erros que lhe cobram caro.. Como a perda de pessoas queridas ou o afastamento de suas próprias irmãs.


Assim como vimos nos volumes anteriores, os conflitos entre irmãs são constantes, pois além da relação de irmãs o mundo parece estar desmoronando ao redor do trio. Há muitas intrigas, e parece que as irmãs estão muito divididas.

Apesar de Cate estar mais dura, vingativa.. Ela demonstra várias vezes amor por Maura e esse sentimento é palpável. E Maura por sua vez, também demonstra alguns vislumbres de consciência mas se mantém uma grande vilã até o último momento. Tess surpreende com suas ações e decisões.

Finn continua sendo Finn - maravilhoso, gentil, honesto e bastante presente nos momentos mais importantes da trama!

Eu não sei se gostei do final.. Eu fiquei dividida entre querer um final trágico e torcer por um final feliz e redenção para aqueles que necessitam.. Porém a autora apesar de ter dado fim a vida da irmã que eu já tinha certeza que morreria, deu esperanças de mudanças pelas quais todas as bruxas lutavam e o final foi satisfatório.. Não perfeito! Mas sinceramente, acho que perfeito seria impossível com os meus sentimentos entrando em conflito. rsrs


Senti que nesse terceiro volume as coisas aconteceram muito rápido, foi tudo corrido, não houve a calma dos volumes anteriores em explorar uma situação.. Aconteceu algo pavoroso e "pum" passamos ao próximo tópico e assim por diante!

Algumas mortes que ocorreram de personagens secundários me deixaram meio assim: "ãh? Como assim?!" - Apesar de ter aguardado muito por essa finalização e ter amado a trilogia esse não foi o melhor livro dos três. Ele deveria ter o dobro das páginas que tem para todos os acontecimentos que ocorreram terem sido melhor explorados.. Porém analisando como um todo, eu amei a trilogia, mas não fiquei satisfeita com esse último volume que deixou a desejar em alguns quesitos! Mesmo assim a trilogia é favorita em minha estante e a guardarei com muito carinho, pois tiveram coisas que amei a cada página lida - O amor de Cate e Finn, a relação palpável das irmãs Cahill, a ambientação da história, a autora me conquistou e espero em breve poder ler mais histórias de sua autoria.

A capa está linda, como todas as anteriores e a revisão excelente!
Anya 26/06/2015minha estante
Poxa, eu estava esperando tanto desse final. Agora estou com o coração na mão! Imaginei que o final do último livro não seria perfeito, mas espero que seja pelo menos bom, senão vou surtar! E mais mortes virão? Não sei se posso aguentar...


Pry 24/08/2016minha estante
não sei se posso dizer que o final me decepcionou, mas com certeza não foi o que eu esperava.
também achei que foi muito corrido em algumas partes, e principalmente que deveria ter sido mais elaborado o final, faltou dar mais detalhes que ficaram no ar. e também senti falta do final de alguns personagens secundários... mas no geral eu amei a série.




Meg 03/02/2017

Sem Palavras...
Todos os livros das Crônicas das Irmãs Bruxas nos surpreendeu do início ao fim, não tinha como Predestinada ser diferente! E... Gente... O que dizer deste livro??? Predestinadas nos fez suar, nos fez ficar chocados, ansiosos, desesperados, nos fez ficar com Muita raiva (algumas vezes de Maura como sempre) mas... Principalmente nos fez chorar! As Crônicas das Irmãs bruxas vai tomando lugar em nossos corações sem nem percebemos e é lendo esse livro que percebemos isso. É um choque atrás do outro! E em Predestinadas percebemos que nada é para sempre, nem a raiva (tá talvez só de Inez)! Este livro é de surpreender do início ao fim! Alguns livros deixam marcas na gente, e os livros da Crônica das Irmãs Bruxas deixaram sua marca com certeza! E neste momento -que eu acabei de ler Predestinada - só posso dizer que estou triste, feliz e com muita raiva! Estou indignada com algo que a autora deixou de fazer em Fim! Acho que todos ficamos pensando: Como assim???. E o que dizer das tragédias hein? Foi uma morte seguida de outra!!! Mas algumas coisas TEM q acontecer né... Mas de uma coisa eu tenho certeza! Vamos sentir muuuitas Saudades da perfect Cate Cahill!!! De Finn (pelo menos do nosso verdadeiro Fin!) , e por INCRÍVEL que pareça... De MAURA! Vamos sentir saudades de todos, tirando a vaca da Inez! E falando em Maura... Tem algumas pessoas que pensamos odiar plenamente e temos vontade de matar, mas... Depois percebemos que na verdade... Odiamos amando; e Maura é esse tipo de pessoa e ela vai fazer falta!... E eu NUNCA vou me conformar com o final de Finn!! Pois eu esperava q tipo um milagre acontecesse com ele e não aconteceu! Mas... Resumindo, Predestinas, assim como todos os livros da Crônica das irmãs bruxas, mexeu conosco como ninguém e vá estar Forever em nossos Corações!!! Nem sei como dizer isso mas... Adeus Crônica das Irmãs Bruxas!
comentários(0)comente



Adri 12/06/2016

Predestinadas (As Crônicas das Irmãs Bruxas #3) - Jessica Spotswood
Enfeitiçadas pode ter me pegado de surpresa, já que eu não esperava gostar tanto, mas isso não diminui o mérito da história, que é incrível. E isso se comprova lendo os outros dois livros já com expectativas altas, e mesmo assim me impressionando. Predestinadas não ficou nem um pouco atrás dos outros dois, e essa foi uma trilogia como poucas outras, se manteve incrível do início ao fim.

Nesse terceiro livro não temos tempo para enrolação. Cate está desolada com a traição da irmã, e sente que nunca vai conseguir perdoa-la. Ao mesmo tempo, tem que se manter forte para lutar contra a irmã Inez, que agora é a diretora da Irmandade, e que não pensa como Cate. Juntamente com isso, precisa arranjar uma forma de proteger Tess até dela mesma, pois Tess está começando a acreditar que está ficando doida.

Cate sente que não precisa mais proteger somente a ela e as irmãs e se preocupar com a profecia sobre elas. Agora, ela anda carregando o peso da segurança de todas as garotas da Irmandade, bruxas ou não, além de todos os necessitados que estão por aí. Depois do ataque ao conselho da Fraternidade e da fuga das garotas presas em Harwood, os Irmãos estão doidos por vingança.

E esses “ataques” vão acabar sendo a desculpa que eles precisavam para impor medidas ainda mais drásticas, principalmente com o novo conselho. Com uma onda de febre mortal se espalhando pela Nova Inglaterra, e os irmãos atribuindo a culpa às bruxas, Cate precisa achar uma forma de trazer a verdade à população. E ela vai encontrar aliados inesperados para essa revolução, vai descobrir que nem todos são tão contrários assim às bruxas, principalmente depois de todo o terror que a Fraternidade anda trazendo.

E Cate vai se ver cada vez mais no meio de uma batalha que ela nunca pensou em entrar, lutando para proteger aqueles que ela ama, ao mesmo tempo em que precisa deixa-los fazerem suas próprias escolhas. Cate vai precisar colocar sua vida nas mãos de pessoas que ela nunca pensou em confiar, pessoas que ela mal conhece, tudo para lutar uma batalha que ela nem está tão convencida assim de que pode ganhar. E o resultado dessa batalha ela não pode nem imaginar, apenas torcer para que tudo dê certo.

Posso ser meio tendenciosa, já que adoro histórias de bruxas, mas não posso reclamar de absolutamente nada dessa trilogia. Predestinadas fechou perfeitamente a história e, mesmo querendo que não terminasse nunca, acredito que a autora fechou direitinho, e teve todo o respeito com a história e com os leitores terminando quando devia. A edição da Arqueiro está maravilhosa, muito caprichada. As Crônicas das Irmãs Bruxas é uma trilogia curta, mas que se termina de ler com um sorriso no rosto, com vontade de ler de novo. Recomendo demais.

site: http://stolenights.blogspot.com.br/2015/07/resenha-predestinadas-jessica-spotswood.html
Janinha 18/03/2017minha estante
Adorei a sua resenha. Eu também gostaria que essa história não terminasse nunca. Terminei de ler agorinha e estou me sentindo orfã dessa história incrível!




Jessica.Cristina 20/06/2020

Leitura fluída, história maravilhosa e encantadora. A autora foi capaz de mostrar que mesmo irmãs, não é fácil gostar e concordar uma com as outras, mas isso não torna o amor entre elas menor.
comentários(0)comente



Jessy 15/05/2020

Sem enrolação
Se tem algo que prezo em uma leitura, é os fatos acontecerem sem enrolação. E esse livro foi assim, vários acontecimentos se sucederam sem ficar contando histórias entre eles para preencher mais páginas. Quando um livro começa a falar de outra coisa que se tirasse, não prejudicaria em nada o enredo, perco a empolgação da leitura.
Pelo menos com essa trilogia não tive esse problema, eu simplesmente não queria parar de ler. A cada página, algo novo e surpreendente surgia, adorei o desfecho, só acrescentaria mais sobre o futuro político, mas isso se dá ao fato de que amo um aprofundamento político em meio aos livros de fantasia.

No mais, gostaria que essa trilogia tivesse um alcance de público maior e que os livros fossem reimpressos, já que comprá-los novos, principalmente o 2°, é impossível. O meu adquiri por terceiros, depois de anos tentando obtê-lo.
Uma pena poucas pessoas conhecerem.
comentários(0)comente



Raniere 03/05/2016

BRUXAS, PROFECIAS E OPRESSÃO NA TRILOGIA AS CRÔNICAS DAS IRMÃS BRUXAS
Começarei este texto contando uma coisa para vocês: eu tenho pé atrás com livros que falam de uma profecia envolvendo o protagonista. Ou esta profecia vai causar uma expectativa enorme no leitor (muito bom!) ou esta vai deixar o livro forçado, pois o autor fica preso pela profecia que ele mesmo criou e tudo acaba virando uma grande porcaria. Pois bem, a profecia que envolve as irmãs Cahill, da trilogia As Crônicas das Irmãs Bruxas, de Jéssica Spotswood, fica no time das que criam uma expectativa enorme no leitor.



A profecia desta trilogia é a seguinte: três irmãs serão bruxas, uma delas será um oráculo e a bruxa mais poderosa de todas. Dependendo de que lado fique (ou de quem a controle), esta bruxa pode ajudar na relação entre a sociedade e as bruxas ou trazer um novo Terror, onde mulheres (bruxas ou não) são perseguidas, enforcadas e queimadas na fogueira. Além disso, a profecia também diz que uma das irmãs matará a outra.



Em Enfeitiçadas, primeiro livro da trilogia, conhecemos as Cate, Maura e Tess, as três irmãs bruxas citadas pela profecia. Nos últimos momentos de vida, a mãe das irmãs Cahill, sabendo da profecia, fez Cate prometer que cuidaria das irmãs mais novas e as protegeria. Sob o peso desta responsabilidade, Cate (perto de completar 18 anos) evita a todo custo usar seus poderes, enquanto Maura (com 15 anos) e Tess (11 anos) são ávidas para praticar a aprender novas técnicas.



Existe também um convento de Irmãs, que na verdade é um abrigo e escola para bruxas (nada parecido com Hogwards, ok?). Este convento é um disfarce para que a Fraternidade (composta apenas por homens) não ataquem as mulheres que residem ali e não as prendam no hospício ou as enforque. A sociedade mostrada em As Crônicas das Irmãs Bruxas é extremamente machista, onde mulheres são privadas de seus direitos, e se alguma se levantar contra esta proibição, é condenada como bruxa. A história se passa na virada do século XIX para o XX, porém, lendo esta trilogia, vemos algumas características semelhantes com nosso modelo de sociedade atual.



Voltando a falar das Irmãs, as bruxas nesta trilogia não são aquelas colocadas em histórias convencionais, com verruga no nariz e má (o que algumas amigas me informaram que é um modelo bastante machista, pois refere-se a mulheres que se levantam contra uma sociedade que as oprime desde sempre). Em As Crônicas das Irmãs Bruxas, as bruxas são mulheres normais. E todas estas mulheres tem uma coisa em comum: acabar com a tirania dos homens da Fraternidade e viverem numa sociedade onde possam ser aceitas como são.



Entre as bruxas existe uma hierarquia. Enquanto a líder delas tem como objetivo ajudar as bruxas mais jovens a aprenderem a controlar seus poderes e acabar com a opressão da Fraternidade, fazendo com que a sociedade aceite-as como são e que as mulheres em geral sejam livres, sua segunda em comendo, Inês, é uma mulher ambiciosa, que tenciona descobrir quem são as três irmãs da profecia, controlar o oráculo para se tornar a mais poderosa dentre as bruxas e controlar a Fraternidade, para usá-la como meio de esmagar seus inimigos. Fazendo uma comparação que pode parecer esdrúxula, Irmã Inês está para As Crônicas das Irmãs Bruxas assim como Palpatine está para Star Wars. O que o Imperador Palpatine fez, para ter poder absoluto? Ele controlou o Senado Galáctico, seduziu e trouxe para o seu lado Anakin (que era o jovem da profecia, que dizia que traria equilíbrio para a Força, além de ser uma pessoa com nível de midchlorians maior até do que o Mestre Yoda) e buscava, através das Forças Imperiais, esmagar toda e qualquer oposição a ele (inclusive os Jedis). Irmã Inês tem exatamente os mesmos objetivos. Daria uma excelente Lorde Sith!



As Crônicas das Irmãs Bruxas é contada em primeira pessoa, na voz de Cate Cahill. Jéssica Spotswood foi sensacional na prosa dos seus livros, pois ela, usando a narrativa em primeira pessoa, induz o leitor a ter as mesmas dúvidas e as mesmas inseguranças de Cate sobre as decisões que ela precisa tomar. Também posso dizer, com toda a segurança, que a história fica melhor a cada livro da trilogia. Os ganchos que a autora usa no final de Enfeitiçadas e Amaldiçoadas são eletrizantes, chegando enfim a Predestinadas, livro que, na minha opinião, é o melhor da trilogia, e a um final não de todo inesperado, mas que chega a ser surpreendente em alguns pontos.



Não li muitos livros de bruxas na minha vida, mas assisti a muitos filmes, e acho que As Crônicas das Irmãs Bruxas é uma das melhores histórias que já conheci sobre o tema. Posso comparar, também, com a terceira temporada da série American Horror Story, que foi intitulada Coven (Clã). Porém, esta trilogia não é terror. Se você espera mutilações, sangue para todo lado e demônios, esqueça! Mas, se você pretende ler uma excelente trilogia sobre bruxas, esta é minha indicação!

site: http://www.encontrosliterarios.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Vi 23/03/2020minha estante
Estou muito curiosa pra saber um spoiler. Quem é a bruxa da profecia?


Bia (@valentsbook) 24/03/2020minha estante
É a tess hahaha eu amo spoiler as vezes




Cah Snow 09/01/2017

Predestinadas é o último livro da trilogia As Crônicas das Irmãs Bruxas. E bom, não sei direito o que falar sobre esse livro, então não vai ser exatamente uma resenha, pois estou até agora tentando digerir esse final emocionante.. Mas como eu prometi a mim mesma que faria uma para os três livros, vou fazer como na última resenha e tentar falar sobre o que senti lendo esse livro..Essa trilogia realmente conquistou meu coração, e não estou pronta para me despedir desses personagens à quem me apeguei tanto.

Eu não estou conseguindo pensar direito sobre o que escrever, pois sempre que penso nesse livro, lágrimas me vem aos olhos. Jessica Spotwood conseguiu fazer todos os seus livros terem finais destruidores. É incrível como ela criou personagens tão reais, que nos fazem ama-los e odia-los. E é também incrivel como Cate, Maura e Tess mudaram e amadureceram desde o primeiro livro.Vou guardar para sempre a lembrança dessas três irmãs maravilhosas, que mesmo brigando conseguem mostrar que no final se amam mais que tudo.

É claro que o livro também teve suas falhas. A história foi muito corrida, e mal dava tempo de digerirmos um grande acontecimento, que outro já acontecia. A autora devia ter aproveitado mais algumas partes emocionantes, como o clímax, que apesar de ter sido bom podia ser um pouco mais longo para nos deixar absover a emoção da cena, e admito que espera um pouquinho mais do final. Se o livro tivesse tido mais páginas com certeza seria ainda melhor, e deixaria menos pontas soltas.

Mas fora isso o livro foi muito bom, mostrando novamente a força das mulheres, além de também continuar criticando a sociedades e seus preconceitos.
Se você quer saber como tudo acaba, se a profecia se cumpre ou não, se nossos protagonistas vão ter seus finais felizes, não perca tempo e leia agora esse livro !! Pois vale muito apena, e eu super indico a leitura !!
comentários(0)comente



Andréa Bistafa 26/04/2016

http://www.fundofalso.com
Predestinadas é o último livro da trilogia As Crônicas das Irmãs Bruxas, lançado aqui no Brasil pela editora Arqueiro.

Essa resenha não tem nenhum spoiler, mas se quiser entender melhor o contexto sugiro que leia as resenhas anteriores, Enfeitiçadas e Amaldiçoadas no blog.

Essa saga, desde o início prometeu me arrebatar, e ao concluir, não sei bem dizer se isso ocorreu ou não.
Os três livros caminham para um único objetivo final, portanto desde o inicio já nos é apresentado boa parte do contexto da trama.
Recapitulando, no primeiro livro a narrativa da autora deixou muito a desejar, monótoma e sem muita emoção, mudando apenas nas últimas páginas do livro, onde uma ótimo desfecho atiçaria, sem dúvida, a curiosidade de qualquer leitor. O primeiro livro me ganhou nesse momento, relevei todo o início e apostei em uma trama incrível. O segundo livro é sem dúvida o melhor, a narrativa evolui, a autora embala e a trama é tomada por cenas de ação e intrigas.

Agora vamos entrar no terceiro livro. Aqui, a autora poderia ter feito exatamente o que fez no segundo, já que o desenvolver da estória era propício e o desfecho do livro anterior era simplesmente agoniante. Mas de alguma forma ela conseguiu regredir para a narrativa do inicio da saga. Após a tormenta, veio a calmaria, mas muito pacífica para meu gosto, ainda que a trama continue a se desenvolver com as intrigas entre irmãs, com o prenúncio da profecia se aproximando e grandes decisões a serem tomadas em relação a sociedade e as bruxas.
Existe em pauta um grande sentimento da protagonista, Cate por Finn, e acontece ago muito grande em relação aos dois que abalaria qualquer pessoa. Senti muita falta de aprofundamento no sentimento da Cate, a forma como ela encara o ocorrido, ao meu ver, foi ameno demais. Ainda que o livro foque mais na relação familiar e na amizade do que propriamente no romance, para quem leu, entende que não poderia ter passado tão levemente esse sentimento, afinal envolve uma grande traição familiar.

Uma ótima abordagem - Pelo fato da estória ocorrer no século XIX, toca-se, quase o livro todo, no assunto "feminismo", ainda que não da forma como conhecemos hoje. Existe uma ótima abordagem do que as mulheres sofreram nessa época, e de como foi importante para o que temos hoje a luta dessas guerreiras, que em muitos casos morreram inocentemente, enforcadas, queimadas, foram exiladas e abusadas sem piedade.
Seria injusto da minha parte não salientar o contexto maravilhoso que a autora usou. Mostrou o crescimento pessoal de uma jovem encarando as dificuldades da época, os preconceitos sofridos pelas mulheres ao decorrer de toda sua vida. A evolução de uma criança se descobrindo, para uma guerreira cheia de ideais coletivos. é uma linda lição de que podemos, e devemos lutar pelo nosso espaço.

Os irmãos estão mais cruéis, as bruxas mais determinadas, e a autora sem dó de matar alguns personagens. Mas faltou; faltou emoção na narrativa cotidiana, faltou a mesma ação que ela usa tão bem nas cenas de luta, por exemplo; a autora tem potencial, mas não a aplicou de forma continua, resumiu o livro a cenas lentas e outras perfeitas. Para mim, foi uma leitura morna, onde só me senti realmente satisfeita no final, gostei do fechamento da trama em si, mas poderia sim, melhorar muito.

site: http://www.fundofalso.com/2016/01/resenha-predestinadas-jessica-spotswood.html
Pri 02/09/2016minha estante
Concordo! Esperava mais tbm! E eu não gostei muito do final rsrs
esperava pelo menos um desenrolar sobre a Tess (tipo um epílogo) pq afinal ela é a bruxa mais importante... e queria muiito um final melhor pra Cate e Finn rsrs
Adorei sua resenha beijinhos ;)




Barbara M Giolo 18/05/2020

Quase lá! Deixou uma fome de mais história.
Cheguei ao último dessa trilogia incrível, minhas expectativas estavam bem altas devido aos outros dois terem me deixado sem fôlego com as mulheres de luta que me apresentou. Não se engane, a autora não criou uma história bonitinha de bruxas em um universo que tudo da certo. Ela trás a tona muitas questões que podem ser consideradas atuais como a luta das mulheres pelos seus direitos de liberdade, bruxas fortes e que merecem ser feliz mesmo ante as dificuldades diárias. A história está recheada de complexos jogos de poder e política muito intensos.
Confesso que eu esperava mais deste livro, talvez pelas expectativas estarem altas ou talvez porque os anteriores prometeram um final espetacular. O livro começa bem, trazendo os novos dramas de Cate, que são cada vez mais intensos, e sua maneira de liderar as coisa. Nossa heroína se torna uma líder excelente e com isso suas responsabilidades aumentam assim como a dimensão de seus problemas.
Isso foi fazendo com que eu sentisse que minhas expectativas iriam se cumprir. No meio do livro um acontecimento trágico que faz de Cate uma foragida me fez sentir certeza disso... eis que depois desta virada, pra mim tudo perdeu a graça de repente. As coisas passaram a se desenrolar muito rápidas e nos poupando de muitos detalhes, eu diria de forma atrapalhada. A autora nos dá um final emocionante mas que poderia ter sido mais forte. Emocionante ao ponto de tocar nosso coração e nos mudar, mas isso não acontece. O livro acaba e você fica ali desejando mais e imaginando muitas coisas que não foram ditas.
O final para o tão amado casal Cate e Finn é sem graça, as conquistas de liberdade de nossas bruxas são incertas e o futuro do governo também. Fiquei desejando muito mais, foi um final que me trouxa insatisfação no sentido mais literal. Eu ainda sinto fome da história das irmãs bruxas, Jessica quase chegou lá mas não conseguiu.
Apesar de tudo, como os anteriores, o livro é leve e muito gotoso de ler. A história mantém sua proposta deliciosa de romance piegas misturado com uma história forte de luta feminina. Trouxe um final decente para uma construção esplendida. A tristeza reside em não haver um próximo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mia Fernandes 04/05/2020

“Não é pouca coisa bagunçar as lembranças de alguém.”
Com aquele final WTF do último volume, eu sabia sinceramente que as coisas finalmente iam pegar fogo, ou que todo aquele jeito glacial de Cate ia derreter e mostrar a verdadeira bruxa que ela pode ser, ou melhor, líder que a Irmandade poderia encontrar. O calcanhar de Aquiles de Cate sempre foi Finn, foi o amor deles que fez Cate ser quem ela é, foi o apoio dele e orgulho que ele sentia dela, que fez Cate sobreviver a todos os obstáculos que o destino jogava na sua vida.

“Amar a pessoa certa, saber que ela corresponde... isso deixa a gente mais forte. Você tem vontade de ser melhor para elas, quer ser a mulher que a pessoa enxerga quando olha para você: bonita, corajosa e inteligente. Você quer se equiparar àquela visão, mesmo que... – respiro fundo. – Mesmo que a pessoa não a enxergue mais assim. Amar Finn nunca me enfraqueceu, e perdê-lo... também não vou permitir que isso me destrua. Sou mais forte do que você pensa.”

Maura fora longe demais quando apagara a memória de Finn. E Cate finalmente exploda. Então todo aquele clima de animosidade existente, agora se torna uma verdadeira terceira guerra mundial. A Irmandade está dividida em dois polos: Team Maura junto com a Professora Inez e Team Cate. Agora tem amigas e aliadas – como Elena – ao seu lado. E ela definitivamente começa a agir, sai da sua zona de conforto e decidir ir contra a profecia e a guerra já instalada entre a Fraternidade e a Irmandade.

“Os Irmãos já vinham agindo nos limites da violência. Há menos de um século, bruxas foram perseguidas até quase serem extintas e muitas garotas inocentes morreram no processo. Eles só estavam esperando um pretexto para retomar os antigos métodos, e agora Inez lhe dera um.”

Cate está amarga, vingativa, porém mais viva do nunca esteve antes. Maura continua sendo insandecida. Mas a que mais me preocupou foi Tess.

Tess é o oráculo e também a bruxa mais poderosa da profecia e a pressão é muito grande para uma menina de 12 anos. Foi de longe a personagem que mais evoluiu. E por ser o oráculos suas visões são terríveis. E com o conflito declarado entre Maura e Cate, Tess se torna mais reclusa e pensativa, se tornando alvo para bruxa que agora comanda a Irmandade.
Este livro foi na velocidade de Velozes e Furiosos. Literalmente a magia tomou conta de todos os personagens. Todos foram bem utilizados. Finn mesmo desmemoriado continua sendo aquele cara gentil, prestativo e destemido.

“As mulheres só avançam o dedão do pé além dos limites e são acusadas de bruxaria e jogadas em Harwood. Na maioria dos casos, as mulheres lá não são capazes de executar magia nenhuma. São castigadas por quererem mais do que as jaulas de esposa, mãe e filha em que os Irmãos iriam nos colocar.”

Para mim foi o melhor livro da trilogia. A sua velocidade foi perfeita e eu não senti falta daquela lerdeza que reinou no primeiro e quase aconteceu no segundo livro. Algumas mortes de personagens secundários aconteceram. Parecia que a autora estava definitivamente cortando o excesso de personagens. O que é normal já que uma guerra fora declarada, então acontecer baixas não é muito impossível.

“Existem dezenas de milhares de Irmãos e apenas algumas centenas de bruxas para lutar contra eles.”

O final foi bem satisfatório. A profecia se cumpriu e eu acabei chorando junto com o desfecho. Mesmo com uma das irmãs mortas, percebi o que o laço que unem elas é imortal. O dois pontos positivos da trilogia: a relação entre as irmãs e o amor entre Finn e Cate. Nunca vou esquecer o primeiro beijo deles e a sua história.

xoxo
mia fernandes.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



64 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5